No ar o Guia de San Blas. O incrível Caribe do Panamá.

Monique Renne 27 · março · 2015

O Melhores Destinos desbravou um dos mais belos e pouco explorados cenários do Caribe e conta tudo pra vocês no Guia de San Blas. Visitamos o arquipélago panamenho e preparamos um guia completo com tudo o que vocês precisam para chegar a esse destino incrível! Veja dicas sobre as ilhas, onde se hospedar, quando ir, como organizar a viagem, uma super lista de contatos (com motoristas, barqueiros, ilhas e agências), além das praias de San Blas!

Nenhuma palavra seria capaz de descrever a beleza da paisagem de San Blas. Eu poderia tentar algo como: “Espetacular!”, “Sensacional!” ou “Paradisíaco!”. Tudo seria verdade. No entanto, nenhuma dessas palavras daria a real dimensão da emoção ao ver, pela primeira vez, uma ilha de San Blas. Como reagir então quando percebemos que não se trata apenas de uma ilha, mas sim de um arquipélago inteiro? São mais de 365 pequenas porções de areia, rodeadas por coqueiros e mar do Caribe, capazes de arrebatar o coração de qualquer viajante, especialmente os apaixonados por praias.

San Blas ainda é um mistério entre os viajantes de todo o mundo. Há pouquíssimas informações sobre o lugar e, à primeira vista, o arquipélago pode até parecer inatingível. Foi exatamente com o objetivo de desbravar esse paraíso (“paraíso” é a palavra que mais se aproxima de lá) que o Melhores Destinos decidiu embarcar nessa aventura.

Organizar uma viagem para San Blas é tarefa para turistas destemidos, pacientes e insistentes. O arquipélago – localizado no Panamá – faz parte da Comarca indígena de Kuna Yala (ou Guna Yala, segundo a língua nativa). Todas as ilhas – menos de 50 delas habitadas – são comandadas pelas famílias dos Kunas. O mesmo acontece com todas as hospedagens e barcos que levam até lá. O contato nem sempre é fácil, especialmente porque muitas ilhas não possuem site e tudo é organizado apenas por telefone (os índios já usam o Whatsapp também).

 

A solução que muitos turistas encontram para chegar até lá, diante da falta de informações online, é contratar uma agência de viagem. Ela organiza tudo e você terá como única preocupação efetuar o pagamento. O MD foi pelo caminho mais difícil. Contratamos o carro que leva até o porto (US$ 50), o barco para a ilha (US$ 20) e a cabana que passaríamos nossas noites em San Blas (US$ 26 a diária com três refeições). A escolha por organizar pessoalmente foi para ter liberdade em relação à opção de hospedagem e também porque é bem mais barato do que usar intermediários (apesar de nada ser realmente caro em San Blas). Depois de tudo fechado era só torcer pra dar certo! E deu!

O carro que contratamos nos buscou na hora marcada, mais exatamente 5h30 da manhã. Apenas carros 4×4 fazem o trajeto até um dos portos que levam às ilhas. Enfrentamos uma sinuosa e difícil estrada, passamos pela barreira onde acontece o controle de passaporte (documento obrigatório para todos que não são residentes no Panamá) e depois de duas horas no porto combinado com o barqueiro. Encontramos com facilidade o nosso barco, já que todos os Kunas se conhecem. Bastou dizer o nome “Rive” para que todos gritassem onde ele estava.

O porto de onde saem os barcos pouco lembra o cenário dos sonhos que imaginei antes da viagem. Tudo é uma grande bagunça e o mar em nada lembra o Caribe. Os mais pessimistas poderiam desistir ali mesmo. No entanto, depois de entrar no barco, foram necessários apenas 10 minutos até que o mar se transformasse e todos os tons entre azul e verde aparecessem na água. Era inacreditável a emoção a cada ilha percorrida. Uma, duas, três, quatro… Tantas! Uma mais linda que a outra! Um mar mais colorido que o outro. Habitualmente os turistas pegam o barco e vão direto para a ilha da hospedagem. Há também quem faça o tour de um dia. Optei por contratar um barco particular (US$ 140 para o dia inteiro), exatamente para poder percorrer várias ilhas. Visitamos Aguja, Perro Chico, Perro Grande, Chichime, Fragata, Iguana, Estrella… A vontade era parar em todas elas! Depois de muita andança, chegamos à nossa ilha: A Isla Franklin!

Quem já esteve em San Blas diz que é comum criar amor pela primeira ilha de hospedagem. Posso dizer que a Isla Franklin foi amor à primeira vista. Nem foi preciso passar uma noite para perceber que era um privilégio poder se hospedar em um lugar como aquele. Talvez essa seja a decisão mais difícil para quem quer ir a Kuna Yala. Entre tantas ilhas, qual escolher?

Elas se diferenciam em tamanho de praia, tonalidade do mar, tipo de cabanas, tipo de banheiro e vários outros detalhes. Podemos garantir que todas são lindas! Não espere, no entanto, nenhum luxo. Aliás, luxo é uma palavra que não combina com San Blas. Por lá, não há grandes hotéis e muito menos resorts. Em San Blas a hospedagem é quase sempre em cabana de palha e bambu, com chão de areia e apenas uma cama para passar a noite. Parece ruim, mas, na prática, não é. E, diga-se de passagem, é tudo realmente à beira-mar. O ponto mais fraco da estadia são os banheiros. A maioria das ilhas oferece banheiro compartilhado e a água para banho é um mix de rio e mar. É ruim, não vamos mentir! Em algum momento, no entanto, o cenário da praia te fará esquecer o balde que é usado como descarga (ô tristeza) e você entrará no clima rústico de San Blas.

A rusticidade não para no banho. É preciso contar que a eletricidade é bastante limitada (algumas ilhas só oferecem luz à noite) e sinal de internet vem e vai com a maré. Não esperem passar dias conectados. O melhor mesmo por lá é aproveitar para descansar. Já a alimentação, diferente do que é difundido, não é tão ruim. Todas as diárias em San Blas oferecem as três refeições: café da manhã, almoço e jantar. A comida é bem decente e os pratos variam entre frango, peixe e frutos do mar, sempre acompanhados de salada e arroz. Quem quiser poderá pedir lagosta e até centolla para os pescadores que todos os dias passam pelas ilhas. As iguarias custam a partir de US$ 15 e basta pedir aos Kunas o preparo da aquisição para o jantar. As bebidas são vendidas pelos índios e é possível até comprar cerveja! É bem verdade que nem sempre ela está gelada, mas nem tudo é perfeito no paraíso.

Os dias em San Blas começam com o nascer do sol. O “despertador” é um índio que passa de cabana em cabana tocando uma espécie de búzio para acordar os hóspedes. Parece desagradável, mas é ótimo poder aproveitar o mar bem cedinho. Na praia, o que mais se ouve é a pergunta “de onde você é?”. Bati papo com turista belga, português, francês, canadense, suíço, sueco, chileno, argentino, colombiano, panamenho, israelense e, claro, brasileiro! Em San Blas tem de tudo! Casais de namorados, grupos de amigas, viajantes solitários e até famílias com nenéns. Poucas vezes estive em um destino tão internacional. E vale lembrar que tudo isso foi no espaço equivalente a um campo de futebol, onde estavam hospedas, no máximo, 30 pessoas.

Em pouco tempo na ilha é fácil perceber que os turistas acabam ficando amigos. A sombra dos coqueiros aproxima as pessoas e a conversa segue animada e em várias línguas. O importante é um ajudar o outro na tradução simultânea. A partir daí é um pulo até que sejam montados grupos para visitar as ilhas vizinhas. Fiz amizades não só com os turistas, mas também com os Kunas, a ponto de ir parar em uma festa no povoado mais próximo. Ganhei vestimenta típica, pintura no rosto (um ritual de proteção) e presenciei a Fiesta de La Chicha Fuerte, uma das mais importantes e tradicionais para os Kunas.

Depois de passar dias maravilhosos, visitar várias ilhas e acreditar piamente que nada poderia ser mais bonito que aquelas ilhas, eis que vem um índio e fala pra mim: _ Cayos Holandeses é muito mais bonito! COMO? Como é possível alguma coisa ser mais bonita do que eu tinha visto nos últimos dias? O nome Cayos Holandeses começou a ser repetido à exaustão. Todo Kuna, ao ser perguntado sobre o lugar mais belo de San Blas, repetia “Cayos Holandeses!”. E eu, que partiria na tarde seguinte para a Cidade do Panamá, decidi ficar para conferir pessoalmente. E, sim, Cayos Holandeses é realmente um sonho…

Quer uma ilha para chamar de sua por alguns dias? Uma cabana de frente para o mar? Visite o Guia de San Blas, no nosso Guia de Destinos, e veja tudo sobre o incrível Arquipélago de Kuna Yala.

Publicado por

Monique Renne

Editora de Destinos

  • Fernando Júnior

    Deu muita vontade de conhecer San Blas!

  • Fernando Barontini

    Já está salvo nos favoritos.
    deve ser muito bonito mesmo…

  • Yuri Sá Scaramussa

    Como conseguiu ir pra Cayos Holandeses? Quando estive lá não achei barqueiro querendo ir pra lá, todos diziam que era muito longe.

    • Monique Renne

      Yuri, eu estava em uma ilha que fica mais próxima de Cayos, a Isla Franklin. O barqueiro da ilha só vai pra lá em condições muito perfeitas de mar e vento. Foi muita sorte conseguir ir! E foi lindo 🙂

  • Thiago fernandes de Oliveira

    E com relação a água para beber? São os índios que disponibilizam?

    • Monique Renne

      Thiago, todo mundo leva galão de água (aqueles de 5l), mas os índios vendem água, suco, refrigerante e cerveja, além de algumas comidinhas como barra de cereal, chocolate e pringles 🙂

      • Monique Renne

        Ah! E não é caro… As bebidas custam US$ 1.5.

  • Guilhe

    ”Nenhuma palavra seria capaz de descrever a beleza da paisagem de San Blas”.

    Perfeito, quando fui fiquei na Ilha Franklin tb, lugar foda demais, me arrependo até hoje em ter ficado somente duas noites, mas logo devo voltar….

  • Cleber Miranda

    Um Verdadeiro Paraíso!!!!! O Vídeo ficou ótimo! Perfeita trilha sonora! Parabéns Melhores Destinos! Cada vez mais nos encantando!!!!

  • Guest

    Monique é bem gatinha hein

    Vou enviar meu currículo

  • Júlio 90

    Favoritado com sucesso 🙂

  • San

    Nossa! mto show mesmo! ótima matéria MD. Só tive uma dúvida como entramos em contato com o pessoal da ilha. para reservamos a cabana? é pela a agência mesmo?

    • Monique Renne

      Oi, San! Você encontra todas essas informações no Guia de San Blas. Esse aqui é só o post de apresentação do destino 🙂 Na matéria tem todos links. Você vai adorar!

  • Raoni Duarte

    Sab Blas é um paraíso na Terra que surpreende qualquer viajante! Um dos lugares mais bonitos que já visitei na minha vida. Apesar de não ser fácil o acesso, compensa demais a visita.

  • Eduardo

    Que Guia belíssimo, que imagens… Só suspirando mesmo! Obrigado!

  • Francieli

    É possível fazer um passeio sem precisar pernoitar nas ilhas? Posso aproveitar e contratar um passeio que leve para alguma ilha durante o dia e retorne à Cidade do Panamá ao final do dia? Pelo que li no Guia há um passeio de U$ 150,00. Seria esse passeio? Parabéns pelo Guia!

    • Monique Renne

      Oi Francieli! É super possível, e muito comum, conhecer San Blas em passeios de um dia. No Guia você encontra todas as informações em detalhes sobre como funciona o tour. Aqui é só o post de apresentação do Guia. Clique nos links do texto que te levam ao Guia de San Blas. Você vai adora San Blas!

  • MClara

    Muito lindo! Quero levar minha família. E amei o vídeo, façam mais porque a gente consegue ter uma ideia melhor do que se lê no texto.

  • Jorge Pizarro Esteves da Costa

    “Organizar uma viagem para San Blas é tarefa para turistas destemidos, pacientes e insistentes”

    Que exagero! Fui pra lá em 2009 quando o destino ainda nem era conhecido, e foi super fácil organizar de forma independente logística, hospedagem, etc. Fiz praticamente tudo por e-mail, e chegando no Panamá combinei os detalhes finais por telefone.

    Hoje em dia o destino se popularizou, a estrada de acesso ao Porto foi concluída com a ponte, e cresceu muito o Turismo no local, inclusive os preços inflacionam pouco com relação ao passado.

    Quem escreveu o texto está fantasiando um pouco, talvez para valorizar seu trabalho.

    • Patricia

      Talvez seja em comparação ao turismo de resorts que parece ser a preferência de quem vai ao Caribe, Jorge

  • Eduardo

    Tem muito inseto? Mosquito em especial?

    • Monique Renne

      Por incrível que pareça não vi mosquitos nas ilhas, só no Porto. Mas vi muita formiga. Ah! Os pássaros invadiram a minha cabana um dia e comeram as minhas bananas! Kkkkk

  • adriano

    Fiquei com uma dúvida: a Monique disse que pagou US$ 50,00 para um carro levá-la até o porto de onde partem os barcos para San Blás. Esse carro partiu de onde? Cidade do Panamá (centro)? Aeroporto?

  • Daniel T. Santos

    Qual foi o mês que você visitou San Blas, Monique? E com relação ao clima, os meses melhores pra visitar você saberia me informar?

    Depois de ver as fotos no insta, entrou na minha lista de viagens a fazer rsrs.

    • Monique Renne

      Daniel, eu fui em janeiro/fevereiro. O tempo estava excelente! Os meses mais secos são de dezembro a abril, quando chove menos. O tempo é sempre quente e região não é rota de furacões. Minha sugestão é que você durma ao menos um dia em San Blas, assim você não corre o risco de pegar só chuva. Mesmo com o tempo nublado o mar é lindo e sol sempre dá um jeito de aparecer 🙂 Veja mais detalhes aqui: http://guia.melhoresdestinos.com.br/quando-ir-a-san-blas-168-1922-p.html

      • Daniel T. Santos

        Opa, valeu xD, vou ler tudo com certeza haha. É que acabei não verificando hoje; até ontem não tinham colocado no ar esse guia de San Blas, por isso perguntei. Desculpe por isso.

        • Monique Renne

          Daniel, você adorar San Blas. É um dos lugares mais incríveis onde já estive! 🙂

  • Monique Renne

    Oi, Adriano! Os carros parte da Cidade do Panamá. Cada carro leva 7 turistas e ele vai passando de hotel em hotel (ou casa) buscando as pessoas. O horário que o carro passa é entre 5h e 6h da manhã e o retorno, a partir do porto, é 17h. Na volta ele também passa deixando todo mundo. No Guia está tudo explicadinho em detalhes 🙂

    • Rodrigo

      50 Usd para 1 pessoa, ou 7 pessoas?

      • Monique Renne

        Por pessoa, ida e volta.

        • bru

          NOSSA, MAS TEM MTA GENTE EXPLORANDO OS TURISTAS, EM OUTUBRO 2013 ESTIVE NO PANAMA, UM TAXISTA NOS PEDIU 250 DOLARES POR PESSOA PARA PASSAR O DIA EM SAN BLAS, COMO ESTAVAMOS EM 2 CASAIS, SAIRIA 500 DOLARES POR CASAL OU SEJA NA EPOCA 1.200 REAIS = 600 REAIS O DIA
          ACHAMOS MTO EXPLORAÇAO APESAR DE QUERER MTO CONHECER SAN BLAS, NAO FOMOS … INFELIZMENTE NAO TINHAMOS ESSAS DICAS QUE SE FOSSEMOS POR CONTA PROPIA IRIAMOS COM CERTEZA GASTAR MTO MTO MTO MENOS 🙁

          • Monique Renne

            Bru, o passeio de um dia custa, em média, 150 dólares. No guia indicamos várias empresas que fazem o passeio e o preço é quase sempre o mesmo. Esse taxista estava mesmo querendo te passar a perna 🙁

  • D.

    Que guia maravilhoso! Queria ir pra lá agora mesmo…
    Obrigada, Monique

    • Monique Renne

      Eu também queria! kakakakakak

  • Camila Cacais

    Estive em San Blás o ano passado. Já viajei bastante e arrisco dizer que talvez seja o lugar mais lindo que eu já vi. A sensação é a de estar dentro de wallpaper do Windows.

  • @liviajando

    EU to indo pra lá AMANHÃ!!! E não tinha pesquisado nada! OBRIGADA, melhores destinos!!!!!!! To aguardando o guia de bocas del toro! hahahahahha

  • Monique Renne

    Aproveite muuuuuuuito por mim 😀 Jajá o Guia de Bocas del Toro estará no ar!

  • Tatiana

    É muito lindo! Estive lá em 2013, fiz um relato aqui: http://trilhandodestinos.blogspot.com.br/search/label/San%20Blas

  • Ronaldinho Gaúcho

    Oi Monique, bom relato… Mas como o amigo ali falou fui em 2009 e nada de difícil qualquer um no panamá conhece o lugar e te da dicas sobre ele. Me parece assim ví a reportagem no globo reporter dia desses… Virou modinha e vou pra lá… Meio lúdico teu relato… Mas sempre válido é claro. Particularmente acho San Andrés 10X mais bonito que San Blas. Mas gosto é gosto.

    • Monique Renne

      Oi, Ronaldinho!
      Entendo que contratando uma agência, conforme está na matéria, tudo fica mais fácil. Eles reservam tudo, mas custa mais caro. Mas se você pensar que não existe nenhum site que ofereça a reserva de hospedagem em San Blas (conforme o booking, por exemplo), tudo começa a ficar mais difícil… O que não impede de ir a San Blas, claro 🙂 Tenho uma amiga que mora no Panamá e me auxiliou com os contatos de carro, barqueiro e ilha, contatos que agora disponibilizamos no Guia. E quem não tem um amigo no Panamá? E quem não fala espanhol para conversar com os Kunas por telefone? Não vou iludir os nossos leitores dizendo que a tarefa de organizar uma viagem pra San Blas é fácil. A começar pela dificuldade de escolher uma ilha. Mas que bom ter dado tudo certo contigo!!! Comigo também deu 😀

  • Roberta

    Demais! Parabéns pela reportagem e guia!
    Quantos dicas ficaste lá?

  • Carlos Rafael

    se for visitar no mes de julho tambem é possivel aproveitar tudo?

    • Monique Renne

      Oi, Carlos! Pra ter certeza de não pegar só tempo nublado eu sugiro que você durma ao menos uma noite por lá.

  • Monique Renne

    Obrigada, Roberta! 😀
    Na primeira vez eu fiquei cinco dias. Depois retornei para testar um tour de um dia.

  • Felipe Farias

    Melhores Destinos (Monique), seguimos o guia de vocês e fechamos com um dos contato indicado (san blas experience). Resposta ao email muito rápida (menos de uma hora), condições boas do pacote e pagamento muito fácil (eles disponibilizam um link no próprio email que direciona para o paypal. Ficaremos na ilha que vocês ficam… pelo muito que li me parece umas das mais bonitas. Muito obrigado pela ajuda.

  • Monique Renne

    Que bom, Felipe!!! Você vai adorar, certeza! Na volta não deixe de entrar no Guia para deixar a sua avaliação. Vai ajudar muito os próximos viajantes! Boa viagem 🙂

  • Mari

    Monique, vc escreveu essa matéria há 1 ano atrás e estou assustado com os preços de hospedagem na ilha hoje. Entrei em contato com uma das hospedagens que vc coloca na sua matéria custando US$50 por pessoa por dia (com 3 refeições) e hoje está 3x mais: US$150 por dia por pessoa em quarto compartilhado! Todos os lugares que consegui pesquisar preços não custam menos que isso. Se eu quiser levar barraca de camping, pago 140 dolares! Não estou vendo o “tudo lá é muito barato”, pelo menos não vale mais pra 1 ano depois……

    • Monique Renne

      Mari, que estranho! Tenho amigos morando no Panamá e nenhum deles percebeu esse aumento. Vou buscar mais informações e te falo.

      • Monique Renne

        Mari, esse valor era para o primeiro dia? Se for, estava incluso o transporte de carro e o barco. Provavelmente foi isso que aconteceu. Os dias seguintes serão preço normal. Acabo de confirmar essa informação em um site. Posso te ajudar, se quiser 🙂

  • Ewertonmagalhaes Alecrim

    Alguém passou por san blás nesse ultimo mês? alguém sabe se consigo dormir por lá no fim de novembro?

  • Raphael Leonel

    Olá monique, você reservou o trajeto (4×4, barco e ilha com a pernoite) daqui do Brasil ou no Panamá? Pretendo ir no fim do ano.
    Obrigado,