O que fazer em Macau – Roteiro e dicas de viagem para a China portuguesa

Wendell Oliveira 24 · julho · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Se você é daqueles que prestava atenção nas aulas de Geografia, sabe que Portugal colonizou vários territórios, expandindo a cultura e o idioma lusitano ao redor do mundo. Muito além do Brasil e de nações africanas como Angola e Moçambique, nossos descobridores também foram parar do outro lado do mundo: em Macau, uma península ao sul da China!

A última colônia europeia na Ásia esteve sob domínio português até 1999, quando finalmente retornou para a soberania chinesa. Desde então, vem experimentando um crescimento na economia e no turismo, liderado pela indústria de cassinos que já faz Macau ser reconhecida internacionalmente como a “Las Vegas do Oriente”.

Principais cassinos de Macau: Grand Lisboa, Wynn e MGM

Conheça um pequeno país dono de uma grande história, que vai muito além dos cassinos, com semelhanças e diferenças culturais que aproximam portugueses, chineses e brasileiros. Bem-vindo a Macau!

Como chegar em Macau

O modo mais fácil de visitar Macau é saindo de Hong Kong. De lá, é possível pegar um ferry até o Porto de Macau, em uma travessia que dura de 40 minutos a uma hora, dependendo da companhia.

Ferry da TurboJet, uma das empresas que realiza a travessia entre Hong Kong e Macau

Macau também possui um aeroporto internacional, que serve destinos regionais, como Bangkok e Singapura, além de outras cidades da China, e fica a 15 minutos de carro do centro da cidade.

Vale lembrar que Hong Kong e Macau são regiões administrativas especiais da China e não exigem visto para brasileiros.

O transporte em Macau é bem servido por táxis, ônibus e shuttles gratuitos de cassinos. Estes últimos são muito utilizados por turistas e até mesmo locais, já que servem como um modal ligando o porto e o aeroporto aos principais cassinos.

Melhor época para visitar Macau

Macau tem um clima bem agradável de outubro a dezembro, sendo este o período ideal para visitação. A primavera (que vai de março a abril) também é uma excelente época, com poucas chuvas e máximas em torno dos 25ºC.

De maio a setembro a temperatura de Macau tende a ser bem quente e úmida. Maio é o mês mais chuvoso e julho é o mais quente, com máximas de 31ºC. Já os invernos costumam ser relativamente amenos, com temperaturas mínimas de até 10ºC entre janeiro e fevereiro, considerados os meses mais frios do ano.

O que ver e fazer em Macau

Cassinos, cassinos e mais cassinos! É inegável que a atração principal de Macau seja também a mais imperdível, mesmo para aqueles não habituados ao ambiente de apostas. Shows de luzes e água, pavilhões temáticos capazes de reproduzir cidades inteiras e uma gama de entretenimento fazem com que Macau mereça a comparação com Las Vegas.

Show das águas em frente ao Cassino Wynn: performances a cada 15 minutos, todos os dias.

Um dia ideal em Macau começa com pelo menos uma rápida passagem em um de seus luxuosos cassinos. Não necessariamente para jogar, mas para aproveitar o shuttle gratuito ou guardar bagagens. E dar uma olhadinha, que é de graça.

Os principais cassinos do centro de Macau são o Grand Lisboa, Wynn e MGMconvenientemente localizados um ao lado do outro.

Mas atenção: É vedada a entrada de menores de 21 anos e fotos das máquinas não são bem-vindas.

Fora da região central, na ilha Coloane, é possível visitar outros cassinos famosos como o City of Dreams Venetian, este último considerado o maior resort do mundo. Além do tamanho gigante, os 980 mil m² da casa de jogos também reservam uma réplica da cidade de Veneza! Com direito aos canais, gôndolas e até um céu artificial.

Sugerimos não visitar todos os cassinos seguidos, pois além de ser cansativo, ainda há muito para se ver! Idealmente, você pode separar os cassinos do centro da cidade e os mais afastados em diferentes períodos do dia, deixando o “meio” livre para visitar o Centro Histórico de Macau.

E para isso, nada melhor que uma caminhada pelo Largo do Senado, a 10 minutos andando do Cassino Lisboa, seguindo em linha reta pela Av. do Infante Dom Henrique. Como você já deve ter percebido, todas as ruas e avenidas de Macau possuem nomes em português, assim como as principais atrações. Só não se empolgue muito: apesar da calçada portuguesa e da Santa Casa da Misericórdia na vizinhança, dificilmente você encontrará alguém falando português em Macau.

Pouco mais à frente, em um caminho bem sinalizado com placas em português, encontra-se uma das maiores joias de Macau: as ruínas da Igreja de São Paulo. A construção data do século XVII e foi considerada uma das maiores igrejas católicas da Ásia naquela época. Destruída por um grande incêndio durante um tufão em 1835, sua fachada permaneceu inabalada, transformando-se em uma das maiores atrações de Macau. Do lado interno há um museu e diversos artefatos religiosos, relíquias preservadas dos mártires cristãos chineses.

Ruínas da Igreja de São Paulo

Não resuma sua visita somente à igreja. Aproveite para subir as escadas da Fortaleza do Monte, logo ao lado. Além do museu cercado por antigos canhões, lá no alto também é possível ter uma visita privilegiada – e bem mais realista – de Macau, com seus imponentes cassinos dividindo espaço com construções antigas de uma China ainda em desenvolvimento.

Vista da Fortaleza do Monte

Macau à noite é vibrante, e as luzes dos cassinos e principais atrações são um show à parte.

O que comer em Macau

A comida de Macau possui heranças portuguesas e chinesas, além da influência de especiarias trazidas por mercadores da África e Sudeste Asiático. Espere encontrar excelentes restaurantes, servindo galinha à portuguesa, bacalhau, caldo verde e até feijoada brasileira!

Quem preferir passear somente por um dia em Macau pode optar por fazer refeições rápidas. Além das inúmeras opções de redes de fast food, também há lanches típicos de Macau encontrados em todo lugar. Como o famoso sanduíche de costelinha de porco (“Macau pork chop bun”). É tão gostoso quanto simples: pão, costelinha e… pronto! Não deixe de experimentar os pastéis de nata made in China, ligeiramente diferentes da receita original.

Onde ficar em Macau

Devido à curta distância, passar o dia em Macau e voltar à noite para Hong Kong é uma alternativa bem comum, já que os preços das hospedagens em Macau costumam ser mais elevados que os da ilha vizinha.

No entanto, para quem faz questão de passar a noite em Macau, é possível encontrar boas opções nos principais cassinos, que também funcionam como resorts ou hotéis de luxo. Vale conferir a localização antes de efetuar sua reserva, já que os hotéis na ilha de Coloane (como o do cassino Venetian, por exemplo), são distantes do centro de Macau e precisam de transporte até o porto.

Confira os preços dos hotéis em Macau.

Mais dicas de Macau

– Prepare-se para algumas barreiras linguísticas. Apesar das sinalizações em português nas ruas, menos de 3% da população fala nosso idioma. Em caso de dúvidas, é preferível usar o inglês para se comunicar. Se tiver um aplicativo que traduza frases para o cantonês, melhor ainda.

– Caso esteja vindo de Hong Kong, não se preocupe em trocar dinheiro. O Dólar de Hong Kong (HKD) é amplamente aceito em Macau, em uma cotação pareada com a Pataca de Macau (MOP), sendo inclusive oferecido como opção de saque nos caixas eletrônicos.

– Use e abuse dos shuttles gratuitos dos cassinos. Até mesmo os locais fazem isso. Você pode pesquisar pelas rotas e horários de cada um deles, economizando bastante com transporte!

– Aliás, os cassinos também costumam se oferecer para guardar sua bagagem gratuitamente. É seguro e conveniente para quem deseja passear pela cidade sem carregar peso.

– Se tiver tempo e quiser explorar o lado alternativo de Macau, visite a ilha de Taipa e interior de Coloane. Longe do agito dos cassinos, elas guardam resquícios da época que o território era disputado por piratas, com museus, cavernas e praias.


E você, já foi ou tem planos de ir a Macau? Deixe seu comentário e participe!

Autor

Wendell Oliveira - Editor