LAN usará Boeings 787 em voos para Los Angeles, Europa, Lima e Buenos Aires

Denis Carvalho 28 · março · 2012

A LAN anunciou hoje as primeiras cidades que receberão o Boeing 787 Dreamliner, que será incorporado à frota a partir do final deste ano. Segundo a companhia, além de Santiago, serão atendidas as cidades de Buenos Aires, Lima, Los Ângeles, Madrid e Frankfurt. Como a encomenda é de 32 jatos, certamente o Brasil receberá o 787 da LAN no futuro, mas por enquanto o país ficou de fora.

Ontem (27/3) o Dreamliner pousou pela primeira vez no Chile. A aeronave foi uma das principais atrações da Feira Internacional do Ar e do Espaço (FIDAE), que acontece em Santiago. A LAN será a primeira companhia latino-americana – e uma das primeiras do mundo – a ter o avião em sua frota. Com um dos maiores investimentos de sua história – US$ 3,5 bilhões – a companhia chilena receberá 32 Boeing 787, pelo período de 10 anos. A configuração da cabine dos primeiros 787-8 da LAN será de 217 assentos na classe Econômica e 30 na Premium Business.

As novas aeronaves têm design inovador, vanguardista e harmonioso. Um sistema eletrônico de escurecimento das janelas (que são 40% maiores do que de outros modelos) e de iluminação dinâmica permite criar melhor ambientação luminosa. Desta forma, prepara o passageiro para as distintas etapas durante o voo (dia e noite) e para o horário em que estará pousando. Os espaços para bagagem de mão foram ampliados em 30%. Além disso, o 787 consome até 20% a menos de combustível, emitindo menos CO2, e 40% meno ruído que o gerado por outras aeronaves de tamanho similar, reduzindo desta forma seu impacto ambiental.

Com informações da LAN

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe
  • Thiago Castro

    Quero andar num desse, numa A380 e num 777 da Emirates!!! Um dia eu consigo!!! 😀

    • Guilherme Ortale

      Eu também. De 777 já viajei, achei normal. Adorei o A340. Tenho vontade disparado de andar de A380 e um pouco de 787.

  • Guilherme Ortale

    A LATAM vai ficar uma salada de aviões duplo corredor ein. 767/777/787/A330/A340/A350 e possivelmente o A380. Acho ótimo, dá pra passear por todos os modelos de aviões interessantes 🙂 !!!

  • Marina

    Eu quero é promoção pros USA!!

  • Lucas

    Esse avião é top demais!

    Tomara que a LAN coloque ele na rota na próxima leva que chegar

  • Flavio Basilio

    Olá!

    Voei Lan na promoção para Califórnia e tive uma experiência única. Foi a melhor escolha de cia aérea que fiz até hoje….. parabéns a Lan, parabéns ao pessoal do Melhores Destinos

  • Luiz CArlos

    Já viajei com o 777 American, A330 TAM, Air France, B747 Air France, agora o A340-500 que a TAM passou para a LAN é simplesmente o máximo.

    Tive o prazer de fazer GRU x MXP na executiva.

  • Márcio

    Guilherme, os 787 irão gradativamente substituir os 767 na LAN, pois possuem a mesma capacidade. Da mesma forma o A350 com o A330 na TAM.

    Os A340 voarão apenas p/ Nova Zelândia e Austrália, por causa da atual impossibilidade desta rota p/ aviões de 2 turbinas (ETOPS). Não é questão de alcance, mas regulamentação internacional para vôos em áreas de oceanos.

  • titobosco

    Um leitor aqui fez uma viagem numa cia russa e disse que foi a das mais lindas comissarias do mundo. As brasileiras com sua divesidade tambem nao ficam a longa distancia, e as chilenas? rsrsrsrs

    E pensar que a galera estava especulando a GOL voar de 787 pra MIA heheheh. Nao deu certo 🙁

  • Karl

    Se não me engano, o 777 e o 787 já obtiveram certificação ETOPS para as rotas diretas de longa distância, como América do Sul – Austrália.

  • Ygor

    Ahhh o B777 da Emirates… Voei SYD-AUK. Tudo fantástico: da gentileza dos comissários, passando pela delicia do serviço de bordo, até à agradável decoração interna dourada.

    Já o A340-600, voei South African – o avião não termina nunca. Enorme! E o serviço de bordo??? Os vinhos sulafricanos servidos´à vontade!!! Muito bom. Recomendo.

    Só me falta o A380 – quero fazer Dubai-Sydney em breve.

    abs

  • Lucas

    Olha! Essa eu não sabia. Os voos que atravessam o pacífico tem que ser em aviões com 4 motores? Valeu

  • Rafa

    A LAN é uma excelente companhia aérea. Aprovei todos os voos que fiz com a chilena

  • Ricardo

    A emirates voa diaremente Dubai- Melbourne/Sydney/Brisbane com o 777 que tem duas turbinas.

  • Márcio

    Karl, realmente você está certo. Acabei de ver no site da Boeing, o 777 está certificado para ETOPS de 330 minutos. Para o pessoal que não conhece, isto quer dizer que, em caso de pane em uma das turbinas, o avião pode voar com apenas uma turbina durante este tempo com segurança. A partir do ponto em que a aeronave deu problema, deve existir uma alternativa de pouso dentro daquele raio de tempo (no caso, 5h30min).

    Em um vôo longo para a Europa, por exemplo GRU-FRA, existem alternativas como Natal, Fortaleza, Dakar, Casablanca… se exatamente no meio do Atlântico houver problema em alguma turbina, qual o tempo necessário para a aeronave chegar em Dakar ou retornar para Natal? A partir deste tempo, temos o ETOPS, e cada tipo de avião bimotor tem um limite. No 767 é de 180 min, por isso ele pode voar para a Europa mas não pode fazer, por exemplo, LAX-TKO, pois nesta rota as alternativas estão mais distantes.

    Sei que fugiu totalmente do conceito do site, pois é assunto técnico… me desculpem! Se quiserem maiores informações, consultem este site (está desatualizado, pois o ETOPS 330 já foi homologado, mas está muito bem explicado): http://culturaaeronautica.blogspot.com.br/2011/08

    • Denis Martins

      Márcio, não tem que se desculpar. É sempre bom aprendermos mais sobre esse mundo fantástico da aviação!

  • Márcio

    Ricardo, de Dubai para a Austrália existem alternativas (Índia, Malásia, etc). O problema não é voar sobre o oceano, mas sim aeroportos alternativos no meio da rota. Eu citei especificamente a rota SCL-AUK, pois é totalmente feita sobre oceano.

    • Guilherme Ortale

      Marcio, só uma curiosidade, nessas rotas, mesmo com 4 turbinas as CIAs não arriscam, não voam muito longe de terra ou gelo, no caso, hehe.

      Vide o percurso que o 747 da Qantas mesmo com 4 turbinas faz do Chile pra Austrália.
      http://pt.flightaware.com/live/flight/QFA28

    • Márcio

      Guilherme, não conhecia este site… sensacional!

      Quando a Varig fazia LAX-HND, o vôo passava pelo Alasca, por causa da curvatura da Terra!

  • Guilherme Ortale

    Oi Márcio, vejo que você realmente entende de aviação pois são poucos que sabem o conceito de ETOPS, que aliás é muito legal. Eu, particularmente, não voaria por exemplo do Chile (pela LAN) para a Austrália de 777 ou 787, iria no A340 pela mesma LAN ou de Qantas de 747. Sei que tudo é muito bem feito na aviação, mas ficar no oceano, sem base terrestre pra pousar e mesmo para resgate, que fica quase impossível num pouso na água num local assim, não dá. Pra mim as 4 turbinas são insuperáveis nessas rotas 🙂 !!! Quanto a mistura de aviões da LATAM, ainda que os planos sejam de substituir o 767/787 e a330/a350 eles vão voar juntos muitos anos ainda, vide por exemplo encomenda ano passado de mais 5 767-300er pela LAN somado a outros 6 que faltam ser entregues de outra encomenda. E a tam ainda tem A330 para receber, se não me engano 4 unidades. Mas como eu disse, acho ótimo isso, ainda mais que ela vai ser "bem brasileira", só não sei se será bom pra CIA.

  • Luciano

    Só para lembrar que entre Santiago e Auckland tem a Ilha da Páscoa (uns 4 mil km de Santiago) e que sua pista comporta aviões de grande porte. Inclusive, me parece que era local alternativo de pouso até mesmo para os ônibus Espaciais da NASA.