O que fazer em Roma: 40 dicas para a sua viagem à capital da Itália

Gisela Cabral 27 · outubro · 2017

Roma é daqueles destinos completos e que conquistam o coração do viajante logo de cara. Afinal, nada como andar por ruazinhas de paralelepípedo supercharmosas e dar de cara com belas praças, museus e monumentos que são verdadeiros patrimônios históricos. Sem contar com parques cheios de verde, gelaterias e cafés que servem sorvetes deliciosos, o verdadeiro cappuccino, restaurantes com cardápios repletos de opções de massas e vinhos. Sim, Roma é puro deleite!

Tive a oportunidade de estar na cidade e também no Vaticano – o menor estado independente do mundo – por três vezes e em todas elas pude agregar algo de novo ao nosso Guia de Roma. Um material completo com dicas de como chegar à cidade, como sair dos aeroportos de Fiumicino e Ciampino, passando por sugestões de bairros para se hospedar, as melhores maneiras de locomover-se, o que fazerpontos turísticos famosos e muito mais.

No intuito de ajudar aqueles que estão de malas prontas para a capital italiana – e também os que planejam retornar – elaborei este post que é um verdadeiro “resumão” do guia. Mas, antes que me esqueça, compartilho com vocês este mapa que me guiou durante maravilhosos dias que passei na chamada cidade eterna, no último verão. Todas as atrações listadas abaixo estão nele, é só abrir e aproveitar o passeio pela cidade!

Vamos às dicas!

Pontos Turísticos de Roma

1. O Coliseu

Em primeiro lugar na lista está o Amphiteatrum Flavium ou Coliseu, como é popularmente conhecido. E nenhuma primeira ida a Roma fica completa sem a visita a este símbolo do império romano, que começou a ser construído em 72 d.C. com a finalidade de sediar o combate entre gladiadores e batalhas com animais; performances que costumavam ser assistidas por um ávido público de até 73 mil pessoas.

Para evitar as enormes filas que se formam na porta da atração, praticamente durante o ano todo, você deve comprar o seu ingresso com antecedência. A visita diurna é muito legal, por conta própria ou guiada, porém o tour noturno (somente com guia) superou todas as minhas expectativas. Isso porque caminhar pela parte subterrânea e pela arena de um Coliseu vazio e tranquilo foi incrível e jamais será esquecido!

visita noturna ao Coliseu

Comprei o meu ingresso uns 15 dias antes da visita e, portanto, acabei optando pelo tour em inglês promovido pela empresa City Wonders, no valor de €75. O passeio foi maravilhoso, superinformativo, mas o preço foi bem salgado, eu sei. No site da Coopculture – o mesmo que vende os tíquetes diurnos do Coliseu – é possível pagar mais barato – €20, mais precisamente; a única desvantagem é ter que comprar o ingresso com meses de antecedência para não correr o risco de ficar sem.

 2. O Fórum Romano

O ingresso para o Coliseu, no valor de €12, também dá direito à visita ao Fórum Romano: o centro da vida cívica e econômica da Roma republicana. No local onde aconteciam discursos políticos e eleições estão a Via Sacra, a principal rua e palco para festivais religiosos e celebrações das vitórias dos generais romanos, e também o que restou dos templos de Vesta, Saturno, de Antonina e Faustina e do Arco de Septimius Severus (o meu preferido).

O Coliseu, o Fórum e o vizinho monte Palatino (um dos morros de Roma) ficam numa mesma área e por isso muita gente acaba separando um dia inteiro para as três atrações. Na minha opinião, é possível, sim, fazer tudo isso em um dia, mas prepare-se porque há muito para ser visto e também muita informação. A dica para os que não quiserem correr tanto é fazer os três pontos em dois dias.

Outra dica são os tours guiados oferecidos no fórum; da última vez que pesquisei na internet, li que estavam oferecendo o passeio noturno em determinadas épocas do ano. Consulte o site da Coop Culture para saber mais sobre os pacotes e datas disponíveis.

3. Fontana de Trevi

A Fontana de Trevi é um dos pontos turísticos mais famosos da capital da Itália e por isso está sempre repleta de visitantes. Além de ir até o local para ver de perto a obra-prima que já foi cena de filme, muita gente segue a tradição de jogar uma moeda na água; reza a lenda que o ato garante ao visitante o retorno à cidade.

A fonte mundialmente conhecida é, na verdade, a fachada de um prédio ornamentada com estátuas e outros elementos; no centro, por exemplo, Netuno conduz uma charrete guiada por cavalos-marinhos. A dica para os que desejam evitar a multidão, que se aglomera na praça de mesmo nome, é visitar o local bem cedo – assim que o sol raiar – ou tarde da noite. Ah, muito cuidado com mochilas, carteiras e outros pertences de valor, pois a área costuma ser um dos principais alvos de batedores de carteira em Roma.

4. Praça de São Pedro e Basílica de São Pedro

Em Roma, mais precisamente na zona norte da cidade, encontra-se o menor estado independente do mundo e também a sede da igreja católica/residência do Papa, o Vaticano. E duas paradas quase que obrigatórias por lá são a Praça de São Pedro e a suntuosa basílica, fundada em 324, cuja cúpula de Michelângelo oferece ao visitante uma das mais belas vistas de Roma.

A subida até o topo custa €5 (pelas escadas, mais ou menos 500 degraus) e €7 (elevador + uns 300 degraus), porém a entrada na basílica é gratuita; o único incoveniente é ter que enfrentar fila para passar pela checagem de segurança, com direito a detector de metais. Aqueles que quiserem pular essa parte da fila – desembolsando alguns euros, claro – podem adquirir o tíquete especial da Ticketbar, saiba mais/compre ele com desconto aqui.

Ao visitar este que é o maior templo católico do mundo não deixe de admirar a Pietá, de Michelângelo, os detalhes da decoração da cúpula e o baldaquino, que fica acima do túmulo de São Pedro. Lembrando que os túmulos situados abaixo do altar também estão abertos para visitação, basta descer as escadas! Aviso importante: muito cuidado com a vestimenta, pois não é permitido entrar no templo religioso usando saias acima do joelho, shorts, blusas sem manga e decotes.

Também é possível visitar a antiga necrópole romana e o túmulo de São Pedro por meio de um tour guiado. Entrando pela lateral da basílica, você desce pelas escavações e visita vário túmulos romanos da época até chegar ao do apóstolo, que fica sob o altar principal. O passeio inclui guia, que pode ser em português, e custa 13 euros. É necessário agendar com antecedência pelo e-mail scavi@fsp.va e só pode ser feito por pessoa com mais de 15 anos.

5. Os Museus do Vaticano

Outra jóia guardada neste que é o menor estado independente do mundo são os Museus do Vaticano, um dos mais importantes do mundo por abrigar obras de artistas como Rafael, Leonardo, Giotto e Caravaggio. É lá, por exemplo, que o visitante encontra a famosa Capela Sistina, cujas pinturas de Michelangelo no teto retratam as cenas do Gênesis. Imperdível!

Os Museus do Vaticano são um gigantesco conglomerado artístico que impressiona do começo ao fim e conhecer todo o acervo iniciado pelo papa Julio II, no século XVI, é uma missão difícil, especialmente se o tempo for escasso. Uma boa solução é visitar as obras mais importantes com o auxílio de um guia em áudio ou então optar por um tour guiado.

Para não enfrentar filas, adquira o seu ingresso com antecedência pelo site oficial da atração (na aba shop). Os ingressos individuais – com direito à entrada na Capela Sistina – custam €16 (inteira) e €8 (meia-entrada), lembrando que é necessário pagar uma taxa de €4 da reserva on-line; a entrada no último domingo do mês é gratuita.

Escada em espiral dos museus do Vaticano

6. Piazza Venezia

Roma é uma cidade cheia de belas piazzas (praças) e uma das mais famosas, sem dúvida alguma, é a Venezia. Bem ao lado desse ponto turístico movimentado da cidade está localizada uma das primeiras construções renascentistas erguidas na Itália, o palácio Veneza. O local que deu nome à praça e que um dia foi residência papal abriga hoje um interessante museu.

Entre a praça Veneza e o monte Capitólio, que fica logo à frente, o visitante encontra o imponente monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II. Conhecido como Vittoriano – e informalmente como “bolo de casamento” – o monumento foi desenhado por Giuseppe Sacconi em 1885, inaugurado em 1911 e concluído somente em 1935. O objetivo era homenagear o rei da Itália unificada.

7. Praça do Capitólio e Museus Capitolinos

Alguns degraus conduzem o visitante à Piazza del Campidoglio, cujo projeto arquitetônico é de autoria de Michelangelo. No centro, em um pedestal, está a cópia da estátua em bronze de Marco Aurélio – a original é considerada a primeira do imperador Constantino.

Na praça também se encontram os museus capitolinos: o Palazzo Nuovo, o Palazzo dei Conservatori e, logo atrás da estátua de Marco Aurélio, o Palazzo Senatorio – lembrando que tanto a escada e como as fontes, na fachada, também são de Michelangelo.

O complexo de museus abriga uma grande quantidade de obras de arte importantes, a exemplo da estátua da Loba alimentando os irmãos Rômulo e Remo – um dos símbolos de Roma. A entrada custa €15 (inteira), €13 (meia) e pode ser adquirida online ou na própria praça do Capitólio, no térreo do Palazzo dei Conservatori. Mais informações no site dos museus.

8. Piazza Navona

A piazza Navona é uma bela praça romana erguida no local de um estádio mais conhecido por Circus Agonalis. Superamplo, este famoso ponto de encontro em Roma abriga nada menos do que três fontes, sendo a Fontana dei Quattro Fiumi a maior delas. Situada no centro da praça, a fonte criada por Bernini foi inaugurada em 1651 e possui estátuas gigantes que simbolizam quatro dos maiores rios do mundo: o Nilo, o Ganges, o Danúbio e o Rio de la Plata.

Outros destaques na praça são, ainda, a igreja di Sant’Agnese in Agone – com uma bela cúpula e fachada barroca – e o palácio Pamphilj, a sede da Embaixada do Brasil. Para agendar um tour, em português, pelo fabuloso interior da embaixada é só acessar este link e fazer a sua reserva. A visita é gratuita!

9. Piazza di Spagna

A Piazza di Spagna – Praça da Espanha, na tradução em português – é um dos lugares mais vibrantes de Roma. Sempre cheia de gente, tanto turistas como locais, o endereço costuma ficar quase intransitável, especialmente durante o verão. Lá o visitante vai encontrar a famosa escadaria de Espanha, que leva até a igreja Trinità dei Monti, além da fonte da Barcaccia, de Pietro Bernini, aos pés da escadaria.  

10. Catacumbas de São Calisto

As catacumbas de São Calisto são cemitérios subterrâneos formados por túneis e galerias em quatro níveis. O local com mais de 20 metros de profundidade, considerado um dos maiores e mais importantes do tipo em Roma, abriga os túmulos de 16 papas e vários outros mártires.

A visita às catacumbas é feita com o auxílio de guias e em vários idiomas. A duração é de 40 minutos, em média, porém fotografias não são permitidas. Os ingressos custam € 8 (inteira) e € 5 (crianças de 7 a 15 anos de idade) e podem ser adquiridos minutos antes do tour. Uma dica importante, devido à profundidade dos túneis é extremamente aconselhável que o visitante leve um casaco, pois faz frio de verdade! Mais informações no site oficial;

11. Castelo de S. Ângelo

Às margens do Rio Tibre – e a poucos passos do Vaticano – o visitante encontra este belo e suntuoso castelo que atualmente funciona como um museu. No passado, o local inaugurado em 139 serviu de túmulo para os restos mortais do imperador Adriano e família, e também como fortaleza e esconderijo; uma passagem direta para o Vaticano foi utilizada por diversos Papas.

Ao todo, o castelo possui seis pavimentos. No 4º andar, o andar Papal, está o apartamento do Papa, datado do século XVI; já no último pavimento, o visitante desfruta de uma das mais belas vistas de Roma. Os ingressos do castelo custam €10 (inteira) e €5 (meia-entrada), lembrando que a entrada é gratuita no primeiro domingo de cada mês. Mais informações aqui;

12. Panteão e a Praça da Rotonda

Bem no centro da cidade, mais exatamente na praça da Rotonda, está o templo de todos os deuses: o Panteão. Um imponente monumento arquitetônico clássico que resistiu não só ao tempo, mas também às várias transformações sofridas ao longo dos anos; em 609, por exemplo, o local passou a ser uma igreja cristã.

O magnífico interior tem 43,40m de diâmetro. Uma espécie de “olho”, por onde entram luz e ar, na parte de cima, chama bastante a atenção do visitante; além disso, o belo piso do templo – onde repousam os corpos de personalidades como o pintor Raffaello e o primeiro rei da Itália, Vittorio Emanuele II de Saboia –  é quase todo original. A entrada é gratuita;

13. Igreja San Luigi dei Francesi (São Luís dos Franceses)

Além de um dos templos católicos da Cidade Eterna, a igreja de São Luís dos Franceses é, também, um templo da arte. No local, que se tornou a igreja da comunidade francesa em Roma, em 1589, o visitante vai ver de perto um interior belíssimo e rico em detalhes, além de pinturas do famoso artista Caravaggio. A igreja fica na parte de trás da Piazza Navona e a entrada é gratuita;

14. Trastevere

Roma é uma cidade excelente para ser explorada a pé e um dos lugares imperdíveis da capital, nesse sentido, é Trastevere. O bairro judeu-romano, mais conhecido como a “cara de Roma”, tem uma atmosfera única. Lá o visitante encontra charmosas ruas estreitas que mais parecem labirintos, muita gente indo e vindo, um tráfego intenso de lambretas e, é claro, restaurantes maravilhosos e bares com diversão de dia e de noite.

15. Basílica di Santa Maria in Trastevere

Ao visitar o bairro não deixe de dar um pulinho até a Piazza di Santa Maria, onde fica a Basílica di Santa Maria in Trastevere, uma igreja erguida em 221 por São Calisto e finalizada por São Júlio, em 341. Na parte externa chama a atenção o belo campanário do século 12, já o interior é todo decorado por mosaicos, entre eles os de Cavallini; Outra igreja de Trastevere que vale a pena ser visitada é a Basílica de Santa Cecilia, construída no local onde a santa teria vivido. O destaque no local vai para a cripta, os mosaicos e afrescos de Cavallini; a igreja fica na Piazza di Santa Cecilia;

16. Monte Gianicolo

Situado próximo ao Vaticano e ao famoso bairro de Trastevere, o parque Gianicolo é um dos locais agradáveis de Roma para um passeio a qualquer hora do dia. Do alto desta que é considerada a “oitava” colina de Roma – uma brincadeira com o local que, apesar de ser um dos mais altos da cidade, não integra a lista das famosas colinas – também se tem uma das mais belas vistas da cidade, principalmente durante o pôr do Sol.

17. Villa Borghese

A pouco mais de 1km de caminhada ao norte da Praça da Espanha está a Villa Borghese, um parque de Roma ideal para uma pausa em meio à natureza. Além de muito verde, lá o visitante vai encontrar belas fontes, estátuas e até um zoológico, excelente para a criançada. Uma dica para quem pretende percorrer toda a extensão do parque é o aluguel de bicicletas motorizadas.

O parque oferece uma série de atrações e a Galleria Borghese, sem dúvidas, é uma das principais. Nesse belo palácio é possível ver de perto obras-primas de artistas mundialmente famosos, como Caravaggio, Bernini, Raphael, entre outros. Para entrar, no entanto, é preciso fazer a reserva/comprar o ingresso com antecedência aqui, isso porque o local não possui estrutura para um número grande de visitantes. A entrada custa € 15.

18. Boca da Verdade

A Boca della Veritá é uma escultura de mármore antiga, em formato de disco, que lembra muito uma feição humana. Não se sabe ao certo a origem dela, mas reza a lenda que o objeto cumpria a função de máquina da verdade, na idade média. O indivíduo tinha que colocar a mão dentro da boca e se estivesse mentindo, teria a membro devorado.

A boca fica ao lado da entrada da igreja de Santa Maria in Cosmedin, também aberta para visitação. Para ver a boca de perto, e colocar a mão lá dentro, você não terá de pagar nada, porém filas na porta da atração são bem comuns.

19. Quando ir a Roma

Na capital italiana as estações do ano são bem definidas. No verão – cuja temperatura média/máxima fica na casa dos 30°C – o movimento de turistas é maior, resultando em hotéis, restaurantes cheios e filas na porta de alguns pontos turísticos. Prepare-se também para gastar mais com hospedagem, caso não se programe com antecedência.

O lado bom desse calorão todo, no entanto, é poder explorar a imensa quantidade de atrações ao ar livre que a cidade oferece, andar bastante à pé e, claro, tomar vários gelatos! Tenha em mente, apenas, que agosto pode ser um mês complicado por ser período de férias dos locais, o que pode resultar em lojas, restaurantes e até hotéis fechados.

A boca da verdade

Aqueles que preferem um clima mais ameno – temperaturas na casa dos 20 graus – e a cidade um pouco mais tranquila (se é que isso é possível em Roma) podem considerar a temporada entre abril e junho e também de setembro a outubro. Lembrando, entretanto, que o período da Páscoa costuma ser um dos mais procurados do ano por católicos do mundo todo, e isso se reflete diretamente nos preços de hospedagem.

A partir de novembro o clima começa a mudar e as chuvas passam a ser mais frequentes, motivo pelo qual muita gente acaba desisitindo de visitar o destino neste período. Pretende ir a Roma no Natal ou no ano-novo? Então saiba que essa época costuma atrair uma quantidade menor de turistas do que a Páscoa, os preços também costumam estar mais atraentes, mas pense bem caso não goste de frio, pois de dezembro a fevereiro as temperaturas podem cair bastante.

20. Onde se hospedar em Roma

Opções de hospedagem não vão faltar em Roma, uma cidade que oferece ao visitante desde hotéis mais luxuosos, passando por estabelecimentos pertencentes a redes mundiais, acomodações estilo bed & breakfast, apartamentos de temporada e albergues.

Aqueles que desejam economizar alguns euros, entretanto, precisam se planejar com antecedência. Isso porque Roma, infelizmente, é considerada uma das capitais europeias mais caras para hospedagem, principalmente se conforto e boa localização são prioridades.

O Centro Storico é a área mais central do destino. Ficando por lá você, provavelmente, fará tudo ou quase tudo à pé, pois estará a poucos minutos de caminhada de pontos turísticos como o Panteão, praças como a Navona e palácios como o Phamphilj. Fora que andar sem muito compromisso pelas ruelas de paralelepípedo da região é um programa pra lá de agradável.

Quer hospedar-se ainda no centro histórico, porém numa área menos tumultuada? Então, uma boa opção é o Campo de Fiori, conhecido pela charmosa praça de mesmo nome e por abrigar uma porção de restaurantes, lojas e cafés. Outra boa alternativa é o Gueto Judeu, uma região a sudeste do Campo de Fiori, excelente para os que desejam conhecer a verdadeira Roma. A dica quente por lá é alugar um apartamento de temporada!

San Giovanni está fora da área central, mas oferece boas hospedarias no estilo bed & breakfast a preços bem em conta. Lembrando que o bairro também é super-residencial e possui excelentes conexões do metrô com o centro. Eu já fiquei hospedada por lá e aprovei!

Termini não é considerada uma área tão agradável como as outras citadas anteriormente neste post, e nem totalmente segura à noite, porém, os preços costumam caber bem no bolso do viajante. Além disso, a região é excelente para os que desejam ficar próximos à principal estação de trens de Roma; para hospedar-se por lá basta tomar alguns cuidados como ficar atento aos pertences e evitar circular à pé, tarde da noite.

Gostou das sugestões de bairros, mas não encontrou nada que coubesse no bolso? Então, considere hospedar-se em um estabelecimento que fique próximo a uma estação de metrô/ponto de ônibus ou tram, pois, dessa maneira, você não terá dificuldade alguma de acessar as áreas mais centrais da cidade eterna.

21. Como se locomover

A maneira mais fácil de planejar a sua viagem de metrô e bondinho elétrico em Roma é usando um aplicativo gratuito como o Rome Metro & Tram, disponível para IOSAndroid. Para ônibus, no entanto, o melhor app é o Probus – bastante usado por locais e também disponível para IOS e Android. O bilhete do metrô é válido para ônibus, bondinhos elétricos, trens regionais Roma-Lido, Roma Viterbo e Termini-Centocelle/Cotral, além das linhas da Trenitalia (segunda classe). Meios de transporte que fazem o trajeto para os aeroportos da cidade e ônibus turísticos (sightseeing) não estão inclusos.

O bilhete de 100 minutos custa € 1.50, seguido pelos bilhetes de 24 horas (€7), 48 horas (€12.50), 72 horas (€18) e semanal (€ 24). Você pode adquirí-los em máquinas ou guichês disponíveis nas estações de metrô e também em bancas de jornais/revistas e lojas de tabaco. Ah, os bilhetes turísticos de 24, 48, 72 horas e semanal – excelentes formas de economizar, caso a intenção seja passar vários dias na cidade – também estão disponíveis online

22. Metrô

O metrô de Roma (Metropolitana, como é chamado localmente) não tem uma abrangência muito grande, mas é um bom meio de transporte para aqueles que pretendem se concentrar na parte turística. Ao todo, existem três linhas: a A (vermelha) e B (azul), se cruzam na estação de trens Termini, a principal da cidade. Clique aqui para conferir o mapa do metrô e aqui para outras opções de transporte na cidade;

23. A pé

Roma é altamente convidativa para passeios a pé, afinal, nada melhor do que calçar sapatos confortáveis (tênis, de preferência) e explorar cada cantinho dessa cidade cheia de história e pontos turísticos famosos. Para não se perder – não que isso seja uma má ideia em Roma – é bom adquirir um bom mapa de papel ou online, a exemplo do mapa prontinho que compartilhei com vocês.

O aplicativo Maps Me, disponível para IOSAndroid, é gratuito e totalmente offline, ou seja, utilizando-o você não vai gastar nada do seu pacote de dados. No entanto, se você prefere contar com a ajuda de um guia especializado, e sem gastar muito, uma boa opção é o Rome free walking tour, no qual os guias trabalham com sistema de gorjetas não-obrigatórias. Para saber mais sobre os tours em inglês e espanhol, clique aqui.

24. Vai pegar um táxi?

Então preste bem atenção no taxímetro. Com o aumento do turismo na cidade, muitos taxistas passaram a “não gostar” mais de utilizá-lo, o que, na maioria das vezes, resulta em uma corrida mais cara. Exija o taxímetro ligado ou acerte o valor da corrida antes de começar a viagem.

Outras boas soluções são o Uber ou o aplicativo It taxi (com versão em inglês), disponível para Android e IOS. Fui apresentada à ele por um amigo da cidade e gostei da praticidade e segurança, pois assim que acionado, o app encontrava um táxi oficial nas redondezas com muita rapidez, fora que eu podia pagar a corrida via Paypal, pelo próprio celular. 

It Taxi na loja do Google Play

25. Restaurantes em Roma

Se fosse preciso definir a culinária romana em poucas palavras, elas seriam, sem dúvida: fartura, sabor e simplicidade. Na cozinha romana não há praticamente nada muito refinado, porém tudo é bem fresco – prova disso é que restaurantes especializados abusam de vegetais, azeites, queijos, cortes de carne que nem sempre são os mais caros e diversos outros ingredientes que dão origem a delícias como a saltimboca alla romana (com carne de vitela) e o fiori di zucca (abobrinhas fritas e recheadas).

Massas frescas, como as tradicionais alla carbonara e all’arrabbiata, além das famosas pizzas, assadas em forno à lenha, são um capítulo à parte. É bom lembrar, entretanto, que a grande maioria das boas pizzarias de Roma só abre à noite, período no qual os italianos habitualmente saboreiam a iguaria.

26. Pizzaria Emma

É fã de uma boa pizza? Então não deixe de conhecer a Emma, uma pizzeria da área central de Roma com um terraço convidativo e um cardápio de dar água na boca; destaque para a tradicional Margherita (€8) – com molho de tomate fresco – e a Bufala e Prosciutto (€12), massa crocante e bem recheada. Além das pizzas, a casa também oferece outros pratos, entradas como o italianíssimo supplì (€3) – bolinho frito, recheado com arroz molho de tomate e queijo – e sobremesas imperdíveis como o tiramissú (€8). Reservas são altamente recomendadas.

27. Osteria la Gensola e Trattoria da Teo

Passando por Trastevere não deixe de conhecer a Osteria la gensola, especializado na culinária siciliana. O cardápio da aconchegante casa é bem extenso, porém os destaques são os pratos à base de frutos do mar, entre eles o espaguete preparado com o que havia de mais fresco na cozinha (€16), os polpettinis de atum ao molho de tomate e queijo (€14) e o ceviche de spigola (€19). Outra grata surpresa em Trastevere foi a superinformal Trattoria da Teo, famosa pelas massas frescas como o rigatoni carbonara (€11). Confira mais opções de restaurantes aqui.

28. Flavio al Velavevodetto

Uma boa pedida para o jantar em Roma é o restaurante Flavio al Velavevodetto, em Testaccio. No cardápio encontra-se uma grande variedade massas frescas, entre elas o cremoso tonnarelli cacio e pepe (€10), feito com queijo pecorino, e o reconfortante ossobuco ao molho de tomate fresco (€14), uma delícia acompanhada com o pão da casa. Reservas são recomendadas, pois a casa costuma ficar lotada.

29. Gelato italiano

O sorvete italiano é considerado um dos melhores do mundo. Então, ao visitar Roma não deixe de experimentar as delícias da Grom, da Il gelato di San Crispino e do Gelato Al Bacio. E se a sua paixão por doces incluir um bom tiramissú, a dica é a Pompi, uma loja situada no centro de Roma famosa por vender um dos melhores da cidade. Vale a pena conferir, lembrando que o estabelecimento também vende sorvetes de diversos sabores, incluindo o de tiramissú.

30. Compras em Roma

Lojas de roupas, sapatos e acessórios, suvenires, além de mercados de antiguidades, objetos de arte e decoração, entre outros itens, estão por todas as partes de Roma. Uma cidade com tradição no comércio, com opções voltadas para públicos de todos os gostos e bolsos. Em geral, o comércio abre das 9h às 13h e das 15h30 às 19h30 (das 16h às 20h, durante o verão), exceto aos domingos e nas manhãs de segunda-feira; algumas lojas da área central da cidade podem ter um horário de funcionamento diferenciado, permanecendo abertas, também, durante o horário do almoço.

31. Via del Corso

A Via del Corso, por exemplo, é uma extensa rua do centro da cidade que fica próxima a vários pontos turísticos e, por isso, é meio que passagem obrigatória. Lá o consumidor vai encontrar lojas de todos os tipos e com produtos dos mais variados preços, várias delas marcas bem populares como Zara, Nike, H&M e Diesel.

32. Via del Governo Vecchio e Via dei Coronari

Artigos vintage como roupas, discos de vinil e outros objetos “cheios de história” podem ser encontrados na Via del Governo Vecchio, uma tradicional rua da Roma antiga, repleta de lojinhas de segunda mão. Mas se a sua praia são antiguidades, a dica é dar uma passadinha na Via dei Coronari, um endereço super charmoso e cheio de edifícios superantigos.

33. Endereços de luxo

Sim, Roma também é um paraíso para os que desejam gastar sem limites. Dois endereços que costumam atrair os apaixonados por moda (e marcas) são a Piazza di Spagna (e arredores) e a Via Condotti. São ruas com butiques mundialmente famosas como Valentino, Fendi, Gucci e marcas italianas mais famosas localmente e não tão conhecidas do grande público. Puro luxo!

teto da galeria Alberto Sordi, em Roma

34. Porta Portese

Já aqueles que são fãs de uma boa pechincha, a dica é o mercado de pulgas mais famoso da cidade, em Trastevere. O Porta Portese é um excelente lugar para bater perna e também comprar roupas, suvenires, objetos de decoração, livros e vários outros objetos a preços que supercabem no bolso. O mercado funciona aos domingos, das 6h30 às 14h.

 35. O Roma Pass vale a pena?

Ao adquirir o Roma Pass o visitante passa a ter acesso livre e sem filas a um ou dois museus ou sítios arqueológicos, ao uso de transporte público ilimitado durante o período (com exceção do transporte para os aeroportos), além de descontos diversos em eventos, exibições e serviços turísticos. O cartão está disponível nas versões 48 e 72 horas ao custo de €28 e €38,50, respectivamente.  

O cartão de 48 horas começa a “contar” a partir do primeiro uso numa atração ou transporte público. Na minha opinião, porém, ele não compensa tanto quanto o de 72 horas, a não ser que você visite um dos museus mais caros, faça três visitas de entrada reduzida e use bastante o transporte público. Ainda assim, é difícil encaixar tudo isso em 48 horas. Confira todas as informações sobre o Roma pass e adquira-o com antecedência aqui.

36. Adquira seus ingressos com antecedência

Caso não queira enfrentar longas e demoradas filas na cidade eterna, principalmente no verão, adquira os seus ingressos antes de pisar fora do Brasil. Quanto antes melhor, isso porque alguns tours especiais, como é o caso do noturno, pelo Coliseu, costumam esgotar-se rapidamente (pelo menos os ingressos mais baratos).

O melhor, na minha opinião, é sempre optar por sites oficiais como o CoopCulture, onde você compra o seu ingresso do Coliseu, do Fórum Romano e Monte Palatino. Já no site dos museus do Vaticano você compra o seu tíquete para determinado dia/hora e, assim, também evita filas.

37. Roma é segura?

Roma é uma cidade segura, porém a ação de batedores de carteira em áreas turísticas e com uma grande concentração de pessoas exige que o turista fique atento. Nunca deixe a carteira no bolso de trás da calça e muito cuidado com bolsas, celulares, câmeras fotográficas e passaportes. Ao utilizar uma mochila, não guarde pertences de valor em bolsos que podem ser abertos com facilidade, caso não tenha outra alternativa, utilize cadeados.

38. Gorjetas

Oferecer uma gorjeta a prestadores de serviço como garçons e taxistas, em Roma, não é obrigatório e fica totalmente a critério do cliente (até porque este não é lá um costume dos locais). Caso você tenha sido bem atendido e queira deixar um algo a mais, não precisa exceder os 10%.  

39. Água de graça e banheiros públicos

Fontes de água potável – conhecidas como nasoni – estão espalhadas há anos pela área central de Roma e são uma boa opção para os que desejam economizar, pois basta encher uma ou várias garrafinhas com água própria para consumo e matar a sede, de graça, durante o passeio. No último verão, entretanto, o governo local tomou uma medida drástica por conta da escassez hídrica na cidade: desligar todas ou boa parte dessas fontes.

Quando estive por lá, em junho/julho passado, cheguei a ver algumas delas desligadas, porém, segundo algumas matérias veiculadas recentemente, a situação irá normalizar-se passado o período mais quente do ano.

Passar aperto e perder tempo procurando um banheiro público em Roma também é coisa do passado. Isso porque o WC Rome, um app gratuito disponível para Android e IOS, mapeia os endereços de mais de 120 banheiros da cidade. Pode beber água à vontade!

40. Tours guiados por Roma

Contratar um tour especializado pode ser uma excelente opção para aqueles que desejam explorar cada cantinho da cidade. Uma empresa bastante elogiada por usuários do mundo inteiro é a Rome City Tours e ela promove passeios com guias que falam português, clique aqui para saber mais.

Mas caso a intenção seja pagar bem pouco – uma gorjeta ao guia, no caso – a dica é a Rome Free Walking tour, com tours guiados em inglês e espanhol. Eu já usei e aprovei! Clique aqui para conhecer os passeios disponíveis, horários e locais de partida.

E vc, já esteve em Roma? Deixe aqui a sua avaliação sobre a cidade;

Autor

Gisela Cabral - Editora de Destinos Jornalista brasileira vivendo uma grande aventura na terra dos queijos, moinhos e tamancos!
  • Gisela Cabral

    Oi Fábio, obrigada! Então, na verdade você tem que selecionar a opção “print out at home” pra imprimir em casa. Existe mesmo a opção de coletar os ingressos lá em Roma, mas acho que imprimir em casa fica mais fácil, não? Não conheço o endereço da Coop (da vez que comprei o tíquete do Coliseu por lá, imprimi em casa), mas deve ser em um lugar super central. Espero ter ajudado 😉

    • Fábio

      Sim, com certeza. Mas perguntei justamente porque a opção de imprimir em casa não está aparecendo na hora de finalizar a compra. Só aparece a caixa de opção: “retirar no Ticket Office da Coopculture”. Mas tbem acho que não deve ser longe… só não queria ser surpreendido em ter que sair muito da região pra buscar esse ingresso. Obrigado.

      • Marcelo Ribas

        Quando estive em Roma com minha filha compramos bilhetes para o Museu do Vaticano em barracas na Praça de São Pedro e daí um guia da barraca levou uma turma grande até a entrada do Museu e nos colocou para dentro sem pegarmos fila. Sai us 4€ mais caro mas vale a pena pois a fila tinha una 300 metros e não precisamos enfrentá-la.

  • Genaldo Junior

    Boa tarde. Excelente matéria sobre os pontos turísticos e os encantos de Roma.
    Gostaria de ter informações sobre a cia aérea ALITALIA.
    Pergunto isso, pois a melhor cotação para viajar em Maio/18 está dando por ela.
    Ela está honrando normalmente suas psgs, apesar da crise em suas finanças?
    Teria algum problema para psgs compradas para um mês não tão próximo como o mÊs de maio?
    Obrigado.

  • Felipe

    Que ótimo! Estou indo pra lá mês que vem e vou pesquisar sobre o destino nesse final de semana… Vai me ajudar muito! Muito obrigado!

    • Gisela Cabral

      Obrigada, tenha uma excelente estada em Roma!

  • Ernesto Lippmann

    Muito útil é bem escrita.Deu saudades da viagem que fiz, e as dicas são muito boas

    • Gisela Cabral

      Obrigada 🙂

  • Gisela Cabral

    Obrigada, Luciano! Aproveite muito!

  • Leticia Acosta

    Hola! Viaje con mi familia a Roma el año pasado en noviembre y compre las entradas para el Museo Vaticano del sitio oficial pagando 4 euros a más por cada ticket. Y al llegar no había mucha fila para la compra de los ingresos o sea dependiendo de la fecha que viajas tal vez te convenga comprar directamente en la boleteria. Otra cosa:Yo había entendido que al comprar las entradas para los museos ya no se forma fila para la Basilica de San Pedro pero si igual se forma pues tiene otra entrada.

  • Leticia Acosta

    Viajamos con mi familia dos veces a Roma y no visite aún todos los lugares de tu lista tendremos que regresar kkkk

    • Gisela Cabral

      Roma es increíble! 🙂

  • Genaldo Junior

    Oi Gisela. A tarifa tá com uma diferença de mais d 1000 Reais e isso pensando na classe Premium rsrsrs
    M como vc usar ficarei atento aos meus direitos e lerei o comunicado q vc citou. Obrg 😉

  • Excelente texto Gisela!

    Já ajudou bastante na programação do roteiro da viagem de 2019 (sonho da futura esposa) kkkkk…

    • Gisela Cabral

      Obrigada, Wagner 🙂

  • Rogério Luiz Da Fonseca

    otima materia, parabéns