Programas de pontos de hotéis: tudo o que você precisa saber

Denis Carvalho 13 · maio · 2015

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Programas de fidelidade das companhias áreas tem uma participação consolidada no Brasil. Tanto Multiplus quanto Smiles têm mais de 10 milhões de participantes. Outros programas de pontos, porém, ainda estão engatinhando no país, enquanto são uma ferramenta importante para viajantes de outros países. Um exemplo são os programas de fidelidade das redes hoteleiras. À exceção do Le Club Accor, a maioria ainda é desconhecida do grande público. A convite do Melhores Destinos, nosso leitor Francisco Fernandes preparou esse artigo especial abordando alguns dos principais programas disponíveis e avaliando os que ele mais usa. É um excelente ponto de partida para quem ainda não participa ou deseja aprender mais sobre o tema!

Quando o Denis sugeriu falar sobre programa de milhagem de hotéis, fiquei imaginando como abordar o assunto. Analisar os programas que eu conheço? Discutir a validade de investir nestes programas? Decidir qual programa escolher? Vamos falar um pouco de cada tema, tentando esclarecer em primeiro lugar a primeira pergunta que é feita: vale a pena juntar milhas em programas de hotéis?

Em primeiro lugar, é mais comum falar de pontos do que em milhas, já que obviamente não se percorre distancia alguma ao ficar em um hotel. Na verdade, o mais importante antes de tudo é entender quem se beneficiaria mais destes programas. Se você não viaja constantemente (seja a trabalho ou a lazer) e normalmente só faz uma ou duas viagens por ano, os programas de fidelidade de hotéis não são interessantes para você.

programa-hoteis
Hotel da rede Accor

Concentre seus pontos num único programa, através dos cartões de crédito ou mesmo creditando suas (poucas) estadias nos programas de companhias aéreas. O principal motivo para isso é simples: com pouco acumulo, todos os seus pontos vão expirar antes de poder usá-las. Então melhor concentrar num único programa, que pra mim não seriam os de hotéis. Mas se você viaja com frequência ou mesmo gostaria de qualquer jeito usar tais programas, vamos em frente!

Todas as viagens envolvem invariavelmente um lugar pra ficar. Eu, particularmente, acho que o local onde você fica é uma parte importante da viagem. Dependendo do orçamento e do destino, vale a pena investir (ou não) em um bom hotel. O objetivo deste post não é convencer ninguém a gastar dinheiro com hotéis. Pelo contrário, é mostrar como funcionam alguns programas de milhagem das redes de  hotéis e como se beneficiar deles pra transformar sua viagem, ou até mesmo para viabilizá-la.

A maioria das pessoas concentra o acumulo de pontos pra pagar passagens aéreas e eu sou uma delas. Como uma das primeiras pessoas a usar o TAM Fidelidade em 1993/1994, já experimentei diversas situações e testemunhei a evolução destes programas. Já pesquisei e analisei a emissão de diárias de hotel com pontos ou milhas que poderiam ser trocadas por passagens de avião e realmente não vale a pena.

Hotel da rede Hilton
Hotel da rede Hilton

Não que trocar pontos por diárias de hotéis não signifique uma economia, mas comparando o custo de uma diária e de uma passagem com pontos, realmente não compensa. Partindo do principio que seus pontos e milhas de cartão de crédito e/ou viagens áreas não são para trocar por diárias, vamos aos meios de conseguir diárias grátis: programas de fidelidade dos hotéis.

Obviamente as dicas aqui serão mais úteis pra quem viaja muito e costuma ficar em hotéis, pagando por eles. Da mesma forma que você acumula milhas voando, você também acumula pontos se hospedando. E da mesma forma que as companhias aéreas se associam e criam grupos, as redes hoteleiras fazem o mesmo. Ou seja, existem grandes redes que compartilham pontos entre elas, assim como existem hotéis independentes que podem até ter um programa de milhagem, mas que obviamente tornam o acumulo e o compartilhamento mais difícil.

Então vamos aos fatos. Obviamente, no caso dos hotéis, existem muitos estabelecimentos sem nenhum programa de milhagem. Se esse for um pré-requisito para sua viagem, pesquise com antecedência antes de escolher onde ficar.

Como funcionam os programas de milhagem de hotéis

A maioria permite que você acumule pontos e/ou noites a partir das suas estadias pagas. O acúmulo se dá normalmente multiplicando o valor gasto no hotel (o que também pode incluir gastos com refeições e serviços) por um multiplicador (que varia de acordo com a rede) pra assim obter uma quantidade de pontos.

Assim como as companhias aéreas, estes programas também têm níveis de status diferenciados, valorizando aqueles que têm mais pontos no programa. Um ponto tem valor diferente de acordo com o programa de milhagem, o que torna difícil comparar o quanto na prática cada ponto vale para obter diárias grátis. Então vamos ver a lista dos programas mais conhecidos, sendo alguns deles bem votados no Freddy Awards (o Oscar dos programas de milhagem de acordo com seus usuários).

Antes de começar a analisar alguns dos programas em detalhe, vale lembrar que a escolha do programa deve levar em conta a disponibilidade de hotéis em regiões onde você gostaria de viajar. De que adianta você se hospedar o ano inteiro numa cadeia e descobrir, por exemplo, que ela não atende bem os Estados Unidos, onde você costumeiramente passa férias? Ou mesmo ser uma rede primariamente de hotéis executivos, mas que não dispões de unidades em cidades de veraneio?

Por outro lado, se você viaja muito a trabalho, pode também escolher sua rede de acordo com as cidades que costuma frequentar. No Brasil não temos uma presença maciça de todas as redes na maioria das cidades.

Outro fator importante é o fato de você poder acumular pontos no Brasil para passar férias no exterior. Algumas redes têm hotéis caros no Brasil o que dificulta o acumulo se você estiver viajando a trabalho e tiver que escolher opções mais em conta. Infelizmente o preço de uma diária de hotel no Brasil é alto, comparando o valor que é agregado. Por diversas vezes optei por viajar ao exterior do que no Brasil, simplesmente porque o preço da estadia aqui era inviável, principalmente em alta temporada.

O programas de hotéis mais conhecidos

Vamos analisar alguns programas que eu uso, não todos. Segue uma lista dos mais conhecidos, antes de entrarmos em alguns programas em detalhe:

hilton-hhonors

Hilton Hhonnors: Hilton, Double Tree, Conrad, Waldorf Astoria, Canopy, Curio Collection, Embassy Suites, Hilton Garden Inn, Hampton Inn, Homewood Suites, Home2 Suites e Hilton Grand Vacations.

A rede Hilton conta com um número grande de marcas e hotéis espalhados no mundo todo. Aqui no Brasil temos alguns da marca Hilton, quase todos de luxo.

Marriott-Rewards

Marriott Rewards: Marriott, Residence Inn, The Ritz-Carlton, JW Marriott, Edition, Autograph Collection Hotels, Renaissance Hotels, AC Hotels, Courtyard, Springhill Suites, Fairfield Inns and Suites, TownePlace Suites, Gaylord hotel, Marriott Vacation Club e Moxy Hotels.

O programa da rede Marriott é o queridinho dos americanos. Campeão do Freddy Awards em várias edições nas Américas é menos interessante para os brasileiros por não dispor de muitos hotéis no Brasil de baixo e médio custo.

SPG

Starwood Preferred Guest: Sheraton, Le Meridien, Four Points, Westin, The Luxury Collection, W Hotels, Aloft Hotels, St Regis e Element.

 

O programa SPG engloba hotéis de luxo e que no Brasil são de alto nível. Este programa costuma fazer promoções de estadia e de acúmulo de milhas.

IHG-Rewards-ClubIHG Rewards Club: Intercontinental, Holiday Inn, Hualuxe, Crowne Plaza, Hotel Indigo, Even Hotels, Candlewood Suites, Staybridge Suites, Holiday Inn Express, Holiday Inn Resort e Holiday Inn Club Resort.

O maior programa de fidelidade com hospedagem do mundo tem hotéis com opções bem em conta, com várias unidades no Brasil.

 

Club Carlson: Radisson, Park Inn, Country Inn & Suites, Radisson Blu, Park Plaza e Quorvus Collection.

 

É um programa pouco conhecido dos brasileiros em função da presença tímida no país. Mas é meu programa preferido e vou explicar mais abaixo porquê.

le-club-accor

Le Club Accor: Sofitel, Pullman, MGallery, Grand Mercure, The Sebel, Novotel, Suite Novotel, Mercure, Ibis, Ibis Styles, Adagio, Adagio access e Thalassa Sea & spa.

Provavelmente o programa mais conhecido no Brasil. A presença das redes Mercure, Sofitel, Novotel e Ibis no país é enorme, permitindo que se acumule milhas facilmente. Tem uma presença muito grande na Europa também e bem pequena nos EUA.

hyatt-gold-passportHyatt Gold Passport: Hyatt, Hyatt Regency, Hyatt Place, Hyatt house, Hyatt residence club, grand hyatt, Andaz, Park Hyatt, Hyatt Z.

 

A marca Hyatt tem hotéis de diversos níveis, quase todos pouco conhecidos no Brasil. Tem grande presença nos EUA.

mLifeM Life: Bellagio, Aria, Vdara, MGM Grand, The Signature at MGM Grand, Mandalay Bay, The hotel at Mandalay Bay, Delano Las Vegas, The Mirage, Monte Carlo, New York-New York, Luxor, Excalibur, Beau Rivage, Gold Strike Tunica e MGM Grand Detroit.

O programa concentra a maioria dos resort de Las Vegas, obrigando quem vai pra lá a praticamente usar o programa. Recentemente se associou ao Hyatt, o que dá um pouco mais de opções para acumular e resgatar milhas em outras cidades.

 

Em função da minha experiência, vou analisar em detalhe dois programas: Club Carlson e Le Club Accor. Pra deixar claro, eu uso também (e tenho pontos) o M Life, o Hyatt Gold Passport e SPG. Em todos estes fui obrigado a ficar em hotéis da rede, e provavelmente meus pontos vão expirar sem que possa utiliza-los. Dentre eles, só consegui uma vez emitir uma diária grátis no SPG, e foi relativamente simples.

Club Carlson
Na minha opinião, é um dos melhores programas para acumular e resgatar milhas. A lógica é simples: a cada 1 dólar gasto, você acumula 20 pontos. Com 9 mil pontos, você já consegue trocar por diárias. A rede tem seis níveis de resgate de diárias: 9.000, 15.000, 28.000, 38.000, 44.000, 50.000 e 70.000. Obviamente, a quantidade de pontos menores é para os hotéis mais baratos. Para ficar em NY na 34th Street são necessários 50.000 por noite, por exemplo.

Esses valores são para os quartos standard. Para quartos premium aumenta 50%. Para ter como referência, um hotel na Disney (Park Inn em Kissimmee) custa 15.000 pontos. Para juntar pontos suficientes para uma diária neste hotel você teria que gastar USD 750, ou algo em torno de R$ 1.800,00. Não parece muito fácil né? Mas tem como ganhar uns pontinhos extras…

O grande lance do programa são as promoções que sempre rolam. Pontos duplicados e triplicados são comuns. Também costumam dar bônus de pontos (na última vez ganhei 38.000 por três dias de estadia, fora os pontos que eu acumulei pagando). Sem falar que quanto mais pontos e noites você acumula, vai tendo direito a algumas vantagens adicionais.

Se ficar 15 noites em um ano ou 10 estadias, você é promovido para a primeira categoria (Silver Elite) onde você passa a ter direito a check-in antecipado, check-out tardio, upgrade de quarto, e ganhar 10% a mais de pontos. Além deste nível, o programa tem mais 2 (Gold e Concierge) onde o que muda basicamente são os percentuais a mais de pontos recebidos (35% e 75%, respectivamente).

O programa ainda faz promoções para reservas com desconto de pontos. Na última estavam com 25% off em diversos hotéis no mundo, diminuindo ainda mais a quantidade de pontos necessárias para reservar uma diária.

Diferentemente dos programas de milhagem de avião, as noites que você compra com pontos, valem para classificação na categoria Elite. Não tem datas bloqueadas. Além da troca de pontos por diárias, você também pode combinar pontos com dinheiro, e viabilizar sua estadia.

No Brasil são poucas as opções da rede, embora algumas sejam até acessíveis. Nos EUA é bastante comum, e se você planeja viajar de férias pra lá, pode considerar acumular seus pontos de hotel no Club Carlson.

A reserva com pontos é feita diretamente no site. Os pontos são imediatamente retirados da conta, mas você tem até um dia antes do check-in para desistir e ter seus pontos de volta sem multa. Nas vezes que usei diárias pagas com pontos, não tive absolutamente nenhum custo adicional no hotel.
Nunca cheguei a ter pontos expirados, até porque pelo menos uma vez por ano dá pra viajar.

Le Club Accor

Por conta da vasta disponibilidade de hotéis da rede, acumulei muitos pontos no Le Club Accor, mas confesso que não gosto muito do modelo deles. Você acumula pontos de acordo com a categoria Elite e de acordo com a rede escolhida. Considerando a rede Mercure, por exemplo (uma das que mais pontua), R$ 100 gastos geram 90 pontos.

As trocas são feitas por vouchers (2.000 pontos = voucher de 120 reais, 60 dólares ou 40 Euros). Para chegar a 2.000 pontos é necessário gastar algo tem torno de R$ 2.200,00, pra se conseguir um voucher de R$ 120, valor insuficiente para pagar uma diária que seja, e talvez nem a metade de uma.

Assim como o Club Carlson, quanto maior for o relacionamento, mas pontos você acumula. Mesmo assim, a tarefa de juntar pontos para conseguir diárias grátis é ingrata. Como ponto positivo, você pode gerar os vouchers e abater na sua conta, independentemente da quantidade que você tiver. Outro ponto positivo é a quantidade de hotéis no Brasil e na Europa.

A geração dos vouchers é simples e rápida. Depois de um ano os pontos começam a expirar e como o voucher tem validade de 6 meses, é uma opção pra evitar que seus pontos expirem. Mas como você só consegue emitir a cada 2.000 pontos, o que sobrar será invariavelmente perdido.

Conclusão
Acho a avaliação de programas de hotéis mais complicada do que de companhias aéreas, pois existem muito mais parâmetros e nossas escolhas nos impactam muito mais. É difícil comparar uma viagem de poucas horas a uma estadia de 15 dias, onde diariamente você vai conviver com as consequências da sua escolha. Também acho que não vai haver unanimidade, pois a pontuação varia de acordo com o nível elite, com promoções especificas que muitas vezes poucos são elegíveis, por acordos com empresas para descontos em estadias a trabalho e, obviamente, pelo gosto e bolso de cada um na hora de escolher o nível de hotel onde deseja ficar.

A escolha deve, então, ser avaliada de pessoa para pessoa, dependendo dos interesses e dos hábitos de cada um. As recompensas dos programas devem ser levadas em consideração na hora de escolher onde acumular seus pontos.

Agradecemos ao Francisco pelo excelente artigo, que certamente será útil para milhares de leitores. E você, tem experiência para compartilhar com outros programas de hotéis? Têm opinião diferente dos programas citados? Compartilhe!

Quer enviar um artigo para o Melhores Destinos? Entre em contato com a gente pelo e-mail dicas@melhoresdestinos.com.br

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe