Viajantes agora podem entrar com produtos de origem animal no Brasil

Monique Renne 10 · maio · 2016

Boa notícia para os viajantes! A partir de hoje está liberada a entrada de passageiros e tripulantes no Brasil com produtos de origem animal na bagagem. Aquele maravilhoso queijo francês, o delicioso salame italiano ou o inesquecível doce de leite argentino que você experimentou durante a viagem agora podem fazer parte da sua mala! É hora de aproveitar e trazer da viagem lembranças além de fotos e souvenires. Nada como relembrar os sabores, literalmente, de um maravilhoso destino para manter viva a felicidade de uma viagem!

Queijos com embalagem estão autorizados.
Queijos com embalagem estão autorizados.

A decisão foi instituída hoje (10), terça-feria, em instrução normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca. As novas regras têm como objetivo focar em produtos de maior risco e liberar produtos com baixo potencial de risco, como alimentos trazidos por viajantes. Vale dizer que nem tudo são flores e você não poderá trazer quantidades ilimitadas de nenhum produto, visto que outras regras da Receita Federal limitam quantidades continuam em vigor.

Os produtos que constam na lista abaixo serão permitidos apenas se estiverem acondicionados na embalagem original de fabricação e com rotulagem que possibilite a sua identificação. Ou seja, produtos de origem artesanal, como aquele queijo cremoso comprado na fazendinha de Camembert, continuam proibidos no Brasil.

Salames sem embalagem continuam proibidos.
Salames sem embalagem continuam proibidos.

As novas regras preveem a autorização de entrada no país para os seguintes casos:

  • – Produtos cárneos industrializados destinados ao consumo humano (esterilizados comercialmente, cozidos, extratos ou concentrados de carne etc);
  • – Produtos lácteos industrializados (doce de leite, leite em pó, manteiga, creme de – leite, queijo com maturação longa, requeijão etc);
  • – Produtos derivados do ovo (ovo em pó, ovo líquido pasteurizado, clara desidratada etc);
  • – Pescados (salgado inteiro ou eviscerado dessecado, defumado eviscerado, esterilizado comercialmente);
  • – Produtos de confeitaria que contenham ovos, lácteos ou carne na sua composição;
  • – Produtos de origem animal para ornamentação.

E aí? Já está sonhando com os sabores da próxima viagem?

Com informações oficiais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca.  

Publicado por

Monique Renne

Editora de Destinos

  • Israel jr

    Hummm, só assim para economizar na Europa e surpreender no Brasil.

  • Tobias Vizzotto

    Finalmente… o Le Carroussel de Rivera agradece!

  • pacato cidadão

    putz…até que enfim. em março me tomaram dois queijos comprados em supermercados portugueses.

    • Monique Renne

      Ô dó! Adoro os queijos cremosos de Portugal.

      • pacato cidadão

        naqueles pães de centeio maravilhosos , ficam melhores ainda….
        o engraçado é que o fiscal da receita que me tomou os queijos(no galeão), me deu o seguinte conselho : cara tome cuidado, eles vão instituir uma multa ainda este ano, além dos confisco..hehehe

      • pacato cidadão

        naqueles pães de centeio ficam ainda melhores.
        o fiscal da receito(galeão) que fez o confisco , deu o seguinte conselho: não se arrisque mais. ainda este ano, será instituída uma multa”para quem trouxer produtos de origem animal, além dos confisco,claro” hehe

        • Monique Renne

          Acho que ele tava mal informado. Kkkkkk. Na próxima trago um Serra da Estrela! Kkkkk

          • pacato cidadão

            pois é. felizmente ele errou feio hhehehehe. na próxima trarei o pão, o queijo e o presunto! pacote completo heheheh

          • Fefa Porto

            Traz um Serra da Estrela pra mim também! Kkkkkkkkk. Que queijo maravilhoso!
            Trouxe dois camembert de Paris em 2014 e não me “afanaram” os queijos. Nem com o rastro “estranho” que nos perseguia (queijos estavam nas mochilas)… kkkk

  • Djeine Daniel

    iupi, doce de leite argentino.
    Dá apra liberar as taxas de embarque baratas?

  • Bacana saber dessas informações!

  • Andre S

    Voltei dia 16/04/2016 do Uruguai com doce de leite na bagagem e não tive nenhum problema ( confesso que nem fazia ideia que doce de leite era proibido hehe).

  • Para mim, esses produtos, quando industrializados, já eram permitidos. Então dei sorte quando trouxe um doce de leite da Havana de Buenos Aires?

    • Edson Netto

      RApaz, fui em Bariloche em Março, trouxe doce de leite e tal, e ninguém falou nada da mala nem nada.
      Não sabia que tinha esse tipo de proibição.

    • Manoel Dias

      Sim, você deu sorte. Um amigo veio de Buenos Aires e teve deixar todos os doces que havia trazido.

    • Erica Ambrosio

      A coisa era tão feia que durante a Copa do Mundo recolheram todo o doce de leite que a seleção do Uruguai trouxe. Uma empresa brasileira de lacticínios ficou com a pena deles e doou doce de leite feito por eles na mesma quantidade que foi apreendida – pena que a qualidade não chega nem perto, e pena dois que se aproveitaram da situação para fazer propaganda da marca.

  • svetb

    sempre trazia de qualquer jeito…..

  • Thaiana Fernandes

    e eu nem sabia que não podia kkkk , e ja trouxe tudo isso rsrsrs

  • Monique Renne

    Bagagem de mão também, mas lembre-se que há regras específicas para peso e líquidos em bagagem da mão.

  • Thiago Paulino

    Eu não entendo muito de agricultura, mas arriscaria dizer que o controle de qualidade brasileiro (em relação a pragas) não é melhor que o de outros países onde haja uma inspeção higiênica, é por isso que os artesanais continuam proibidos, pois nestes não há inspeção de higiene.