Passaredo inclui turboélices ATR-72 em sua frota

Denis Carvalho 22/05/2012 às 10:31h 64 Comentários

A Passaredo Linhas Aéreas recebeu na manhã de hoje, na cidade de Toulouse na França, a primeira das 14 aeronaves ATRs 72-600 novas que integrarão sua frota, juntamente com 2 ATRs 72-500. A cerimônia  aconteceu na sede da construtora francesa ATR e deu início à parceria que prevê a entrega neste ano de quatro ATRs 72-600 e dois ATR 72-500.  A Passaredo anunciou também um novo contrato de compra de 10 aeronaves com opção de mais 10, totalizando 20 novas aeronaves ATRs 72-600 que serão entregues até 2015, com investimento estimado em US$ 450 milhões.

Até hoje a Passaredo operava todos os seus voos com jatos ERJ 145, da Embraer. Segundo a companhia, as novas aeronaves devem operar em rotas do interior dos estados para as capitais e em rotas de menor alcance para a qual a aeronave ATR 72-600 se apresenta com o menor custo do mercado. As aeronaves Embraer ERJ-145 serão mantidas na frota e operarão em rotas de médio e longo curso. O modelo é exatamente o mesmo que vem sendo empregado com sucesso pela Azul e pela Trip, que também mesclam jatos Embraer com ATRs para abranger uma malha mais extensa com menor custo operacional.

Para os clientes o maior impacto nas rotas onde houver a mudança será o tempo de percurso: enquanto um jato Embraer ERJ-45 tem velocidade de cruzeiro de 800 km/h a do ATR é de  470 km/h. Com isso o tempo para percorrer a mesma distância praticamente dobra. Em termos de conforto, os turboélices em geral oferecem mais espaço para os passageiros – isso depende da companhia, mas tem sido a regra no Brasil. Os modelos dividem opiniões, pois há os que preferem os ATR e quem os deteste.

O fato, contudo, é que os turboélices franceses cariam nas graças das companhias brasileiras e de toda a região. Atualmente há mais de 130 aeronaves voando na América Latina e Caribe, com as cores de 29 operadores –   60 delas em operação no Brasil. Nos próximos três anos, o número de ATRs voando no país deve atingir 100 aeronaves, segundo dados da fabricante.

Ainda com relação à Passaredo, a companhia assinou com a GOL um novo acordo interline de longo prazo. Com relação ao anterior, a mudança é que o novo acordo prevê exclusividade em operações regionais entre as duas companhias, que estão cada vez mais próximas.
Saiba mais sobre o ATR 72-600:

Capacidade de passageiros: 70 assentos
Motores: Pratt & Whitney 127m
Potência máxima na decolagem: 2.750 cavalos de potência por motor
Peso máximo de decolagem: 23.000 kg
Carga máxima: 7.500 kg
Alcance máximo com carga total de passageiros: 899 milhas náuticas (1.665 km)

E você, já voou em um ATR? Gostou da nova frota da Passaredo? Deixe sua opinião nos comentários e participe!

64 comentários para “Passaredo inclui turboélices ATR-72 em sua frota

  1. Angelo Eugenio

    E pra quem ficou curioso em saber como uma aeronave dessa chega ao Brasil, segue a rota:

    Toulouse (TLS) -> Lanzarote (ACE)

    Lanzarote (ACE) -> Ilha do Sal (SID)

    Ilha do Sal (SID) -> Recife (REC)

    Recife (REC) -> Até um Aeroporto Indústria do Brasil para sua nacionalização.

    No caso a Azul nacionaliza seus ATR's em Confins (CNF).

    Como tem muita gente que gosta de aviação aqui no blog, decidi postar tal informação!

    Abraços a todos!

    Responder
    1. Eduardo

      Show de bola ! Quando vi que os aviões estavam na frança, a primeira pergunta que me fiz foi qual o percurso para eles chegariam até aqui !!

      Valeu, Angelo ! Sou fã de aviação também !

      Abraço !

      Responder
    2. Guilherme

      É uma excelente aeronave e bastante confortável. Por ser um avião de asa alta, permite uma boa visão de todos os passageiros que sentam na janela. Outra vantagem é o menor custo de operação em relação a um jato. Um motivo a mais para redução dos preços das passagens.

      Responder
  2. Henrique Oliveira

    Interessante. Já voei em ATR pela Aer Lingus num voo de Dublin a Glasgow. Confortáveis e bem adequados a voos curtos com menos passageiros.

    Responder
  3. Guilherme Rocha

    Voee para Montes Claros em um ATR, apesar de confortável a primeira sensação é de que o avião é muito instável, podendo numa turbulencia não aguentar, além de achar a velocidade muito devagar.

    Mas no geral o voo foi muito tranquilo. Voaria novamente

    Responder
  4. Erick

    O tempo de viagem se altera pouco em viagens de turboélice, pois tratam-se de rotas mais curtas, nas quais os jatos não permanecem em velocidade de cruzeiro durante todo o trajeto, e sim, em uma pequena parte dele. A diferença, inclusive anunciada à bordo (revista da Trip), é de cerca de 10 a 15 min nas rotas atuais.

    Responder
  5. Leandro

    Já voei SSA-AJU em um ATR da Trip e achei muito confortável e tranquilo o voo. Estava chovendo MUITO em Aracajú, inclusive ficamos dando voltas no ar aguardando a reabertura do aeroporto que encontrava-se fechado. Em nenhum momento senti a instabilidade do aparelho. Recomendo!

    Responder
  6. Bruno Aurélio

    Já voei de ATR pela Trip… achei muito confortável, espaçoso, e como a altitude do vôo é menor, da pra perceber melhor o espaço (coisa de Geógrafo) hehe!

    Responder
    1. Mauro

      Agora fiquei curioso para viajar em um ATR, com a altitude menor realamente dá pra ver mais detalhes, e como eu adoro admirar a geomorofologia do relevo, deve ser fantástico (coisa de Geógrafo [2])!

      Responder
  7. Thomas H

    Para um voo curto (ex. 400 km) a diferença entre a velocidade de cruzeiro (800 km/h X 470 km/h), que é de cerca de 60%, não significa uma economia de 60% no tempo.

    Mais de 50% do tempo de voo refere-se a subida e a descida, então enquanto jato faz o percurso em cerca de 40 minutos, o turbo-helice leva cerca de 55 min.

    Responder
  8. titobosco

    Queria ate voar num ATR na rota SSA x PNZ. Mas na duvida de um ATR da TRIP por 99 e um A320 na Avianca por 79, é claro que prefiro o A320. ;) Quem sabe naquelas promos de 69 case com alguma necessidade !

    Responder
  9. ROGERIO MOREIRA

    Já voei num ATR-72-600 da Azul ZERADO, cheirando a novo. Achei o voo super tranquilo e o avião super confortável. Porém se eu puder escolher prefiro voar num avião a jato como os E-jets da Embraer, mas não tenho preconceito e voo num ATR sem problemas, desde que sejam esses novinhos aê, rs

    Responder
    1. Beto

      Pessoal,

      Fiz duas rotas: POA/Rivera/POA(Uruguai), também Montevideo/Rivera, através da companhia BQB que utiliza o ATR 72-500. Na primeira vez, senti a robustez do avião, pois atravessou nuvens muito densas e não senti balanço algum, e pensei (naquele instante) se fosse um a jato seria diferente, nos demais voos foram super tranquilos e emocionantes por estar mais próximo da terra e observar as lindas paisagens da região.

      Infelizmente, não tem mais a rota POA/Rivera/POA, mas continua Rivera/Montevideo!

      Responder
  10. José Ricardo

    Nunca comento aqui, mas hoje fiz questão.

    Já viajei de ATR pela Trip e pela Azul, trechos curtos também.

    Nada a reclamar, e é extremamente adequado a estes trechos. Além disso, é confortável.

    Responder
  11. ferbrasilia

    Fala Leo e galera do MD.. Continuo acompanhando tudo heim!

    Gostei da matéria e dos detalhes. Tb gostei do modelo da Passaredo. Quanto ao modelo ATR, já voei duas vezes (uma da Trip e outro da Azul, zerinho).. Ambas as viagens foram boas e acredito que as turbulências dependem de uma série de outros fatores que não somente o modelo do avião. As minhas duas viagens com ATRs foram tranquilas. Por outro lado outras viagens com jatos foram muito desconcortáveis.

    Responder
  12. FABIANO

    Aqui na minha região Rondonópolis-Cuiabá está sendo feito pela Trip com o ATR e a Passaredo com o ERJ-45, os voos são praticamente no mesmo horário, mas te garanto que o pessoal compra mais Trip, as aeronaves ATR são mais largas e 2 -corredor-2 enquanto as aeronaves Passaredo ERJ-45 são 2-corredor-1,abraços.

    Responder
    1. FABIANO

      Desculpas, quero corrigir meu erro: primeiramente não é ERJ-45 E SIM ERJ-145. A Trip está fazendo este trecho com o Embraer 175, portanto não existe ATR neste trecho por enquanto, mas a notícia de que o pessoal está preferindo a Trip é verdadeira. Vamos ver se a Passaredo vai colocar algum desses ATR neste trecho.

      Responder
  13. Ricardo B. Souto

    O melhor de tudo isso, são os preços que devem abaixar né? Uma vez que o custo operacional é bem inferior ao um ERJ-145. Acho que a Passaredo está no caminho certo, na questao Aviação Regional.

    Responder
  14. Renato

    Que bom que todos gostam do ATR, pena que muitos não sabem que em caso de pouso na àgua como o que acontececeu no Rio Hudson, por exemplo, as asas é que são digamos " o parâmetro" para que as janelas de emergência que ficam sobre elas no caso dos AIRBUS e BOEINGS, ficam acima das asas, no caso de ATRs, as asas ficam em cima das portas, o que dá menos instabilidade na água, pq certamente sem as asas para apoiá-lo ele logo tomba para um dos lados…essa é minha preocupação: em relação á segurança real de todos. E não adianta dizer q quando cai um avião na água nem ia adiantar mesmo pq todos irão morrer, pois se um dia isso acontecer, algém aí irá rezar para q cheguem todos vivos na água. Tomara q nunca aconteça, mas se acontecer e vc tiver num ATR, já localize as saídas de emergências, oq todos deveriam fazer, mas na prática…então muitos ótimos voos em ATR.

    Responder
    1. Nilson

      É uma piada comum entre pilotos que não existe "water landing", é sempre "water crash".

      Acidentes aéreos são uma grande exceção à regra, o modal é bastante seguro. Contudo, se por acaso seu avião cair na água, provavelmente você (e todo mundo à bordo) vai morrer. O caso do Rio Hudson foi uma exceção das exceções e basear se vai voar ou não em uma aeronave por causa disso é no mínimo ingênuo.

      Responder
  15. samuel paiva

    O ATR é um avião do pontoi de vista economico muito bom para as companhias e voa-los em rotas curtas é tranquilo e o tempo da viagem não dobra pois os jatos voam em velocidades menores em rotas curtas um estudo da azul diz que em viagens de até 500km o atr aumenta o tempo em apenas 10 minutos .

    Responder
    1. titobosco

      Perfeito estudo. A rota SSA – PNZ feita com um A320 dá uns 50 minutos, já nos ATR da Trip chega de 1h a 1h10min em media. Aí ja entra a demanda, conforto e marketing. Afinal se estiverem as duas o mesmo preço, vai da sua preferencia!

      Responder
  16. Wesley Carvalho

    Viajo sempre na rota Uberaba – Campinas ou para BH, pela Azul, e quando vou embarcar e vejo que é o ATR 600 é muito confortavel, mas quando ainda é o ATR 200 deixa muito a desejar.

    Responder
  17. Moacyr Lopes

    Prezados amigos,

    Sempre voo em ATR´s 42 e 72, pois em Uberaba, onde moro, só há voos da Trip e da Azul. Não há o que reclamar. Até os prefiro, principalmente pelo atendimento e serviço de bordo da Azul e da Trip.

    A Tam está marcando bobeira ao eliminar estes aviões da Pantanal e demorando para reerguê-la. A Trip foi a pioneira, a Azul foi atrás e a passaredo também. Pela imensidão de nosso país e a quantidade de cidades com até 300 mil habitantes, os ATR´s vão permanecer por muitos anos aqui. Além disso, são aeronaves muito seguras.

    Responder
  18. Alexandre

    Bem, em 2010 fui ao Rio de 737-800 GOL e voltei num ATR da TRIP. 72. Saí de Santos Dumont a noite. O voo era Rio- Cuiabá, com escala em Goiânia. Após a partida dos motores, quando o piloto baixa os flaps, faz um barulho agudo, chato mesmo, nunca ouvi isso. Até tapei os ouvidos. eu tava perto da asa. decolagem excelente, o voo foi tranquilo. voamos no nível 180. (18.000 pés), quase duas horas depois chegamos em Goiânia, para escala. Novamente quando o piloto baixa os flaps, escuto o barulho incômodo. decolagem boa. quase duas horas pousamos em Cuiabá. O pouso é bem suave, com rápido reverso proporcionado pelos motores turboélices. No geral, o voo é bem tranquilo, tirando o barulho dos flaps descendo.

    Responder
  19. leandro

    nao voei ainda porque aqui na paraiba nao tem trip e nem a pasaredo , seria muito bom que essas empresas chegasse aqui ! proximo voo a sp vou d Atr

    Responder
  20. Henrique

    Alguém entendeu o que o Renato escreveu…?

    Então, voei com um desses pra Bauru, saindo de Guarulhos.

    Voo super tranquilo. O pouso é muito mais suave do que em jatos. O único (grande) problema é o barulho. Realmente incomoda.

    Abraços!

    Responder
  21. Douglas SJP

    Os Jatos da Embraer é nota 10 ótimos, confortavéis e seguro, os ATR tb porem prefiro o jatos Embraer, fico feliz em saber q a Passaredo esta evoluindo pois é uma ótima companhia diga-se de passagem.

    Abraços

    Responder
  22. Bruno Holtz

    Já voei em ATR na Grécia(Olympic Airlines). Bom avião, bastante confortável, equivalendo a um A320, porém com bins menores (claro).

    Para quem não sabe, em pousos com ventos de través (ventos cruzados), não só o Atr, mas qualquer turbohélice leva vantagem sobre um jato, pois a reação a uma aceleração é imediata, e no jato tem um delay de 3 a 5 segundos. Em condições muito extremas, o turbohélice pousa e o jato não.

    Responder
  23. Rodrigo

    Bom, o avião "passa" segurança, mas comparando com um jato, é barulhento demais. Uso muito trechos com ATR e em distâncias maiores, cansa um pouco o ouvido.

    Responder
  24. Cristiano

    Já voei a muitos anos atrás num ATR (PLU-SDU)

    Na extinta compania TOTAL.

    Voaria com certeza PASSAREDO, porém nunca consigo achar preços atraentes nesta companhia… pelo menos nos trechos que eu mais voo!!! Ela, costumeiramente é mais cara que GOL, WEBJET e TAM.

    Responder
  25. Angelo Eugenio

    A nacionalização vai ocorrer em Confins, conforme informações do blog que citei acima. Ao invés de Recife, chegará via Natal.

    "A Passaredo Linhas Aéreas recebeu ontem em Toulouse, França, o seu primeiro ATR72-600. A aeronave, que recebeu a matrícula PR-PDA, é a primeira de uma encomenda de 14 exemplares do modelo.

    O PR-PDA já deixou a França no seu voo de entrega, que vai passar por Lanzarote, Praia, Natal, de onde segue até o Aeroporto Internacional Tancredo Neves para trâmites de nacionalização."

    Responder
  26. Augusto

    Eu nem morto viajo em ATR. Lerdos e desconfortáveis. Viagei uma vez em um e nunca mais. Prefiro os Embraer, os ERJ do que os ATR e os E-Jets do que os Boeing/Airbus!

    Responder
  27. DANIEL PEDROSO

    Voei pela trip em um ATR no trecho ssa x aju em março achei extremamente tranquilo e seguro alem do mais a aeronave é muito confortavel!

    Responder
  28. claudio

    voei ontem num ATR pela primeira vez Salvador – Ilheus. O tempo estava ruim, a viagem foi bastante desconfortável e o aviao arremeteu na primeira tentativa de pouso, só na 2a. tentativa conseguimos aterrisar. Foi uma primeira vez meio traumática e não senti segurança, sem contar o barulho que é muito maior. Ainda prefiro os jatos.

    Responder
  29. Raphael

    Um absurdo a passaredo alterar os vôos de jato para o péssimo atr sem sequer comunicar ps. Clientes que já haviam comprado passagem.

    Os vôos passam de uma hora para quase o dobro do tempo.

    Isso sem falar da mudança do santos dumont para o galeão.

    Agora vai ficar mais rápido vir dirigindo:

    1 antes no aeroporto, 20 minutos para taxiar, 1:40 de voo, 25 pra desembarcar, mais 25 pra chegar a mala, e 1hora pra chegar na zona Sul = 4:50 de viagem

    Responder
  30. Cristiano Lopes Pai&

    Ola, tudo bem!, eu trabalho na base de UBA, como Agente de Rampa, e está percorrendo um comentario de que nesta base ira operar a PASSAREDO exatamente junto à GOL, se vocês poder tirar esse minha duvida eu agradeço, pois mais um voo assim aqui em UBA será uma "mao na roda" para nós (funcionarios) e também para os passageiros. Aquardo Respostas…

    Responder
  31. Eligleidson

    Voei em um ATR entre Recife e Fernando de Noronha, foi o melhor vôo da minha vida, tanto na ida como na volta. O conforto e a segurança de vôo (senti muito menos as turbulências) pra mim são os destaques. Parabéns a Passaredo!!! Com certeza voarei de novo se houver oportunidade

    Responder
  32. Otoniel

    Espero que agora a Passaredo diminui o valor da passagem! Pois o trecho que costumo fazer geralmente na passaredo é 3 vezes mais caro que a trip e a gol.

    Responder
  33. Gui Rodrigues

    Meu caro, a Azul está afzendo sim. Basta planejar e comprar com antecedência.

    Voei pela Azul na rota PLU – ROO com Conexão em VRG, GRU e uma escala em Araçatuba.

    A volta foi: ROO – PLU com conexão em GRU, Gov. Valadares e Escala em Araçatuba e Ipatinga.

    Valor que paguei de ida e volta: R$ 580,00.

    Comprei a passagem com 8 meses de antecedência.

    Para 2014, ja achei a passagem por R$ 490,00 ida e volta.

    Responder
  34. fernando

    gente nao sei a aeronave da passaredomais voei num atr da azul de ribeirao preto a campinas achei um lixo,muito barulho e pouco conforto se eu nao olhasse na janela acharia que estava andando de onibus pelas estradas esburacadas do brasil .l…nao gostei ,porem vou de passaredo num atr de ribeirao ao rio depois conto como foi…..

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>