Aviação x indústria automobilística no Brasil. Qual é a nossa prioridade?

Leonardo Marques 16 · outubro · 2013

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Toda semana saem matérias superficiais na dita grande mídia sobre os preços das passagens aéreas. De fato, não há como negar que as passagens subiram muito, mas qual será o motivo? Será que todas as empresas aéreas de dois anos pra cá ficaram loucas e resolveram cancelar centenas de voos e inflar seus lucros?

Nós sabemos que as passagens são caras no Brasil. Sim, as passagens aéreas, as passagens de ônibus, os carros, os tênis, os cosméticos, roupas, hotel, eletrônicos, comida, combustível, bebidas, materiais de construção, ingresso pra shows… Qual é mesmo o produto que no Brasil é mais barato que no exterior? Será que todos os empresários brasileiros de todos os setores são picaretas e gananciosos? Talvez não.

Voltemos à aviação civil….

Nossa, como a aviação bombou no Brasil desde 2002. O brasileiro ficou rico foi?

Não. Em 2001 iniciou-se a implantação do regime de liberdade tarifária. Isso permitiu que as empresas aéreas vendessem passagens por R$1 ou por R$1.000, dependendo da demanda, da concorrência e de outros fatores. Isso é assim até hoje. E foi exatamente essa mudança que permitiu que os menos favorecidos fizessem sua primeira viagem de avião. No mundo todo é assim e isso funciona muito bem.

Salvo raríssimas exceções, turismo sempre foi um tema desinteressante para os governantes brasileiros. Felizmente temos alguns loucos, como Guilherme Paulus, fundador da CVC, que lutam e fazem o turismo brasileiro andar, apesar de todas as barreiras impostas pelos governos.

Até poucos anos atrás, as empresas aéreas vendiam passagens bem mais baratas e tinha lucros. Isso mudou porque os custos delas mudaram, especialmente a cotação do dólar e o preço do barril de petróleo.

Hoje, o passageiro paga caro pelas passagens, as agências não têm lucro e nem as companhias aéreas. Só tem um lado ganhando dinheiro nesse negócio: o governo com seus impostos.

As passagens para Buenos Aires são mais baratas que para o Nordeste. A solução é deixar as companhias gringas voarem aqui dentro?

Você sabia que quando a GOL abastece seu avião em Guarulhos para voar para o Nordeste ela paga mais caro do que quando ela abastece para voar para a Argentina? Sim, nós fomentamos o turismo no exterior 🙂

Você sabia que o combustível produzido pela Petrobrás no Brasil é mais barato na Argentina que no Brasil? Sim nos fomentamos o turismo e o crescimento deles 🙂

Você sabia que no Brasil o combustível representa 40% dos custos de uma empresa aérea e no exterior isso é torno de 25%? O detalhe é que o combustível é fabricado aqui mesmo no Brasil e é 20% mais caro que a média mundial.

Mas e a indústria automobilística, o que tem a ver com o turismo?

É simples: enquanto a aviação e o turismo como um todo são ignorados pelo governo brasileiro, a industria automobilística recebe incontáveis incentivos. Vamos comparar o setores:

Indústria automobilística

– Montadoras dão lucros astronômicos e enviam para suas matrizes em outros países.
– Concessionárias também tem obtidos grandes lucros e não param de abrir novas lojas no país.
– Bancos ganham um absurdo com juros financiando carros.
– Governo gasta rios de dinheiro para manter as rodovias apenas razoáveis.
– Número de montadoras no Brasil não para de crescer e o volume de vendas bateu sucessivos recordes nos últimos anos.

Aviação

– Nenhuma das grandes companhia aéreas nacionais teve lucro nos últimos dois anos
– Dezenas de agências de turismo (físicas) fecharam suas portas
– A maioria das agências de turismo online não tem lucro
– Nos últimos dois anos centenas de voos nacionais foram cancelados porque não eram mais viáveis economicamente.

O que foi feito com cada setor nos último anos?

No caso dos automóveis aumentaram o IPI dos carros importados em 30%, ou seja, foi de 35% para 65% e foi reduzido dos carros nacionais. Assim fortalece a “industria nacional” que é dominada por multinacionais.

Na aviação… é, não tem muito o que escrever. Mas uma medida muito boa, porém tardia, foi privatizar três dos principais aeroportos do pais – outros aguardam na fila.

Todas as cias aéreas no Brasil dão prejuízo e todas as montadoras dão lucro. Será que foi por isso que a GOL contratou o presidente da Audi? Não, é só uma piada pronta mesmo.

Como será daqui pra frente?

Se o governo e especialmente a Embratur continuar fazendo de conta que são oposição, as passagens continuarão subindo e provavelmente as companhias aéreas nacionais irão quebrar.

As passagens só vão baixar se o barril de petróleo baixar, se o dólar baixar ou se o governo fizer alguma coisa, por exemplo, cobrar um preço justo pelo combustível.

Existem vários outros mitos que precisam ser desmentidos, mas eles ficarão para outra matéria.

Para concluir, reflita quais são as consequência de fomentar a aviação civil e quais as consequências de fomentar a industria automobilística. Por que um país com as dimensões do Brasil não tem estrutura de aeroportos, uma rede ferroviária decente ou opções de transporte fluvial e se investe apenas em estradas por todo o país?

Esse é um post de quem sonha ver o turismo brasileiro – e o país como um todo – decolar. De quem trabalha para as pessoas viajarem mais gastando menos. Ok, pode me jogar pedras, você não precisa concordar comigo, mas em algum momento é preciso encarar a realidade. Vamos debater com respeito.

Autor

Leonardo Marques - Diretor do Melhores Destinos