Aviação x indústria automobilística no Brasil. Qual é a nossa prioridade?

Leonardo Marques 16 · outubro · 2013

Toda semana saem matérias superficiais na dita grande mídia sobre os preços das passagens aéreas. De fato, não há como negar que as passagens subiram muito, mas qual será o motivo? Será que todas as empresas aéreas de dois anos pra cá ficaram loucas e resolveram cancelar centenas de voos e inflar seus lucros?

Nós sabemos que as passagens são caras no Brasil. Sim, as passagens aéreas, as passagens de ônibus, os carros, os tênis, os cosméticos, roupas, hotel, eletrônicos, comida, combustível, bebidas, materiais de construção, ingresso pra shows… Qual é mesmo o produto que no Brasil é mais barato que no exterior? Será que todos os empresários brasileiros de todos os setores são picaretas e gananciosos? Talvez não.

Voltemos à aviação civil….

Nossa, como a aviação bombou no Brasil desde 2002. O brasileiro ficou rico foi?

Não. Em 2001 iniciou-se a implantação do regime de liberdade tarifária. Isso permitiu que as empresas aéreas vendessem passagens por R$1 ou por R$1.000, dependendo da demanda, da concorrência e de outros fatores. Isso é assim até hoje. E foi exatamente essa mudança que permitiu que os menos favorecidos fizessem sua primeira viagem de avião. No mundo todo é assim e isso funciona muito bem.

Salvo raríssimas exceções, turismo sempre foi um tema desinteressante para os governantes brasileiros. Felizmente temos alguns loucos, como Guilherme Paulus, fundador da CVC, que lutam e fazem o turismo brasileiro andar, apesar de todas as barreiras impostas pelos governos.

Até poucos anos atrás, as empresas aéreas vendiam passagens bem mais baratas e tinha lucros. Isso mudou porque os custos delas mudaram, especialmente a cotação do dólar e o preço do barril de petróleo.

Hoje, o passageiro paga caro pelas passagens, as agências não têm lucro e nem as companhias aéreas. Só tem um lado ganhando dinheiro nesse negócio: o governo com seus impostos.

As passagens para Buenos Aires são mais baratas que para o Nordeste. A solução é deixar as companhias gringas voarem aqui dentro?

Você sabia que quando a GOL abastece seu avião em Guarulhos para voar para o Nordeste ela paga mais caro do que quando ela abastece para voar para a Argentina? Sim, nós fomentamos o turismo no exterior 🙂

Você sabia que o combustível produzido pela Petrobrás no Brasil é mais barato na Argentina que no Brasil? Sim nos fomentamos o turismo e o crescimento deles 🙂

Você sabia que no Brasil o combustível representa 40% dos custos de uma empresa aérea e no exterior isso é torno de 25%? O detalhe é que o combustível é fabricado aqui mesmo no Brasil e é 20% mais caro que a média mundial.

Mas e a indústria automobilística, o que tem a ver com o turismo?

É simples: enquanto a aviação e o turismo como um todo são ignorados pelo governo brasileiro, a industria automobilística recebe incontáveis incentivos. Vamos comparar o setores:

Indústria automobilística

– Montadoras dão lucros astronômicos e enviam para suas matrizes em outros países.
– Concessionárias também tem obtidos grandes lucros e não param de abrir novas lojas no país.
– Bancos ganham um absurdo com juros financiando carros.
– Governo gasta rios de dinheiro para manter as rodovias apenas razoáveis.
– Número de montadoras no Brasil não para de crescer e o volume de vendas bateu sucessivos recordes nos últimos anos.

Aviação

– Nenhuma das grandes companhia aéreas nacionais teve lucro nos últimos dois anos
– Dezenas de agências de turismo (físicas) fecharam suas portas
– A maioria das agências de turismo online não tem lucro
– Nos últimos dois anos centenas de voos nacionais foram cancelados porque não eram mais viáveis economicamente.

O que foi feito com cada setor nos último anos?

No caso dos automóveis aumentaram o IPI dos carros importados em 30%, ou seja, foi de 35% para 65% e foi reduzido dos carros nacionais. Assim fortalece a “industria nacional” que é dominada por multinacionais.

Na aviação… é, não tem muito o que escrever. Mas uma medida muito boa, porém tardia, foi privatizar três dos principais aeroportos do pais – outros aguardam na fila.

Todas as cias aéreas no Brasil dão prejuízo e todas as montadoras dão lucro. Será que foi por isso que a GOL contratou o presidente da Audi? Não, é só uma piada pronta mesmo.

Como será daqui pra frente?

Se o governo e especialmente a Embratur continuar fazendo de conta que são oposição, as passagens continuarão subindo e provavelmente as companhias aéreas nacionais irão quebrar.

As passagens só vão baixar se o barril de petróleo baixar, se o dólar baixar ou se o governo fizer alguma coisa, por exemplo, cobrar um preço justo pelo combustível.

Existem vários outros mitos que precisam ser desmentidos, mas eles ficarão para outra matéria.

Para concluir, reflita quais são as consequência de fomentar a aviação civil e quais as consequências de fomentar a industria automobilística. Por que um país com as dimensões do Brasil não tem estrutura de aeroportos, uma rede ferroviária decente ou opções de transporte fluvial e se investe apenas em estradas por todo o país?

Esse é um post de quem sonha ver o turismo brasileiro – e o país como um todo – decolar. De quem trabalha para as pessoas viajarem mais gastando menos. Ok, pode me jogar pedras, você não precisa concordar comigo, mas em algum momento é preciso encarar a realidade. Vamos debater com respeito.

Publicado por

Leonardo Marques

Diretor do Melhores Destinos

  • Igor T

    [IRONIC] Trabalho no setor automotivo e estou feliz com isso. [/IRONIC]
    É.. Concordo com tudo, a critica tem que ser voltada ao governo que em todas as esferas tem lucros absurdos, partindo da gasolina passando pelas passagens e até na nosso já querido biscoito fornecido nos voos.

  • alexandre

    Que quebrem todas as brasileiras!!!! Bem vindo Air France, US Airways, Delta, etc . Adeus TAM,GOL, Azul, Avianca…

    • mariostefa

      Não seria melhor vc pleitear impostos menores?

      • alexandre

        … impostos menores e mais concorrência!!!

    • Ah, sim, claro! Realmente, faz todo o sentido…
      Que tal também fecharmos a Embraer e investirmos na Boeing ou na Airbus?!

    • Rafa_P

      Preço menor, menos empregos para os brasileiros e os lucros sendo enviados para o exterior? Visão míope a sua hein..

    • Eduardo

      É, no teu pensamento quebrar as nacionais vai ser ótimo. Pois NÃO! Pense a American Airlines, que pode botar seus preços lá embaixo para competir desigualmente com a TAM. Depois que ela acabar com a TAM ela põe os preços lá em cima e tu Alexandre, certamente vai ter saudades da velha TAM.. Assim como muitos têm saudades da Varig, que o PT não ajudou a salvar. Sendo a Varig uma empresa de bandeira. O que está errado no Brasil é a alta carga tributária que não fomenta a indústria brasileira em vários ramos.

      • alexandre

        cara não sei se a AA iria fazer isso pois ela não poderá trabalhar no prejuízo só pra quebrar outra companhia. Não seria melhor ela comprar a TAM em vez de voar no Prejuízo, acredito que a concorrência é benéfica pra todos, os custos seriam os mesmo para todos pq só a AA iria triunfar, além do Mais a Azul e a avianca são de um grupo estrangeiro e não ocorreu este cenário que você descreveu aí em cima . Elas voam pelo Brasil e geram empregos para Brasileiros. Quanto a Varig , acho q foi problema de má administração …

        té mais

        • Carvalho

          Aí você esquece que se a AA compra a TAM, novamente seria uma empresa a menos (=menor concorrência), ou seja volta-se a estaca zero.
          Quanto a participação de capital estrangeiro na Azul e Avianca (assim como Gol e TAM) esta é limitada a 20% por força de Lei, ou seja, elas não são exatamente de um grupo estrangeiro na sua totalidade.
          Na minha opinião, uma das medidas, pra começo de conversa, seria o governo autorizar o aumento da participação de capital estrangeiro (hoje limitada aos 20%).
          E não abrir as pernas para as empresas estrangeiras operarem aqui (cabotagem), a solução não passa por aí…
          Claro que isso seria somente uma das medidas a serem adotadas, pois ainda há o gargalo da infraestrutura, o peso da alta incidência tributária, etc.

          • alexandre

            Isso que eu tava querendo dizer, obrigado pela correção. Se a AA resolve comprar a TAM ou criar uma BA (Brasil airlines) tanto faz . o importante é que ela atue no mercado. E para comprar a TAM acho que teria que passar pela aprovação do Cade , imagine você explicando para um estrangeiro as regras antimonopólio, eles iriam preferir começar uma empresa do zero( se é pra trabalhar com cenários vamos pensar num mais real possível) ao invés de comprar a TAM. Ao mesmo tempo como eles poderiam comprar se está limitado à 20% de capital estrangeiro?

          • Concordo com você, faz muito mais sentido deixar os gringos investirem nas cias nacionais.

        • A Azul, foi fundada por um Brasileiro!!!! E ainda é Brasileira mesmo com investimentos estrangeiros!!!! O Capital maior ainda é Brasileiro e seu presidente é nascido no Brasil com dupla cidadania, pois, seus pais são Americanos!

          Até!

    • Dá pra ter preço melhor otimizando custos. Fechar as cias aéreas nacionais só causaria desemprego e remessa de divisas pro exterior…nada contra a vinda das cias estrangeiras, a concorrencia é saudável sim, mas não dá pra dizer que as nacionais praticam preço alto pq acham maneiro, os custos são elevados mesmo.

  • Julio

    Perfeito! Temos q expressar nossa opinião! O PT esta destruindo este pais! Fora PT!!

    • Que venha quem então Julio??
      PSDB??
      Não é por nada não, mas nos oito anos de FHC acho que peguei avião, pra turismo umas duas vezes, já nos anos de PT, não consigo contar nos dedos.
      Mudar do ruim pro pior, prefiro que fique no ruim mesmo!

      • Mariana Sampaio

        Por isso que nada muda…
        Porque as pessoas tem este pensamento que prefere ficar com o "menos pior" sendo
        que isto não existe!
        Outra, não existe apenas PT e PSDB disputando as eleições, o povo é que só enxerga isto e
        acredita que se não é um tem que ser o outro…

      • Marcelo

        O pior cego é aquele que não quer ler, quando que foi que o regime de liberdade tarifárias comecaram a vigorar? acho que foi em 2001, mas já que você quer envolver politica.. isso foi na época do FHC… e agora?

      • Nem o ruim nem o pior, na minha opnião se fossemos inteligentes colocaríamos alguém diferente no governo!!! Fora as "mesmices"!!! Não que eu confie em alguém diferente… mas pra que ficar com o q já conhecemos????

        PT e PSDB tem grandes feitos sim, concordo, mas não o SUFICIENTE para deixar a 7ª economia do mundo sair da miséria, com pessoas a beira do córrego e etc….

        Portanto … que coloquemoessoas diferentes lá!!! !!!!

        • Sandro

          Excelente. Mas, alem disso, precisamos ter o cuidado para que sejam eleitos (ou seja, votemos) tambem outras pessoas desse mesmo partido alternative, para que eles possam ter voz no congresso. Caso contrario, suas boas propostas e ideias serao barradas por "instinto" politico.

    • Cristiano

      Se tivesse partido honesto nesse país eu seria o primeiro a defender… trocar o PT não melhora em nada enquanto não houver uma reforma política, mais provável piorar.

  • Jean

    Post muito bom! Parabéns Leonardo.

    • Adriano

      Exatamente o meu pensamento quando terminei a leitura!
      Excelente post, bastante focado.

  • dione

    parabéns MD, temos que informar para os que não sabem a realidade de nosso pais.

  • Ótimo texto! Dá até um aperto no peito pensar no que isso está virando 🙁

  • alexandre

    Cara tem um erro gravíssimo no seu texto, quando você diz multinacionais do setor automotivo está errado, elas são industrias nacionais, pois pagam impostos e até exportam . Eu sou contra o incentivo das automobilísticas que o governo tá dando, já não bastam os 50/60 anos que elas estão no Brasil? precisarão de mais quantos anos? vc quer mais uma industria(setor) subsidiado pelo governo? quem vai acabar pagando o pato é o brasileiro que terá preços mais caros assim como são os carros produzidos no Brasil . Temos os carros mais caros do mundo tudo para proteger empregos no Brasil. As chinesas tiveram que instalar fábricas no Brasil , já que o governo Brasileiro barrou os carros chineses agora temos que comprar os feitos no Brasil que serão mais caros. Se o governo subsidiar ou ajudar essas empresas aéreas brasileiras quem paga o pato serão todos os brasileiros até os que não voam de avião. Elas que se adaptem aos novos tempos .

    • Alexandre sou contra o governo subsidiar as empresas aéreas! Mas também sou contra o governo estuprar as empresas de qualquer setor. Que tal fixar os impostos em um valor mais coerente? Que tal inverter a lógica atual e cobrar mais impostos de voos para o exterior e menos para voos domésticos? Que tal o combustível da Petrobrás no Brasil custar o mesmo que na Argentina? Há inúmeras saídas sem subsidiar nada.

      • alexandre

        Bem cobrar mais impostos para o exterior acho q já faz? até pq a taxa de embarque para o estrangeiro é mais cara!!! ou quais outros impostos vc se refere.? A petrobrás tá segurando o preço da gasolina não sei em relação ao querosene de avião. Tmb não sei pq lá é mais barato.

        • Taxa de embarque e impostos são coisas totalmente diferentes. Dá uma lida aqui: http://oglobo.globo.com/economia/miriam/posts/2013/09/21/senhores-passageiros-510399.asp “Se dois aviões da mesma companhia abastecerem com o mesmo volume de combustível, um ao lado do outro, e um for para Maceió, e o outro, para Buenos Aires, o que viajar pelo Brasil pagará 35% mais caro. É que recairá PIS/Cofins e ICMS sobre o combustível para o que voar internamente.”

          • alexandre

            O ICMS é estadual … OK? e só dá pra mexer no pis/cofins. Mas pq não se faz então a eliminação para todos e não somente para o setor aéreo? ou este imposto (pis/cofins) é somente para aéreas (que voam pelo Brasil ) ?
            obs: Defendo o fim do imposto para todos os setores (aéreo incluso) e aumento da concorrência em todos os setores (aéreo incluso) , chega de subsídios para setores escolhidos a dedo.

          • alexandre

            Valeu pela indicação sobre os impostos . se tiver outro é só avisar!

          • No Brasil realmente é uma piada o que pagamos de impostos. Falando de Brasil + Argentina + + impostos, vou dar um dica para quem usa Skype com créditos e se livrar de impostos no Brasil. Eu carrego creditos automáticos no Skype de R$ 25 no cartão de crédito. Certo dia (faz uns 3 anos), começaram a cobrar imposto e disponibilizar apenas R$ 22 para uso. Nao tive duvida, mudei meu país de origem para Argentina e nao cobraram mais imposto!!! Brasil no end. do Skype JAMAIS…

          • Já passou da hora de eliminarmos este batalhão de impostos e unificar no IVA (imposto sobre valor agregado), e distribuir este entre União e Estados. Basicamente é assim na Europa.

        • Alexandre, olha no texto, o imposto sobre o combustível de aviação para voos nacionais é mais caro do que o imposto cobrado para voos internacionais.

          Sobre o preço do combustível da aviação, a petrobrás não segura aumento não. Ao contrário da gasolina dos carros, a dos aviões é reajustada todo mês e custo o mesmo preço lá de fora só que aqui tem imposto mais elevados.

          • alexandre

            não eu falei quanto à gasolina , que a petrobras tá segurando, quanto ao querosene eu falei que não sabia.

      • mariostefa

        Mandou bem Leo. concordo contigo.Incentivem o turismo nacional,Chegamos ao absurdo de ser mais barato ir a Bas do que a Fortaleza.

      • Tem dois gargalos gigantes a serem resolvidos no Brasil: reforma tributária e infra-estrutura portuária. Qdo começarmos a trabalhar na solução desses problemas, muita coisa vai melhorar

        • Exatamente Cladio, o problema é que temos muito "políticos profissionais", cujo a última prioridade seja melhorar a vida do povo.
          Reforma tributária e política, são os dois principais temas que deveriam ser priorizados, pena que a eleição do ano que vem vai ser pautada em denúncias de corrupção, vencendo aquele que conseguir "parecer" que é menos corrupto, ao contrário das propostas, que sempre ficam em segundo plano.

        • Para isso acontecer temos q tirar PT e PSDB que são tudo farinha do mesmo saco e colocar alguém diferente e com maior credibilidade!!!! Se deixarmos sempre os mesmos ….FICAREMOS SEMPRE NA MESMA!!!!

      • Jean

        Nãão… mais impostos sobre vôo internacional nãão… Prefiro ir pra Buenos Aires a ir pro Nordeste. kkkk

    • Sao multi nacionais sim. Tanto que pesam na balaça comercial com envio de dolares p o exterior.

    • aleneo2

      Ele nao está errado, elas pagam imposto, elas exportam, mas o lucro nao fica aqui, o lucro que é o principal isso vai tudo embora, o país fica rico com o dinheiro entrando nele, o imposto é apenas um percentual do dinheiro que ja estava dentro da economia que muda pra mao do governo e quanto ao lucro é um valor da economia do brasil que é levado para outro país.

      • alexandre

        Pois é quanto ao lucro eu realmente não sei , mas o cara faz o que quer com o seu dinheiro , vamos ao exemplo da padaria se o cara (dono) quiser enviar todo seu dinheiro para o estrangeiro pode fazer não pode ? Mediante a regras claro. A mesma coisa das aéreas, se elas pagam impostos e tudo mais o lucro e delas se elas quiserem reinvestir no brasil ou levar pra fora o problema é delas . Mediante a regras de envio de divisas.

  • alexandre

    Complementando . O que eu havia dito que tal abrir o mercado brasileiro em vez de fechar? Já pensou em grandes do setor aéreo no Brasil? tipo a Air France, Delta, Luftansa, Qatar?

    • Eu sou a favor da concorrência, inclusive cansei de tomar porrada aqui por defender a Webjet, mas é bom saber que a grande maioria dos mercado semelhantes ao Brasil tem apenas uma ou duas grandes empresas aéreas. Aqui temos três.
      Acredito que podemos ter várias outras principalmente na aviação regional. Porém na situação atual serão apenas novas cias dando prejuízo.

      • alexandre

        Eu acho se um determinado setor estiver em crise , vai acontecer justamente o contrário, não haverá mais entrada de novas empresas . Só acho q o governo deveria facilitar com menos impostos (para todos os setores e não apenas para alguns escolhidos a dedo).

  • flavia

    tudo verdade, mas pareceu que você tá tirando totalmente a responsabilidade das próprias companhias aéreas. não tem a ver também com muita administração mal feita? não acho que a responsabilidade é toda do governo de salvar essas companhias.

    • Flavia, certamente as companhias cometem erros, administrar um empresa aérea certamente é algo complicadíssimo e volta e meia erram. Mas curioso é que todas desaprederam como ter lucro ao mesmo tempo. E foi justo quando o dólar subir e quando o preço do petróleo disparou.

  • George Cunha

    Muito bom, e isso não é devido a um ou outro partido, historicamente nossos governantes mantêm nossa industria assim, e vejamos que todos os maiores partidos já passaram pelo poder nos últimos 30 anos! AS boas ideias servem apenas para chegar ao poder, depois todos se tornam iguais, uma lástima!

  • thiago

    Parabéns.
    É a mais pura realidade.

  • TiagoBruzaroschi

    MD

    Concordo com você.
    Aliás, não é só a aviação que fica de lado neste País!

    Mas indo ao foco do assunto, é tradição no Brasil a falta de apoio a aviação, dependendo apenas das estratégias delas para sobreviverem. Quantas empresas aéreas já se foram? (Vasp, Varig, Transbrasil, BRA entre outras…), e o que aconteceu? Nada!

    Atualmente, a lucratividade mundial da aviação é de apenas 1%. Ou seja, soma todo o investimento em aviação, o que sobre no final do ano é 1% disso tudo. O setor é amplamente complexo, pois, nenhuma companhia consegue manter a taxa de lucratividade alta por muito tempo. Em vários Países do mundo existem companhias indo pro buraco (AA em processo de recuperação, Alitália quase quebrando, KLM ruim entre muitas outras…).

    No Brasil é imposto pra tudo e para todos, então fica difícil ser competitivo.

    Mas porque então investir na industria automobilística?
    Simples!!!
    Mais carros, mais impostos, mais combustível, mais multas, mais emissões de carteiras de habilitação e etc…

    E porque não investir nas empresas aéreas?
    Simples!!!
    Se elas quebrarem, outra assume, e assim a roda gira!

    Não é?

    • Só um detalhe… complementando,

      Realmente há grande crise nas empresas aéreas mundiais… Se as empresas em países de 1° mundo com ótimas políticas tributárias e econômicas estão quebrando, imagina no Brasil que tem uma das piores políticas tributárias, ecômicas, sociais, e por aí vai!!

  • Altair Faria Melo

    Triste ver esse post.
    O grande problema do Brasil, é não investir em meios de transportes alternativos, como os trens, todos os países desenvolvidos utilizam trens, internamente. Aviões em último caso ou para viagem mais longas.
    As empresas aéreas, não só do Brasil, tem o combustível cotado em dólar, isso é Mundial, em momentos de crise o preço sobe, e era para estar mais caro ainda se o Governo não tivesse abrido mão do lucro da PETROBRAS, que foi todo para segurar a alta dos preços.
    O grande problema, é que os brasileiros querem ter um Ferrari e pagar o preço de um ford Ka.
    Isso é consumismo, o Brasil está numa demanda de consumismo absurda nunca vista. E as pessoas não percebem que compram cada vez mais, pagam qualquer preço por um imóvel, por uma roupa ou um jantar.
    A culpa da inflação é do GOVERNO, não é não. É culpa do nosso consumismo desenfreado que temos, países que tem baixa inflação e consomem muito tem uma poupança ENORME, DINHEIRO GUARDADO NO BANCO, ou seja as pessoas compram A VISTA em Dinheiro !!! Aí o banqueiro é culpado que cobra juros altos, ele não pediu pra vc gastar no cartão de crédito e atrasar a fatura !!!

    Fui para o Japão, a 2 meses é lá todos pagam plano de saúde, não tem SUS, é obrigatório.
    Todos pagam o transporte publico, inclusive, idosos, dificientes, crianças e estudantes.
    No Brasil todos pensam em SI, ou na classe que representam,. PRECISAMOS DEIXAR DE SER EGOISTAS E PENSAR COMO UM UNICO POVO.

    • Altair, você está mal informado. O preço do combustível de aviação não tem relação com os preços dos combustíveis dos carros. Aliás eu poderia ter colocado isso no post né. A petrobrás está segurando os preços dos combustíveis dos carros, mas dos aviões é reajustado todo mês. Como você disse, é cotado em dólar, porém com a nossa carta tributária.

    • Ricardo

      Altair, não gostaria de fazer uma publicação com cunho político, mas muito do que o texto diz é consequência do despreparo dos políticos brasileiros. O governo estimula o consumo e não abre concorrência. Com pouca oferta e muita demanda o preço sobe. O governo coloca as empresas na parede com os altos impostos e essas não conseguem investir. A PETROBRÁS segura o preço do combustível automotivo por politicagem, a empresa já perdeu valor de mercado. Esse consumo que você cita também é populismo barato do PT, que quer "retirar" os miseráveis desse nível. Escolhem a dedo os setores que terão benefício, como o de linha branca que teve IPI reduzido, industria automotiva. Pra eles viajar de avião é coisa de burguês elitista. Querem criar um abismo entre trabalhador e "burguesia" pra vender essa facilidade da ilusão dos pobres estarem progredindo. De fato estão, e isso é bom, mas não de maneira sustentável. O Brasil precisa de uma reforma estrutural muito mais ampla, com benefício real à toda população.

      • Sandra

        Ricardo, disse tudo! É pão (geladeira da Brastemp) e circo (Rede Globo). Imóveis financiados por 30 ANOS!!!! Sério, eu sei lá onde eu quero morar daqui 30 anos, gente! Cadê a poupança? Cadê o voluntariado? Cadê cultura? Empreendedorismo? Passada com a vida de gado do povo brasileiro! Sofrem com um sorriso no rosto e o olho colado no Big Brother.

    • Meu caro, voce só pode ser adePTo de algum partido político da situação…..
      Querer pagar o preço justo das coisas nao e consumismo nem ganância, e nao querer ser estuprado por um governo corruPTo, alias, como nunca antes se viu neste pais.
      Um governo que é insaciável e nao mede esforços para esfolar a classe media e alta em nome da distribuicao de renda, pra se tornar um pais rico e sem pobreza #fail
      Ir ao chile e comprar um tênis da olimpikus (que é produzido aqui) mais barato que no Brasil nao pode ser encarado como normal.
      Ter a maior carga tributaria do planeta, a maior rx de juros do planeta, o bigmac mais caro do planeta, o iPhone mais caro do planeta, os carros mais caros do planeta.. Desculpa, nao vou elencar tudo que aqui e mais caro pq nao teria conhecimento nem espaço suficiente para fazê-lo.
      E em troca disso o que temos? Nada (de bom) em troca! Nosso sistema de saúde e pífio, nossa infra-instrutura é ridícula. Voce sabia que nossa internet consegue ser mais cara que na Etiópia? E o governo permite que as empresas entreguem somente 10% da velocidade que voce contratou.
      Então nao consigo entender como apoiar uma corja de safados e colocar a culpa no povo. Inclusive foram esses gafanhotos que estimularam o consumo desenfreado para financiar a expansão do pib (ou foi o fhc que criou minha casa minha vida, minha casa melhor, linhas de créditos infindáveis?!?).
      Parabéns MD mostrando q ao contrario do palhaço tiririca, pior que está dá pra ficar. Infelizmente. Que o povo acorde e nao deixe por mais 4 anos esses salteadores no poder!!'
      E que venha a reforma tributaria!

  • Maíra

    Gostei! E gostaria muito que fosse um assunto que rendesse mais posts na seguencia para que o assunto não se perca. Mas uma dúvida, não sei se entendi direito mas, então quando uma avião abastece aqui em GRU e vai, sei lá, pra Madri, ele paga os impostos referentes ao preço de Madri? E se ele vem de Madri pro BR ele paga o preço daqui? É isso? Por isso que ir pro nordeste se gasta bem mais do que atravessar o oceano sendo que se gasta bem menos combustível?!

    • Não é isso Maíra.

      Se um avião abastece em São Paulo e for voar dentro do Brasil ele pagará um imposto. Se esse mesmo avião abastece mas vai para o exterior ele pagará menos imposto.

      • Flavio

        Se a cia aérea abastece em território brasileiro com destino ao Exterior a venda do combustível é equiparada a uma exportação. Isso siginifica que não paga ICMS. E o ICMS é o maior dos impostos que incide no combustível, no RJ, por exemplo é de 30% calculado "por dentro". Esse cálculo "por dentro" transforma 30% em 42%.

        • Maíra

          Entendi! Obrigada gente
          !

  • marcos morcerf

    post SIMPLORIO, a ARGENTINA subsidia fortemente a gasolina, , por isto ´sai mais barata que no Brasil, e assim por diante. A questão deveria estar colocada assim: o poder aquisitivo DOS BRASILEIROS TEM AUMENTADO porque se tem garantido que não se quebre o MERCADO INTERNO e o ESTADO e a PETROBRAS , isto sim, interesse de grupos estrangeiros. DE que vale todas as companhias com preço mais baixo, se os empregos vão embora e o poder aquisitivo da população abaixa atraves do arrocho salarial de outra politica economica. ESTA É A QUESTÂO. Nunca tantos voaram no Brasil . Isto é DEMOCRACIA.

    • Exatamente por ter aumentado o poder aquisitivo que nunca se voou tanto pro exterior, seja a lazer seja para economizar fazendo enxoval, compras anuais, etc.
      Brasileiro cansou de ser estuprado.
      Governo medíocre, síndrome do Robin Hood. Esfacela a classe A e B pra "distribuir" renda…

      • jorge

        Samir, sou uma pessoa muito pobre (classe E) mas com o sonho de conhecer Buenos Aires. Como faz todo pobre, fui até a rodoviária Novo Rio (RJ) para comprar minha passagem na empresa Crucero del Norte. O custo total da passagem é R$ 900 (ida e volta) e + ou – 80 horas de viagem entre ida e volta. A esses 900 reais tem que somar como mínimo outros 150 reais com lanches e refeições, ou seja que o custo total da viagem ficaria em, no mínimo, R$ 1.050.
        Aí um amigo me disse: por que você não dá uma olhada em alguma cia. aérea?, tal vez esteja barato. Falei para ele: imagina, eu não posso nem pensar em voar !!!!!
        Para encurtar a escrita, finalmente comprei meu bilhete pela Emirates, paguei R$ 940 já com taxas incluídas, ou seja, voarei por uma das melhores empresas do mundo, gastando tão somente 6 horas de viagem e pagando R$110 a menos que se for de ônibus. Neste caso, estou voando não porque tenha aumentado meu poder aquisitivo e sim porque é mais barato mesmo rsrsrsrsrs
        Ainda bem Samir que não fico com peso na consciência por esfacelar às classe A e B, já que neste caso não se aplica o síndrome Robin Hood rsrsrsrsrsrsrsrs

        • Márcio Silva

          Jorge, alguns esclarecimentos: quem esfacela as classes A e B é o governo atual e não os cidadãos. Outra coisa: vc pagou caro em sua passagem aérea do Rio para Buenos Aires. Em vários períodos do ano é possível gastar por ida e volta a metade do que vc gastou. Como vc se declarou como sendo "muito pobre (classe E)", economizar nas passagens aéreas pode ser proveitoso. Abraços.

          • jorge

            Márcio, você esquece que POBRE só pode viajar 1 vez ao ano quando tem ferias e nem data pode escolher. As minhas férias são em dezembro,faça uma pesquisa e vai ver que paguei o justo. Abraços

    • Sandro

      Discordo. O poder aquisitivo dos Brasileiros nao aumentou como alardeado pelo governo. A imensa oferta de credito a juros extorsivos associados com a reclassificacao das faixas de renda (que, convenhamos, e' ridicula) e' que nos transmite essa sensacao.

  • Mesmo subsidiando a indústria automotiva, nossos carros são os mais caros do mundo.
    Mesmo que comece a dar incentivos para as Cias Aéreas, nossas passagens serão as mais caras.

    O problema do País é sério, precisa-se uma reforma fiscal urgente!!!!!

    Estamos perto do colapso total, em poucos anos não teremos como escoar nossas produções por falta infraestrutura do país.

    Aqui politica se faz com politicagem e uma banana para o povo!

  • Rafa_P

    Esses prejuízos que a empresas "dizem ter", são totalmente explicados por quem tem conhecimento em contabilidade/economia. Comece a olhar os balanços, destrinchar tudo e verá que o prejuízo é artificial.

    • Rafa, algumas pessoas concordam com essa sua tese, porém pq as cias cancelaram centenas de voos? Se dá lucro e elas estão mentindo não deveriam devolver aviões e reduzir voos né? Se dá lucro pq cancelar?

    • Esses caras sao geniais, criar 1 bilhao de prejuizo artificialmente, sem a receita pegar, é simplesmente genial!

  • Mateus

    Em primeiro lugar: o governo não “lucra” com impostos. Imposto não é um negócio pra se ter lucro. Segundo: a crise das aéreas é mundial, tem aéreas quebrando por todo canto e quem tá se saindo bem são as companhias do mundo árabe, que tem acesso a combustível e política de investimento a longo prazo, garantida por uma política interna favorável ao lucro milionário de seus governantes. Terceiro: se as aéreas não tivessem força no Brasil, não teríamos um setor ferroviário tão precário. Quem se beneficia com os eternos atrasos no trem-bala Rio-SP? É difícil imaginar as companhias sobrevivendo sem essa ponte aérea. Os mocinhos nessa história não são as companhias aéreas. O setor automobilístico tem mais vantagens do que devia, mas o redirecionamento não devia ser para as aéreas. O que melhoraria o turismo interno de forma sustentável seria o investimento ferroviário interno, não o abono de impostos a um setor de altos gastos e tão insustentável como é a aviação.

    • Sandro

      O transporte rodoviario, que e' o principal modal do pais, e' o responsavel pelo "bloqueio" velado e politico que impede a implementacao de outros modais.

  • Regis

    Uma correção: o custo do combustível para a Petrobras, seja na argentina ou no Brasil, é semelhante. A diferença é a carga tributária, que eleva o preço final no Brasil.

    • Regis, a questão é que você compra gasolina Petrobrás na Argentina mais barato que no Brasil, isso é bizarro.

      • Lucas

        E o pior é que isso é para tudo: Um jogo de panelas Tramontina, fabricado no Rio Grande do Sul, custa mais barato em Buenos Aires que em Porto Alegre.

      • Felipe

        Meu caro, a questão colocada no seu post de que em um voo nacional sao cobrados impostos maiores que em um voo internacional está correta, no entanto, iso acontece em TODO o mundo. O querosene abastecido em aeronave em voo internacional é considerado um produto exportado, da mesma forma como exportamos uma cadeira produzida no brasil, por exemplo. tal fato ocorre EXATAMENTE como nos demais países do universo. O problema do Brasil é, de fato, sua alta carga tributária, mais especificamente o ICMS que onera ridiculamente qualquer bem que compramos ( incluindo aí querosene de aviação). obviamente que a política da Petrobras que indexar os preços de combustíveis aeronáuticos ao dolar tb contribui para o alto custo do combustível. No entanto, não sejamos taaao ingênuos e achemos que as bondosas cias aéreas nacionais não inflam demasiadamente seus preços quando podem ( e sempre podem devido a baixa concorrência)… vide qualquer feriadinho ou os dias de jogos da copa do mundo…. todos tem um pedacinho de culpa.. não é???

      • jorge

        Leonardo, não é bizarro que a Petrobrás venda a gasolina na Argentina mais barato que no Brasil já que o petróleo é tirado dos poços petrolíferos que a empresa têm nesse país y é possível que pague menos impostos que no Brasil e o custo para o refino seja também mais barato.

        • Engraçado né, a Petrobrás produz lá menos de 50mil barris por dia e aqui quase 2 milhões de barris por dia e aqui é mais caro. A gente não consegue ser competitivo em nada né? Impressionante.
          Pra mim continua sendo bizarro que o combustível seja mais barato na Argentina que aqui. A gente enche a boca pra falar que temos a Petrobrás, mas no final das contas a gente paga mais caro pelo combustível do que países que não tem uma gigante do Petróleo.
          A gasolina é a prova que quem ferra o Brasil é o governo.

          • jorge

            Não interessa a quantidade de barris que produz e sim o custo para produzir esse barril. Pra mim não tem nada de bizarro não.

          • Blza, pra você não tem, mas pra mim tem 🙂 quem tá certo? Não sei…
            Mas eu pensei que pelo menos economia de escala valesse pro Brasil.

  • Tulio

    Cara.. esse alexandre é o ser mais ignorante e egoísta que existe.

    Abrir para as Cias Estrangeiras só vai fazer as Nacionais quebrarem.

    E depois nenhum estrangeira vai permanecer porque vai sentir no bolso os altos impostos do Brasil.

    Então antes de ficar falando um bando de bobagem, vai estudar, rapaz, e também pensar um pouco no coletivo.

    O Brasil precisa atuar justamente na última parte que o Leo disse. O Brasil tem estrutura para ter uma fantástica linha férrea seja para cargas ou passageiros. Tem rios e o oceano que habilitaria a ser também grande potência nesse tipo de transporte. Mas há um controle (domínio) absurdo por muitos em relação ao petróleo e o mercado automobilístico.

    E isso não é partido, por mais que eu seja contrário ao que estão no poder hoje. O ser humano que precisa ser melhor. Parar de se embriagar com o poder.

    • alexandre

      Estou pensando pra todos sim, pois meu ponto é maior concorrência == preços melhores , certo? é assim em qualquer lugar . numa padaria por exemplo de bairro, se tiver só uma então ele vai lá e põe os preços nas alturas se tiver mais o preço diminui. Pior que já temos duas companhias onde os sócios são estrangeiros como a aAVianca e a Azul . e Nada aconteceu quanto á liderança das brasileiras. Muito longe disso.

      • Tulio

        Mas isso é beeeeem diferente do que você abrir o mercado para uma empresa estrangeira em aviação. Se assim já estão tendo prejuízo, imagina então com elas aqui. Claro que a concorrência é boa e, somente boa, para o consumidor, mas será predatória para as empresas nacionais.
        A Webjet jogou os preços lá pro chão e veja onde ela está agora.. não existe… o custo é muito alto para fazer essas loucuras.
        O problema não é abrir concorrência e sim mexer na estrutura de impostos e também nos interesses das grandes montadoras e petroleiras.

        • alexandre

          Cara veja bem , pra elas entrarem no Brasil terão que pagar impostos do Brasil e contratar empregados no Brasil como vai ser diferente, elasnão irão viver sobre o regime tributário e trabalhista americano ou alemão ou francês e sim o nosso. Você tá falando o discurso que as aéreas querem ouvir , fora estrangeiros.

          • David Fernando Gomes

            Cara perdido você!!! Empresas estrangeiras podem ter funcionários de outro pais trabalhando aqui (Pilotos, Aeromoças) só os de base (Atendente e talvez manutenção) terão que ser brasileiros… E outra os lucros destas empresas mesmo sendo FILIAIS Brasileiras vão para o exterior para seus acionistas… Estude mais!!!

  • Mauricio

    Um dos motivos de o governo sempre incentivar e puxar a sardinha para o lado das montadoras de automóveis é o fato do sindicalismo que exerce forte pressão no eleitorado de certos partidos que não vem ao caso citar. Se o governo não ajudar as montadoras elas demitem o pessoal sindicalizado gerando descontentamento por parte deles que deixam de apoiar certas "reeleições".

    • alexandre

      BOA!!!

    • Mariana Sampaio

      Exatamente… ¬¬

  • Lucas

    É importante que a discussão não vá para o lado partidário. Desde os anos 90 as Cias aéreas brasileiras vem quebrando, e nesse tempo já trocamos governantes e partidos. De nada adiantou. A quantidade de trabalhadores das fábricas de automóvel e o sonho (bobo, é verdade) do brasileiro de fazer 18 e tirar CNH, começar a trabalhar e comprar carro fomenta muito essa indústria. Os governos tem medo de perder a simpatia dessa parcela da população. Diminuir a carga tributária já seria o maior dos incentivos, menos custos, mais turismo, mais dinheiro circulando. Seria demais.

    • É isso aí Lucas, se for pro lado partidário acaba deixando de ser racional. Temos que discutir a situação atual e possíveis soluções.

    • Sandra

      Lucas, sonho bobo mesmo! Eu sonho em andar num ônibus limpo, pontual e com assentos disponíveis nos horários de pico. Sonho em ver um SUS tão elegante e eficiente quanto uma Rede Sarah. Meus sonhos são AMPLOS e beneficiam TODA a população. Sou obrigada a ter um automóvel para levar meu filho de 3 anos para a escola porque SEQUER existe uma única linha de ônibus que atenda a minha necessidade. Vou ter resolver a questão de uma forma bem cara: mudar de endereço para levá-lo a pé.

  • Marcos Sobral

    Leonardo, você esqueceu de mencionar no seu texto algo muito importante: que as aéreas são protegidas pelo governo SIM. Evidentemente que o querosene é absurdamente caro. Tinha espaço para melhorar isso. O problema é que a grande mídia, vende a ideia que a Petrobrás está perdendo dinheiro. Como? Da seguinte forma (valores aproximados):

    Custo Médio Barril extraído no Brasil: 12 dólares
    A Petrobrás passa este barril para a Refinaria por 95 dólares
    Os jornalistas dizem que ela está perdendo dinheiro pq a cotação internacional está em 110 dólares. Segundo isto, a BR está perdendo 15 dólares/barril!

    Na verdade a BR está ganhando mais de 70 dólares o Barril. Está com um lucro/barril de 700%.

    Quando alguém vai pedir para baixar o preço do querosene, vem aquela conversa que a BR está subsidiando o barril. Subsidiando e ao mesmo tempo recebendo um lucro de 700%!

    Mas as aéreas não são tão cordeirinhas assim! Existem benefícios governamentais a saber:
    – É proibido a QUALQUER empresa estrangeira operar voos regionais.

    – Se uma estrangeira quiser operar voos internacionais no Brasil, só pode fazer para seu país sede. Por exemplo: TAP só voa para Portugal, Air France para França, etc. Aí, se a TAP quiser vender um voo para Paris, não pode fazer direto. Tem que parar (desnecessariamente) em Lisboa para uma conexão. Enquanto a TAM pode voar direto para qualquer lugar do mundo. Não só a TAM, mas qualquer empresa Brasileira.

    – Como as Estrangeiras não podem fazer voos nacionais, elas estabelecem alianças com a Gol, TAM, Azul. Desta forma, as nacionais ganham passageiros sem qualquer esforço, simplesmente transportando passageiros de outras regiões para os HUBs brasileiros.

    Ou seja, as aéreas brasileiras estão em situação ruim, mas não estão tão desamparadas assim.

    Eu realmente duvido que as Aéreas abririam mão destes benefícios (todos eles) em troca de uma redução de 50% no Querosene.

    • Marcos, essa questão das internacionais não fazerem voos domésticos é a mesma lógica usada em vários outros países de grandes dimensões. É uma proteção sim, mas segue a lógica de outros países. Já pensou se tira isso? A Aerolineas ia abastecer um 767 em Buenos Aires e atender todo o Sul e Sudeste do Brasil 🙂

      • Hehe, a principio parece ótimo mesmo Marcos. Mas quando você pensa no longo prazo é péssimo. Isso destruiria as cias nacionais, geraria desemprego e nosso transporte ficaria não mão de outros países.

        Acho mais coerente pensar assim: pq uma cia Argentina consegue voar mais barato aqui? Se a questão é mesmo o preço do combustível então temos é que resolver isso aqui e não fazer de conta que ele não existe.

        Se você observar aconteceu exatamente isso com a industria de calçados, de alguns materiais de construção e várias outras. O custo de produção no Brasil ficou tão elevado que sai mais barato produzir lá fora e importar. O resultado já sabemos, a industria nacional daquele setor quebra.

      • Lucas

        Na verdade não venderia menos, pois no exemplo citado a Aerolíneas teria que comprar mais combustível da própria Petrobrás. A diferença é que quebraria de vez as empresas daqui e aumentaria o lucro das empresas de fora.

        • Marcos Sobral

          Infelizmente não. A Petrobrás não vende combustível mais caro na Argentina pq ela não consegue.

          A mesma regra vale para o Corolla. No Brasil é vendido a 30 mil dólares. Nos EUA custa 15 mil. Por que a Toyota não vende lá nos EUA por 30? Pq não consegue. Porque a concorrência não deixa.

          Se fortalecermos a indústria nacional a Petrobrás vai lucrar mais por barril, já que ela ganha mais vendendo petroleo para o Brasil que para a Argentina. Duvido muito que ela consiga praticar os preços brasileiros fora do Brasil

          Na verdade NENHUMA indústria consegue praticar os preços brasileiros fora do Brasil. Por um simples motivo: eles são muito altos e lá fora existe concorrência.

          Concorrência é uma coisa ótima. Eu sempre digo: monopólios só são bons para monopolistas.

          • Cidadao

            Marcos, leia sobre o que é ICMS. Ele é cobrado sobre o preço do querosene no Brasil e não na Argentina, mesmo que venha da Petrobras. E em nenhum lugar do mundo uma empresa petrolífera vende o petróleo a preço de custo. O petróleo vale o preço que mercado acha que vale.

          • Marcos Sobral

            Amigo, realmente ninguém vende a preço de custo. Mas também poucos (ou somente a Petrobrás) se dão o luxo de obter um lucro de mais de 700% por barril.

            PS 1: muitos destes países na lista abastecem o mercado interno com preços por barril abaixo do mercado internacional. Não é uma prática exclusiva do Brasil. O preço do mercado internacional é um valor para quem não produz comprar e uma referência para quem produz.

            Venezuela: R$ 0,03 por litro

            Arábia Saudita: R$ 0,22

            Kuwait: R$ 0,39

            Egito: R$ 0,55

            Emirados Árabes Unidos: R$ 0,85

            Nigéria: R$ 1,09

            Irã: R$ 1,17

            México: R$ 1,29

            Rússia: R$ 1,56

            Estados Unidos: R$ 1,90

          • Sergio

            Faltou falar o preço da gasolina que a Petrobras vende na refinaria: R$ 1,25.
            O que aumenta o preço na bomba é o ICMS, outros impostos, lucro de distribuidoras e postos.
            Os preços na Venezuela e em países árabes são fortemente subsidiados pelo governo, ou seja, a população paga do mesmo jeito em outros impostos. Isso se chama populismo e gera grandes prejuízos aos países que ao invés de investir em educação, saúde, etc, preferem bancar a gasolina barata.

          • Marcos Sobral

            Bem, você disse: "em nenhum lugar do mundo uma empresa petrolífera vende o petróleo a preço de custo".

            eu dei uma lista de lugares.

            E outra: 1,25 é preço de refinaria no Brasil. Os preços da lista são preços já nos POSTOS. Vá ler mais sobre cadeia produtiva do petróleo para não fazer comentários equivocados.

          • Sergio

            Pelo jeito você quer que a Petrobras vire uma PDVSA e que o Brasili vire a Venezuela. O que eu quero dizer é que a gasolina no Brasil é cara por causa dos impostos já que o preço sai de 1,25 pra 3,00. O culpado do preço caro no posto é o governo e não a empresa que produz. Sugiro ver a leitura do link: http://www.petrobras.com.br/pt/produtos/composica… pra aprender um pouco sobre a composição do preço da gasolina e parar de fazer comentários equivocados.

            Eu também poderia citar uma lista enorme de países com gasolina mais cara do que o Brasil como Japão, Alemanha, Holanda, Belgica, etc. Daí você entre eles ou Venezuela, Arábia Saudita, etc.

          • Falou tudo!!

    • kako_df

      Marcos, é importante considerar que o nosso óleo é mais caro para refinar. Tal qual acontece com o petróleo canadense, que é extraído da lama. Óleo bom para refino é o da Arábia Saudita e região.

      Abs.

  • Shandô

    Sou fã do MD, parabéns pelo post!

  • Altair Faria Melo

    Empresas Áreas BRASILEIRAS: FATO REAL GOL.

    43% do custo é combustíveis (dolarizados)
    2/3 dos custos são dolarizados
    O Faturamento é em Reais.
    COMO FECHA ESSA CONTA?

    Aviação comercial é muito difícil, um estudo da IATA diz que não existe outra indústria no mundo que destruiu tanto o valor para o acionista da aviação civil.
    Isso é fato pois sempre tivemos empresas aéreas, quebrando, nos EUA, JAPÃO, EUROPA (01 mundo).
    O que motiva um empresário brasileiro a ter uma empresa de avião? NADA !!

    Outros dados da aviação Brasileira:
    Duopólio BURRO (TAM E GOL): Existe essa concorrência que as 02 tomaram prejuízos milionários em busca de Market Share.
    A única maneira de reduzir o prejuízo é ajustando a oferta, esquecer o Market Share e focar nas rotas rentáveis.

    Então foi que a GOL e a TAM fizeram, cometeram os mesmos erros que outras empresas to setor de aviação cometeram nos seus países, além disso tiveram que agir para reduzir os seus custos:

    1) O lanchinho acabou. De despesas para empresa começou o Lucro, pois é Vendido.
    2) Economia de combustível com os Widgets.
    3) Redução da tribulação a bordo.
    4) Alteração do programa de milhagens, que para funcionar bem precisa contar as milhas realmente voadas e não de parceiros.

    Isso não faz nem cócegas no rombo que existe dentro das empresas áreas.

    Isso foi algumas coisas que as empresas fizeram, então o problema da aviação civil nacional vai muito além de que imaginamos.

    MINHA OPINIÃO:
    FORTALECER OUTROS MEIO DE TRANSPORTE, parece que no brasil só existe avião pra viajar, ninguém viaja mais de ônibus. Precisamos de Trens, trens-bala para faciliar o deslocamento.
    CONCORRENCIA: Abrir o mercado para outras empresas áreas trabalharem. Vai sobreviver a empresa que tiver a melhor gestão, não a que cobra mais barato, mas a melhor gestão no geral.
    AEROPORTOS: PRIVATIZAR TUDO !! Precisa tirar das mãos do governo todos os aeroportos, fazer plano de ação para que se torner efetivamento modernos e lucrativos para o governo, em impostos e para os concessionários.

    É isso.

    • Cidadao

      Widgets?!

      • Bau

        Deve ser "winglets"

  • Jair Batista

    E isso se repete também no transporte urbano. O governo investe cada vez mais no transporte individual e ignora o coletivo. Qual cidade brasileira que tem metrô descente? Qual cidade está recebendo investimento em metrô condizente com a necessidade? Nenhuma.

    O metrô de Belo Horizonte foi iniciado há mais de 30 anos, e tem míseros 28km, e não recebe nenhum investimento há décadas. O de Salvador está em construção há anos, já consumiu R$ 1bi, e até hoje não transportou 1 passageiro sequer. Mesmo SP que recebe mais investimento em metrô, é muito aquém do necessário. Sem falar em todas as outras capitais e grandes cidades que nem sonham com metrô. Os ônibus são sucatas, desconfortáveis, caros e ineficientes, praticamente uma piada, mas ano após ano continuam na mesma, dando lucro para empresas que financiam campanhas.

    Enquanto isso, o brasileiro entope cada vez mais as ruas com carros, gasta-se muito com manutenção da malha viária e com acidentes causados pelo trânsito.

    Até mesmo no transporte de carga, é quase que totalmente rodoviário, e mesmo assim em estado precário. Não há investimento em ferrovias ou hidrovias, está tudo abandonado, só se pensa em duplicar estradas, refazer asfalto. E assim, vai rios e rios de dinheiro embora e o transporte fica na mesma.

    No Brasil não há planejamento algum, e não parece haver nada sendo feito pra mudar isso, só está piorando.

  • Balta

    Em um artigo relacionado:
    http://www.conjur.com.br/2013-out-15/renuncias-tr

    Sim, 1/5!

  • junior

    Concordo com o Altair acima, mas há picaretagem e muita aqui no Brasil. O consumo grande existe, mas também existe a falta de oferta, o que gera inflação. Não há produtos nos mercados, diversidade. Os imóveis nas cidades são loteados com grande politicagem, prefeitos e vereadores ganhando, fazendo a conta gota os loteamentos para a catefra (aqui todos os partidos são iguais) ganharem mais vendendo pouco. Tentem aprovar loteamentos e bairros novos nas prefeituras. Se molhar a mão de vereador sai até mudança da lei de zoneamento, do contrário….

    Não sou um consumista, mas o que mais me agrada nos EUA e em outros países europeus é a quantidade de oferta para tudo, desde o mercado, onde vc vai morar, de carros, produtos, restaurantes, etc. Isso não tem aqui, porque poucos vendem ganhando muito, e quem tem intenção de entrar no mercado não tem coragem por falta de incentivo, burocracia, e até cultura. Temos que reconhecer, a cultura brasileira, herdada de Portugal, não é de empreendedorismo, de inovação, de gestão. Aqui se quer ganhar muito fazendo pouco, do contrário não vale o investimento. Muitos empresários preferem deixar o dinheiro no banco a ter lucratividade de 10, 12% ao ano, dependendo de gestão. Isso demorará gerações para se mudar.

    Leonardo, se esse é o post que vc se referia semanas atrás, com medo dos "petralhas" censurarem, saiba que não tem nada de inverídico nisso, e muitos "petralhas" rsrsr devem concordar com vc. Nossas leis tributárias estão aí há anos, muito antes dos governos do PT. Essa estrutura política e fiscal não foi inventada pelo governo do PT. Foi Juscelino, o grande (mentira, o maior ladrão de Brasília, que criou as maiores empreiteiras do mundo (OAS, CRA, Camargo Correa)), que trouxe a Ford, a Mercedes (caminhões), que começou a criar essa dependência dos carros. Até o FGTS ele criou para que a Ford pudesse vir para o Brasil. Se tivesse feito trilhos, hoje nosso modal seria muito mais barato, mais ecológico. Mas mudou e resolveu fazer estradas e carros, imitando os EUA. Esqueceu que lá eles inovam, inventam, são culturalmente mais respeitos das leis, e, por óbvio, tem mais dinheiro. Em Miami estão sempre reformando as vias de acesso ao aeroporto, ampliando etc. E sabem que a empresa que está fazendo a nova ponte para Miami Beach. Ela é uma grande empreiteira brasileira. Esse sim são outros que ficaram bilionários com essa política de carros e caminhões. Uma empreiteira aqui no PR roubou tanto do governo na década de 60 e 70 construindo as estradas que até hoje nós circulamos, que o seu dono chegou a ter imóveis rurais maiores que países inteiros na Europa.

    Mas o governo tem culpa, não pelo histórico, mas pelo que deixou de fazer. Poderia ter incentivado o turismo interno como fez para a produção dessas nossas carroças nacionais. Não fez. Poderia aprovar emenda constitucional regulando a questão do ICMS no combustível de avião, em verdade desonerando totalmente já que hoje cada estado cobra o que quer. Não fez. É absurdo estado nordestino cobrando ICMS sobre combustível de avião maior que o estado de SP e do Sul. E depois querem receber turistas. Deveria ter profissionalizado o turismo, com maior rigor e fiscalização em agências que oferecem “tours” locais, hotéis que se dizem cinco estrelas e são meia, exigindo curso de qualificação de quem atua nessa área. Não fez. Hoje tenta aprovar uma nova classificação de hotéis, mas o próprio hotel se declarando o que é e sujeito, eventualmente, a uma fiscalização. Vcs acham que algum fiscal da Embratur vai certificar tais declarações em todos os hotéis do Brasil? Enfim, o mesmo problema que afeta há anos a pasta de turismo. Falta gestão, inovação. Lembro que o presidente da Embratur é um ex-juiz, acomodado lá por interesses políticos. Ele pode conhecer bem de direito, mas de turismo acho que nem pessoas qualificadas para serem assessores ele conhecia. Tudo é picaretagem. A economia só mudou quanto os picaretas saíram do Ministério da Fazenda, do Banco Central, da Receita Federal. A polícia mudou quando lá os profissionais passaram a administrar (e hoje com político piorou denovo). O turismo precisa de profissionais em pontos chaves, desde secretarias estaduais até na esfera federal. Chega, não vou me alongar, mas sem mudanças as coisas podem piorar. Dou o meu exemplo. Depois de duas ou três férias frustradas no NE, passando raiva com amadorismo, picaretagem, tentativa de extorsão (CE melhorzinho, mas AL e BA péssimos), faço das tripas coração e viajo para outros locais no exterior em que o turismo é indústria forte. Não tenho o calor brasileiro, mas as férias até agora em nenhum lugar desses foram frustradas.

    • Gigante e muito bom seu comentário junior!

      • junior

        Desculpe, comecei a escrever e não me dei conta que estava ficando muito grande, desrespeitando regras de etiqueta de postagem. Até parei. Perdão.

    • alexandre

      Júnior , muito bom seu comentário, aqui neste tópico parece que o pessoal não gosta de quem fala mal do Brasil e vc não falou só por falar , falou com conhecimento de causa. Temos que melhorar o nosso atendimento ao turista , antes de pensar somente em proteção da industria do Turismo ( ou aérea) veja que porcaria de serviços vocês nos descreveu (comparado ao exterior) e muitos aqui querem proteção para isso ao invés de incentivar a concorrência e baixar impostos (para todos claro) . Parabéns pela coragem, acho que muitos não vão gostar mais eu gostei.

    • Cidadao

      Bom comentário. A emenda constitucional regulando a questão do ICMS no combustível de avião salvaria o setor mesmo. Os incompetentes governos estaduais não podem cobrar o que quiser, e a aviação é um tema de interesse nacional que não pode ficar a mercê de estados. Temos que baixar o ICMS e isso depende do congresso. Precisamos pressionar as pessoas certas.

  • Valdir

    Concordo com o texto, o governo vive a parte dos custos de uma empresa aérea, assim como vive a parte dos custos que todo cidadão tem, por isso a ele pouco importa, desde que os impostos estejam como ele julga que devem estar, sem ver o lado de ninguém, em geral o tratamento é o mesmo, salvo algumas industrias como bem colocado a automotiva, ou aquelas onde há parentes no comando, ai fica tudo mais facil…

  • Wilton

    Eu acho que esta variação de preços é muito prejudicial para todas as companhias. Se torna uma loucura e no final vira prejuízo.
    Comprar uma passagem gru-mco por R$ 800 é um absurdo. (Eu comprei). Se for comprar agora o mesmo voo está R$ 5800.
    Eu sou do tempo que você comprava uma passagem. Podia trocar o nome e a escolher a data da viagem.
    Todas davam lucro e todo mundo era feliz.

  • Joao Paulo

    Nós merecemos esse governo… Brasileiro tem que se ferrar mesmo…. Tire 5% da população de pessoas honestas, corretas e boas… o Resto é lixo.. Sorry mas é…E sim, se pudesse vazaria disso aqui.. País de vagabundo viver…é uma pena, tinhamos tanto pra ser algo grande e bonito…

  • Daniel Matos

    Ótima comparação de fato. Mas o próprio brasileiro fomenta essa diferença. Mesmo com tantos incentivos, o lucro Brasil faz o automóvel aqui ser o mais caro do mundo, mesmo sendo idêntico a um vendido no México ou no Chile, por exemplo. E ainda assim, tem fila de gente se endividando pra pagar o seu carrinho quando mal tem dinheiro pra colocar o feijão dentro de casa…
    Mas a mentalidade do Governo em relação à aviação civil da nojo mesmo. O Governo do Rio é uma vergonha total. Cheio de eventos internacionais de grande porte acontecendo por aqui e a porcaria do aeroporto está entregue às traças, não tem previsão de expansão de mais terminais (apenas aumentar o pequeno T2), diversos voos internacionais sendo cancelados pelas companhias brasileiras e internacionais, novos voos se concentrando em outras rotas no Brasil, longe do Rio (principalmente SP), péssima acessibilidade para o aeroporto em termos de transportes públicos. Enfim, é uma lista interminável de vergonhas.

  • Dênis Colli

    Parabéns Leo…
    Concordo plenamente em grau e teor!
    É muito triste ver a situação da Aviação Brasileira… Mais triste ainda ver amigos dizerem que preferem ir para Miami à ir para o Nordeste (babacas mesmo) ~~~minha opinião~~~.
    Acho bacana conhecer outros países, só que primeiramente devemos conhecer o nosso país… Já rodei muito pelo Norte/Nordeste… A infra-estrutura infelizmente fica a desejar em alguns lugares, mas esse é o país que elege políticos que não estão preocupados com a população… """TEMOS ESTÁDIOS PARA COPA/OLIMPIADAS, mas NÃO temos ESCOLAS, HOSPITAIS"""
    Espero que a população acorde e comece a reclamar seus direitos… Se bem que entre todos os partidos dificilmente algum se salva…
    Abs

    • junior

      Miami e NE não se comparam, são viagens diferentes. Mas NE e Caribe sim e, lamentavelmente, Policarpo Quaresma perdeu tudo com as formigas, antes fosse para o Caribe. Nossa identidade nacional ainda precisa de muito aprimoramento, e patriotismo com turismo leva a isto que temos hoje, amadorismo – em geral nossas praias não são melhores que as caribenhas, algumas competem mas precisam de investimento. Turismo no Brasil, Norte onde também já fui, é aventura, e não são todas as férias que queremos aventura. Quando estou no exterior recomendo sempre o Rio de Janeiro para quem me pergunta. Sei que não vou errar, porque lá tem estrutura, tem lugar bonito e tem o Brasil. É caro, mas a cidade é muito mais bonita que centenas no mundo (NY, LA, Berlin etc.) que também são caras. Um português recentemente, que veio para Salvador, me disse que o Brasil está f.. se fosse aquilo. Eu disse que lamentavelmente, por mais que Salvador fosse uma cidade turística e espelho, por certo, do nosso país, o Brasil não era aquilo.
      Vc disse certo, os políticos. Há um sem número de políticos, principalmente no NE, que desejam a manutenção do status quo. Imagine as praias de Fortaleza com acesso fácil, infraestrutura, aeroporto bom, zona hoteleira renovada com bandeiras internacionais, staff bem treinado. Com certeza muitos brasileiros iriam para lá e estrangeiros viriam. A simplicidade do pensamento leva à complexidade das ações quando o tema é política.

      • alexandre

        Boa de novo cara. Acho q antes de inflarmos o peito e gritar o NE é melhor que Miami então vamos proteger nossos empregos, devemos saber o pq o Brasileiro vai ao exterior . Pq não escolhe o Brasil? Cada um deveria escolher para onde ir livremente. Então para atrair realmente as pessoas o Brasil precisa melhorar no preço (menos impostos) e mais atrações , infraestrutura.

        • junior

          Exatamente.

  • Rafael Fernandes

    Excelente post!

  • alexandre

    Vou resumir o que eu já falei aqui: Eu sou contra qualquer tipo de subsídio que o governo venha a dar as aéreas, acho ainda que o governo deve incentivar mais ainda a concorrência no setor , para assim termos preços melhores. Quanto a crise das aéreas se deve ao fato da crise no Brasil , as pessoas estão voando menos e os custos subiram, fazer o que é uma fase apenas. O único incentivo que eu sou a favor é a redução de impostos mas para todos os setores e não apenas para um setor. Não sei no setor aéreo mas o custo Brasil não está somente nos impostos, mas também na baixa produtividade do trabalhador Brasileiro e na burocracia. Isses dois quesitos são mais difíceis de superar com a simples eliminação de impostos. É preciso investir mais em educação, mais eficiência no setor público . Não é a toa que privatizaram já três aeroportos , assim a eficiência dos serviços públicos prestados serão maiores.

  • Sergio

    A diferença no tratamento da aviação e industria automobilística está na autonomia política dos estados:

    – O governo federal dá incentivos as montadoras porque eles tem controle sobre o IPI (principal imposto sobre automóveis);

    – O governo federal não dá incentivos à aviação porque não controla o ICMS (imposto estadual que deixa os combustíveis caríssimos);

    Portanto, para que a aviação nacional seja salva é necessário baixar o ICMS e isso depende dos governadores e assembleias legislativas de cada estado. O problema é que a “opinião pública” só pressiona o governo federal (FHC, Lula, Dilma… ) quanto a questão de impostos. Simplesmente estão mirando no culpado errado enquanto os governadores estão rindo à toa.

  • Danilo Fernando

    Excelente Post! Sem tomar partido (literalmente). Os governos investiram muito pouco na questão aeroviária e ferroviária.
    Vou citar alguns exemplos da inefiência do Brasil – sil – sil.

    – Nós somos o ÚNICO país no mundo onde a malha ferroviára encolheu ao invés de crescer! Chego a ter vergonha de ver um país desse tamanho e não ter trens de qualidade. Culpa dos militares? Da saudosa FEPASA? Do descaso de quem? Na sua cidade existe ainda linha de trem?
    – Moro em São Paulo, tenho 35 anos. Mas leio muito sobre o assunto: Todo mundo canta Adoniram Barbosa e o ‘Trem das Onze’. Esse trem não existe mais! O trilho não existe mais! A linha sumiu! Virou tudo avenida. No lugar do Tramway da Canteira, que fazia o trajeto entre ‘Jaçanã’ (citada na música) e Guarulhos, foi feito o metrô que termina na estação Tucuruvi.
    – Pega o Google e meça a distância do metrô Tucuruvi até o aeroporto de Guarulhos. ESSA DISTÂNCIA JÁ ERA FEITA DE TREM! Isso me revolta! Agora querem falar de Expresso CPTM, Linha-13, Trem Bala e o escambau! Já começa por aí! Não preservamos nem melhoramos o que temos, e o governo é inábil e incopetente nisso tudo.

    Se for discorrer sobre aeroportos, é de chorar! Só aqui no estado de São Paulo, a quantidade de aeroportos abandonados, mal geridos e capengas é mostruosa! O que custa liberar o Campo de Marte que têm o mesmo tamanho de pista que Congonhas? O aeroporto de Sorocaba (onde a TAM já voou) tá jogado às traças! Jundiaí sub-utilizado (só particulares). Sabiam que Itanhaém tem um aeroporto de quase 2km? Dá dó desse país! Me revolta!

    Não temos nem condições de receber um A-380, como vamos melhorar aquele que é o 2º país no mundo em quantidade de aeroportos! Pq não incentiva a EMBRAER e libera os aeroportos pequenos? Pq não incentiva a concorrência e migração de empresas de ônibus por ramo aeronáutico?

    Tudo nesse país anda a passos de cágado! Só lamento!

    • junior

      Boa. Não há lógica que sustente o modal rodoviário para distäncias enormes, pequenas, enfim, todas. Só o Brasil traz soja da fronteira do MT com AM para Paranaguá/PR e São Francisco/SC por caminhão. Só o Brasil leva frango de SC para o NE de caminhão. Só o brasileiro viaja de carro nas péssimas estradas federais mineiras, paranaenses (pedagiadas com pista simples). Sequer estrada temos no NE muitas vezes. Quem já foi para Cancun sabe o que é estrutura para turismo. Duplicaram a rodovia só para ligar Cancun a Chichén Itzá. Não há nada entre os dois pontos, mas a estrada dupla os liga. Fora o acesso às outras inúmeras praias, todas fáceis. E o Brasil, com as Cataratas em Foz do Iguaçu, e acesso horrível. Sequer da cidade ao ponto turístico a pista é dupla, 15km. E a atração é muito mais exuberante e emocionante. Precisamos de avião ligando rotas entre regiöes, trens rápidos entre as principais cidades brasileiras no eixo Sul/Sudeste (POA, FLO, CWB, SP, RJ e BH), e ramais secundários com trens mais lentos mais ainda trëns ligando o interior dos estados. A política do automóvel a tudo custo é burra, e o que se arrecada em imposto para produção se perde depois para criação de estradas, no sistema de saúde com as mortes, seguros, avarias, perda de população economicamente ativa em um país que está envelhecendo, pensóes previdenciárias etc.

    • Verdade, Danilo! E pensar que tínhamos trens ligando São Paulo ao Rio de Janeiro. A linha férrea foi simplesmente abandonada. Depois de Mogi das Cruzes, o máximo que há são trenzinhos turísticos em Campos do Jordão. Eu acredito que o problema das ferrovias é ainda mais grave que dos aeroportos. Na Europa, trens e aviões são concorrentes e quem ganha é o passageiro. E aqui?

    • jorge

      Danilo, só pode ser piada quando você diz que o governo deveria incentivar a concorrência e migração de empresas de ônibus para o setor aeronáutico. Cual o empresário desse setor que vai querer se aventurar, se hoje ele tem sua rota protegida, cativa há mais de 26 anos, não deixando, por causa de licitação, entrar nenhum concorrente. De onde eu moro, se quero ir para o Rio de Janeiro só viajando de UTIL, e se quero ir para São Paulo só de COMETA, para B. Horizonte só de ATUAL, não tenho o poder de escolher, custa mais barato ir de Rio de Janeiro a B. Horizonte que de Rio de Janeiro até onde moro. Ademais, muitas veces as passagens aéreas estão mais em conta que as de ônibus nessa rota. Sem contar quanto custa um avião e quanto custa um ônibus. Acho isso inviável.

      • Danilo Fernando

        Não é piada, provavelmente você não está informado! Não sei se vc sabe, mas o Sr. Constantino (ex-dono e fundador da Gol) é dono de empresas de ônibus.

        Como foi dito, os preços de ônibus são quase tabelados, rotas protegidas e cativas! Quem disse que precisam abandonar isso? Que continuem do jeito que estão (já que ninguém reclama disso mesmo).
        E outra, minha colocação foi em caráter de hipótese!

        Rotas Pequenas poderiam ser melhor atendidas por empresas menores. Os caras tem 'knowhow' em transporte e logística, porquê não aproveitar isso e ressucitar aeroportos largados? Quem tem que tomar a iniciativa é o governo, tornar isso atraente!

        Tem empresa que faz Londrina-Maringá de avião por R$ 50,00 o trecho! Eu escrevi em caráter de incentivo, só aceitaria quem quisesse! Anyway! 🙂

  • Eduardo

    Eu discordo de certa forma do exposto no texto. Percebo que muitas vezes as empresas criam uma falsa situação de alarmismo para pressionar o governo, ganhar subsídios e apenas aumentar seu lucro. No caso da aviação isso seria ainda mais catastrófico, já que as tarifas possuem valores flutuantes e sequer teríamos como saber se alguma delas baixou, ou apenas manteve o preço.

    Paralelo a isso, tenho minhas dúvidas de como funcionam exatamente as companhias aéreas, uma vez que, acredito elas são divididas em diversas empresas. Tomando a Gol por exemplo, sabemos que Smiles é uma empresa diferente, com outro CNPJ inclusive. Assim, não sei se a empresa que faz a manutenção de aeronaves não tem, por exemplo, outro CNPJ, a empresa de cargas (Gollog) não tem outro CNPJ.

    Assim, fico muito na dúvida, se de repente a principal dá prejuízo e as demais todas dão lucro. Essa lambança contábil é relativamente comum em diversos outros setores da economia, apenas não disponho de dados para aprofundar os estudos sobre esta dúvida, mas conhecendo um pouco do mundo corporativo, imagino que este prejuízo seja mais maquiagem do que prejuízo efetivo e, assim, não engordo o coro dos que esbravejam contra os tributos do governo.

    • Eduardo, acho que faz todo o sentido o seu comentário. É muito fácil ter duas ou mais empresa no mesmo grupo e deixar uma com o prejuízo e as demais com lucro. Isso o governo deveria observar para ver se não tem malandragem.
      Porém, como já comentei anteriormente, se elas tivessem dando lucro não teriam devolvido dezenas de aviões e eliminado centenas de voos da malha aérea brasileira. Ninguém deixa de vender algo que dá lucro em troca de nada.

      • moalopes

        Leonardo e Denis, não tem um bloqueio de comentário de chatos ai no site?

        Ainda bem que os últimos comentários melhoraram, mas, no início, estavam difíceis de engolir.

        Um abraço e permito-me citar este post no meu facebook para meus amigos. Ficou excelente.

        • Pois é, o MD se tornou o site de turismo mais acessado do Brasil e com isso tem participações de todos os tipos. Precisa ter paciência e respeito de todos se não a coisa desanda! =D

          • moalopes

            Isso é Democracia. Mas tem de ter uma paciência…

          • Roger Lima

            Uma democracia com um certo grau repressão infundada.
            Digo repressão infundada pois o(a) senhor(a) tenta desqualificar o seu interlocutor, chamando-o de chato, sem argumentar com ele.

    • Daniel T.

      Tem malandragem de todos os lados, de empresarios, do governo e ateh de funcionarios. O brasileiro eh assim. Nao adianta colocar a culpa em pobre ou rico, em negro ou branco, em gay ou cristao, o brasileiro eh assim e ponto. Agora, me desculpe, mas que eh ABSURDO cobrar mais de 35% do faturamento BRUTO em impostos, ah, isso eh!

    • Adriano

      Entendo seu posicionamento e suas indagações, porém não é só isso.
      Onde justifica encontrarmos combustível da Petrobras lá fora em melhor qualidade e valor mais baixo que o daqui?
      Por que o avião que vai para o Nordeste gasta mais grana para abastecer do que o que vai para um país vizinho?
      E muita boca mamando e pouca teta para fornecer leite.

  • Raphael

    Muito bom post!

  • estou estudando contabilidade pelo SENAI OSASCO, e realmente isso é verdade a empresa seja ela qual for maquia ou faz seu prejuizo proposital por desculpa em monte de coisa é facil,agora pare e pensem no caso Varig foi politico e tb uma ajudinha da FRB e fora isso os impostos no Brasil sempre foram os mesmos sejamos realistas a Varig durou mais de 85 anos se bobear quase 88 anos enfim como ela não sucumbiu logo cedo pelo preço que cobrava lembro eu que em 2005 CGH-LDB pela VRG e JJ era de R$300 ida e volta aí em 2009 só tinha JJ e G3 pois bem o mesmo trecho R$150,00 ida e volta mais impostos a mais barata fora de temporada pela JJ R$120,00,me corrijam se estiver errado os valores, hoje menos de 100 reais e temos a azul que fora de temporada faz 75,00 o trecho VCP-LDB, e com tanto imposto que temos imposto para tudo já eram para quebrarem de uma vez e estão até hoje de pé!! lembram o casi webjet recordo que ela viveu mais de 5 ou 6 anos cobrando aquelas tarifas e cresceu até a gol comprar enfim usava uma aeronave que consumia combustivel pra caramba,fora isso hoje negam poem culpa em tudo mas isso é motivo para cortar serviço de bordo,cortar voo,demitir etc.,
    as unicas que poderiam se queixar de prejuizo de fato era a Tam na época da fusão que a salvou de hoje não existir e a Webjet que se a gol não comprasse poderia sim sucumbir fora isso tah tudo maquiado o governo sabe disso o país não está tão ruim assim não mas pode piorar,agora por culpa nisso ou naquilo o governo não ajuda mesmo e sabe quando a empresa tem o famoso caixa 2 portando amigos sejamos mais realistas governo não socorre ninguem ele só quer que vc pague os 30% do IR do teu lucro pra ele e que vc vá se vire simples!!

    • Bau

      Cara… coloca os pontos e as virgulas que facilita entender o que você está escrevendo.

  • Eu não sei na questão de combustível para aviões. Mas se for depender do que a Petrobrás cobra de carro, a coisa só tende a piorar.
    Apesar da gasolina já ser relativamente cara, o preço dela é subsidiado. A Petrobrás vende abaixo do preço que compra, e por isso, não consegue ou tarda em fazer investimentos para aumentar sua produtividade e produção. Lembrando que nós ainda importamos MUITO petróleo fino, mesmo nossa produção de petróleo bruto sendo alta. Por isso, espero que com as refinarias que vão começar a operar nos próximos 2 anos, colabore. E claro, como consumidor, que o dólar volte a abaixar.

    OBS: Comentários partidários aqui são TÃO zZzZzZzZzz

  • Fabiano

    Leo, melhor post ever que já li aqui, muito bem colocado, já tá mesmo na hora do Brasil mudar, meus sinceros parabéns !!!

  • Guilherme

    O Brasil esta mudando desde 2003. E para melhor.
    Esse papinho anti-PT não cola. Desde 2003 rola esse papo furado de que estamos indo para o colapso.
    E geramos emprego e melhoramos a vida de milhoes.
    O resto é complexo de vira-latas.
    Adoro o site, desculpe mas 2014 o Brasil vai dar outra banana para os corruptos demotucanos.
    Simples assim.

    • Gilmar

      Dados manipulados, meu caro. O aparente avanço na verdade está podre por dentro, assim como as XXX do Eike.
      Tenho um conhecido que trabalha no BNDES, que me disse duas coisas:
      1) O que é noticiado é apenas uma pequena parte do que realmente está acontecendo;
      2) O Pt tem que sair do poder o mais rápido possível.
      E depois de 2014, só Deus sabe lá o que vai acontecer nesse país.

      • Kew

        PT é o mau.
        Aproveitem as oportunidades dados pelo site e vejam como é o primeiro mundo.
        Brasil andando na contramão.

      • Adriano

        Sabe aquele papo de "cair atirando"? É isso aí… cagaram na cabeça do povo brasileiro, assinaram como criadores os projetos de governos anteriores, estragaram vários outros e agora dizem que melhoraram a vida de milhões… Hipocrisia pura!
        Estão empurrando a sujeira para baixo do tapete e assim que outro governante assumir, vão culpa-lo. Anota aí.
        A atual situação do nosso país só me traz um sentimento. VERGONHA de ser brasileiro!

  • Francisco

    Muito bom o texto, agora falando mais politicamente sobre o assunto, o que estamos vivendo é sem dúvida um choque de gestão muito grande, que converte para situações como esta do setor aéreo, e sem dúvida em muitos outros setores da economia. Falando sobre governo, no tempo do FHC muitas coisas foram planejadas e colocadas em gestão que começaram a funcionar de fato a partir dos primeiros anos do presidente Lula, que felizmente seguiu este modelo, aplicou estas medidas, e trouxe bons resultados para o país, aliado ao seu jeitão carismático que influenciou muitas coisas a nosso favor. Mesmo com muitas falcatruas por trás. O problema é que hoje a questão é outra, pois o atual governo gasta muito, e gasta muito mal, não consegue colocar nada em pratica, todas as obras seguem atrasadas, tanto que algumas semanas atras a presidente não tinha o que fazer na agenda, faz questão de passar o tempo todo ou brigando ou cobrando dos empresários, e também passa muito tempo brigando com outros países, fazendo cara feia para o mundo. O investimento interno e externo estão miando cada vez mais, e o governo não sabe o que fazer para melhorara esse quadro, mas não vê que brigar com o mundo rico é como dar soco em ponta de faca, resultado, inflação em todos os setores, desemprego, e o PIB como já estamos acostumados, isso reflete em todos os setores inclusive no aéreo, claro fora suas particularidades muito bem citadas até aqui…

  • Daniel T.

    Sao tantos problemas que vao desde ma gestao ateh corrupcao que nao vale a pena falar tudo, soh lamentar.

  • O mestre Raul Seixas já nós disse na música "Aluga-se":

    A solução pro nosso povo eu vou dar
    Negócio bom assim ninguém nunca viu
    Tá tudo pronto aqui é só vir pegar
    A solução é alugar o Brasil!

    Nós não vamos pagar nada
    Nós não vamos pagar nada
    É tudo free,
    Tá na hora agora é free,
    vamo embora
    Dar lugar pros gringo entrar
    Esse imóvel tá pra alugar

    Os estrangeiros, eu sei que eles vão gostar
    Tem o Atlântico, tem vista pro mar
    A Amazônia é o jardim do quintal
    E o dólar deles paga o nosso mingau

    Link: http://www.vagalume.com.br/raul-seixas/aluga-se.h

  • Margareth

    Hoje mesmo estava comentando sobre passagens aéreas. Poucos anos atras as passagens eram caras, não se via promoções, vc podia reservar ou cancelar sem custo ,as vezes dava problema, ok. Seu programa de milhagem era mais honesto. Transbrasil, .Vasp e Varig . Havia refeições a bordo. Hoje entramos na era global, "todos tem acesso", mais que justo, só que falta incentivo do governo no setor. O Brasil que irá sediar uma Copa e uma Olimpíada, na minha opinião não está pronto. Será que não temos culpa também de deixar as coisas irem como estão. Devemos nos unir, revindicar (não quebrar patrimônio publico). Ate que ponto temos voz. O brasileiro não quer esmola, quer uma cidadania digna. Quer impostos corretos, pois se paga alto neste quesito. Quer saúde, educação fator importante. Um povo sem cultura não quer explorar/aprender. O ensino publico está tentando sobreviver. Entra o bolsa família, bolsa gestante, bolsa primeira infancia, ….. que não tem fim, pois estão sempre inventando e nós pagando, e acostumando mal, pois este recurso lá fora é para uma necessidade até quando não se encontra emprego, mas carteira assinada de jeito nenhum . Que população é essa? Quase todos os político estão envolvidos com alguma forma de se dar bem as custa do povo . Quando se vai comprar um carro , a primeira coisa que o vendedor pergunta , em quantas parcelas vai pagar, pois não importa a ele vender a vista, pois perde a comissão da financeira (não sei se é de praxe), mas acontece. Com a quantidade de veículos na rua, essas deveriam ser muito boas e sinalizadas.

  • Um oligopólio, onde 3 empresas tem mais de 80% do mercado, é impossível todas estarem trabalhando em prejuízo, isso não passa de manobra contábil (só lembrar que a gol comprou a webjet por um valor considerável somente para diminuir a concorrência e reservar mercado) e todo mundo sabe disso, não tenham dó dessas empresas, se o governo diminuir a tributação sobre as aéreas, nada será repassado para o consumidor, é claro que uma diminuição nos tributos sobre combustível em geral não só o de aviação seria benéfica a todos, um saco de feijão que você compra no mercado tem o custo do combustível de transporte embutido, o meu deslocamento ao trabalho todos os dias também, o que esse mercado precisa é de mais concorrência.

    • Sergio

      Se você fosse acionista dessas empresas, aceitaria essa “manobra contábil” e não receber seus dividendos por 2 anos?! Essa “manobra contábil” seria investigada pela CVM e poderia render pesadas multas, proibição da venda de ações e até prisão. Não ache que essas empresas são a padaria da esquina

      • Vide Eike Batista

      • Marcia

        A CVM não investiga basicamente porcaria alguma. Segundo, esta manobra que todo mundo da área sabe tem um objetivo muito maior que todos os acionistas e funcionários conhecem: autorização para a Delta comprar toda a Gol, passando do limite percentual legal. Ah, e pagar menos impostos, claro. rss

  • Jamais! Quero ver é esses caras presos.

  • Kew

    Por isso eu continuo no projeto de me estruturar e ser expatriado para um país justo e decente.

  • Luciana

    Por que a maioria dos brasileiros tem mania de idolatrar o que é de fora e querer mais é que a empresa brasileira se ferre? Todos os paises ditos melhores protegem suas empresas com subsidios, leis, impostos diferenciados para estrangeiros e etc, por que o Brasil não pode fazer o mesmo? Abertura total do mercado so favorece a outros paises como é o caso do setor textil que está refem da China (esta que nem empresas aqui não tem) e o setor automobilistico quem tem quase sua totalidade empresas do capital estrangeiro. A questão cai naquela velha historia que todo mundo sabe e ninguem faz, que é votar bem e cobrar com conhecimento (nao adianta cobrar só por cobrar, tem que saber o que está dizendo) açoes do governo para a melhoria do pais.

    A titulo de informação: existem dois tipos de petroleo, o pesado e o leve, o Brasil produz mais do pesado mas toda a sua estrutura de refino é do leve. Por isso mesmo o Brasil produzindo muito petroleo, as vezes ditos auto suficiente ele precisa comprar o petroleo leve pra utilizar em suas refinarias encarecendo o produto final (isso é só uma pequena ponta do iceberg)

  • André

    O que emprega mais pessoas e gera maior valor agregado para a economia: Montadoras de Automóveis ou Empresas de Aviação?

    São indústrias completamente diferentes, onde a Indústria Automotiva sustenta o desenvolvimento econômico do Brasil, por isso, que temos uma série de incentivos.

    Concordo com você quanto ao combustível, porém, com certeza o negócio das Cia. Aéreas tem muito a melhorar.

    • Bau

      Se o critério fosse incentivar apenas o setor que "empresa mais pessoas e gera maior valor agregado para a economia" é melhor ter só uma atividade econômica no Brasil!
      Acho que o incentivo tem que ser distribuído. É injusto, especialmente durante uma crise, privilegiar um setor (que já é muito beneficiado) e deixar os demais padecerem.

  • Sophia

    ótimo post! Tenho uma empresa no ramo calçadista há 25 anos, e pode dizer que esta cada vez mais difícil sustentar o aumento tributário e trabalhista!

    O governo só tem olhos para a indústria automobilística.É UM ABSURDO!

    • Marcia

      Os impostos em inúmeros lugares do mundo são maiores e os bens vendidos no varejo tem preços menores. Faz parte da vida pagar imposto (apesar de quase todo brasileiro sonegar, o que pode acabar provocando um efeito Grécia aqui tb). Exemplo extremo: imposto de transmissão CM no Brasil = 4%. Na França = 50%. Acredite, de transporte a tomate tudo é mais barato na França. Bem, tudo menos hotel. rsss

      Fiz o seguinte teste com o último comerciante que me falou isto que vc acaba de postar. Por sorte, ele mantinha registrado toda a movimentação financeira da empresa que possui por muitos anos. Pedi, já que ele dizia que o governo do PT estava destruindo a empresa dele, que fizesse um gráfico comparativo de lucro, custos, etc, nas últimas duas décadas e verificasse pontualmente o que piorou, melhorou, etc. Qual não foi a TOTAL surpresa dele quando viu que o lucro tinha aumentado exponencialmente! Ele ficou super sem graça. Não só o lucro unitário, mas, principalmente, o número de unidades vendidas na loja mensalmente tb. Aumentou MUITO (e diminuiu os impostos porque ele conseguiu se enquadrar num SIMPLES ou algo do tipo). A maioria das pessoas ADORA reclamar, mas na prática ele estava reclamando da vida com um outro carro zero na garagem e um apartamento recém quitado. Quebrou a cara.

      A indústria calçadista, realmente, é um outro problema porque, como a indústria têxtil, foi afetada pelo crescimento da indústria chinesa, MAS isso ocorreu no planeta todo. Há cidades inteiras nos EUA virando fantasmas por causa disso. Nenhum governo no planeta consegue fazer milagre. Ou você se adapta ao novo mercado mundial, ou muda de ramo. No frigir dos ovos é bem isso. E acontece no mundo inteiro pela história da humanidade. Você conhece taquígrafo ou especialista em código Morse reclamando do mercado? O mundo muda.

  • Josenílson

    "governo fizer alguma coisa, por exemplo, cobrar um preço justo pelo combustível."
    A Petrobras vende o QAV de acordo com o mercado internacional(o que não acontece com a gasolina e diesel, por exemplo), porém os impostos são absurdamente altos no brasil. De tal forma que o governo deve reduzir a carga tributária e não "cobrar um preço justo".

  • Adriano

    Acredito que esses problemas devem receber a atenção devida pelas autoridades, porém, me parece que o governo quer o mesmo fim que receberam a VASP, VARIG, TRANSBRASIL dentre outras……

    Também tenho e faço esses questionamentos constantemente.
    Por que o combustível que sai daqui é mais barato e de melhor qualidade lá fora?
    Uma vergonha!!!!
    E a copa do mundo ta chegando!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Vicente

    Excelente reflexão

  • Henrique

    Infelizmente tudo no Brasil precisa de mais suporte governamental do que nos países de ponta, a razão é o governo. O governo dá incentivo pra indústria automobilística, mas cobra impostos proibitivos também. Como você mesmo disse, o carro aqui é mais caro que no exterior por hobby das montadoras? O país não investe em infraestrutura, mas instala pedágios e cobra imposto das operadoras. Todo mundo só vive pra bancar o governo. Todas as empresas deveriam dar lucro, TODAS, de qualquer indústria. A indústria do transporte aéreo sempre foi protegida do governo, Varig, Vasp, Transbrasil, etc viveram anos e anos sem pagar suas dívidas, depois isso mudou. Concordo que é lastimável eu pegar 30 voos no ano e TODOS estarem lotados e ainda assim as Cias terem prejuízo, mas isso só vai mudar quando nós deixarmos de aceitar os salários públicos pagos pelo DF e pela União (abusivos), quando acabar a aposentadoria integral do funcionalismo, as jornadas de trabalho de 4, 6 horas diárias, e obviamente quando a corrupção diminuir. Precisamos exigir qualidade e eficiência do governo, mas nunca conseguimos isso. A indústria automotiva é mais protegida, pois a economia depende mais dela do que das outras, e a economia é o principal motivo que faz as pessoas votarem em uns e não em outros. Alguns exemplos disso: o brasileiro acha que ele tem que ter dinheiro pra pagar escola particular e não que a escola pública deva ser de qualidade. O brasileiro reclama do preço do pedágio, mas não reclama do valor do IPVA… Não seria lógico que a cada dia de rodízio implementado em SP, o IPVA caísse 1/7 ? Afinal o uso das vias públicas pelo cidadão comum em seu carro foi reduzido em 1/7, alguém reclama disso ? O governo se livra dos seus custos, mas cobra o mesmo preço.

  • Renato

    Engraçado, uma sensação de deja vú, todo dia vemos discussões com o mesmo teor e a mesma análise em todos os setores, portanto foi muito oportuno quando o Leonardo exemplificou o custo (no) Brasil de os carros, os tênis, os cosméticos, roupas, hotel, eletrônicos, comida, combustível, bebidas, materiais de construção, ingresso pra shows… faltou tomate, banana, pastel… etc. e em tudo o que faz encarecer tem o Estado como o maior responsável, Ele é culpado quando não se faz reforma tributária e impõe uma carga recorde e uma complexidade desumana de se entender e cumprir, culpado qdo não asfalta direito, culpado quando nao prove educação e saúde, culpado por usar a Infraero – seria Infla-ero como ralo para financiar o PT, enfim a lista é interminável…. Leonardo e queridos turistas, nao somos únicos 'privilegiados' nesta luta, todos os setores vivem dos mesmos desafios e como o vento nao está soprando tanto para o Brasil como foi na era Lula, toda essa anti-governança que estamos vivendo com os desmandos do PT não tem sustentação a conta virá com juros e correção monetária. Deus abençoe o Brasil.

    Have a safe journey,

    Renato

  • Roberto Jardim

    O estranho é que a Petrobrás quer exatamente que o governo pare de intervir no mercado e deixe-a aumentar o preço da gasolina. Dizem que o preço está defasado. Afinal, quem tem a razão?

    • Sergio

      A reclamação da Petrobras é quanto a gasolina, e não o querosene.

    • Bau

      A gasolina é cara por causa dos impostos! E não por causa do preço praticado pela petrobrás.

  • Roger Lima

    Post patrocinado?

  • Só um comentário que não vi ninguém falando ainda… Já se perguntarão porque não temos incentivos fiscais para importação ou fabricação ou um valor decente para compra de carros elétricos?
    Resposta: Eles não consomem combustível da Petrobras!!! Então não geram lucro para a empresa e não geram impostos (O imposto sobre o combustível no Brasil é de mais de 55% enquanto nos EUA é de 13%) para o nosso Governo Ladrão fazer belos investimentos e levar 40% para o bolso dos políticos (Não Importado o Partido pois todos são corruptos)… Eu trabalho em uma montadora!!! Pensem nisso!!!

  • Guilherme M.

    Concordo em gênero, número e grau. O governo prioriza o setor automobilístico porque 30% da economia do país gira em torno desse setor. Somos refém dessa situação. Por isso dificilmente a matriz de transporte vai mudar. Por isso cidades pequenas da Europa recebem mmais turistas em um ano do que o Brasil em dois.

  • Gabriel

    Depois de ler tudo isto, só vem uma coisa em minha cabeça.
    Alguém por favor aperta o botão RESET do Brasil?

  • Giovanni

    eu adoro uma passagem barata. E vou precisa delas muito a partir do dia 30/10 até pelo menos final de 2014. Mas, convenhamos, não dá pra sustentar uma empresa vendendo passagem a 50 reais com o fez a Gol. Aí quebram e é só jogar a culpa no Lula/Dilma PT governo federal. Também acho um absurdo o caso dos automóveis que custavam 30 mil e com IPI zero agora custam 40 mil. Mas o fato do meu vizinho não lavar o banheiro dele não significa que eu também não vá limpar o meu. A Gol a Tam etc não são públicas. Então, não tem de esperar nada do Governo. É mais ou menos a historia dos prof universitários que fizeram greve. O cara fez inscrição para cargo de prof com salário X carga horária Y e aí faz greve pq quer mudar os dois. Não leu o edital do concurso? Queria ganhar 25 mil? então estude pra ser juiz ou se eleja deputado federal etc.
    Acho que o setor precisa de ajuda. Mas só é dinheiro público quando é bolsa familia, quando é pra salvar empresa quebrada, banco etc aí ninguém lembra que o dinheiro é público. É sim, bolsa familia Constantino, bolsa famiglia Marinho, bolsa família Eike Batista pro Thor continuar atropelando e matando gente na rua e comprando a justiça etc. Simples: auditoria pra saber se é má administração e aí o governo deveria fazer algo como isentar impostos como faz com os carros até que a coisa melhore. Por exemplo.

  • alexandre

    só pra comparar alguns preços no exterior : Brasil: São Paulo – Fortaleza opção mais barata e um mês de antecedência: 700 (sem taxas) ; São Paulo – Lisboa : 2130 (Sem taxas) , opção com 1 mês de antecedência .
    EUA: Nova York – MIAMI : 418 (Sem taxas ) 1 mês de antecedência , e opção mais barata. Nova York-Helsinque: 1750 (sem taxas) opção mais barata com 1 mês de antecedência.
    Brasil x EUA voo regional: +60% de valor (para mesma distância percorrida)
    Brasil x eua voo internacional: +30% de valor (distância até maior propositalmente no caso americano)

  • Vitor J. Nunes

    Leo, gosto muito do MD e de seu trabalho. Tenho, inclusive, muita simpatia por sua postura pessoal frente ao blog, leitores e temas aqui tratados. Mas, numa boa, a despeito de concordar com boa parte do que foi escrito, o texto realmente foi muito simplório (como dito por alquém acima) e até panfletário. Penso que pecou tecnicamente em vários aspectos já descritos em alguns comentários acima. Acho que poderia ter amadurecido mais o texto. Contudo, ainda valeu pela discussão gerada!

    • Vitor, fique a vontade para expor os equívocos do texto aqui, não sou o dono da verdade e nem especialista em aviação. Publiquei sabendo que muitos iriam discordar, é apenas a minha visão diante dos fatos que observo.
      Deixei inclusive de expor pontos importantes por achar que muitos não teriam maturidade para encará-los. Vou te dar um exemplo. A gente reclama muito que no Brasil apenas 3 empresas aéreas dominam o mercado, eu também acho pouco e sempre defendi ter mais cias. Porém se você comparar mercado do tamanho do brasileiro verá que em quase todos só tem uma ou no máximo duas grandes cias aéreas. Isso ninguém fala né? Mas falar isso seria ser vendido né 🙂
      Tem várias outras coisas nessa linha.
      Não acho que o texto é simplório, ele é mais profundo do que quase tudo que se lê sobre aviação por aí. Só que não dá pra aprofundar tanto tb né senão fica um saco e ninguém vai ler 🙂

  • e vcs acham que neste país existe alguma prioridade??????

  • Excelente colocação!!! Parabéns pela reflexão!!!

  • Há alguns equívocos e distorções neste texto. E eles começam pelo argumento assumido.

    Primeiro a questão da elevação dos preços… Qual é o período comparado? Se for em relação aos últimos meses ou a 1 ano atrás, talvez faça algum sentido. Se a comparação é com o tempo de vigência da liberdade tarifária, não faz nenhum sentido. Em relação a 2002, a tarifa média paga no Brasil está 40% mais barata. Isso é um dado oficial, não achismo.

    As agências de turismo, físicas ou virtuais, continuam tendo lucro. Até porque elas ganham comissões por bilhete vendido (com percentuais oscilando entre 2% e 7%, conforme a empresa e o tipo de voo), não são entidades filantrópicas como pretendem parecer. E se as passagens aumentaram nos últimos meses, a comissão delas aumentou proporcionalmente.

    As companhias de fato não vêm tendo lucro financeiro nos últimos dois ou três anos. Mas é preciso lembrar que em alguns casos elas acumularam gordura: a GOL, por exemplo, apesar da sequência de maus resultados trimestrais, no 1º trimestre de 2013 tinha R$ 1,6 bilhão em caixa. Com o IPO do Smiles, a posição de caixa saltou para R$ 2,8 bilhões no 2º trimestre, reconduzindo o caixa da empresa aos seus melhores tempos.

    Outra coisa importante a referendar é que, ao contrário do que as matérias da imprensa genérica sugerem a quem não tem certa noção de contabilidade, a GOL não tem nenhuma dívida vencida (aliás qualquer gestor sabe que manter dívidas tendo dinheiro em caixa seria absolutamente irracional). Quando a imprensa menciona "dívidas da GOL" ela está se referindo a dívidas assumidas em curto, médio ou longo prazos, ou seja, leasings e outros encargos a vencer. Repito, caso algum "jornalista" passe os olhos por aqui: a GOL não tem nenhuma dívida vencida.

    Apesar disso, é plenamente justificável que a GOL tenha demitido as funções redundantes da Webjet, que revise a malha e que promova outras ações para enxugar custos, afinal isso está no DNA da empresa – que não nasceu para morrer de nariz empinado como a Varig. É evidente que diante de qualquer cenário negativo, como o atual, a empresa não vai ficar de braços cruzados esperando a água ultrapassar o pescoço para depois simplesmente acusar o governo de ter sido omisso. E a TAM também está tentando fazer isso, embora seu modelo administrativo e sua atual relação com a LAN demande outras soluções.

    A crise atual na aviação não é uma crise da aviação nacional: inúmeras companhias aéreas pelo mundo estão passando por dificuldades, algumas delas em situação muito mais complexa do que as nossas empresas. O passageiro comum tem uma visão muito limitada do todo para compreender isso, porque infelizmente este é um setor onde as aparências enganam bastante.

    Tem muita companhia aérea famosa em situação delicada. A Air France é uma delas. Mas a Air France é uma legenda, quem vai supor que esteja em um período difícil? Ainda mais agora com o recente anúncio do início das operações do gigante A380 no Brasil…

    Passageiro se fia muito nessas coisas: novos aviões, novos voos, novas frequências, serviço de bordo diferenciado… Só que isso nem sempre reflete a situação financeira e a segurança operacional de uma companhia. Convém lembrar que a Vasp já estava atolada em dívidas, dando calote em credores, e continuava encomendando aviões novos. Aliás a própria Varig já estava virtualmente falida e mesmo assim continuava com sua política de austeridade.

    A JAL recentemente recebeu um socorro providencial do governo japonês. Não fosse isso, estava quebrada. Meses atrás o presidente da Iberia enviou carta aos acionistas dizendo que a situação da empresa era caótica. Sábado passado a Alitalia quase deixou de voar por causa de dívidas. Foi socorrida aos 48 minutos do segundo tempo. A American Airlines recorreu à fusão com a US Airways porque já estava até em concordata (e agora em agosto, para piorar, o órgão regulatório americano ainda se posicionou contra a fusão).

    [continua]

    • Vou tentar responder de forma breve.

      Não falei nada diferente de você sobre o aumento dos preços das passagens. Usei dados da Anac, não foram achismos. As passagens subiram nos útimos 18 meses. Porém dois anos atrás elas estavam baratíssimas como nunca estiveram, cansei de falar sobre isso aqui no site. Aliás, até fizemos posts comparando com as passagens de ônibus.

      Sobre as agências, você pode pesquisar que vai ver que Decolar, Hotel Urbano, Viajanet e tantas outras estão tendo sucessivos prejuízos. Novamente, não é achismo.

      Sobre os mantras da classe média, reclamar da tributação, essa já é velho, o novo mantra pró-governo é falar de “lucro brasil”. De fato existe mesmo, mas já estão usando para justificar tudo.

      Em relação à sonegação, webjet, crise mundial das cias, e aos impostos dos automóveis eu concordo com quase tudo que você disse.

      Sobre o Kakinoff, de fato não acrescenta nada ao texto 🙂

      • Roger Lima

        Caro, Leonardo, poderia citar a referência sobre este parágrafo: "Sobre as agências, você pode pesquisar que vai ver que Decolar, Hotel Urbano, Viajanet e tantas outras estão tendo sucessivos prejuízos. Novamente, não é achismo."?
        Pesquisei e não encontrei que estas empresas tiveram prejuízo ultimamente.

        • Muito se fala no meio, mas as empresas geralmente não gostam de revelar seus prejuízos. Mesmo assim, nos links abaixo você tem a confirmação.

          Aqui o Hotel Urbano afirma que não ganhou dinheiro ainda
          http://epocanegocios.globo.com/Inspiracao/Empresa/noticia/2013/06/ascensao-do-hotel-urbano-no-mercado-de-turismo-online.html

          Aqui o Viajanet afirma que não ganhou dinheiro ainda
          http://blog.panrotas.com.br/semreserva/index.php/2013/01/15/tres-anos-sem-ganhar-dinheiro/

          Aqui você tem uma pouco de informação sobre o assunto
          Você pode ler mais no panrotas http://blog.panrotas.com.br/semreserva/index.php/2013/08/16/consideracoes-pre-fds/

          • O choro das agências é livre, mas são lágrimas de crocodilo.

            Talvez as agências mais novas e os aventureiros não tenham encontrado o caminho do dinheiro por questões de visão sobre o negócio, ou por entrarem em um nicho já explorado sem oferecer nenhum diferencial. Mas entre as agências maiores nenhuma pode reclamar.

            Decolar, Expedia e outras virtuais tinham fechado 2011 com belos lucros e com expectativa de dobrar os montantes em 2012: http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/56917_O+

            Um dos tantos parceiros da Decolar, a rede de Hotéis Othon, corrobora com isso nos comentários de seus diretores em um demonstrativo financeiro de maio de 2012: "Clientes como BOOKING.COM, EXPEDIA.COM, DECOLAR.COM, tem dobrado o volume de vendas a cada ano, consolidando as OTA´s (ONLINE TRAVEL AGENCIES) na distribuição e comercialização da hotelaria" ( http://www.econoinfo.com.br/comunicados/HOTEIS-OT… )

            Se elas tiveram perdas foi agora em 2013. Mas é bem improvável, considerando a mecânica do negócio.

            Aliás há alguns anos atrás eu cheguei a escrever, baseado em um estudo da GOL, sobre o ônus que no fim as agências – físicas ou virtuais – demandam sobre as passagens aéreas, afinal apesar delas anunciarem que não cobram nenhuma taxa a mais, o fato é que as companhias precisam ressarcir os bilhetes vendidos pelas agências sob a forma de comissões.

            Evidentemente essas comissões entram na composição das tarifas. Ou seja: encarecem, sim, o valor dos bilhetes. As agências se apresentam como facilitadores, mas na verdade são atravessadores em um negócio que já não precisa mais de intermediários.

            É por isso que a GOL estimulou desde o início a compra de bilhetes diretamente no site da companhia – seu canal de venda menos oneroso. E é por isso, também, que certa vez a GOL comprou uma briga com as agências de viagem…

            Ocorre que, como em todo megócio, se você é novo no mercado precisa se submeter a quem o comanda. Mas quando adquire status de grande empresa as coisas mudam: você passa a ter poder para negociar. Essas agências, que de santas não têm nada, impõem as comissões mais altas para as companhias menores.

            Quando a GOL atingiu certo patamar, anunciou que deixaria de pagar o percentual que vinha pagando (que agora não lembro com exatidão, mas se não me engano ela pagava 5% de comissão sobre cada bilhete doméstico e pretendia pagar 2% ou 3%, enfim).

            Só que as agências não aceitaram e ainda fizeram uma chantagem: não iriam oferecer as passagens da GOL aos clientes. E de fato levaram isso a cabo por várias semanas: você ia nas agências e eles diziam claramente que não estavam vendendo passagens da GOL.

            Como a GOL não voltou atrás, eles acabaram cedendo e aceitando as condições da companhia. Mas até hoje há pessoas nesse setor de agências de turismo que odeiam a GOL. O que, aliás, é bem fácil de observar.

            Mesmo assim eles continuam ganhando muito dinheiro. Pelo menos as agências graúdas.

            A Azul, por exemplo, não sei se já "conquistou" o direito de barganhar comissões menores junto às agências… Aqui nesta notícia, da época do início das operações da Azul, há um enfoque superficial sobre a questão das comissões: http://intelog.net/site/default.asp?TroncoID=9074

          • Marcelo, não vi em lugar nenhum nos links que você mandou falando que a Decolar ou outra OTA brasileira dá lucro, eles vendem muito, mas e o lucro? As OTAs de outros países é outra conversa. A gente tava falando de Brasil.

          • Embora pelas características do negócio de agenciamento seja relativamente fácil estimar que o lucro é grande, porque os custos gerais são reduzidos em relação a outros tipos de serviço, de fato os links que eu reportei falam apenas sobre faturamento, e não lucro.

            Este outro link também não fala em lucro específico, porém sinaliza que o setor não está tão preocupado assim, pelo contrário: http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/113465_N

          • Roger Lima

            É, neste post da istoedinheiro transparece que a CVC, a empresa mencionada neste post, não está nada mal das pernas.

      • Roger Lima

        teste

        • Roger Lima

          Prezado, Leonardo.
          Você teria a referência do seguinte argumento: "Sobre as agências, você pode pesquisar que vai ver que Decolar, Hotel Urbano, Viajanet e tantas outras estão tendo sucessivos prejuízos. Novamente, não é achismo."?
          Desde já, agradeço.

    • Roger Lima

      "As agências de turismo, físicas ou virtuais, continuam tendo lucro. Até porque elas ganham comissões por bilhete vendido (com percentuais oscilando entre 2% e 7%, conforme a empresa e o tipo de voo), não são entidades filantrópicas como pretendem parecer…"
      Acho que foi essa a mensagem que o blog quis passar para o leitor: pobrezinhas das agências de turismo.

  • Ou seja: a crise é mundial, intimamente ligada à cotação do dólar (por causa dos leasings das aeronaves) e ao preço do barril de petróleo no Golfo do México. A diminuição da tributação sobre o combustível (e principalmente a uniformização das alíquotas de ICMS, que variam de Estado para Estado e exigem uma logística complexa de abastecimento dos aviões) é algo que já foi proposto pelas aéreas nacionais e vai ajudar a reduzir o impacto do combustível. Porém isso por si só não é suficiente para reverter o cenário de crise na aviação comercial. Mesmo que o governo brasileiro diminua a tributação sobre o QAV, as companhias ainda vão ter muitos meses de cenário hostil pela frente. E isso pode até piorar, se os EUA não se ajeitarem logo e a crise deles continuar respingando na economia mundial. Fora que a Europa ainda inspira cuidados.

    A propósito: até mesmo a questão da alta carga tributária é muito discutível, já que países como Inglaterra e Japão têm impostos bem mais pesados para seus cidadãos. Na verdade um dos mantras da classe média é reclamar da tributação, ao passo que a sonegação é um assunto deliberadamente "esquecido".

    Estimativas otimistas, ou seja, por baixo, apontam que 24% da arrecadação no país acaba sonegada. Isso é quase 20% do PIB. Mas um ex-secretário da Receita Federal, Everardo Maciel, é bem mais pragmático… Segundo entrevista que ele deu ao Terra Magazine em agosto de 2012, o Brasil tem aproximadamente R$ 1 trilhão em impostos sonegados por ano. Considerando que em 2012 o total arrecadado em impostos no Brasil foi de R$ 1,6 trilhão, por aí se tem uma ideia mais clara de como certas coisas ganham maior destaque do que outras.

    Quem trabalha ou já trabalhou em fiscalização tributária como eu, sabe que é bem provável que o ex-secretário Everardo não tenha superestimado os números, porque infelizmente a sonegação é uma prática generalizada no país – socialmente aceita até nas "melhores famílias".

    Outra coisa: apesar de ter havido certa redução, o setor automobilístico ainda é um dos mais tributados no Brasil. Em automóveis com motor 1.0, 27,1% do valor final são impostos. Em automóveis com motor 2.0, a fatia de impostos varia entre 29,2% (álcool) e 30,4% (gasolina). Em automóveis com motor acima de 2.0, a tributação varia entre 33,8% (álcool) e 36,4% (gasolina). Ou seja: dá para dizer que 1/3 do valor de um carro no Brasil são impostos.

    Nossos automóveis são os mais caros do mundo, em média o dobro de outros países. O Toyota Corolla mais básico é vendido aqui por aqui R$ 60 mil. O mesmo modelo na Argentina é vendido pelo equivalente a R$ 34 mil. E nos EUA o mesmo carro sai por aproximadamente R$ 24 mil. O mesmo ocorre com outros modelos/marcas de automóveis.

    Mas ao contrário do que muitos pensam, não são apenas os impostos que inflacionam esses preços. A margem de lucro das montadoras no Brasil é bem maior do que elas auferem em outros países. E a demanda dita o ritmo dos preços: quem se permite pagar o dobro por um automóvel fabricado no Brasil é o próprio consumidor.

    Última coisa, para não me alongar mais: Paulo Kakinoff foi contratado pela GOL por seu currículo como gestor, e não porque era presidente de montadora. Não há nenhuma piada nisso, pelo contrário. Acho que foi de uma infelicidade terrível inserí-lo, ainda que indiretamente, no contexto desta argumentação. Era no mínimo desnecessário.

    Há vários outros pontos que merecem constestação nesse texto, mas eu já falei demais como "comentarista". Talvez até perdi meu tempo, de novo.

    • Roger Lima

      Que história é essa? Você tá querendo acabar com o mimimi das "pobres" companhias aéreas e "intermediárias que roubam dinheiro dos mal informados", ops, das agências de viagens? Pode não!

    • Marcia

      Exato. Pago um cinema num iMAx real em NY BEMMM mais barato que cinema de terceira categoria aqui no Brasil não por causa dos impostos, e sim porque a margem de lucro no Brasil é MUITO maior que em qualquer país do mundo. As montadoras de veículos no Brasil aqui fazem seu maior lucro no mundo inteiro. A companhia aerea onde trabalho tem no Brasil seu país mais lucrativo (percentualmente). Não me interessa qual a área de atuação. É tudo a mesma coisa. E a Gol está há muitos meses mentindo seu lucro para conseguir autorização governamental de compra pela Delta, que é companhia estrangeira e já está com a participação societária no limite. Prejuízo é uma ova. É pior que dizer que a Mesbla fechou porque dava prejuízo. Ela fechou porque o multimilionário dono dela quis ficar multibilionário fácil e rapidamente. Aí deu o golpe na praça e saiu do país com muito dinheiro sem pagar qualquer fornecedor (ou empregado). Essa é a história do Brasil (e o filhinho Mansur vira playboy em revista tipo Caras…).

    • Tadeu

      Marcelo, que felicidade poder ler comentários como os seus. Como disse no meu comentário anterior, ainda antes de ter lido o seu, os problemas estruturais do Brasil podem envolver a questão tributária, mas ela é apenas mais uma parcela da equação. Muito menos que os "escorchantes tributos", também carecemos de um fortalecimento econômico cuja atrofia se deve, em muito, ao setor privado, com suas abusivas margens de lucro, com suas cartelizações, com dependência em atacar a mão que o alimenta que, em muitos casos, é o dinheiro público.

  • Leo, mais uma vez, Parabens pelo post. O melhoresdestinos tem contribuído bastante para facilitar a vida do brasileiro médio que quer viajar.
    Infelizmente o governo não entende dessa forma é mais fácil chegar na Europa do que no nordeste
    O debate deve recair sobre a Privatização/concessão de serviços aeroportuários
    O brasileiro precisa entender que isso não significa vender o Brasil, mas simplesmente dar a quem tem a competência e a capacidade de melhor executar o serviço
    Ainda, resta necessário rediscutir a questão fiscal e tributaria no Brasil
    Cansei de pagar tributos e ser mal retribuído…
    Imagino que o mesmo se passa com outros leitores, não é mesmo?
    É necessário rever a questão tributaria da pessoa física e da pessoa jurídica
    Já que o governo não faz bom uso dos tributos, que ele deixe de cobrar de nós, consumidores, pessoas físicas, bem como de nossos fornecedores e prestadores de serviço, as pessoas jurídicas
    No fim todo mundo termina melhor
    Aposto que até o governo, que, com menos dinheiro, vai aprender a priorizar o gasto e torná-lo mais eficiente

  • Fabio

    A coisa não é tão simples assim. nem na comparação com a indústria automobilística, nem na história dos impostos. No Brasil, a cultura é sempre culpar o governo por tudo. A política tributária é nefasta? Sim. Mas, como outros disseram, está aí há "séculos". Não há governo que possa entrar e mudá-la em poucos anos. Isso leva décadas. O problema é que empresário no Brasil não quer arriscar. Quer tudo de mão beijada do governo. Quer estrada pronta pra ganhar com pedágio. Quer redução de impostos e subsídio de combustíveis, mas não quer reduzir o seu lucro (leia-se automotiva, entre outras). A Delta é praticamente dona do Aeroporto de Atlanta. Construiu sozinha o terminal F. Reformou recentemente um terminal inteiro no JFK. O trem interno do Metro Airport de Detroit tá escrito Delta do lado (foi a Delta quem doou). No Brasil vemos alguma cia aérea ajudar na construção e na infraestrutura de aeroportos? Não, só reclamar e cobrar do governo. Vemos alguma grande empresa construir um acesso rodoviário, ponte ou porto? Não, vemos elas cobrando do governo. É a nossa cultura.
    O governo não pode (e não deve) fazer tudo. Aqui no Brasil, capitalista não quer correr os riscos da atividade econômica. E assim não funciona. Sem falar no povo que não ajuda. Mas isso é outra história.

  • marcia

    Na minha opinião é tudo desculpa. Lorota. As montadoras de veículos no Brasil tem aqui seu maior lucro do mundo, vocês sabiam? Entretanto, trabalho na maior ou segunda maior companhia aerea do mundo (dependendo como vc olha) e o Brasil é seu mercado mais lucrativo (em termos percentuais, claro).

    Na França os impostos são MUITO superiores ao do Brasil (imposto de transmissão causa mortis, por exemplo, é de 50%, aqui são 4%) e é tudo mais barato (fora hotel rss). Os comerciantes finais brasileiros que conheço tem como padrão habitual colocar pelo menos 300% de lucro em tudo que vendem. Considerando que a carne é brasileira, por que a Fogo de Chão é mais barata no Brasil que nos EUA? Na minha humilde opinião é porque brasileiro gosta de pagar caro E parcelado. E assim por diante. Não preciso citar mais exemplos. Da mesma forma como ocorreu com a Mesbla, comerciante no Brasil nunca sai perdendo. Todos ficam cada vez mais ricos e, quando cansam, quebram com as empresas e saem do país mais bilionários. Como o Mansur. 😉

  • Guilherme

    Todo mundo viajando. Todo mundo melhorando de vida.
    Culpa do PT.
    Volta nefastos corruptos que governaram para uma minoria até 2002.
    Volta que eu não suporto ver Globo perdendo terreno em publicidade(até 2002 detinha 75% de tudo que se produzia em propaganda no Brasil).Quero aeroportos vazios como na epoca do mensaleiro FHC.

    Ta explicado o ódio ao Dirceu.

  • Ricardo

    Como voar ou fazer turismo pelo Brasil é muito caro, e a infraestrutura de nossas cidades e hotéis são de dar dó, tenho feito o seguinte: procuro passagens para o exterior em promoção e hotéis com atendimento e infraestrutura impecáveis, e pelo mesmo preço ou menos do que eu pagaria no nordeste por exemplo. Assim a cada ano vou conhecendo novos lugares e gastando meu dinheiro suado com quem realmente merece e se importa comigo! Desejo ao Brasil o mesmo que o governo me deseja… que se dane!

  • Ricardo Campos

    Prezado Leonardo Marques, acredito que os fatos valem mais do que as palavras. Comprei um pacote da Azul Viagens por mais ou menos R$500,00, que inclui além das passagens aéreas, hotel, translado e city tour. Dias depois, recebi um e-mail informando que não seria possível a realização do city tour. Pedi então para cancelarem o pacote todo, uma vez que a Azul não conseguiu cumprir a parte dela do acordo. Para minha surpresa, foi informado que eu teria que pagar R$360,00 de taxas, o que representa aproximadamente 70% do valor pago, tendo inclusive que pagar pelo city tour que eles não iriam fazer bem como o cancelamento do city tour. Tentei argumentar com o atendente do call center bem como seu supervisor, porém eles me informaram que esse era um valor justo. Bom, essa deve ser a justiça dos ricos, prefiro porém seguir a justiça de DEUS, a qual está na biblía. De minha parte, nunca porei os pés em um avião da AZUL, nem que eu receba R$10.000,00 por trecho voado.

  • Daniel Alencar

    Acho que governo Ceará leio esse post. O secretário de turismo lançou um projeto de lei para diminuir a alíquota domquerosene de 30% para 4% para companhias que fizerem o destino internacional regularmente. Segue link da notícia: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?cod

    • alexandre

      Já pensou se todos seguissem o exemplo ! Inclusive o governo federal !!! E pra ser mais fantasioso, para todos os setores!!???

  • Tadeu

    Com tantos posts ótimos, fico triste em ver um post completamente desinformativo na Melhores Destinos, apenas repetindo o senso comum sem nenhum embasamento, fazendo um collage grotesco de dados díspares e sem sentido entre si. É fácil sempre culpar a ação do governo e acreditar que o mercado é o reino da virtude e a solução para todos os problemas. Já perceberam que a aviação é deficitária em todo o mundo, que seus custos são altos, dolarizados; e que uma série de fatores geopolíticos impactam no preço da querosene? O imposto desempenha uma fração pequena nessa equação inteira, e que vocês tomam como se fosse o 'x' da questão.