Conheça 99 países que não exigem visto de turistas brasileiros

Thayana Alvarenga 30 · maio · 2016

Viajar sem visto é, sem dúvida, um dos grandes prazeres do mundo dos turistas. A compra de passagens aéreas, reserva de hotéis e outras tarefas que antecedem uma boa viagem podem até ser um pouco estressantes para alguns, mas nem se comparam com a burocracia dos consulados, idas e vindas, envios de documentos e entrevistas. Isso sem falar nas taxas!

Pensando nisso, o Melhores Destinos preparou uma lista com países que podem ser visitados pelos brasileiros sem a necessidade de visto. Confira a relação abaixo e já organize seu próximo passeio, sem se preocupar com um visto no passaporte.

A quantidade de países é extensa e contempla, inclusive, locais pouco conhecidos no mapa. Vai desde as famosas África do Sul, Alemanha, Bélgica, Coréia do Sul e França, até lugares pouco populares, como Botsuana, Chipre, Liechtenstein, Namíbia, Nauru e São Vicente e Granadinas.

Na relação é possível observar os países da América do Sul, que não solicitam o visto para a entrada de brasileiros. Essa facilidade acontece pelo acordo entre países do Mercosul. Nem ao menos passaporte é necessário, sendo assim você ingressa ao país apresentando seu RG válido, atualizado e em boas condições.

Confira a lista completa de países que dá para visitar sem visto:

África do Sul

Alemanha

Albânia

Andorra

Antígua e Barbuda

Argentina

Armênia

Áustria

Bahamas

Barbados

Bélgica

Belize

Bolívia

Bósnia e Herzegovina

Botsuana

Bulgária

Chile

Chipre

Cingapura

Colômbia

Coreia do Sul

Costa Rica

Curaçao

Croácia

Dinamarca

El Salvador

Equador

Eslováquia

Eslovênia

Espanha

Estônia

Fiji

Filipinas

Finlândia

França

Geórgia

Grã-Bretanha

Granada

Grécia

Guatemala

Haiti

Honduras

Hong Kong

Hungria

Irlanda

Islândia

Israel

Itália

Letônia

Liechtenstein

Lituânia

Luxemburgo

Macau

Malásia

Maldivas

Malta

Macedônia

Marrocos

México

Micronésia

Mongólia

Montenegro

Namíbia

Nauru

Nicarágua

Noruega

Nova Zelândia

Países Baixos / Holanda

Palestina (Autoridade)

Panamá

Paraguai

Peru

Polônia

Portugal

República Árabe Saaraui Democrática (RASD)

República do Palau

República Tcheca

Rússia

Samoa Ocidental

Santa Lúcia

São Cristóvão e Nevis

St. Maarten

St. Martin

São Vicente e Granadinas

Sérvia

Seychelles, Ilhas

Suécia

Suíça

Suriname

Tailândia

Tonga

Trinidad e Tobago

Tunísia

Turquia

Tuvalu, Ilhas

Ucrânia

Uruguai

Vaticano

Venezuela

Vale destacar que as relações internacionais são dinâmicas, por isso sempre confirme a necessidade do visto e outras exigências, como seguros e vacinas. Para isso, recomendamos o Portal Consular, de onde retiramos as informações desse post.

Lembrando que essa é a lista oficial do Ministério das Relações Exteriores. Apesar disto, muitos países não exigem necessariamente um visto, mas sim uma taxa que é paga ao chegar no aeroporto (on arrival), como acontece na República Dominicana, Cuba, entre outros.

Publicado por

Thayana Alvarenga

Repórter

  • Manu_Floripa

    eu finalmente fiz esse mês a minha viagem para honk kong com aquela super promoção da American Airlines. Não tinha visto dos EUA, então tive que fazer, só com passagem aérea e custo do visto mais de 1000 reais. Isso porque fiquei na casa de uma amiga em SP. Depois visto da China, 160 pila, mais 40 de correio. Porque essa mesma amiga fez para mim todo o procedimento do visto. Realmente é uma coisa chata que quase desanima a gente de viajar.

    • Sergio Ricardo Cruz

      Manu, HK não precisa visto! Já estive lá 2x e nunca precisei tirar visto pra lá. Inclusive, visitei a China partindo de lá e peguei o visto lá mesmo em HK. É fácil e se pega na hora. Acho que custou USD 20.00 na época (uns 8 anos atrás).

      • Ricardo Padilha

        Creio que ela cita o visto por ter feito voo com AA com cnx nos EUA.

        • Sergio Ricardo Cruz

          Verdade, Ricardo. Relendo o texto é que percebi que o visto era o americano. Não sei porque entendi que ela tinha tirado o visto nos EUA para lá. rsrsrs. Valeu!

  • Aruba precisa de visto?

    • Jonatas Elias

      Acho que o visto é on arrival.

    • Camille Panzera

      Não precisa.

  • Paulo Catena

    Deixa eu fazer uma sugestão para essa reportagem, acho que ficaria um pouco mais fácil a leitura e a dinâmica, se fizesse um mapa mundi onde os países destacados (com cores mais escuras) fossem os paises onde não necessitam visto. (pelo menos facilitaria no planejamento de viagens num âmbito regional). Abraços

    • Jonatas Elias

      Também seria interessante falar sobre os países com visto on arrival, onde teoricamente também não há burocracia, apesar de haver taxas. Sem contar os vistos “on line”.

  • analu

    Curaçao precisa de visto? Não está na lista.

    • Jonatas Elias

      Deve ser on arrival.

    • Camille Panzera

      Não precisa, faz parte do Reino dos Países Baixos.

  • Erica Ambrosio

    Inglaterra por si só não é um país. Em inglês a divisão é chamada de country também, o que causa mais confusão ainda. O país se chama Reino Unido (ou Grá-Bretanha, depende do contexto), e é composto pelas regiões autônomas Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. No post está Grã-Bretanha. Então numa viagem entre a Escócia e a Inglaterra, não tem imigração, porque é o mesmo país.

    Para continuar na minha chatice, Grã-Bretanha ao pé da letra é a ilha onde Inglaterra, Escócia e País de Gales ficam. Mas até mesmo a representação diplomática no Brasil usa os termos Grã-Bretanha e Reino Unido intercambiavelmente em algumas situações.

    Realmente lá não tem visto, mas eu preferia que tivesse. Por não ter, tem que levar mil documentos para a imigração, e eles me pediram quase tudo (ainda bem que levei). Aí fica como a entrevista para o visto dos EUA, só que já no país. Foi a pior imigração da minha vida. Na volta tinha escala nos Estados Unidos, mal olharam na minha cara por conta do visto.

    • Felipe Sant Anna

      Fui bem atendido na imigração de Londres, com muita educação, porém, tive que explicar tudo, onde vai? com quem? quando? Porque? Muito organizado mas extremamente exigente… quem vai perdido ou sem papéis, se complica.

      • Erica Ambrosio

        Eu fui com tudo, tudo, tudo. E fiquei muito feliz, porque o agente realmente analisou os papéis, não sou bateu os olhos. Foi bem educado também, mas eu estava morrendo por dentro. hahaha A minha foi em Edimburgo.

        • Marcelo Regis Bernardo

          Normalmente, qual a lista de documentos que é necessário levar para apresentar aos agentes de imigração no Reino Unido?

          • Erica Ambrosio

            Necessário só o passaporte. O resto depende de como o agente for com a sua cara.

            Levei todas as reservas de hotel, passagem aérea da volta e passagens de trem impressas, ele olhou tudo minuciosamente. Ia ficar na casa de uma amiga inglesa alguns dias em outra cidade e pedi para ela escrever uma carta – ela mandou por e-mail porque não daria tempo de chegar. Imprimi a tal carta, ele estudou minuciosamente também. Pedi uma carta em inglês para o meu chefe falando das minhas férias e de quando eu voltaria. Em certo momento da entrevista ofereci a carta, mas ele falou que não precisava – só de ter a carta eu já estava bem segura, ainda mais que o meu chefe me elogiou para caramba na carta hahaha. Levei dinheiro e cartão VTM, e para o último levei aquele papel da transação falando o valor. E para emergências o cartão de crédito, e levei a fatura para mostrar o limite. Esses documentos financeiros ele não pediu nada, nem lembro se ele perguntou quanto dinheiro eu levei. Me fez um milhão de perguntas, e em algumas eu percebia que ele queria ver se eu ia me contradizer. Como eu não tinha nada para esconder e estava falando a verdade em tudo, não me preocupei. Mas mulher, jovem, viajando sozinha é assim mesmo. Muitas são usadas para tráfico de pessoas e de drogas.

            Só que nos EUA, que já fui várias vezes, eu não levo praticamente nada e nunca fez falta. Só a passagem da volta e o comprovante do VTM (quando viajo com ele). O resto depende do meu humor na preparação para a viagem. A conclusão que eu cheguei é que os americanos vão com a minha cara, os britânicos não.

          • Sergio Ricardo Cruz

            Passei limpo! rsrsrs. Só mostrei o passaporte e a passagem de saída do país (que eles me, pediram, mas mostrei assim mesmo!). Como vinha dos EUA e tinha visto americano, acho que eles pegaram leve.

          • Erica Ambrosio

            Eu também vinha de lá, escala em Chicago na ida e na volta. Se lascar faz parte da viagem. hahaha

          • Jonatas Elias

            Eu senti isso em Singapura, a mulher olhou p o passaporte, olhou p mim, ia fazer um mundarel de perguntas, daí folheu o passaporte, viu o visto americano e liberou. Nem pediu a passagem de volta.

    • Fabio Silva

      Na verdade isso depende do perfil do viajante. Sempre passei em segundos pela imigração e sem apresentar documentos extras além do passaporte brasileiro.

      • Jefferson Paulo

        Também passei pela imigração em Londres sem me pedirem nada, só algumas perguntas.

  • Bruno Caporalini

    Cuba é como se não precisasse… Fui de Copa e “comprei” o visto no portão de embarque no Panamá por 20 dólares.
    Nem de visto é chamado, o nome é cartão do turista.
    E a exigência só deve existir por reciprocidade, já que o Brasil não dispensa cubanos de visto.

    • Felipe Sant Anna

      Cubano vive preso no país, pode liberar a exigência de visto que os coitados continuarão sem nos visitar…

      • Bruno Caporalini

        Na verdade não exatamente. Até ano passado o Equador concedia visto aos cubanos. E os cubanos eram livres para viajar até lá, desde que pudessem pagar pela passagem (o que para um cubano em Cuba é impagável).
        Por certo o Equador sofreu pressão externa e não permite mais a entrada de cubanos. O que estava ocorrendo é que diariamente entre 500 e mil cubanos iam com passagens pagas por parentes no exterior e não voltavam. Muitos deles seguiam do Equador até a travessia nos EUA na mão de coiotes e narcotraficantes.. Outros vinham ao Brasil para se juntar a parentes que não retornaram das “missões”..
        É uma história muito complexa. Com muitos mitos e achismos. Está errado o regime, estão errados os outros países, só não tem culpa o povo, que no fim é que paga a conta, inclusive aquela do nosso preconceito.

  • Legal essa matéria, mas a minha principal dúvida é aquela história de precisar ter o passaporte válido por 6 meses… só estando na validade não basta? Como posso saber isso?

    • Felipe Sant Anna

      Valter, a validade do passaporte, na prática, deve ser contada até 6 meses do vencimento… se passar disso, podem complicar ou impedir sua entrada em outros países… não arrisque.

  • Fabio Silva

    Faltou Mongólia.

  • Fabio Silva

    Faltou Filipinas também, além de Mongólia. A lista está incompleta. Acho melhor que vocês retirem do texto a frase ‘

    • Olá Fabio, essa é a lista oficial do Ministério das Relações Exteriores, mas estamos verificando esses casos – infelizmente não podemos confiar nem nas informações oficiais do nosso governo! =/

  • Fabio Silva

    Como o objetivo é divulgar uma lista de países onde temos entrada facilitada, seria interessante incluir países onde o visto é obtido na entrada, quando se chega no aeroporto. Destinos assim incluem Cambodia, Indonésia, Irã, entre outros.

  • Orem B. Hartuing

    A isenção de visto e porte de passaporte para viajantes brasileiros aos países da América do Sul não é decorrente de acordo no âmbito do Mercosul, que só diz respeito a Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela, mas sim de acordos bilaterais e multilaterais em outras esferas. Recomenda-se, fortemente, que o viajante esteja portando o passaporte caso viaje para qualquer destino que não seja os países citados do Mercosul, pois nem todas as autoridades de fronteira estão acostumadas com a cédula de identidade brasileira e frequentemente surgem muitas dúvidas, pois nosso documento ainda é de papel e o de todos os outros países é de plástico, menos propenso a falsificações, alguns contando acom tarja magnética ou chip, dependendo do país. Via de regra, é obrigação de todo viajante não apenas conhecer as regras do país que se vai, mas também fazer o que estiver ao alcance para evitar aborrecimentos em fronteiras ou aduanas. Obter um passaporte com a PF é muito fácil e barato, principalmente se considerarmos a possibilidade de passar horas retido num posto fronteiriço qualquer pelos Andes.