Aeroporto de Brasília terá novo terminal e maior sala VIP da América Latina

Denis Carvalho 6 · setembro · 2012

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Prosseguindo nossa série de posts sobre as obras previstas nos aeroportos entregues a concessionárias privadas, apresentamos as obras previstas para o aeroporto Juscelino Kubitschek , em Brasília. Até a Copa do Mundo, o plano do consórcio Inframérica, que assumirá a administração do terminal, inclui a construção de um terceiro terminal de passageiros com 15 novas posições de embarque, reforma dos dois atuais e instalação de uma mega área VIP, com investimento de R$ 650 milhões. Até o fim da concessão, as obras devem somar R$ 2,85 bilhões, com aumento de capacidade de 15,4 milhões para 51 milhões de passageiros por ano.

Além destes dados oficiais, informados ao Melhores Destinos pelo consórcio, a Imprensa detalha alguns investimentos previstos em Brasília. Segundo o jornal Valor Econômico, a concessionária prepara um pacote de ações de “curto prazo”, com aporte de pelo menos R$ 10 milhões, como sua primeira intervenção ao assumir as operações.

Perspectiva artística inicial divulgada pelo consório

O plano, conforme o jornal, envolve um conjunto de medidas imediatas, como revitalização dos banheiros, reforma da cobertura para acabar de vez com as goteiras, reparo de todas as escadas rolantes quebradas, implantação de um elevador adicional próximo à área de embarque, troca dos carrinhos de bagagem e uma nova identidade visual (o que abrange mudanças de painéis e letreiros).

Estas ações devem começar ainda neste mês, marcando a chegada do grupo vencedor do leilão de concessão em fevereiro, formado pela brasileira Infravix e pela argentina Corporación América, chegou de vez ao aeroporto.

Nova área VIP

Simultaneamente, devem ser iniciadas as obras de ampliação até dezembro e chegar à Copa do Mundo de 2014 com capacidade para atender a 22 milhões de passageiros por ano. Os investimentos na primeira fase de obras devem alcançar R$ 650 milhões e implantar a “maior sala vip da América Latina” no segundo andar do terminal, com um conceito inédito no Brasil, permitindo o acesso a essa área nobre não só por convite das empresas aéreas – viajando, por exemplo, de classe executiva -, mas também por meio de uma taxa cobrada de qualquer cliente interessado em usufruir do serviço.

A área prevista para os “vips” supera dois mil m², mas o tamanho exato depende de aprovação do projeto pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Privilegiando o uso de vidro para aproveitar a iluminação natural e pé-direito mais alto para permitir uma “convivência harmônica” dentro do terminal, além de ousadia na jardinagem, o projeto básico da expansão do aeroporto está em fase adiantada.

Ele prevê a construção de dois píeres – um em cada ponta do terminal existente -, aumentando de 13 para 28 o número de pontes de acesso aos aviões. Os corredores desses píeres terão mezaninos com lojas e lanchonetes, além de esteiras mecânicas para facilitar o trânsito de passageiros. No embarque, o check-in será compartilhado, sem guichês fixos por empresa.

Na hora do desembarque, a bagagem poderá ser retirada em esteiras “americanas”, que são inclinadas e permitem o recolhimento das malas com mais comodidade. Do lado de fora, o estacionamento mais do que dobrará de tamanho, atingindo 3 mil vagas.

A chegada ao terminal ganhará uma faixa adicional – no piso superior (embarque) e no inferior (desembarque) – para a circulação de veículos e o sobe-e-desce de passageiros. As duas pistas do aeroporto, separadas por uma distância de 1.300 metros, já funcionam de maneira independente. Hoje, no entanto, cada uma só tem uma função durante a maior parte do tempo: pousos ou decolagens. Com a construção de saídas rápidas, o uso será otimizado, com aviões subindo e descendo em ambas as pistas e uma diminuição dos intervalos nas operações.

Até 2016, englobando já a segunda fase de obras, os investimentos chegam a R$ 1,1 bilhão e elevam a capacidade do aeroporto para 24 milhões de passageiros por ano. Hoje, o limite é para 14 milhões de passageiros.

Os contratos de aluguel de áreas comerciais com varejistas no aeroporto serão honrados até o final do período. Depois, a renovação será discutida caso a caso, obedecendo ao novo “mix” de lojas que a Inframérica pretende implantar em Brasília. Para saber o que desejam os passageiros, a concessionária concluiu uma pesquisa com dez mil entrevistas.

Atualmente o Complexo Aeroportuário de Brasília tem uma área total de 9.947.560m² e é formado por 111 lojas e serviços, pátio de aeronaves com 40 posições, 13 fingers e 23 portões de embarque com 6 para desembarque. O movimento do aeroporto em 2011 foi de 15,4 milhões de passageiros.

Com informações do Valor Econômico

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe