Dicas de Pequim: O que fazer na capital da China em 24 horas

Wendell Oliveira 9 · fevereiro · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Visitar Pequim a turismo está cada vez mais acessível, seja pelas promoções de passagens aéreas para a China, ou pelas recentes mudanças do visto chinês, que vêm facilitando o acesso de brasileiros às principais cidades do gigante asiático.

Pensando nisso, preparamos um roteiro prático para conhecer as principais atrações de Pequim em um dia. Embarque nessa viagem e explore o que a fantástica capital da China tem a oferecer!

1. Grande Muralha da China

Uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno e Patrimônio da Humanidade, a Grande Muralha da China dispensa apresentações. É a principal atração do país, e apesar dos seus 21.196 km de extensão, possui partes abertas à visitação bem próximas de Pequim. A seção de Badaling (八达岭) é a mais badalada, de fácil acesso, enquanto Mutianyu (慕田峪) é a mais perto do aeroporto.

Por conta da distância do centro de Pequim (80 km, 1h30 de trem), é recomendável que essa seja a primeira atração do seu roteiro. Visitar a muralha de manhã bem cedo evita aglomerações e ajuda a não ficar tão exposto ao sol, além de poupar tempo para os demais passeios.

Grande Muralha da China

– Horário de funcionamento: De 06:30 às 19:00 (alta temporada) ou 07:30 às 18:00 (baixa temporada).
– Tempo estimado de visita: 2 a 3 horas, exige certo esforço físico!
– Custo: Ingressos a 40 yuan (R$ 20) na alta temporada [abril a outubro] e 35 yuan (R$ 17,50) na baixa temporada [novembro a março].
– Como chegar: De trem, ônibus, tours ou táxi.

>> Saiba como visitar a Muralha da China de trem saindo de Pequim

2. Rua Qianmen & Hutongs

Um das regiões mais famosas de Pequim, a Qianmen (前门) é um calçadão com 840 metros de extensão, reservado para pedestres que podem andar livremente pelas lojinhas e shoppings locais, enquanto se perdem pelos hutongs da vizinhança, becos estreitos onipresentes na capital chinesa, onde a vida acontece.

A área é bem turística e tem bastante coisa para se ver, incluindo as ruas vizinhas de Dashilan (大栅栏) e Liulichang (琉璃厂). Faça uma refeição rápida e fique de olho no relógio para não perder muito tempo e conseguir acompanhar o restante da programação!

– Horário de funcionamento: 24h, mas a maioria das lojas fecha às 22h.
– Tempo estimado de visita: 1 a 2 horas.
– Custo: Acesso gratuito.
– Como chegar: De táxi ou metrô – estação Qianmen (前门站, Linha 2).

3. Praça da Paz Celestial & Cidade Proibida

Cartão-postal de Pequim, a Praça da Paz Celestial (天安门广场) já foi palco de grandes protestos no passado. Atualmente faz jus ao nome e é um lugar bem tranquilo para passear e observar a movimentação diária, com vista privilegiada para a Cidade Proibida, acessível através de um túnel para pedestres bem sinalizado nas proximidades.

Os palácios imperiais da Cidade Proibida (故宫) são belíssimos e dão uma excelente introdução à fascinante história e cultura da China. O lugar é realmente enorme! Para quem tem pouco tempo o ideal é cruzá-lo do Portão Sul ao Portão Norte, em linha reta, com pausas esporádicas para contemplar a arquitetura e registrar o momento.

Entrada para a Cidade Probida, vista da Praça da Paz Celestial

– Horário de funcionamento: De 08:30 às 17:00 (alta temporada) ou 08:30 às 16:30 (baixa temporada).
– Tempo estimado de visita: 2 horas.
– Custo: Ingressos a 60 yuan (R$ 30) na alta temporada [abril a outubro] e 40 yuan (R$ 20,00) na baixa temporada [novembro a março]. O acesso a algumas galerias separadas pode exigir tickets adicionais.
– Como chegar: A pé da rua Qian Men (20 minutos de caminhada); táxi ou metrô – estação Tian’anmen East (天安门东站, Linha 1).

4. Templo do Céu

O Templo do Céu (天壇) faz parte de um grande parque no coração de Pequim, maior até mesmo do que a Cidade Proibida. Originalmente era onde os imperadores realizavam suas preces em prol de boas colheitas e saúde do povo.

Caminhar pelo local é uma oportunidade de ver o dia-a-dia da população chinesa, que também frequenta o parque para fazer exercícios, passear e meditar. Um lugar histórico a ser explorado, repleto de palácios, altares e pontes consideradas sagradas.

– Horário de funcionamento: De 06:00 às 20:00.
– Tempo estimado de visitação: 2 horas.
– Custo: Ingressos a 15 yuan (R$ 7,50) na alta temporada e 10 yuan (R$ 5,00) na baixa.
– Como chegar: De táxi ou metrô – estação Tiantan East Gate (天坛东门站, Linha 5).

5. Feira de Wangfujing

Pequim possui várias feirinhas de comida de rua e um passeio pela cidade não está completo sem passar por uma delas. A mais famosa é a da rua Wangfujing (王府井), com uma infinidade de iguarias, que se não valem a degustação, pelo menos garantem boas fotos!

Entrada da feira de Wangfujing

Não se deixe enganar pelos espetinhos de insetos, escorpiões e outros menus exóticos. Também há diversas opções de lanches “normais”, como rolinhos primavera, arroz frito e noodles. Quer uma sugestão? Hambúrguer chinês (肉夹馍, leia-se “Rou Jia Mo”). Um apetitoso sanduíche de carne picada e temperada em um pão pita, receita de 221 a.C. e considerado “o primeiro hambúrguer do mundo”. Bom apetite!

– Horário de funcionamento: De 10:00 às 22:00.
– Tempo estimado de visitação: 30 minutos a 1 hora.
– Custo: Acesso gratuito, comidinhas a partir de 6 yuan (R$ 3).
– Como chegar: De metrô – estação Wangfujing (王府井站, Linha 1).

Mais dicas de Pequim

– Poupe tempo e troque dinheiro na chegada ao aeroporto. As taxas de câmbio são as mesmas em todos os lugares, por determinação do governo chinês. Lembre-se também de guardar os recibos, pois eles serão necessários na hora de efetuar a conversão para outras moedas.

Encontrar alguém que fale inglês é difícil, mesmo nos hotéis e pontos turísticos. Anote os nomes e endereços em caracteres chineses, que serão bem utéis na hora de pedir informação ou pegar um táxi.

Diversos sites e aplicativos são bloqueados na China: Google (bem como Gmail, Maps, Youtube…), Facebook, WhatsApp e outras ferramentas de comunicação. Não deixe ninguém preocupado com sua ausência, avise antes!

– A capital da China possui um sistema de metrô amplo e abrangente, bem fácil de usar. Apesar dos nomes das estações assustarem à primeira vista, sempre há sinalização em inglês. Obtenha um mapa do metrô de Pequim e familiarize-se com as linhas. O preço dos tickets é bem barato e varia de 2 a 6 yuan (R$ 1 a 3), dependendo da distância.

Veja uma versão ampliada do mapa de Pequim.

– Outra facilidade nos transportes é um trem expresso que parte diretamente do aeroporto de Pequim. O Airport Express (北京机场轨道交通线) custa 25 yuan (R$ 14,50) e liga os Terminais 2 e 3 até a estação de metrô de Dongzhimen (东直门站), em 35 minutos. De lá é possível pegar o metrô para as demais estações. O trem do aeroporto possui um intervalo de até 10 minutos e o horário de funcionamento é de 06h até às 23h10.

– Pequim é famosa pela poluição do ar, que pode inclusive provocar nuvens que dificultam a visão. Antes de viajar, vale conferir se a cidade não está passando por um período crítico. Usar máscaras pode ajudar a prevenir eventuais problemas de saúde.

– Verifique a época de sua viagem e certifique-se de levar roupas adequadas. Pequim possui temperaturas extremas, com temperaturas no verão que chegam facilmente aos 40°C e invernos rigorosos de até -15°C!

Leve lanchinhos na mochila. Passear por um dia inteiro em Pequim pode ser exaustivo. Caso seu tempo seja corrido, será difícil parar para fazer uma refeição.

E o visto para a China?

A princípio, brasileiros precisam de visto para a China, que pode ser obtido diretamente na representação consular mais próxima. Saiba como tirar o visto para a China passo a passo.

No entanto, atualmente a China permite entrada sem visto para brasileiros por até 144 horas (equivalente a 6 dias) em alguns aeroportos, entre eles o de Pequim, o que pode ser uma boa opção para organizar sua viagem.


O itinerário é corrido, mas já dá para ver o essencial de Pequim em um dia, começando bem cedo e terminando ao anoitecer. E você, já visitou Pequim? Deixe suas dicas!

Autor

Wendell Oliveira - Editor
  • Daniel Santos

    Obrigado M.D.
    Não conheço a China, e vocês aguçaram o desejo kkkk.
    Não duvide se, der na “telha” (sic) e pegar uma oferta (também indicada por vocês) e passar umas horinhas em Beijing,

  • Paulo Roberto Busato

    Desculpe, eu já estive em todos estes lugares mencionados (mais de uma vez por sinal) e fazer tudo isso em 24 horas (mesmo considerando que ninguém faz turismo de madrugada), é só pra dizer: estive lá. Alguns desses lugares mencionados merecem e devem ser contemplados com calma e paciência pra poder sentir a beleza e o mistério do lugar.
    Pra fazer em 24 horas, melhor pesquisar na net imagens desses lugares. Tem belissimas por sinal. Não custa nada e não cansa.
    E dá pra ver mais coisas nessas fotos do que daria pra ver nessa maratona descrita.
    Mas é só uma opinião, claro. Tem gosto pra tudo, inclusive pro meu.

    • Felipe Vieira

      Passarei 4 noites em Pequim em maio/18. Da p conhecer esses lugares c calma?

      • Paulo Roberto Busato

        Sim amigo. 4 dias são suficientes pra degustar esses lugares, observando os finos detalhes da cultura chinesa. Cada tijolo tem uma história. Cada coisa tem seu significado. Cada comida tem sua função medicinal, não dá pra conhecer a China comendo McDonalds, rss.

    • Wendell Oliveira

      Depende, Paulo. A maioria dos passeios turísticos que pegam o nascer do sol começam ainda de madrugada – Angkor Wat, Balões na Capadócia ou Taj Mahal, só para citar alguns exemplos.

      No mais, você está certo: o roteiro é realmente corrido, como citamos no texto, mas é uma boa apresentação da cidade para quem possui até 24h de conexão. Quem dispor de mais tempo pode aproveitar os mesmos lugares de forma menos apressada.

      Boas viagens!

    • Wendell Oliveira

      Depende, Paulo. A maioria dos passeios turísticos que pegam o nascer do sol começam ainda de madrugada – Angkor Wat, Balões na Capadócia ou Taj Mahal, só para citar alguns exemplos.

      No mais, você está certo: o roteiro é realmente corrido, como citamos no texto, mas é uma boa apresentação da cidade para quem possui até 24h de conexão. Quem dispor de mais tempo pode aproveitar os mesmos lugares de forma menos apressada.

      Boas viagens!

    • Noeli Eggers Strate

      Concordo! Já estive lá.

    • Noeli Eggers Strate

      Concordo! Já estive lá.

  • Paulo Roberto Busato

    Desculpe, eu já estive em todos estes lugares mencionados (mais de uma vez por sinal) e fazer tudo isso em 24 horas (mesmo considerando que ninguém faz turismo de madrugada), é só pra dizer: estive lá. Alguns desses lugares mencionados merecem e devem ser contemplados com calma e paciência pra poder sentir a beleza e o mistério do lugar.
    Pra fazer em 24 horas, melhor pesquisar na net imagens desses lugares. Tem belissimas por sinal. Não custa nada e não cansa.
    E dá pra ver mais coisas nessas fotos do que daria pra ver nessa maratona descrita.
    Mas é só uma opinião, claro. Tem gosto pra tudo, inclusive pro meu.

  • Paulo Roberto Busato

    Desculpe, eu já estive em todos estes lugares mencionados (mais de uma vez por sinal) e fazer tudo isso em 24 horas (mesmo considerando que ninguém faz turismo de madrugada), é só pra dizer: estive lá. Alguns desses lugares mencionados merecem e devem ser contemplados com calma e paciência pra poder sentir a beleza e o mistério do lugar.
    Pra fazer em 24 horas, melhor pesquisar na net imagens desses lugares. Tem belissimas por sinal. Não custa nada e não cansa.
    E dá pra ver mais coisas nessas fotos do que daria pra ver nessa maratona descrita.
    Mas é só uma opinião, claro. Tem gosto pra tudo, inclusive pro meu.

  • Paulo Roberto Busato

    Desculpe, eu já estive em todos estes lugares mencionados (mais de uma vez por sinal) e fazer tudo isso em 24 horas (mesmo considerando que ninguém faz turismo de madrugada), é só pra dizer: estive lá. Alguns desses lugares mencionados merecem e devem ser contemplados com calma e paciência pra poder sentir a beleza e o mistério do lugar.
    Pra fazer em 24 horas, melhor pesquisar na net imagens desses lugares. Tem belissimas por sinal. Não custa nada e não cansa.
    E dá pra ver mais coisas nessas fotos do que daria pra ver nessa maratona descrita.
    Mas é só uma opinião, claro. Tem gosto pra tudo, inclusive pro meu.