O que fazer em Foz do Iguaçu: 25 dicas para a sua primeira viagem!

Thayana Alvarenga 4 · abril · 2017

O Melhores Destinos já tem um guia de Foz do Iguaçu, com todas as informações que você precisa para planejar a sua viagem para lá, porém muitos leitores nos pedem um resumo com as principais dicas, os melhores passeios e os lugares que valem a pena conhecer. Aqui está o nosso “o que fazer em Foz do Iguaçu” com formato de dicas!

Por sua beleza natural, a cidade de Foz automaticamente atrai pessoas do mundo inteiro. É bastante comum ver turistas estrangeiros por todas as partes. A boa quantidade de voos domésticos para lá também é um incentivo a mais para que a cidade entre na lista de desejos de muitos viajantes brasileiros. Ao todo, atualmente há 44 voos vigentes com destino ao Aeroporto de Foz do Iguaçu.

Aconchegante que é, Foz do Iguaçu tem tudo para cativar seu coração já nos primeiros momentos. Os amantes da natureza precisam dividir sua atenção entre paisagens inesquecíveis, espécies raras de animais e muito verde! Além das belíssimas Cataratas, a cidade oferece, também, atividades radicais, parques, variedade de restaurantes, passeios, hotéis sofisticados e muito mais! Sem contar a possibilidade de fazer comprinhas no Paraguai, que podem valer muito a pena.

Pontos Turísticos de Foz do Iguaçu

1 – Parque Nacional do Iguaçu

O parque faz fronteira com o território argentino e fica localizado ao extremo oeste do Paraná. São aproximadamente 185 mil hectares no lado brasileiro. Mais conhecido por ser a casa das Cataratas na bacia do Rio Iguaçu, é considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco.

O tipo de vegetação predominante é a mata pluvial e a mata de araucária, com a presença de palmeira, imbuía, caviúna, erva-mate, e muito mais. O espaço oferece, também, atrações como trilhas e atividades de eco-aventura como rafting, rapel, escalada em rocha e passeios de barco em meio às quedas.

Cataratas do Iguaçu

Elas são formadas pelo Rio Iguaçu, que percorre 1320 km até sua foz, na cidade de Foz do Iguaçu, fazendo fronteira com a Argentina. Faltando 18 km para se juntar ao Rio Paraná, o Iguaçu vence um desnível que se precipita em aproximadamente 275 quedas de 65 metros de altura em média, uma vazão média de 1500 m³ por segundo, numa largura de 2.780 metros.

Do lado brasileiro há uma trilha que passa por vários mirantes e um elevador panorâmico ligando a base das quedas ao nível superior do rio. Há também passarelas, caminhos que foram construídos para levar o turista a diversos mirantes, assim apreciando tudo de mais perto.

2 – Parque Nacional Iguazú – Argentina

Brasil e Argentina contam com parques incríveis para que turistas do mundo inteiro possam conhecer diversos ângulos das famosas Cataratas. É importante que o viajante visite os dois lados, tanto brasileiro quanto argentino, para não perder nenhum detalhe. Sem contar que cada um tem sua característica.

A visita ao Parque Iguazú soma, no total, cerca de 6 km de caminhada, divididos em três trilhas importantes. É interessante começar pela trilha inferior (1400m), fazer depois a trilha superior (650m) e, por fim, a trilha que leva à Garganta do Diabo (1100m), onde os turistas veem de cima a maior e mais volumosa queda d’água dos parques. Entre os destaque do lado argentino estão as passarelas que ficam acima da mata e das cachoeiras e funcionam até como pontes.

Para chegar não é obrigatório estar de carro. Há ônibus saindo de Foz do Iguaçu até o centro de Porto Iguazú, onde será necessário outra condução até as Cataratas.

3 – Parque das Aves

O parque é super jovem: foi criado em 1994 com a proposta de oferecer condições de preservação ambiental e reprodução de animais. Possui uma área de 17 hectares de mata nativa, onde é possível conhecer os viveiros de aves tropicais raras e coloridas como periquitos, araras, flamingos e tucanos. Conta ainda com borboletário, viveiro de beija-flores e o setor de répteis com cobras e jacarés.

Atualmente o parque tem aproximadamente 1.100 aves de 140 espécies. As aves brasileiras predominam, porém espécies da África, Ásia e Austrália estão representadas. É possível tirar foto com uma arara em seu braço, basta enfrentar a fila que normalmente é grandinha. Mas vale a pena esperar!

4 – Macuco Safari

Dentro do próprio Parque Nacional do Iguaçu, o Macuco Safári recebe visitantes do mundo todo para mostrar a força da natureza por meio da água. Isso acontece em um passeio de barco nas quedas das Cataratas, combinando aventura e emoção. Fique tranquilo, pois a empresa responsável tem todas as certificações de segurança necessárias e sua experiência tem tudo para ser positiva.

O preço é um pouco salgadinho: adultos pagam R$ 215,40 no ingresso, enquanto crianças entre 7 e 11 anos e pessoas com mais de 60 anos pagam meia entrada. Do lado argentino das Cataratas é possível fazer um passeio de aventura bem parecido. O valor é um pouco mais em conta: 800 pesos argentinos, algo em torno de R$160. Lembre-se que o pagamento só é aceito em moeda argentina.

5 – Passeio de helicóptero

Uma alternativa para explorar ainda mais todos os detalhes das Cataratas é observando do alto. Para facilitar, há um passeio de helicóptero que sai do Parque Nacional do Iguaçu. Custa R$ 200, por 10 minutos de passeio. Não é tão barato, porém certamente a satisfação pela paisagem é garantida.

6 – Itaipu Binacional

A Usina Hidrelétrica de Itaipu é a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta. No local, são oferecidas atrações turísticas, recebendo visitantes do mundo inteiro. O empreendimento é binacional e foi desenvolvido por Brasil e Paraguai, com o objetivo de aproveitar o potencial hidráulico das águas do Rio Paraná.

Há uma visita panorâmica muito bacana, que dá uma visão geral de todos os principais pontos da Usina e do reservatório que abastece Itaipu. Tem mirantes, além da gigantesca barragem de aproximadamente 8 km de extensão e 196 metros de altura. Além disso, há o reservatório de 1.350 km². Este passeio é feito em um ônibus de dois andares, acompanhado de guias turísticos.

É possível, também, fazer o passeio de barco chamado de “Porto Kattamaram”, que passa por todo o lago de Itaipu. Uma experiência bem legal. O trajeto leva cerca de 1h45 e custa R$ 80 por pessoa. Caso você prefira o passeio convencional, no ônibus, você vai desembolsar apenas R$ 36 por cerca de duas horas de passeio.

7 – Marco das 3 Fronteiras

No ponto em que fazem fronteira comum, Brasil, Argentina e Paraguai estabeleceram seus limites territoriais e selaram uma integração ao construir obeliscos que passaram a ser chamados de Marco das Três Fronteiras. Cada qual tem um formato diferente e é pintado com as cores do respectivo país.

O marco brasileiro tem forma de pirâmide e seu mirante proporciona uma das mais belas visões da região, com vista panorâmica dos três países, podendo observar o encontro dos Rios Iguaçu e Paraná.

8 – Visitar Puerto Iguazu

A cidade de Puerto Iguazú ganha destaque por sua vida noturna, que é uma ótima opção para quem curte uma programação mais tranquila. No período noturno é possível encontrar uma grande variedade de restaurantes, bares e cafés, que servem ótimas refeições a um preço mais em conta do que no Brasil.

Entre os pontos de interesse da cidade estão a Feirinha, onde se compram bons queijos e azeitonas, e o novo Shopping Punto Iguazú. Como estamos tratando de Argentina, não deixe de experimentar uma deliciosa carne – uma das grandes especialidades de nosso país vizinho – e de comprar alfajores com doce de leite.

9 – Cassino Iguazú

O cassino do Iguazú Grand Resort & Casino é um dos locais mais procurados na noite. O lugar fica na Argentina sim, mas a proximidade com Foz é tão grande que não impede ninguém de conhecê-lo e apostar algumas fichas. O cassino, inclusive, oferece transporte gratuito, favorecendo ainda mais quem está sem carro e se hospeda em Foz do Iguaçu.

 

 

 

 

 

 

 

 

10 – Mesquita Muçulmana

Em Foz do Iguaçu é possível conhecer mais sobre religiões pouco difundidas no Brasil. A mesquita muçulmana sunita Omar Ibn Al-Khattab, construída a partir de 1981, oferece visitas guiadas entre 9h/11h30 e 14h/17h30.

Como são sunitas, as orações ocorrem 5 vezes ao dia – nestes momentos, não são permitidas visitas. Como na religião católica, em que as igrejas possuem um sino, a mesquita possui um chamamento, que é feito com a própria voz humana. Guiada pelo Alcorão, a religião tem costumes diferentes daqueles com que os brasileiros estão acostumados, como o fato de homens e mulheres rezarem em espaços separados.

Antes da visita guiada é preciso que todos retirem os calçados e que as mulheres cubram o cabelo com um véu que a própria mesquita oferece.

11 – Templo Budista

Não muito conhecido por moradores de Foz e turistas, o templo budista fica próximo ao Rio Paraná, que divide Brasil e Paraguai. O espaço onde fica o templo é, ao mesmo tempo, um lugar para as orações e também um parque de esculturas.

Na visita ao local, é possível encontrar uma grande variedade de esculturas, incluindo a de um buda, com 7 metros de altura. O templo é ideal para quem quer entender um pouco melhor o budismo ou simplesmente visitar um lugar tranquilo. Seu acesso de ônibus não é dos mais fáceis, por isso é melhor ir de carro ou táxi.

Restaurantes em Foz do Iguaçu

12 – Porto Canoas

O restaurante fica dentro do Parque Nacional do Iguaçu e o buffet oferecido é bastante variado, com diversas opções de sobremesas. Apesar da qualidade e das opções de pratos, o grande destaque mesmo é a varanda do restaurante, de onde é possível ver as Cataratas, além de escutar o som de suas quedas d’água. Sensacional fazer a refeição em um ambiente assim!

13 – Rafain Churrascaria Show

Nesta churrascaria, o sistema também é buffet self-service, com opções de saladas, pratos quentes, sobremesas, comidas árabe, japonesa e churrasco. Neste último, são várias opções, entre elas picanha, alcatra, maminha, lombo, costelinha de porco, linguiça, frango, cupim, costela e a carne de sol. O local trabalha diariamente servindo almoço e jantar. Tudo muito gostoso!

14 – El Quincho del Tio Querido

Se você tem a intenção de atravessar a fronteira e desfrutar um bom churrasco argentino, está é uma excelente opção. Atendimento impecável, garçons super atenciosos (sendo que alguns até falam português) e estrutura bonita. O forte do local, claro, é o churrasco. O cardápio oferece muitas opções. Além disso, são realizadas apresentações de tango no jantar. É muito legal!

Compras em Foz do Iguaçu

15 – Fronteiras

A proximidade com o Paraguai aguça bastante a vontade de comprar um produto que costuma ser mais barato no exterior. Sendo assim, basta atravessar as fronteiras para os países vizinhos para notar ótimas oportunidades de negócio.

Os baixos impostos cobrados no Paraguai em relação ao Brasil fazem com que muita gente viaje até Foz e siga à Cidade do Leste em busca de boas ofertas. Claro que os valores não são vantajosos como em Miami, por exemplo, mas, desde que a cotação do dólar colabore, certamente são melhores do que no Brasil. A procedência, no entanto, pode ser duvidosa, por isso é importante escolher bem onde comprar.

O indicado é atravessar a ponte em ônibus, carro ou táxi, então planeje sua maneira de deslocamento. Se ônibus é sua opção, basta pegar um com destino a “Ciudad del Este” no centro de Foz e descer logo após a alfândega paraguaia. Os pagamentos nas lojas podem ser feitos em dólar, real, guarani ou peso argentino – mas é claro que tudo depende do estabelecimento. O mais indicado é pagar em dólar ou real, quando o câmbio não estiver muito desfavorável. Cartões de crédito também são aceitos, porém verifique se a loja é confiável.

16 – Duty Free Puerto Iguazú

O Duty Free de Puerto Iguazú, na Argentina, é bem bonito. Para que os preços fiquem ainda mais atrativos, é necessário que o dólar não esteja muito alto. Mesmo assim sempre tem muita gente gastando. O local oferece bons preços para chocolates, bebidas alcoólicas, perfumes, cosméticos, óculos, roupas, entre outros. Uma dica é evitar visitar o local à noite, quando está lotado!

Apesar de o free shop ficar antes da alfândega, é preciso estar com RG ou passaporte para fazer compras. O lugar tem transporte gratuito partindo de alguns hotéis em Foz garantindo, assim, uma boa facilidade aos brasileiros.

Hotéis em Foz do Iguaçu

17 – Belmond: Hotel das Cataratas

O Hotel Belmond fica exatamente de frente para as espetaculares Cataratas do Iguaçu, dentro do Parque Nacional do Iguaçu. Conta com quadra de tênis, além de uma belíssima piscina ao ar livre. O mais bacana, mesmo, é a proximidade com as lindas quedas d’água. Experimente observar o pôr do sol!

18 – Wish Golf Resort

Este hotel fica perto da entrada e do lado argentino do Parque Iguaçu, além de estar a 3 km do Parque das Aves. Os quartos são bem sofisticados, com móveis clássicos de madeira e uma decoração mais neutra. O resort oferece programação de lazer para as crianças. Neste caso, se você quiser sair para passear pela cidade, há uma equipe de recreação que pode dar brincadeiras para seu pequeno enquanto você conhece os lugares com mais tranquilidade.

19 – Aluguel de apartamento

Ficar em hotel não é a única opção para os turistas em Foz. Alugar um apartamento é bastante comum e pode ser vantajoso financeiramente, principalmente para famílias. A experiência é bem legal pois você vive como um morador local, pode fazer sua própria comida ou ir ao supermercado fazer suas compras. Entre os sites utilizados para alugar um apartamento, mesmo que seja por um curto período, estão o Airbnb e o AlugueTemporada.

Dicas gerais

20 – Protetor solar e repelente

Lembre-se que você vai estar, na maioria do tempo, rodeado de áreas com mata. Por isso, muitos insetos naturalmente costumam aparecer. Os repelentes são muito úteis nestes casos, mesmo em dias frios. Além disso, caso você viaje em período de calor, não esqueça do protetor solar. A temperatura costuma subir muito em Foz.

21 – Use sempre roupas confortáveis

Entenda que na grande maioria dos pontos turísticos você vai sempre precisar caminhar, seja dentro do Parque das Aves ou para conhecer as Cataratas, por exemplo. Para apreciar todas as áreas sem problemas, é muito importante estar com roupas que te deixem confortável. Tênis e bermuda são sempre ótimas opções.

22 – Não esqueça dos documentos

Se você tem a intenção de conhecer um pouco de Argentina e/ou Paraguai, não se esqueça de estar com seu RG ou passaporte original válido. Estes documentos são solicitados a todos que querem passar pela fronteira. Uma busca é feita na alfândega e, após alguns minutos de espera, geralmente o acesso é liberado.

23 – Pesos argentinos

No caso da sua viagem se estender a alguma cidade da Argentina ou Paraguai, considere comprar pesos em Foz do Iguaçu, que tem uma cotação muito melhor que a terra do tango.

24 – Capas de chuva podem ser úteis

Apesar de ser uma experiência impressionante, nem todo mundo está disposto a ficar molhado com as gotículas espalhadas pelo vento vindas das quedas d’água das Cataratas. Portanto, se sua intenção é continuar seco, compre uma capa de chuva ou leve de casa. Cuidado com o celular no bolso, pois é possível que molhe!

25 – Estude as datas

A primeira coisa a fazer antes de programar uma viagem a Foz do Iguaçu é pensar também na maneira que você prefere encontrar as Cataratas. Se a ideia é ver as quedas d’água em seu potencial máximo e com muito volume, vá no verão; se, ao contrário, você prefere ver a beleza de quedas d’água mais definidas, o melhor é ir no inverno. Se não puder escolher a data da viagem, não se preocupe: as Cataratas são um espetáculo incrível o ano inteiro.

Quer mais? Confira o nosso guia de Foz do Iguaçu!


E você já esteve em Foz do Iguaçu e tem dicas para compartilhar? O que você gosta de fazer na cidade das Cataratas? Quais seus passeios favoritos? Deixe suas dicas nos comentários.

Autor

Thayana Alvarenga - Repórter
  • Roger Aaron

    Um ótimo restaurante de Puerto Iguazu é o AQVA!

  • Rodrigo

    Thayana, o post ficou excelente!
    Estive em Foz do Iguaçu em julho de 2007 e foi uma viagem maravilhosa. Por acaso, comprei passagens ante-ontem para viajar para lá novamente em junho deste ano, agora acompanhado da minha Esposa que tem muita vontade de conhecer as Cataratas, até porque em 2007 já nos conhecíamos e ela gostava do que eu comentava sobre a cidade.
    Acredito que há uma informação muito relevante a ser mencionada no post. CARROS ALUGADOS em Locadoras Brasileiras NÃO PODEM CRUZAR A FRONTEIRA COM O PARAGUAI. Em contrapartida, podem adentrar em Território Argentino por até 50 km’s desde que seja obtido a “CARTA VERDE” que tem como objetivo proteger terceiros afetados por acidentes de trânsito. Este documento nem sempre é disponibilizado pelas Locadoras, ou as vezes com a mesma, costuma ficar mais caro, mas geralmente o valor é tabelado para até 3 dias, podendo ser emitido também para 5, 10, 30 dias…
    Então, se você está pensando em ir a Assunção, por exemplo, com um carro alugado, é melhor se planejar e ir de ônibus porque não é permitido com o carro alugado!
    Para quem vai de ônibus, tem a PLUMA que faz esse trajeto em somente um horário por dia.
    O ônibus sai de Foz do Iguaçu as 10:30 e chega as 17:00 hs em Assunção. O percurso inverso tem saída as 08:30 com chegada a Foz as 18:00 hs. O custo é de R$ 50,00 para o trecho de ida e R$ 55,00 para o regresso.
    Não me recordo se alguma outra empresa de ônibus faz o trajeto, mas deve existir sim. E talvez exista transfer por lá também…

    • Ricardo

      Boas dicas! De Ciudad del Leste para Assunção há muitos ônibus por dia, acho que a cada meia hora. Um semi cama direto deve estar uns 30 ou 35 Reais. Depois de conhecer Ciudad del Leste, uma das cidades mais feias do mundo, Assunção parece a Suiça.

    • sdrubow .

      Tem a expresso nordeste também que faz a linha Floripa x Assunção parandona rodoviária de Foz.
      No seu comentário vale adicionar que não é só carro alugafo que precisa da carta verde, qualquer carro mesmo particular é exigido, não sei se é em todo lugar mas moradores de foz que tem seguro da porto seguro já ganham a carta verde também, para quem não tem e deseja cruzar a fronteira pode ser feito na hora em qualquer corretora de seguro e até mesmo numa salinha medonha a poucos metros da aduana, sempre lembrando que todos que estiverem no carro precisam do RG original ou passaporte ou habilitação, carteira funcional não vale para entrada no país.
      E em complemento ao post original, na Argentina usa-se o peso, no Paraguai o guarani e o dólar e no dutyfree dólar, peso e reais.

  • Márcio Sampaio

    Thayana, excelente post, mais uma vez! Parabéns!

    Fiquei com uma dúvida: estive em Foz do Iguaçu em 2015 e quando visitamos as Cataratas argentinas, inclusive com o passeio no Aventura Náutica (o Macuco Safari de lá), não pagamos nada em pesos, pois aceitavam normalmente reais e dólares. Isso mudou?

    Ah, na minha opinião, o lado brasileiro das Cataratas é melhor estruturado, mas o lado argentino é bem maior, mais legal e muito mais bonito, porém exige dose extra de fôlego e disposição.

    • Rodrigo Freitas

      Eu estive lá em janeiro, fiz o Aventura Náutica também… a entrada no Parque Iguazu e a tarifa de acesso de carro ao parque só podem ser pagas em pesos, mas todo o restante lá dentro (o aventura náutica, restaurantes, souvenirs, etc.) pode ser pago de tudo que é jeito: pesos, reais, dólares, cartões, etc.

    • Marcus Ferreira

      Fui agora no dia 23/08/2017 nas cataratas argentinas, o preço para brasileiros na entrada é de 400 pesos (pago somente em pesos)! Lá dentro eles aceitam outras moedas e cartões, mas a cotação é bem desfavorável! sugiro que compre pesos em Foz do Iguaçu!
      No lado argentino tem três tipos de passeio! Eu fiz um passeio que custou 550 pesos (mais ou menos 100 reais) que dura 15 minutos e te leva embaixo das cataratas dos dois lados por duas vezes! Achei bem legal! a vista é incrível e tomar banho em parte das quedas é bem legal! Tem também o passeio semelhante ao macuco safari, que custa 950 pesos (só que vai dos dois lados)! Mas o principal do lado argentino é a garganta do diabo, como muitos dizem, e realmente eu concordo, é que é algo hipinotizante de tão bonito!

  • Italo Silveira

    Obrigado pelo post, vou pra lá em Junho pela segunda vez e essas informações são muito bem vindas.

    • D’artagnan Villegagnon

      Cada 1 viaja p/ onde pode ñ é mesmo? Boa viagem a vc! Nesse mesmo período estarei no Mediterrâneo, pela 3ª vez. Abraço!

      • Italo Silveira

        Olhaê, o cara mostrou o rosto. Fazer turismo nacional não significa que a pessoa não possa e/ou não tenha feito turismo internacional. Boa viagem pra você também.

        • Sua atitude só te engrandece! 🙂

        • Ricardo

          Esse sujeito vai tentar cruzar o Mediterrâneo em bote pela tercera vez, saindo da Libia ou do Marrocos, pois continua a ser barrado na Europa. Das outras vezes o bote, de tão lotado, naufragou…Sorte!

          • D’artagnan Villegagnon

            O preconceito e discriminação são seus, ñ meus, agora contra Líbia e Marrocos. Jamais fui barrado na Europa e desconheço esse “bote” preconceituoso q vc fala s/ tbém conhecer. Minhas entradas na Europa são pela via + barata, viável e econômica sim, isto é, voos Brasil-Europa. Porém, são muiiiiitas vezes. Se o Ítalo tem a felicidade d viajar à Foz do Iguaçu, vc sequer Foz do Iguaçu.

          • Ricardo

            Cara, você leu o seu comentário anterior? E agora quer dar uma de paladino contra o preconceito?? O sujeito superior que vai à Europa (ou tenta ir..) três vezes e menospreza quem vai à Foz!! Nem sei porque respondo, melhor poupe a todos nós. Abraço, sorte e não esqueça do colete salva vidas!

          • D’artagnan Villegagnon

            Os coletes salva-vidas todos precisamos em qquer voo, inclusive nos voos Brasil-Europa. É apenas 1 exigência de segurança. Ñ significa q vá ocorrer algum problema ou acidente como sua mente neurótica, estreita e limitada pensa. Já, no seu “bote”, está repleto d preconceito e discriminação, e faltam coletes salva-vidas.

          • Ricardo

            Ok, Martin Luther! Se informe nos jornais sobre a crise de refugiados, principalmente sírios e subsaarianos, e você vai entender meu comentário, entendo que seja difícil e complicado… E os coletes só são obrigatórios em vôos sobre a água, obviamente, mas não me referia a isso. Que tenha uma ótima travessia, espero que consiga chegar ao menos em Lampedusa!

          • D’artagnan Villegagnon

            Grato! Ñ preciso de informação banal e vazia da mídia “burra” e medíocre q vc “lê”. Essa “informação” dos “jornais” é q (re)produz a discriminação e preconceito contra a Líbia ou Marrocos q vc acaba de propagar c/ seu “bote”. Eu escolhi o CONHECIMENTO ao invés da “informação” senso comum q vc coleciona.

          • João

            Numa boa Ricardo e D’artagnan, acho que nenhum dos dois precisa continuar com a discussão que nada tem a ver com o post. Os leitores agradecem. Abraços!

          • Ricardo

            Voce tem toda razao, literalmente uma “viagem”…Apaguei meus comentarios, ficou fora do contexto. Grande abraco!

  • Gustavo IB

    Ótimo post sobre minha cidade, e gostaria de complementá-lo.
    Foz tem um serviço de informação ao turista muito eficiente, inclusive com o TELETUR no 0800 45 1516, grátis de qqer lugar do país diriamente das 7-23h. Os restaurantes tanto no BR qto na Argentina mencionados são voltados para turistas, se vc quiser algo menos turístico (sem show por exemplo) e com ótima comida escolha, no BR, Buffalo Branco e/ou Churrascaria do Gaucho, a Rafain é buffet com carne assada, e na ARG, La Rueda, AQVA ou La toscana.
    O item 23 uma observação, não leve PESO no Paraguai, eles não vão aceitar, Paraguai a preferência é DOLAR, depois Guarani e Real, peso jamais!!!

    • Marcos

      Ainda volto aí com mais calma, Gustavo. Estive na Churrascaria do Gaúcho, bem localizada e com preço popular. Com relação ao lado argentino os passeios são bem mais baratos. R$ 200 para um passeio de helicóptero, como diz a matéria, é difícil encontrar esse valor no Brasil. Levem pesos para a Argentina senão a conversão sai cara lá.

  • licia maria da f. rocha kawase

    Thayana : muito boa sua recomendação para estadia turística em Foz. Passei 5 Noites lá e fui a todas estas indicações e amei com exceção da ida ao Tour de Compras pelo Paraguai. Se V. julgar conveniente acrescente na indicação do passeio de Barco pelo Lago < a escolha é para ida de Noite e quando a Lua for Cheia; Sairá mais caro porque inclui Jantar e Fundo Musical. O melhor lugar será a mesa no DECK SUPERIOR que terá uma vista surpreendente vista das àguas prateadas sob a luz da Lua. " Certas opções, não se pode deixar de gastar mais!… Quando de regresso pra casa começaremos a economizar." é meu lema!

  • Mah

    Oii….esta feirinha de Puerto Iguazu funciona em qual horário e dias?

  • Maria Lourenço

    Nossssssssssssa foi maravilhosa suas dicas… Vou pra lá em setembro, estou curiosa para ver tudo. Foi muito bom ler Todas as dicas. Obrigada

  • Thiago Bueno Prado

    Thayana, tudo bem?
    O que vale mais a pena (custo/beneficio), contratar uma agencia em foz para te levar nos locais ou alugar um carro?
    Grato