Cobrança de 25% de imposto de renda pode encarecer viagens ao exterior

Leonardo Cassol 27 · janeiro · 2016

Recebemos dezenas de mensagens de leitores preocupados e confusos em relação a cobrança da alíquota de 25% de imposto de renda sobre remessas de valores ao exterior para o pagamento de serviços turísticos. Quer saber como esse novo imposto pode impactar suas próximas viagens ao exterior? Haverá cobrança nas compras feitas no exterior com cartão de crédito? E na compra de moeda em espécie nas casas de câmbio ou saques no exterior? Haverá reflexo no preço dos hotéis e das passagens aéreas? Confira essas e outras respostas em nosso post exclusivo!

Entenda a nova cobrança

Ontem foi publicado no Diário Oficial da União uma instrução normativa da Receita Federal do Brasil que estabelece a tributação de 25% de Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) sobre remessas de valores ao exterior para pagamento de serviços de hospedagem, transporte, cruzeiros marítimos ou pacotes de viagens realizadas a partir de 1º de janeiro de 2016. A alíquota passa a ser cobrada independentemente do valor remetido, tanto para gastos decorrentes de viagens de turismo, como para viagens de negócios, serviço, treinamento ou missões oficiais.

No caso das companhias aéreas e empresas de navegação marítima a alíquota seria de 15%. Mas na maioria dos casos é possível a compensação com créditos tributários em países que possuam acordo com o Brasil para evitar dupla tributação.

A medida atinge em cheio as operadoras e agências de turismo brasileiras, que precisam pagar hotéis, companhias aéreas e marítimas, receptivos e prestadores de serviço no exterior depois que vendem pacotes ou serviços de viagens para os seus clientes. Os famosos pacotes de turismo, com passagens aéreas e terrestres, estadia e passeios são os produtos mais afetados pela medida. Mas não os únicos. Serviços de aluguéis de carros, venda de ingressos e todo tipo de produto ou serviço turístico que for vendido no Brasil, pago em Real e que demandar ao intermediário remessa de valor ao exterior para remunerar o prestador do serviço passará a ser tributado.

Como funcionava antes?

Até o final do ano passado, remessas para pagamentos de serviços turísticos, de negócios e educacionais prestados no exterior eram isentas de Imposto de Renda Retido na Fonte, num limite mensal de R$ 20 mil. Para as agências de viagem, a isenção era de R$ 10 mil por mês por passageiro, o que na prática isentava a grande maioria das transações.

Que serviços continuam isentos dessa alíquota do IRRF?

Nada vai mudar nos seguintes casos:

  • Compras com cartão de crédito no exterior (o IOF de 6,38% continua sendo cobrado como já era antes), compra de moeda estrangeira em espécie nas casas de câmbio (o IOF de 0,38% continua sendo cobrado como já era antes) ou transferências bancárias para o exterior (continua com a tributação vigente);
  • Compras com cartão de crédito feitas diretamente em sites internacionais e em empresas com sede fora do Brasil, bem como pagamentos de diárias em hotéis no exterior;
  • Remessas com fins educacionais, científicos e culturais, e ainda despesas como taxas escolares, taxas de exames de proficiência, taxas de inscrição em congressos, seminários e assemelhados;
  • Despesas com manutenção de dependentes no exterior, desde que não se trate de rendimentos obtidos pelos favorecidos;
  • Remessas de pessoas físicas residentes no Brasil para cobertura de despesas médico-hospitalares próprias ou de dependentes.

Quem vai ser responsável pela retenção do imposto na fonte?

As agências, empresas ou organizações que precisarem remeter recursos para o exterior com as finalidades previstas na legislação e na instrução normativa da Receita Federal. Não há possibilidade do recolhimento caber ao consumidor. Quem recolhe é o empresário que vender o serviço. É importante não confundir esse tributo com o imposto de renda que as pessoas físicas pagam no Brasil. O cálculo do imposto de renda de pessoas física não tem ou terá qualquer relação com a quantidade de viagens que você tenha feito ou venha a fazer daqui pra frente! Além disso, gastos com alimentação, compras, passeios etc. durante as viagens no exterior não são objeto desse imposto.

As empresas do setor de turismo vão repassar o custo ao consumidor?

Certamente sim. E para arcar com o imposto de 25% o aumento no preço cobrado do cliente teria que ser ainda maior que esse percentual. É possível que as empresas tentem absorver parte do custo adicional para não deixar de vender, mas ninguém deve se iludir, já que o setor trabalha com margens apertadas e certamente vai acabar repassando a maior parte do custo para o consumidor.

As passagens aéreas ficarão mais caras?

Provavelmente não. No caso das passagens aéreas, a grande maioria das companhias internacionais que operam voos para o Brasil não será impactada, já que possuem acordos de reciprocidade por bitributação (o Imposto de Renda já é cobrado no país onde ela tem sede). A afirmação é do diretor da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), Carlos Ebner, em entrevista ao G1. “Pode haver exceções de países que estejam renovando esse acordo nos contratos no momento, mas os principais destinos do Brasil, como países da Europa e Estados Unidos, têm essa isenção garantida”, disse. Continue comprando sua passagem normalmente, como já faz hoje, seja direto na companhia aérea ou em agências virtuais.

É possível viajar sem sem impactado pelo novo imposto?

Sim, se valendo das isenções previstas na instrução normativa, como em pagamentos com cartão de crédito para empresas com sede fora do Brasil, pagamentos de hotéis diretamente no exterior, bem como se valendo dos acordos bilaterais entre os países, no caso das passagens aéreas.

Por exemplo, ao reservar seu hotel ou outro tipo de hospedagem pelo Booking.com ou demais agências físicas ou virtuais, não haverá incidência de imposto quando optar pelo pagamento direto no hotel. O mesmo vale para reservas de qualquer natureza com pagamento no próprio estabelecimento, em espécie (com IOF de 0,38% ao comprar dólar em bancos ou casas de câmbio) ou cartão de crédito (com IOF de 6,38%), já que nesses casos não há remessas de valores para o exterior.

No caso da compra de passagens aéreas de empresas que não operam voos para o Brasil, como, por exemplo, um voo dentro da Ásia em uma companhia aérea de um país que não tenha acordo de reciprocidade tributária com o Brasil, o imposto ainda assim não seria cobrado caso a reserva fosse feita através das agências virtuais internacionais. Nesse caso, haveria apenas a cobrança do IOF (alíquota de 6,38%), que incide sobre as compras em cartões de crédito em moeda estrangeira. Ainda assim, seria um impacto bem limitado.

O Governo pode voltar atrás na decisão de cobrar o novo imposto?

Sim, é possível. O mais provável é a redução da alíquota para 6,38%. Porém, até então, a Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) tinha a expectativa que o governo anunciasse a alíquota de 6,38% e não de 25%, o que acabou não ocorrendo. Na prática não há nenhuma garantia que o Governo Federal de fato reduza a alíquota ou isente a cobrança, conforme aparentemente estava prometido para o setor. A expectativa é que o Governo Federal edite uma medida provisória nos próximos dias. Iremos acompanhar de perto todos os desdobramentos e informar nossos leitores.

Qual o impacto da nova medida para o setor de turismo?

O impacto será bem negativo, especialmente para as agências e empresas de turismo com foco em viagens para o exterior. Além da confusão e da insegurança para empresas e para os clientes, a cobrança desse imposto traz um expressivo e repentino aumento de custos, num setor que já vinha enfrentando dificuldades com a volatilidade do câmbio e com a elevação das cotações das moedas estrangeiras frente ao Real. É um golpe duro e certeiro que atinge milhares de empregadores em todo o Brasil.

De acordo com o Banco Central do Brasil as despesas de brasileiros no exterior caíram 32% em 2015, em relação a ao ano anterior, somando US$17,3 bilhões. É o menor valor desde 2010, o que indica que os brasileiros puxaram o freio de mão dos gastos fora do Brasil. São efeitos principalmente da desvalorização do Real frente ao Dólar, Euro e demais moedas estrangeiras, do aumento da alíquota do IOF sobre gastos com cartões de créditos e saques no exterior, bem como da crise econômica brasileira.

——`

Confira na íntegra a instrução normativa da Receita Federal.

Ficou com alguma dúvida? Comente e participe!

Publicado por

Leonardo Cassol

Editor

  • Observador

    Pagamento com cartão de crédito em sites internacionais não é, exatamente, remessa de recursos para o exterior?

    • A legislação vigente prevê essa isenção.

      • Regiani Scharlack

        Tem lógica as agências e operadoras pagarem o imposto e o cartão não? Qual a diferença? O dinheiro não vai parar no exterior do mesmo jeito. Mas eu digo a diferença: 600.000 empregos diretos dizimados, não vai recolher os 25% pois ninguém vai pagar e também não vai recolher todos os outros impostos que as agências de viagens pagam e provocar desemprego em massa, fortalecendo sites internacionais que não recolhem nenhum tipo de imposto para o governo. Nào será lobby destes mega sites internacionais? Consegue imaginar a migração das vendas para os mesmos em detrimento do desemprego de milhares no Brasil?

    • gilberto

      Não.

    • Regiani Scharlack

      Claro que é, só é! Tem alguma coisa muito estranha nesta história. Enriquecer sites que não pagam 1 centavo de imposto e destruir 600 mil empregos no Brasil. Não recolherão os 25% nem todos os outros impostos que agências e operadoras pagam para funcionar, pois estarão de portas fechadas. A medida é arbitrária. Ou burra ou tem lobby por trás disso!

  • Nelson Reis

    E hospedagem via AirBnb? Vai ser tributado?

  • Leo Romano

    O problema é:
    O Booking p intermediar uma reserva precisa fazer uma remessa, sendo assim tributado.
    Creio que será repassado sim p consumidor…

    • Leo, a instrução normativa e a legislação deixam bem claro a isenção no caso dos hotéis mencionados no post (pagos em espécie no estabelecimento ou com cartão de crédito pelas agências virtuais). Nesses casos, não há dúvida.

      • Cleusa Rabelo

        e se o pagamento for pre pago? como diarias nao reembolsaveis? pçor exemplo tambem reservar na accor hotels para o exterior, vai ter essa cobraça selecionando a moeda REAL como pagamento?

    • Hildegarde

      Salvo engano, o booking só oferece a opção de pagar direto ao hotel (ou à vista no cartão de crédito ou em moeda no estabelecimento) não?

      • Isso aí. Mas alguns concorrentes oferecem parcelamento.

        • Geraldo

          Acho que no caso dos concorrentes do booking, que cobram em real, sem IOF e ainda parcelam, haverá a incidência do imposto, até porque esse valor certamente será repassado para a sede.

        • Geovanne Angelo

          Este é o caso do Airbnb. No ano passado fechei duas reservas no exterior com este site, com cartão de crédito e parcelado em três vezes. Nesta situação haverá a incidência do novo imposto?

        • Andresa Venancio

          Leonardo. Se comprar passagens no site da viva colombia e avianca colombia, serei tributada?

      • Márcio Sampaio

        Não. Para alguns hotéis há preços especiais para pagamento à vista no momento da reserva do Booking. Por exemplo, semana passada reservei um hotel em Paris com bom desconto, com o débito imediato no cartão de crédito, ou seja, não pagarei nada no hotel.

        Em casos como esse, Leonardo, o que aconteceria?

        Um detalhe que me chamou atenção é o caráter retroativo da nova regra… se fiz a reserva semana passada, antes da publicação do normativo, caso a transação seja tributada quem pagará a diferença do imposto?

        • Marco Pacheco

          Marcio, não sei como o booking opera de fato, mas acredito que o pagamento é sempre feito pelo hotel.

          Recentemente dei um pulo em Veneza, como tive que adiar a viagem perdi passagem e paguei taxa de cancelamento do booking. Comprei novas passagens e fiz nova reserva de hotel. Achei um excelente por um bom preço, mas na condição de sem reembolso em caso de desistência.

          Acontece que dois dias depois o gerente do hotel me enviou e-mail informando que o cartão de crédito não aprovou o pagamento. Depois de muito xingar o Itaú que já havia bloqueado meu cartão no mês anterior por conta de gastos suspeitos, simplesmente fui ao banco e paguei diretamente o hotel.

          Repare que o meu pagamento havia sido ao booking, mas pode ser que o booking repasse a informação para o hotel de alguma forma.

          Ps: fui abastecer o carro depois do

          • Orem B. Hartuing

            Caro Marco, abra uma conta num banco da Europa e peça um cartão de crédito daí para seus gastos enquanto estiver no exterior. Esse tipo de transação, apesar de ser muito comum na Europa, não é bem conhecido por aqui e tem potencial de ser visto como fraude pelos bancos nacionais.

          • Marco Pacheco

            Esperando o MD liberar o comentário loooongo…

            Abraços

          • Marco Pacheco

            Orem, grato pela dica, mas eu já tenho conta

            por aqui, mas não pedi cartão de crédito. Na suiça, o UBS bloqueia na conta o limite do cartão (para brasileiros somente, ao que eu saiba). Na França, o custo de manutenção da conta aumentava um bocado (a tarifa basica já beira os 11 euros mensais, se pedisse cartao de credito iria para 15 euros e se fosse para usar fora da união europeia (caso da Suiça) iria para 18 euros.

            Então fiquei somente com o débito na UE, que me atende.

            Acontece que essa conta foi aberta para pagar alguns serviços na França, como creche, telefonia, etc… Em principio eu iria receber uma grana aqui, mas por motivos burocraticos não rolou. Entao essa conta fica com o minimo de grana para pagar as contas por um certo tempo.

            E, para completar a confusão, eu tenho um cartão pre-pago do BB Americas em CHF que só funciona na Suiça.

            Então, por agora estamos assim: tenho um cartao americano em francos suiços que só funciona na suiça, uma conta francesa que só funciona na franca e união européia. Isso é necessário pq eu trabalho na Suiça/Genebra e, para reduzir custos, vim morar na França numa cidade que fica a 6km do meu trabalho (a fronteira mesmo fica uns 2 km ou menos da minha casa).

            E o itaú?? Bem, eu sou servidor publico em licença para doutoramento no exterior e eu sigo recebendo meu salário em reais! A bolsa do cnpq só dá para pagar o aluguel e mercado, e as outras contas eu preciso usar o meu salário, pois trouxe esposa e filha pequena (sem receber adicional por isso). Esposa pediu demissão e me acompanhou, filha nao gera renda…

            Eu acabo dividindo os gastos entre as fontes e isso implica em usar o meu dinheiro no brasil. Enviar pra cá tem um custo de 20% de imposto de renda (difícil entrar na minha cabeça isso, pois eu já paguei IRPF direto na fonte, entendo que estou em situação legal com o fisco e poderia usar o dinheiro como bem entendesse).

            Já tentei todas as opções: usar um pre-pago itau: caregava quando o euro caia, mas no fim das contas, acabava dando na mesma de usar o cartão de credito e eu ganhava bons pontos no programa de fidelidade. O valor do cambio do pre-pago é maior que do cartao de credito. Fazer remessa eu não me arrisco. Poderia colocar manutenção de estudante no exterior e ficar isento (de fato fiz isso uma vez para pagar o deposito do aluguel), mas tenho medo de depois dar merda, pois já me disseram que o beneficiário não pode ser o titular da conta (mesmo que eu seja o estudante???). E ainda há uma opção especifica para pagamento de aluguel no exterior na hora de enviar a remessa, e nessa opção paga IR de 20%. Nesse caso é mais jogo eu ir num ATM e sacar e pagar 1,50 usd por saque e 6,38% de iof. A merda é que o Itaú só me deixa sacar até 1200 reais por dia e 3500 reais por semana. Considerando que o aluguel é de 1500 euros, eu fico fazendo saques pingados.

            E por fim, quando o cartão entrou na lista suspeita, foi justamente na semana em que comprei a nova apple tv. Como achei que a impossibilidade de alugar o filme fosse com a apple, eu tentei diversas vezes e, a apple faz exatamente o que o banco não gostou: autoriza uma compra de 1 usd e depois estorna – é assim que verificam a validade do cartão. Como não aceitava, eu tentei, e tentei, e tentei… e fiquei com um monte de tentativas de compras de 1 usd. Pro banco era pishing. E eu só queria ver um filme em portugues com a familia (sim, sigo usando minha conta BR na itunes, o netflix já é quase tudo em frances, minha filha precisa consumir conteúdo em PT-BR também).

            Valeu novamente pela preocupação, mas minha situação de servidor publico/estudante de phd/pai de familia e pobre não ajuda muito.

            Abraços

          • Natalia

            Nossa que complexo.. mas achei interessante e bem completo seu relato. Eu tb sou servidora publica e tentarei em breve fazer o pós doc no exterior, caso eu seja liberada do trabalho com vencimentos claro, pq sei bem como deve ser dificil se manter fora do brasil. Fiquei até preocupada, vendo essas suas dificuldades.. boa sorte!

        • Hildegarde

          Sim, mas acho q vc paga direto para o Hotel, com incidência de IOF (logo, sem os 25%) … já os concorrentes oferecem a opção de pagar pra eles em real e eles repassam para o hotel.. nesse caso os 25% são batata de serem cobrados…

  • Jorge

    Apenas Brasil sendo Brasil. Criando impostos para o povo pagar.

    • Luis

      Pra quem trabalha no governo nao afeta nada,ganha muito bem,viajam bastante.

  • Marcos

    Obrigado pela matéria!

  • Lucas

    Pelo que pude entender. Nós que compramos passagens pelas promoções aqui divulgadas e reservamos hospedagem pelo booking (por ex) não seremos atingidos. É isso????

    • É isso.

      • Andresa Venancio

        Leonardo. Se comprar passagens no site da viva colombia e avianca colombia, serei tributada?

    • Flavio Nichitchan

      Precisa desenhar?

    • Regiani Scharlack

      Ou seja, os sites internacionais enriquecem sem pagar 1 centavo de imposto ao governo e as operadoras e agencias quebra, gerando 600 mil demissõese aí não recolhe, nem 25% nem nada. Muito lógico e justo isso.

  • William

    Vote 13 e confirme.

  • Melissa

    Ótimo esclarecimento. Muuuito obrigada à equipe do Melhores Destinos !

  • Gian Elias

    Muito bom, esclareceu minhas dúvidas, Obrigado!!!

  • philip

    A medida é um tiro no pé. As pessoas vão procurar cada vez mais opções de hospedagem em sites estrangeiros.

    • Petim

      Sim tipo o cara da esquinatur ali… Da CVC dos shoppings e etc todos se ferraram… Aí o booking mantem um Call center no Brasil com subempregos e não é afetado… E o lucro deles vai todo para o exterior… Parabéns Brasil!

      • Caco Nogueira

        mas fica mais complicado o governo querer taxar empresas estrangeiras.

        • Regiani Scharlack

          Então destrói as agências no Brasil e enriquece sites estrangeiros. 600.000 empregos diretos em jogo, qual a lógica?

      • Claudia Baum Boeira

        bem isto mesmo… e o pior que o turismo no Brasil também tá mal com esta infestação de zika, dengue e chikungunya

    • Marcos

      Fala baixo, senão vão taxar também as outras opções. Assim é a lógica do Governo: em vez de melhorar o que está ruim, também torna ruim as outras coisas.

      • philip

        Eles até podem fazer isso, mas se vc começa fazer isso em grandes proporções vira o que era a argentina (até 2015) em que vc tem que mandar dinheiro para fora via doleiros. É ineficaz. Ou seja, com 6,38% de IOF não se paga o trabalho de doleiro, com 25% se paga e muito.

        • Danielsson

          Mas é isso o que deve ocorrer mesmo. Já estou esperando aumentarem as taxas pra esses casos pq vão ver que todo um setor vai quebrar e ficar em desigualdade de competição com as agencias virtuais. Obviamente nao vao retirar a aliquota, vão piorar pro resto todo. Governo sempre querendo mamar pra cobrir o rombo que ele mesmo criou.

  • Arthur Henrique

    E cruzeiros marítimos? O valor deles ficará mais caro? Ou nós consumidores teremos de pagar algum imposto?

    • Arthur, cruzeiro reservados em agências de viagens são alvo do imposto. No entanto, quando for o caso, o imposto é sempre recolhido pela agência ou empresa que fizer a remessa de recursos ao exterior. Mas como explicamos no post, o consumidor vai acabar pagando por isso através do aumento dos preços dos serviços atingidos pela tributação.

      • ARYSON FRANCA

        Leonardo, eu comprei e paguei na semana passada um pacote para Dubai com a CVC, esse valor pago sofrerá alguma majoração de IR?

        • Excelente questão. Como você já assinou o contrato e fez o pagamento, não vejo base legal para a CVC cobrar o imposto de você posteriormente. Mas é uma questão polêmica.

          • Jonathan

            Pode ter certeza que não vai ser cobrado.

          • Márcio Sampaio

            Será? Por que a instrução publicada ontem diz que a regra vale para transações a partir de 01/01/2016 (ou seja, retroativa)? Não deveria ser a partir da sua publicação?

          • Cleusa Rabelo

            e se o pagamento for pre pago? como diarias nao reembolsaveis, por exemplo? tambem reservar na accor hotels para o exterior, vai ter essa cobrança selecionando a moeda REAL como pagamento?

        • Jonathan

          Pode ter certeza que não vai ser cobrado. Continuamos emitindo vários pacotes. Após o pagamento do cliente em loja, não é cobrado nenhuma outra taxa. Só há cobranças por cancelamentos ou remarcações.

      • Bruno Mosimann Cubas

        Olá Leonardo. Tenho uma agência de viagem e sou agente de viagem, e no momento, não serão todas as empresas de navio que efetuarão a cobrança, independente do canal de atendimento, site ou agência de viagem. Serviços on-line, como reserva de hotéis com pré-pagamento no Brasil, mesmo que comprados via agências on-line, também serão tributados já que será necessária a remessa para pagamento ao hotel. A princípio, só não será tributado, o serviço pago diretamente ao hotel via cartão de crédito. Infelizmente, esta medida veio somente para sucatear ainda mais um setor que precisa de melhoras urgentes!

        • Bruno, realmente é uma medida injusta com as agências e desnecessária para o setor.

          • Dane’s burrito

            É um absurdo. O governo esta acabando com todos os setores do Pais. Um a um.

      • Vinicius

        Leonardo, acho que vale explicar que não somente os cruzeiros reservados em agências de viagens, mas TODOS os cruzeiros que ocorrerem no exterior terão a taxa, inclusive aqueles que a pessoa compra direto no site da cia de cruzeiro

      • Karla

        Se eu comprar um cruzeiro no site da Royal Caribbean, por exemplo, haverá incidência do imposto?

    • Renata

      Se reservar pela Expedia, por exemplo, nao vai ter cobranca. Só se reservar por uma agencia no Brasil.

      • Regiani Scharlack

        Isso, super justo, enriquece sites estrangeiros e compromete 600 mil postos de trabalho no Brasil e o dinheiro vai lá pra fora do mesmo jeito e este sites pagam zero de imposto para o Brasil. Adeus parceamento!

  • Alan Rodrigo de Almeida

    Boa Cassol!!!!!

  • Se eu pagar por reservas no Expedia, empresa estrangeira, mas com cobrança em real, serei impactado? E na Decolar?

    • Petim

      Entendo que o Expedia não é afetado… Paga com cartão é vem 6.38 pois tu não está remetendo para o exterior e sim para operadora no teu país. Já o decolar sim acho que é afetado, pois a agência deles é no Brasil e essa faz remessa ao exterior. Acho que é assim…

      • Mas com a Expedia, salvo engano, eu pago diretamente em Real, não há cobrança de IOF…

        • Petim

          Ah então eles tem escritório aqui no Brasil, em tese terão que repassar teu dinheiro para o hotel lá fora, assim acho que vai ter cobrança.

          • Vinicius

            Na verdade somente as reservas com opção de pagamento no destino estarão isentas. Todas as reservas pré-pagas aqui terão incidência do imposto, pois em algum ponto algum intermediário precisará efetuar a remessa ao exterior.
            Expedia oferece duas opções de pagamento. As pré-pagas terão incidência do imposto, as com pagamento no destino não terão imposto.

      • Djogo

        Não, nenhum deles.
        Tem matéria do estadão e do melhores destinos. Leiam ela. Cartão de crédito não incide esse imposto.

    • Djogo

      Não, permanece pagando 6% de IOF, como já era antes no crédito. Compras no cartão de crédito não serão afetadas. Basicamente, quem não viajava sem agência vai ter que aprender. E as agências de turismo brasileiras vão ter que focar no turismo no Brasil.

      • Lidiane Mesquita

        A questão é que quem viaja por agência é pra parcelar, compras feitas lá fora não tem parcelamento.

        • Djogo

          No cartão de crédito não tem parcelamento? A Decolar e a Submarino tem.
          Hoteis ponto com também.
          Ps.: meu comentário foi sobre viajar e não comprar. E mais, dinheiro em espécie, pelo que li, não tributa esses 25%.

          • philip

            Quando a compra é em US$, a compra não tem parcelamento. Se é real tem parcelamento. Mas quando é em real o dinheiro tem que passar por aqui e logo incidirá imposto.

          • Djogo

            Eu não falava de compras, eu falava de VIAJAR. A amiga ali que meteu compras. O que eu falei das compras é que dinheiro em espécie não incide os 25%, portanto, tem que levar dinheiro pra comprar.

            É possível viajar sem sem impactado pelo novo imposto?

            Sim, se valendo das isenções previstas na instrução normativa, como em pagamentos com cartão de crédito, reservas de hotéis em sites brasileiros e pagamentos de hotéis no exterior,bem como dos acordos bilaterais entre os países, no caso das passagens aéreas.

            Por exemplo, ao reservar seu hotel ou outro tipo de hospedagem pelo Booking.com ou demais agências virtuais, não haverá incidência de imposto. O mesmo vale para reservas de qualquer natureza com pagamento no próprio estabelecimento, em espécie ou cartão de crédito, já que nesses casos não há remessas de valores para o exterior.

            No caso da compra de passagens aéreas de empresas que não operam voos para o Brasil, como, por exemplo, um voo dentro da Ásia em uma companhia aérea de um país que não tenha acordo de reciprocidade tributária com o Brasil, o imposto ainda assim não seria cobrado caso a reserva fosse feita através das agências virtuais internacionais. Nesse caso, haveria apenas a cobrança do IOF (alíquota de 6,38%), que incide sobre as compras em cartões de crédito em moeda estrangeira. Ainda assim, seria um impacto bem limitado.

          • Lidiane Mesquita

            Acho que você não entendeu o meu ponto, se pagar direto no hotel, não tem como parcelar, se pagar com dinheiro em espécie não tem como parcelar (além de ser perigoso circular com grande quantidade de dinheiro).

            O que eu disse desde o princípio, e acho que você não entendeu, é que afeta quem precisa PARCELAR.

            E pagar um hotel fora do Brasil, é uma COMPRA no cartão de crédito igual a qualquer outra.

            Sem falar quem comprava parcelado com boleto na CVC pra não usar o limite do cartão.

            Nossa, que difícil viu.

          • Flavio Nichitchan

            aqui precisa desenhar pra se entender!!! Eu entendi perfeito o seu post

          • Luiza

            Lidiane, uma possível solução seria ir guardando o dinheiro das parcelas todos os meses para chegar no destino e pagar (com dinheiro ou com cartão a vista- pagando o IOF) diretamente para o hotel. Pra isso é necessário mais controle financeiro e se organizar com antecedência (pra não deixar parcelas para depois da viagem e poder ter todo dinheiro que precisa). Voltamos ao velho e bom “cofrinho”

          • Regiani Scharlack

            Luiza, lembre-se que só pode deixar o Brasil com 10 mil reais em espécie sem declarar por CPF.

          • Regiani Scharlack

            Haja limite de cartão para uma viagem grande com familia inteira, fora que tem limite de 10 mil reais em espécie parasair do Brasil. Viajar voltará a ser um luxo, agencias e operadoras quebrarão, aí o governo não fica nem com os 25%, nem com todos os outros impostos que as agências pagam para funcionar + 6000 mil postos direto de trabalho ameaçado. Coisa de gênio ou lobby com os mega sites internacionais.

          • Sim, mas agora serão tarifados em 25%.

          • Djogo

            Não, cara.

            É possível viajar sem sem impactado pelo novo imposto?

            Sim, se valendo das isenções previstas na instrução normativa, como em pagamentos com cartão de crédito, reservas de hotéis em sites brasileiros e pagamentos de hotéis no exterior,bem como dos acordos bilaterais entre os países, no caso das passagens aéreas.

            Por exemplo, ao reservar seu hotel ou outro tipo de hospedagem pelo Booking.com ou demais agências virtuais, não haverá incidência de imposto. O mesmo vale para reservas de qualquer natureza com pagamento no próprio estabelecimento, em espécie ou cartão de crédito, já que nesses casos não há remessas de valores para o exterior.

            No caso da compra de passagens aéreas de empresas que não operam voos para o Brasil, como, por exemplo, um voo dentro da Ásia em uma companhia aérea de um país que não tenha acordo de reciprocidade tributária com o Brasil, o imposto ainda assim não seria cobrado caso a reserva fosse feita através das agências virtuais internacionais. Nesse caso, haveria apenas a cobrança do IOF (alíquota de 6,38%), que incide sobre as compras em cartões de crédito em moeda estrangeira. Ainda assim, seria um impacto bem limitado.

          • Lidiane Mesquita

            Compras fora do Brasil não permitem parcelamento (a maioria dos países no mundo não parcela compras no cartão). Decolar e Submarino serão afetadas como todas as outras agências com tudo que seja pré-pago.

          • Djogo

            possível viajar sem sem impactado pelo novo imposto?

            Sim, se valendo das isenções previstas na instrução normativa, como em pagamentos com cartão de crédito, reservas de hotéis em sites brasileiros e pagamentos de hotéis no exterior,bem como dos acordos bilaterais entre os países, no caso das passagens aéreas.

            Por exemplo, ao reservar seu hotel ou outro tipo de hospedagem pelo Booking.com ou demais agências virtuais, não haverá incidência de imposto. O mesmo vale para reservas de qualquer natureza com pagamento no próprio estabelecimento, em espécie ou cartão de crédito, já que nesses casos não há remessas de valores para o exterior.

            No caso da compra de passagens aéreas de empresas que não operam voos para o Brasil, como, por exemplo, um voo dentro da Ásia em uma companhia aérea de um país que não tenha acordo de reciprocidade tributária com o Brasil, o imposto ainda assim não seria cobrado caso a reserva fosse feita através das agências virtuais internacionais. Nesse caso, haveria apenas a cobrança do IOF (alíquota de 6,38%), que incide sobre as compras em cartões de crédito em moeda estrangeira. Ainda assim, seria um impacto bem limitado.

        • philip

          Um instrumento que eles podem fazer é dar um crédito pessoal para a pessoa fazer um cartão pré-pago (VTM por exemplo) carregado em dólares para a pessoa efetuar a compra do hotel. Assim, se paga 6,38% de IOF somente.

        • Patricia

          Com uma pequena mudança no planejamento, fazendo uma poupança antes da viagem em vez de parcelar todos os gastos, será possível evitar o novo imposto. Pelo menos enquanto as outras formas de pagamento não forem taxadas também…

          • Lidiane Mesquita

            Sim, mas a maioria das pessoas parcela pra terminar de pagar quando já está indo viajar de novo heheheh

          • Regiani Scharlack

            Parcelavam …. agora parcelar vai custar 25%!

          • Regiani Scharlack

            lembrando: só pode sair do Brasil com 10 mil reais em espécie.

    • Não. Não haverá impacto. É possível que eles suspendam a cobrança em reais, em alguns casos. Mas não há nenhuma informação concreta sobre isso.

      • As vantagens, na minha opinião, de comprar pela Expedia, e Decolar tbm, são justamente poder pagar em moeda local (evitar IOF) e opções de parcelamento. Se elas forem afetadas acabam essas vantagens. 🙁

        • Valfrido

          A decolar, bestday e outras q geralmente vc fugia do IOF já foram impactadas, elas aumentaram hj os valores de passeios, translado e afins. Lamentável.

        • Regiani Scharlack

          Não tem mais como, só não vai incidir para pagamento local. Pagou em real no Brasil 25%. Só se revogarem a medida.

    • Leonardo F J

      O decolar está cobrando sim, ao chegar na página para efetuar o pagamento, o valor será maior que o escolhido e aparecerá a seguinte mensagem “Inclui imposto de renda sobre remessa”.

  • Clarisse

    Muito obrigada pelos esclarecimentos. Não viajo com agência há mais de 10 anos, sempre faço tudo por conta própria, reservando hotéis pelo booking ou diretamente no site do hotel, então pelo que entendi pra quem viaja assim não vai mudar nada, certo?

    • Petim

      Tenho certeza que o governo vai achar um jeito de cobrar do booking e afins… Não mudou ainda mas acho que vai mudar sim. Se tu pensar logicamente não tem porque cobrar de uns e de outros não sendo que o serviço é o mesmo. Mas óbvio o governo nunca é lógico, só resta esperar…

    • Djogo

      Não muda nada. Permanece os 6,38% de IOF do cartão de crédito.
      Ferrou com as empresas de turismo. Quem viaja por conta não é afetado.

      • Regiani Scharlack

        Diogo, acaba afetado de qualquer maneira o consumidor também. Muita gente só consegue viajar por causa do parcelamento. Ademais vai ter que ter limite muito alto no cartão para pagar tudo lá fora e levar em espécie o limite é 10 mil reais por CPF. Sabe quem vai ganhar com isso? os sites internacionais que nao pagam 1 centavo de imposto. Por aqui deve eliminar 600 mil empregos diretos, entre agências e operadoras.

        • Djogo

          Tá certo. Coisa malfeita e confusa, interpretação fica ruim e o resultado pior.
          Já li alguns sites na esperança que vai revogar. Só orando.

          • Regiani Scharlack

            Orando. E ainda tem o risco de alguns países por reciprocidade estabelecerem tributação igual para pagamento de hotéis no Brasil, o que enfraqueceria ainda mais o nosso capenga papel no turismo internacional. E viajar voltará a ser para poucos.

    • Vinicius

      Clarisse. Suas reservas só não serão afetas se você conseguir fechar alguma com pagamento no destino. Tudo o que for pré-pago terá incidência do imposto, seja booking, decolar, expedia, agência de viagens ou qualquer outro meio

    • cristiana

      Eu por exemplo faço tudo pela net…. decoro, compro roupas, material de toda espécie, aprendo a comprar produtos para a pele( tchau dermato), estudo pela net, me receito pela net…. Que legal… Vamos fechar todas as empresas que não sejam produtoras e vamos comprar tudo pela net mesmo… Para que se preocupar com o emprego dos outros ? Afinal o meu está garantido…. viva o Brasil 👏👏👏👏👏👏👏👏

      • Regiani Scharlack

        Exatamente, vamos enriquecer sites internacionais que não pagam centavo de imposto para nosso governo , eliminar 600 mil postos de trabalho. Ninguém precisa de parcelamento, ninguém precisa mandar o filho menor desacompanhado para a Disney, ninguém precisa de grupos de excursão porque não querem ou não conseguem viajar sozinhos, todo mundo tem tempo e gosta de fazer tudo sozinho pela internet. Ninguém precisa e/ou gosta de assistência integral de terceiros durante a viagem para não ter que se preocupar com nada. Todo mundo tem um limite incrível no cartão de créditoou se vira com os míseros 10 mil reais que a lei permite por CPF para levar em espécie. É tudo super logico e vai ajudar super a economia.

    • Regiani Scharlack

      Clarisse, leia o que respondi para o Diogo por favor. Isso porque ainda não pensaram os desdobramentos outros: menos gente viajando, menos ocupação de voos (as aéreas tem trabalhado quase a preço de custo), vão diminuir interesse e números de voos para o Brasil. Pode até nào afetar você (mas de alguma forma vai), mas muita gente só consegue viajar por conta do parcelamento, não tem limite no cartão para bancar a viagem toda, só pode levar 10 mi reais em espécie, precisa mandar o filho de excursão para Disney, terceira idade, pessoas sem tempo para a internet e sobretudo, 600 mil postos de trabalho em risco no Brasil, o que deteriora ainda mais nossa economia e é ruim para todos, menos para quem vende lenço, analgésico e antidepressivo. Enquanto isso os sites internacionais que não recolhem imposto no Brasil só se fortalecerão.

  • Daniel Moreno

    Vou resumir, pra você consumidor final que compra a passagem que reserva o hotel ou carro, NADA MUDOU. Contudo, as agências que vendem pacotes foram Mto prejudicadas, pq elas compram pagam em remessa de dinheiro e são tributadas por isso.

    • marcelomartins

      Se as agencias que vão pagar 25% mais caro, é obvio e correto que irão repassar para os clientes. Ou seja, para os clientes dessa agência, tudo mudou.

      • Petim

        Obvio que vai ficar mais caro o booking e logo logo vai ser taxado, acho que o governo só não colocou eles na jogada porquê “não se deu conta”.

        • Regiani Scharlack

          Ou está fazendo lobby com eles.

      • Djogo

        Ué, mas foi exatamente o que o cara disse. Não muda nada pra quem faz por conta, e foram muito prejudicadas as agências.

        • Observador

          Lógico que muda, gente!!! Você que compra por conta própria vai pagar sim!!! Você só não pagará se forpagar direto no hotel. Se vc usa decolar, submarino, expedia.. Meu amigo, vc se ferrou tb!!!

        • marcelomartins

          Ele disse que nada mudou, mas na verdade vai ficar 25% mais caro pros clientes. Então mudou.

        • Regiani Scharlack

          Só para começar, adeus parcelamento.

    • Elis Serrano

      Não é bem assim… Mês passado comprei um cruzeiro a vista para o caribe, optei pelo o pagamento aqui do Brasil justamente para fugir do iof e pq o valor do câmbio de “amanhã” é mto incerto…. Era a opção mais barata. Agora se eu comprar esse mesmo cruzeiro terei o prejuízo do iof mais o câmbo incerto. Td bem que eu posso levar o dinheiro em espécie, mas além de perder as milhas, ainda corro o risco de andar com dinheiro em espécie.

      • Lidiane Mesquita

        E cruzeiro não tem como pagar lá, tem que pagar daqui se quiser comprar com antecedência e pegar os melhores preços.

    • Regiani Scharlack

      Discordo que nada mudou. Muita gente depende do parcelamento, não tem tanto limite no cartão, só pode levar 10 mil reais em espécie, precisa de assistência integral durante a viagem, manda filho menor para viagens que só se concretizam através de excurções, solitários, terceira idade e outros que só tem condições de viajar em excursão, quem não tem tempo de ficar na internet e quer auxílio integral durante a viagem, que desejam/precisam mais do que um atendimento impessoal na hora que ocorre um problema durante a viagem, e por aí vai…..fora o desemprego.

  • Obrigado por explicarem!
    No meu caso, que compro passagem direto com a companhia aérea e reservo a hospedagem pelo booking, nada mudou.

  • Daniel Henriques

    A fome do leviatã brasileiro é cada vez maior.
    É preciso manter nosso Congresso, um dos mais caros do mundo, e os milhares de cargos de confiança criados pelo PT e seus parceiros. O Brasil é uma PIADA de péssimo gosto.

    • Lindy

      Tb acho Daniel, concordo 100%.

    • Working Progress

      Na verdade, isso de milhares de cargos de confiança criados, não é verdade. Todo governo faz isso, pelo mesmo motivo “assentar” a base aliada. Pode pesquisar em SP, PR, por exemplo. A questão é que, os verdadeiros gulosos ninguém enfrenta. Juízes comem 4bilhões em mordomia. Sonegação 500bilhões. E os Bancos nem se fala.

  • Jeferson

    Impacto maior pra empresas de turismo então?

  • Guilherme Zanutin

    Agência só vai conseguir vender pacote nacional, internacional já era!
    Tomara que não tributem as nossas viagens “independentes”.

    • Já tributaram faz tempo: 6,38% de IOF nos gastos no exterior!

      • Guilherme Zanutin

        Sim, mas ainda pode piorar muito!
        25% seria insustentável..
        6,38 ainda é possível escapar levando em cash. (0,38)

        • Mah

          To só esperando aumentarem o imposto do dinheiro em espécie…
          Não demora.
          Quem viver verá 🙁

          • João

            Não sei por que o governo ainda não está tributando moeda em espécie em 6,38% em vez de 0,38%. Concordo com você, Mah, que infelizmente essa ideia vai iluminar a cabeça deles, cedo ou mais tarde. Só resta decidirem se vão nos impor 6,38% ou 25%.

  • Christiano Silveira

    E viva o PT, não há dinheiro que chegue para esse governo, até quando vamos aceitar essa quadrilha no governo, acordem brasileiros, lamento não ter saído do país quando tive a oportunidade.

    • O Gato Viajante

      E eu que nunca tive a oportunidade…

      ;_;

    • cristiana

      Eu Odeio o Brasil…. quero fugir daqui

  • diogo338

    Não entendi direito, fala que não há cobrança na reserva de hotéis, pagos no exterior ou feitas em sites no brasil. E cita apenas o booking, as outras como submarino, hoteis.com, expedia etc no caso de reserva de hoteis também não pagaram impostos?

  • Fernando

    E se eu comprar passagens aéreas diretamente pelo site da United à vista por exemplo, eu vou ser tributado pra pagar mais do que aparece o valor ali pra mim em reais (R$ 3.500,00 por exemplo)?

    • Fernando, o Imposto é de Renda não de compra. Quem paga é quem está recebendo, o risco é que repassem para o consumidor aumentando os preços, mas no caso das companhias aéreas, pelo que afirmou a Iata, nada vai mudar

  • Parabéns pela explicação.
    Estava preocupado se a compra de ingressos pra eventos ou parques seria afetado, mas a matéria foi elucidativa.

  • Tito Luiz

    E no caso de comprar passagens diretamente em sites de cias aéreas como Vueling, EasyJet, Ryanair e etc que são cobrados em moeda estrangeira?

  • Diogo, não precisa se preocupar pois se houver cobrança será da agência e não do consumidor. Então basta comparar e evitar caso alguma aumente o preço!

  • Alexandre

    É como eu sempre digo: No Brasil as coisas melhoram pra pior!! Lamentável…

  • philip

    Um jeito que as agências podem trabalhar cada vez mais é como o hostelworld (talvez tenham outros sites que trabalham assim tbem). Isto é, vc paga a comissão para eles à vista e o restante direto para o hotel no local. Assim, o dinheiro da agência não sai do país e logo não haveria imposto.

  • Eric Porto

    Tenho acompanhado o valor dos ingressos para os parques da Disney no Decolar e um houve um aumento absurdo de antes de ontem para ontem, muito provavelmente por conta deste novo imposto. Talvez a solução para isso seria comprar direto no site da Disney, pagar o iof e torcer para uma cotação mais em conta do dólar no dia do fechamento da fatura. Estou certo?

    • Observador

      Direto do site da disney tem o imposto de Orlando.

  • Leo Romano

    Espero que o Expedia n seja afetado.
    Na minha opinião é o melhor e ja sou Gold lá

  • Heloisa Maffia
  • “mesmo vale para reservas de qualquer natureza com pagamento no próprio estabelecimento, em espécie ou cartão de crédito”
    Em pagamentos à vista. Estamos falando de pagamentos parcelados.

    • Djogo

      Do Estadão:

      O imposto incide em caso de transferências para contas no exterior. Por isso, as agências de turismo são prejudicadas, uma vez que pagam serviços como hospedagem por meio de remessas. Para pagamentos com cartão de crédito não há tal cobrança. Portanto, se o turista abre mão do serviço da agência e paga as despesas da viagem com cartão, incidirá apenas a tarifa do IOF, de 6,38%. Um problema é que mui tas pessoas podem não ter limi te suficiente para bancar todas as despesas de uma viagem

      • Eles estão falando de pessoas que optarem para o pagamento a vista no cartão de crédito, em dólar, já que especificam o IOF de 6,38%. Pagando parcelado no cartão de crédito em real não há incidência de IOF, mas agora haverá essa questão do imposto.

  • Luis

    Infelizmente o governo esta passando todas as crises de economia para o povo,nada pode salvar esse governo m**da!

  • Fausto

    Como fica a compra de dolares pelo banco do brasil para envio para bando do brasil Americas ?

    • Marcos Samuel

      Já estão sendo taxadas.

    • É remessa de recursos, então será tributada caso não fique provado o uso em alguma das excepcionalidades previstas na legislação, como despesas médicas ou com educação etc.

      • Carlos Andre Amorim

        Pelo que eu li remessas p o exterior com a mesma titularidade não é taxada!

  • Tiago

    Onde está dito que para a reserva em sites brasileiros esta isento? Li a IN 1611 toda e isso nao está claro pra mim.

  • Sergio

    pelo que li, pra mim não muda nada, nunca contrato agência.

  • carlos

    Tenho uma conta bancaria no exterior a qual utilizo para custear minhas despesas diversas em viagens internacionais. Caso eu faça um remessa para esse conta serei tributado??

  • João

    Pelo que eu entendi na reportagem do G1, se você reservar um hotel pela internet, não haverá a cobrança, correto?

  • Antonio Junior

    Então seu eu reservar com cartão de crédito um hotel no booking ou no AirBnb, além do valor das diárias vai vir na minha fatura um acréscimo de 25%?

    • Não! Em hipótese alguma. O imposto não incide nesses casos.

      • Antonio Junior

        Alivio. Valeu. Mesmo assim par aos outros casos é uma tremenda filhadaputagem desse governo. O Brasil tá andando de ré.

  • Natasha

    fiz hj simulação de hotel em um site brasileiro.
    hotel: 3200 (aproximadamente)
    tx de comodidade: 435 (ok ok…)
    IMPOSTO DE RENDA: 1220!!!!!
    ahm? Confesso que só este imposto me fez repensar a viagem. não vou deixar de viajar, passagem comprada, MAS pagar 1220 reais SÓ DE IMPOSTO (que incidiu inclusive sobre a tal tx de comodidade, que nao será enviada ao exterior), vai ter muita agencia quebrando. Reserva feita no site internacional. Emprego criado lá fora.

  • Claudia Pritsopoulos Zanão

    Achei estranho a reportagem dizer que não será impactado as reservas de hoteis. Hoje entrei no site do Decolar, simulei uma compra de hospedagem, e já estava destacado o valor de Impostos sobre Remessas (IRRF), repeti com mais 3 outros hoteis e somente 1 não tinha o IRRF destacado! Não entendi o motivo…..

    • Luana

      Decolar é agência nacional! Essa vai cobrar o imposto. A que não cobra são as internacionais como a Booking.com e Expedia.com , com pagamento em espécie no destino.

  • Juliana

    O decolar já está acrescentando esses 25% nos finais da compra. Porque o booking não é assim? Se eu quiser parcelar uma estadia de hotel fora do brasil vou ter que pagar os 25%?

    • Juliana, o imposto cobrado pelo Decolar é municipal, referente a cidade onde foi será a estadia. E não é de 25%. Nos consultamos o site novamente agora e não há cobrança de Imposto de Renda no Decolar. Onde você viu essa informação?

      • Mas se eu selecionar a opção de pagamento parcelado na Decolar esse imposto de 25% deverá ser incidido, não?

        • Para hotéis? Possivelmente. No caso das passagens aéreas em companhias que operam voos no Brasil, não muda nada.

    • Gustavo Aquino Leonardo

      Juliana, também estou entendendo assim. Na compra parcelada dos sites expedia ou decolar entendo que incide o imposto, pois estao recebendo o valor aqui e depois devem pagar o hotel no exterior

  • André Luiz Manteuffel

    Aperta o 13 e lacra!

  • Principalmente para as agências de turismo.

  • Daniel Alves

    Mais um tiro errado, dificultar o empreendedorismo é sempre mau negócio.

  • Fudencio

    Isso alem de roubo descarado é cerceamento de liberdades dos que tem menos recursos.. Os autores disso deveriam ser enforcados em praça pública!

  • Ricardo

    Ótima matéria! Parabéns a todos da equipe MD!

  • Josenilson Verde Lemos

    O aluguel de veículos para o exterior através do rentcars.com será afetado?

    • Bruno Pinho

      no decolar ja esta cobrando… melhor correr e pagar logo…

    • Vai depender de onde a empresa tem sede. Mais seguro é reservar e pagar na retirada do carro.

  • Thais

    Já afetou no decolar. Estava pela manhã pesquisando um hotel para pagamento direto no decolar parcelado. Evitando a cobrança do IOF.
    Quando entrei a noite para fazer a reserva estava lá a cobrança bem explicita do imposto somado ao valor total da reserva.

    • Thais, estranho mesmo. Olhamos agora em várias simulações e não apareceu nada. Pode mandar o print para nós pelo dicas@melhoresdestinos.com.br para consultarmos o Decolar sobre o motivo da cobrança?

      • Thais

        Leonardo, estou achando que o decolar retirou a cobrança. Ontem a noite e hoje pela amanha estava bem claro a cobrança identificada como IRRF. Quando fui olhar agora novamente para enviar o print não está mais aparecendo.
        No caso era uma reserva de hotel que não permitia cancelamento e deveria ser paga antes da estadia.

        Eu tenho uma dúvida, seguro saúde para viagem ao exterior seria isento? Ou teria também a cobrança?

        • Acho que foi isso mesmo, eles tiraram a cobrança já. Na verdade, esse imposto deixou o setor em pânico e trouxe muitas dúvidas. Sobre seguro saúde vamos pesquisar e postaremos aqui. Melhor consultar as empresas enquanto isso.

      • Antonio Saboia

        Leonardo, veja essa imagem. Acabei de procurar um carro e apareceu a mensagem do imposto sobre remessa.
        http://s9.postimg.org/56ype1a4v/deco.jpg

  • Foco no Hotéis.com, não cobra IOF, paga em reais, divide em 12x sem juros e faz parte da exceção, não tendo IRRF nas diárias.

  • Gustavo Aquino Leonardo

    E a compra parcelada no expedia ou decolar? Não são sites que estão no Brasil? E depois remetem o dinheiro para pagamento de hoteis?

    • Sites não brasileiros não são tributados em pagamentos feitos com cartão de crédito diretamente.

      • Gustavo Aquino Leonardo

        Pois é, mas decolar e expedia possuem filiais aqui. Tanto que não incidem 6,38% e ainda fazem parcelamento. Esta é a grande dúvida. E ai?

        • Nesses casos deve haver cobrança. O ideal é optar pelo pagamento em moeda estrangeira, direto no hotel, esquecendo o parcelamento. Mas antes tem que pesquisar e ver se de fato o imposto está sendo cobrado. Se tiver, melhor mudar a forma de pagamento.

  • Valéria Loureiro

    E o VTM como fica? Atualmente é 6,38/.
    Obrigada

  • Angelica Caroline Bertoldi

    Duvida! Reservei um hotel no final de semana pelo hoteis.com e já realizei o pagamento em Real. Pelo meu entendimento reservas nesta modalidade serão tributadas em 25% de IR. Certo? E essa reserva poderá ser tributada retroativamente?

  • Rodrigo Vaz

    Cassol,e no caso de fazer a reserva sem usar uma agência virtual,ou seja,direto no site do hotel no exterior? Vai depender de haver acordo de reciprocidade com o país em questão?
    A mesma coisa pra companhias aéreas de países “periféricos”,na África ou Ásia,caso não haja este acordo,ao usar o site da companhia pra fazer a compra,virá 25% além dos 6,28%?
    Obrigado.

  • Ramón Nervioso

    gostaram??? VOTEM NO PT de novo!!

  • Carlos Alberto Ranzani

    Boa tarde. No artigo, vc dizem que nada vai mudar para = Despesas com manutenção de dependentes no exterior, desde que não se trate de rendimentos obtidos pelos favorecidos;

    Remessas de pessoas físicas residentes no Brasil para cobertura de despesas médico-hospitalares próprias ou de dependentes.

    Isso é o que esta escrito nessa instrução normativa publica ontem? Até a ultima vez que vi, no site do Itaú ( na semana passada), estavam cobrando o imposto sim. Alguém sabe esclarecer esse tópico? Obrigado.

  • Luiz Muraca

    Hoteis.com e outras redes cuja vantagem era na isenção do IOF passam a ser tributadas, é isso? Ou seja, comprar no hotéis.com (em reais) ou no bookings (em usd) passa a ser 19% mais caro pela hotéis.com, é isso?

  • Vinicius

    Leonardo. Este post não está apresentando a informação corretamente. Lendo o post, fica entendido que comprando pela internet não estaremos pagando imposto, quando isto não é necessariamente verdade. Toda e qualquer compra que for feita em reais e pré-paga aqui no Brasil que se refere a prestação de serviços turísticos no exterior terá incidência do imposto, pois em algum ponto algum intermediário terá que remeter ao menos parte deste valor ao exterior. A única opção para não haver incidência do imposto é fazer compras com pagamento no destino.

  • Janete Clara

    E no caso dos cruzeiros? Pagando com cartão de crédito não cobram imposto é isso?

    • Janete, só se o pagamento for em moeda estrangeira para empresas não brasileiras.

  • Joao Vicente Pereira Morais

    Boa tarde, como fica a questão de saques no exterior? Estou indo para fora do Brasil em fevereiro e planejava sacar a maioria do dinheiro lá nos caixas ATM. Pagarei algum percentual a mais?

    • Não muda nada. Paga somente o IOF, que já pagava antes.

  • Joana

    Olá, boa tarde!
    Fiz uma compra hoje de passagem no Decolar, parcelada no cartão de crédito. Ela poderá ser afetada por essa mudança?
    Obrigada,
    Joana

  • Marcelo Cabral Ghilardi

    Oi, entendi que quem paga é quem trabalha, como sempre !! Mas ainda tenho uma dúvida, por exemplo, comprar pelo site ingressos da Disney, isso é muito “Turismo”, o governo não vai cobrar IR ? O que pago é o IOF na conta do cartão ?

  • Vinícius, de acordo com o que foi divulgado é possível pagar com cartão de crédito direto para o hotel ou para empresas que não tenham sede no Brasil. Nesses casos o imposto não será cobrado. http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/01/governo-isenta-educacao-e-saude-de-imposto-que-encarece-viagens.html

  • Bruno Pinho

    estava simulando diariamente no decolar ingressos pra universal e disney. e tudo aumentou. o valor só aparece depois quando vai em comprar.. e tá bem claro: “(Incluí imposto de renda sobre as remessas)”.. o preço de 5 dias é R$ 1.368. quando vai pagar sobe pra 1820. aumento de 33%

    • Sobre ingressos comprados do Brasil, como descrito no post, incide a alíquota do novo imposto. É melhor deixar para comprar lá, diretamente, sempre que isso for possível.

  • Danielsson

    A cada dia um 7×1 diferente.

  • V. Bezerra

    A família de minha esposa é chilena e enviamos todos os meses uma certa quantia $$ para eles, incidirá sobre isso o novo imposto?

    • Bezerra, a IN define algumas finalidades que são isentas. Ex: “Despesas com manutenção de dependentes no exterior, desde que não se trate de rendimentos obtidos pelos favorecidos”. Na dúvida é melhor consultar o seu contador ou um tributarista, pois tem que ver como comprovar a finalidade para a Receita.

  • Amanda

    Fiz uma reserva pelo Hoteis.com em dezembro do ano passado, optando pelo pagamento parcelado em cartão de crédito. Haverá essa cobrança no meu caso?

  • Felipe C.F.

    Equipe MD,
    Acabei de fazer uma simulação para hotel em Cancun pelo site da decolar.com, e para o hotel selecionado, independente da forma de pagamento, já incluí o imposto sobre remessa. Descrição:

    Dados do pagamento
    6 noites – 1 quartoR$ 6.459,84
    Impostos e taxasR$ 1.227,38
    Impostos sobre Remessas (IRRF)R$ 2.455,78 (!!!!!!!!!!)
    Total R$ 10.143 00

    Impressionante como essa medida irá afetar os gastos no exterior.

  • Bruno Prado

    alguem sabe dizer se eu enviar dinheiro pra minha propria conta no exterior, eu pagarei esse novo imposto?

  • World Traveller

    Acho que essa é a primeira vez que um AUMENTO DE IMPOSTO é realmente uma EXCELENTE MEDIDA! Pelo que deu para entender, só as agências de viagens (CVC, Tam Viagens, etc.) vão sofrer com a nova tributação. E isso é ÓTIMO!

    Agência de viagem é, como todos sabemos, um mero “despachante”, alguém que presta um serviço inútil e cobra caro por isso.

    Se esse imposto forçar os brasileiros a aprender a viajar SEM AGÊNCIA, comprando/reservando as passagens, os hotéis, os tíquetes, etc. diretamente com o fornecedor pela internet (ou por telefone via viber/skype/etc) e planejando e montando a viagem por pesquisa própria (tripadvisor/wikitravel/melhores destinos/lonely planet/etc), será um avanço e tanto. As pessoas vão se livrar dos pacotes caça-níqueis horríveis que as CVCs da vida montam e vão começar a aprender a viajar de verdade, com mais autonomia, economizando muito dinheiro e aproveitando a viagem como nunca.

    Sério, essa notícia foi ótima. Que ninguém nunca mais precise de agência de viagem.

    • Natasha

      ótimo! mais desemprego no país! uhuuu!!!!

    • Che Fc

      Tenha paciência. Serviço inútil? Já parou para pensar que muita gente não tem tempo, paciência ou conhecimento para pesquisar cada detalhe da viagem?
      Especialmente para quem vai fazer turismo em lugares com culturas e línguas completamente diferentes os serviços das agências de viagem podem ser fundamentais. Não é todo mundo que vai para o meio da China ou outro país da Ásia ou da África por conta própria, com a cara e a coragem. Ir em grupo com ajuda especializada e de confiança pode ser a melhor opção para não acabar sem os rins em uma banheira com gelo.

    • Deyvisson F. R. Almeida

      Olha, incrível te dizer isso, mas há quem não quer ter o trabalho de organizar, que cá para nós, toma um tempo do cão. Já perdi umas dezenas de horas aqui programando a minha do Japão, mas é algo que eu realmente gosto de fazer. Já economizei uma baita grana refazendo reserva de hoteis. Mas tem que gostar, não tem jeito…

      • World Traveller

        Oi, Deyvisson, com certeza! Dá trabalho! Mas é um trabalho necessário, não é apenas “trabalho por trabalho”. É um trabalho que faz toda a diferença. A primeira vez que viajei (para o exterior), já faz muito tempo, foi com uma agência de viagens. E a viagem, apesar de ter sido a primeira, não foi satisfatória. Então, na vez seguinte, optei por fazer tudo eu mesmo (inclusive os vistos!). E foi muito, mas muito melhor mesmo. São tantas coisas que mudam que fica difícil enumerar nesse espaço. Primeiro, claro, a liberdade de montar o roteiro da forma que vc quiser. Depois a liberdade de fazer o que vc quiser no destino. E o trabalho de montar a viagem te obriga a pesquisar sobre os destinos, fazendo com que seja uma experiência muito, mas muito superior. E depois que sai muito mais barato. Além do fato de vc escolher que tipo de hospedagem vc quer, etc.

        Agora, se vc NÃO GOSTA de nada disso, talvez vc não goste de viajar… ou então vc vai ter de pagar mais pra que alguém decida a sua viagem por vc. Enfim. Esse imposto ao menos pode encorajar muita gente a começar a gostar de viajar. É positivo.

    • Lidiane Mesquita

      Amigo nem todo mundo tem tempo livre que nem você, e muitas vezes não quer fazer tudo sozinho. E muitas pessoas como você que não tem conhecimento nenhum sobre como uma agência de de viagens funciona não sabem que muitas vezes podem inclusive economizar viajando com agências, pois tem bloqueios tanto de aéreo quanto de terrestre que pelo volume possibilitam acordos que baixam preços.

      Isso sem falar em quem precisa parcelar as viagens.

      As pessoas são diferentes e tem necessidades diferentes, e um bom agente de viagens faz diferença sim, consegue dar ótimas indicações, dicas e etc. Mas é como em qualquer outro setor, tem profissionais bons e ruins, tem agentes de viagens que só se preocupam em vender.

      Fora que qualquer problema com a viagem a agência tem responsabilidade, senão pode ser acionada judicialmente. Se você reserva sozinho e dá problema, que se vire.

      • gilberto

        Agência de viagem , mell dells , de volta aos anos 80 , é isso !

      • World Traveller

        Eu trabalho 40h por semana. Meu tempo livre é igual ao de qualquer pessoa que não seja um workaholic inverterado.

        Agora, economizar com agência de viagens, me desculpe, isso é conto do vigário. E eu sei do que estou falando, porque eu já viajei com agência de viagens (há muito tempo atrás, mas, enfim) e conheço muita gente que ainda viaja. E SEMPRE com a agência sai mais caro. SEMPRE mesmo. Ainda que a agência consiga uma boa promoção coletiva num hotel X, isso acaba se compensando por um superfaturamento no hotel Y. E ademais, se vc tem 12 meses pra planejar, pode esperar que as promoções vêm.

        Se o problema é segurança, o negócio é contratar um seguro de viagens. E, aliás, as pessoas costumam ter mais problema com a agência de viagens do que sem elas.

        Parcelar é um problema de quem quer ter problema. Se vc tem 1 férias por ano, vc tem 12 meses pra planejar a próxima viagem. Planejando por si próprio, vc pode reservar os voos e os hotéis paulatinamente, poupar antecipadamente, enfim, e não viajar “na loucura”, de uma hora pra outra.

        • Lidiane Mesquita

          Trabalhei um tempo em agência de viagens e consegui MUITAS vezes bater todos os preços que os clientes tinham procurado na internet, não é sempre que dá, mas muitas vezes é possível. E a maioria das pessoas não fica grudada na internet esperando uma promoção, então com os preços normais compensa sim. É sempre o mais barato? Não. Mas tem quem pague pela comodidade e não é muito a mais, é o justo.

          Você já tentou acionar um seguro viagem? Boa sorte pra ver o tempo que eles vão levar, provavelmente vai ter que resolver com dinheiro do próprio bolso e rezar pelo reembolso.

          Nem todo mundo tem a sua programação financeira, e nem todo mundo viaja todo ano pra fora. Muitas vezes parcelam pra poder conseguir pagar o pacote e os custos da viagem em si, principalmente famílias.

          Nem tudo o que é bom pra você é bom pra todo mundo.

          • World Traveller

            Nunca tentei acionar um seguro viagem, porque nunca viajo com um. Eu fiz as contas, e vale mais não pagar seguro (ou agência) nenhum e, se e quando der algum problema, absorver o prejuízo, que já teria sido pago por todas as vezes que eu deixei de pagar.

            Eu viajo com o seguro do “cartão de crédito”, que imagino que seja dificílimo de ser acionado. Mas, de qualquer forma, em uma “grande emergência”, eu tenho alguém pra processar judicialmente.

            Eu sei que há vários perfis e sei que muita gente vai precisar de agência de viagens (gente que não fala idioma estrangeiro, por exemplo). Mas o que eu vejo é muita gente jovem que cai no conto do vigário dos pacotes “peixe urbano” da vida e depois só se ferram, quando poderiam ter feito uma viagem muito mais barata e prazerosa.

            O que dói é a propaganda enganosa.

    • Fabio Alonso Pereira

      Acho que você nunca teve a excelente experiência de comprar em uma agência de viagens.
      Eu sou dono de uma agência e não sou um “despachante” como você diz que somos. Eu planejo, pesquiso o que há de melhor em preço, organizo e coordeno a viagem dos meus clientes com o maior cuidado, e eles sabem que podem falar comigo a qualquer hora por que estou de plantão para ajudá-los. E eles voltam felizes para comprar mais uma viagem por que sabem que consegui um upgrade no hotel na viagem de Paris, uma cortesia de passeio ou traslado em Roma e tiveram um atendimento VIP do meu fornecedor ao chegarem no aeroporto em Lisboa. E ainda dou dicas valiosas que eles jamais teriam se comprassem tudo na internet, por que eu viajo periodicamente e me especializo através de vários cursos que os Ministérios de Turismo de cada país oferece a nós agentes de viagem.
      E eu não cobro a mais do meu cliente por isso.

      Quando você compra na internet consegue isso? Claro que não, afinal de contas você só reclama dos serviços que adquire. Os seus comentários anteriores aqui que digam.

      Ah…Antes que eu esqueça. As OTA´s com CNPJ no Brasil também vão pagar o imposto, então já que você gosta tanto de comprar nelas se prepara para pagar mais.

      • gilberto

        Nem minha vó usa mais agência de turismo !

        • Pois a terceira idade esta viajando cada vez mais e via agências de viagens.
          Existe público pra todos os perfis, e a tecnologia nunca vai deixar de lotar um banco, todos os meses as agências do BB estão lotadas, com pessoas pagando contas de consumo na boca do caixa ou nas lotericas.
          Eu acho um absurdo quando vejo um jovem nos dias de hoje perdendo tempo em filas quando eu faço todos os meus pagamentos pela Internet ou pelo celular, mas cada um tem um necessidade, e pra cada necessidade há uma demanda, e eu respeito todas elas.

        • Sierratur Brusque

          E ela viaja?

      • World Traveller

        Bem, creio que vou comprar somente das que não possuem CNPJ no Brasil, não é mesmo? De qualquer forma, eu pesquiso em todos os lugares. Viajar é garimpar.

        Olha, eu não vou discutir se você sabe mais do que os fóruns de viagens, as páginas de internet, etc., podem informar. Se vc acha que o seu serviço é valioso, que bom pra você.

        De minha parte, e de tudo que eu já ouvi por aí, desde amigos que utilizam agência de viagens até relatos de internet, eu estou absolutamente seguro que, para lazer, planejar por si mesmo e comprar diretamente é muito, mas muito melhor.

        Claro que, para minha vida profissional, eu utilizo agência de viagens, e me é muito útil, porque quem paga é meu empregador e eu não tenho o menor interesse em perder tempo em planejar uma viagem de negócios. Agora, para lazer, no meu ponto de vista, as coisas se invertem muito. Viajar sem agência é imensuravelmente melhor e recomendo a todos.

        • Sierratur Brusque

          que bom que vc tem tempo para pesquisar na internet, mas o que diz la num site “Isso eh muito bom”, sera bom pra voce? a consultoria em qualquer ramo tem suas vantagens, e a nossa eh saber exatamente o que eh bom pra voce. Talve algum amigo seu tenha tido uma ma experiencia em agencia, mas nao que somos dispensaveis.

      • EIion Tallet

        Talvez o perfil do cliente faz a necessidade, tem muitos que tem tempo e não tem dinheiro pra viajar aí fica querendo fazer tudo sozinho e acha que contratar um profissional pra isso é desnecessário…. É o mesmo que fazer um puxadinho sem precisar de um arquiteto ou no minimo um mestre de obras. Contratar um profissional agente de viagens é muito mais que um despachante é confiar e ter um suporte necessário em caso de uma necessidade.

        • World Traveller

          Achei péssima a comparação. A ideia de fazer um puxadinho por si mesmo é economizar sacrificando a qualidade do trabalho. A ideia de fazer uma viagem por si mesmo é economizar aumentando a qualidade da viagem. As viagens feitas por si próprio são, sempre, melhores que as viagens sem independência, sem liberdade e sem customização adequada que as viagens padrão das agências.

    • Pedro Braun

      World Traveller, espero que sua profissão nunca corra perigo de extinção e sua família nunca corra risco de passar necessidade.

      Pois é isso que pode acontecer com milhares de profissionais do turismo e suas famílias.

      Sua falta de sensibilidade ao ganha pão honesto dos outros é surpreendente. Se espera mais de uma pessoa supostamente bem viajada como você.

      • World Traveller

        Pedro, me desculpe, eu não quis ofender ninguém. Mas, enfim, é o que eu realmente acho. As profissões mudam, são sinais dos tempos, não há como frear isso. Infelizmente os datilógrafos não são mais necessários, se reposicionaram… se a minha profissão um dia se tornar desnecessária, eu vou partir para novos desafios. O mundo muda, a gente tem de se adaptar.

        • gilberto

          Exato, agencia de turismo é meio que anos 80 !

          • World Traveller

            Totalmente!

          • Canto Do Mundo

            Hahahahahahahha.. eu só consigo achar graça de ler esses comentários. A profissão do agente de viagens está passando por mudanças e acredito que com essa medida do governo vai transformar a vida de muuuitas pessoas e familias. Mas, como o amigo falou acima.. viajar dá trabalho. Pesquisar o melhor hotel que se encaixa no bolso e gosto dá trabalho, fazer o day by day dá trabalho. Existem pessoas que preferem fazer td sozinha, mas por favor, n menospreze quem prefere pagar pra ter tudo na mão e muito menos, quem trabalha pra atender essas pessoas.
            Assim como eu prefiro pagar um marceneiro pra fazer meus móveis, do q ter que procurar algum “fórum” na internet pra me ensinar como fazer minha mesa de jantar. Ou, como eu prefiro pagar um corretor de imóveis pra me mostrar um apartamento que se encaixa no meu perfil, do q ter q procurar em 98 sites de imóveis. Ou, como eu prefiro pagar uma empresa de buffet pra servir no meu casamento, do que eu ter q cozinhar e servir meus convidados sozinha. (Espero q vc consiga entender o comparativo.)

            Veja, meu amigo, o mundo mudou. Todo o conhecimento está disponível em “fóruns” na internet. E todos são capazes de fazerem td por conta própria. Mas tem gente que simplesmente não quer ter q procurar sua viagem na internet.
            Respeite o modo de viver do outro.

          • EIion Tallet

            Tem gente que não vai ao médico, faz consulta no google! Pois bem, eu com todas as informações e ferramentas disponíveis ainda assim compro na minha agência de viagens, prefiro pagar a comissão (que nem sempre pago já que muita coisa o fornecedor paga pra ela), do que ter dor de cabeça de fazer tudo sozinho.

          • World Traveller

            Eu respeito, mas o seu comparativo é meio ruim. Um marceneiro tem um conhecimento e uma habilidade técnica pra fazer a mesa, o armário. Já a viagem qualquer um faz, basta pesquisar. Não precisa estudar pra ir no skyscanner procurar um voo barato, ou acompanhar os melhores destinos, ou ir no booking, hoteis.com, tripadvisor, trivago, ou entrar no lonely planet, em página de mochileiros. Enfim, é conhecimento comum, não é um conhecimento técnico.

          • Stelios Kokkinakis

            vc bate na tecla tb q somos inúteis neh meu chapa? nem sabe o que agência pelo jeito!

        • gilberto

          Várias vezes que comprei de agencias quando comecei a viajar fui tirado para dançar bonito, e hoje quando compro minhas viagens pela internet as vezes vou em agencias só por mera curiosidade e noto que elas continuam do mesmo jeito, é sempre quase o dobro do preço !

          • Stelios Kokkinakis

            q tipo de agência vc visita? tem galera q acha q uma cvc e tam viagens vão ter todas as informações!

      • Dayana Olimpio

        Concordo com você Pedro. É muito desdenho pela profissão alheia. Se ele soubesse o trabalho que da programar a viagem ao gosto do cliente ele não falaria isso.

    • Eduardo Menezes

      Cara, você não consegue perceber que todos saem perdendo? Além de a indústria do turismo ser prejudicada por motivos óbvios, o turista que faz tudo por sua conta (que é o meu caso) no mínimo vai ser prejudicado pelo IOF de que todos tentamos fugir. Eu mesmo sempre dei preferência por serviços que fossem prestados por empresas que cobrassem em Real (decolar, hoteis.com, etc), pois além de fugir o IOF, sabia o preço que ia pagar, sem ficar refém da variação cambial do fechamento do cartão.

      Ademais, existem pessoas que não têm toda essa desenvoltura que a maioria dos leitores do MD possuem, que são majoritariamente turistas profissionais, e dependem, sim, de agências para se programarem.

      E, por fim, como a lei de mercado tem como referência o concorrente, quando as operadoras internacionais virem seus concorrentes brasileiros oferencendo preços 30% superiores aos seus, eles subirão suas margens equiparando-se aos preços nacionais. Só como exemplo, basta ver o preço do etanol e da gasolina, eles variam muito mais para acompanhar os preços um do outro, do que para se adequarem aos seus custos de produção. A gasolina sobe, o etanol imediatamente sobe, mesmo não havendo qualquer motivo de custo envolvido para o aumento.

      • World Traveller

        Eu sou totalmente CONTRA o IOF! E foi um absurdo eles terem aumentado 6% o IOF no cartão de débito!

        Eu estava falando exatamente sobre esse novo imposto de 25%, e não do IOF de 6,38%.

        De resto: FUJA do decolar.com, é uma propaganda enganosa ambulante. Muito cuidado, sempre pesquise em 4, 5 empresas distintas antes de fechar com o decolar.com.

        Eu uso o hoteis.com também. O hoteis.com não será afetado pelo imposto segundo informou o Cassol (e, se for, basta acessar a página deles em inglês).

        Agora, o seu último raciocínio está completamente equivocado. O booking não vai subir seu preço pq os agentes nacionais subiram em função do imposto. O booking é um website internacional de amplo alcance (assim como o hoteis.com, agoda, expedia, hostelbookers, etc.), eles não vão usar a realidade tributária de 1 país pra aumentar o preço pro mundo todo. Não é possível e não faz sentido nenhum.

        • Patrick Araujo

          Caro World Traveller,

          Vi que voce demonstra ser uma pessoa viajada, que conheceu diversos países sem a necessidade de agências de viagens pois você acha que são inúteis.

          Talvez não saiba, mas o Tio explica para voce sem te cobrar as altas comissões ok?
          Hoteis.com, Expedia, Hostelbookers (putz viajante, nessa vc apelou) também são agências de viagens sabia?

          Tente ter coerência nas suas declarações ok?

          • World Traveller

            Apelei por quê com o hostelbookers? É tão bom quanto o hostelword pra reservar hostéis/albergues/guesthouses.

            Enfim, se você quer “rotular” o booking e congêneres como “agência de viagens”, tudo bem. Como eu me cansei de dizer aqui, eu não me preocupo com rótulos. Mas é meio que ÓBVIO que eu não estou falando desse “tipo” de agência de viagens, né? Estou falando das agências de viagens em que você contrata pra fazer a sua viagem, e não os sites de marcação de hotel.

            Aliás, se hoteis.com, booking.com, hostelbookers, etc., são agência de viagens, está aí o futuro das agências. Realmente eles prestam um serviço útil.

            Mas, enfim, você tentou dar uma de espertalhão “técnico” se apegando a rótulos e esqueceu do básico: o problema é que deixar para um agente de viagens decidir todos os apectos de sua viagem não é só ruim do ponto de vista financeiro, é ruim do ponto de vista da viagem, do quanto você vai aproveitar e do quanto vão te explorar com roteiros caça-níqueis. ISSO é o problema, e não a possibilidade de através de um site você comparar preço de hotéis.

    • Fábio Wagner

      World Traveller, acabei de postar um comentário sobre uma cotação de viagem para a África do Sul que fiz no mês passado. Faço todas as minhas viagens por conta, desde a primeira, pois sei que a margem de lucro das agências é absurdamente gigante.

      Só para ter uma noção, eles queriam me cobrar US$1.500,00 só na parte aérea do Brasil para a África, ou seja, arredondando para baixo, R$6.000,00. Fazendo uma pesquisa básica na Internet, você acha a mesma passagem pela metade do preço (R$3.000,00), e olha que nem promoção é!

      Infelizmente no Brasil a maioria dos setores tem uma margem de lucro absurda, e no final apenas os impostos são os culpados. Quem dera!

      • Sierratur Brusque

        Ola Fabio, margem ABSURDAMENTE GIGANTE? voce esta enganado, nossa comissao eh de 6 a 12%.
        O que voce pode ter feito eh cotado com uma agencia que escolheu os voos errados para voce, nem sempre tarifaram a melhor tarifa. Mas acredite, nao tiveram 3mil de lucro nao. PASSAGEM AEREA EH TABELADA, em qualquer site do MUNDO, o que muda eh a base tarifaria. Se informe um pouco antes de julgar os outros. O mesmo voo que voce achou na internet qualquer agencia tem, apenas nao procuraram direito.

      • World Traveller

        Com certeza, Fábio! É um absurdo a margem de lucros que eles têm em cima das pessoas inocentes que caem na propaganda enganosa deles. E isso é o que dói mais: vendem uma viagem como se fosse uma pechincha, e no final sai caro demais. A propaganda enganosa é terrível.

    • Elis Serrano

      Amigo, você está engando. Não é uma notícia boa, nem para economia nem para você. Essa medida pode colocar em risco 185 mil empregos diretos e com esse tanto de desemprego todos os brasileiros perdem. Você também foi afetado, só que com o raciocínio lento ainda não percebeu. Se você quiser por exemplo fazer um cruzeiro fora do Brasil com a Royal, vai pagar mais caro, pq a Royal cobrava um cambio menor para pagamentos efetuados do do Brasil. Agora a opção é pagar com a Royal lá fora, ai não tem cambio reduzido, tem a incidência do IOF e ainda fica sujeito a instabilidade do câmbio. E esse foi só um exemplo.
      Ah, e viajar só uma vez por ano? Isso é coisa de quem não sabe programar viagem. Quem sabe se programar de verdade consegue viajar muito mais. 😉

      • World Traveller

        Eu concordo! Eu viajo muito mais que uma vez por ano, até porque minhas férias são parceláveis 😉 O exemplo que eu dei são de pessoas comuns que geralmente usam do serviço de agência de viagens.

    • Monique Santos

      Desculpa mas serviço inutil? Se fosse inutil não precisariamos fazer faculdade para trabalhar na area, cursos e treinamentos in loco para poder auxiliar os clientes e ter conhecimento pleno daquilo que estamos sugerindo para cada um. Não fale o que você não sabe, em primeiro lugar as agências não cobram nada pelos serviços prestados, quem paga nosso trabalho são os fornecedores, ou seja o cliente não é prejudicado e outra temos viagens em grupos, forfaits (sabe o que é isso? Pacote de acordo com o que o cliente quer), viagens individuais, ou seja da melhor maneira e como o cliente procura. Se você acha que o google vai te ajudar o resto da vida, sorte sua. Agora se tiver um problema e não conseguir “falar” com o google quero ver se você não vai lembrar da agência de viagem. Já tivemos casos de internação grave, morte na familia que precisou alterar o bilhete, overbooking e em tudo isso temos que dar suporte.
      Vem trabalhar um dia numa agência de viagens e vamos ver o que você acha de nós inuteis.
      Você não trabalha? Não recebe seu salário? Seu chefe ou se você for autonoma não coloca o lucro em cima do produto? ahhh então você é inutil também ne?
      Pense antes de falar.

      • World Traveller

        Desculpe, Monique. Mas é exatamente DISSO que estou falando. Dessa mentira deslavada e desonesta de que “quem paga são os fornecedores”, e não o cliente. É o cliente que paga SIM. É o cliente que vai numa agência de viagens e paga 2x mais por um serviço que pode ser feito por ele mesmo pela internet, de forma até mais rápida e sem complicação. É o cliente que é levado por PROPAGANDA ENGANOSA a acreditar que o “pacote” está barato, quando está muito mais caro do que seria se ele comprasse/reservasse diretamente nos fornecedores.

        E o que mais me deixa triste são os pacotes “caça-níqueis” que vocês arrumam. Nunca a viagem é proposta para que o cliente aproveite, é sempre proposta para que o cliente COMPRE, GASTE. Tours com agências de viagens (as agências comuns) são sempre assim: olha um monumento por 10 minutos e 2h dentro de um shopping/loja/centro comercial, mais 10 minutos olhando um ponto de interesse e mais 2h de compras. Parece sempre que a viagem foi feita pra extorquir o cliente e fazê-lo gastar com fornecedores, e não para que ele realmente aproveite o que o destino tem a oferecer.

        E sim, é muito mais fácil falar com o “google” do que com a agência de viagens. É muito mais simples resolver problemas diretamente com o fornecedor do que com a “agência de viagens”. Pelo que vejo, os maiores problemas do viajante são com as agências de viagens, e não com os fornecedores diretos.

        Ter de fazer cursos não atesta a “utilidade” do serviço. Todo datilógrafo teve de fazer um curso de datilografia.

        Se um dia meu serviço/meu ramo se tornar desnecessário, eu vou procurar por novos desafios. Vou me readaptar e me reposicionar, não vou ficar com discurso classista pra que o “progresso” não torne a minha atividade inútil.

        • Monique Santos

          Acho que quem trabalha numa agência de viagem sou eu e entendo mais disso do que você. Tem operadoras sim que são mais caras que outras e por isso cotamos em várias para ver o melhor custo beneficio. E quem repassa pra gente é o fornecedor e não o cliente. Você acha que está lucrando na internet??? Acorda, nunca viu taxa de serviço no site como decolar e outros? Esta é a taxa que eles cobram pelo trabalho deles. Ou seja você está pagando uma taxa extra por um trabalho que você está fazendo sozinha. Torço para que tudo de certo em suas viagens, mas se um dia precisar de um agente, tenho certeza que o inutil se tornará util. Não vou ficar discutindo meu trabalho e de outros milhões de agentes com você, porque cada um sabe seu potencial.

          • World Traveller

            Eu não preciso trabalhar numa agência de viagens pra saber com as coisas funcionam. DECOLAR é uma FRAUDE, é PIOR que agência de viagens e eu NUNCA usei o decolar. Eles cobram taxas iguais (ou até maiores) que agências, é um absurdo e ainda mais do jeito que eles fazem, que é só falar da taxa depois que toda a pesquisa foi feita. Eu não uso decolar. Eu uso skyscanner pra passagens aéreas, e eles não cobram taxas porque ELES NÃO VENDEM PASSAGENS, eles só efetuam a pesquisa e te informam em que cia aérea vc pode comprar com o preço pesquisado SEM TAXAS ADMINISTRATIVAS. Uso o melhores destinos também, mas vejo o preço aqui e vou direto na cia aérea (não uso o submarino viagens que é igual ao decolar).

            Aliás, sobre isso que vc disse eu concordo completamente. Decolar é uma agência de viagens em que vc paga tão ou mais caro que numa agência sem que vc tenha a comodidade de deixar o trabalho para um agente. A questão é que decolar não é parâmetro (nem submarino viagens, nem tam viagens), o que é vantajoso é fazer tudo por VOCÊ mesmo, fazer a pesquisa num site de pesquisas (skyscanner, kayak, etc.) e comprar diretamente com o fornecedor.

      • World Traveller

        Hahaha.

        Existia curso técnico pra ser datilógrafo, sabia?

        É mentira, quem paga o trabalho de vocês não só – somente – os fornecedores. Os fornecedores pagam, e o cliente paga também. Por favor, sem essa propaganda enganosa num forum desses, onde as pessoas sabem muito bem do que vocês estão falando.

        É muito mais fácil o cliente resolver seus problemas diretamente com o “google” ou com o fornecedor direto do que com o agente de viagens. E a maioria dos contratempos são causadas pelos agentes de viagens e suas negociações bizarras. Quando você terceiriza um serviço, a probabilidade de problemas acontecerem dobram, porque são 2 pessoas (ou empresas) querendo ganhar em cima de você.

        E se um dia o meu trabalho se tornar inútil, eu vou procurar novos desafios, oras. Não vou ser um datilógrafo revoltado com o advento do computador.

    • Sierratur Brusque

      Caro, World Traveller, não sei quem você e’, ou o que faz ou deixa de fazer. Ate porque você não se identificou como pessoa. Bom, meu nome eh Willian Munch, sou proprietário de agencia de viagens e sinceramente, tenho pena de uma pessoa tão mesquinha, ignorante e repugnante como você. Primeiramente você compara o ramo de agencias de viagem com a CVC, a CVC eh apenas uma das agencias/operadoras deste Brasil, sendo que ela tem seu publico, muitas pessoas precisam sim de pacotes como os da CVC. E não existe somente a CVC no Brasil, dependendo do produto que você deseja a CVC não vai ter. Você tem que aprender que o nosso serviço eh de CONSULTORIA, e não de “despachante” como você menciona. Nosso conhecimento eh vasto, sempre estamos nos atualizando com as novidades do destino, além disso, conhecemos o nosso cliente, sabemos o que ele espera de uma viagem. A internet eh muito importante, mas eh FALHA, ela não sabe quem você eh, um hotel 4 estrelas pode ser bom para VOCÊ, mas para alguns clientes meus não servem, ou pode ser ruim um 5 estrelas para você, mas para alguns clientes meus será ótimo. Além disso, planejar uma viagem leva tempo, se você tem tempo para pesquisar e procurar as inúmeras opções e opiniões que a internet passa, parabéns, mas muitos não tem esse tempo disponível, e precisam dos nossos serviços para conseguir o melhor do destino. Então, aprenda que ninguém esta aqui pra ser caça-níquel do cliente, estamos aqui cobrando por um serviço de consultoria para que a viagem seja a melhor possível. Se você teve alguma experiência ruim no passado com alguma agencia, troque de agencia, talvez aquela não se encaixou no seu perfil, mas outra se encaixara. Agora se você consegue ou pode fazer tudo por conta, que legal, mas não deseje o fim de um setor que ainda eh muito importante, a cada dia que passa, mesmo com diferenças de tarifas, pessoas de toda a região me contratam para que a viagem de sonhos deles sejam realmente de sonhos, e o meu esforço diário esta mudando pessoas como você. Te desejo o melhor, e não se esqueça, o mundo da voltas, hoje sofremos no nosso ramo, amanha pode ser o seu!

      • World Traveller

        Fico feliz em ver que as agências de viagens estão mostrando a sua verdadeira cara, caro Willian. Imagino como deve ser legal o atendimento ao cliente de vocês que aparecem na internet com o perfil oficial da empresa xingar pessoas que não conhecem de “mesquinhas, ignorantes e repugnantes”.

        E ainda fica frustrado porque eu não postei meu verdadeiro nome, impedindo que você me “googlasse” pra descobrir algum “ponto fraco” e usar de baixa “falácia ad hominem” contra mim. Pois bem, eu não vou te “googlar” ou “googlar sua agência” pra descobrir algum “podre” e usar contra você. Não é do meu feitio e o seu post já fez o serviço de mostrar qual o tipo de tratamento que vocês têm com o público em geral.

    • paluzoid

      Em out/2014 comprei 1 semana em um bom hotel em Aruba, viagem gig-aua-gig pela avianca e aluguei um carro td por conta propria pra mim e pra minha dignissima (Aruba eh um lugar bem caro). Isso td deu 7000 cruzeiros contra 14000 na cvc. O Dobro!

      • World Traveller

        É exatamente isso, paluzoid. A propaganda que eles fazem é ABUSIVA, ENGANOSA e visa ganhar em cima da pessoa comum, do velhinho, do pobrezinho, da pessoa humilde que acredita nesses papos deles.

      • Jonathan

        Duvido!

    • Guilherme Leithold

      Eu conheço bem o seu tipinho. Entra em contato com as agências, ou amigo agentes de viagens, suga todas as informações, dicas, orientações e faz sozinho, mas antes tem a mesquinharia de pedir todos os descontos do mundo. Não vou nem falar sobre ser mais barato ou não, pois provavelmente você também não come em restaurantes porque tem um cara que cobra para fazer a sua comida, costura a sua própria roupa, constrói seu próprio aparelho celular, e ainda não acredito como esta usando a Internet, ops já sei, esta pegando o sinal de alguém para não pagar também..

      • World Traveller

        Haha, uau, vc me conhece mesmo, eu sou o mega-hipster anticapitalismo vegan paleolítico! kkkkkkkkkkkkkkk

        Não, não sugo as informações e dicas de agentes de viagens ou agências de viagens porque todos eles sabem muito menos do que EU, apenas com o conhecimento fácil obtido pela internet. Não peço descontos e não negocio, não preciso negociar. Eu vou direto no menor preço pelas pesquisas de internet. E sim, eu como em restaurantes, haha. Porque comer e restaurante e comer em casa (apesar de eu gostar de cozinhar) são experiências totalmente diferentes e eu gosto de todos os tipos de experiências. Já viajar com agência não é uma experiência diferente, é a mesma experiência, só que mais cara, mais limitada e sem liberdade.

        • Guilherme Leithold

          Viajar é uma experiência. O papel da agência é garantir que ocorra tudo bem, que tenha um suporte para quando algo der errado, que tenha a quem recorrer mediante um erro do Hotel, da Cia aérea, da seguradora, do receptivo e de todos os serviço, a agencia é para melhorar a sua experiência. Tem tudo na internet, eu não descordo de você, mas a internet não te fala nenhum detalhe técnico, nenhuma dica de como aproveitar melhor o itinerário do seu voo, acho que o viajante deve sim pesquisar bastante sobre o que quer fazer e onde ir, mas a agência entra para aconselhar e auxiliar a fazer uma viagem melhor, mais proveitosa e mais barata, isto é completamente o oposto de limitar e sim dar mais ferramentas e opções para o cliente.. Mas em fim, tu sabe muito mais que todos os agente de viagens, então não preciso ficar te ensinando qual o papel de uma agência. Grande abraço

        • Dayana Olimpio

          MEU Deus rapaz !!! Você acha que a internet sabe tudo ??? Que as dicas e vivência de um agente de viagens não contam ?? E quem você acha que colocou os conteúdos que você lê na internet ??? Já parou para pensar que o conteúdo que você lê são de pessoas que trabalham com isso. Que você já pode ter lido vários artigos de agentes de viagens formados ou não. Esses agentes que você chama de “despachantes”. Quando você tiver algum problema na sua viagem tenta resolver pela internet também… Você com certeza não conhece boas agências de viagem e como o rapaz citou acima, suga informações mesmo que indiretamente delas.. Não se iluda achando que todo o material que você lê e pesquisa não são de pessoas da área…

          • Não quero entrar nessa briga, mas a produção de conteúdo para sites de turismo na internet não é função dos agentes de viagens. Se há uma classe profissional que tem conhecimento técnico para isso somos nós, jornalistas! 🙂 Mas é claro que hoje em dia todos os que viajam produzem seu conteúdo, escrevem em sites, blogs, fóruns. Não há nada errado nisso, afinal, eles têm o que mais importa: informação! E com a informação, todos podem planejar suas viagens sem agência e sem diploma de turismo, assim como podem escrever sem diploma de jornalismo. Sim, nossa profissão esta tendo de se adaptar aos novos tempos, assim como a de vocês. Muitos postos de trabalho em jornais e revistas estão sendo fechado, mas muitos profissionais de imprensa têm encontrado ocupação em novas mídias e funções. Não adianta lutar, pois é um processo irreversível e faz parte da evolução da sociedade. Quem não se adaptar vai ficar de fora do mercado mesmo! Como o World Traveller bem apontou, não temos datilógrafos, tipógrafos, leiteiros, vendedores de enciclopédias, telefonistas…

          • World Traveller

            SIM, DENIS CARVALHO! Quem produz conteúdo pra viajantes são 2 tipos de pessoas: OS PRÓPRIOS VIAJANTES nos fóruns e blogs próprios, e os JORNALISTAS nas publicações e sites especializados. AGENTE DE VIAGENS não produz conteúdo, agente de viagens retém o conteúdo e só o libera após pagamento. E isso é exatamente o que significa ser um agente de viagens.

          • World Traveller

            Aliás, obrigado pela sua opinião, Denis Carvalho. Acho que você conseguiu falar mais claramente algo que eu estou tentando falar desde o primeiro post e, talvez por ter sido um pouco ácido (e desnecessariamente ácido, faço a mea culpa), acabei sendo mal compreendido desde o início.

            Mas é isso, é exatamente o que o Denis Carvalho disse o que eu quis dizer desde o início.

          • World Traveller

            Egocêntrico? EGOCÊNTRICO?? De onde vc tirou isso? Egocentrismo é querer enganar as pessoas pra fornecer um serviço que elas podem fazer por si mesmas só pra ganhar em cima. ISSO é egocentrismo.

            É claro que eu sei quem coloca conteúdo na internet. E claro que sei que NÃO SÃO as agências de viagens (ao menos não o conteúdo útil). Quem coloca o conteúdo na internet são… OS VIAJANTES! Os turistas, os blogueiros. Não vejo nenhum agente de viagem ajudar “gratuitamente” alguém nos fóruns do tripadvisor, em fóruns de mochileiros, no lonely planet. Não vejo agente de viagens colaborar com o wikitravel, com o minube, enfim. Eu colaboro. Eu estou sempre no tripadvisor não só fazendo avaliações, mas respondendo dúvidas de outros viajantes nos fóruns específicos (não só eu como um monte de gente). Experimente: coloque uma dúvida aleatória nos fóruns do tripadvisor. Se não for um destino muito desconhecido, certamente em poucas horas (ou às vezes até imediatamente) alguém vai ter respondido a sua questão. E esse alguém NÃO É um agente de viagens. É só outro viajante que já foi pro local que vc pretende ir.

            O conteúdo de viagem é colaborativo. Quem viaja dá as dicas. Agente de viagens cobra pra dar dicas que as pessoas dão de graça. E aí é que está a diferença (abissal): a dica de outro viajante geralmente visa fazer com que você escape de gastos inúteis. A dica de um agente de viagens em geral é sempre pra gastar mais pra ele ganhar em cima (e às vezes usa de terrorismo pra isso).

            É a velha história, é sempre melhor perguntar pra alguém que faz aquilo por paixão do que pra alguém que faz como trabalho.

            Ah, e os problemas que tenho nas minhas viagens eu resolvo pela internet também 😉

    • cristiana

      Ótimo…. Vamos comprar tudo lá fora pela net…. eu mesma não vou mais ao médico, nem a shoppings. Decoro minha casa… Compro sapatos e bolsas pela net…. Nem me preocupo com os empregos das pessoas… Pra quê né ??? Sou assalariada e o meu cai na conta todo mês…. Sejamos assim mesmo, totalmente egoístas…. O Brasil merece o povo e governo que tem…. Quero fugir desse país de egoístas e sem educação…. Ahhhh !! Esqueci… O governo cortou 50% da verba p Educação e aí dá nisso… e viva o PT ….👏👏👏👏👏

    • Dayana Olimpio

      Olha rapaz, li alguns comentários seus e o que as pessoas falaram pra você e realmente percebi que você entende de viajar, mas não sabe nada sobre a profissão de um agente de viagem e o trade em que trabalhamos. Você já viu alguém trabalhar de graça ??? Nem relógio trabalha de graça meu amigo e acredito que você também não. Todos nós agente de viagens precisamos do nosso ganha pão. Você acha abusivo a comissão que as agências cobram dos passageiros, mas você não sabe que por trás dessa comissão há pelo menos 4 anos de gastos com a formação do profissional de turismo, anos ganhando pouco em estágios, mais anos ganhando pouco, porque as agências não pagam salários extraordinários como você deve estar imaginando. Você consegue sustentar uma família de 4 pessoas ganhando R$ 1800,00 ou menos morando no Rio de Janeiro ??? Acho que não, mas tem muita gente que tenta sabia ??? E tem MUITA gente que vive da comissão desses “pacotes caça-níqueis” aos quais vc se referiu de forma pejorativa. Você não pode generalizar os serviços de todas as empresas. Cada empresa foca em um segmento e tem um tipo de atendimento diferenciado. O cliente é livre pra escolher se quer viajar por conta própria ou com auxilio de uma agência de viagens. AGORA na hora que da merda, na hora que essas empresas que vendem em massa pra passageiro direto, não honram o combinado, pra onde o cliente liga ??? Pra agência de viagens pedindo o NOSSO suporte pra sanar o problema. Eu já presenciei isso várias vezes. Dito isto, acho que você devia se informar um pouco melhor sobre a profissão de um agente de viagens, antes de misturar alhos com bugalhos. Abaixo você citou o passeio que fez pra Gramado, que foi 70% de compras, você ou seus pais leram o descritivo do passeio ? Entraram em contato com a empresa de receptivo pra saber como era o passeio, tempo de duração, tiveram esta curiosidade ? Acredito que não, mas é direito e dever seu saber o que esta comprando. Você não era obrigado a fazer o passeio com eles, mas por algum motivo seus pais preferiram um serviço personalizado do que fazer por conta própria. Você não gostou de ter ido na loja da Tramontina, mas te garanto que alguém que sabia o roteiro do passeio, parou um pouquinho pra ler e se informar, foi sabendo o que ia acontecer e gostou. O mal de pessoas desinformadas como você é não parar pra ler, obter informações. Quando você aprender a fazer isso vai parar de quebrar a cara com serviços que não lhe interessam e parar de falar mal do que você não conhece. FICA A DICA 😉

  • Mauricio Krijer

    Aperta o 13 e vota com força!!!

  • marcus vinicius anaya

    Leonardo, excelente post, obrigado. Uma pergunta como fica aluguel de carro? Se fizer por agência de turismo tem a cobrança, certo? E se utilizar Rentcars ou Rentalcars por exemplo, tem o mesmo efeito do Booking, ou seja não há cobrança? Obrigado

  • Isabel Bartira

    Primeiramente, muito obrigada pelo post. Tinha ficado sabendo dessa notícia e estava desesperada….
    Mas fiquei com duas dúvidas ainda…. Vou viajar para o UK no fim do ano e preciso comprar passagens aéreas lá dentro e passagens de trem. Posso comprar direto no site dessas empresas sem ser cobrado esse imposto?
    Outra dúvida, o imposto não se aplica para ingressos comprados pela internet neh!? Ou se aplica?
    Muito obrigada!!!

  • Eliane Figueiredo

    Pretendo viajar ao exterior e contratar, aqui no Brasil, os serviços de uma empresa italiana que fará alguns passeios. Tenho q fazer essa transferência para a agência de lá. Queria saber se vai incidir imposta sobre essa transferência.

  • Julio Brandao

    Venezuela mode on. Triste caminho.

  • Tiago Costa Do Vale

    O decolar é tarifado? A sede é no brasil ou no exterior?

    • Natasha Martins

      decolar é tarifado. simulei lá hj e quase cai dura.

    • Tiago, a saída mais segura é reservar optando pelo pagamento no hotel. Empresas como o Decolar tem subsidiárias no Brasil e quando oferecem pagamentos em real e parcelamento acabam remetendo recursos ao exterior. Nesse caso, é possível que passem a cobrar o imposto. De qualquer maneira no momento da reserva isso ficará indicado, se for o caso. Então fica fácil saber se o imposto será cobrado.

      • Tiago Costa Do Vale

        Excelente matéria, parabéns a equipe MD!

  • Georgina

    Minha filha estuda na Argentina e eu lhe envio dinheiro via cartão de débito, será descontado o novo imposto nesse caso?

  • Natasha Martins

    e o tais Bancorbras, rdc, montreal da vida?
    há varios hoteis no exterior, nos quais os sócios podem se hospedar.
    quando faz a reserva em hotel no exterior, há remessa de $ lá pra fora.
    quem paga o pato, ops, o imposto?

  • Pode sim! Quanto aos ingressos, se aplica se comprado do Brasil. Tente comprar diretamente pagando em moeda estrangeira com cartão de crédito ou deixe pra comprar diretamente na cidade de destino, se possível.

  • Vale apenas a partir de 1/1/2016.

  • Anderson

    O IOF de compra de moeda em espécie é 6,28% ou 0.38%?

  • Adailton Henrique

    Lacra o 13 IMBECIL!

  • gilberto

    Pelas perguntas notasse que não entenderam o texto !

    • maria lucia

      nota-se

  • gilberto

    Vou simplificar, tudo o que vcs forem comprar ou pagar, ou transferir, observem o preço final e decidam se vão querer ou não, surpresas não vão aparecer posteriormente ! simples assim

  • Maria

    Equipe MD me esclareçam uma coisa,
    Então nós, pessoas físicas, não teremos que pagar diretamente estes 25%?
    Só as empresas, pessoas jurídicas, citadas no post?
    É isto?
    Grata,
    Maria

  • 0,38%

    • Anderson

      obrigado Léo!

  • Adailton Henrique

    Lacra o 13 IMBECIL!

  • Marcus, provavelmente haverá cobrança de imposto se sua opção de pagamento não for direto com a locadora em moeda estrangeira. Essa opção é a mais segura. De qualquer maneira, se houver cobrança de imposto estará indicado no momento da reserva.

  • O mais seguro é comprar no local ou diretamente já que a sede não deve ser no Brasil, pagando com cartão de crédito em dólar.

    • Marcelo Cabral Ghilardi

      Sim, mas o pagamento é direto no site internacional, então tranquilo ?

  • Tony Warlley

    Ingresso Disney 2 dias no Aviãozinho ontem R$ 2561,00 hj já está R$3526,00 com os dizeres (Inclui imposto de renda sobre as remessas).

    • Melhor comprar lá, Tony. Assim evita o imposto!

      • Tony Warlley

        Com certeza, sempre comprei, mas ultimamente podia parcelar e chegava a ser até mais barato q direto, mas tudo o que vem para ajudar a gente, esse Governo vem e acaba com a nossa alegria, paciência, sempre viajei por conta, acho q hj em dia muitos já perderam o medo e estão comprando por fora tbm, se souber ainda dá para fugir disso, mas até q o governo não coloque isso nos cartões. Exemplo, qlq transações q for para fins de viagem, tome 25%…kkk Esse Governo está a cada dia que passa nos Ilhando mais aqui…

  • Joana, passagens aéreas de empresas que operam no Brasil não foram afetadas. Além disso, seria muito complicado uma cobrança retroativa depois de você fechar um contrato e fazer o pagamento, ainda que parcelado. Seria questionável.

  • Luiz, a opção segura é escolher o pagamento no hotel, que vai gerar cobrança de IOF, a não ser que seja feito em espécie onde o IOF é bem menor.

    • Luiz Muraca

      O problema é que a opção “pagamento no hotel” geralmente, além do IOF, vinha como uma opção mais cara do que a tradicional (pague agora on line com 5% de desconto). Ou seja, em breve vou voltar a ser usuário premium do Hotwire…!!!

      • Verdade. Mas o hotwire não tem sede no Brasil, então não deve ser afetado pelo imposto.

  • A instrução veio justamente para regulamentar isso. Foi publicada ontem. http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=71159

  • Joao Batista

    um governo falido e corrupto, só pode dar nisso. Imposto na mão de político é como cachaça na mão de bêbado, nunca é suficiente.

  • Só as empresas. O consumidor pode ser afetado pelo aumento dos preços apenas. Mas quem recolhe são as empresas

  • Rosana Mariani

    E aluguel de carro? Também terá recolhimento desse IR, uma vez que em sites como a rentalcars.com, o valor do aluguel do carro é descontado integralmente no cartão de crédito aqui no Brasil antes da retirada do carro…

  • Caco Nogueira

    kkkkkkkkkk pá

  • Caco Nogueira

    O governo não corta gastos e somente aumenta impostos, ainda reclama com o que diz o relatório do FMI. Absurdo essa política do circo ao qual estamos submetidos.

  • Camila

    Essa é a grande discussão porque pagar em cartão de crédito é sim remessa de dinheiro ao exterior visto que os donos de agências de turismo tb tem cartão de crédito e podem também pagar através deles. Por isso que existem
    Vários hiatos na lei.

  • Anderson

    Aperte o 13, “relaxa e goza!”

  • World Traveller

    Nossa, que terrorismo! haha. Eu já viajei para países bem exóticos (inclusive na Ásia, como vc citou, como também na África, Oceania, América Latina e no leste europeu) e, apenas com o inglês e espanhol, me virei muito bem. Aliás, ainda tenho os dois rins, rs. Mas, claro, acho que não dá pra viajar pra Somália, pra Síria e pro Iraque sem esperar pelo pior (nem mesmo com agência de viagens).

    • Lidiane Mesquita

      Nem todo mundo fala lingua estrangeira que nem você, muita gente vai em grupo com guia, inclusive pessoas mais velhas.

  • World Traveller

    E os empregos dos datilógrafos, como fica? Vamos banir os computadores também?

  • Guilherme

    Boa Tarde,
    Se eu comprar uma passagem Joanesburgo-Cidade do Cabo (por
    exemplo), pelo site da cia aérea sul africana, eu acabo pagando os
    25%?
    A matéria fala que não paga 25% (e sim 6,38%) se esse tipo de
    voo for comprado via “agência virtual”. E quais são as agências virtuais
    mais famosas para compra de passagem desse tipo? Skyscanner seria um
    exemplo?
    Muito obrigado!

  • Robson Apiúna

    Comprar ingressos para os parques em Orlando pelo Decolar está mais caro! Na escolha do ingresso o Decolar apresenta um determinado preço, mas ao fechar a compra o preço sobe 33%.

    • Leandro Moreira

      Isso ocorre porque a empresa está calculando o tal imposto “por dentro”, ou seja, considera que ele integra sua própria base de cálculo, o que, ao meu ver, está errado.

    • Bruno Pinho

      tem algum lugar que parcele ingresso e não esteja cobrando?

      • Petim

        Tenta CVC aposto que os advogados deles já estão tentando algo para recorrerem…

      • Robson Apiúna

        Ainda não encontrei

    • Robson, deixa pra comprar lá. Vai economizar um bom dinheiro.

      • Robson Apiúna

        É… estou pensando em fazer isso mesmo.

    • Jonathan

      Robson, são quantos dias?
      jonathancrespo@cvc.com.br

      • Robson Apiúna

        A princípio 10 dias. 6 parques (2 universal, 2 disney, Seaworld e Busch Gardens)

        • Jonathan

          Ficou quanto na Decolar com as taxas?

  • Joana Sá

    Hoje pesquisei um hotel em Cartagena no Decolar.com e já vinha com uma cobrança de mais de 900 reais referentes ao IRRF… Se no Booking não tem, pq lá tem?

  • Artur

    Esse tributo valor de 25% era antigo o que o governo fez foi acabar com beneficio, agora ele força as pessoas usarem cartão de credito e pagarem IOF, sempre de olho na arrecadação e forçar o turismo interno!

  • Joana Sá

    Hoje pesquisei um hotel no Decolar.com e já vinha com uma cobrança de mais de 900 reais referentes ao IRRF… Se no Booking não há a cobrança, pq lá tem?

  • Cris

    Essa trbutação de IR irá atngir as recargas nos cartões Travel Money (tipo Visa Travale Money ou Mastercard Cashpassport)? Eu constumo fazer recargas periódicas visando viagens futuras nos meu VTM em Euros. E outra questão: reserva nos sites dos próprios hotéis internacionais também estão isentos dessa tributação de IR? Por exemplo, uma reserva num hotel da rede Accor, mas usando o site internacional? Por fim, reservas em sites internacionais de companhias ferroviárias (tipo Deutsche Bahn, SNCF, etc) ou empresas Low Cost (Easyjet, etc) também ficarão isentas?

  • Adilson Uchoa

    Esse governo é uma vergonha! Tá confiscando o salário do povo. Se preocupa até se nós estamos querendo viajar a países decentes! É uma tristeza!

  • Junior Favaro

    Resumindo: O governo ferrou com qualquer empresa de turismo que gere renda e emprego no Brasil, jogando o consumidor no colo das empresas estrangeiras. Deixa passar um ano pra ver o tamanho do prejuizo.

    • Eduardo Menezes

      Certified by Dilma! We trust…

  • Lidiane Mesquita

    Se é cobrado em reais é porque tem sede no Brasil e envia dinheiro pra fora = vai ter cobrança. Só pra pagamentos direto em moeda estrangeira que não.

    • Não terá repasse, é uma empresa global, da Expedia! Eles recebem aqui e o $ fica aqui! Usam o banco dos EUA para pagar o hotel lá! Quando um americano reserva um hotel no Brasil, o $ também fica lá e usam o $ daqui para pagar! Enfim, as OTAs vão vender ainda mais, se uma agência pequena já tinha problemas, agora já era!

      • Isso eu não sabia!! Isso é uma ótima solução que as empresas podem usar!

        Há alguma diferença entre fazer reserva de hotel no Hoteis . com e fazer na Expedia??

        Estou com viagem marcada para a Califórnia em junho e agora quero fazer algumas reservas (carro e hotel) parceladas, para conseguir levar mais dólares para as despesas.

        • A Hotels.com foi feito para o mercado Brasileiro, mas é do mesmo grupo da Expedia, a mesma empresa com perfil brasileiro, assim como a Venere, tbm da Expedia, mas para Europa! Se você fizer a reserva pela expedia, acho que pagará em dólar, dai terá IOF e já não vale a pena!
          Pode reservar no Hotels.com sem medo, e vc ainda participa do programa de fidelidade, onde a cada 10 diárias, vc ganha uma do preço médio!

      • Lidiane Mesquita

        Acho difícil, já trabalhei em empresa global e não é assim que funciona.

        • Eu já trabalhei na Booking.com e conheço bastante gente da Expedia/Hotels! Eles não serão afetados com esse imposto!

    • Neto

      Reservei um hotel no início da semana e hoje está o mesmíssimo preço!

  • Leandro Moreira

    Vi que há preocupação por parte de muitos aqui se haverá essa cobrança caso comprem no site X, ou pela agência Y, ou pela companhia aérea Z.
    Deve ficar claro que, independente de haver a cobrança desse imposto ou não, você não pagará nada mais além do que o site/agência/companhia te cobrar. Quem arcará com a responsabilidade de declarar e recolher o imposto é a empresa!
    O máximo que um consumidor pode vir a pagar a mais é o IOF de 6,38% caso faça a compra no exterior, e nada mais!

  • Maria Elisabeth Freitas Viana

    Como deverei comprar passagens aéreas internacionais para não pagar este famigerado imposto?????

    • Direto na cia aérea, agências ou agências virtuais no caso de escolher voos de empresas aéreas que operam no Brasil.

  • Breno Vieira

    Sempre pego pelo hotéis . com tbm.
    Além de usebto do IOF, parcelar em 12x e o preço ser igual ao booking, ainda tem uns cupons de desconto do km de vantagem e/ou com 10 diárias vc ganha outra (10%).

    Será q n vão repassar o imposto?
    Será q eles n fazem remessa tbm?

  • Bruno Tauil

    Esta instrução normativa ~e totalmente inconstitucional e ilegal. Primeiro: se foi publicada em 26/01/16 não pode retroagir para 01/01/16; segundo: o fato gerador para imposto de renda é TER RENDA. Assim, GASTOS com hoteis, passagens, viagem não significa gerar renda. O próprio artigo 1º da instrução fala que o fato gerador é ter RENDIMENTOS pagos, creditados, empregados, entregues ou remetidos ao exterior. Já o art. 2º é contraditório pois afirma que a incidência recai sobre qualquer valor pago, creditado, entregue etc destinado ao PAGAMENTO de serviços prestados, o que distorce a lei. Na verdade, foi criado um imposto novo sem lei e sem antecedência de 1 ano de publicação, mascarado como IR, o que também não é permitido!

    • O Brasil é mesmo um manicômio tributário!

      • Felipe

        Esta se restabelecendo os efeitos de uma lei anterior, que dizia que isso ficaria suspenso até 31/12/2015. Logo, não há nenhuma ilegalidade ou inconstitucionalidade

    • Anderson Topine

      Então, mas quem vai pagar o imposto é a pessoa física ou jurídica residente no exterior que recebe esse dinheiro ( os hotéis, prestadores de serviço ).

      Não residentes pagam 25% de imposto de renda retido na fonte para todos os ganhos no Brasil.

  • Não atinge VTM. Reservas nos sites dos hotéis internacionais, pagas diretamente a eles sim. Os sites de companhias ferroviárias, vai depender de onde eles têm sede. Se for do Brasil e fizerem remessas para o exterior vai incidir imposto.

  • Antonio Marques

    Leonardo, no seu texto você diz que transferências bancárias para o exterior estão isentas, mas creio que você tenha se enganado. Por exemplo: se eu possuo uma conta no BB Americas ou HSBC, e envio dinheiro da minha conta do Brasil para lá, não pago imposto? Você tem essa informação confirmada?

    • Antônio, não falamos isso no texto. Talvez o que tenha confundido é que a instrução normativa menciona algumas exceções: (i) Remessas com fins educacionais, científicos e culturais, e ainda despesas como taxas escolares, taxas de exames de proficiência, taxas de inscrição em congressos, seminários e assemelhados; (ii) Remessas de pessoas físicas residentes no Brasil para cobertura de despesas médico-hospitalares próprias ou de dependentes. Apenas nesses casos, desde que compravada a finalidade.

      • EIion Tallet

        Ué mais viajar não é um “fim cultural”? Sinceramente não dá pra entender….

  • Rosana, provavelmente sim. Depende de onde a empresa tem sede. O ideal é pagar no País onde for retirar o veículo.

    • Petim

      E ficar ao relento da cotação do dólar que pode subir mais ainda caso a reserva seja para muito além… Tenho carro em LAX para 28 de março e vou pagar semana que vem com 25% a+ paciência…

  • Canto Do Mundo

    Existe uma petição para der assinada. Quem quiser colaborar, já tem mais de 15 mil assinaturas.
    http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR87880

  • É isso aí Leandro!

  • Petim

    Pq o booking retem a comissão dele no Brasil e um escritório deles FORA do Brasil faz o pagamento sem imposto. Já o Decolar faz o pagamento do hotel aqui do Brasil para o Exterior… Ou seja mandou dinheiro para fora e pagou imposto… Em resumo? Eles vão fazer com que as empresas criem escritórios fora, demitam os empregados brasileiros e burlem o imposto. Governo otário…

    • Leandro Moreira

      Exatamente! Só vai ter que pagar o imposto as empresas que pagarem diretamente o prestador de serviço no exterior.
      Quem tiver filial no exterior se livra dessa, pois transfere o dinheiro primeiro para a filial no estrangeiro, e então esta paga o prestador de serviço, se livrando desta forma do imposto extra.

  • Petim

    Mas a empresa vai arcar com um custo de 25% a+? Creio que vão repassar tudo… Repassam até aumento de luz pra vender um cafezinho… Imagina isso!

    • Leandro Moreira

      Sim, Petim. Mas você com certeza saberá se a empresa te repassou o custo do imposto ao comparar o preço que ela está te cobrando com o preço obtido para o mesmo produto no site de outras empresas que vendem o mesmo produto.
      O que eu quis deixar claro é que ninguém vai ter que pagar nada a mais além do preço final acertado com a empresa no momento da compra.

  • thebestof80

    Acho importante deixar claro que, conforme aparece no site da Receita, em comunicado divulgado em 20 de janeiro, nao ha incidencia de IR nas transferencias entre contas bancarias de mesma titularidade, ja que nao se refere ao pagamento de um servico. Segue o link: http://idg.receita.fazenda.gov.br/noticias/ascom/entenda-como-ficou-a-tributacao-de-remessas-ao-exterior

  • Karla, de você pagar em moeda estrangeira, direto com a Royal Internacional, não. Acontece que algumas empresas tem subsidiárias no Brasil, então nesses casos pode haver cobrança. O importante é verificar no momento da compra.

  • O raciocínio está correto, Eric!

  • Não há base legal para isso, Angélica.

  • Rodrigo, no caso do hotel independe. Pagando direto para o hotel com sede fora do Brasil está isento do IRRF. No caso das cias aéreas idem. Apenas compras em agências brasileiras de passagens de companhias cujos países não tenham acordo com o Brasil que poderão ser tributadas, o que são poucos casos.

  • Boa pergunta.

  • Em relação ao IRRF sim. Vai pagar IOF e eventualmente imposto municipal ou estadual da cidade onde a empresa tiver sede.

    • Marcelo Cabral Ghilardi

      Obrigado, foi muito esclarecedor, o IOF eu já estava ciente, no site da receita o texto é bem mais ou menos.

      Só estou bem triste pelo governo acabar com as empresas de turismos voltadas ao turismo no exterior, mais empregos serão perdidos.

  • Natasha, se a remessa for feita para essa finalidade será tributada. Quem recolhe é que realiza a remessa.

  • Não paga não. Apenas o IOF.

  • Fábio Wagner

    Não concordo quando falam que agências de viagem trabalham com pouca margem de lucro. Faço todas as minhas viagens por conta, mas outro dia cotei uma para a África do Sul só por curiosidade, e só na passagem me pediram US$1.500,00 por pessoa, ou seja, arredondando para baixo R$6.000,00 por pessoa.

    Numa rápida pesquisa acho a mesma passagem por R$3.000,00, isso que nem promoção é!

  • Carol

    Uma dúvida: preciso pagar uma agência no Peru via Western Union. Incide esse imposto?

  • Patrick Tytgadt

    Caro Cassol,

    Enriquecedor o post, porém vale ressaltar que o imposto não é aplicado sobre toda a transação de viagem internacional realizada em uma agência de viagens seja ela virtual ou não.

    Relembro que não só o Booking e agência de viagem virtual tem acesso a reservar qualquer viagem com pagamento no local com cartão de crédito ou dinheiro. Para sua informação agência de viagem física também faz isso sabia???

    Para quem nao sabe… Decolar, Expedia e Booking também são agências de viagens e o tributo incide de qualquer maneira mesma que seja uma empresa com sede no exterior. A regra vale somente quando o pagamento for realizado no Brasil e que a agência tenha que remeter o dinheiro para o exterior, o que são apenas alguns casos, assim Decolar, Expedia e afins também são tributados quando escolhido a opção de pagamento no Brasil (pagtos em R$, parcelados ou não)… Quem está isento mesmo é somente a Dilma! Até os inteligentes que votaram 13 vão ter que pagar.

    • Olá Patrick, nós destacamos isso no texto: “Por exemplo, ao reservar seu hotel ou outro tipo de hospedagem pelo Booking.com ou demais agências físicas ou virtuais, não haverá incidência de imposto quando optar pelo pagamento direto no hotel. O mesmo vale para reservas de qualquer natureza com pagamento no próprio estabelecimento, em espécie (com IOF de 0,38% ao comprar dólar em bancos ou casas de câmbio) ou cartão de crédito (com IOF de 6,38%), já que nesses casos não há remessas de valores para o exterior.”

    • Marcelo Guimarães

      Inteligentes que votaram 13? Desculpe-me mas essa combinação não existe!

      Se é inteligente, não vota 13. Se vota 13, não é inteligente. Pode até ser oportunista, aproveitador, etc.

      • Caroline Goncalves

        Concordo 100%. Não há como fazer associação entre pessoas dotadas com boas qualidades e pessoas que votam no pt.

  • Karina

    As remessas de dinheiro ao exterior, por exemplo envio por Western Union, será afetada?

  • Numismata Jaime

    Aperta o 13 e confirma!

  • Clóvis Goulart

    Acho que essa retenção será um prato cheio para os advogados tributaristas. Além da redação sofrivel, deixa muita dúvidas em aberto: Como diferenciar uma viagem para fins culturais ou educacionais (pois nesse caso há isenção)?; se é retenção de valores remetidos, então o Brasil estaria cobrando IR de empresas de fora do país, mesmo sem sede aqui? (isso porque quem faz a retenção não é quem paga o imposto); como deverá ser feito o ajuste anual?; e o que dizer da “manutenção de dependentes no exterior”? Manter um dependente em um hotel não seria tributável, é isso?

  • Fabio Nogueira

    O Brasil deve ser o único país da galáxia que cobra imposto de renda sobre uma despesa. Na prática, o Brasil está tributando a receita de um outro país. Será que só eu vejo esse absurdo?

  • Marcelo Domingues

    O governo acabou de jogar uma pá de cal as agências de turismo que operam no Brasil. Se as previsões dos comentários se concretizarem, nenhuma operadora virtual (expedia, hoteis.com, decolar.com) vai conseguir competir…

    Até semana passada reservei alguns hotéis na Europa e Ásia com a Expedia, pagando em reais, sem IOF, parcelado e de quebra ainda ganhando um bônus pois no dia seguinte achei preços melhores no Booking.com (política do menor preço).
    Quando mas empresas que operam no Brasil começarem a repassar esse imposto ao consumidor, será muito mais vantagem pagar o hotel em espécie e… adeus operadores no Brasil.
    O pior é que muita gente vai acabar pagando com cartão, então o fisco acaba levando mais 6,38% de IOF.
    Que beleza…

  • Alexandre

    A intenção dessa miserável dessa Bandilma é destruir o Brasil

  • Jesuino

    Se eu não tiver errado os cálculos, o Decolar.com estava cobrando mais de 38% numa reserva que PENSEI em fazer.

    6 noites – 1 quarto R$ 2.446,74
    Impostos e taxas R$ 465,05
    Impostos sobre Remessas (IRRF) R$ 933,21

    Se considerarmos que o IR seria apenas sobre o valor das diárias, R$ 933,21 corresponde a 38,14% sobre os R$ 2.446,74

    O pior vai ser o mercado ainda “comemorar”, se a alíquota diminuir para 6,38%.
    Cadê os briguentos dos R$ 0,30 de aumento nas passagens de ônibus ??

  • Flavia

    Excelente post. Muito esclarecedor. Parabéns MD.

  • luis marinho

    Pessoal, bom dia. Uma dúvida: este imposto só vale a partir de ontem ou será retroativo de primeiro de janeiro? Já que comprei ingressos para a disney pela DECOLAR em 21 de janeiro e não estava no pagamento este imposto. Reservei ontem pela mesma Decolar, no período da manhã um carro para orlando e ainda não tinha o valor do imposto (o que vale é o que foi fechado no dia?)

    • Luis, provavelmente sim. Pode ser que o prestador de serviço tenha que pagar o imposto, mas acho muito complicado após a venda estar contratada e paga ele vir cobrar retroativamente.

  • Matheus

    Galera, o negócio é fazer self-service! Faça você as reservas de hospedagem e transporte que continua a mesma coisa.

    • Petim

      Direto nas locadoras e hotéis as vezes não é mais barato, sai caro. E outra nunca é você mesmo, sempre tem alguém por traz do booking do rentalcars e etc…

      • Matheus

        Hmm, sempre organizei minhas viagens e sempre saiu mais barato do que em agência de viagens. Mas é que eu não viajo com família, fico em hostel dividindo com várias pessoas…viajar só assim, ainda mais com o atual câmbio.

        • Petim

          Báh muito já fiz isso…. Mas hoje em dia com sobrinhas, afilhadas e afins… Impossível ficar em hostel… hehehe
          Aproveita enquanto pode meu amigo!

  • Marco Stail

    Bom dia.

    E as transações pagas com cartão de débito no exterior (por exemplo, restaurante, ou compras em outlet), estarão elegíveis ao novo imposto?

  • Thiago Mattos

    Leonardo, para comprar pacotes de passeios em Orlando (via agência de turismo) incidirá esse imposto?

    • Vai sim. Vai valer a pena fazer o pagamento direto em Orlando. Consulte a agência se ela está oferecendo essa alternativa.

      • Thiago Mattos

        Que m*. Vou ter que comprar os pacotes até amanhã então pra não pegar essa furada. Governo maldito só nos sugando…

  • Augusto

    É só o que o governo sabe fazer: cobrar mais impostos…

  • Petim

    hahahaha os briguentos estão feliz da vida… Assim entra mais grana para os bolsa isso e aquilo…

  • Danielle

    Bom dia , dizer que agência de viagens é um MERO DESPACHANTE !!! que o aumento do imposto é OTIMO !!!!!!! entre outros absurdos é realmente o fim da etica , do respeito de tudo !!!
    Independente de qualquer opiniao o respeito ao trabalho do proximo deve existir , e as pessoas antes de escrever devem pensar duas vezes , se nunca tiveram a agradavel experiência de viajar com agência de viagem é uma pena , há muitas agências no mercado otimas , alías há mercado para todos , e apenas para constar agência de viagem tb pode efetuar as reservas pelos sites sem a cobrança do imposto e com toda consultoria e retaguarda .

    Portanto RESPEITO é o minimo .
    Fiquei chocada ao ler um comentario hj , alias acho que muitos vão ficar no dia de hj

    • fabio

      No caso de compra de passagens aéreas e reservas de hotéis, pra que usar um intermediário (ag.turismo) se vc pode ir direto no site da cia. aérea ou no site oficial do hotel e reservar direto lá que muitas vezes é mais barato, sem a comissão da agencia de turismo?

      • Danielle

        Primeiro porque muitas vezes temos sim tarifas melhores que site, e quando vc passa seu cartão no site direto no hotel alem do famoso IOF de 6.38% , o pagamento vai ser lançado em Dolar na sua fatura do cartão ou seja vc não tem como saber em câmbio vai ser principalmente com essa variação , e não faz parcelamentos , com agência de viagens alem de muitas vezes conseguir tarifas melhores você conta com a consultoria , retaguarda e ainda consegue parcelar sua viagem , fixar sua tarifa em Reais .

    • Debora

      Concordo plenamente com vc ,também fiquei chocada !!!
      O mercado do turismo já esta sendo brutalmente afetado , o que leva uma pessoa dizer tanta asneira ??
      Total falta de informação !!
      Nós agentes de viagens podemos sim atender nossos passageiros sem a cobrança do IRRF, nós agentes de viagem fazemos também forfait (que claro uma pessoa desinformada não sabe o que significa ) entre outras varias prestações de excelentes serviços .
      Como se não bastasse ainda critica as seguradoras que sempre atenderam com presteza nossos passageiros .

    • Dayana Olimpio

      Obrigada Danielle, por defender a nossa classe de trabalhadores! Tomamos ciência deste comentário inoportuno hoje e ficamos indignados. Mas gostamos de ver que muita gente como você, ainda tem respeito.

      • Danielle

        Obrigada!!!!

  • Kelly Farias Molkenthin

    Achei que o post MD foi totalmente tendencioso . As agências de viagem podem sim vender diárias sem ter a cobrança do imposto . Afeta alguns formatos de viagem somente é não tem como dizer quais já . agente de viagem investe em viagem , passa horas estudando destinos e montando roteiros Personalizadas . Respeito ao setor da economia que emprega muitos brasileiros é o mínimo .

    • Danielle

      otimo!

    • Raphael Vinicius

      Então explique como.

  • Todo dia um 7 x 1 diferente mesmo.

  • Danielle Fabri

    Saindo um pouco do âmbito dos gastos com viagens: e no caso de quem transfere dinheiro de uma conta no Brasil pra sua conta noutro país?

  • Paula Rocco

    muito obrigada pelo esclarecimento!! Li em vários outros sites as informações mas ainda não estava entendendo com o isso afetaria o meu bolso e o setor turístico como um todo. Vocês são demais!

    • Petim

      Oi Paula!
      Que foto mais linda!
      😀

      • Paula Rocco

        hahahaha obrigada, acho que devo ser um pouco parecida com essa foto pessoalmente tmb 😉

        • Petim

          Te ví agora no face meu Deus… Casava e tinha filhos contigo 😛 que coisa mais linda meu Deus… Que cabelo de bom gosto. Linda parabéns!

  • Helen

    E Hoteis.com, a sede é fora do Brasil? Vai ser afetado?

  • caue cardoso

    Na realidade o que parece que vai impactar diretamente é envio para o exterior como o Western Bank, estou certo? Também pra quem tem conta bancária offshore? Estou certo? Obrigado.

  • Karol Artiolli

    Otimo post e bem esclarecedor, mas Ainda fiquei com uma duvida:
    Caso eu venha reservar a hospedagem do hotel no booking.com ou hotéis.com (com sede no exterior) e parcelar no cartão de crédito, terá a taxa?

  • Maria Amélia

    Somente para ficar claro, os passageiros ainda poderão comprar suas viagens através das agências de viagens especializadas, e efetuar a compra através de cartão de crédito direto na fonte, evitando assim o imposto que incide apenas em pagamentos via remessa por transferência bancária. Quem paga aqui no Brasil por hotelaria/serviços lá fora, vai precisar pagar o imposto. Quem paga no destino, não. Já com as cias aéreas, não muda nada se o bilhete tiver origem no Brasil. O pagamento já é em reais pois a transação é feita pela cia no Brasil mesmo e não há necessidade de qualquer remessa para o exterior. Acho bom esclarecer pois ainda é importante contar com seu agente de viagens 😉 (Que aliás, paga impostos e gera empregos no Brasil)

  • Lilian

    “Parabéns”, conseguiu um bom trafego para o seu site com esse post. Sacada de gênio. Brasileiro ignorante que acha que imposto é bom de alguma forma, tem mais é que se lascar!

  • jurandir

    e o dinheiro que eu levar em dolar na carteira para o exterior, sofrerá tributação?

  • Adriano Garcia Silva

    Mas porque foi IMPOSTO esse valor? O que justifica tal cobrança. Queria matéria sobre isso, e o que fazer nesses casos. Pois me parece mais um engodo de começo de ano ao estilo “obrigatório uso de extintor”, “obrigatório uso de estojo de primeiros socorros”.

    • É o ruim e velho imposto de renda que todos nós pagamos

    • Petim

      Vai ser bem isso… Parece que tem reunião hoje ou amanhã do ministro do turismo com a associação das agencias ou agentes uma coisa assim… Certo que eles vão revogar… Quem não tem viagem para “ontem” eu aconselho a esperar pelo menos 1 semana 10 dias.

  • Jose Roberto

    Pessoal, se eu for levar um valor elevado em espécie e tiver que declarar esse valor na receita (pois acima de R$10.000,00 é obrigatório declarar), será que não vão querer tributar sobre esse valor que estou levando em espécie ? Exemplo, sair com U$ 20.000,00.

  • World Traveller

    Verdade, Lidiane. Não falar ao menos inglês é algo muito limitador, é quase um “analfabetismo internacional”, e realmente quem quer viajar sem falar inglês encontra dificuldades e precisa sim de um apoio. Eu não sei se seria mais em contra contratar um guia diretamente, mas acredito que quem não fala inglês teria dificuldades até de achar um serviço de guias local. Nesses casos, com certeza, o viajante precisa de um assessoramento.

    Dito isto, vc já percebeu que todos os roteiros montados por agências de viagens seguem curiosamente a fórmula “1h de passeio, 2h de compras, 1h de passeio, 2h de compras”? E obviamente sempre o agente de viagens e/ou o guia ganham “comissão” (imoral, na minha opinião) sobre os produtos comprados por esses turistas que eles levam para esses locais de compra.

    Você não acha IMORAL que o guia em vez de levar os turistas pra passear deixe eles uma boa parte do tempo em locais de compra que dão comissão pros guias e para as agências? É quase como você estivesse pagando pra fazer compras!!!

    Enfim, essa exploração turística (em geral com velhinhos) é o que mais me irrita em agência de viagens.

    • Lidiane Mesquita

      Não sei os roteiros e operadoras que você conhece, porque são as operadoras e não as agências que determinam essas coisas, mas a maioria dos roteiros que eu conheço coloca compras nos dias livres. Exceto visitas a mercados e etc como na Turquia, aí sim inclui tempo pra comprar porque faz parte da experiência.

      Isso que você mencionou eu percebo mais no Turismo nacional, de levar em lugares inclusive restaurantes que o guia ganha compensação financeira, e aí a grande maioria dos Tours inclui compras desnecessárias, acho lamentável.

      • World Traveller

        Pois é. Eu sempre me incomodava com isso quando eu era criança e meus pais sempre iam em agência de viagens. Teve uma vez que fomos a gramado (eu deveria ter uns 15/16 anos) e os tours eram 70% compras, 30% passeio. Eu lembro que quando fomos no cânion do Itaimbezinho (magnífico, por sinal), ficamos tipo uns 30 minutos no cânion, depois saímos e ficamos 2h na TRAMONTINA (???) pra comprar… FACAS? Foi um absurdo. 30 minutos de cânion e 2h na tramontina…

        Mas não é só no turismo nacional, não. Na primeira vez que viajei pra fora do Brasil (tirando paraguai/uruguai/argentina que fui com meus pais quando era pequeno), eu fui, dentre outros lugares, pra Marrocos. Como eu tinha receio de viajar sozinho para um país muçulmano (receio infundado, porque em Marrocos muitos falam espanhol e quase todo mundo fala inglês), fui com uma agência de viagens. Saí de Gibraltar, cheguei em Ceuta e lá comecei a minha provação. Eu não entrei em nenhuma mesquita. O passeio foi basicamente andar no centro de Tanger e Tetouan indo de loja em loja. E, pior: o guia era comissionado por essas lojas e não deixava eu sair enquanto eu não comprasse alguma coisa. PAGUEI 300 EUROS num tapete que eu não queria só pra sair de lá (foi quase um cárcere privado!!!). Depois comprei um remédio “natural” (pajelança) que eu sabia que não funcionava só pra sair de lá. Eu não vi QUASE NADA das cidades. Tive de voltar 2 anos depois e refazer as mesmas cidades sozinho e foi sensacional. Dessa vez que fui sozinho não comprei NADA (eu não gosto de comprar, a não ser vinhos, chocolates e lembrancinhas pra presentear os amigos), passeei, conheci a cidade, os monumentos, as paisagens, conversei com os marroquinos, enfim. GASTEI MUITO MENOS, curti muito mais, e conheci enfim as cidades. Agência de viagens é um caça níquel tremendo, principalmente com os tours que eles arrumam. Se esses tours caça-níqueis deixassem de existir, a minha tolerância com agência de viagens aumentaria em muito.

    • Stelios Kokkinakis

      isso demonstra que vc não sabe nada de turismo na verdade! Existem pacotes, excursões, roteiros, com guias estrangeiros, com guias q falam espanhol, com guia brasileiro, viagem por conta própria sem guia etc etc etc. Sempre vai existir uma programação caso vc tenha um passeio, o passeio não é vai durar o q durar, vai durar 2-3-4-8h. Se vc tiver um tour com grupo? ai é outro assunto, tudo programado! Pq no cruzeiro funciona como? não tem programação? não tem passeios vendidos internamente no cruzeiro para o próximo lugar que o navio atracar? não vai ter programação? não vai parar na loja de suvenir X? Se em países de 1o mundo ainda existem agências e agentes de viagens, não é vc que vai nos chamar de inúteis!

      • World Traveller

        Vc está certo. Eu não entendo de “turismo”, eu entendo de viajar. “Turismo”, nessa acepção que vc está usando, é aquele turismo caça-níquel de compra, compra e mais compra. Tipo, não é viajar. É o turismo “MIAMI” de não olhar pra cidade, mas pros shoppings e lojas só pra ter o prazer de comprar em dólar (ou euro, ou libra, ou peso, etc.) – nada contra Miami, Miami é muito legal e eu mesmo já fui 2x, mas o que é legal de Miami está bem longe dos outlets. Eu nunca fui a um cruzeiro e não me interesso por esse tipo de viagem. Aliás, até pretendo fazer um cruzeiro pra antártida, que é basicamente a única alternativa viável pra chegar lá. Mas esse cruzeiro de ficar num navio-bar-discoteca-piscina, comendo que nem um porco e bebendo como uma esponja, não me interessa. Até porque quando o navio aporta vc tem tipo umas 6h pra conhecer a cidade inteira (e provavelmente se vc for com um grupo, dessas 6h, umas 4h são em lojas de souvenir ou outro tipo de caça níquel.

        • Stelios Kokkinakis

          da pra ver até agora não entende mesmo! Viajante e turista é sinonimo! Caro amigo, eu me formei na área, fiz pós-graduação na área, tenho pais que trabalham há 40anos na área. Não vem me falar que vc é viajante e que turismo é ir pra miami nos outlets HAHAHAHAHAHAHAHAHA não tenho o q argumentar depois dessa meu chapa. E sobre cruzeiro, vc acha q cruzeiro é bar-disco-piscina? cresci em cruzeiros em razão do meu pai! e te afirmo, existe cruzeiro para todo o tipo de turista…oops viajante. Megaiate com 40pax sem balada e piscina? mais tranquilo, parando em praias e fazendo trilhas? Cruzeiro informal?, cruzeiro old-school em travessias? e tenho até o seu da antarctica q é meu sonho fazer. Navio quebra-gelo Russo nuclear com cruzeiros de US$ 20mil por pessoa com tudo incluso, até pegar no urso polar (se ele não te pegar antes). sem mordomias, sem bares, sem piscina e sem “discoteca” . Realmente pode ter viajado por ai, mas continua um mero turista….opa…errei de novo, viajante!

        • Stelios Kokkinakis

          Não vem com a ladainha de se achar viajante e não turista pq essa modinha é só de falar, mas não se aplica. Vc é turista como tb é turista q o cara vai fazer compras nos outlets de orlando como tb igual o turista q vem do rio para SP ficar dois dias a trabalho! Tudo é turista a nomenclatura é a mesma. Pior, vc é um mero passageiro (essa palavra “viajantes” odeiam mais ainda! hahaha). Só pq vc vai visitar aquele bar descolado moderno em Berlin ou ir em uma trilha de bike em Myanmar ou andar de moto na route 66 nos States não te faz melhor q os outros q querem ir nos museus e fazer o q turista bom sabe fazer! A sua viagem de experiência é turismo sim! Cruzeiro tb não é isso q vc ta pensando, só pra tu ter noção q não sabe tudo mesmo! Vc tem cruzeiros rápidos q ficam pouco tempo na cidade q visitam com bar-piscina-discoteca, tem cruzeiro de luxo, tem cruzeiro veleiro para 100-120pessoas, tem cruzeiro que fica 2-3dias na cidade, tem cruzeiro fluvial, tem cruzeiro em megaiate com no maximo 50passageiros q para em lugares remotos, praias diferentes, fora do agito dos cruzeiros gigantes sem ter piscina (o mar ta la pra que?) sem show de noite, sem noite do comandante (vc vira amigo do comandante, podendo ficar na ponte ao lado dele pra tomar café enquanto navega). Tem grana? aluga um iate, um veleiro? Quer ir pra antartida?é mais dificil, mas posso te oferecer cruzeiro no polo norte com o maior navio quebra-gelo do mundo q é russo e nuclear, sem mordomias, sem bar, sem glamour, só vc e os russos da marinha russa descendo no gelo pra ver focas e tentar tirar foto do urso polar antes de te pegar! Valor? US$ 20mil na cabeça! e pra não ter nada de conforto? quer? Então meu chapa, viu quantas informações te passei em poucas linhas? não nos menospreze, pq na hora mais escura q vc tiver durante sua viagem, eu resolveria dessa cadeira q to te escrevendo! E dica, da pra ver teu perfil de pessoa q se recusa ter um seguro viagem q te evita dor de cabeça em escolher a do cartão de credito q sabe q vai te dar dor de cabeça e quer processar no final pra pagar sua viagem! Ser muquirana em algumas coisas, paga-se muito caro depois!

          • World Traveller

            Ai meu Deus, haha. De novo? Eu estou pouco me importando pro “nome”, se é turista, viajante, peregrino, isso são só rótulos, e rótulos são inúteis. Eu usei a SUA CONCEPÇÃO, de que turismo é montar um grupo e ficar gastando tempo em loja de souvenirs. E, de novo, não a minha.

            Se o cara que viaja pra outlets é “turista”, ele é um turista que não faz turismo. Porque comprar não é turismo. Comprar é adquirir produtos, turismo é adquirir experiências. Também acho difícil chamar de turista a pessoa que viaja a negócios. A mim me parece mais um viajante de negócios do que um turista. E eu sou um viajante de negócios (também), e eu uso de agência de viagens quando vou viajar pra negócios (é o meu empregador que paga – e é bom, porque quando vc viaja para uma reunião não quer ter o trabalho de marcar passagens).

            Vc disse um monte de coisa e nenhuma novidade. Eu não menosprezei ninguém e, aliás, todo esse tipo de experiência que vc disse é válida, eu gosto, eu já fiz e quero continuar fazer. Desde passear no centro de Paris pra tomar um café e comer um crepe até tudo que é bem off grid. Eu já fui pra Miami e já fui pra Brunei, e já fui pra Samoa, e já fui pra Paris. Tudo é bom, tudo é legal. Não estou com papo “hipster” de achar que bom é só o que é off grid ou só o que é fora do mainstream. Eu viajo sim para o mainstream. MAS EU VIAJO, e não fico enfurnado em outlets comprando coisas que eu posso comprar no shopping da minha cidade.

            Entendeu o que eu disse? Você quer colocar em mim uma pecha de “hipster” de “diferentão” que eu, sinceramente, não tenho e não quero ter. Eu não sou o diferentão, eu sou um turista, um viajante, um passageiro, seja lá o rótulo que vc queira dar, que pouco me interessa. A diferença é que, quando você mesmo faz o seu roteiro, contacta por si próprio as empresas, os fornecedores, você é dono do seu próprio destino. Você pode fazer o que quiser, como quiser. Quando você contata uma agência e faz um “pacotão”, os tours estão agendados, o circuito é pré-estabelecido, vc fica escravo do grupo e invariavelmente é 1h de passeio pra 2h de compras. Sendo que essas compras são em lojas que têm “acordos” imorais com os guias e agências de viagem, os guias e as agências levam comissão no que os pobres turistas vão comprar. Isso é um escândalo, é criminoso. Você paga uma viagem pra dar comissão pra guia.

            Deixa eu te contar uma história. Eu quando tinha 16 anos fui a gramado com meus pais, pela CVC. Fomos no cânion do Itaimbezinho pela agência. Ficamos 30 MINUTOS no cânion e depois tivemos de correr pro micro-ônibus… pra quê? Pra ir numa cidade vizinha visitar a loja da TRAMONTINA. Ficamos lá 2h. 2 FUCKING HORAS numa loja de facas, enquanto tivemos só 30 minutos de cânion. E isso se repetiu em todo o roteiro.

            E mais: na minha primeira viagem pra Europa eu aproveitei pra pôr o pé na África, em Marrocos. Eu, com todo o preconceito que tinha, fiquei com medo do “país muçulmano”. Então fui por uma agência. A agência nos pegou em Gibraltar e nos levou pra Ceuta. De lá, sem conhecer nada de Ceuta, pegamos uma van pra Tétouan e, depois, Tanger. SÓ FOI COMPRAS A VIAGEM INTEIRA. Não vimos nada da cidade que não fosse pela janela da van. Era sair de uma loja de tapetes pra ir para uma loja de remédios naturais, pra ir para uma loja de souvenirs, e NADA DA CIDADE. Tínhamos de comprar algo nessas lojas se não não deixavam a gente sair. Era um cárcere privado. Paguei 300 euros por um tapete que eu não queria só pra sair daquele local. Foi um pesadelo.

            É isso que agentes de viagens e guias de viagens fazem. Montam um roteiro pra vc gastar, gastar e gastar e não ver nada. Ficar em lojas. É o famoso “pega-turista”, roteiro caça-níquel. E os guias e a agências recebem comissões dessas lojas. Geralmente quem sofre são os velhinhos que dependem dessas agências, porque precisam de alguém pra leva-los por causa da idade. É IMORAL.

  • Lucia

    Olá, muito bons os esclarecimentos!
    Gostaria de saber como escapar desse imposto para comprar ingresso para os parques da Disney. Obrigada!

    • Fazendo a compra e pagamento direto no local. Se você quiser, consulte pelos sites ou pelas agências se elas oferecem alguma alternativa que não encareça o ingresso.

      • Lucia

        Obrigada Leonardo!

  • Carolina Machado

    Pessoal, fui comprar meus ingressos da Disney pelo Decolar.com e estão tarifando o IOF + 25%!!!!

  • World Traveller

    O comparativo com médico é bem péssimo, né? Médico tem formação científica sobre medicina. Viagens vc aprende fuçando, de forma natural.

    Mas, bem. Pra quem não quer ter trabalho nenhum e não se importa que um agente decida a sua viagem por vc tá tudo ótimo. Mas quem não quer ter trabalho, tem de pagar mais. Pro agente e pro governo. É o preço do “conforto”.

  • World Traveller

    Certamente, gilberto!

  • Não. Pelo menos por enquanto… kkk

    • gilberto

      kkkkkk

  • Karol, geralmente o parcelamento era feito utilizando uma subsidiária desses sites no Brasil. Nesse caso é provável que o imposto seja cobrado. De qualquer maneira, pesquise e compare os preços finais na opção com e sem parcelamento para ter certeza que não está pagando mais caro.

  • Helen, depende da forma escolhida para pagamento. O mais seguro é optar pelo pagamento direto no hotel, independentemente do site ou agência escolhido para fazer a reserva. Os pagamentos parcelados em reais podem ser tributados, pois aparentemente utilizam subsidiárias no Brasil.

  • Jose Roberto Martins

    Pessoal, se eu for levar um valor elevado em espécie e tiver que declarar esse valor na receita (pois acima de R$10.000,00 é obrigatório declarar), será que não vão querer tributar sobre esse valor que estou levando em espécie ? Exemplo, sair com U$ 20.000,00.

  • Marcelo Luz

    Olá! No caso de envio de conta corrente no Brasil para conta corrente nos EUA, vai ser tributado os 25%? Abraço e obrigado pelas informações, sempre muito prestativos.

  • Duarte

    Desculpem pela pergunta fora do contexto, mas a extensão do Melhores Destinos versão 1.0.6 está funcionando normal no Chrome 47? Depois que mudei para o Windows 10 parei de receber os alertas, não sei se tem a ver com a versão do navegador.

  • Duarte, estou usando o Windows 10 e tem funcionado normalmente

  • Carlos

    Acredito que as agências não irão suportar, pois mesmos antes destas medidas cada vez mais pessoas estão deixando de utilizar as agências e comprando direto em sites estrangeiros, e os que não tinham confiança agora estão fazendo pois de boca em boca uns ensinam os outros e todos economizam. Mesmo porque as agências brasileiras faziam jogadas para ganhar mais, por exemplo hoteis em Orlando onde não há diferença de preço para até 4 pessoas, as agências aqui cobravam a diária inclusa no pacote por pessoa e ficam com a diferença. Fiz um teste em uma agência e confirmei, após a consulta mostrei para a atendente que o hotel custava o mesmo para 1 até 2 adultos e duas crianças e eles me dissera que não poderiam repassar esta condição e que eu reservasse direto, foi o que fiz.

  • Leandro Nicolau

    Eu só fico imaginando a onda de doleiros que essa medida vai causar.

    Apesar de ser novo eu lembro da época de ultra inflação e como era jogo ter dólar em casa esse que na maioria das vezes era adquirido através de doleiros.

    Tarifação de 25% vai tornar muito atrativo o uso de doleiros já que eles cobrarão muito menos do que o governo…

    Mercado negro is coming…

  • Wanessa

    Prezados colegas,

    e o Airbnb, será taxado?

  • Christianne Lisboa Cordeiro

    Eu viajei para Miami de 30.12.2015 a 16.01.2016 e em novembro eu paguei o hotel em 12 vezes pelo Hoteis.com. Essa nova regra vale no meu caso? Pagarei 25% sobre as parcelas?

  • Renata B.

    E dai você vai lá, escolhe pelo mais barato (no caso reservar pelo booking, decolar, etc.) e chega na hora de embarcar e sua passagem não existe, ou sua reserva não consta no sistema do hotel… É minha gente, o barato pode sair bem mais caro às vezes!

    • Isso nunca aconteceu comigo ou com qualquer pessoa que eu conheça

  • Luana

    Eric, assim que você fizer a compra dos ingressos, ligue no seu cartão de crédito e solicite a emissão imediata da fatura. Nesse tempo de super crise que estamos vivendo, não dá para esperar a fatura ser fechada no dia de costume. Você não precisa correr esse risco.

  • Luana

    Está passando para o povo toda a conta do dinheiro que eles roubaram!

  • Luana

    Se as duas contas estiverem no seu nome, não será tributado.

  • Luana

    Natasha, já já o governo aumenta o IOF. Não teremos saída com a Dilma no poder.

  • William Shinohara

    A partir das respostas de “É possível viajar sem sem impactado pelo novo imposto?”

    Se por exemplo eu reservar pelo Booking e optar pela opção mais barata do tipo
    “pague agora”, pode ser cobrado uma taxa ( ou o repasse dela ) a mais já que não optarei por pagar no estabelecimento? Assim como “pague agora” num rental cars como Thrifty ou Hertz ?!

  • cristiana

    Sim… emprego lá fora e desemprego aqui

  • cristiana

    Sim…. serão em torno de 430 mil novos desempregados aqui e muitos postos novos criados lá fora…. toda vez que compramos algo pela net fora é menos um trabalhador aqui e viva o Brasil e os brasileiros 👏👏👏👏👏👏

  • World Traveller

    Haha, nossa meu amigo, calma, não fica nervosinho não, eu não quis ofender ninguém. Eu usei A SUA CONCEPÇÃO de “turismo”, e não a minha. Pra mim tanto faz o nome, ou como é que vc quer rotular isso ou aquilo.

    Aliás, a MINHA concepção de turista (ou de viajante) é a pessoa que viaja pra passear, e não pra comprar. A pessoa que viaja pra comprar é só um comprador compulsivo.

    Eu já li e vi sobre todo esse tipo de cruzeiro, sei que existem cruzeiros bem off-grid, bem diferentes, INCLUSIVE o que eu MENCIONEI que eu quero fazer, que é o da antártida. Mas não é esse tipo de cruzeiro que as pessoas “pensam” quando se fala em cruzeiro. Eu estava falando do senso comum, e não dos cruzeiros que são mais expedições do que cruzeiros propriamente ditos.

  • World Traveller

    Nossa, o texto começou com comprar pela internet, passou por não ir mais pra médico e terminou com o PT! OO

  • Regiani Scharlack

    Tem lógica as agências e operadoras pagarem o imposto e o cartão não? Qual a diferença? O dinheiro não vai parar no exterior do mesmo jeito. Mas eu digo a diferença: 600.000 empregos diretos dizimados, não vai recolher os 25% pois ninguém vai pagar e também não vai recolher todos os outros impostos que as agências de viagens pagam e provocar desemprego em massa, fortalecendo sites internacionais que não recolhem nenhum tipo de imposto para o governo. Nào será lobby destes mega sites internacionais? Consegue imaginar a migração das vendas para os mesmos em detrimento do desemprego de milhares no Brasil?

  • Regiani Scharlack

    Quem acha mesmo que não será afetado pelo menor fluxo de turistas ao exterior, só porque pode pagar a vista no cartão de crédito? http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,aereas-preveem-corte-de-7-nos-voos-em-2016,10000013932

  • Christiano Silveira

    Somos dois, também odeio isso aqui, me sinto um alienígena nessa zona toda.

  • World Traveller

    Não fui eu que contratei essa viagem de gramado, foram meus pais. Eu tinha 15 pra 16 anos (hoje tenho 36) e foi tão absurdo que até hoje lembro disso. Não sei se meus pais leram o “roteiro”, mas eu estava louco por essa viagem (foi sugestão minha aos meus pais, foi o que pedi de presente de aniversário) e foi só decepção. Lembro até hoje da falta de liberdade que tínhamos e como tudo era fechado pra que fôssemos comprar, comprar e comprar. Depois disso tive a experiência de Marrocos, que foi muito pior, pior a ponto de eu voltar pra Marrocos pra conhecer o que eu não tinha conhecido da primeira vez. Aliás, a vontade que tenho hoje de fugir de agências de viagens vem dessas experiências (e há outras – uma vez fui com meus pais pra Marajó e nem entramos na praia. Só vimos a praia de longe e de lá passamos um tempão numa loja de couro de búfalos… pra comprar coisas de couro!!!). Enfim, sei como funciona, sei como esses tours são feitos: feitos pra tirar dinheiro do cliente e ganhar comissão com compras. Agência de viagens é muito bom se vc não gosta de viajar, se vc gosta é de comprar e gastar dinheiro em coisas inúteis em lojas que têm acordos de comissão com os guias e agências. Agora, pra quem gosta de VIAJAR, isto é, conhecer a cidade, ver paisagens, conhecer a cultura local, ir nas atrações, o pior que vc tem a fazer é fechar com uma agência. Infelizmente, quem tem dificuldades pra fazer seu próprio roteiro (como os velhinhos que não sabem mexer na internet, como as pessoas que não falam inglês, como pessoas que têm deficiência, etc.), fica nas mãos desses tours caça-níqueis/pega-turista. E pra essas pessoas fica difícil ter uma alternativa.

  • Fábio Wagner

    Cada um defende o seu caro colega. Só dei um exemplo. Poderia citar outros inúmeros exemplos, pois sempre que viajo para algum lugar dou uma rápida olhada em alguns sites e vejo a absurda diferença.

  • Paulo Herbeth

    Compra de tickets de trens em sites Europeus, sofre que tipo de tributação? Vocês recomendam algum site ? Me indicaram um tal de “Captain Train” . Obrigado

  • Luiz Antonio Schemy

    Entendo que sites nacionais pagarão o imposto.tipo decolar e submarino. BOOKING, Expedia e outros são internacionais.Procede?

  • Working Progress

    Bem, você pode assistir NetFlix em português, é só usar um VPN no Brasil. Faço isso quando viajo.

    • Marco Pacheco

      Me dá a dica de como fazer isso funcionar com a Apple TV nova?

      No notebook é tranquilo!

  • Working Progress

    Não sei se leu, mas outros países fazem isso também. Só achei um absurdo a taxa de 20%.

  • Filipe Pires

    A american Airlines está cobranded os 25% extras. estou comprando uma passagem de Boston Pra Los Angeles e no site americano está custando U$419,20 que em Reais seriam hj R$1,780,80. Já no site brasileiro da AA, a mesma passagem está custando R$2.226. Ou seja, exatamente os 25% extras!

  • Patrick Araujo

    Caro Ney Wagner

    Finalmente depois de muitos posts infelizes acredito que vossa pessoa tenha conseguido expressar o que queria.

    Então, baseado em diversos comentários de vossa autoria, o problema são alguns produtos oferecidos por algumas agências (novamente desculpe corrigí-lo em público: Expedia e afins também vendem os pacotes enlatados e engessados, sem a flexibilidade da escolha do viajante). Se você tem aversão ao pacote de Gramado que te deixou traumatizado com a categoria “agências” certamente pode ter ocorrido por uma má escolha do pacote pois as agências vendem roteiros customizados.

    Ficou muito claro que voce gosta de autonomia, flexibilidade e preço. E isso voce também encontra em uma agência de viagens de todos os tipos.

    É incorreto você no alto da ignorância sobre o tema rotular de inúteis, despachantes

  • Danielle

    As agências , operadoras deveriam ir as ruas , se o povo saiu por 0.40 centavos porque estamos tão inertes ? esperando uma assinatura que nos livre de maiores perdas. Alias esse imposto deve ser inclusive inconstitucional .

  • Patricia

    Poxa, mas os especialistas não conseguiram localizar um voo com tarifa melhor do que um leigo fazendo uma “pesquisa básica na internet”? Tem alguma coisa errada nisso, não?

  • Rafael Jahara

    Boa tarde,
    Caso eu faça débito ou saque no exterior através da minha conta corrente brasileira, estarei isento do imposto?

  • Caio

    Olá, então uma remessa de dinheiro ao exterior minha ” pessoa fisica” para outra pessoa fisica nos EUA a principio não é tarifada correto ? alguém já enviou dinheiro depois deste novo imposto ?

  • Victor

    Por favor Cassol me responda isso, eu li e reli, mas preciso de uma confirmação kkk. tenho uma viagem pra Asia em breve, e gostaria de saber um modo de reservar hotéis lá sem pagar esse imposto, porem gostaria de pagar aqui, antes de ir, é possível fazer isso no booking ou preciso entrar no site do próprio hotel e pagar por lá (seria incidido apenas o IOF assim) ?? Comprei passagem na AirAsia, seria do mesmo modo ?
    Muito Obrigado !

  • Victor

    Olá Cassol, gostaria de saber um meio de escapar desse imposto e também da possível alta do dólar, existe uma forma de realizar reservas de hotéis no booking ou no site do próprio hotel, pagando com cartão (iOF) porém pagando aqui ao realizar a reserva na fatura subsequente ? ou só podemos pagar em espécie no local e no dia da hospedagem ? Fiz reserva na Airasia e como você disse foi tranquilo, só cobraram o IOF, seria da mesma forma no Booking em reservas não reembolsáveis ou então no site do próprio hotel ?
    Muito Obrigado !!

  • Victor, em minhas últimas reservas com o Booking deixei para pagar no hotel em 2 delas, e em 1 paguei antecipado em dólar sem adicional do imposto de 25% (só paguei o IVA local). O ideal é comparar o preço se há algum acréscimo conforme a escolha do pagamento. Não havendo você pode pagar antecipado. Lembrando que comprar dólar na casa de câmbio para pagar o hotel, além de mitigar a variação cambial, vai também evitar os 6,38% de IOF.

  • Possivelmente sim, provavelmente sim. Mas alguns sites iniciaram a cobrança do novo imposto para pagamentos antecipados em real. Mas isso fica explícito na reserva. Então, a sugestão é simular os dois e observar se há variação do preço com os 25% de imposto. Não havendo, pode fazer a reserva com pagamento prévio, sem problemas.

  • João

    O triste é que antigamente não havia tributação de 6,38% no Visa Travel Money (cartão carregável) e nos gastos com cartão de crédito no exterior. Inventaram isso e parece que vai ser eterno, mesmo com o dólar nas alturas. Nunca mais vai acabar. E com esses 25%, também será eterno? Nosso governo, ahhh nosso governo!!!!!