Galeão e Confins serão administrados por empresas que são referência no mundo após leilão de hoje

Redação 22 · novembro · 2013

Os principais aeroportos do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte já têm seus novos administradores. O Galeão será administrado por ninguém menos que a empresa que gerencia o Aeroporto de Singapura, eleito várias vezes o melhor aeroporto do mundo. Já Confins  será administrado pela mesma empresa que administra os aeroporto Munique e Zurique, ambos entre os sete melhores do mundo.

A notícia é ótima para quem sonha em ter melhores serviços em dois dos maiores aeroportos brasileiros. Tudo bem que estamos dez anos atrasados, graças ao terrorismo e a evangelização de que a privatização é algo ruim. Os aeroportos de Brasília, Campinas e Guarulhos já provaram que, apesar das falhas no leilão e no modelo de concessão adotado, a privatização é absurdamente vantajosa para os passageiros. Em apenas um ano e meio Campinas terá um aeroporto enorme completamente novo e Brasília e São Paulo terão aeroportos muito mais modernos e com capacidade muito maior. 

O leilão de Galeão e Confins arrecadou R$ 20,8 bilhões – 251% a mais que os R$ 5,9 bilhões mínimos previsto na disputa. Porém o mais importante é o quanto o Brasil ganhará com dois belos aeroportos, maiores, mais modernos e muito mais eficientes.

Confirmado o resultado após a fase de recursos, o Galeão passará a ser administrado pelo consórcio “Aeroportos do Futuro”, formado pela construtora Odebrecht e pela operadora Changi, de Cingapura. O grupo apresentou uma proposta de R$ 19 bilhões, que representa uma diferença sobre o valor mínimo de 294%. A segunda maior proposta foi da construtora Carioca, no valor de R$ 14,5 bilhões.

Já o leilão de Confins, foi vencido pela construtora CCR, com um lance bem mais “humilde”: R$ 1,82 bilhões – 66% acima do valor mínimo previsto. O consórcio que administrará o terminal mineiro é formado ainda pelos operadores dos aeroportos de Munique e Zurique

Cinco consórcios concorreram para administrar os dois aeroportos. Todos disputaram Galeão, mas apenas três também fizeram propostas para Confins. Disputaram apenas o Galeão os consórcios “Novo aeroporto Galeão”, formado por EcoRodovias, Invepar e Fraport, e “Sócrates”, formado pela construtora Carioca e pelos operadores dos aeroportos de Amsterdã e Paris.

Já os consórcio “Aeroportos do Futuro”, formado por Odebrecht e Changi (operadora de Cingapura), “Aliança Atlântica Aeroportos” (Queiroz Galvão com Ferrovial, gestora espanhola que administra Heathrow, em Londres) e “Aero Brasil” (CCR com os operadores dos aeroportos de Munique e Zurique), apresentaram propostas para Galeão e Confins.

O Galeão recebeu 17,5 milhões de passageiros no ano de 2012 e é o segundo mais movimentado do país. O tempo de concessão é de 25 anos e a projeção de demanda é de 60 milhões de passageiros/ano em 2038 (fim da concessão). Os investimentos previstos são de R$ 5,7 bilhões e incluem a construção de 26 pontes de embarque 2016, construção de estacionamento com capacidade mínima para 1.850 veículos (fim de 2015) e sistema de pistas independentes .

Já o aeroporto de Confins teve 10,4 milhões de passageiros no ano passado e é o quinto mais movimentado do Brasil. Com prazo de concessão de 30 anos, ele tem demanda prevista até 2043 (fim da concessão) de 43 milhões de passageiros/ano. O novo administrador terá que investir R$ 3,5 bilhões em obras que incluem a construção de novo terminal de passageiros com, no mínimo, 14 pontes de embarque até 2016 e de uma segunda pista independente até 2020.

Os dois contratos poderão ser prorrogados por até cinco anos, uma única vez, sob condições específicas previstas em contrato. 

Com informações da IbovespaFolha de S. Paulo e Agência Brasil

Publicado por

Redação

redacao

  • Leandro Esteves

    Agora os caras vão usar a seguinte fórmula:

    Investimentos: 10% de aumento ( Reforma um banheiro ali, bota uma telinha nova aqui, dá ” um tapa ” no asfalto da pista, bota uma starbucks e está ótimo )

    Taxas: 100% de aumento

    Estacionamento: R$ 100 a diária

    Pãozinho de queijo no aeroporto: R$ 15

    Refri lata: R$ 15

    Caixa 2 pra campanha dos amiguinhos do PT: 30% da movimentação

    Quem paga a conta???

    Nós viajantes !!!!

    • cesarmatiusso

      esses preços absurdos já são praticados. Então, que pelo menos o façam com um serviço decente…

      • Leandro Esteves

        Vão ficar mais absurdos ainda. Anote ai.

    • EBS

      A opção atual é bem pior, porque podem roubar igual só que o serviço nunca melhora. Em vez de criticar, qual sugestão você daria para melhorar definitivamente os nossos aeroportos?

      • Leandro Esteves

        Caro EBS a sugestão seria fazer com que a iniciativa privada CONSTRUA novos aeroportos ou que assuma todos os custos dos projetos. Vão pegar um aeroporto reformado com dinheiro público. Não sei se você percebe, mas olha que esqueminha bom, o governo gasta 1 bilhão reformando o aeroporto e depois entrega pra empresa privada, a empresa privada economiza esse 1 bilhão que ela teria de gastar, em troca, na proxima campanha eleitoral, misteriosamente aparece uma doação para a campanha de certo partido, feita por essa mesma empresa ou algum laranja. O que tem que existir é um governo sério que assuma com responsabilidade e competência o controle da situação ou então entregue de vez e apenas regule os preços dos serviços.

        • Thiago Castro

          Leandro, esse é o mesmo esquema que o Governo FHC usou nas privatizações nos anos 90. Foi tudo comprado com recursos do BNDES. A conclusão é que não existe governo sério no Brasil, seja ele do PT, PSDB ou qualquer outro partido…

          • Leandro Esteves

            O problema não é ser com recurso do BNDES, desde que o empréstimo seja pago com os devidos juros. O problema é o governo bancar reformas com recursos próprios e entragar tudo reformadinho pros empresários só lucrarem. Resumindo, ônus do público e lucro do privado.

        • Jair Batista

          Só a outorga do Galeão vai custa mais de R$ 19 bilhões por 51% da participação, como que não estão investindo dinheiro dos consórcios?

        • EBS

          E os R$19.000.000.000 que o consorcio pagou pela concessão? To enganado ou esse dinheiro nao da e sobra pra pagar o que o governo investiu pra reformar antes do leilão?

      • Mari

        Melhor o governo gastar bilhões com a iniciativa privada e no fim das contas temos um serviço razoável, do que gastar bilhões só no governo e temos as porcarias de hoje.
        Não se iludam: o $$$$$ será sempre público.
        Mas quando o governo se mete menos, é melhor!

        • Leandro Esteves

          Melhor é quem lucra arcar com os custos do que o governo ficar injetando dinheiro pra dar lucro aos empresários, que depois contribuem com suas campanhas. Enquanto o brasileiro ficar nessa de " Rouba mas faz ", " Custou carissimo mas pelo menos melhorou " , a gente vai continuar vivendo nessa republiqueta das bananas.

        • Marco

          Eu vejo como o transporte privado no Brasil é eficiente. Nossas empresas aéreas, os ônibus das cidades, o metrô do Rio, as Barcas do rio, tudo um espetáculo. Tudo privado.

          • Leandro Esteves

            Justamente marco. O problema não está em ser público ou privado, mas sim na roubalheira que está sempre envolvida. Se a qualidade custar 1 bilhão e roubam 500 milhões é óbvio que você só receberá no final 50% da qualidade. Tudo nosso é porcaria, Aviação, 3G, 4G, Metrô, ônibus, caro e meia boca…

    • Rodrigo Oliveira

      Não levo fé em nada que se faz no Rio. Tudo visa exploração e dinheiro, sem oferecer qualidade.

      • Thiago Castro

        Bairrismo não agrega valor aos comentários. rs

    • Bruno Faria

      Excelente reflexão… E essa parceria Odebrecht – PT/PMDB nunca se acaba! O ''A'' financia a campanha do ''B'', que por sua vez retribui, generosamente, com obras e mais obras… legal, não? E quem paga estas obras? Devem ser os turistas que virão para a Copa e Olimpíadas…

  • Marcio

    Sou de Belo Horizonte e torço para que Confins seja realmente um aeroporto de ponta. Nós, mineiros, que o utilizamos com frequência, mais os brasileiros e estrangeiros que aqui desembarcam, merecemos um grande e bom aeroporto.

    • Luiza

      Confins sofre um grave problema de mobilidade.

      • Leonardo

        TInha que ter um trem (bala, se possível) para levar do centro até Confins. É o mesmo problema de Coritiba, a viagem é tão grande até lá que o custo pra chegar até o aeroporto tem que ser levado em consideração no preço da passagem.

    • Mari

      Estive em Minas semana passada, há muito tempo não ia aí e levei um susto com o aeroporto de vcs. 10000000000000000 % pior que rodoviária…. um absurdo!

    • O nosso maior problema é o transporte para Confins!

      • renan

        Distancia Centro cofins é igual distancia paulista Guarulhos! 40km

  • walter

    Discordo da sua opinião que privatização dos aeroportos foi comprovadamente benéfica. Vc poderia verificar o aumento das taxas de embarque, por exemplo, e dos péssimos serviços de limpeza terceirizados (principalmente em Guarulhos) não é pq é público q seja ruim. Más administrações existem tanto no público quanto no privado. Construir aeroporto a iniciativa privada não quer, mas depois de tudo pronto e funcionando ai sim a iniciativa privada é perfeita pra administrar????

    • Leandro Esteves

      Perfeito o seu comentário. Os lucros vão para a iniciativa privada, mas os gastos com reformas quem pagou fomos nós contribuintes. Assim é moleza. A triste realidade é que as coisas só saem no Brasil se rolar alguma grana forte por fora pra alguem ( ou algum partido ). Então tenham certeza, a última coisa que pensaram nestas concessões foi no bem estar do passageiro. O que vale ali é o lucro do empresário, a arrecadação do governo e a propina no bolso dos colarinhos brancos.

      • Ed

        Não seja ingênuo. Se o governo não tivesse reformado previamente o aeroporto, certamente o ágio teria sido menor. Simples questão de matemática. Você mesmo, quando compra um carro, por exemplo, mentalmente já faz as contas do que deve abater no preço caso necessite de reformas. E, de mais a mais, o ágio que o vencedor pagará já cobre todas as reformas realizadas em GIG e muito mais.

    • Pablo

      Se voces lessem o anexo 2 do edital de concessão (Plano de Exploração Aeroportuária) e ainda as portarias que tratam do Plano de Qualidade de Serviço iriam ver que as tarifas pros concedidos só sobem se o passageiro achar que o serviço melhorou. E o máximo anual é de 2,5%, sendo que se piorar a queda chega a 7,5%.
      Isso mesmo, se a qualidade do serviço cair, a taxa cai também.

  • Moacyr Lopes

    Faltou exigir na licitação um trem urbano ou metrô entre BH e Confins. Nem sei se cabia isto. Taxi não sai por menos de R$ 110,00 e tanto ele, como os ônibus, gastam 1h10, no mínimo, até o centro de BH.

    E, pelas últimas adequações que a Azul fez, cada dia mais ele diminui os voos em Pampulha passando para Confins. Foi o que aconteceu com Juiz de Fora e Uberaba.

    • Mari

      Concordo!!
      E se não me engando, só a Azul opera em Pampulha, né? Deviam dar um gás nele !!!!!

      • Moacyr Lopes

        Azul e Passaredo. Mas o número de cidades atendidas diminuiu de um ano para cá. Agora vão tirar os voos de Governador Valadares de lá também.

  • Ótima noticia, cada vez dependemos menos da incompetência da infraero. Mas esse valor pelo galeão tá muito alto hein!? tenho la minhas dúvidas… GRU foi privatizado 16 bi.

    Quanto ao post de leandro esteves… uso VCP e GRU. e ambos já estão muito melhores que antes sem cobrar nada a mais… pelo contrário. mais lanchonetes, mais concorrência e o preço cai. As regras desse leilão são diferentes então temos que esperar pra ver.

    • Leandro Esteves

      Tomara que isso realmente se perpetue Evandro. É desejo de todos nós brasileiros termos condições no mínimo parecidas com as de outros países, muitas vezes até mais pobres que o Brasil.

      • Leandro o Problema do Brasil é o povo
        reclama , e não tem coragem de lutar pelo melhor do País
        fala dos Politicos corruptos e corrompe o guarda na Blitz
        Se eles roubam e tudo são deles e não muda nada prefiro que privatizem

    • Evandro, acho que esse valor se explica em partes pela final da Copa do Mundo e pelas Olimpíadas. Acredito que eles estejam planejando usar a visibilidade desses eventos e a fama mundial do Rio de Janeiro para atrair novos voos e mantê-los mesmo após os jogos. É apenas um palpite.

    • Thiago Castro

      Estive em Viracopos pela primeira vez semana passada. E se oq eu vi lá já é uma melhora, então oq tinha antes era horroroso!!!! Aeroporto pequeno, com poucas opções pro que quer que seja e as que tem são caras.

      Sem falar que sair de SP pra ir pra VCP eu não faço nunca mais. Muito tempo em deslocamento. Meu negócio é Congonhas mesmo.

  • Fico feliz por vê mudanças nos aeroportos , Privatizar sim é a melhor maneira
    porque só assim teremos modernidade, segurança e conforto
    como dizia o Renato russo ' O Brasil é o País do Futuro" Mas o problema é que o povo precisa mudar e se educar
    Imagina O Aeroporto do Galeão ( 20 % aos moldes do de Cingapura )
    O PT Rouba a 12 Anos e a Galera ta acordando agora

    • Leandro Esteves

      Acordando??? Eles estão ai soltos roubando na nossa cara… Ou você acha que esses 20 Bi vão pra onde? Ah sim, pra máquina da campanha eleitoral do PT ano que vem.

    • Marco

      O PT roubou até mesmo o "h" do "há 12 anos", né?

    • Nico

      Não foi uma privatização, foi uma concessão. O patrimônio público não foi desfeito e note a diferença: 2 aeroportos concedidos U$ 20 bilhoes; Vale do Rio doce, 2ª maior mineradora do mundo VENDIDA OU DOADA por U$ 3 bilhoes.

      • Daniel

        Tem gente que acha mesmo que não se trata de uma privatização. E comparar com a privatização da Vale, que ocorreu há 16 anos, num contexto internacional e nacional completamente diferente…

  • Sandro

    Reclamam de tudo.. impressionante!

    • Luiza

      Isso seria uma reclamação? 😉

      • Leandro Esteves

        Boa Luiza. Feliz o povo que reclama e não aceita tudo calado. Continuem ai aceitando corrupção, pagando R$ 3.500 num Iphone ( e virando 24hrs na fila ainda pra ser o primeiro babaca, quer dizer, consumidor a comprar ), comprando PS4 por 4 mil reais e vocês verão onde esse país vai parar.

    • andre

      Pode pintar o aeroporto de ouro, que o povo reclama.
      Mas não fazem nada, não boicotam, não se manifestam,
      não entram com ações na justiça….
      só reclamar, reclamar, reclamar…

  • Daniel Matos

    Parece uma boa para o Rio. Mas pelo visto, nada de novos terminais né? Continuarão os 2. Na verdade 1 e meio pois o T2 é ridiculamente pequeno. Espero que, com a melhoria, cresça também o interesse em novas rotas para o Rio que vem recebendo pouquíssimas rotas ultimamente. Além das atuais que estão deixando de operar. Mas isso também não depende dessa concessão, já é mais interesse político e econômico do Governo em conceder tais licenças…
    Pra finalizar, que consigam fazer um bom lobby junto ao governo do Rio pra melhorar o péssimo serviço de transportes para o Galeão, que atualmente é controlado por cooperativa de taxis e uma linha de ônibus executivo que só leva até a Barra e Zona Sul.

  • Carlos Mendes

    Apenas uma correção. O aeroporto do Galeão será administrado pela Odebrecht que possui 60% de participação no consórcio vencedor. Uma empresa brasileira e multinacional.

  • Só acho que podia trocar a palavra "evangelização" no texto, pois o significado dela está muito distante do que foi apresentado!

    Fora isso, o texto está ótimo e acredito em uma grande melhora nesses aeroportos. Sou carioca, moro em BH e esses são os aeroportos que mais uso!

  • Rogerio

    Falta o pior de todos, Cumbica. Por mim passava tudo para os gringos, quem sabe teriamos um servico de primeiro mundo.

    • Leandro Esteves

      Nós não vamos pagar nada
      Lalalalá!
      Nós não vamos pagar nada
      É tudo free!
      Tá na hora agora é free
      Vamo embora
      Dá lugar pros gringo entrar
      Que esse imóvel tá prá alugar
      Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!…

    • Nico

      Como tem gente com complexo de vira-latas por aqui hein??

  • Os Aeroportos Brasileiros Pareciam mais com Rodoviárias do que com Aeroportos

    • Leandro Esteves

      Pareciam não, parecem. Até a parte nova da rodoviária Novo Rio aparenta ser melhor que o galeão. No galeão até um elevador é dificil de pegar.

    • Thiago Castro

      A rodoviária de São Paulo (Tietê) dá de milhões a zero na maioria dos aeroportos brasileiros…..infelizmente.

  • Sergio

    O pior problema desses aeroportos continua sendo público, que é o acesso para a cidade. Os grandes aeroportos europeus e asiáticos são bons porque dá pra ir até eles de trem ou de metrô, sem depender dos caros táxis e do trânsito.

  • junio

    "evangelização de que a privatização é algo ruim" todos sabemos que a privatização é uma bosta, aumenta o preços de tudo quando privatização. pessoal vamos prestar atenção.

  • Os cariocas e mineiros acabaram de tirar a sorte grande. Se os aeroportos destas cidades apenas se "parecerem" com Changi, Zurique e Munique, vocês vão sair da quinta divisão global de aeroportos para a Copa do Mundo. Changi é um aeroporto indescritível. Munique, idem. Zurique, nem se fale. Indescritível é fazer uma conexão internacional em 10 minutos sem sustos; é passar pela alfândega que se parece com a entrada de um shopping; é ter sinalização precisa; é sair do avião e a mala já estar te esperando na esteira; é ter uma esteira comprida o suficiente para que todos nós nos acomodemos, sem precisarmos ficar um em cima do outro; é ter planejamento de longo prazo; é ter banheiros limpos, em quantidade compatível com a demanda e sempre limpos, com pesquisas de satisfação; é ter um lago dentro do aeroporto; é ter um cinema e um jardim; é ser lotado de free-shops e restaurantes, sem lotação e ser tratado como sardinha, enfim, é ser muito bem tratado, tal qual não estamos acostumados aqui no Brasil.
    Sinceramente espero que eles façam escola por aqui, não sendo influenciados, negativamente, pelos nossos jeitinhos e gambiarras…

  • Fernando

    O Galeão está um LIXO !! Tinha que privatizar mesmo, pois não pode ficar pior do que já está.

  • Equipe do MelhoresDestinos, mais uma vez vocês foram felizes nos comentários.
    Viracopos está sendo totalmente remodelado (para quem não sabe, o atual terminal não será utilizado, porque os novos estão sendo construídos em uma área totalmente afastada)

    Brasília está de vento em popa com a construção de um novo terminal e com a ampliação do atual. As obras causam, sim, alguma irritação, especialmente na entrada no aeroporto, mas acredito serem temporárias. O que mais incomoda são as obras do governo local, que causaram um verdadeiro caos ANTES de chegar ao aeroporto (e também não há nenhum sistema de transporte férreo… todo mundo parado no trânsito)

    Quanto a Guarulhos, o aeroporto está sendo remodelado aos poucos. Ora, o maior aeroporto do Brasil não poderia ficar pronto em apenas 1 ano, não é mesmo? Já senti muita melhora, mas ainda falta muita coisa. Ainda assim, acredito que a privatização foi excelente, apesar do que as regras atuais me parecem melhor

    e para quem critica a privatização porque os "preços sobem", vamos lembrar que foi a privatização do sistema Telebrás que permitiu a popularização das linhas telefônicas e dos celulares. Quem vivei antes de 1.995 pode lembrar bem como era complicado (e caro, muito caro!) ter uma linha telefônica.

    Torço para que a privatização dos aeroportos, com o tempo, possa mostrar aos brasileiros que a escolha é boa, sim, para o país

    • Leandro Esteves

      Bernardo, não se trata de privatização, como felizmente o FHC fez com a telefonia, mas sim de concessão, ou seja, nada mais que entregar durante um tempo para que os empresários possam lucrar e é claro, doar para as campanhas eleitorais. Porque as telefônicas investiram? Porque elas vão ter lucro indefinidamente, e não só durante um periodo. Não consigo acreditar que vão transformar o Galeão a ponto dele ficar parecido com o aeroporto de Cingapura pra daqui a 30 anos entregar de volta ao governo. Mas se realmente fosse privatizado, ai sim eles fariam e rapidamente, pois quanto melhor, mais cliente, mais lucro, mais dinheiro e por ai vai, sem ter de ficar pagando comissão pra politico safado.

      • Anderson

        Bem lembrado sobre a telefonia. Se em vez de ficar escrevendo opiniões enviesadas aqui (em prol dos tucanos) lesse um pouco sobre o quanto foi investido pela União no Sistema Telebras meses antes da privatização, seria um pouco mais coerente com todos.

  • Quem já esteve no aeroporto de Zurich sabe… Se Confins nao virar aeroporto de punta tem só um problema: os brasileiros e o "jeitinho"

  • Moacyr Lopes

    Viracopos melhorou mesmo: foi de ruim para péssimo (ou vice-versa).

    Nossos aeroportos são um lixo, espremidos, construídos sem pensar nas futuras ampliações, tanto é que temos os famosos puxadinhos. O terminal 2 de BSB é um exemplo.

  • Em setembro fui para os EUA, país para onde viajo com frequência. Na volta, para aproveitar uma passagem de graça (milhas da AA), tive de ir 'pulando' e passei pelos seguintes aeroportos:

    – Minneapolis: Excelente, não muito grande mas extremamente funcional
    – Dallas: Um dos maiores dos EUA
    – Miami: Muito bom, tudo ok também

    Aí, cheguei em Salvador e depois no meu destino final, Confins… socorro.

    • Moacyr Lopes

      Orlando e Charlotte também são ótimos. Dá uma brochada quando desdemos nos nossos aeroportos depois de conhecer os de fora.

  • Thiago Marcengo

    "Os aeroportos de Brasília, Campinas e Guarulhos já provaram que, apesar das falhas no leilão e no modelo de concessão adotado, a privatização é absurdamente vantajosa para os passageiros."

    HAHAHAHAHAHA tá de sacanagem né? Basicamente a mensagem é: o leilão inteiro foi uma piada, mas o resultado final é, a esperança de um dia termos aeroportos de primeiro mundo. Por que sinceramente, GRU continua a mesma porcaria de antes..

    • Thiago, talvez você não esteja acompanhando as obras desses aeroportos. Quem está acompanhando sabe bem como as coisas estão indo, até a copa você verá o resultado.

  • wanderson

    Quando é que a Vale será devolvida à União?

  • Edson

    Não adianta quererem que o público administre nada aqui no Brasil, nunca vai dar certo. Todos os parentes, cunhados e asseclas querendo uma boquinha pra virar diretor disso e daquilo. Aqui, muitos falam, mas não tenho certeza de que, se estivessem em situação de corruptos/corruptíveis/corrompedores, fariam tudo o que dizem que não fariam. A pressão pra manter um sistema ladrão funcionando não muda por que um ou outro quer. A mudança disso é de valor, cultural, vindo de berço e, sabemos, que a qualidade disso nunca foi das melhores e tende a piorar. Enfim, que bom que privatizaram. As empresas de fora não gostam do jeito do brasileiro trabalhar, por isso trazer profissionais de outros países pra cá e, só depois de muito tempo, conseguem localizar e trocar as maçãs podres brasileiras por pessoas com mais caráter. Concluindo, só não sei porque alguém dá uma proposta de 19 bilhões e a outra dá de 14. Diferencinha pequena, não? Daria pra pegar sem esforço o de Confins e ficaria com troco pra pegar outros no futuro. E quando forem devolver a Vale pra União, me chamem pra festa (kkkkk)

  • bilhetepremiado

    Privatização é diferente de Concessão, mas ambas são muito semelhantes. Que tal entender as diferenças?
    Concessão é utilizada quando o governo concede à iniciativa privada a prestação de um serviço público, normalmente por prazo determinado. Isso aconteceu com a telefonia. FHC concedeu o Sistema Telebrás. O PSDB fez com as rodovias de São Paulo. Concedeu a prestação à iniciativa privada. Lula e o PT também fizeram o mesmo. Concederam rodovias estaduais à iniciativa privada

    No caso da Vale e da Embraer, o governo vendeu as empresas, o termo jurídico é privatizar – transferiu a propriedade do Estado para o privado. Eles não fornecem um serviço público, não lidam diretamente com o público, não prestam serviço público.

    Na prática, utiliza-se os dois termos como sinônimo para dizer que a administração de um serviço público será feita por um particular. O PSDB fez concessão e fez privatização – politicamente, chamou tudo de privatização. O PT fez concessão e fez privatização – politicamente, resolveu chamar tudo de concessão para manter o discurso de que não estava vendendo o Brasil.

    A diferença, entretanto, é mais jurídica do que prática.

    Privatizar ou conceder, o melhor é sempre ter a iniciativa privada como parceira e como fomentadora do desenvolvimento. O Estado deve se ocupar de funções sociais e não de funções precipuamente econômicas.

    Como este espaço não se destina a esse tipo de discussão, voltemos aos aeroportos
    Decisão tomada, os brasileiros que acreditam que estamos perdendo porque os aeroportos foram concedidos estão, na prática, torcendo contra o Brasil
    Vamos é torcer para que a concessão ou a privatização traga benefícios para todos os brasileiros e, no nosso caso, aos usuários de serviços aeroportuários
    quem torce contra me parece estar contra o Brasil

  • leonardofaria

    Não vejo vantagem em falar que quem vai administrar são os mesmos que gerenciam singapura e zurique. É o mesmo que ver vantagem em ter Starbucks e Apple Store no Brasil. Vai continuar caro

  • Felipe Martins

    Prezado editor do site, com todo respeito, mas discordo quando o Sr. diz que "graças ao terrorismo e a evangelização de que a privatização é algo ruim". Claro que isso é uma opinião pessoal sua, provavelmente reproduzindo a grande mídia, que não é, de forma alguma, isenta. Sei que este espaço não é o adequado para um debate econômico, mas permita-me expor minha opinião.

    De fato, o setor privado têm demonstrado ser bem mais dinâmico que o setor público. Em primeiro lugar, justamente por não ser público, suas decisões são tomadas rapidamente (ou autoritariamente) pelo alto escalão de executivos, sem qualquer discussão e justificativa pública e com os trabalhadores, sem licitações, sem concurso público, sem fiscalização do Ministério Público e de outros órgãos de controle. Ou seja, o setor privado não sofre de entraves burocráticos porque ele somente deve explicações aos seus acionistas, que, por sua vez, visam apenas uma coisa: maximizar lucros. E isso significa que vai aumentar os preços das tarifas e reduzir seus custos (arrochar os salários), unilateralmente.

    Mas é justamente esses entraves "burocráticos" que garantem a participação democrática da sociedade. Uma Estatal está submetida ao regime democrático, uma vez que quem a administra foi eleito ou foi indicado pelo eleito (se o eleito é péssimo, isso é um problema do sistema eleitoral). A privatização não deve ser vista apenas pelo benefício que ele trará para o consumidor (o que também nem sempre é verdade, vide nossas telecomunicações, transporte público urbano, e até mesmo os aeroportos, já que o melhor aeroporto do país é o de Curitiba, que é Estatal, à frente dos privatizados). Uma empresa pública faz parte de um sistema, de um todo, que envolve outros grupos de interesses, como trabalhadores, governo e o resto da sociedade (mesmo os não usuários de aeroportos), conforme detalho a seguir.

    TRABALHADORES – Muitos trabalhadores certamente serão demitidos. Os que ficarem serão sobrecarregados, terão seus salários reduzidos, e perderão a estabilidade do serviço público. Foi assim em todas as privatizações. Aliás, se fosse permitido aos trabalhadores das Estatais participação direta na gestão, ela certamente seria melhor gerida.

    GOVERNO – Um dos principais benefícios de uma estatal é que os sócios somos todos nós. O lucro vai para os cofres públicos e é revertido em benefícios para a sociedade e a renda é redistribuída dentro do país, promovendo justiça social. Com a privatização, a maior parte do lucro será enviada para o exterior, para engordar os bolsos de meia-dúzia de mega-empresários estrangeiros. Desde o início das privatizações, com o governo Fernando Henrique, a carga tributária subiu de 25% para os atuais 35%. Perdeu-se receita com o lucro das estatais, e aumentou-se a carga tributária (apesar deste não ser o único motivo do aumento).

    SOCIEDADE – Como disse, o lucro das estatais financia o Estado, que redistribui estes recursos para a sociedade. Aliás, o boom que o setor aéreo está vivenciando atualmente no país é justamente devido à redistribuição de renda provocada pelo bolsa-família e pelo progressivo reajuste do salário mínimo um pouco acima da inflação (poderia ser bem maior). Não que estes beneficiários tenham condições de serem clientes de companhias aéreas. Mas a reação em cadeia de baixo para cima resultou na reativação da economia e promoveu incremento de renda para classes intermediárias, que não são beneficiárias destes programas, e que passaram a viajar de avião.

    É claro que o modelo público que citei acima é teórico e não funciona nem de longe assim. Boa parte dos recursos públicos são desviados por corrupção e por uma dívida pública injusta que compromete 44% do orçamento público federal. Mas, somos uma democracia jovem e o Estado pode evoluir. Da mesma forma, os benefícios do modelo de privatização também é teórico, e seus entusiastas irão apresentar apenas os indicadores que lhes são favoráveis, como se a empresa estivesse inserida em uma ilha, desconsiderando todos os demais fatores. O importante é que façamos um levantamento dos prós e contras de cada modelo, para formarmos nosso próprio juízo de valor. Este valor é subjetivo e não é uma técnico economista que vai dizer o que é certo e o errado.

    Mas vale lembrar que o Brasil somente se desenvolveu a partir da década de 30, com Getúlio Vargas, com a criação de dezenas de empresas Estatais, que deram um enorme impulso à nossa industrialização. O país começou a deixar de ser um agrário e mono-exportador de café. A Europa, de 30 anos para cá, também privatizou e continua privatizando várias Estatais, reduzindo cada vez mais o papel do Estado. Não precisa dizer como está a situação por lá.

  • Atalibio Schneider

    Confins… é ali ó ————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————-> 😀 😀 😀

  • André

    Ah, Melhores Destinos, privatizações são comprovadamente melhores?! Ah, faça-me um favor! Nem vou argumentar essa asneira.

    E que conste um detalhe: essa semi-privatização que o governo Dilma fez (contra o qual tenho INÚMERAS ressalvas) ainda foi milhares de vezes melhor que o entreguismo de FHC/PSDB. Pelo menos da forma como foi feito as empresas serão obrigadas a investir e depois de um certo tempo o aeroporto volta para o poder público. Não é aquela venda a preço de banana que a direita fez na década de 90.
    Que o serviço vá melhorar, duvido. Duvido muito. Mas pelo menos não entregamos os aeroportos para todo o sempre.

  • Vitória

    Não! Não ajuda não, cara! Por favor!
    As manifestações que ainda estão acontecendo em muitas cidades tem um caráter totalmente oposto ao que você falou. A gente precisa é cobrar investimentos público em bens/serviços públicos. As manifestações são radicalmente contrárias às privatizações. (vide a luta contra o Complexo do Maracanã, o leilão de Libra, as remoções "olímpicas" no Rio de Janeiro, etc).

  • Bruno

    Uai, teve. Lembra daquele aribus da TAM que atravessou a Washington Luiz e colidiu com o galpão da empresa, matando 199 pessoas? CGH é mão na roda, mas tem que ser um piloto muito foda para poder pousar lá.

  • Vicente

    É mais ou menos verdade. Se pode chegar no aeroporto de Porto Alegre de trem, o problema é que não se pode chegar em Porto Alegre de trem já que são apenas 5 estações na cidade… É interessante para a região metropolitana. Claro que é uma comodidade chegar na rodoviária e no centro de metrô, mas faz muita falta a linha para a Zona Norte…