Decisão chilena sobre fusão obriga futura Latam a deixar a Star Alliance

Denis Carvalho 22 · setembro · 2011

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

A decisão do Tribunal de Defesa da Livre Concorrência do Chile (TDLC), que aprovou ontem a fusão entre a LAN e TAM, também deve ser o decreto de saída da companhia brasileira da Star Alliance – a maior aliança de empresas aéreas do mundo. Assim como a LAN, a Latam deverá ser filiada à Oneworld, a menor das três alianças globais.

Isso porque uma das medidas do tribunal chileno determina que a nova companhia aérea deixe uma das duas alianças globais. E mais, que não participe da mesma aliança em que estiver o grupo Avianca-Taca. Como os colombianos devem ingressar na Star Alliance em 2012, restaria à Latam a Oneworld ou uma improvável mudança para a Skyteam.

Liderada pela Lufthansa e pela United Airlines, a Star Alliance conta com 27 membros ativos e outros seis em processo de admissão – entre eles a Avianca-Taca e a Copa. Atende a 181 países e 1.160 aeroportos, com uma frota de 4.023 aeronaves.

Os números da Oneworld, liderada pela American Airlines e British Airways, são mais modestos: são 12 companhias filiadas (outras três já convidadas), que voam para 146 países e 872 aeroportos, com frota de 2.470 aviões.

De acordo com o tribunal chileno, a Latam – que será a maior companhia aérea da América Latina e uma das 10 maiores do mundo – terá um prazo de dois anos para efetivar a saída da aliança global a partir da data da consolidação da fusão. Interessante é que, a menos que a medida seja alterada, se a Avianca decidir no futuro sair da Star Alliance e ingressar na Oneworld obrigará a rival a fazer caminho inverso, já que, segundo a decisão, “em nenhum caso” a Latam poderá pertencer à mesma aliança da concorrente.

Como no mundo jurídico sempre há espaço à negociação, resta saber se os executivos da LAN e da TAM – que ainda não se pronunciaram sobre a questão das alianças – tentarão algum acordo para manter a nova companhia nas duas alianças ou simplesmente acatarão a medida e deixarão a Star Alliance.

A julgar pelos comentários nos posts anteriores, a maior parte dos leitores é contra a saída da TAM da Star Alliance. E você, qual a sua opinião sobre o assunto? Compartilhe deixando um comentário abaixo!

Com dica do leitor Leonardo Franklin

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe