Latam anuncia seu mais novo destino: Israel! A companhia deve iniciar voos para Tel Aviv em 2018!

Leonardo Cassol 8 · novembro · 2017

A Latam anunciou hoje que pretende iniciar operações para Tel Aviv (Israel), com voos diretos saindo de São Paulo. O novo voo deve contar com três frequências semanais a partir do fim de 2018, permitindo conexões para passageiros de toda a América Latina.

O voo será operado pela Latam Airlines a partir de Santiago do Chile com escala em São Paulo (SCL-GRU-TLV) e ainda depende das aprovações das autoridades regulatórias.

Em outubro, o grupo Latam Airlines já havia anunciado três novos destinos internacionais: Roma, Lisboa e Boston. As passagens aéreas para Roma já estão disponíveis nos canais de venda da companhia, que ainda aguarda as aprovações das autoridades regulatórias para confirmar as operações para Boston e Lisboa.

Com quatro novas operações internacionais, o Grupo LATAM Airlines terá 144 destinos em 27 países. Desde o início de 2016, a companhia já anunciou e lançou 26 novas rotas internacionais – como São Paulo-Joanesburgo, Lima-Barcelona, Lima-Washington DC, Santiago-Melbourne e Lima-San José, na Costa Rica.

Autor

Leonardo Cassol - Editor Editor e especialista em programas de fidelização do Melhores Destinos.
  • Michelle Beinisch

    🙌🏻🙌🏻🙌🏻

  • Mazel tov!

  • Samila Silva Saiki

    Ai meu coração!!!!! Já no aguardo de promoções para minha cidade santa e amada!!!!

  • raphaela1

    Mas o avião terá que fazer desvios em alguns países muçulmanos para chegar em Tel Aviv, igual acontecia com a El Al?

    • Junior Pires

      Teoricamente não a distancia entre SP a Tel Aviv são de 10.622,11 km
      Tanto o (B767 autonomia de 11.000 km), (A350 autonomia de 15.300 km km) ou (777-300 autonomia de 17.600 km) da LATAM poderiam voar direto sem escala.

      • Nicolas Less

        Junior, você entendeu a pergunta da Raphaela?

    • Ricardo

      Não, países muçulmanos não tem problema com um avião chileno. Inclusive a maior colônia palestina fora do Oriente Médio está no Chile. Tem até um time de futebol da 1a divisão, o Palestino, e alguns jogadores chilenos até atuam pela seleção da Palestina.

  • Rafael Sa

    Muito bom.
    Concorrente direto pra Emirates, TAM surpreendendo em tempos de crise…

    • R.F.

      Emirates? Mas ela nem voa para Israel…

      • Rafael Sa

        Do Brasil pro Oriente Médio, né?!?

        • R.F.

          Então não é concorrente DIRETO, né? Concorrente direto seria se a Emirates já voasse para Israel, ou a Latam anunciasse um voo direto para Dubai.

          • Rafael Sa

            Entendo como concorrente DIRETO! Vou pro Libano ou Jordania todos os anos, e minha única opção mais rápida é a Emirates, com a saída da Etihad do Brasil. Já fiz conexões na Europa, mas a média do tempo de voo de CDG, MUC ou LHR para BEY ou mesmo TLV é 4 horas em avião pequeno, sem conforto e as vezes sem serviço de bordo. Tendo um ponto de voo direto pro Oriente médio, fica muito mais fácil e rápido!

          • Thiago Aley

            Rafael Sá, o pensamento do R. F. está correto.
            A Emirates te deixa dentro da Jordânia ou do Libano, com uma conexão com ela mesma em Dubai.
            No caso da Latam, ela não te deixa nem na Jordania, e nem no Libano. Te deixa em Israel e de lá você tem que se virar e comprar o segundo trecho com outra companhia aérea, sabendo que, fazendo os trechos com companhias aéreas diferentes o preço sempre encarece, comparado a trechos com a mesma companhia (como a Emirates).
            No caso, a Emirates continuará sendo sua melhor alternativa.
            A propósito, voei com eles hâ menos de um mês e o A380 estava com lotação máxima na ida e na volta, inclusive com overbooking na ida.
            A intenção da Latam com essa rota não é explorar passageiros com destino ao oriente médio em geral, e sim, passageiros de toda a America do sul (o vôo é de Santiago, GRU é apenas escala) que tem como único objetivo o país de Israel.
            E só pra salientar, você menciona crise: Não confunda o mercado domestico com o internacional. O mercado de viagens intercontinentais para Brasileiros está em crescimento, e não em crise. Repare que esse ano existiu menos da metade das promoções que ano passado. Isso é o reflexo do aumento da demanda perante a oferta.
            Saudações aeronauticas!

          • Thiago Aley

            Corrigindo mais um ponto, apesar da fusão, ainda existem comandos e direções distintas (Latam Chile, Latam Brasil, Latam Peru, etc etc etc), e o pedido de autorização de rota partiu da LATAM CHILE, então não é “TAM Surpreendendo em tempos de…”

          • Rafael Sa

            Thiago, discordo de ambos os pontos apontados.
            O mercado de voos dentro do Brasil está em crise Sim! Vide a quantidade de cias aéreas que deixaram de voar pro país e as que ficaram, cortaram voos. Só a AA cortou 11 voos diários pra cá. Inclusive, não tenho dúvidas, esse foi o motivo do reduzido números de promoções e do aumento do preço médio das passagens pros USA, a oferta caiu demais e a demanda não tanto, então, sobram menos lugares nos aviões.

            A Emirates foi inteligente, com a saída da Etihad, de colocara o A380 pra suprimir a demanda.
            Mas mesmo assim, os voos da Emirates (com o avião antigo) e do da Etihad quando existia, ofereciam mais lugares do que só o A380 oferece hoje, então, a oferta de lugares pro Oriente Médio caiu.

            Sobre o voo pra Israel, você esqueceu que a LATAM tem fortes parceiras no Oriente médio via Oneworld.
            Também acho certo que a LATAM fará parcerias individuais com as cias árabes, pra facilitar ainda mais a compra de voos por um canal só.
            Será possível, certamente, conectar com um voo da Royal Jordanian pra Omã ou outros lugares do Oriente Médio.
            Qatar tmb é um parceira Oneworld, então, pra mim, esse voo novo, tem intenção de pegar passageiros que querem destino final todo o Oriente médio.

          • Rafael Sa

            Thiago, discordo de ambos os pontos apontados.
            O mercado de voos dentro do Brasil está em crise Sim! Vide a quantidade de cias aéreas que deixaram de voar pro país e as que ficaram, cortaram voos. Só a AA cortou 11 voos diários pra cá. Inclusive, não tenho dúvidas, esse foi o motivo do reduzido números de promoções e do aumento do preço médio das passagens pros USA, a oferta caiu demais e a demanda não tanto, então, sobram menos lugares nos aviões.

            A Emirates foi inteligente, com a saída da Etihad, de colocara o A380 pra suprimir a demanda.
            Mas mesmo assim, os voos da Emirates (com o avião antigo) e do da Etihad quando existia, ofereciam mais lugares do que só o A380 oferece hoje, então, a oferta de lugares pro Oriente Médio caiu.

            Sobre o voo pra Israel, você esqueceu que a LATAM tem fortes parceiras no Oriente médio via Oneworld.
            Também acho certo que a LATAM fará parcerias individuais com as cias árabes, pra facilitar ainda mais a compra de voos por um canal só.
            Será possível, certamente, conectar com um voo da Royal Jordanian pra Omã ou outros lugares do Oriente Médio.
            Qatar tmb é um parceira Oneworld, então, pra mim, esse voo novo, tem intenção de pegar passageiros que querem destino final todo o Oriente médio.

          • Thiago Aley

            Boa tarde, amigo.

            Continuamos discordando na maioria dos pontos.
            Sobre o vôo da Latam, repito, a intenção da companhia é focar nos passageiros de toda a America do Sul, São Paulo, Santiago, e varios outros em conexão, que tem como destino final Israel, e não, captar passageiros com destino ao Oriente Médio. So frisando que isso não é achismo, e sim informação interna.
            E quando você menciona parcerias através da One World para conexões em Israel para o Oriente médio, você esquece dos conflitos políticos, e principalmente dos sintomas que ele provoca, como a não operação de grande parte das companhias aéres do Oriente médio em Israel.

            Abraços

          • Rafael Sa

            Olá.

            Entendo todos os seus pontos, mas não concordo mesmo.
            Conheço mais do que a maioria das pessoas sobre conflitos religiosos. Sou de família judaica, casado com uma mulher de origem islâmica e por isso vamos pra lá todos os anos.
            Expus mais de uma cia árabe que faz voos pra Israel. Conflitos existem, mas lucro por aqueles lados, fala mais alto.
            Sobre o novo voo, também não comento tais fatos baseado no que eu acho. Meu cunhado trabalha na LATAM Chile e esse interesse de entrar no Oriente Médio é muito antigo, ele comentou sobre isso no começo desse ano mas achei que isso nunca ia acontecer.
            Esse tipo de canal é bom para isso, para expor as ideias e debate-las.
            Veremos!!! Se as autoridades aprovarem os pedidos desse voo, vamos ver se as parcerias locais aumentam conjuntamente ou não.

            Um abraço

          • Ricardo

            Pensar que lá pela década de 60, a Varig fazia a rota Rio-Beirute. Antes disso, a Panair do Brasil voava a Istambul, Cairo e também Beirute. E na década de 80, a Iraqui Airways voava do Rio para Bagdá, via Amã, se não me engano.
            Antes, empresas aéreas brasileiras voavam para uma quantidade enorme de destinos e países. Hoje, só a Ethiopian voa para quatro vezes mais países que a soma dos destinos de todas as empresas aéreas brasileiras juntas.

          • Rafael Sa

            Concordo Ricardo.
            Estamos muito mal abastecios de destinos, principalmente nas cias brasileiras.

            Até hoje, pra um destino como USA, só existem voos pra Miami/FT Lauderdale, JFK, DC, Orlando e LA. Sendo esses dois últimos iniciados recentemente, são somente 5 destinos
            Ou seja, a AA faz mais voos pra destinos Brasileiros do que nossas cias fazem pra destinos americanos, muito ruim!

          • Ricardo

            Pois é! Eu estou com preguiça de fazer contas, mas acho que a TAP e a Copa juntas voam para mais destinos brasileiros que a quantidade de países atendidos pelas empresas aéreas brasileiras.

          • Gilberto

            Delta: Atlanta, Detroit
            United: Chicago, Newark, Houston
            American: Dallas

  • Jonatas Elias

    Só eu acho que a LATAM está dando passos maiores que a perna?

    • Matheus

      Discorra.

  • Mauricio Laukenickas

    Ficaria mais feliz se essa programação fosse para daqui 1 ou 2 meses. De qq forma, é bom saber que a LATAM tem o desejo de voar para a única democracia do Oriente Médio, país mais desenvolvido da região, único país do Oriente Médio a ter total liberdade política e religiosa e inclusive ater Parada Gay, onde a mulher pode dirigir, votar e usar biquini. Fora isso, foi um dos primeiros países do planeta a ter uma mulher Chefe de Estado (Golda Meir), além de ser um país muito avançado, o que pode ser comprovado pelos inúmeros prêmios Nobel, ser berço da internet, do chip para celular e das mais avançadas tecnologias em medicina do mundo. Sem contar a história de 3.000 anos de Jerusalém, das riquezas do Mar Morto, de Massada e das belezas naturais de Eilat. Não tem país mais bonito e rico em culturas de todas as religiões e tecnologia no planeta. Em suma, um belíssimo destino para qualquer pessoa visitar, seja pela LATAM ou qualquer outra cia aérea do mundo. Já fui e recomendo a todos a visitar Israel.

    • Elizabeth Caulfield

      Bonito e verdadeiro seu comentário! Tenho lido muito sobre a história de Israel e dos judeus e sinto um profundo amor por esta terra e este povo, mesmo não tendo qualquer ligação… Não vejo a hora de conhecer Israel.

    • Leandro Godinho

      Fui a Israel ano passado e tb recomendo com força uma visita. Um país tão pequeno, mas com tantas coisas incríveis para se ver e tanta história por trás. Por falar em Eilat, recomendo por ali a travessia para a Jordânia para passar um dia/noite no deserto de Wadi Rum e ir a Petra. Duas visitas inesquecíveis também. Agora, cada um com seu cada um… Saí de Israel com uma impressão não tão positiva em relação à mistura política/religião. Há até liberdade religiosa, mas o Estado é oficialmente judeu, tem seu calendário/funcionamento baseado em leis judaicas e sua política de assentamentos na Cisjordânia – possivelmente a maior geradora dos conflitos com os palestinos – totalmente calcada em motivos religiosos. Cheguei a ser destratado por militares em um ônibus, possivelmente por ter sido confundido com um árabe.
      Ou seja, tem seus prós e contras, como em qualquer outro canto do mundo. Mas eu voltaria muito feliz lá, ainda tenho muita coisa legal pra ver. E viva a diversidade!

      • Mauricio Laukenickas

        Israel precisa se proteger do terrorismo e faz em suas fronteiras com a Cisjordânia, Gaza, Líbano e Síria o que o Brasil deveria fazer em suas fronteiras com Paraguai, Argentina, Venezuela, etc. Ou seja, Israel controla suas fronteiras e não deixa entrar armas e terrorismo, o contrário do Brasil. É óbvio que em uma situação com essa, inocentes acabam sofrendo (como sofrem muito mais os pobres inocentes nas favelas brasileiras em ações policiais), mas não por culpa de Israel e sim culpa do terrorismo. É uma questão complexa e que vc precisa voltar lá no início do século XX (mandato britânico na região) para começar a entender. O povo de Israel não é simpático como o brasileiro. Talvez por isso, vc ache que foi destratado. Talvez não tenha sido. Fato é que Israel não tem violência pois tem controle de fronteiras, que é tudo o que o Brasil precisa fazer para começar a acabar com a violência que sofremos em terras tupiniquins.

        • Ricardo

          Bom, o Brasil não constrói pela força assentamentos ou colônias brasileiras no Paraguai e Argentina, ou um muro dividindo territórios venezuelanos…
          Reconheço a tolerância e a democracia em Israel, mas sem dúvida eles exageram bastante no autoritarismo.

        • Leandro Godinho

          Quando vc diz “não por culpa de Israel, mas sim do terrorismo” vc parece não estar aberto a uma coisa importante: toda moeda tem dois lados. Eu concordo com vc que certas atitudes de Israel são sequelas do terrorismo. Mas boa parte do terrorismo é consequência da política israelense. Ou seja, é uma realimentação infinita de ódios e problemas, feita por ambos os lados. A culpa não é só de um lado.
          Sobre o problema das fronteiras, vc tem razão, o Brasil não controla como deveria, mas nosso problema é umas mil vezes mais difícil que o deles, né? Temos 16900 km de fronteiras, a maior parte com mata densa, eles devem ter uns 800 km de rio e deserto abertos…

        • Nel Son

          Se Israel fosse tão perfeita , como alguem teimam em dizer que ela é….. ela nunca teria este estigma de intolerante.

          – A mesma intolerância acontecesse nos evangélicos, cristões, espiritas e do candomblé .
          – que tal todos olharem para seus umbigos antes de falar dos outros ?

      • Jamil Silva

        Pois é, Israel pode ser lindo, mas faz muros em pleno século 21…segrega com a desculpa de se defender. Aos poucos vai tomando a Palestina e Jerusalém Oriental dos árabes. E dizem que é a Terra Prometida

  • Biu

    Quem pretende visitar outros países árabes do Oriente Médio deve ter atenção nessa viagem à Israel. Já vi conhecidos passarem dificuldades na entrada em certos países árabes em virtude do carimbo israelense no passaporte.

    • Ivo Ellenbogen

      Correção:pode vir sem medo,o passaporte não é carimbado,você recebe um papelzinho azul separado do passaporte

    • Eles não carimbam o passaporte, estive lá ano passado e o carimbo é separado… Só tem que tomar certo cuidado pra entrar na Jordânia saindo por Israel, porque alguns países depois podem ver que, dependendo por onde entrou, você estava em Israel.

      • Leandro Godinho

        Isso, na fronteira Eilat / Aqaba ganhei um carimbo “Arava Border Control” na saída, que deixa claro que estive em Israel… O papel azul é muito útil se vc só sair de lá pelo aeroporto. Não sei se existe outra opção camuflada saindo por terra.

        • Ricardo

          Mas que eu saiba as autoridades da Jordânia sabem do problema, e se você estiver entrando no país por terra, vindo de Israel, se pedir antes eles também carimbam um papel separado.

          • Leandro Godinho

            Então fica a dica pra quem for atravessar a fronteira Eilat/Aqaba: pedir aos israelenses (que carimbaram meu passaporte) e aos jordanianos (que tb carimbaram, mas não lembro se estava escrito qual era o posto) que não o façam.
            Particularmente, eu não estava preocupado com isso pq seria minha última viagem com aquele passaporte.

    • Guilherme Lopes

      Eu faria questão de um carimbo em Israel…

      • Leandro Godinho

        Boa tarde, Guilherme. Poderia dizer o porquê?

  • Final de 2018 ainda?

  • worldlaw

    Fiquei surpresa com esta noticia já que 10% da Latam pertence à Qatar Airways. Quem vai fazer a segurança deste vôo?? Ai que saudades da El Al…

    • Silvio Franzen

      Pensei o mesmo!

    • Emil Lewinger

      nao sabia disso; Desde quando? Sabendo que a Qatar Airways é do governo e que o Qatar financia abertamente alguns grupos, fica dificil mesmo entender.

  • Valfrido Silva

    E nada de voo direto pra Cancún, não dá pra entender estas Cias aéreas.

    • Rodrigo Bruno Ramos

      Concordo, Cancún é logo ali, destino turístico super procurado e nada de voos para lá! Vai entender!!!

      • Valfrido Silva

        Pois eh Rodrigo, Já tem 2 voos diretos para Punta Cana (Gol e TAM) e nada de Cancún.

        • Thiago Aley

          A Aeroméxico deveria voar Brasil – Cancun direto, com conexão para a cidade do méxico para quem quisesse. A rota seria mais rentável pra ela, que tem saído com pouco mais de 60% de ocupação.

    • Flavio

      A tam já teve voo direto entre sao paulo e cancun…

      • Valfrido Silva

        Não sabia q ela já teve, se não me engano a aeromexico tmb já teve saindo de GRU. Por incrível que pareça, esta rota parece q não é muito rentável.

  • Matheus

    Boa análise. Tava pensando nessa lógica tbm, só não me lembrava da cronologia dos trechos.
    Tomara que essa rota permaneça, afinal Israel é um destino interessante. Tem que ser rentável.

    • Jonatas Elias

      Com certeza é um destino interessante, mas acho que assim como Rússia, Grécia, Caribe etc é um destino bem acessível via qualquer hub maior, e vale lembrar que para turismo importa muito mais preço do que a comodidade de um voo direto.

  • Gustavo Piccinini

    Excelente notícia!
    Ainda mais que o voo sairá de SCL – assim as chances dessa rota dar certo aumentam (pela quantidade de passageiros a bordo) 🙂

    • Ricardo

      Sem falar dos passageiros da Latam Argentina, país com fortes laços com Israel e com a maior comunidade judia na América Latina.

      • Guilherme Lopes

        Aliás me surpreende que o voo seja GRU – Tel Aviv e não Buenos Aires – Tel Aviv…

  • Clayton Carmo

    Pelo que sei a El Al não faz mais por questões de segurança nos aeroportos brasileiros.

    • Emil Lewinger

      que eu saiba o problema era a demanda.

  • Fabio

    Alguém saberia informar se a imigração dez Israel costuma criar problemas se vc tem no seu passaporte carimbo de algum País árabe com quem não mantém relações, como Emirados Árabes?

    • Ricardo

      Não, Israel não é tão intolerante. Mas com o carimbo de um país “suspeito” você pode ter que passar por uma revisão maior. Ou receber um exame proctológico involuntário…Tem quem goste!

    • Leandro Godinho

      Creio que não, mas o contrário acontece. Tanto que eles não carimbam o passaporte em Israel, te dão um papel azul na entrada, justamente para não criar esse tipo de problema para o visitante. Só que se vc sair por terra, por exemplo, sair por Eilat para entrar na Jordânia por Aqaba, eles vão carimbar seu passaporte e vai ficar claro que vc esteve lá. Aí alguns países muçulmanos podem encrencar. Eu fiz essa travessia por terra ano passado e ganhei o carimbo, mas não sei se já existe outra opção.

  • Daniel Barros

    Realmente Boston muito perto de NYC. Podiam adicionar Dallas pra ficar num lugar mais central dos EUA.

    • Guilherme Lopes

      Acho que faz mais sentido voar para Chicago, ou algum destino na Costa Oeste como San Fracisco – pode atrair mais passageiros a trabalho, já que é um porre fazer conexão em qualquer aeroporto dos EUA. A American já voa pra Dallas e LA.

  • Sheila Bromberg

    Que máximo!!! Quais os valores, já tem?

  • Emil Lewinger

    Esse voo deve captar toda a demanda para Israel da America Latina (ou parte dela), algo que a ElAl se recusava a fazer. O voo sai de SCL e passa por GRU. Pode tambem captar facilimente passageiros de EZE e assim, ter aviao cheio nessa demanda de 3x por semana.

  • Jamil Silva

    Mas Boston tem 200 mil brasileiros morando lá. Sempre me perguntei pq voar para Detroit ao invés de Boston? Será que Detroit é um hub tão importante assim?

    • Jonatas Elias

      Detroit é o segundo hub da Delta, só ficando atrás de ATL.

      • MTorres

        El Al não tinha tantos clientes na américa do sul.

        Hoje a Latam tem total capacidade de lotar esses voos. Na época a El Al não tinha codeshare. Pra quem morava em qualquer lugar fora SP ficava difícil pegar ela.

  • Leandro Godinho

    Ok, vc me convenceu. Israel está certo em tudo, em cada detalhe. Não há poréns. Abs.

    • Machado Oliveira

      😀 algumas moedas tem um lado só, pelo visto.

  • Jonatas Elias

    E a conexão em ADD, é tranquila? A infraestrutura do aeroporto é como?

  • Leandro Ferreira

    Uma ótima notícia para mim, que pretendo visitar o Egito e Israel no ano q vem. O problema é que minhas férias serão em Setembro e não sei se até lá os vôos da LATAM já estarão disponíveis :/
    Uma dúvida, galera. Sei que países árabes implicam com o turista que teve passagem por Israel. E o sentido contrário? Alguém sabe me explicar se acontece o mesmo? Na minha viagem ao Oriente Médio, pretendo fazer Dubai-Cairo-Jerusalém.

    • Bruno Brum

      Nao tem problema. Talvez te façam um pouco mais de perguntas na imigração mas nada demais. Eu fui pro Egito e Jordânia na mesma viagem, depois voltei pra Israel e foi super de boa. 🙂

  • Leandro Ferreira

    Uma ótima notícia para mim, que pretendo visitar o Egito e Israel no ano q vem. O problema é que minhas férias serão em Setembro e não sei se até lá os vôos da LATAM já estarão disponíveis :/
    Uma dúvida, galera. Sei que países árabes implicam com o turista que teve passagem por Israel. E o sentido contrário? Alguém sabe me explicar se acontece o mesmo? Na minha viagem ao Oriente Médio, pretendo fazer Dubai-Cairo-Jerusalém.

  • Nel Son

    Me pediram para criar um pacote para ir para israel em 2018……. preciso achar guias locais ….alguem conhece ?

  • Ricardo

    Oi Mauricio. Curiosamente, você está errado quanto ao Parlamento do Irã. Pela constituição do país, os judeus persas tem direito a um lugar no Parlamento iraniano. Atualmente esse deputado judeu eleito é Ciamak Morsadegh, também diretor do único hospital judeu de Teerã. Há mais de 60 sinagogas no país. O inimigo do Irã é Israel, e não os judeus.
    Vivendo e aprendendo…

  • Jackson Arenhart Lovato

    muito bom!

  • Leandro Godinho

    Olha, eu apenas chutei as razões de ter levado aquele pequeno esporro. Os militares apareceram, não disseram nada e a grande maioria saiu levantando e fazendo uma fila fora do ônibus, enquanto uns 3 ou 4, claramente judeus, nem se moveram e não foram molestados. Como eu já tinha lido sobre um episódio desses, fiquei quieto, pois o brasileiro que descreveu a situação disse que não foi incomodado. Mas aí a soldado falou alto comigo e com minha esposa alguma coisa, e é óbvio que não entendi. Depois, irritada, gritou em inglês “PQ VCS NÃO SAÍRAM???”.
    Particularmente, não creio ter cara de judeu nem de árabe (se é que isso existe, segundo vc mesmo disse), só sou feio mesmo, hehehe.
    Mas isso nem é importante. O que me chocou um pouco foi o paralelo com uma coisa que acontece por aqui: a polícia parar um ônibus e revistar só os negros. Ainda que com todas as razões israelenses para ter medo de terrorismo, isso é uma clara discriminação. Eu entendo Israel, mas tb entendo o sujeito palestino, do bem, que se sente humilhado todo dia só pra poder ir trabalhar e depois voltar pra casa dele. Muito complicado…

  • THE GUNSLINGER

    Policarpo Quaresma israelense.