Latam implementa novas tarifas amanhã e inicia cobrança pelo despacho de bagagem!

Leonardo Cassol 23 · junho · 2017

Conforme antecipamos em primeira mão, a Latam Airlines vai iniciar a cobrança pelo despacho de bagagens nas passagens aéreas de voos nacionais vendidas a partir de amanhã, 24 de junho, quando entram em vigor seus novos perfis de tarifa. Quem já tem passagem emitida não precisa se preocupar, pois valerá a regra vigente no momento da compra.

Além da ausência da franquia de bagagem, as novas tarifas terão bilhetes que não vão permitir a marcação de assento (sim, mas só a partir de setembro), que não terão crédito de pontos no cartão fidelidade, e não vão permitir reembolso e remarcação (já a partir de amanhã). A Latam também vai encerrar o serviço de bordo como cortesia (de graça vai ter somente água!), iniciando a venda de lanches e bebidas a bordo. Tudo, segundo a companhia, para oferecer preços mais baixos ao consumidor.

Novos perfis de tarifas de voos nacionais

A partir de amanhã os clientes vão encontrar os seguintes perfis tarifários ao comprar uma passagem para voar dentro do Brasil:

1 Valor válido para compra de bagagem junto com o bilhete em qualquer canal de venda - canais digitais, Call Center e Agências de viagem. Demais valores variam de acordo com o canal de compra. 
2 Promoção de lançamento para as tarifas Promo e Light, válida até 31/08/2017. A reserva de assento será confirmada somente após o check-in online ou presencial. 
3 O valor do Espaço+ varia de acordo com os trechos e a distância. 
4 Sujeito a disponibilidade. 
5 Para alterações e reembolso se aplica a condição de cada tarifa. Exemplo: se você escolher uma tarifa Promo ou Light para o voo de ida e uma tarifa Plus ou Top para o voo da volta, você poderá remarcar somente o retorno. As tarifas Promo e Light não permitem alterações e reembolso.

O que chama mais atenção, de imediato, é que mesmo na tarifa Light, que não é a tarifa mais barata, mas sim uma intermediária, não será permitido reembolso ou remarcação. Ou seja, se o cliente tiver um imprevisto, ele perderá completamente a passagem. E na tarifa Plus, que costuma ser um perfil de bilhete com o preço bem mais elevado, o reembolso vai custar metade do valor total que foi pago! Isso é uma mudança tão significativa quanto cobrar pela reserva de assento, algo, até então, impensável no mercado brasileiro.

Além disso, a partir de amanhã, bilhetes nacionais emitidos com pontos Multiplus em qualquer tarifa não terão mais bagagem despachada inclusa. Será necessário pagar a partir de R$ 30,00 (comprando junto com o bilhete) para despachar uma mala. Mais informações sobre a franquia de bagagem de passagens com pontos ou milhas em nosso post exclusivo.

Lembrando que, desde 18 de maio, a Latam já tinha alterado as franquias de voos nacionais para um volume de 23kg (e não mais quantos volumes o cliente quiser dentro desse peso).

Mais informações sobre as mudanças no site da Latam.

Franquia de bagagem nos voos internacionais Latam

Já quem comprar passagens para voos internacionais não terá novidades a partir de amanhã. Continuam valendo as mudanças implementadas em maio, sendo dois volumes de 23kg (ao invés dos dois volumes de 32kg anteriores), no caso dos Estados Unidos, Europa e África do Sul, ou um volume de 23kg, no caso de voos para América do Sul e Caribe. As regras de excesso de bagagem também foram atualizadas em maio.


Bom, a Latam está se aproximando do modelo de uma companhia low cost, pelo menos no que se refere ao serviço oferecido. Agora os preços terão que cair para compensar tamanhas mudanças para os passageiros! Será que vamos notar alguma diferença a partir de amanhã? Saberemos em breve!

Autor

Leonardo Cassol - Editor Editor e especialista em programas de fidelização do Melhores Destinos.
  • Victor Joao

    Pelo menos não escreveu na matéria “LATAM lança um novo jeito de viajar”, como os outros blogs fizeram, o que é indício claro de post patrocinado. Nada contra ser patrocinado, o problema é divulgar coisa ruim como se fosse coisa boa. Parabéns pela matéria crítica e focada no consumidor, independente se patrocinada ou não.

  • Tiago Celestino

    Uma coisa eu sei: tentar ao máximo não viajar pela LATAM. Das outras companhias, foi a pior a implementar as novas regras, sinceramente, não tem notar que ñ haverá diferença nos valores e a qualidade do serviço vai cair bastante. Vai vendo!

  • Raoni Fonseca Duarte

    Com tarifas tão restritivas (mesmo nas opções superiores, como excelentemente destacado na matéria do MD), se não houver baixa nítida nas tarifas, difícil desse modelo se sustentar por muito tempo – a não ser que a empresa vista pra valer a camisa do “low cost low fare” e foque no passageiro baixo custo.
    A GOL tentou mudanças semelhantes e deu no que deu – acabou voltando atrás em partes para se adaptar a um modelo híbrido.

  • Neto

    Cadê a redução de preços? Cadê os supostos economistas de mercado que afirmavam que ia ser ótimo para o consumidor? Essa é a modernização do setor aéreo aonde o consumidor paga caro na passagem, na bagagem e até para marcar assento? Algum “jenio” se habilita a explicar?

  • Matheus

    Calma, gente. Deixem as companhias se adaptarem, e nós como passageiros também, para ver como essa dinâmica de preços de tarifa mais baixos x serviços customizados vai funcionar. Não haverá uma queda “estrondosa” dos preços das tarifas de imediato. Aliás, com a rigidez dos custos que as cias têm, em um horizonte de 5 anos acredito que a média baixe não mais do que 20-25%.
    Infelizmente, não temos como ter low cost como a Europa tem. Ryan Air aqui não tem como. E vocês sabem os motivos…

    • Ronaldinho Gaúcho

      Sonha…

    • Eliezer Fonseca

      É, vai sonhando! Se a idéia é internacionalizar todo o sistema de tarifas, posso apostar que nos próximos dois anos todas elas vão querer aumentar em 100% esses 30 reais pra despachar bagagem, pois aí fora é custa U$ 25!

  • Luan Rezende

    MD, gostei do post explicativo e crítico. Fiquei surpreso com a Latam lançar duas categorias de tarifas sem possibilidade de reembolso. O despacho de bagagem ter que ser pago nos casos de bilhetes emitidos com pontos Múltiplus também é bem chato, uma vez que a quantidade de pontos necessária para emitir os bilhetes não foi anunciada que será reduzida para cobrança da bagagem à parte. Acho que a companhia pecou ao fazer tantas mudanças ao mesmo tempo, como a retirada do lanche gratuito. Bom, fico na expectativa por uma redução nos preços e nos pontos para emitir os bilhetes.

  • Ernesto Lippmann

    Parabens pela matéria…. E, como sempre o serviço vai ser nivelado por baixo, e os preços por cima….. Pais da falta de concorrencia…. Por se falar nisto, já recebeu a cartinha do plano de sáude? Queriamos aumentar 38%, mas como pensamos em voce vamos aumentar SÒ 19%?

    • Marcos

      Dos males o menor kkkkk!

  • SirNiXXon

    Acho que ninguém conseguia prever quão nocivas e anti-consumidor seriam as mudanças na Latam. É incrível a piora das condições para os consumidores. Cobrar por bagagem e lanche viraram problemas de menor relevância diante da falta de reembolso, da impossibilidade de remarcação da viagem, da cobrança por assentos e da taria mais baixa não acubular pontos.

    Chegou a hora de zerar o Multiplus e procurar outra opção para as viagens futuras. Uma pena.

    • Marcos

      Já que vai zerar o Multiplus aproveita a promo para Miami em final de julho por 30k, volta meados de agosto também por 30k. Zera e arrasa no resgate!

  • Alexandre Martins

    “Low cost, high fare”?? A Latam cria uma categoria nova de airline.

  • Idário Sidney Martins

    Infelizmente mudanças só para pior . A Latam oferecia em seus voos mais longos lanche e refri gratis , e agora será cobrado . Grátis só agua . A Gol cobra por um lanche R$ 25,00 , uma lata de cerveja R$ 10,00 e uma lata de refri R$ 8,00 , ou seja , virou negócio lucrativo vender lanches e bebidas nas aeronaves , com menor tripulação . Não vai demorar para virar uma Itapemirim da vida , aonde passageiros vão trazer frango assado e Tubaina para viagens mais longas

    • Marcos

      Já disse aqui e repito, em voos mais longos passo num buffet antes e viro marmiteiro nos ares, costumava comprar o refri no avião, mas a R$ 8 vou passar a levar o refri também. Se fizerem cara feia, passarei a levar a sobremesa também, paçoca, chocolate, etc, rsrs!

    • Necy Vieira

      Com frequência levo um depósito com frutas cortadas e um pacote de biscoito integral. Não me incomodo com a opnião e os olhares. Saudável para a saúde e para o bolso.

    • Hugo Leonardo

      Não é querer defender, mas os R$25 da Gol é mais barato do que o mesmo lanche no aeroporto, pense, um pão de queijo e um suco del vale sai por R$16 em GRU

  • Gabriel Machado

    Não vai pontuar?? Tá de sacanagem…
    Até parece q vai baixar preço…

  • Josue Catharino Ferreira

    Leonardo, é a típica esperteza… Simplesmente aumentaram os preços das passagens e retiraram os benefícios. Aquela tarifa básica foi transformada em Light sem direito a reembolso, alteração e despacho de bagagem. Discurso mentiroso da empresa: “você não é livre para voar, você tem que pagar mais e mais e receber menos” é o real objetivo da Latam. Pessoalmente, creio que a Tam vai se dar muito mal, mas esperemos para ver o que acontece…

    PS. Só quero ver o discurso e o posicionamento da ANAC, da ABEAR e da SAC quanto ao aumento dos preços das passagens…

  • J.

    Ingenuidade achar que os preços iriam cair. Chega a ser revoltante. Estou de olho nos preços e não encontro uma tarifa CWB-RIO por menos de 490,00. Eu pagava até 240,00 mais ou menos em várias ocasiões. Semana passada paguei 289,00 e mesmo com esse mudanças lesativas, nada, repito, nada mudou para melhor e os preços, na verdade, só aumentaram. Lamentável!

  • Maiko

    Uma vergonha!!! Acompanhei os preços antes da mudança de tarifa. Mesma data e local, mesmo valor!! Quer dizer, mais caro em virtude do despacho de bagagem agora a ser cobrado!! Vergonha vergonha vergonha

  • Concordo plenamente com o seu comentário Helano.

  • Lara Monteiro

    Tb concordo!

  • Rosane Zany

    infelizmente as cias áreas brasileira são enganadoras, vantagens somente para elas e para o cliente NADA. Tarifas atrativas e realmente low cost está longe, muito longe de ser como no exterior. Mas nós clientes, otários continuamos viajando com essas cias.. o mercado é repugnante.
    Como sempre a lei de gerson “levar vantagem ” sobre o consumidor SEMPRE
    e NÃO TEM essa de se adaptar, as cias lançam para ver qual é.. só voltam atrás se tiverem prejuízo.

  • Gabriel Machado

    Pessoal, como sei que a porcaria da tarifa tem franquia ou não? Estou pesquisando pela Viajanet e pela Decolar viagem Rio-Santiago-Calama-Rio e selecionei as opções mais baratas. Numa opção da Viajanet há a mensagem “Não inclui franquia para bagagem despachada”, mas na outra, de mesmo preço, só que com horários diferentes, não consta a mensagem. Na opção da Decolar, um pouco mais cara, há apenas a mensagem “Bagagem: inclui 1 peça por adulto”, mas não sei se é 1 peça de 10kg (bagagem de mão) ou de 23kg… Não fica nada muito claro nessa joça.

    Aí se eu compro e não inclui franquia? Vou acabar tendo que pagar mais caro no aeroporto? Ou vai aparecer pra mim na hora do check-in? Tudo muito confuso, só querem passar a perna no consumidor