Má notícia! Latam vai limitar upgrades cortesia para passageiros frequentes às tarifas mais caras!

Leonardo Cassol 12 · dezembro · 2017

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

A Latam vai limitar a partir de 1° de março de 2018 o uso dos upgrades cortesia que são concedidos aos clientes Latam Fidelidade Black Signature e Black para voar em Classe Executiva (Premium Business) ou Premium Economy com bilhetes comprados em classe econômica.

Com a nova regra, os upgrades ilimitados e os cupons de upgrade não poderão mais ser utilizados em passagens compradas na família de tarifas “Base”. Apenas nas famílias de tarifas Access e Control, que são mais caras, como já valia para quem era Platinum e Gold.

Os bilhetes emitidos com pontos vão continuar permitindo o upgrade sem restrição.

Além disso, também a partir de março, mudarão as prioridades para solicitar o upgrade de cabine. A “opção Upgrade”, que é o leilão de vagas na classe executiva e premium economy, na qual o passageiro faz um lance, terá mais prioridade que os membros Latam Fidelidade Gold, mas menos que os membros Black Signature, Black e Platinum.

São mudanças bem relevantes para os passageiros frequentes da Latam que voam para o exterior, e que agora terão que pagar mais se quiserem utilizar o benefício.

Fizemos uma simulação para uma viagem de ida e volta de São Paulo a Paris, e a diferença da passagem na classe tarifária “Base” (que a partir de março não será mais válida para upgrade), para a “Access” foi de R$ 1.734. A passagem salta de R$ 3.184 para R$ 4.918. É apenas um exemplo, e esses valores variam bastante, conforme a rota e a data do voo.

Por outro lado, quem estiver disposto a pagar mais, deverá ter mais chances de conseguir o benefício, já que haverá menor concorrência.

Como passageiro frequente da Latam, eu já utilizei muitas vezes esse benefício e posso dizer que funcionava muito bem. É uma pena mudarem a política, mantida todas as demais regras do programa, que são bem restritivas para se chegar as categorias mais altas que concedem upgrades de forma ilimitada. Na minha opinião, era mais válido limitar a quantidade de upgrades, como nos programas norte-americanos, do que obrigar o passageiro a gastar muito mais no valor da passagem.

Ao menos avisaram com antecedência! (corrigindo… não avisaram, a “novidade” apenas apareceu no site da companhia)

Mais informações na página do Latam Fidelidade.


A qualificação de categoria do Latam Fidelidade também mudou em 2017

Esse ano a Latam também alterou as regras de qualificação para as categorias do seu programa de fidelidade, atrelando a pontuação Elite à quantidade de milhas voadas. Para os passageiros que fazem majoritariamente voos domésticos, mesmo pagando muito caro pelas tarifas, ficou bem complicado manter ou crescer de categoria, já que os voos rendem muito pouco.

Talvez por reconhecer isso, em outubro desse ano, a Latam reduziu de 40 para 24 a quantidade de trechos anuais necessários para qualificação à categoria Platinum do programa. Mas o upgrade através da quantidade de pontos elite foi mantido em 40 mil no ano e nada mudou para as categorias Black e Black Signature.

Latam Fidelidade x Outros programas

De fato, para quem voa pelo Brasil, o Latam Fidelidade já havia se tornado o programa com uma das piores equações de custo-benefício para passageiros frequentes, se comparado aos principais concorrentes nacionais.

Por exemplo, nas bagagens, os passageiros frequentes do Latam Fidelidade Black Signature, Black e Platinum têm direito a apenas 1 volume de até 23kg, sendo que, de acordo com a empresa, o nível Gold nem franquia vai ter em breve. Enquanto isso, os clientes Smiles Diamante têm direito a despachar 3 volumes de até 23kg gratuitamente, Smiles Ouro 2 volumes de até 23kg, e Smiles Prata 1 bagagem. A Azul oferece respectivamente 33kg e 38kg de franquia para clientes TudoAzul Safira e Diamante. A Avianca oferece 1 volume de até 23kg para clientes Silver e Gold e 2 volumes para clientes Diamond.

Outro exemplo, para utilizar os assentos premium de voos nacionais, aqueles com mais espaço, os clientes Latam Fidelidade tem à disposição apenas a primeira fileira e a da saída de emergência. E, na primeira fileira, não tem espaço para bagagem e você ainda corre o risco de ter que ceder seu assento para pessoas com dificuldade de locomoção. Enquanto isso, membros Smiles Diamante têm à disposição o uso ilimitado de 7 ou 8 fileiras de assentos GOL + conforto, mais as saídas de emergência, com bagageiros livres e exclusivos. Na Azul, os clientes têm entre 5 e 7 fileiras de espaço azul, também com bagageiros exclusivos, apesar da quantidade de cupons ser limitada.

Clientes Smiles Diamante e TudoAzul Diamante têm direito a emitir gratuitamente 1 passagem de ida e volta para um acompanhante, uma vez ao ano. Na Smiles a passagem pode ser em voos nacionais e internacionais da GOL. No TudoAzul, em voos nacionais da Azul. Esse benefício não é concedido pelo Latam Fidelidade.

Ainda considerando os passageiros frequentes que voam pelo Brasil, a Latam fechou todas as suas salas VIP domésticas, enquanto a GOL/Smiles abriram duas salas nos aeroportos de Guarulhos e Galeão, que são bem confortáveis e contam com um bom serviço.

No acúmulo de milhas, a Latam é a única que possui tarifas que não pontuam em voos nacionais, as da família “Promo”. As demais companhias oferecem acúmulo de pontos ou milhas em todos os voos nacionais, sem exceção. Além disso, a Latam garante um acúmulo mínimo de 500 pontos por voo para os passageiros com status, enquanto a GOL oferece um acúmulo mínimo de 1.000 milhas por voo para clientes Smiles Diamante, e 500 para clientes Gold. E, desde o meio do ano, a Smiles é a única que considera trechos de passagens resgatadas com milhas como válidos para mudança de categoria.

A Latam também acabou com o serviço de bordo gratuito em voos nacionais, que ainda é oferecido pela Avianca e pela Azul, e é a única que pretende cobrar pela marcação de assentos quando o cliente optar pela tarifa mais barata (a companhia informou que pretende fazer isso em breve, sem especificar uma data).

Em favor da Latam, sua malha aérea internacional, que hoje já é de longe a maior, e ainda será fortemente ampliada em 2018 (novos voos de São Paulo para Lisboa, Roma, Boston e Israel, além de novos voos do Nordeste para os EUA e América do Sul) e os custos de resgate de passagens com pontos, que subiu menos que nos concorrentes, especialmente nos voos para o exterior, apesar de também ter aumentado bastante. Por fim, mesmo que de maneira restrita, a partir de março continua sendo a única cia. a ter uma política formal de upgrades, que a Avianca, Azul e Gol não têm.

O que tudo isso quer dizer? Que com mais essa mudança na política dos upgrades, o Latam Fidelidade perderá seu principal diferencial, se tornando menos competitivo também para quem voa para o exterior. De diferencial relevante para quem voa muito, só sobrou mesmo os benefícios na aliança oneworld (o Amigo oferece benefícios na Star Alliance, que é uma aliança mais completa) e a tabela de resgate diferenciado, que também já sofreu duas desvalorizações, e hoje faz pouca diferença na vida do passageiro frequente, isso quando não mostra o trecho custando mais do que para clientes sem status por problemas no sistema de tarifas. Esqueci alguma coisa que os outros não ofereçam igual ou melhor?

Será que o Latam Fidelidade vai mesmo jogar a toalha em termos de vantagens para passageiros frequentes, retirando benefícios, enquanto os concorrentes melhoram seus programas?

Amanhã a Latam vai reunir jornalistas para falar sobre perspectivas para 2018. O programa de fidelidade não está na pauta, mas vamos aguardar e torcer por alguma notícia boa!

Agradecemos a contribuição do leitor Daniel Soares.

Autor

Leonardo Cassol - Editor Editor e especialista em programas de fidelização do Melhores Destinos.