Latam confirma novo hub no Nordeste: Fortaleza, Recife e Natal na disputa

Thayana Alvarenga 3 · maio · 2016

Apesar da crise na economia brasileira e das mudanças no grupo, a Latam confirmou que vai escolher um aeroporto no Nordeste para ser seu centro de operações. Fortaleza, Recife e Natal seguem na disputa do empreendimento. O vencedor passará a receber 2 milhões de passageiros adicionais a partir de 2018 com expectativa de chegar a 3.2 milhões em 2038.

Segundo o MD apurou a disputa segue bastante acirrada, mas no momento há um leve favoritismo para Fortaleza se de fato ele for concedido à iniciativa privada, como previsto. “Você nunca vai arrancar essa resposta de mim”, brincou a presidente da TAM, Claudia Sender a ser questionada pelo Melhores Destinos sobre o assunto.

Claudia Sender durante evento da Latam
Claudia Sender durante evento da Latam

“É importante entender bem a estrutura dos aeroportos antes de tomar uma decisão importante assim. Hub é projeto para duas ou três décadas, não para dois ou três anos. É algo que precisa ser bastante estudado, porque o Nordeste, por si só, já tem um alto valor estratégico. Os hubs que temos atualmente atendem a demanda, mas ainda não são suficientes. Precisamos ter bastante certeza antes de aplicarmos algo no Nordeste”, comentou a presidente da companhia.

Entre os requisitos da Latam, estão a infraestrutura aeroportuária, a experiência do cliente e a competitividade em custos. Os aeroportos das três capitais estão dispostos a adaptações técnicas para sediar o novo hub. Em outubro, a consultoria Arup apresentou as principais conclusões do estudo estrutural, sendo que uma delas foi de que os terminais atuais foram feitos para operações ponto a ponto, fugindo da característica de um hub. Com isso, seriam necessárias adaptações para receber um centro de conexão de voos com relevância internacional.

O estudo também apontou que o hub deve movimentar 2 milhões de passageiros adicionais em 24 aeronaves simultaneamente em 2018, sendo quase 3 mil passageiros em horário de pico. Em 2038, o número de passageiros tem estimativa de chegar a 3,2 milhões, em 36 aeronaves simultaneamente, totalizando mais de 4 mil passageiros no horário de pico.

Há muitas especulações rolando sobre qual poderia ser a cidade nordestina escolhida para sediar o novo hub, mas a declaração da TAM sugere que esta novela ainda vai ganhar alguns capítulos. Na sua opinião, qual das três capitais seria a melhor opção? Participe conosco nos comentários!

Publicado por

Thayana Alvarenga

Repórter

  • Leonardo Azevedo

    Recife sem duvidas, afinal geograficamente é melhor localizado, a pista do aeroporto é a maior é o aeroporto funciona bem e ainda tem espaço para expandir.

    • FGomes

      Recife de nenhuma maneira tem localização melhor que Natal. Na melhor das hipóteses, são iguais.

      • Samir Samaan Filho

        realmente a localizacao do aeroporto de natal e excelente. sqn. maior furada. mais longe que gru de sp

    • Caco Nogueira

      Recife está estufada… sem condições… até mesmo pq não está na iniciativa privada.

    • Manuel Dantas

      Nem Recife está na melhor posição estratégica (Natal está a 15 minutos de vôo mais perto da Europa) e também não tem a maior pista, que está no aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

    • Filipe Araujo

      Acho q a LATAM tem que escolher se eles vão querer atrair os clientes locais do nortedeste para irem pra fora do país que eu acho que seria a pior escolha pra mim, ou se eles vão focar no cliente extrangeiro que vai gerar uma receita muito maior pra eles ainda mais numa crise aliviando o caixa da empresa e sendo uma opção melhor pro nosso país, ou seja Fortaleza e Natal sao as melhores nessa ocasião e Recife na outra se o foco for o cliente nacional.
      Eu prefiro um pouco mais Fortaleza do que Natal, mas ambas são ótimas opções!
      Fortaleza o turismo já é bem mais desenvolvido, mas Natal atrai mais europeus!

  • Carlos Mariz

    Recife leva vantagem pela localização geográfica, bem como pelo aeroporto e seu entorno. A Azul já instalou na cidade o seu hub do nordeste, não sei se isso ajuda ou atrapalha na escolha da Latam

    • Filipe Araujo

      Acho q a LATAM tem que escolher se eles vão querer atrair os clientes locais do nortedesta para irem pra fora do país que eu acho que seria a pior escolha pra mim, ou se eles vão focar no cliente extrangeiro que vai gerar uma receita muito maior pra eles ainda mais numa crise aliviando o caixa da empresa e sendo uma opção melhor pro nosso país, ou seja Fortaleza e Natal só melhores nessa ocasião e Recife na outra se o foco for o cliente nacional.
      Eu prefiro um pouco mais Fortaleza do que Natal, mas ambas são ótimas opções!

  • EIion Tallet

    Recife sem dúvidas…

  • Sylvio

    Fortaleza. Não vejo vantagem geográfica para Recife. Muito pelo contrário, Fortaleza fica mais próximo do Norte e da Europa, além de recebem mais turistas que a capital pernambucana.

    • Tarcísio Medeiros

      Fortaleza recebendo mais turistas que Recife de avião? Não mesmo. Até porque em geral é mais caro ir pra Fortaleza que Recife.

  • Adriano

    Pela relevância econômica, populacional, social e geográfica a melhor opção seria o aeroporto de Salvador. Além de que já possui uma boa infraestrutura e está previsto no plano de concessões.

    • Gabriel Almeida

      Bom, por esse lado Salvador ganha. Mas o objetivo da Latam é usar os A321LR nos vôos para a Europa, e Salvador está muito ao sul e não atende a performance necessária da aeronave. Em minhas pesquisas e testes eu vi que Fortaleza atende ao maior número de cidades na Europa, podendo chegar a Londres e Zurich no A321LR. Recife não é perto o suficiente para esses destinos e Natal, apesar de conseguir atender à todas as cidades que Fortaleza consegue, é uma cidade mais distante e não tão visitada pelo turista europeu. Eu vejo Fortaleza como a escolha, mas quem sabe?

      • Rodrigo

        LATAM usar A321 pra fazer voos entre o Brasil e a Europa?? De onde saiu essa informação?

        • Gabriel Almeida

          Eu não tenho o link mais, mas eu vi em uma entrevista com a Cláudia se eu não me engano. A Latam tem ordens de compra do equipamento em nome da TAM. Na entrevista eu lembro do entrevistado ter falado de usar os A321 na baixa temporada e os 767 ou os A350 na alta temporada em rotas de maior demanda.

      • Pedro

        Pela relevância econômica, populacional, social e geográfica a melhor opção seria o aeroporto de Recife. É a metrópole mais rica do Nordeste, possui o melhor aeroporto da região, a cidade tem o melhor IDH entre as capitais do nordeste, sem falar da infraestrutura. O aeroporto do Recife já é um HUB da Azul o que dá ainda mais validade para se tornar HUB da Latam.

        • Salvatore Carrozzo

          IDH? É para abrir um hub ou uma escola? Se IDH fosse importante neste aspecto, Detroit (EUA) não seria hub.

          • Thiago Castro

            kkkkkkkkkkkkk, é cada uma desse povo tendencioso!!!!

          • Pedro

            Apenas comentei fatos. Não existe nada de tendencioso. É a realidade… Quando me refiro ao IDH, falo do nível de desenvolvimento da cidade, mas que de certa maneira não é um fator decisivo para ser a escolha do HUB.

      • Clayton Martins

        HUB não é destino, é um centro de conexões. Suas observações estão parcialmente equivocadas.

    • Machado Oliveira

      Adoro minha cidade, mas o aeroporto Dois de Julho em SSA não tem condições de expansão, embora tenha a pista principal melhor que as das 3 concorrentes. Isso, infelizmente, não basta.

      • Clayton Martins

        A melhor pista do país e única homologada a receber os maiores aviões do mundo é a de SGA, no RN.

        • Machado Oliveira

          Legal, Clayton! Não tinha essa informação.

          Tu tens algum link técnico (ANAC?) sobre isso? Obrigado!

          Acredito que o novo aeroporto de natam SGA, até por ser bem mais novo que Fortaleza e Recife, apresenta vantagens do equipamento em relação a esses. Conheci apenas o antigo e conheço o de Recife e Fortaleza. Porém, a diferença e as vantagens mais visíveis para os passageiros, provavelmente, não são os pontos mais importantes na decisão para a aérea. Muito provavelmente vai pesar mais uma relação de custos operacionais e possibilidades de geração de receita (capacidade logistica de carga, por exemplo) tanto atuais como num quadro de tempo de, pelo menos, duas décadas.

          O mais inteligente seria que as capitais, em vez de competirem, se juntassem pra que a engenharia de malha resultante da latam e das demais favorecessem a todas elas, ao NE e ao país.

        • Machado Oliveira

          Em tempo: sabes a que destinaram o Augusto Severo agora? Fica só a serviço da base aérea?

          • Clayton Martins

            Virou a mais importante base para formação de pilotos no Brasil.

    • EIion Tallet

      Salvador primeiro precisa de fato ter um aeroporto pra poder entrar na briga… A propósito, sou de Salvador e sei muito bem do que estou falando!

      • Salvatore Carrozzo

        Concordo. Sou de Salvador e digo: o aeroporto eh horrível.

    • Clayton Martins

      Empresas aéreas não fazem caridade. Estabelecer um HUB para uma companhia é como comprar um imóvel: localização é o principal fator de escolha.
      A Latam está escolhendo um HUB para interligar a América do Sul à Europa. Salvador está muito mais longe do velho continente que as candidatas escolhidas por aquela empresa.
      Quanto maior a distância, mais gastos com combustível e tempo de aeronave no solo. Salvador está longe de ser candidata.

  • Brunno

    FORTALEZA com certeza é a porta de entrada das aerovias no Brasil, isso de fácil percepção para os estudos técnicos. A nossa Terra Luz foi o Buum na copa do mundo e o aeródromo agora será privatizado, que o tornará de primeiro mundo. Aeronaves em inúmeras ocasiões de emergência só reportam a Fortaleza, pois a cidade tem um berço estrutural para amparar tudo isso em vários serviços. Desde grandes hospitais e a infinidade de leitos a disposição na hotelaria, sem contar a estrutura de transporte e táxi na cidade. A beleza e a busca dessa terra não a o que se comentar, estamos no topo da lista de preferencia dos turistas que vem em direção ao nordeste!! FORTALEZAAA VAI TE ABRAÇAR HUB TAM!! Todos nós vestimos a camisa, isso já é incomparável…

    • Salvatore Carrozzo

      Que bom ver que as pessoas defendem suas teses com argumentos válidos, como leitos de hospitais e ufanismo cego.

    • Clayton Martins

      Seu comentário está completamente equivocado. Aproximadamente 70% dos vôos que ligam o Brasil à Europa passam pelas aerovias UN 873 (que passa em cima de Natal) e UN 866 (que passa por Mossoró).
      48% desses vôos passam por Natal e 22% por Mossoró, ao passo que apenas 16% deles passam por Fortaleza, por meio da UN 741.
      A Latam exige uma pista com 3000m de comprimento, sendo que Fortaleza não tem como cumprir esse requisito, salvo haja desapropriação de casas, o que é extremamente demorado e oneroso. Dos três aeroportos é o que tem a menor pista e o que tem as maiores incertezas quanto à sua gestão, uma vez que não sabe quando e quem irá assumi-lo. Também não se sabe quem irá assumir as obras de ampliação que não foram concluídas pelo Governo Federal.

  • Eduardo Carrá

    Meu povo, melhor localização geográfica é Fortaleza, ne?! Das três cidades é a que está mais próxima da Europa e EUA. Sem falar que o aeroporto é no centro geográfico da cidade e tem muito espaço para expandir. Da para construir no mesmo lugar uns 10 aeroportos no mesmo lugar, creio eu.

    • Marcos

      A cidade mais próxima da Europa, em termos aeronáuticos, é Natal, pois os voos se dirigem primeiramente à costa africana. Mas é coisa de cinco minutos de diferença. Já a distância para o centro é muito grande. O aeroporto de Recife é o que mais gostei dentre os citados, grande, com estrutura, próximo do centro e passagens mais em conta. O de Fortaleza por algum motivo que desconheço encarece as passagens, é a cidade com passagens mais caras das três citadas. O que vejo é que os moradores das respectivas cidades estão fazendo lobby e não oferecendo uma resposta racional, rs. Eu sou do Rio de Janeiro e já voei nos três aeroportos.

      • Tarcísio Medeiros

        Fortaleza é mais caro porque tem menor ocupação. Fortaleza pode favorecer aos passageiros do norte, mas é mais fácil trazer gente de Natal, João Pessoa, Aracaju e Maceió ao Recife que todos esses a Fortaleza…

    • FGomes

      Acho que você precisa checar o google earth, FOR não tem capacidade nenhuma de expansão

      • Iris Fortal Beach

        a área da base aérea será incorporada ao aeroporto.

        • Clayton Martins

          Recife tem um sítio aeroportuário com 4km2; Fortaleza 5km2; Natal, 15km2.
          Mesmo com a incorporação da base área, Fortaleza não chegará à metade do tamanho de SGA, no RN.
          Mas o problema não é esse. Fortaleza tem a menor pista dentre as 3 cidades e não conseguirá atender ao requisito da Latam que é uma pista com 3000m de cumprimento, salvo houver desapropriação de casas vizinhas ao aeroporto. Desnecessário dizer o tempo e a insegurança jurídica que isso traz consigo.

      • Eduardo Carrá

        Nenhuma? Desculpa, o seu google Earth não tá bom. OK, errei em falar de dez aeroportos. Se a gente for levar em consideração só o prédio do aeroporto atual, acho q vão caber mais de vinte aeroportos! Entretanto, a pista é importante e será necessário amplia-la para receber mais voos. É óbvio que o meu “cálculo” não é o correto e muito menos sou um especialista.

        Lamento informar, mas Fortaleza tem condições SIM de ampliar bastante o seu aeroporto. Por acaso você acha que a LATAM escolheu essas três capitais por brincadeira, sem nenhum estudo? Acho que eles não seriam tão irresponsáveis…

    • Clayton Martins

      Recife tem um sítio aeroportuário com 4km2; Fortaleza 5km2; Natal, 15km2.
      A Latam exige uma pista com 3000m de comprimento, sendo que Fortaleza não tem como cumprir esse requisito, salvo haja desapropriação de casas, o que é extremamente demorado e oneroso. Dos três aeroportos é o que tem a menor pista e o que tem as maiores incertezas quanto à sua gestão, uma vez que não sabe quando e quem irá assumi-lo. Também não se sabe quem irá assumir as obras de ampliação que não foram concluídas pelo Governo Federal.

  • Jonathan

    Nenhuma das três, deveria ser o aeroporto de Teresina. Rsrs. 😉

    • Salvatore Carrozzo

      Juazeiro do Norte!

    • Marcio Rebello

      Petrolina

  • lorenabbotelho

    Recife sem dúvidas! aeroporto perto da cidade, 2 pólo médico do país, cidade estratégica em termos de negócio, polo de IT, porto de suape e etc.

    • Fefa Porto

      Concordo, Lorena! Recife nesses quesitos está anos luz a frente de Fortaleza. Tem muito mais a oferecer do que Fortaleza.
      Mas, é aquela máxima que já sabemos: não existe almoço grátis.

      • Jefferson

        Recife, claro! A maior cidade do Brasil (em todos os aspectos)… rsrs… Esses pernambucanos…

        • Fefa Porto

          Bom, Jefferson, se sua ironia foi para mim, de nada serviu. Sou paulista.
          Qual sua opinião? Qual cidade deveria ser e por que?

          • Jefferson

            Acho que não é o momento econômico para expansão de atividades. Ademais, entendo como um erro de estratégia da empresa esse formato de leilão entre as três cidades, irá agradar ao povo de um Estado e desagradar de dois.

  • Luiz Paulo Silva

    Recife seria ideal pela localização geográfica, malha viária, interação do aeroporto com o metrô e rodoviária além de está no meio das capitais do Nordeste, desta forma seria viável tanto pra Natal, João Pessoa, Maceió e Aracaju pela proximidade destas capitais, inclusive a aeronáutica já cedeu sua base aérea para instalação de um novo terminal exclusivo para a LATAM, porém por questões políticas esse HUB irá para Fortaleza apenas por questões políticas.

    • Clayton Martins

      Recife seria a melhor escolha para um HUB doméstico, pela localização. Mas o HUB da Latam visa interligar a América do Sul e a Europa. Neste caso, Natal é a mais próxima à Europa, tendo melhor localização. A integração com metrô e rodoviária é irrelevante para um HUB aeroviário, uma vez que as pessoas só utilizaram o aeroporto para fazer conexões. Para escolha de um Hub, interessa muito mais a infraestrutura do aeroporto para acomodar os passageiros durante sua espera pelo próximo vôo.

  • Rafael Ferreira

    Recife seria a melhor opção pela localização geográfica (apesar de ser bem similiar a Fortaleza nos outros critérios). Natal peca muito em infra-estrutura. Fortaleza se fala pela proximidade com outros continentes, mas um HUB não quer dizer necessariamente que ele irá operar destinado a voos internacionais, muito pelo contrário, a demanda de voos nacionais que passará pelo HUB será bem maior do que os internacionais. Boa parte dos destinos pelo nordeste poderão passar por Recife (que é mais central), o que não aconteceria com Fortaleza.

    • Clayton Martins

      Amigo, esse HUB será para atender a demanda América do Sul-Europa e não para atender conexões domésticas ponto-a-ponto.
      Se fosse para escolher um HUB doméstico, Recife seria a melhor escolha por sua localização.
      Mas para Hub internacional, nos moldes requeridos pela LATAM, Natal é a cidade mais próxima da Europa.
      A infraestrutura da cidade é irrelevante, o que conta é a infraestrutura do aeroporto para acomodar seus passageiros durante o tempo e conexão.
      HUB é meio e não destino.

  • Rafael Ferreira

    Natal não tem condições de receber um HUB atualmente. Como pontos principais se tem a falta de infra-estrutura no entorno do aeroporto (bastante precária), e a localização do aeroporto (apesar de ser uma tendência construir aeroportos mais distantes dos centros, o de Natal não possui bons acessos). Como ponto a favor de Natal se teria que o aeroporto é novo, subutilizado e com uma grande capacidade de expansão (ele está literalmente no meio do nada). Ps.: Sou de Recife e moro em Natal.

    • Luis Hirata

      Os 3 aeroportos possuem apenas uma pista de pouso/decolagem. Porém, apenas o aeroporto de Natal tem espaço para a construção de uma segunda pista.

      Para ser um HUB, ainda mais internacional, acredito que uma pista não é o suficiente.

      • Caco Nogueira

        kkkkkkkkkkkk qnts tem no GRU e no GIG??

        • Tatiana Esteves

          Caco Nogueira, duas pistas cada…

        • Filipe Araujo

          GRU tem 2 pelo menos utilizadas pra voos comerciais, não tenho certeza se há mais 1 pra base aeria ou se essa segunda que o GRU Airporte usa é da base aeria.

        • Igor Almeida

          Galeão tem duas. Havia um projeto para construir uma terceira mas foi engavetado por não haver necessidade.

  • Mirksuplick

    Pessoal, moro em João Pessoa/PB.
    conheço os 3 aeroportos, se for pensar no passageiro tem que ser Recife/PE.
    agora se for pensar em ponto estratégico acho melhor Natal/RN.
    o aeroporto de fortaleza/CE é muito ruim

    • MOACYR LOPES DOS SANTOS

      Concordo com você. Se for pensar nas acomodações, Recife e Natal são melhores opções que lá.

    • Lucas Ribeiro

      Exatamente, sou de Fortaleza e achei o de Recife muito confortável/bonito.

  • Michel Soares

    Galera, só lembrando q a TAM não vai levar em conta os comentários aqui como parâmetro para a escolha. O importante é que vem para o Nordeste.

    • Thiago Castro

      kkkkkkkkk

    • Samir Samaan Filho

      mitou!!!!

  • Aos que falam em termos de posição geografia, lembro que Natal foi base americana na Segunda Gerra Mundial justamente por esta melhor localizada, e isso é fato, então não vou discutir isso.
    Eu só sei que a decisão principal vai ser política, então pouco importa esta melhor localizado e com melhor estrutura, ganha quem oferecer mais benefícios.

    • Thiago Castro

      Acho que ngm foi abrir o Google Maps pra ver a posição geográfica das cidades. Só lembrando que estratégica para a Latam é ser mais perto dos mercados que ela quer alcançar, no caso, Europa e Am. do Norte. kkk

    • Tarcísio Medeiros

      Posição geográfica não é somente estar mais próximo da Europa. São Paulo está longíssimo da Europa e é o que concentra mais vôos. Mas lá tem porque há mercado consumidor, e nisso Natal perde de longe pra Fortaleza e Recife. Posição geográfica se diz pela zona de influência da cidade. Dificilmente alguém de Aracaju ou Maceió se deslocaria para Fortaleza ou Natal para pegar um vôo. No entanto a área de influência do Recife abrange Natal, João Pessoa, Campina Grande, Caruaru, Maceió e algumas vezes até Aracaju (Apesar de que é mais Salvador esta última). Nisso Fortaleza está pior, porque ela só atende a Teresina e em menor escala Natal e Recife. Mas na questão de Beneficios, acredito que o Aeroporto de Fortaleza tenha mais condições de oferecer, visto que é de iniciativa privada.

      • Samir Samaan Filho

        camarada, vc c esqueceu da grande demanda de juazeiro do norte pra fortaleza! #ironicmodeon

  • Iris Fortal Beach

    Visando um Hub que conectará varias cidades do brasil com o exterior seja Europa, America do Sul ou Norte, se pensar em localização para conectar cidades importantes como Manaus, Brasilia, Belém, Teresina, São Luis, Boa Vista, Macapá, e as demais cidades do Nordeste, Fortaleza desponta com o desempate. Referente aos preços de passagens hoje, justamente é algo que beneficiaria todo o Brasil, quantas vezes alguém pensa em tirar ferias em Fortaleza e desiste, isso acontece pelo número de voos diários atuais, mais voos o preço vai baixar e beneficiar muita gente, visto que Fortaleza tem uma população de 60% a 03x maior que as outras candidatas. Outros fatores, sobre o aeroporto tem a condição pra expansão, é perto o suficiente da zona turística e hoteleira. As outras cidades são importantes e bem desenvolvidas, a discussão toda tem motivo pra existir, mas Recife já tem um grande números de voos, já tem o hub da Azul, ou seja, chegar lá já está mais facil, a população já está se beneficiando, Natal tão perto entre as duas, sua população e sua vocação turistica também sairão ganhando, a seculos já organizamos viagens onde os estrangeiros querem visitar Fortaleza e Natal em uma mesma viagem. O importante é que esse hub chegue, e toda nossa região entrara no mapa do mundo de vez!

    • Tarcísio Medeiros

      Fortaleza não tem população 60% a 3 vezes maior. A diferença é que em Pernambuco a população está melhor distribuída entre as cidades. Logo a Região Metropolitana do Recife, igualmente a de Salvador, tem os mesmos 3,6 milhões da RM de Fortaleza. Para Manaus acredito que seja mais vantagem Brasilia ou SP, visto que ela já está bastante isolada.

  • José Wanderson

    A Azul mais esperta e rápida já se instalou em Recife. Creio que a LATAM já o tenha descartado, a menos que ofereçam mais benefícios que Fortaleza e Natal…

  • Lucas R. Martins

    Lendo os comentários eu acabei de entender porquê a TAM não decidiu nada ainda.

  • Marcos A. Medeiros

    Natal, sem a menor dúvida! Tem área de sobra para expansão, é administrado pela Inframerica, o mesmo de Brasilia. Tem alguma dúvida que vai ser lá????

    • Leonardo

      Lembrando que a Inframerica em Natal tá “ruim das pernas”.
      E como já disseram, isso vai ser jogo político. Quem oferecer mais/melhores benefícios, leva.

      • Clayton Martins

        Fico imaginando uma empresa privada negociando com esse desgoverno e assumindo todos os riscos inerentes à mudança de gestores. Realmente, negociar com outro ente privado, é muito mais difícil (SQN)

    • FGomes

      Tem razão, Marcos. Vai depender da inteligência dos governantes locais. Não é hora de ser ganancioso pra cima da LATAM e cobrar alto por isso, e sim de aproveitar os mlhares de negócios que surgirão após a instalação do hub. Torço para que os parasit.., digo, governantes locais façam o certo e facilitem a chegada da LATAM

  • Ana Gabriela

    FORTALEZA CAPITAL DO BRASIL

    • Salvatore Carrozzo

      Alocka

      • Tarcísio Medeiros

        HAHAHAHAHHA

  • Tarcísio Medeiros

    Pode atrapalhar no sentido de já ter uma maior ocupação de vôos. Mas se você pensar que Recife terá conexão com todas as cidades do nordeste fica mais fácil as pessoas se deslocarem para cá e pegar este vôo, mesmo que de empresas diferentes. É por isso que uma Teresina da vida dificilmente terá esse tipo de coisa, assim como João Pessoa são capitais bem isoladas em termos aeroviários.

  • Tarcísio Medeiros

    Márcio, hub de vôos internacionais exige mais tempo de espera, podendo chegar a até 24h. Portanto seria um desconforto muito grande ao usuário passar mais de 3h dentro de um aeroporto com serviços caros e ruins. Enquanto que tendo um metro e o bairro com mais serviços próximos dariam muito mais conforto a quem chega de viagem. Do desembarque pro Shopping Recife mesmo pegando 1 metrô e um ônibus não deve passar de 20min. Uma conexão de 3 ou 4h já seria possível ir pra lá. E não apenas isso. Como o acesso ao aeroporto é fácil, e o Recife está justo no meio das capitais, é mais fácil atender a Natal, João Pessoa, Campina Grande, Caruaru, Maceió e quiçá Aracaju.

    Apesar de que eu acho que o principal fator não será nada disso, mas dos incentivos fiscais que darão e a capacidade da melhoria de infraestrutura. E nisso Infelizmente o Recife ainda está pra trás por ser do Governo.

    • Tarcisio, eu e uma galera vamos passar 10 horas de conexão em Toronto antes de chegar em Tel Aviv na promobug da Air Canadá, ou seja, nenhuma cia aérea esta preocupada com o tempo de conexão e conforto do passageiro em solo, elas querem é saber onde elas podem lucrar mais.

      • Thiago Castro

        O cara tá usando qualquer argumento para defender Recife. Incrível!

      • FGomes

        Quem é louco de sair do aeroporto com 3h de layover? Ainda mais para voo internacional, em que os processos de imigração podem durar muito. Ainda mais pra visitar um shopping, kkkk

    • Clayton Martins

      Amigo, se o cara passar 24h para pegar uma conexão de vôo internacional é porque ele não está num HUB áereo, ou porque houve algum fator superveniente, como cancelamento. A ideia de HUB é maximar os lucros das empresas, seja com menor gasto de combustível, seja com menor tempo de aeronaves em solo. Nesse contexto, o aeroporto eleito como HUB áereo deve ter a melhor infraestrutura para suportar uma grande quantidade de usuários simultâneos, reduzindo riscos de atrasos e a ociosidade de aeronaves.
      Dubai e Atlanta, antes de serem escolhidos como HUB, nunca foram destinos procurados. Agora vejam que estão entre os aeroportos mais movimentados do mundo. Quase ninguém fica lá, mas muitos milhões passam por eles.

    • Márcio Sampaio

      Tarcísio, realmente é uma boa observação, mas infelizmente nem sempre se aplica tal conceito. Por exemplo, o principal Hub internacional brasileiro é distante do Centro de SP (tanto em km como em tempo de deslocamento). Temos outros exemplos de Hubs como Charles de Gaulle e Barajas, que mesmo com metrô/trem ficam a quase 1 hora do Centro das respectivas cidades.

      Independente da cidade escolhida (e concordo que incentivos fiscais serão cruciais para a escolha), creio que a Latam deve ajustar os horários dos voos internos para coincidir com as conexões internacionais, que em geral devem sair à noite.

      • Tarcísio Medeiros

        Márcio, mas então, esses aeroportos são fora da cidade justamente para que tenham capacidade de expansão. Se a LATAM necessitar de X e o Aeroporto tiver como atender a isso, a distância é um fator que ajuda. Guarulhos não seria em Guarulhos se Congonhas tivesse capacidade de expansão, assim como o Santos Dumont, mas suas áreas são limitadas. Porém no caso dos usuários, nós preferimos estes aeroportos, por isso ao menos por aqui chegar por Congonhas ou Santos Dumont é em geral mais caro. Isso de fato é uma desvantagem ao Recife, mas pelo visto o que a LATAM necessita poderia ser dado se a base aérea sair de lá, o que até onde eu sei eles já afirmaram que sairão. Se não tivesse como ser atendido, a LATAM nem mesmo cogitaria fazer o HUB aqui…

  • Tarcísio Medeiros

    Posição geográfica não significa ser apenas próximo da Europa. O Recife está no meio das capitais do nordeste. É mais fácil para atender as cidades do RN,PB,PE,AL e talvez de SE. Uma pessoa de Maceió ou João Pessoa dificilmente se deslocaria pra Fortaleza pra pegar um vôo. Assim como Natal apesar de ser mais próxima da Europa é a que mais carece de vôos para outras cidades, tem o menor mercado interno, e exceto João Pessoa e Recife, dificilmente as pessoas se deslocariam de ônibus pra lá. A única vantagem de Natal é o aeroporto ser subutilizado.

    • Marcos Genuca

      E o Piauí, Maranhão não fazem parte do NE? E fora que o o Hub é NORTE e NORDESTE…

      • Tarcísio Medeiros

        Marcos, mais uma vez, a questão não é simples posição geográfica, mas sim mercados. O fato de se chamar hub “norte-nordeste” não significa que alguém de Porto Velho que está muito mais próximo de Brasília irá se deslocar até Fortaleza para pegar vôos só porque é do norte. Trata-se de áreas de influência. Assim como Boa Vista não tem vôo direto pra Fortaleza e pelo que sei perdeu o vôo pra Manaus, mas tem pra Brasilia. A área de RR,RO,AC e AM é atendida por Brasília, pois lá já tem o hub que também atende ao centro-oeste e partes de minas. Fortaleza pode ter Belém como influência, mas aí a diferença de distância em relação a Brasília também é menor, que oferece mais opções. Logo a demanda será particionada. Por isso que em termos de posição geográfica o Recife está melhor, pois atenderá os estados de maior peso no nordeste.

    • Antonio Cardoso

      Talvez Aju porque a Latam acabou o vôo que tinha uma excelente ocupação. Passageiro de Aju que quiser ir a Recife tem que fazer conexão em SSA. Exceto um vôo da Azul que a passagem é absurdamente cara.

      • Tarcísio Medeiros

        Se o vôo tinha excelente ocupação, essa demanda terá de ser deslocada, logo com a maior ocupação a Azul poderá diminuir os preços. Já que a Azul é mais voltada (e preparada) a vôos regionais que a TAM (Principalmente de ATR via Maceió, como os antigos da Trip). Fora o aumento da demanda com o hub.

    • FGomes

      É hub, Tarcísio. Eles querem concentrar vôos lá, e não que as pessoas tenham fácil acesso rodoviário. Natal é no mínimo perfeitamente igual a Recife no aspecto geográfico, se não um pouquinho de nada mais próximo da Europoa e EUA.

      • Tarcísio Medeiros

        Ter melhor acesso rodoviário garante maior mercado. Cidades menores como Aracaju, Maceió, João Pessoa ou Campina Grande dificilmente terão vôos somente pra atender essa pouca demanda localizada. E a tendência é de maior concentração, e não descentralização. A Gol mesmo cancelou diversas rotas pelo nordeste. Imagina pra ir pra Europa ter de descer pra Brasilia, subir pra Natal e depois ir pra Europa, é muito melhor pegar direto de BSB.

    • cauece

      A pessoa não tem que se deslocar para a cidade onde será o HUB, até porque, é por isso que é HUB… =)

      • Tarcísio Medeiros

        Então São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília não são hubs por termos de nos deslocar para lá para pegar diversos vôos internacionais?
        Hub é justamente um ponto estratégico para concentração de vôos. Ou seja, onde é mais fácil (ou no caso do nordeste brasileiro, com mais beneficios fiscais) das pessoas chegarem ou das pessoas do próprio local (mercado interno) utilizarem o vôo. Deslocamento gera custos a empresa ou aos usuários. Quanto mais fácil o deslocamento para aquela cidade, somado a da própria cidade, maior será o mercado. Por isso mesmo que em termos de posição estratégica Natal é a pior, pois apresenta o menor mercado local. E seria a mais dificil das pessoas se deslocarem para lá. Seja pra cidade ou pro próprio aeroporto. E Lembro que também há custos de locomoção de todos os funcionários para o aeroporto. E quanto mais longe da cidade, maior será esse custo também…

        • cauece

          Moro em Recife, para que fique claro. Cara…o HUB vai para Fortaleza. Logisticamente é melhor.
          Quando vou pra Porto Alegre, eu não me desloco para São Paulo para pegar meu primeiro voo lá. Eu pego o voo em Recife, ele segue para o HUB e de lá faço a conexão para POA.
          Se o cidadão mora em maceió e irá para Miami, por exemplo, ele pegará o voo em sua cidade, seguirá para o HUB (neste caso Fortaleza) e fará a conexão para pegar o voo internacional dele. Entendeu?
          Fortaleza já recebe bem mais turistas internacionais e a Infraestrutura da cidade é ótima. Fora que a área do aeroporto é enorme e ainda permite construir muito sem ficar apertado em nada.

          • Tarcísio Medeiros

            Jura que tu quer comparar a distância entre Recife e São Paulo com Recife e Natal, João Pessoa, Maceió, Campina Grande, Caruaru, etc? Consulta as promoções do MD, principalmente nacionais, e compara os preços e horários dos vôos pra principalmente João Pessoa e Maceió (Apesar de que Natal vai entrar no meio pela diminuição de vôos da Gol). Os preços são muito mais caros e os horários muito mais limitados. Pergunte pra pessoas que viajam dessas cidades, é super comum se deslocarem de ônibus ou de carro para cá. No caso da Gol mesmo, só o fato de terem tirado o vôo pra Natal, o que antes saía uns R$ 200, agora sai a R$ 600, porque exige conexão em no mínimo BSB. Ou seja, É muito melhor pegar um ônibus de R$ 30-50 e partir do Recife do que pagar R$ 400 a mais pra partir de JPA ou MCZ. Jamais irá compensar passar 2 ou 3 dias dentro de ônibus pra ir pra SP. Pagar, sei lá, R$ 300 na ida e na volta pra pegar um vôo de lá. É infinitamente mais cansativo do que passar 2h num ônibus e pagar R$ 30 como no caso de João Pessoa. E no caso de Maceió ele deixa na frente do aeroporto mesmo, mas qualquer coisa com R$ 1,60 se sai da rodoviária pro aeroporto daqui…

          • Thiago Castro

            Cansa de ter promoção de passagem saindo de “n” cidades do Brasil. Na maioria das vezes, o preço saindo de SP (onde todos os vôos fariam conexão no meu exemplo) é pouca coisa melhor ou nem isso. Vc está considerando que a pessoa teria que pegar um vôo SEPARADO até o hub e de lá fazer o vôo que deseja, quando na prática, não é isso que acontece. Sua lógica não se sustenta.

          • Tarcísio Medeiros

            Aliás, eu queria usar o mapa de preços da própria TAM, mas parece que tiraram, mas por sorte há o da Gol. Fiz uma simulação pro dia 12/10 a 19/10 (uma data aleatória). Enquanto o vôo mais barato de JPA é (curiosamente), Montes Claros, por R$ 320, Recife possui vôos por preços menores a Fortaleza, Aracaju, Teresina, Palmas, Rio e Brasilia. E se tratando de vôos internacionais, a diferença de preço entre Recife e João Pessoa para Buenos Aires foi de + R$ 150 (único ticket). Santiago nesse mesmo dia chegou a R$ 600 de diferença. Os vôos de Code share para a Europa estão com diferença de R$ 400 aproximadamente (pelo visto, preço tabelado). Nessas situações, também é mais vantagem vir pro Recife do que pegar um vôo na própria cidade, seja ~JUNTO~ ou separado da passagem. E há algumas promoções que de fato compensa sair da cidade de origem, mas perceba que a maioria postam apenas para cidades do sudeste, porque justamente quando se coloca para o nordeste o preço fica mais alto do que comprar a passagem separada.

        • Thiago Castro

          Pela sua lógica Detroit nunca seria Hub.

          • Tarcísio Medeiros

            Detroit já foi um hub, não é mais. Em 2000 ele era o 16´ aeroporto mais movimentado do mundo, mas desde 2014 não figura mas nem na lista dos 50. E desde 2000 ele perdeu 2 milhões de passageiros, como um hub em 15 anos perde passageiros ao invés de aumentar?

          • Clayton Martins

            Acredito que o amigo quis se referir à Atlanta (ATL) e não Detroit.

    • Clayton Martins

      Você não viu pelos jornais os relatórios das consultorias contratadas pela Latam?
      Viu o que foi exigido de cada uma das cidades?
      Pesquise no Google e depois volte aqui pra dizer se Recife tem alguma chance de ser um Hub America do Sul-Europa…

  • Mauricio Laukenickas

    Salvador, sem dúvida nenhuma. Por quê? Porque eu moro em Salvador!!!!

  • Marcio Rebello

    Esse Hub é o maior engodo…

  • FGomes

    Único comentário sensato até agora, parabéns! Querer defender Recife pela posição geográfica é uma piada, já que Natal tem a mesmíssima característica, não faz 1% de diferença. Fortaleza também não, para falar a verdade. E está corretíssimo também na questão da localização do aeroporto, esse aspecto é insignificante na tomada de decisão. Para falar a verdade, acho que o fato de estar mais afastado é melhor porque possibilita expansão e evita transtornos com a cidade.

  • Ricardo Pessoa

    Moradores das respectivas cidades deixando aqui seus palpites técnicos, desapaixonados e imparciais, haha. Sou de Jampa, desejo sorte às 3 cidades e deixo o seguinte comentário: como a própria reportagem diz, esse hub mira as próximas décadas, não os próximos anos, e é um indicativo do potencial do NE para o futuro. Feliz por isso, e que continuemos a trabalhar mirando o futuro.

  • Holivan P. Holanda

    Óbvio! Fortaleza, mas falta muita vontade política!!!!

  • James Sousa

    Tudo fica na base do “achômetro”,acho isso,acho aquilo…o fato é que a Latam fica de palhaçada,sempre adiando a decisão,jogando um estado contra o outro,só esperando para ver qual governo estadual vai “abrir” mais em impostos…tecnicamente falando,cada aeroporto tem seus trunfos,igualando bastante as condições. A Latam vai esperar os três governos digladiarem-se,e entre mortos e feridos,decidir muito mais economicamente do que tecnicamente!

  • cauece

    Fortaleza. Já recebe uma quantidade de turistas estrangeiros bem maior do que Natal e Recife, fica mais próximo dos EUA e Europa e as reformas no aeroporto estão iniciando.

    • Clayton Martins

      Em termos aeroviários, a cidade mais próxima da Europa e da África é Natal.

  • Patricia

    Recife, com certeza!

  • Jairo Rocha

    O melhor seria João Pessoa com o aeroporto internacional castro pinto. Ficando bem no meio das duas cidades Recife e Natal, poderia oferecer um transporte terrestre para as duas capitais a exemplo de guarulhos e vira-copos.

  • Lorena Monteiro

    Coisa que o aeroporto de Natal não tem… mesmo sendo novo…

    • Thiago Castro

      Não tem (mas ngm tem), mas tem espaço para construir.

  • Germano Paiva de Castro

    Fortaleza pois tem bastante espaço para expansão, fica mais perto dos EUA e Europa, tanto que tem voo direto para Portugal pela TAP. Fora a rede hoteleira grande, com preços razoáveis, acesso rápido etc. Está mais próxima das capitais do Norte e é a capital do Nordeste que mais recebe estrangeiros. Dá para tomar banho de mar numa eventual conexão longa com um serviço de barracas de praia que são verdadeiros restaurantes.

    • Clayton Martins

      O Hub da Tap é em Lisboa. No Brasil ela atende ponto-a-ponto.
      Fortaleza tem um sítio aeroportuário com 5km2. Natal tem 15km2.
      Fortaleza não tem como ampliar sua pista (a pior dentre as candidatas) para 3000m, conforme requisito da Latam, sem que haja necessidade de desapropriar moradoras da vizinhança.

  • Marcio Rebello

    Tem razão, se esse Hub vier mesmo a sair do papel, vai ser daqui há uns 3 ou 4 anos…

  • jorge moraes

    Só faltou a reportagem explicar de onde os voos internacionais procederão e pra onde irão. A Latam já tem dois HUBs GRU e BSB. Ela está pensando que o Brasil se tornou os EUA pra ter um monte de HUBs. Nada a ver.

    • A reportagem não pode explicar a menos que a Latam informe

      • jorge moraes

        Então, para a reportagem não parecer incompleta, deveria ter constado, que até o momento a Latam não informou nenhum destino que operará no novo hub.

  • Salvatore Carrozzo

    Cê jura que tudo aquilo que estamos dizendo aqui não vai influenciar a Latam? Droga, galera, fomos enganados.

  • Filipe Araujo

    Exatamente! Igual ao hub da delta em ATL

  • Jonathan

    Voto em Teresina. No tempo de espera o pessoal pode até sair para comprar no Shopping da cidade. Kk.

  • J Paulo Silva

    Conforme algumas reportagem q li, o hub da azul, é ponto negativo pra instalar da latam, assembleia de deputados do Ceará já aprovou um lei q dar um série de incentivos fiscais pra hub, não sei se as outras assembleias fizeram o mesmo

  • André Felipe

    Estou começando a duvidar.
    Se a TAM cortou BSB – MCO, BSB – MIA e BSB – PUJ, e o hub Brasília tem elevada conectividade, como é que vão pensar num hub Nordeste nessa situação econômica?
    Ao meu ver, isso ainda vai pra banho Maria.

  • Thiago Castro

    Pq será né?

  • Tarcísio Medeiros

    Acho que esse estudo não bate com o que a Infraero divulga dos aeroportos. Se esse estudo diz que o nordeste pouco emite turistas e a Infraero diz que o aeroporto do Recife tem 10% a mais de movimentação (e que não creio que a proporção de turistas e a trabalho seja tão grande), não faz sentido ao menos se tratando de viagem aérea que Fortaleza receba 0,3pp a mais turistas.

  • Michel Bruno

    Fortaleza sem duvidas, tem a melhor localização geográfica, não tem nem comparação! A condor faz Fortaleza » Frankfurt/​Main em 9h30m, Recife faz o mesmo trecho em 10h0m.

  • Clayton Martins

    HUB não é destino, HUB é meio. Sua observação está tecnicamente equivocada.

    • Ary Filho

      É meio mas tem que haver fluxo. Como falei, são vários fatores. Citei apenas um. Não é o fator determinante.

      • Clayton Martins

        Mas o fluxo é gerado pela empresa áerea. Se ela decide que cidade X vai passar a ser seu concentrador, alterará suas rotas para aquela cidade.
        O aeroporto de Dubai era um destino pouco procurado. Quando virou Hub de várias empresas aéreas passou a receber um número gigantesco de passageiros que estavam de passagem entre a Europa, a África e a Àsia. Foi escolhida mais por sua posição geográfica e pela disponibilidade de espaço para expansão do que por ser um destino atrativo. Obviamente, com o tempo, o fato de ser um dos aeros mais movimentados do mundo possibilitou-lhe investir no seu mercado interno de turismo. Ser HUB o fez um bom destino e não o contrário.

  • Germano Paiva de Castro

    Diga sua opinião então, Sr sabe tudo

    • Salvatore Carrozzo

      Minha opinião é que seu argumento sobre a TAP não é nem um pouco válido. Apenas isso.

  • Bruno Souza

    Provavelmente ficará entre Recife e Fortaleza que são as maiores cidades. Recife leva a vantagem por ter o aeroporto mais bem localizado, fica dentro da cidade, com acesso a metrô e ônibus, além de ter um terminal inteiro do antigo aeroporto disponível para expansão. Fora isso é preciso lembrar a localização estratégica para o Nordeste. A distância de REC-FOR é Praticamente igual a REC-SSA, é literalmente o ponto central do Nordeste. O único problema é o aeroporto que não é privado, e acho que isso é um ponto importante.

    Fortaleza tem a vantagem da privatização, e tem uma localização estratégica para os voos que saem para EUA e Europa. Acho que não essa não é o foco da Latam, mas se for Fortaleza leva essa vantagem.

    Por último e acredito que o mais importante, refere-se ao ICMS do combustível para aviação, o estado que apresentar melhor benefício para o abastecimento da aeronave digamos que estará com uma mão na Taça.

    Quero ver é promoção agora! 😀

    • Clayton Martins

      Ter o aeroporto dentro da cidade, sem margem para expansão, é fator de rejeição de escolha de um aeroporto como HUB aéreo e não o contrário.
      O único aeroporto privatizado é o de SGA. Fortaleza o será, com muita sorte, no fim do ano.

  • Clayton Martins

    Amigo, não se usa HUB para passear pela cidade. Você usa o aeroporto apenas como conexão.
    O que importa é a infraestrutura dentro do aeroporto e sua capacidade de expansão.

  • Clayton Martins

    Fortaleza não tem como expandir sua pista para os 3000m exigidos pela Latam, salvo desapropriar meio mundo de gente. Só por isso, o louco que escolher Fortaleza vai ter que esperar uns 8 anos pra começar a obra de expansão de pista, se os processos judiciais tiverem transitado em julgado.

  • Clayton Martins

    Agora explica o seguinte:
    Quanto tempo vão levar para desalojar os militares da base aérea de lá e o mais importante:
    De onde a Infraero vai tirar dinheiro para construir um novo terminal de passageiros em Recife, se nem concluiu as obras de expansão que deveriam ter sido entregues antes da copa 2014?

  • Enock Pio Ulle

    E se o seu próximo voo será dentro de 4 ou 6 horas você será obrigado a ficar no aeroporto mesmo. Não é minha ideia de diversão.

    • Lidiane Mesquita

      Mas a empresa aérea não está preocupada com a diversão dos passageiros em conexão, e sim com a melhor logística. E com uma conexão de 4 a 6 horas, mesmo que o aeroporto seja próximo da cidade não é recomendado sair porque é um período muito curto.

      • Enock Pio Ulle

        Na verdade a empresa aérea está preocupada com os incentivo$$$ que vai receber do Estado – quem dá mais? Em Recife com 4 ou 6 horas dá até para pegar praia, fazer tour pelo centro, compras em shopping, etc… De Guarulhos/Galeão eu só sairia se tivesse no mínimo 12 horas e só para espantar o tédio.

  • Lucca

    Palhaçada. A TAM fica atrasando a divulgação do HUB, inventou essa “disputa” entre as cidades só para tirar o máximo de benefícios e ter privilégios em relação à outras companhias.

    Inclusive há indícios de que desde sempre Natal já havia sido escolhida, (pelo aeroporto ser novo, fácil de expandir e ter a parceria com Infraamerica) mas a criação da disputo faria com que o governo potiguar desse ainda mais benefícios.

    Tanto que inicialmente a pesquisa contratada pela Oxford foi só para Natal, mas o Governador do Ceará tomou satisfações e só aí se estendeu para as outras duas.

    O que a TAM não esperava era que o Governo do Ceará oferecesse melhores benefícios ficando assim em dúvida e por isso vem adiando mais ainda para que Natal tenha tempo de contra atacar e aumentar mais ainda as propostas.

    Além disso já se diz que a Dilma tá tentando deixar tudo amarrado para que seu copartidário Camilo possa aumentar de vez os benefícios e garantir o HUB para o Ceará. Caso não consiga, com Temer é certo que Natal conseguirá, se depender do governo, é claro.

    Isso tudo dito acima vem de fontes próximas ao Governo do Ceará, que é onde eu moro, e inclusive já saiu em alguns noticiários.

    No fim das contas, a TAM é quem sai ganhando, não é Natal, Recife ou Fortaleza.

    Aposto em Natal, ainda mais com Temer.

  • Clayton Martins

    Mesmo com a incorporação da Base Aérea, o aeroporto de Fortaleza não chegará à metade do tamanho de SGA.
    A Latam é uma empresa privada e esta aproveitando uma situação onde os estados tem que brigar entre si para receber um investimento de grande volume, em detrimento da total escassez de recursos no âmbito da União.
    Na prática, a Latam desde sempre tem sua escolha, mas se o fizesse sem esse leilão às avessas, perderia diversos subsídios propostos pela cidade eleita.

  • Machado Oliveira

    Obrigado! Nesse link, porém, SGA ainda está aparecendo como 4E para o RBAC 139. Assim como o Pinto Martins de Fortaleza. Depois eu procuro mais informação.