Jalapão: 30 dicas para a sua primeira viagem

Monique Renne 29 · junho · 2017

Entre dunas douradas, paisagens grandiosas, fervedouros e cachoeiras o Jalapão cada dia mais conquista os viajantes amantes do ecoturismo. Em meio ao cerrado do Tocantins, o Jalapão está sendo descoberto pelos turistas que buscam alguns dias de descanso longe dos grandes centros urbanos. O destino é ideal para relaxar e curtir intensamente o contato com a natureza. A região é uma das mais bem preservadas do país e o acesso, ainda limitado, faz do Jalapão uma região bem pouco explorada. É hora de sair do roteiro comum e seguir para um refrescante banho nas águas do Jalapão, afinal, sol é o que não falta por lá.

Estivemos no Jalapão por doze dias e percorremos a região para conhecer de perto os principais pontos turísticos e atrações. Foi uma viagem incrível, repleta de belezas naturais e paisagens exuberantes. Difícil decidir qual o momento mais espetacular! Flutuamos em vários fervedouros, assistimos ao pôr do sol nas Dunas do Parque Estadual do Jalapão e na Pedra Furada, subimos ao topo da Serra do Espírito Santo, fizemos rafting pela Cachoeira da Velha e, como não poderia faltar, tomamos um delicioso banho nas águas incrivelmente verdes da Cachoeira do Formiga. Entre pousadas e barracas de camping percorremos mais de 1500 km de estrada em meio a paisagens espetaculares. Quer conhecer o Jalapão? Veja as dicas que separamos para a sua primeira viagem a esse paraíso ainda pouco conhecido pelos viajantes.   

Serra do Espírito Santo

1 – O que é o Jalapão?

O Jalapão é uma região do cerrado brasileiro, no estado do Tocantins, que engloba vários municípios e diferentes áreas de preservação, entre elas o Parque Estadual do Jalapão. A área total do Jalapão é de 34 mil km² e a região é considerada um dos maiores bloco de vegetação nativa remanescente no Brasil. O nome ainda não é muito familiar aos viajantes brasileiros, mas aos poucos o público apaixonado por ecoturismo começa a descobrir esse destino surpreendente no Brasil.

Cachoeira do Formiga

2 – Onde fica o Jalapão?

A região do Jalapão está localizada no extremo leste do Tocantins, onde faz divisa com a Bahia, Maranhão e Piauí. A área mais turística engloba os municípios de Novo Acordo, Ponte Alta, Mateiros e São Félix. É nessa região onde estão concentrados os principais pontos turísticos e roteiros do Jalapão. Mateiros, principal cidade base para quem visita o Jalapão, está localizada a 300 km da capital Palmas.

Serra do Espírito Santo

 3 – Como chegar ao Jalapão?

Não há aeroportos na região do Jalapão, por isso o único meio de transporte até lá é por via terrestre. Para quem chega de outros estados o ideal é ir de avião até Palmas, capital do Tocantins, e de lá seguir de carro até o Jalapão. A principal via de acesso, a partir de Palmas, é a TO-030 até Santa Tereza do Tocantins, e depois a TO-130 até Ponte Alta. O trajeto de Palmas até Ponte Alta é todo asfaltado, depois segue em pista de terra e areia, por isso viaje em um 4×4. Para quem vai até Mateiros, a viagem continua pela TO-255. Veja mais sobre como chegar ao Jalapão.

Estrada do Jalapão

4 – Um carro com tração nas quatro rodas é fundamental para circular pelo Jalapão

O Jalapão ainda é um destino com acesso difícil. Isso porque a maioria das estradas da região é de terra ou areia fofa. O terreno traiçoeiro faz com que carros atolem com frequência, especialmente na época da seca, quando o solo arenoso se torna ainda mais fofo, dificultando a locomoção de veículos sem tração nas quatro rodas. Para viajar ao Jalapão é altamente recomendável um veículo 4×4 e um motorista experiente em estradas de areia. Evite ficar atolado e acabar perdendo a viagem. Caso deseje alugar um automóvel em Palmas, reserve com antecedência. Dê preferência aos veículos tipo SUV 4×4 (utilitários esportivos), que oferecem mais conforto nas estradas. Os carros esportivos sem tração nas quatro rodas costumam atolar. Veja mais sobre como se locomover pelo Jalapão.

Estrada do Jalapão

5 – Contratar um guia experiente ou um tour é altamente recomendável 

Sabemos que muitos viajantes evitam ao máximo contratar agências para viajar, mas no caso do Jalapão elas serão de grande ajuda. O terreno difícil e as estradas mal sinalizadas fazem com que motoristas inexperientes na região tenham grande dificuldade de locomoção. Outro fator que prejudica a viagem por conta própria é a precária cobertura de telefonia móvel, que mantém os celulares sem sinal em grande parte dos percursos, sendo bem difícil pedir ajuda no caso de atolar o carro, por exemplo. Ainda que haja vários fatores contra a viagem por conta própria, muitos turistas encaram o desafio. Caso viajar com agência não seja uma opção, invista, ao menos, em um guia particular para ajudar nas estradas. Veja mais sobre agências e tours no Jalapão.

6 – Melhor época e quando ir ao Jalapão

O Jalapão pode ser visitado durante todo o ano. A temperatura média na região fica por volta dos 30°C e o calor sempre reina por lá. O que deve ser observado é o período de seca e de chuva. A temporada seca no Jalapão vai de maio a setembro, sendo que os meses de maio a julho são os melhores para viajar. A região ainda estará verde e a umidade do ar mais alta. Com a proximidade do final da seca, entre agosto e setembro, a baixa umidade do ar pode deixar o ambiente mais desconfortável e vegetação já terá perdido o verde. A vantagem do final da seca é o pôr do sol, que fica ainda mais lindo. Já as chuvas acontecem de outubro a abril, tendo auge nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro. Apesar do calor continuar alto, a chuva pode atrapalhar passeios como a trilha pela Serra do Espírito Santo. Prefira os meses com menos chuva para viajar. Veja mais sobre quando ir ao Jalapão.

Chuveirinho do cerrado no Jalapão

7 – Quantos dias ficar no Jalapão

Quem deseja visitar o Jalapão encontrará pacotes que variam entre dois e sete dias. Dois dias serão suficientes para conhecer as principais atrações, como a Cachoeira da Velha, a Prainha do Rio Novo, as Dunas do Jalapão, a Cachoeira do Formiga e um dos fervedouros. Entretanto, tenha em mente que será muito corrido! Para conhecer melhor a região e aproveitar bem as atrações sugerimos os roteiros de cinco dias no Jalapão (sem incluir as noites em Palmas). Assim será possível conhecer vários fervedouros, outras cachoeiras, fazer rafting e canoagem, percorrer a trilha da Serra do Espírito Santo e ainda ver o pôr do sol na Pedra Furada. Quanto mais, melhor!

Dunas do Jalapão

8 – Como escolher um roteiro pelo Jalapão

A principal diferença entre os roteiros oferecidos pelas agências é a área de cobertura do Jalapão. Um roteiro mais completo tem percurso circular com saída e chegada em Palmas, passando por Ponte Alta, Mateiros, São Félix e Novo Acordo. Esse roteiro costuma ter cinco dias de duração e hospedagem em diferentes cidades. Quanto mais cidades inclusas na hospedagem, menor o desgaste com deslocamento e maior o número de atrações visitadas. Já os roteiros mais curtos ou os que têm hospedagem fixa costumam ir apenas até Mateiros, o que diminui consideravelmente o número de atrações visitadas. Prefira os roteiros circulares se quiser conhecer mais pontos turísticos.

Fervedouro Bela Vista

9 – Onde se hospedar no Jalapão: pousadas e campings  

As principais cidades para quem procura hospedagem no Jalapão são: Ponte Alta, Mateiros (a mais próxima do Parque Estadual do Jalapão), São Félix (a mais próxima dos fervedouros) e Novo Acordo. Não há hospedagens de luxo ou grandes redes de hotelaria. No Jalapão o que prevalece são as hospedagens em pousadas bem simples ou campings. Quem viaja com agências de turismo não tem muito pra onde correr e a hospedagem já estará definida. Normalmente são oferecidas opções em quarto duplo e simples. Fique atento caso esteja viajando sozinho e não quiser dividir o quarto com ninguém. Uma das agências que oferece hospedagem fora do padrão de pousadas é a Korubo, que tem acampamento à margem do Rio Novo. A Korubo funciona em sistema do tipo safári, com tendas e instalações fixas. Veja mais sobre hospedagem e onde ficar no Jalapão.

Pousada Beira da Mata em Mateiros

10 – Como é o acampamento Korubo no Jalapão

Agência pioneira no turismo do Jalapão, por muito tempo a Korubo era a única a operar com grandes grupos na área. O preço antigamente em bem salgado, porém com o aumento da concorrência os valores estão mais acessíveis e já é possível curtir um acampamento tipo safári em meio ao cerrado sem decretar falência. A Korubo oferece roteiros de seis e sete dias, sendo que a primeira e última noite sempre são em Palmas, ou seja, são quatro e cinco dias efetivamente no Jalapão. O acampamento Korubo é fixo e está localizado à margem do Rio Novo. A hospedagem em apenas um local faz com que a Korubo tenha roteiro bem mais limitado se comparado ao de outras agências que fazem o percurso circular, com hospedagem em várias cidades. O diferencial no roteiro da Korubo é um fervedouro exclusivo e a canoagem pelo Rio Novo (localizado à beira do acampamento), porém ela deixa de ir a vários outros fervedouros, cachoeiras e atrações que existem no Jalapão e são visitados por outras agências.

Acampamento Korubo

Em contrapartida, a Korubo oferece a experiência de um camping estilo safári. Tudo com certo grau de conforto, o que permite curtir o rústico sem sentir tanta falta de um hotel. As tendas têm camas, pia e sanitário; os chuveiros são em estrutura externa de alvenaria; o refeitório é uma rústica e charmosa construção de madeira; e um redário completa as instalações de descanso. À beira do Rio Novo há ainda um quiosque com sombra, onde é possível passar o tempo entre um banho de rio e uma cerveja gelada. Ótimo para aplacar o calor do Jalapão e descansar depois dos passeios.

A Korubo oferece viagens para grupos de até trinta pessoas, o que pode ser um grande ponto negativo para quem deseja tranquilidade. Caso opte pela Korubo, prefira as datas menos concorridas para a viagem. Assim as chances serão maiores de um grupo menor. Vale também dizer que o transporte dos passageiros é em caminhão tipo safári, o que nem sempre faz a viagem ser muito confortável. Ainda assim é bem divertido ir sentado no topo do caminhão com direito a vento no rosto e a linda paisagem da região. Veja mais sobre o acampamento Korubo.

Caminhão da Korubo

11 – A Korubo não é a única empresa a oferecer tours e pacotes para o Jalapão

Durante muitos anos a Korubo reinou praticamente sozinha no Jalapão, mas as coisas mudaram. Há várias outras agências que oferecem pacotes de viagem para o Jalapão. A grande e principal vantagem das outras agências é um roteiro bem mais completo se comparado ao da Korubo. Como as agências não tem hospedagem fixa, elas podem escolher pousadas em diferentes cidades, o que diminui o tempo de deslocamento e aumenta o número de atrações visitadas. Para vocês terem uma ideia, na viagem que fizemos com a Korubo conhecemos apenas um fervedouro, enquanto que o roteiro que fizemos com a Cerrado Dourado incluía sete fervedouros. Uma diferença considerável no número de atrações. Vale dizer que todos os custos da viagem foram pagos pelo Melhores Destinos e não viajamos a convite de nenhuma das empresas. Veja mais sobre a nossa experiência com os tours pelo Jalapão.

Mirante da Serra do Espírito Santo

12 – Conheça as principais atrações e pontos turísticos do Jalapão

A região do Jalapão está dando os primeiros os passos para se tornar um grande destino do ecoturismo no Brasil. Alguns atrativos estão entre os mais procurados pelos viajantes e sempre estão presentes nos roteiros de quem percorre a região. Entre os mais populares pontos turísticos estão as Dunas do Jalapão, a Cachoeira do Formiga, a Prainha do Rio Novo, a Cachoeira da Velha e ao menos um dos fervedouros, sendo que o mais famoso é o Fervedouro do Ceiça. O Jalapão ainda está sendo descoberto até mesmo pelas agências de turismo que viajam pela região, por isso é bom esperar por novos roteiros nos próximos anos. Veja mais sobre os pontos turísticos do Jalapão.

13 – Veja um pôr do sol nas Dunas do Jalapão

O dourado que colore as Dunas do Jalapão faz com que elas sejam o grande cartão postal da região. Localizadas dentro do Parque Estadual do Jalapão, as dunas são emolduradas pela belíssima Serra do Espírito Santo. Na verdade, é graças a essa serra e à ação do vento que as dunas foram formadas. O cenário é mesmo espetacular e é impossível não se emocionar ao ver o sol se pondo diante da troca de cor da areia, que a cada minuto fica ainda mais intensa. A subida ao topo das dunas é fácil e o cenário dos mais gratificantes. Veja mais sobre as Dunas do Jalapão.

Dunas do Jalapão com vista para a Serra do Espírito Santo

14 – Assista ao nascer do sol no topo da Serra do Espírito Santo

A Serra do Espírito Santo é uma das grandiosas formações rochosas do Jalapão. Do alto do platô se tem uma linda vista para a região e para as dunas. É possível chegar ao topo fazendo uma trilha de uma hora. A subida é pesada, mas assistir ao nascer do sol lá no alto é recompensador. Aproveite os primeiros raios de luz para recarregar as energias e seguir para mais um dia de passeios. Veja mais sobre a Serra do Espírito Santo.

Nascer do sol na Serra do Espírito Santo

15 – Experimente a sensação de flutuar em vários fervedouros do Jalapão

O fenômeno raro faz do Jalapão um destino muito especial. As pequenas piscinas que surgem em meio ao cerrado arenoso são como oásis na paisagem. A água que brota nas nascentes e se mistura à areia vem com tanta potência dos lençóis freáticos que permite aos visitantes boiarem sem nenhum esforço. De fora o fervedouro parece ter chão, mas ao entrar é possível perceber que o que se vê é apenas areia em suspensão na água. Impossível alcançar o fundo e, o mais impressionante, impossível afundar! A sensação é única, mas você pode experimentá-la em oito diferentes fervedouros abertos à visitação. O custo varia entre R$ 10 e R$ 25 e o valor costuma estar incluso nos pacotes de viagem. Os fervedouros estão localizados na estrada que liga Mateiros a São Félix. Veja mais sobre os fervedouros do Jalapão.

Fervedouro do Encontro

16 – Não deixe de ir ao Fervedouro Bela Vista

Ok! Todos os fervedouros são mesmo maravilhosos, mas o Bela Vista é realmente espetacular! O poço de água tem 15m de diâmetro e é um dos maiores do Jalapão. A cor da água é de um azul impressionante e a transparência permite lindas fotos ao mergulhar. A potência da nascente é ótima pra flutuação e o deck de madeira na área externa ajuda a completar o visual. Se você está procurando um cenário dos sonhos no Jalapão, o fervedouro Bela Vista é a melhor opção.

Fervedouro Bela Vista

17 – Encante-se pelo verde da Cachoeira do Formiga

A tonalidade da água da Cachoeira do Formiga é mesmo de enlouquecer. O verde intenso, com um ponto de azul na rocha de calcário no fundo, faz desta queda d’água um passeio imperdível. A temperatura do poço é ideal para aplacar o calor do Jalapão sem susto e a cachoeira ainda permite uma boa massagem nos ombros. Para quem deseja águas mais tranquilas é possível ainda descer para a piscina que se forma logo depois da queda. Uma delícia e absolutamente transparente! A visita tem custo de R$ 20. Veja mais sobre a Cachoeira do Formiga.

Cachoeira do Formiga

18 – Visite a Cachoeira da Velha e experimente um rafting

Maior queda d’água do Parque Estadual do Jalapão, a Cachoeira da Velha já seria linda o suficiente vista a partir da plataforma de madeira para observação. Porém, para senti-la por completo e vê-la de todos os lados só mesmo fazendo um rafting! A prática atrai os viajantes que desejam um pouco mais de aventura. A descida começa já aos pés da queda d’água, no Rio Novo. Apenas com o rafting é possível ver o outro lado da cachoeira, que é formada por dois arcos. Acredite! O lado que não se vê da plataforma de madeira é o mais bonito! O rafting tem corredeiras de nível três e quatro e é capaz de arrancar alguns gritos de emoção, mas o bom mesmo é poder chegar de bote até o véu da Cachoeira da Velha e percorrer as pedras por detrás da queda d’água. Passeio inesquecível! A visita à Cachoeira da Velha é gratuita, mas o rafting tem custo a partir de R$ 170. Veja mais sobre a Cachoeira da Velha.

Rafting na Cachoeira da Velha

19 – Relaxe na Prainha do Rio Novo

O Rio Novo é um dos maiores rios de água potável do mundo. E uma boa maneira de curti-lo é relaxando em uma das praias ao longo do curso. Há várias porções de areia, porém a mais famosa e com fácil acesso é a Prainha do Rio Novo, localizada bem perto da Cachoeira da Velha. A faixa de areia fininha é um convite ao banho de sol, mas delicioso mesmo é mergulhar nas águas límpidas desse rio. Veja mais sobre a Prainha do Rio Novo.

Prainha do Rio Novo

20 – Visite outras cachoeiras do Jalapão

Ora! É claro que um destino cercado por rios não poderia ter apenas duas cachoeiras. Apesar da Cachoeira da Velha e da Cachoeira do Formiga serem as mais famosas, há outras queda d’água para você ser feliz no Jalapão. Experimente um mergulho no poço da Cachoeira das Araras antes de voltar a Palmas (ela está no caminho de Novo Acordo) ou uma tarde relaxante nas quedas da Cachoeira do Rio Soninho Pequena, com direito a lindas fotos na Cachoeira do Rio Soninho Grande. Vale também uma parada na Cachoeira da Roncadeira e na Cachoeira do Escorrega Macaco, as duas a caminho do Jalapão pela TO-030, além da Cachoeira do Lajeado e do Cânion do Sussuapara, pertinho de Ponte Alta, na TO-255.

Cachoeira das Araras

21 – Faça muitas fotos no pôr do sol da Pedra Furada

O cenário parece ter sido preparado para os amantes de fotografia. Difícil resistir a algumas fotos na Pedra Furada, especialmente ao pôr do sol. A luz passa por entre os buracos formados pela ação do vento na rocha e faz dos espaços molduras perfeitas para o registro do momento. A subida é bem fácil e o lugar permite curtir sem sacrifícios. Aproveite cada segundo do espetáculo e aprecie e imensidão do Jalapão.

Pôr do sol na Pedra Furada

22 – Quase não há trilhas a serem percorridas para chegar aos atrativos principais do Jalapão

Apesar de ser um destino bem remoto, os principais pontos turísticos do Jalapão não exigem grandes percursos de trilhas para serem visitados. No geral, os carros chegam bem próximos aos fervedouros e cachoeiras, facilitando assim a visita de quem não deseja gastar muita energia. A principal exceção é a subida da Serra do Espírito Santo, que exige uma hora de trilha íngreme para chegar ao topo. Nem as dunas exigem muito esforço. Com menos de dez minutos de caminhada você já estará no alto da areia. O resto é só deslocamento de carro. Sempre 4×4, não se esqueça!

Mirante da Serra do Espírito Santo

23 – Observe a intensidade da luz das estrelas no Jalapão

Quem mora em grandes cidades raramente tem a oportunidade de observar o céu. A luz dos centros urbanos atrapalha a visualização e encontrar constelações se torna tarefa das mais difíceis. Porém no Jalapão, quando o céu está claro, é possível ver a Via Láctea a olho nu. E não estamos exagerando! A região, apenas com cidades muito pequenas, não atrapalha em nada a observação astronômica. Baixe um app que ajude a localizar as constelações e divirta-se em busca de Órion, Escorpião e outras belezas do céu.

Noite no camping da Korubo

24 – Leve o artesanato de capim dourado para casa

O dourado que recobre as veredas do Jalapão revela muito mais que apenas um campo florido. Ali está uma das maiores riquezas naturais da região. Em meio ao cerrado arenoso nasce um capim com coloração dourada intensa que permite aos moradores a produção de lindas peças de artesanato, bijuterias, bolsas, chapéus e artigos de decoração. O capim é raro e por isso tem a colheita controlada. As peças, produzidas em grande parte por comunidades de origem quilombola, podem ser compradas em associações e lojas das pequenas cidades da região. É uma boa maneira de levar um pouco do Jalapão para casa. Veja mais sobre compras no Jalapão.

Artesanato de Capim Dourado

25 – A comida no Jalapão é bem simples, mas sempre saborosa

No Jalapão não há grandes restaurantes ou comida muito elaborada. Por lá o que reina é o tempero e pratos bem caseiros. Os restaurantes, muitas vezes, estão localizados nas atrações turísticas, como fervedouros e cachoeiras. Quem viaja com agência não precisa se preocupar que o almoço estará reservado, porém quem viaja sozinho e quiser comer fora das cidades durante o dia precisa se organizar. Muitas vezes os restaurantes preparam comida apenas sob encomenda. Se estiver viajando por conta própria, tenha sempre alguns petiscos para caso de emergência. Nas cidades maiores, como Ponte Alta, Mateiros, São Félix e Novo Acordo há restaurantes e bares que funcionam normalmente. Veja mais sobre onde comer no Jalapão.

26 – A roupa ideal para o Jalapão

O Jalapão é bem quente! No inverno pode até ser que faça um friozinho leve à noite, mas, no geral, o calor prevalece por lá o ano todo. Invista em roupas bem leves, preferencialmente com secagem rápida, para não ficar molhado depois de sair das atrações (os carros quase sempre têm ar-condicionado). Roupas de banho serão usadas todos os dias, por isso não economize. Para quem vai fazer a trilha da Serra do Espírito Santo é importante levar uma calça e calçado de trilha. Mas se não for o caso, o chinelo e uma sapatilha que possa entrar na água serão os melhores companheiros. Um casaquinho leve é sempre bem-vindo, e um impermeável será útil no período da chuva.

Canoagem no Rio Novo

27 – O que levar para o Jalapão

  • Câmera fotográfica e câmera fotográfica subaquática (com acessórios)
  • Sapatilha para a água e trilha
  • Lanterna
  • Máscara de mergulho (para ver o fundo dos fervedouros e cachoeiras)
  • Protetor Solar
  • Repelente contra insetos
  • Medicamentos de uso pessoal
  • Sabonete, shampoo e condicionador (não têm em todas as pousadas)
  • Roupas de banho
  • Mochila (evite mala de rodinha ou mala rígida)
  • Casaco leve
  • Toalha
  • Boné, chapéu e óculos de sol
  • Carregador externo de bateria
  • Bolsa e casaco impermeável
Fervedouro da Korubo

28 – Dicas de segurança e dinheiro no Jalapão

O Jalapão é bem seguro para o turista, mas os cuidados básicos sempre são bem-vindos. Não deixe nada dentro dos veículos, sempre tranque a porta e não largue bolsas ou objetos de valor longe do grupo. Sobre dinheiro, poucos estabelecimentos aceitam cartão de crédito no Jalapão. O ideal é levar uma quantia em espécie para não passar aperto. O valor de R$ 100 por dia será suficiente para bebidas, comidas e pequenos gastos. Caixas eletrônicos não são encontrados com facilidade no Jalapão. Agências dos Correios podem ajudar em situações emergenciais.

Fervedouro dos Buritis

29 – Internet e telefonia no Jalapão

Esse é um grande problema para os dependentes da internet. No Jalapão o sinal de telefone é coisa rara, assim como a internet. Mesmo nas pousadas não é tão comum ter Wi-Fi disponível. É recorrente ficar longos períodos sem nenhum ponto de sinal no celular. A operadora que melhor funciona na região é a Claro. Celulares da Vivo funcionam em alguns momentos, já a TIM não oferece sinal algum. Não conte com a internet para resolver questões emergenciais, como pagamentos. Deixe tudo resolvido antes da viagem. Aproveite o Jalapão para descansar e não para ficar na internet. Na volta você poderá postar todos os belos momentos que passou por lá!

Cachoeira do Formiga

30 – Quanto custa ir ao Jalapão?

O Jalapão é um ótimo destino para quem precisa de planos de última hora. Não é necessário se organizar com muita antecedência e os custos da viagem não são tão altos. Os pacotes oferecidos pelas agências variam bastante de preço, mas entre dois e sete dias o custo médio vai de R$ 1200 a R$ 2900. Lembrando que os pacotes, no geral, incluem transporte terrestre, alimentação, serviço de guia, entrada nas atrações e hospedagem no Jalapão e podem ser parcelados. Quase sempre os pacotes não incluem o hotel em Palmas, que terá custo entre R$ 80 e R$ 250 a diária. A passagem aérea varia entre os destinos de origem, mas a partir de Brasília, por exemplo, é possível conseguir voos por R$ 230 ida e volta, enquanto saindo de São Paulo encontramos voos a partir de R$ 330. O importante é fugir de grandes feriados e comprar a passagem na promoção.

Serra do Espírito Santo

Já esteve no Jalapão? Conte a sua experiência e divida com a gente as suas dicas para viajar a esse destino incrível! Nós já estamos com saudade de dar boas gargalhadas nos fervedouros e de ver aquele pôr do sol maravilhoso no topo das dunas. Para saber mais veja o nosso Guia do Jalapão.

Autor

Monique Renne - Editora de Destinos
  • Marcos

    Essas matérias da Monique são para deixar qualquer um com água na boca.

    • Monique Renne

      😀 Esse Jalapão é lindo demais!

  • Paulo Cairrão

    Acabo de voltar do Jalapão, sou de Sampa. É tudo isso e muito mais. Indico a agencia Livre . O preço é salgado para todos mas vai piorar depois da próxima novela das 8 que já estão rodando por lá. Korubo é pra gente rica! to fora!

    • Monique Renne

      Oi Paulo! O Jalapão é maravilhoso mesmo! Sobre os preços, recebi um orçamento da Livre com valor bem semelhante ao da Korubo proporcionalmente ao número de dias. Uns anos atrás a Korubo era realmente uma fortuna, mas agora está na mesma faixa de preço das outras agências.

  • Thiago Fenólio

    Temos muita vontade de conhecer o Jalapão, vcs ficaram em quantas hospedagens, ou só na korubo?

  • Fernando Carvalho

    Monique, recomenda ir com criança? Pretendo ir quando ela tiver quase 5 anos.
    Obrigado!

    • Monique Renne

      Oi Fernando! Recomendo sim! Quase não há trilhas até os atrativos principais. Sua filha vai adorar! Talvez ela só não possa fazer algumas coisas mais pesadas, como o rafting e a trilha da Serra do Espírito Santo. De resto, tudo certo!

  • Edimar Eustaquio

    Jalapão é o máximo, eu e minha esposa tivemos o privilégio de conhecermos em junho de 2017, ficamos lá 4 dias, nestes dias passamos pelas cidades de: Ponte Alta do Tocantins, Novo Acordo, São Felix do Tocantins e Mateiros, principais cidades que abrigam o Parque do Jalapão, conhecemos os principais Fervedouros que são: Alecrim, Bela Vista, Ceiça e Buritis, conhecemos tambem as Dunas do Jalapão, Mirante da Serra e Serra Catedral, conhecemos a Gruta do Sussuapara, Cachoeira da Velha, Cachoeira do Rio Formiga e Pedra Furada, todos estes lugares são imprenssindíveis. Nestes 4 dias percorremos quase mil quilometros, cada dia uma emoção diferente, é um lugar fantástico, tivemos com guias os mestres Flavio, Piau e Nelito, todos da Norte Tur (63) 3215-4957 Dona Telma, é uma agencia especialista em passeios pelo parque e que conhecem de tudo por lá, eles te vendem um pacote, onde inclui transporte,guia, entrada nos atrativos, hospedagens, e refeições, tudo a preço acessível.Super recomendo.

  • Ivisson Neris

    Que artigo sensacional! Há um tempo atrás estava pesquisando sobre o Jalapão, mas dei uma esfriada… Depois de ler estas dicas, já vou me preparar para as próximas férias!! Parabéns pelo trabalho e obrigado!!

  • Caetano Cobucci Neto

    Parabéns pela matéria Monique. Precisa e muito completa.

  • RodolphoTP

    Indico a Cerrado Dourado.. atenciosos, viagens em grupos pequenos de até 5 pessoas, ótima qualidade e preços mais baixos que os da Korubo e outras mais… Muita qualidade no serviço.. só de ler a reportagem já deu vontade de voltar! O contato deles: Diego e Jordany: 63 8463-0403