Infraero terá de oferecer internet wifi grátis e tomadas em seus aeroportos

Denis Carvalho 28 · novembro · 2013

A Secretaria de Aviação Civil (SAC) publicou hoje no Diário Oficial as novas regras para os aeroportos administrados pela Infraero. Entre as novidades está a obrigatoriedade de que haja internet sem fio gratuita em todos os terminais e tomadas para dispositivos como tablets, celulares e notebooks “em quantidade adequada”.

A portaria determina ainda que a estatal garanta “número adequado de áreas para alimentação dos passageiros”, com diversidade de serviços e localização estratégica para atender as necessidades dos que usam os aeroportos, “incentivando a redução de preços”. 

A primeira vista, a iniciativa é boa, mas a falta de critérios claros pode comprometer seus efeitos práticos. Por exemplo: como definir o que são tomadas ou lanchonetes em “quantidade adequada”? Seria mais prático estabelecer números mínimos com base no total de passageiros que usam cada aeroporto.

Apesar da falta de regras, durante a cerimônia de assinatura, o ministro Moreira Franco disse que a nova portaria vai incentivar a queda de preços por meio da concorrência nos aeroportos: “Queremos que eles prestem serviços de maneira eficiente. Mas, em defesa do próprio consumidor, é preciso garantir que os preços não sejam abusivos”.

A portaria também determina que a Infraero passe a cobrar valores diferenciados nos estacionamentos de veículos, dependendo da distância até o terminal, infraestrutura oferecida (se tem cobertura ou não) e o tempo de permanência. Outro ponto preocupante, já que não fica claro se essa diferenciação será com o barateamento das piores vagas ou o aumento no preços das melhores – infelizmente o mais provável.

Vamos torcer para que iniciativa possa surtir os efeitos anunciados e que sejam beneficiados todos os aeroportos, sobretudo de médio movimento, que muitas vezes mais se assemelham a rodoviárias sem o mínimo de conforto para os passageiros.

Você pode ler a íntegra da Portaria no Diário Oficial. Mais informações no site da Secretaria de Aviação Civil.

 

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Carol

    Devia ser estabelecido um padrão de tomada que aceitasse vários tipos de plugues. Porque as que tem hoje nos aeroportos só aceitam os modelos de 3 pinos. Isso dificulta a vida de quem não é do Brasil e até mesmo de quem mora aqui

    • É verdade! Aliás se alguém souber quem foi o infeliz que inventou esse padrão escabroso de tomadas brasileiro me avise, que eu tenho uma carta bomba selada aqui para mandar para ele! rsrsrs

      • Roberto

        Isso deve ter sido obra de um político ou uma pessoa influente politicamente e dono de alguma fábrica de esse tipo de produtos. Imagina quanto dinheiro rolou…Coisas do nosso Brasil! por isso somos terceiro mundo!

        • TENHO CERTEZA DISTO..

          • Caio Basilio

            Isso é um dispositivo de proteçao contra o mercado externo, mas nao concordo, acho o modelo anterior muito melhor

      • Daniel Matos

        hahahaha

    • Só gostaria de entender por que reclamam tanto do Brasil quanto à padronização de tomada (antes era uma zona de plugs diferentes). Nosso novo padrão, apesar de único em sua totalidade de requisitos, usa o mesmo modelo de encaixa adotado na Suiça, por exemplo. Obviamente é pouco e seria ideal que todos os países utilizassem o mesmo, mas não é assim e existem mais de 20 tipos diferentes de plugs comumente utilizados pelo mundo.
      Vale notar também essa preocupação de o Brasil colocar plugs de outros países no aeroporto para atendê-los. Entendo que seria uma coisa boa, se fosse mais um ou dois tipos, mas como vemos, cada país usa seu modelo e não conversa quase nunca com outros. Gostaria de saber se por um acaso já viram em aeroportos do exterior 20 tipos diferentes de entrada para que cada cidadão do mundo pudesse usar seu aparelho confortavelmente. Na verdade nesse ponto entram os adaptadores universais.
      E completando, esse modelo foi desenvolvido de forma técnica, atendendo diversos requisitos de segurança que os modelos previamente adotados no Brasil não consideravam/obrigavam, não sendo uma escolha de um político (pelo menos numa primeira olhada, se existiam dois modelos competentes tecnicamente e um foi escolhido em detrimento do outro por questões políticas, aí é outra coisa).
      E isso me lembra bastante a discussão de adoção do modelo de tv digital de transmissão aberta, mas isso é papo para outros fórums…

      • Não entendo patavinas de tomadas, mas não consigo entender o retrocesso de abandonarmos um modelo que atendia a vários formatos: http://www.osetoreletrico.com.br/web/images/stori… =/

      • Rafael Lindoso

        Estive no areporto de madri e de roma pela promoção dos melhores destinos, lá NÃO TEM tomadas. Rodoviária por rodoviária (comparando com fco) prefiro as brasileiras que tem tomadas – mesmo sendo poucas – e os preços são caros em reais e não em euros.

        quanto às tomadas, aprendi a conviver com o nosso padrão, pode não ser perfeito mas tem mais seguraça que o anterior.

      • Aurélio dos Santos

        Não entendo de tomadas, conforme explicou o Rodrigo. Porém, não gostei em virtude dos custos que tive em razão das trocas de tomadas que fizemos na nossa casa. Com referência a exigência da Infraero é ótimo que o Brasil adote logo esta medida, muito embora na maioria dos países deste mundo a fora não é assim. Voltei há poucos dias de Singapura, não é mole carrregar o Ipad ou Iphone por lá. O brasileiro é muito exigente em determinados serviços. É muito difícil encontrar internet de " graça ". Miami é o exemplo. Nada é de graça.

      • Elson

        Parabens pelo comentario, esta certissimo.

    • Leonardo

      O padrão é internacional, bem mais seguro que o anterior.

      http://pt.wikipedia.org/wiki/IEC_60906-1

      Claro que traz alguns contratempos, mas dizer que é pior consiste em grande desconhecimento técnico.

  • Daniel

    Pois é … determinam o mínimo do bom senso … isso é que nem usar o banheiro e colocar aviso pedindo a gentileza das pessoas darem descarga…

    Esta é a república das bananas mesmo …

    Sobre preços, acho que na verdade o que vai se incentivar é a formação de cartel, e não o incentivo de competição de preços. A dupla café + pão de queijo sai R$ 10 ou mais. Com mais empresas, todos baixam o preço em R$ 1, enquanto na rua, você paga o mesmo produto (às vezes até melhor) por R$ 5 ou 7…
    Concordo com os comentários sobre os estacionamentos e a falta de regras em geral.

    O evento deve ter custado uns R$ 5 mil no mínimo e no final vai terminar em nada ou em "lei que não pegou" ….

  • Everton Souza

    Lá vem mais uma, vamos ver se os órgão reguladores vão fiscalizar a INFRAZERO, se isso vai sair do papel. Pq ninguém merece chegar no aeroporto e ter que se sentar as vezes no chão por causa da tomada.

  • Eduardo Alves

    Que adianta Wi-Fi gratuito se você tem que preencher um formulário com 15 quilômetros e dar até a codificação do seu DNA para ter acesso?
    Tem que ser simples. Conexão wi-fi aberta, direta, sem NENHUM cadastro.

    • É verdade: você fica uma hora preenchendo o bendito cadastro e quando finalmente consegue se conectar a qualidade é péssima! Ai volta para o 3G, que é fraquinho mas vai! rsrsrs

      • Everton Souza

        Quando Finalmente consegue se conectar, já estão chamando seu voo….

    • Eh verdade, Eduardo. Odeio usar caps lock, mas dessa vez não tem jeito: NUNCA consegui usar o wifi do aeroporto!!!! Nem tento mais. Vergonhoso.

    • Mariana Amorim

      Que ver é esse wi-fi gratuito funcionar! Pq o computador até localiza o sinal, mas na hora do vamos ver, não funciona!

  • Tenho nojo dos aeroportos brasileiros, já estive nos aeroportos de BH, SP (ambos), RJ (ambos), Brasília, Porto Alegre, Maceió, Salvador e Porto Seguro. Alguns não tem a estrutura da rodoviária do Tietê, em SP. Os caras querem disponibilizar WiFi e tomadas quando não há o mínimo, que é sinalização de qualidade. Cheguei de Miami em abril e ao desembarcar em Confins dei de cara com papéis ofício pregados nos vidros, indicando direções para a alfândega, com letras que nem águias conseguiriam ler. Banheiros sujos, escuros e alguns sem água pra dar descarga.
    Não quero comparar com os grandes aeroportos do mundo porque é covardia, mas acho que posso comparar os aeroportos brasileiros com o de West Palm Beach, uma cidade pequena próxima a Miami. É vergonhoso! E outra, nada é de graça, paga-se por tudo, mas um preço justo. Gastei 30 reais num beirute (requentado em microondas) com uma Coca-Cola no aeroporto de SP. Com 20 dólares almocei num restaurante mexicano sensacional no aeroporto de Miami, com tanta comida que tive infelizmente acabei desperdiçando um pouco.

    • Elson

      Ok pegue estes mesmos 20 dolares e tente comer em frankfury, ou tente acessar internet gratis por la, mesmo em paris, dubai ou singapura.

  • Jah casei de preencher o cadastro e quando terminei estava na hora de embarcar meia hora perdida por nada

  • Henrique

    Oferecer serviço gratuito? Mas nós estamos pagando.

    Além de serem altas, não recebemos praticamente nada disso.

    • Tenho vergonha do brasil… eu paguei 126,30 reais pela taxa de embarque para ir a Detroit, e paguei 11,20 reais de taxa de embarque na volta… isso é revoltante, e sabe oq dao em troca? nada + mala quebrada, suja + atrasos + filas enormes…. descaso total com os clientes…

  • Titobosco

    Como todo projeto do governo isso ainda é para o futuro…

    Terça feira estava no aeroporto do Recife e tentei conectar para usar essa tal internet gratis, me deu foi raiva, pois nunca conseguia terminar o cadastro e dava erro, tempo expirado enfim um terror.

    Tomadas? Até a rodoviaria daqui de Salvador tem mais tomadas de livre uso do que o Guararapes. Mas enfim vamos ver no que vai dar.

  • Helder

    Tomada em aeroporto é uma vergonha. Quando se encontra alguma tomada, ou já tem 10 pessoas brigando por ela ou então se vê td mundo sentado no chão!!Viracopos p mim, foi o pior nisso! Internet grátis, são raras as vezes que conseguimos conexão! Comer no aeroporto é um assalto ao próprio bolso. Mas a questão de internet nem questiono muito p Brasil, pq estive nos EUA e lá, pelo menos nos aeroportos que passei (Miami, Atlanta) não existe internet grátis, e em Ny LGA míseros 30 minutos, q n da tempo nem de ler um email!!

  • Oscar Luiz

    O preço das coisas no aeroporto é uma fortuna porque a Infraero cobra uma fortuna de aluguel. Cada birôzinho em Guarulhos é 60-70 mil reais por mês, mas luz e água.

    • Doug

      Dica: A INFRAERO licita o valor X. Este valor é que vai para a licitação. Quem de facto aumenta o valor são os próprios licitantes, tendo em vista que trata-se um leilão. Dependendo o lugar, o valor X aumenta e MUITO ! Regras de mercado. Simples assim.

  • Falou tudo, MD, nossos aeroportos parecem rodoviária mesmo!
    Guarulhos, então, é muito mais acabado que a rodoviária do Tietê
    a esperança é a privatização. Espero que traga melhoras para o Brasil

  • Arthur

    Caro Everton Souza e demais,

    Vale lembrar que os aeroportos de Brasília, Campinas, Guarulhos não são mais administrados pela Infraero há pouco mais de 1 ano e a operação de Confins e Galeão acabou de ser leiloada e em breve serão operados por outras empresas.

    Portanto, quando forem criticar situações que aconteceram a partir da operação das novas empresas (consórcios) nos 3 referidos aeroportos, lembrem-se que a Infraero não apita mais nada neles.

    Sei que a Infraero deixou muito a desejar por anos na melhoria da infraestrutura de seus aeroportos, mas isso foi mais uma questão de politicagem e suas tramoias do que de vontade técnica da empresa.

    • Everton Souza

      Eu passei semana retrasada por Fortaleza, falar mal das tomadas é só um ponto. Quem passou por lá ultimamente sabe da mazela chamada mosquitos. Incrível como a Infraero não toma providencias, a pessoa fica anêmica em meia hora que fica naquela sala de embarque. Mês retrasado passei pela sala de embarque internacional e pelo que vi a GRU Airport tem melhorado bastante as ofertas de tomadas, tinha uma para quase todos os assentos. Pelo menos isso.

  • Poderia disponibilizar emergia via USB, que a maioria dos celulares é compatível. Estou nos EUA (promoção de 300 reais) eo padrão daqui é muito ruim, só não é pior que o argentino.

  • arlon oliveira

    Passei um aperto em Congonhas! Uma verdadeira luta Karateka por uma tomada e uma pessoa com 3 dispositivos na mesma extensão. Tomara que os anjos digam amém pra essa iniciativa, pq imagina na Copa?

  • Dênis Colli

    Wifi que a Infraero já oferece é lerdo e funciona precáriamente

    • Doug

      A velocidade do "Wifi" é definida pelo padrão Wi-fi. Pode ser a partir de 1Mbit e pode chegar a 56Mbits no padrão 802.11g. Quem fornece a banda de conexão à Internet são as Companhias Telefônicas, de forma gratuita ou paga (para seus assinantes). Sim, é possível em certos casos(horários) existir uma alta concentração de dispositivos associados a um Access Point, o que de fato impacta na distribuição na banda de dados.

  • Tenho vergonha do brasil… Nada é de graça vc, eu pagamos a taxa de embarque mais cara do mundo exemplo 126,30 reais pela taxa de embarque para ir a Detroit, e paguei 11,20 reais de taxa de embarque na volta… isso é revoltante, e sabe oq dao em troca? nada + mala quebrada, suja + atrasos + filas enormes…. descaso total com os clientes…

  • fabio

    Porque a SAC publica novas regras só para a Infraero? As regras não deveriam ser para todos os aeroportos ? Incluindo Guarulhos, Viracopos e de Brasília que são os maiores e já estão concedidos?

  • Marcos Barragan

    No aeroporto de Guarulhos eu consegui somente conectar pela pela wifi da TIM gratuita, mas fiquei sentado no chão…