Abear inicia inspeção diferenciada nas bagagens de mão em quatro aeroportos!

Por Leonardo Cassol

Quem embarcou hoje nos aeroportos de Curitiba, Campinas, Brasília e Natal notou algo diferente. Antes do controle de segurança (raios-x), funcionários com coletes verde fluorescente faziam uma checagem na bagagem de mão trazida pelos passageiros. Como antecipamos em primeira mão, é uma iniciativa das companhias aéreas nacionais, em parceria com a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), para inibir o embarque de itens fora dos padrões estabelecidos pela Anac. A ação será expandida para 16 aeroportos brasileiros nas próximas semanas. Veja como o controle está sendo feito!

Fiscalização de bagagens no Aeroporto de Brasília (10/04/19). Foto: Leonardo Cassol

Como vai funcionar?

Duas empresas terceirizadas, contratadas pela Abear, serão responsáveis por inspecionar as bagagens de mão trazidas pelos passageiros antes do acesso aos raios-x dos aeroportos, analisando sua dimensão e quantidade. Os funcionários receberam treinamento específico para a função e dispõem de gabaritos para conferir as medidas, que finalmente foram padronizadas nas quatro grandes companhias aéreas nacionais: Latam, GOL, Azul e Avianca Brasil.

Fiscalização de bagagens no Aeroporto de Brasília (10/04/19). Foto: Leonardo Cassol

Nas duas primeiras semanas a ação terá caráter educativo. Terminado esse período, quem tiver com bagagem acima das dimensões (55 centímetros de altura x 35 centímetros de largura e 25 centímetros de profundidade), ou da quantidade permitida (1 mala e 1 item pequeno de mão, como bolsa ou mochila) será barrado e direcionado para a fila do check-in da companhia aérea para despachar, arcando com o respectivo custo, caso a tarifa comprada não inclua esse serviço.

Arte: Folha de São Paulo

Num primeiro momento, apuramos que não será feito o controle de peso das bagagens, que no conjunto não devem ultrapassar os 10 quilos. O foco será em itens claramente fora das medidas, ou em quantidade acima do permitido.

 

Quanto custa despachar bagagens em voos nacionais?

A compra da bagagem no aeroporto custa até o dobro do valor, em relação ao pagamento antecipado.

Elaboração: Melhores Destinos (2019)

Ou seja, infringir as regras vai custar caro!

 

Quais aeroportos terão esse controle especial?

Brasília, Curitiba, Campinas e Natal: orientação de 10 a 24 de abril e triagem efetiva a partir de 25 de abril.

Belo Horizonte, Fortaleza, Recife, Salvador e Belém: orientação de 17 de abril a 1 de maio e triagem efetiva a partir de 2 de maio.

Guarulhos (SP), Congonhas (SP), Santos Dumont (RJ), Galeão (RJ), Goiânia e Porto Alegre: orientação de 24 de abril a 12 de maio e triagem efetiva a partir de 13 de maio.

O plano é expandir a iniciativa para mais aeroportos no segundo semestre de 2019.

 

Qual é o objetivo dessa ação?

As empresas querem evitar a todo o custo que cheguem ao portão de embarque bagagens fora do padrão permitido, coibindo eventuais abusos dos passageiros, e minimizando impactos na operação. Segundo a Abear, isso vai evitar atrasos no embarque e na partida de voos por conta da falta de espaço nos bagageiros dos aviões e dos despachos de última hora que hoje são feitos nos portões de embarque.

Latam, GOL, Azul e Avianca vão dividir os custos desse controle adicional, que será coordenado pela Abear. E devem recuperar esse investimento com a receita que será gerada pelo despacho de bagagens acima das especificações, que, até então, muitas vezes acabavam embarcando, ou sendo despachadas sem cobrança no portão de embarque.

———

E você, o que achou da iniciativa? Comente e participe.