Inhotim! Dicas para visitar uma das mais incríveis atrações do Brasil

Monique Renne 17 · novembro · 2016

Há algum tempo Belo Horizonte divide a atenção dos turistas com o Instituto Inhotim. Visitar a capital mineira sem cogitar ao menos um dia em um dos mais espetaculares museus de arte contemporânea do mundo se torna cada dia mais impensável. É hora de abrir os olhos para o maravilhoso espaço do Inhotim, que agrada não só pelas galerias e instalações de arte contemporânea, mas também pela espetacular área verde e jardins que fazem dele um lugar único. É espaço para respirar arte e ar puro em meio às encantadoras paisagens de Brumadinho. Certamente uma dica imperdível para quem está passeando por Minas Gerais. Chegar ao Inhotim não é difícil, os preços são acessíveis, os restaurantes são ótimos e você sairá de lá com a certeza de querer voltar muitas vezes. Afinal, é impossível visitar tudo em um só dia!

inhotim-dicas-001
Vista de um dos lagos do Inhotim

Sempre tive muita curiosidade em relação ao Inhotim. Imaginava como poderia um espaço dedicado à arte também ser, ao mesmo tempo, totalmente voltado para se tornar um belo jardim botânico. Tentava entender como era possível não ser viável percorrer todo o Inhotim em apenas um dia. Quão grande ele poderia ser? Ou quão exagerados eram os colegas que já haviam estado lá e voltavam falando tantas maravilhas? Depois de dois dias entre visitas às galerias e passeios por jardins saídos de contos de fadas, descobri que o Inhotim é grandioso de verdade. E que, acima de tudo, ele é é imperdível! Tudo o que eu ouvi durante anos sobre as maravilhas do Inhotim pude comprovar pessoalmente. E posso garantir que o encantamento não era só meu. O Inhotim é lugar para todos!

Com programações variadas, espetáculos musicais e até grandes festivais, o Inhotim cada dia conquista mais admiradores e visitantes. Aos poucos, o Brasil está descobrindo que temos um museu digno dos melhores do mundo. E o mundo, que não é bobo, tem andado um bocado por lá! Não é raro encontrar estrangeiros encantados com a imensidão e com o acervo excepcional do Inhotim. E chegou a hora de você descobrir também o que o Inhotim tem de tão especial! Então vamos às dicas e dúvidas sobre uma das melhores atrações turísticas do Brasil.

inhotim-obras-001
Troca-Troca de Jarbas Lopes

O que é o Inhotim

O Instituto Inhotim é um mix de museu de arte contemporânea e jardim botânico. Um espaço dedicado à preservação da arte e também de espécies naturais de todo o mundo. Tudo anda junto e de maneira tão harmônica que a nossa impressão é de as obras de arte sempre estiveram lá. Idealizado em meados dos anos 80 pelo empresário mineiro Bernardo de Mello Paz, o Inhotim era uma área particular que aos poucos se transformou em um espetacular jardim botânico e um grandioso museu de arte contemporânea. São mais de vinte galerias dispostas em uma área verde com mais de 20 km². Tudo tomado por belos jardins. No caminho entre as galerias e jardins, obras de arte a céu aberto se juntam a flores, árvores e lagos que desenham o percursos dos visitantes. 

inhotim-galerias

O que fazer no Inhotim e como circular pelo local

Quem visitar o Inhotim poderá percorrer mais de vinte galerias de arte que estão localizadas em meio a belíssimos jardins. O passeio é sempre um mix de arte e natureza, sendo que muitas vezes as duas estão interligadas. Os prédios das galerias, por si só, já são belas obras de arte. Com destaque para as galerias Claudia Andujar, True Rouge, Psicoativa Tunga e a Galeria Adriana Varejão. Sempre com projetos arquitetônicos diferentes, são belos cenários em meio ao verde.

inhotim-galerias-009
Galeria Adriana Varejão

Apesar de serem incríveis obras por fora, é no interior de cada galeria onde está grande parte da riqueza do Inhotim. A cada prédio que você deixar de entrar estará perdendo uma boa surpresa, por isso, entre em todas as portas abertas. Fique atento também às obras de arte dispostas ao longo dos trajetos, algumas delas estrelas do museu, como os fusquinhas de Jarbas Lopes que compõem a obra Troca-Troca e as vigas enterradas de Chris Burden na obra Beam Drop Inhotim. Ah! lembre-se de fazer muitas fotos! O Inhotim é maravilhoso até nisso. Fotografias são permitidas, bem-vindas e estimuladas. Afinal, o compartilhar arte é sempre uma boa ideia. 

São três diferentes rotas a serem visitadas no Inhotim, cada uma delas identificada com uma cor. O trajeto pode ser feito a pé ou com o auxílio de carrinhos elétricos que realizam os trechos mais longos (custo de R$ 25 por pessoa/dia). Podemos garantir que é muito difícil (e nada proveitoso) realizar os três trajetos em um só dia.

Caso deseje conhecer todo o complexo do Inhotim, invista em dois dias de passeio. No primeiro, faça as rotas rosa e amarela e no segundo dia a rota laranja. Assim você poderá entrar em todas as galerias e curtir cada pedacinho do Inhotim, com pausas para apreciar a paisagem, claro! Afinal, ela também faz parte das maiores riquezas do Inhotim. Não se esqueça de pegar um mapa! Na entrada do Inhotim estão disponíveis panfletos que ajudam um bocado na hora que você estiver perdido entre os jardins e galerias.

inhotim-011

Entre uma galeria e outra, perca-se pelos jardins do Inhotim. Alguns deles, como o Largo das Orquídeas, o Jardim Desértico e o Jardim Veredas merecem alguns minutos de apreciação. Ao final do dia, reserve um tempo para esticar as costas deitado nos gramados que beiram os vários lagos do Inhotim. Faz parte do passeio curtir a natureza que tão bem envolve as obras de arte.

Não vou dizer aqui quais foram as minhas obras e galerias prediletas, afinal, gosto é gosto e cada um tem um (mas vamos adorar se vocês contarem nos comentários quais foram os trabalhos prediletos de vocês). Posso garantir apenas que cada porta, cada sala, cada edifício é único e merece ser visto. Não ignore nenhuma das galerias. As surpresas ao longo do caminho são muitas!

Se conseguir se programar com antecedência, veja a agenda de eventos do Inhotim. Quem sabe você não estará por lá em um dia de festival e poderá, além de curtir a arte nas galerias, ver um belo show naquele cenário inacreditável! O Inhotim cada dia mais entra na rota dos melhores palcos do Brasil. Será um privilégio assistir a um show por lá!

Restaurantes no Inhotim

Se a fome bater durante o dia de passeio, não se preocupe. Ao longo dos trajetos entre as galerias há alguns cafés (o Café do Teatro é uma delícia) e lanchonetes que suprem as necessidades básicas de quem não querer perder tempo. Além dos cafés, o Inhotim conta com dois bons restaurantes. O restaurante Oiticica (com linda vista para o lago) oferece refeições no sistema de buffet a preço fixo, onde cada cliente deve escolher apenas uma das opções de carne e pode se servir apenas uma vez. A refeição no Oiticica sai por R$ 38,90 por pessoa, sem bebida.

Já o restaurante Tamboril oferece buffet totalmente livre a preço fixo (R$ 70 por pessoa), não há limites para a quantidade de comida a ser servida e a variedade é bem maior. Ainda que haja diferença de preço, variedade e quantidade de comida, os dois restaurantes foram excelentes!

inhotim-restaurante-001
Restaurante Oiticica

Onde fica o Inhotim e como chegar lá

O Inhotim está localizado a 60 km de Belo Horizonte, na cidade de Brumadinho. Para chegar ao Inhotim é possível ir em transporte de van do Inhotim, em ônibus interurbano, de carro ou táxi/ Uber.

Ônibus e van

A empresa Saritur oferece o transporte de ônibus da Rodoviária de Belo Horizonte até o Inhotim. O ônibus, que funciona de terça a domingo, parte da rodoviária às 8h30 e retorna às 16h30. Às quartas-feiras, por ser o dia de entrada gratuita no Inhotim, o ônibus oferece um horário extra às 8h30. O custo do trajeto, ida e volta, é de R$ 60. A passagem pode ser comprada com cartão de crédito pelo site da Saritur ou pessoalmente (em dinheiro ou débito) no guichê da companhia na rodoviária. Atenção! Não compre o ônibus para Brumadinho, mas sim para Inhotim. O trajeto tem tempo total de 1h45.

O Inhotim oferece um serviço de transporte compartilhado em van a partir de Belo Horizonte aos sábados, domingos e feriados, com custo de R$ 60 por pessoa, ida e volta. O embarque na van acontece às 8h15 na Loja do Inhotim em BH (R. Antônio de Albuquerque, 909). O retorno acontece às 17h30. A compra deve ser feita com 24h antecedência pelos telefones (31) 3571-9795 ou (31) 99737-6366 ou na loja.

Não há ônibus direto do Aeroporto de Confins e de Ouro Preto para o Inhotim.

inhotim-como-chegar

Táxi e Uber

O custo do táxi ou do Uber para quem deseja ir de Belo Horizonte ao Inhotim pode ser alto para uma ou duas pessoas, mas será equivalente ao valor do ônibus no caso de um grupo de quatro pessoas. Se estiver com amigos, consulte um taxista sobre a tarifa ou chame um Uber. O valor, a partir do Centro de Belo Horizonte, será entre R$ 200 e R$ 300. Para quem deseja ir direto do Aeroporto de Confins os valores sobem para R$ 300 a R$ 350. Na volta será um pouco mais complicado conseguir um veículo, se possível, combine com o mesmo motorista da ida a viagem de volta.

Carro

A liberdade de ir de carro é sempre uma ótima pedida. E se o grupo tiver mais de duas pessoas, a chance é grande dos custos serem bem menores que o trajeto de ônibus ou de táxi. Por isso, se você não tem problemas em dirigir em uma nova cidade ou está viajando por Minas Gerais de carro, aproveite para ir ao Inhotim motorizado. O percurso de carro a partir de Belo Horizonte é de 60km e tem duração média de 1h15. A partir do Aeroporto de Confins o trajeto é mais longo, com 96km de distância e tempo de viagem entre 1h30 e 2h. Já os visitantes que vêm de Ouro Preto enfrentaram 110 km de estrada, com duração entre 2h e 2h20. No Inhotim há um grande estacionamento e não será problema ir de carro até lá.

Horário de funcionamento e preços da entrada no Inhotim

Horário de funcionamento do Inhotim

O Instituto Inhotim funciona regularmente de terça a domingo, com horários variados para cada serviço. Em dias de shows, festivais e eventos especiais ele segue o horário de agenda evento.

Parque

  • Terça a sexta-feira, das 9h30 às 16h30;
  • Sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h30.
  • Fechado às segundas-feiras.

Lojas

  • Terça a sexta-feira, das 9h30 às 16h30;
  • Sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 18h30.
  • Fechadas às segundas-feiras.

Restaurantes

  • Terça a sexta-feira, das12h às 16h;
  • Sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h.
  • Fechados às segundas-feiras.

Lanchonetes

  • Terça a sexta-feira, das 9h30 às 16h;
  • Sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h.
  • Fechadas às segundas-feiras.

Preços de entrada no Inhotim

Os valores para entrada no Inhotim variam de acordo com o dia da semana, sendo que às quartas-feiras a entrada é gratuita. Para shows, festivais e eventos especiais o valor de entrada segue o valor do evento.

  • Terça e quinta-feira: R$ 25,00.
  • Quartas-feiras (exceto feriado): entrada gratuita
  • Sexta, sábado, domingo e feriado: R$ 40,00
  • Fechado às segundas-feiras.

O custo do carrinho para deslocamento dentro do parque é de R$ 25 por pessoa durante todo o dia contratado. O transporte funciona de terça a sexta das 10h às 16h e finais de semana e feriados das 10h às 17h.

A meia entrada é válida para idosos acima de 60 anos, crianças de 5 a 12 anos, além de estudantes e professores com comprovante. Consulte o site oficial para outros casos específicos de meia entrada. A entrada é gratuita para crianças até 5 anos e para associados do programa Amigos do Inhotim.

Formas de pagamento: Dinheiro, American Express, Elo, Mastercard, Visa e Vale Cultura das bandeiras e ALELO. Evite filas e compre antecipadamente pelo site oficial do Inhotim.

inhotim-como-circular

Onde se hospedar para visitar o Inhotim

O Inhotim promete, como planos futuros, a construção de um belo complexo hoteleiro dentro das dependência do Instituto. Enquanto isso não acontece, as opções mais comuns para quem deseja visitar o Inhotim são as hospedagens de Belo Horizonte ou os hotéis na cidade de Brumadinho, onde está o Instituto. Infelizmente Brumadinho ainda não está pronta para receber o grande número de turistas que chegam para visitar o Inhotim. Com isso, os preços ficam bem caros. Sem falar que a qualidade dos hotéis não acompanha o valor das diárias. Apesar de não estar tão próxima ao Inhotim, a capital Belo Horizonte tem bons preços para hospedagem. Prefira os bairros de Lourdes e Savassi. A região ao redor da Praça da Liberdade é um bom ponto de referência para estar bem localizado em BH. Veja onde se hospedar em Belo Horizonte e onde se hospedar em Brumadinho

inhotim-brumadinho-004

Antes de ir embora do Inhotim…

Lembre-se que você estará em um espaço único! Aproveite cada segundo e registre todos os momentos, em fotos e na memória (a sua). Quem sabe o próximo nome da arte contemporânea não será você! Passe na lojinha, leve uma lembrancinha do Inhotim e volte sempre. O Inhotim não é para ser visto apenas uma vez na vida e o acervo está em constante mudança, assim como a natureza, claro!

Já esteve no Inhotim? Conte pra gente o que você mais gostou!

Publicado por

Monique Renne

Editora de Destinos

  • Pedro

    Parabéns…lindas fotos, excelente texto… reportagem top….

    • Ernesto Malta

      Concordo plenamente, Pedro.

  • Gustavo Sousa Accacio

    Excelente reportagem, o Inhotim é realmente Lindo!

    Só uma correção: Ao indicar hotéis em Belo Horizonte o correto imagino ser ”região ao redor da Praça da Liberdade” e não ”Praça da Independência”.

    • Monique Renne

      Ops. Ato falho. Corrigido 🙂

  • Vani

    Vou para BH em janeiro em uma viagem bem curta… E Inhotim está no roteiro. Como terei apenas um dia, gostaria de saber qual roteiro devo seguir dos três, para aproveitar bem. Como sempre, ótima reportagem!!

    • Monique Renne

      Vani, os três roteiros são ótimos e diferentes um do outro. Sinceramente, não consigo te dizer qual o melhor. O ideal é você escolher ou as rotas amarela e rosa em um mesmo dia ou a rota laranja. Vale também fazer a amarela, a rosa e o pedacinho da laranja que fica perto da recepção (caso sobre tempo). Entretanto, eu fiquei apaixonada pela Galeria Psicoativa Tunga, que é na rota laranja, bem longe, kakakakak. Não tem solução. Em um dia não dá pra fazer tudo e é um excelente motivo pra você voltar 🙂

      • Vani

        Monique, realmente a ideia é voltar várias vezes. Até pq nossa percepção muda, né? Mas vou analisar com carinho essa rota laranja.. uhauahauhauaha Vou conversar com a minha amiga de lá q quer me levar e ver o q ela tem em mente.

    • Rosiany

      Oh viada, pergunta pra mim, já fui 2x!!!!

    • Rosiany

      A primeira vez que fui, fiz a pé!!! Foram 8h andando sem parar!!! Consegui ver uns 70% de tudo. Na segunda vez fui de carrinho, bem mais tranquilo. Mas por incrível que pareça, parece que aproveitei mais quando fiz a pé!
      Se vc fosse mais pro meio do ano podíamos combinar de ir juntas, em janeiro não rola, vou viajar.

      • Vani

        Mulher, q saudades de vc!!! Então… Minhas férias são sempre em janeiro e meu ritmo de trabalho é tenso no restante do ano… Queria muito!! Mas a gente pode se organizar! Vou em toque de caixa pra BH mesmo dessa vez.

  • Sergio Luis Santos Gil

    Se for se hospedar em Brumadinho não deixe de ir ao Restaurante topo do Mundo ,fica um pouco distante 32 km ,mas o restaurante é incrível ,de lá vc consegue avistar BHorizonte ,lá há uma rampa de parapente ,o restaurante todo a luz de velas ,procure no google ,sobre este restaurante ,mesmo distante é uma grande atração.

  • Sergio Luis Santos Gil

    Quanto há Inhotim é maravilhoso.

  • Remy Mendelez

    É possível visitar tudo em um dia só sim, eu fiz isso sem correria nem atropelos. Algumas galerias sempre estarão fechadas para manutenção enquanto outras a visita é bem rápida, como a da Valeska Soares que não dura nem 5 minutos (é uma galeria pequena que passa um vídeo rapidinho e só). Mas tem que ter disposição pra andar bastante.

    • Monique Renne

      Remy, você está certo. De fato dá pra percorrer tudo. Mas não dá pra ver as obras em exposição com atenção. Você verá as galerias, mas será inviável presta atenção às obras. De todo modo, vale pra conhecer tudo e voltar em uma nova oportunidade. É sempre bom ir ao Inhotim 😀

  • thiago

    Fui nesse feriado, o tempo estava chuvoso, até pensei em não ir, mas mesmo assim foi maravilhoso e encantador, vale a pena em qualquer circunstancia.

  • Gilberto

    Um dos melhores passeios que fiz com minha esposa. Ficamos hospedados no IBIS em Betin, que fica na rodovia Fernão Dias. Assino em baixo com todos os adjetivos da matéria.

  • Ernesto Lippmann

    Bela reportagem, dá para combinar o inhitim com o fim de semana em Mariana e Ouro Preto. Recomendo o passeio de trem entre as duas cidades,e o passeio na mina em ouro preto.

  • Araújo Barbosa

    Eu adorei as galerias Psicoativa, do Tunga, e a The Murder of Crows, da Janet Cardiff (essa é a que mais gostei), tem que sentar e ouvir tudo. A Janet tem outra obra próxima à entrada, tbm legal, mas não tão impactante.Da próxima vez, irei mergulhar na piscina do Hélio Oiticica. Nessa piscina da matéria tbm é possível entrar.