Infraero investirá R$66,7 milhões em módulos operacionais para quatro aeroportos

Denis Carvalho 1 · abril · 2011

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Dando continuidade à série de matérias do Melhores Destinos sobre as obras previstas nos principais aeroportos do País para a Copa do Mundo, abordamos hoje os Módulos Operacionais, que a Infraero pretende instalar em quatro grandes terminais para dar suporte ao atendimento da demanda.

O objetivo da empresa é que os módulos funcionem como salas de embarque e desembarque, salões de check-in, terminal de bagagens, entre outras áreas de atendimento aos passageiros sobretudo durante o período da Copa e das Olimpíadas. Entre as vantagens da estrutura, estão a rapidez na montagem, baixo custo e possibilidade de desmontagem caso seja usada somente para atender a uma demanda específica, como ao grandes eventos esportivos.

Além de Florianópolis e Brasília, onde já foram instalados como salas de embarque, a Infraero confirmou que mais três aeroportos serão beneficiados: Guarulhos, Campinas e Cuiabá. O número total pode chegar a 11. Destaque para Guarulhos, que receberá três unidades – duas delas gigantescas, com 14 mil m² e 10 mil m². Juntas, poderão aumentar o fluxo de passageiros em 6,5 milhões por ano.

Essas informações são relativas apenas aos aeroportos das cidades sedes da Copa. A Infraero também irá construir módulos operacionais em outros aeroportos, como é o caso de Goiânia.

 

De acordo com a Infraero , os módulos são uma solução de engenharia utilizada em aeroportos de vários países e também em grandes eventos ou para atender demandas específicas. A empresa cita como exemplos os aeroportos de Lisboa, que em 2004 utilizou os Módulos durante a Eurocopa, e de Doha, no Catar, que adotou a solução durante os Jogos Asiáticos de 2006.

“No Brasil, assim como nesses países, serão utilizadas estruturas modulares com toda infraestrutura de uma sala convencional de embarque e desembarque, tais como ar condicionado, sanitários e sistema informativo de voos”, garante a Infraero.

No Brasil, o Aeroporto Internacional de Florianópolis foi o pioneiro na instalação do Módulo, em dezembro de 2009.  Entre os aeroportos relacionados com a Copa, Brasília já conta com um Módulo Operacional em funcionamento, e Guarulhos e Campinas já estão em processo de instalação dos MOPs.

Módulo de Florianópolis

Veja a relação dos aeroportos que receberão os Módulos Operacionais:

 

Brasília

Módulo: Embarque de passageiros
Investimento: R$ 2,987 milhões
Dimensões: 1,2 mil m²
Aumento de Capacidade: o Módulo Operacional balanceou o movimento operacional do aeroporto para aumentar o conforto dos passageiros
Concluído em novembro de 2010

 

Guarulhos

Módulo 1: Embarque de passageiros
Investimento: R$ 2,6 milhões
Dimensões: 1,2 mil m²
Aumento de Capacidade: 1 milhão de passageiros/ano
Data Prevista de Conclusão: julho/2011

 

Módulo 2: Desembarque e check-in de passageiros
Investimento: R$ 32,5 milhões
Dimensões: 14 mil m²
Aumento de Capacidade: 3 milhões de passageiros/ano
Data Prevista de Conclusão: março/2013

 

Módulo 3: Desembarque e check-in de passageiros
Investimento: R$ 23,2 milhões
Dimensões: 10 mil m²
Aumento de Capacidade: 2,5 milhões de passageiros/ano
Data Prevista de Conclusão: setembro/2013

 

Campinas

Módulo: Check-in de passageiros
Investimento: R$ 2,9 milhões
Dimensões: 1,72 mil m²
Aumento de Capacidade: 2,5 milhões de passageiros/ano
Data Prevista de Conclusão: maio/2011

 

Cuiabá

Módulo: Desembarque de passageiros
Investimento: R$ 2,6 milhões
Dimensões: 675m²
Aumento de Capacidade: 0,7 milhões de passageiros/ano
Data Prevista de Conclusão:  não divulgado

 

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe