Latam adia para o ano que vem a escolha entre Fortaleza, Natal e Recife para sede de seu hub no Nordeste

Denis Carvalho 6 · novembro · 2015

E a disputa continua! A TAM adiou para o ano que vem o anúncio da cidade que sediará seu hub na região Nordeste. Segundo a companhia, a decisão foi necessária devido à necessidade de desenvolvimento da estrutura dos aeroportos de Fortaleza, Natal e Recife. Uma das três capitais será escolhida pelas companhias TAM e LAN (que no ano que vem devem se fundir como Latam) para concentrar seus voos internacionais da Região Nordeste, especialmente para a Europa.

“Assegurar a eficiência da infraestrutura aeroportuária, atrelada à experiência do cliente e à competitividade em custos é essencial para o projeto. Esses critérios precisam estar muito bem definidos e neste momento o cenário não oferece ainda as condições necessárias para esta tomada de decisão. Continuaremos a avaliar todos os requisitos essenciais da infraestrutura aeroportuária e da competitividade de custos”, comentou a presidente da TAM, Claudia Sender.

O adiamento é um balde de água fria para quem imaginava que alguma das cidades já havia conquistado o hub. Desde que a TAM anunciou a competição entre as capitais, não faltou quem garantisse que a escolha já estava definida por esta ou aquela cidade – de políticos a órgãos de imprensa regionais.

Além da infraestrutura aeroportuária, que é o entrave para a tomada de decisão neste momento, a Latam vai avaliar a experiência do cliente e a competitividade em custos. “Os aeroportos das três capitais envolvidas no processo estão discutindo adaptações técnicas para sediar o hub. O encaminhamento dessas discussões dependerá de um conjunto de avaliações, que envolverá várias esferas governamentais e concessionários, para o aprofundamento dos requisitos que foram apresentados nos estudos técnicos realizados pelas consultorias Arup e Oxford Economics para a implementação de um hub no Nordeste”, informou a Latam.

O grupo informou que em outubro a consultoria Arup apresentou as principais conclusões do estudo de infraestrutura aeroportuária. Uma das conclusões iniciais do estudo foi que os terminais atuais foram concebidos para operações ponto a ponto, sem características de um hub e, portanto, precisariam de adaptações para receber um centro de conexões de voos com as características de um hub com relevância internacional.

De acordo com os dados do estudo, foi estimado que o hub movimente 2 milhões de passageiros adicionais em 24 aeronaves simultaneamente em 2018 (entre 2.500 – 3.000 passageiros na hora-pico). Em 2038, o número de passageiros deverá chegar a 3,2 milhões, em 36 aeronaves simultaneamente (mais de 4.000 passageiros na hora-pico).

Uma boa notícia para as cidades concorrentes é que a avaliação técnica demonstrou que as pistas existentes são capazes de atender à demanda prevista até 2038. “No entanto, é necessário desenvolver soluções de backup, como pistas auxiliares, para que a operação do hub não seja comprometida por eventuais impedimentos ocasionais da pista principal. Tais impedimentos dificultam a operação de qualquer aeroporto, mas, no caso de um hub, podem ter efeitos em cadeia em toda a malha da companhia aérea”, explicou o grupo.

Com as adaptações e os investimentos recomendados pelo estudo, a Arup acredita que os três aeroportos poderiam acomodar os voos e os passageiros estimados, com bom nível de serviço e eficiência, prazo de execução razoável e potencial de expansão de longo prazo.

Em setembro, a Oxford Economics apresentou os resultados da avaliação de impactos econômicos e sociais do hub Nordeste. O estudo aponta que cada dólar investido para a implantação do centro e conexões deve gerar entre 5,2 e 5,8 dólares em novas atividades econômicas, na média dos cinco primeiros anos de operações. Esta previsão inclui a geração de valor tanto para a cidade que for escolhida quanto para as outras que participaram do estudo.

A consultoria também estima um crescimento adicional do PIB das três cidades envolvidas no hub da ordem de 5% a 7%, considerando a média de cinco anos de operação. Nesse período, o hub deve gerar de 34 mil a 42 mil novos empregos no Nordeste.

Não é à toa que a disputa está acirrada, e com as três capitais ainda no páreo. Para você, qual deve ser o hub a Latam?  Fortaleza, Natal ou Recife? Deixe sua opinião nos comentários e participe!

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe
  • Alberth Amorim

    Prefiro Recife, todas as capitais do Nordeste tem voo direto ou da pra chegar de carro fácil, e todos os aeroporto do país tem boas opções de conexões até Recife, fora que Recife tem terminal de ônibus e estação de metrô anexadas ao aeroporto, vale salientar que o aeroporto de Recife é literalmente na capital e não na região metropolitana. De longe a melhor opção !!

    • what_the_hell??

      É verdade! O aeroporto novo de Natal ficou bem longe! Fortaleza tb fica dentro da cidade, mas acho que Recife seria mais central no NE!

    • Alan Rodrigo de Almeida

      Para um HUB não acho que estar dentro da cidade seja uma vantagem. Na verdade penso o contrário. O HUB tem como principal objetivo conectar vôos, ou seja, o passageiro sai de um avião e entra em outro. Mas sem dúvida é um excelente aeroporto.

    • sigma7777777

      Recife e Fortaleza já concentram grande fluxo de atividades e o hub em Natal poderia ajudar a descentralizar essa concentração de poder. Conheço os três aeroportos e acho que o de Natal é o mais adequado para o presente e o futuro, pois o que não falta é área disponível para expansão.

    • Marcos A. Medeiros

      Apesar da distância, o aeroporto de Natal é o que possui um entorno com muita área para expansão e desenvolvimento. Os aeroportos de Recife e Fortaleza não têm pra onde expandir. Sem falar que a INFRAMERICA é a mesma que administra os aeroportos de Brasília (outro hub LATAM) e o de Natal

  • Tarcísio Medeiros

    Não por ser recifense, mas concordo com Alberth. O transporte pro aeroporto do Recife é o melhor, o aeroporto foi classificado pela própria revista TAM como o melhor do Brasil, além de ser atualmente o mais movimentado dos 3.

    Natal tem pouquíssimos voos com o nordeste, o aeroporto é no fim do mundo, e o transporte pro aeroporto de Fortaleza é horrível. Se for por questões tecnicas e de demanda, certamente Recife ganha.

    O problema é que com essa crise, acabem postergando ainda mais essa decisão…

    • Alberth Amorim

      Tbm não sou recifense.

    • Mateus

      Não se esqueçam que um dos detalhes para implantação do HUB é justamente infraestrutura! Ora, nesse caso, o aeroporto de Natal (por ser no fim do mundo, como vocês estão insinuando) tem mais vantagem no que tange a realização de obras de infraestrutura: ampliação, reforma, construção de novas pistas… Do que os aeroportos encravados no meio das cidades, como Recife e Fortaleza!

    • Paulo Henrique

      Pelo contrário, por questões técnicas o de Recife é o pior classificado, segundo o último relatório contratado pela TAM. Isso porque seria necessário a construção de um novo terminal.

    • sigma7777777

      Se já é bom é hora então de fazer com que outros aeroportos também o sejam, ao invés de concentrar tudo em Recife.

  • Paulo Henrique

    Rs… É muita ingenuidade acreditar nessa conversa fiada da Latam! Eu chutaria que o local do Hub já foi decidido há tempos. Os benefícios desse adiamento para escolha são muito bons para a empresa. Fora os benefícios econômicos incertos…

    Moro em Fortaleza e vou frequentemente a Natal e o que posso constatar é uma imensidão de propaganda grátis da TAM! TODO dia sai pelo menos uma matéria num dos 3 maiores jornais daqui sobre esse hub, sempre citando a empresa e os benefícios que isso causaria a cidade. Em Natal é do mesmo jeito e tenho certeza que no Recife não é diferente.

    Fora a propaganda dos governos estaduais e municipais. Numa das avenidas de maior fluxo daqui tem um outdoor digital imenso com a campanha pelo hub.

    Enfim, pelo o que li na última auditoria, a decisão da empresa estaria por NAtal ou Fortaleza. Aguardemos…

    • Caio

      Estive em Fortaleza recentemente e vi várias propagandas na cidade pelo HUB da Latam… Marketing de graça pra JJ!!

  • Samuel

    Recife certamente é a melhor opção atualmente, contudo a premente privatização do aeroporto de Fortaleza poderá mudar esse cenário.
    Na minha singela opinião acho difícil Recife ser escolhida pelo fato de ser uma aeroporto administrado por uma estatal, a Infraero. O fato de ser pública impõe ao administrador muitas amarras que o privado ( Natal e futuramente Fortaleza) não teria. Imagine isentar de aluguel por alguns anos, uma área destinada a manutenção? A Infraero não poderia dar essa lambuja, mas Natal poderia..
    Além do mais, a intenção da TAM é fazer um Hub, ou seja, as pessoas não sairão do aeroporto, o que torna os diferenciais de Recife, no quesito acessibilidade praticamente indiferentes para esse propósito.
    Apesar disso tudo que falei, meu sincero desejo é que Recife seja escolhida, estive na cidade esse final de semana e vi que na cidade fala-se muito deste HUB, com placas por todo lado com #hubdatamemrecife, tudo isso fomentado pela prefeitura, com apoio da população.
    Além do mais, isso seria um grande orgulho para a Infraero, que mesmo com tantas amarras, conseguiu fazer um aeroporto, destaca-se que foi construído em 2002, pra nenhum privado botar defeito.

  • wesleyjefferson

    Eu preferiria em Fortaleza, mas tanto faz na verdade. O importante é diminuir essa concentração de vôos em SP. É sem sentido ter que descer pra SP pra ir pra América do Norte.

  • Manoela

    Nenhuma das três. O Brasil está numa profunda crise, os voos vazios e as empresas aéreas tendo prejuízo e tem gente que acredita que a TAM ainda vai fazer esse investimento. Esse adiamento é simplesmente o prenúncio que essa conversa vai ser deixada de lado. A TAM quer publicidade grátis e incentivos fiscais dos governos dos três estados. Publicidade para compensar os péssimos serviços dela em comparação à Gol, Azul e Avianca. E os governos desses três estados estão adorando dar destaque ao “hub” e deixar os problemas estruturais de escanteio.

  • Ednor Neto

    O Aeroporto de Natal, atualmente, é o que tem maior aérea livre ao redor pra expansão. É um aeroporto novo e moderno. Pra mim, o que fala contra Recife é exatamente o que meus colegas falaram acima: ele ser no meio da cidade! Devido a isso, ele não tem tem disponível áreas ao redor para expansão!
    O que fala contra Natal não é a distância: isso não não é problema, se não, nenhum aeroporto da Europa prestaria e o maior do Brasil não seria Guarulhos. O que fala contra, é a, ainda, precariedade do acesso! A fase de duplicação da BR até lá está quase pronta, mas não acho que só isso seja suficiente. Há pronto de construção da linha de VLT até lá, mas até quando isso estará pronto?
    Acho Fortaleza ainda uma melhor opção do que Recife, falando tecnicamente (já que Recife é bem mais perto de Natal), mas também acho o aeroporto de Natal mais moderno e com maior potencial de expansão! Que vença a melhor preparada para receber o hub!

  • Wescley Lima

    Espero que vá para o Recife. Pois lá o transporte público chega até o aeroporto. O acesso é fácil, e também pq lá já existem alguns voos para alguns destinos internacionais, e creio que isso já conta como uma certa bagagem para o aeroporto. Sem falar no ILS que ajuda muito no caso de tempo ruim.

    • Igor

      Cara, se for por ILS todos os três aeroportos possuem

  • É Natal e não se fala mais nisso. Melhor local escolhido pela posição geográfica desde a segunda guerra mundial.

    • Caio

      Apesar de torcer por FOR, acredito que NAT leve essa também.

    • Alan Rodrigo de Almeida

      Além de ser a cidade mais bonita do Brasil (assinado um carioca)

      • Fernando Albuquerque

        Natal é realmente uma cidade lindíssima e maravilhosa (sou paraense).

  • Nelson Koch

    meu voto seria para PETROLINA – PE

    • Antonio Silva

      kkkkkkkk

  • Carlos Eduardo Mariz Neves

    Não resta dúvida que se os critérios forem, puramente, logísticos e econômicos o Recife leva vantagem. Tanto no que se refere ao transporte de passageiros quanto de cargas. Recife é mais central, o aeroporto é melhor localizado e de mais fácil acesso. As negociações com a base aérea para ceder uma área para implantação do novo terminal já estão entabuladas, porém se os critérios forem políticos e de incentivo fiscal e desonerações, talvez Recife perca terreno. Vamos aguardar…

  • Caio

    Apesar de torcer por FOR, acho que NAT leva essa… Hoje, pode ser que Natal não apresente uma grande concectividade com o resto do Brasil, mas com a implantação do HUB isso muda. FOR seria ideal, pelo meu ponto de vista, mas tem o entrave na questão de ampliação e REC, além da falta de muito espaço para ampliação, fica no meio da cidade e aí vem toda aquela questão de ruídos nos voos da madrugadas e etc…

  • Carlos Penha

    Natal, pois possui aeroporto moderno e privatizado, longe, portanto, das manobras e favores dos incopetentes da Infraero.

  • Daniel Idelfonso

    Claro que em Recife. Além de todas as colocações já citadas pelos colegas quanto a infraestrutura do aeroporto, a cidade consegue ser malha viável para boa parte das cidades do Nordeste. Recife é um ponto intermediário para as demais capitais: João Pessoa, Natal, Maceió. Já Fortaleza chega a ser uma metrópole isolada mais acima no Nordeste. Uma dificuldade para concentrar fluxos e malha aérea nesse local.

  • Adriano Destorac

    Recife é a capital do nordeste.

    • Roger

      Teu c!

      • Adriano Destorac

        Deixa de ser vi*do e aprende a ter argumentos.

    • Antonio Silva

      Salvador é a capital do Nordeste !!! Hehehe

      • Caco Nogueira

        segundo seu filho ilustre, Gilberto Gil, nem no nordeste SSA fica o/

        • Antonio Silva

          Qual foi a primeira capital do Brasil mesmo devido a sua importância ? Acho que você não entendeu o que Gil quis dizer.

  • Luis

    Acredito que a REC vai ser melhor opção,o aeroporto de NAT fica longe pra o centro da cidade,e FOR não é arqueado para ser um hub.

  • Alan Rodrigo de Almeida

    Eu tive uma idéia. Façam de São Gonçalo do Amarante o HUB e construam uma linha ferroviária de alta velocidade saindo de Fortaleza, passando por Mossoró, Natal, João Pessoa e terminando em Recife. Assim atende a todos, aumenta ainda mais a integração destas cidades, que ficam, relativamente próximas e todo mundo fica feliz 🙂

    • Ótima ideia. Já existe o projeto do VLT ligando Natal ao aeroporto. Mas como se trata de Brasil, pra sair do papel tome aí no mínimo 5 anos, e pra construir mais 10 anos… Basta tomar como base a transposição do Rio São Francisco, que vai ficar pronto depois que o Rio inteiro secar.

  • Fernando Albuquerque

    É verdade que o Brasil está em crise profunda, mas ela vai durar só mais um ano e meio. Isso é nada para o investimento dos empresários. Tanto é que a crise não diminuiu em nada o investimento estrangeiro no Brasil, e teremos em 2015 quase 60 bilhões de dólares de investimento vindo do exterior. Esse investimento no hub é pra durar pelo menos 30 anos, é perfeitamente lógico sobre qualquer ponto de vista, e a Latam é uma empresa que quer crescer, e não há nenhum indício que eles podem vir a cancelar esse investimento.

    • Cassiano

      Concordo com o Fernando. Sem contar que o HUB conectará a América do Sul a outros continentes, ou seja, um voo da Espanha ou França (ou outro país) para Santiago ou Lima (ou alguma cidade do Brasil, inclusive) passaria por lá. Pensemos em conectividade entre os HUBs da Latam!

      Vale lembrar que não é só brasileiro que ocupa essas aeronaves e para os outros países está bem conveniente visitar o Brasil.

  • jorge moraes

    Esqueçam. Este Hub no NE jamais sairá do papel. A Latam já tem GRU e BSB e o Brasil não comporta mais nenhum Hub.

    • Diego Santos

      Vai sair e é mais logico um hub pra Europa no Nordeste que em Brasília.

      • jorge moraes

        Lamento, puro devaneio.

        • Antonio Silva

          Devaneio seu, né querido ?!

    • Se fosse o governo que estivesse a frente deste projeto eu até concordaria com você, mas como é a iniciativa privada que esta a frente, devo dizer que vc está errado, vai sair do papel, vai virar realidade, e será aqui em Natal pelos motivos que eu já falei anteriormente.

      • jorge moraes

        Vi no youtube alguns videos de voos chegando e partindo de Natal e o aeroporto parece ser um fantasma. Completamente vazio. Se houver um Hub no NE duvido que seja em Natal.

        • Fernando Albuquerque

          Pouco importa se ele é um “aeroporto fantasma”. Isso é até bom para um hub, pois não é a demanda local que supre um hub, e sim a demanda de conexões de outras cidades. O que importa é se ele é um aeroporto moderno e com boa capacidade de expansão, e o aeroporto internacional de Natal é exatamente isso.

          • jorge moraes

            Agora vc viajou mesmo. Todo hub mundo afora tem enorme demanda. Natal é um aeroporto fantasma e nada mais.

        • Qual a data de publicação desses vídeos?
          Acho que deve esta nem desatualizado.

          • jorge moraes

            “HD ABORDO – TAM A321 Guarulhos – Natal.” Data é março de 2015. Veja este vídeo no youtube. O aeroporto de Natal aparece de cabo a rabo com todas as pontes de embarque às moscas e nenhuma avião em solo. E no final aparece um misero ATR 72-600 da Azul.

  • Márcio Sampaio

    Concordo com você. A análise da consultoria deixa claro que o critério principal é a infraestrutura aeroportuária e nesse caso Natal tem a maior possibilidade de expansão. Além disso (e puro “achismo” meu), pelo fato de já ter “nascido” privado, poderia apresentar maior agilidade para as modificações necessárias, já que REC e FOR ainda estão com a Infraero.

    E sobre a questão da localização, o principal aeroporto do país fica em região metropolitana, bem longe do centro da cidade principal e (ok, um absurdo) ainda não atendido pelo metrô.

    • Tarcísio Medeiros

      Não é pelo principal aeroporto ser na região metropolitana e não ser atendido pelo metrô que isso seja bom. Aliás, é horrível. Mas no caso de SP o Aeroporto de Congonhas não tem pra onde se expandir, por isso fizeram o de Guarulhos e ainda há o de Viracopos que também atende para São Paulo. Os aeroportos não são feitos dentro da cidade. o De Recife também foi feito fora da cidade, mas ela se expandiu até lá.

      E volto a repetir, não adianta ter infraestrutura sem demanda, você terá de criar vôos pra levar toda a demanda da outra cidade pra Natal. Se o Aeroporto do Recife tem quase 3x a movimentação de Natal, a TAM teria de criar vôos para levar todas essas pessoas do Recife para Natal, isso é um custo que impacta diretamente a empresa, pois são aeronaves, tripulação, encargos, etc. No caso da infraestrutura dos aeroportos trata-se de um gasto governamental ou de outra empresa, não da TAM.

      E quanto a questão das modificações, não creio ser algo importante a longo prazo, já que todos os aeroportos do Brasil estão sendo privatizados, logo qualquer mudança que seja necessária no aeroporto provavelmente já será feita com a iniciativa privada, e não mais com a Infraero. E lembro que o Aeroporto do Recife foi um dos poucos que praticamente não tiveram reforma alguma pra Copa do Mundo, mostrando que se houver reforma, será para abrigar a nova demanda, e não por ter defeitos.

      • Márcio Sampaio

        Tarcísio, claro que não é bom um aeroporto ser longe e não ter metrô. O que eu quis dizer é que Guarulhos prova que, infelizmente, esses pontos não são considerados fundamentais aqui no Brasil.

        E sobre demanda, a questão não é o mercado da cidade escolhida. Ela será apenas a conexão dos voos, mais ou menos como o Panamá com a Copa, que na prática é destino de poucos viajantes que utilizam o aeroporto. Mais um motivo que acessibilidade ao aeroporto será menos importante do que estrutura aeroportuária – um terminal para conexões, não para atendimento local.

    • Sacal

      Acho que é bem por aí. Penso que o aeroporto de Natal leva vantagem por ser privado, novo e expansível. O principal propósito de um hub é o de distribuir voos, ou seja, o passageiro normalmente fará conexão sem sair do aeroporto. Moro em Brasília e torço para que a TAM inaugure alguns vôos internacionais neste hub, independente da cidade que for escolhida.

  • Oscar Luiz da Silva Neto

    Natal, sem dúvida. Mas se tratando de TAM, será a pior opção possível, como sempre.

  • Bruno Alcantara

    A localização de REC é a melhor somente para vôos domésticos. Como o foco do hub é vôos para Europa, seria necessário que os passageiros do RN ao AC “descessem” até REC para depois “subir” para a Europa. Isso não seria necessário nos casos de FOR e NAT.

    Fortaleza tem um número de embarques pouco menor que Recife e muito maior que Natal. E, muito importante, possui o maior volume de transporte de cargas das três cidades.

    Se o aeroporto de Fortaleza realmente for concedido à iniciativa privada, é a melhor opcão para a Tam.

    • O de Natal já é da Inframerica, e ganhou o Hub dos Correios, ou seja, tem todas as condições de operar mais um centro de distribuição de voos.

      • Caco Nogueira

        sendo o atual ministro do turismo do RN… esqueçam as condições técnicas e blah blah blah… será NAT

  • J.

    Eu voto em Natal. De longe o com melhor capacidade de expansão e logisticamente o melhor para realizar as conexões para outros estados e capitais. Além do mais é o aeroporto com maior capacidade para terminal de cargas e COM CERTEZA a TAM levará isto em consideração.
    Se tratando de um HUB não há qualquer necessidade do aeroporto ser próximo ou não ao centro da cidade, é um aeroporto somente para conexões. Os vôos internacionais em suma chegam e partem a noite e isto também afeta a qualidade de vida da população local e não sendo tão próximo, o aeroporto de Natal também leva vantagem. Outro quesito: já foi privatizado desde sua construção e outro ponto também é que este se encontra mais próximo à Europa do que Recife, gerando economia no combustível das aeronaves. Muitos ainda se esquecem que o estado do Rio Grande do Norte ganha de lavada no quesito imposto, dentre os três estados é o que tem o menor índice de imposto e carga tributária. O que COM CERTEZA a TAM também levará em consideração, pois afetará diretamente sua contas. Enfim, na minha humilde opinião, eu ficaria com o aeroporto de Natal e ficaria feliz em fazer um conexão lá quando eu for viajar à Europa ou outros locais.

  • Daniel Brito

    Fortaleza ou Recife… O aeroporto de Natal é uma piada, 2 horas de distância das praias e pouquíssimos vôos diretos de outras capitais do Nordeste.

    • Antonio Silva

      Piada é o seu comentário. Aposto que você nem sabe o que é um HUB !!!

      • Daniel Brito

        Por favor, menos bairrismo, não é uma competição de qual a melhor cidade mas respeite minha opinião… Nas 4 vezes que embarquei no novo aeroporto de são gonçalo do amarante… Eu e os taxistas tivemos dificuldades pela má sinalizaçao e longa distancia, quase perdi o voo em todas, especialmente saindo de Pipa, olhei que deixei Pipa com 4h de antecedencia.

        • Antonio Silva

          Sou de Salvador, portanto não tenho bairrismo ! O que tem a ver distância de praia e HUB pelo amor de Deus ??? A distância neste caso é para o aeroporto, ele se transformando num HUb ou não !

        • Fernando Albuquerque

          Eu conheço as 3 capitais, e todas são maravilhosas. Os aeroportos de Fortaleza e Recife são ótimos (não conheci ainda o aeroporto de São Gonçalo do Amarante). Mas você tem que entender que a demanda local tem muito pouca importância para um hub, pois ele é equipamento dimensionado especificamente para receber conexões de outras cidades, e subsidiariamente a demanda local.

          Para alguém que venha de Manaus, ou de Belém, ou de Teresina, pouco importa que o aeroporto seja longe da cidade, pois o destino delas é a Europa, e elas já chegam dentro do aeroporto. O importante é que ele seja moderno e com grande capacidade de expansão, e o aeroporto de Natal é assim.

          E tem mais: se Natal for escolhido como hub para a Europa, eu acho perfeitamente razoável que empresas europeias façam o mesmo, aproveitando a malha de voos que a LatAm vai criar para Natal.

      • Daniel Brito

        E tem mais, se acha que nao sei o que é hub, seja educado e explique.

        • Antonio Silva

          OK, vamos lá !!! UM HUB é uma ‘condição’ que algumas companhias aéreas de todo o mundo atribui a um determinado aeroporto de sua livre escolha para facilitar suas operações – principalmente internacionais -, onde a empresa leva para este aeroporto,o seu HUB, passageiros de outras cidades do país para pegar um segundo voo para um destino maior ou internacional, como acontece quase sempre ! Ou seja a empresa reúne no seu HUB, que pode ser entendido com o seu centro de operações, passageiros advindos de várias cidades para formar um número bom de passageiros que vão para um destino em comum fora do país na maioria das vezes, repito. Assim ela não precisa colocar voos internacionais para várias cidades, pois não teria demanda suficiente em cada uma delas, por isso a reunião desses passageiros num só aeroporto (HUB) torna-se importante, entendeu ?

      • jorge moraes

        Falou o sr. sabe tudo.

    • jorge moraes

      Concordo com você. O aeroporto de Natal não dá pra ser Hub nem em cidade do Playmobil.rs.

      • Antonio Silva

        Tá recebendo quanto pra falar mal de Natal ???

        • jorge moraes

          Estou criticando o novo aeroporto de Natal e não a cidade de Natal. Conheço Natal e gostei muito de lá. Na época desembarquei no Augusto Severo. O novo aeroporto deixa muito a desejar e não dá pra ser Hub de nada.

  • Exatamente Mateus, eu não entendo pq as pessoas ficam botando como ponto positivo o fato dos aeroportos de Recife e Fortaleza estarem mais próximos dos centros urbanos e terem melhor acesso de transporte público, como se a Latam estivesse preocupada com o meio de transporte que as pessoas vão usar pra chegar e sair do aeroporto.

    • Igor

      Na fala da presidente da Tam ela fala muito de “experiência do cliente” e o meio que as pessoas vão usar pra chegar e sair do aeroporto afeta e muito essa experiência

      • Desculpe Igor, mas só sendo muito ruim de interpretação de texto pra entender que “experiência do cliente” na fala de um presidente de cia aérea esta se referindo a algo diferente da área de atuação dele.
        Imagina só a seguinte situação:
        Estou indo do Hotel pro aeroporto, o táxi demora, pego um engarramento enorme, o pneu fura, pego um ônibus que estava passando na hora rumo ao aeroporto, chego correndo mas a tempo de embarcar pq fiz o check in pelo celular e o raio x do aeroporto era ágil, e tenho um voo excelente, pontual e tranquilo.
        Ai numa pesquisa de satisfação da TAM, eu vou responder que minha experiência em voar com a cia foi ruim por causa de fatores externos?

        • Igor

          Como a questão aqui é escolha de uma cidade para ser um hub, sim, isso afeta diretamente a experiência do cliente mesmo que não seja de responsabilidade direta da companhia.

  • Felipe Cavalcanti

    Faço vários voos por mês, uso os três aeroportos e não sou de nenhuma das cidades que estão disputando, mas faço a seguinte avaliação que acho ser a mais sensata, por não haver defesa por qualquer cidade…

    RECIFE:
    Melhor localização de todos os que disputam, quando foi construído o novo terminal, ele passou a ser um dos mais importantes aeroportos do país, sua operação é muito boa, leva grande vantagem por ter a melhor distribuição em voos regionais e nacionais, que facilitam e muito as conexões com outros destinos.
    Pesa ao seu favor, a curta distância que liga às outras capitais como João Pessoa e Maceió e até mesmo Natal.
    O fato de ser encravada na área mais visitada da cidade, possibilita ao passageiro, sair do aeroporto, conhecer a cidade e depois voltar para a sua conexão, mas o aeroporto poderá ficar inviável com o crescimento da demanda, por não ter área de grande expansão.
    Porém, para ser um HUB importante, vejo a possibilidade de estrangulamento do aeroporto em caso de forte demanda e até mesmo se outra companhia aérea optar pelo mesmo caminho. Hoje o estacionamento do aeroporto já está saturado.
    A infraero também precisa melhorar muito a qualidade do local da imigração de chegada, mas principalmente o da saída, que sempre congestiona e frequentemente as pessoas sentam no chão por falta de espaço, no embarque de apenas um voo (TAP) já acontece isso.

    FORTALEZA:
    Aeroporto estrategicamente bem localizado para servir usuários de outra parte do Nordeste, assim como Recife possui boa malha aérea para redistribuição de voos para outros destinos do país.
    Porém, vejo o aeroporto necessitando de uma grande reforma para poder abrigar com qualidade os usuários atuais do aeroporto, pois até mesmo as posições de check-in são limitadas, fazendo com que companhias aéreas nacionais revezem posição por conta da indisponibilidade de local.
    Para Fortaleza, existe um grande apelo pelo HUB, por ser o destino mais escolhido por turistas estrangeiros, principalmente Europeus.

    NATAL:
    O aeroporto é o mais novo de todos, com grande capacidade de expansão, quer seja de pista, de estacionamentos ou mesmo do terminal que já nasceu relativamente grande, mas PECA ENORMEMENTE pelo péssimo acesso, com uma estrada de acesso digna de um vilarejo, com buracos, sem área de acostamento e obrigatoriamente o passageiro passa por dentro de uma pequena cidade, fazendo da ida ao aeroporto uma aventura muito perigosa quando se viaja à noite ou de madrugada.

    Conclusão:
    Nenhuma das três cidades podem oferecer em plenitude o que se faz necessários para ser um HUB, como cidades que já visitei e que são importantes HUBs (guardando as devidas proporções de investimentos, fluxo de passageiros, PIB…), como, Cidade do Panamá, Munique, Frankfurt ou Dubai.

    Pensando no médio e longo prazo, aeroporto de Natal é o melhor dos três, mas para ser o escolhido, o governo do Estado, precisará urgentemente criar um acesso digno para os usuários, caso contrário, não há vantagem alguma para quem o utiliza, é uma penúria acessá-lo.

  • Adriano

    Com Certeza Fortaleza,pois tem infraestrutura e com a Ampliação,Modernização e Desestatização do Aeroporto Internacional Pinto Martins e ainda te uma pista em frente à principal que atualmente é administrada pela Base Aérea,que está atualmente sem uso,pois os treinamentos dos pilotos novatos passou para outras bases.

  • Cassiano

    Lendo os comentários percebe-se que muita gente não entende o que é um HUB.

    HUB é um centro de conexões, onde voos de diversos lugares chegam e conectam passageiros para outros voos, não necessariamente para a cidade que o HUB se encontra. Ou seja, como dito no post, a infraestrutura é o que manda e nenhum dos 3 atendem (ainda). Imaginem um incidente que bloqueia a pista principal! Precisa de uma pista auxiliar, para não dizer uma paralela (como é Brasília, ou outros HUBs mundiais como Atlanta, Madri…).

    Natal é o que tem mais possibilidade de expansão e nasceu há décadas (demorou para sair do papel) para cumprir esse papel de conectividade. Talvez a Inframerica não esteja com caixa pra implementar tais adequações a curto prazo, mas é o projeto mais fácil de expandir dos 3.

    Duvido alguém locar uma pista secundaria nos outros dois competidores sem um enorme impacto econômico e social (com remoções de famílias).

    Por posição geográfica Fortaleza de fato leva vantagem, mas tem outros gargalos supracitados que podem comprometer a viabilidade do negócio.

    • Caio

      Exato Cassiano!
      Vamos citar Brasília, como exemplo: já fiz conexão várias vezes em BSB, porém não conheço Brasília (assim como muitos amigos meus)!
      NAT já sai na frente pelo tamanho do sítio aeroportuário, por ter um terminal novo, por ser da iniciativa privada e por não ter muito movimento da concorrência por lá. Uma vez implantado o HUB, as adequações e ampliações vem como consequência. Tem a questão de ter uma refinaria de QAV lá perto, barateando o custo do querosene aliado a redução de icms.
      Eu queria muito que fosse em FOR, mas…

      • Cassiano

        Pois é! Ele é um exemplo perfeito de HUB. O de Atlanta, outro ótimo exemplo de HUB, me surpreendeu por ser o maior aeroporto do mundo e ter menos cias aéreas que o galeão, por exemplo. Aposto que a maioria dos passageiros lá tampouco conhecem Atlanta, mas passam várias vezes pelo terminal e seus vários concourses ou suas pistas.

        E pra quem tem curiosidade de entender ele, nemprecisa nem ir até Atlanta, basta ver no Google Maps 🙂

        Saudações meu caro!!

    • Igor

      O de Recife daria sim pra construir uma pista paralela, porém seria infinitamente mais complicado pois seria necessário desapropriar a Base Aérea da FAB que fica do lado contrário ao terminal de passageiros. Em termos de possibilidade de expansão sem dúvidas Natal ganha disparado, mas em quase todos os outros quesitos Recife é superior

      • Cassiano

        Além da base militar, há residências… Pelo plano de expansão que se pretende com o HUB, o de Recife está com seu desenvolvimento preso ao seus limites.

        Pense no desenvolvimento do sítio aeroportuário em décadas, Recife teria que construir outro aeroporto pela demanda (como acontece com congonhas e guarulhos, que estão também “presos” pelo entorno, já Viracopos em Campinas tem disponibilidade e espaço para crescer – já viu seu plano diretor? Recomendo altamente!!).

        Enfim, vê-se muita paixão e pouco embasamento técnico e econômico nas análises. Também recomendo uma leitura nas normas construtivas de aeródromos, distâncias e afastamentos mínimos requeridos para pistas, portes de aeronaves, etc. Em termos de infraestrutura, poucos aeroportos do país batem o de Natal em potencial de expansão (indo até além da discussão do HUB).

    • Caco Nogueira

      ok… adoro as teclas ctrl c ctrl v!!!

      • Cassiano

        Aonde estas teclas foram usadas?

  • Adriano

    A Tam não pode definir pela escolha este ano,pois depende diretamente da Privatização e Modernização do Aeroporto de Fortaleza,que será só no próximo ano,pois a bendita expansão do aeroporto está parada a anos e era para ter terminado antes da copa.

  • Gildeilton Câmara

    Algumas pessoas estão esquecendo o principal motivo do HUB: ligar a Europa e a África ao Brasil e daqui à América do Sul. De uma forma simples de comparar as cidades, Natal é a quem tem a melhor posição geográfica, o que geraria economia com as operações aeroportuárias. Espero que a cidade seja eleita por motivos técnicos (dos quais não sou entendedor) e que as questões políticas não se sobressaiam em favor de alguma sede. Estou na torcida por Natal como todos os potiguares!

  • Leonardo

    Eu quero é saber o que vai acontecer com os vôos saindo de GRU…sacanagem cancelarem os vôos saindo da capital econômica do Hemisfério Sul para colocarem nos confins do sertão

  • Alexandre Costa

    Natal é a melhor, sem dúvida.

  • Antonio Silva

    Justamente por ser dentro da cidade que REC não é legal .

  • Antonio Silva

    Você é tão burro que não percebeu que as 3 candidatas são do litoral do Nordeste e não do sertão ! E outra, onde você ouviu ou leu que vão cancelar os voos saindo de GRU ??? Está claro que você é do tipo ABSOLUTAMENTE contra qualquer tipo de investimento e desenvolvimento do NE brasileiro por achar a região “inferior” às outras do país, principalmente à “CAPITAL ECONÔMICA DO HEMISFÉRIO SUL” !!!

  • Caco Nogueira

    kkkkkk vc quer botar mais lenha na fogueira menino… vá comprar cogumelos do sol…

  • Caco Nogueira

    Eu voto pelo HUB em Juazeiro do Norte, a terra do padim, JDO!!

  • Carlos Emanuel

    A decisão vai depender do processo eleitoral do ano que vem. Onde o PT estiver precisando mais de votos para seu candidado a prefeito será a cidade escolhida para o HUB da TAM. A canetada será da Dilma e, infraestrutura, comodidade, tudo será indiferente na escolha.

    • Antonio Silva

      O que a TAM tem a ver com o PT ???

  • Dionísio Alencar

    Em Recife não será, isso é fato! Mesmo que a FAB libere o terreno, a Infraero não tem grana para investir num novo terminal.

    Aliás, eu tenho muitas dúvidas se esse hub sairá do papel. A Latam acumulou um baita prejuízo no último trimestre. Coisa de 50 milhões de doletas. Vai apostar num hub regional? Sei não…

    • Fernando Albuquerque

      Quer dizer que você acha que o hub será cancelado por causa de um prejuízo trimestral de 50 milhões de dólares? A TAM vale bilhões de dólares, e a Lan também. Esse investimento é para mais de 30 anos. A LatAm não é uma empresa administrada olhando somente o curto prazo.

  • jorge moraes

    Brasileiros parem de sonhar. O Brasil já tem dois grandes Hubs. GRU pela importância de SP como origem/destino. E BSB pela sua privilegiada posição geográfica. Hub da Tam no NE ou em qualquer outra região do nosso país, é apenas pra Latam ficar na mídia. Esqueçam.

    • Fernando Albuquerque

      Mas a questão é que nem Guarulhos nem Brasília atendem bem a demanda do Norte e do Nordeste para voos para a Europa. O projeto de um hub em uma dessas 3 cidades é bastante lógico e vai sair sim.

  • Erick

    Confins fica muito mais distante de BH! Não sei pq a implicância com NAT