História de Amor em viagem para o Rio de Janeiro

Leonardo Marques 1 · agosto · 2008

Viajante: André Castelo Branco
Local da viagem: Rio de Janeiro – RJ
Data: Junho de 2008
Foi de: TAM

Sempre fui muito aficionado por blogs, fóruns e redes sociais, como o Orkut e uma chamada Last.fm, de música. Tudo começou no início de maio, quando comecei a perceber um nome constante nos últimos visitantes do orkut. Até deixei um recado, mas não tinha recebido resposta. Uns dias depois, recebo um email, do Last.fm, dizendo que alguém tinha deixado um recado no meu perfil. Era Natália, a mesma visitante do orkut. Aí que eu percebi que meu perfil lá na rede do google estava completamente travado – ninguém que eu não conhecesse podia me deixar um recado.

A conversa com ela fluiu muito bem, mas muito bem mesmo. Tão bem que varamos a noite conversando nesse dia. E não só nesse. A semana inteira começávamos a conversar cedo da noite e terminávamos com o dia clareando. Eu nunca tinha encontrado ninguém  parecida com ela, podíamos conversar sobre absolutamente tudo – desde escovas de dentes à Revolução Russa, tudo isso em poucas linhas de conversa (ou minutos, quando nós decidimos passar pro microfone).

Eu já estava maravilhado com essa garota, tinha um sorriso lindo (obrigado, orkut) e olhos que pareciam duas esmeraldas e o mais importante, eu me sentia muito bem com ela. Na semana seguinte, aproveitei uma promoção e comprei a passagem. Ela mora em uma cidade perto de Niterói, no Rio de Janeiro, e eu, em João Pessoa, Paraíba, exatamente 2.402km de distância.

Entre o dia em que conversamos pela primeira vez, 4 de maio, e o dia em que eu cheguei no Rio aconteceram diversos problemas. Implicância da família foi o principal problema – como pode alguém se apaixonar tão rápido e tanto? A viagem foi marcada e, dois dias depois, tivemos que remarcar, pra o dia 20 de junho.

Passávamos o tempo assistindo filmes, juntos. Como? Usávamos um programa de voz pela internet e sincronizávamos o começo do filme, assim podíamos discutir e adivinhar o filme à vontade, como se estivéssemos quase um do lado do outro. As semanas foram passando e finalmente dia 20 chegou.

A viagem foi muito boa, vim pela Tam, num vôo às 2:55 da madrugada, sem escalas. Dormi muito bem e tanto que até perdi o lanche do meio do vôo. Mas foi bom, pareceu que não durou nem 5 minutos. A cidade tava ótima, fazia um tempo que eu não a visitava. Sou do Rio e me mudei pro nordesde criança e desde então, sempre que chego no Rio sinto a mesma sensação de conforto e aconchego. Mesmo com as notícias do horário nobre, não perco nem um pouco da minha tranquilidade.

Fiquei na casa de uma vó e esperei pra encontrar com Natália, no lugar que combinamos. Não poderia ter sido melhor – acho que o conforto e a intimidade que construímos conversando à distância, sem joguinhos nem máscaras, foi uma das melhores coisas que aconteceram com a gente.

Fiquei uma semana no Rio e aproveitamos para visitar vários lugares. Fomos ao Jardim Botânico, ao Bondinho, à Lapa e até em Búzios nós fomos. Foi simplesmente uma viagem inesquecível e eu recomendo, a todos que estão com pé atrás, que pensam demais, à se arriscarem mais. Com os preços das passagens diminuindo cada vez mais, tá muito fácil de simplesmente tirar férias do mundo e ir conhecer outro.

Autor

Leonardo Marques - Diretor do Melhores Destinos
  • Katia

    Só posso dizer que foi aqui que tive a oportunidade de descobrir , que podemos fazer de um sonho uma realidade.
    Aproveitei as promoções dos ite e fui com a cara e a coragem ao encontro de um sonho que marcou profundamente a minha vida.

  • Neil Carvalho

    Hoje moro no Rio, mas sou de Maceió e meu casamento começou assim. Namoramos a distância por um tempo e foi graças às promoções de passagens aéreas e à tecnologia que conseguimos nos manter próximos enquanto estávamos distantes.

    • Jessica Gomes

      Ola. Poderia me enviar seu facebook? tenho interesse em contar sua historia no meu log. abraços