GOL vai cortar mais 200 voos no Brasil e abrir duas rotas internacionais

Denis Carvalho 25 · junho · 2013

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Más notícias do lado da GOL Linhas Aéreas. Para compensar o prejuízo com alta do dólar a companhia anunciou que vai cortar mais 200 voos semanais de sua malha doméstica. A empresa há meses tem cortado e reestruturado seus voos, deixando de operar várias rotas, a fim de aumentar o lucro com cada decolagem e reduzir seu prejuízo operacional. Ainda com o objetivo de levar suas finanças para o azul, a GOL deve lançar mais duas rotas internacionais ainda este ano.

De acordo com o presidente Paulo Sérgio Kakinoff, só a alta do dólar vai custar R$ 900 milhões às empresas aéreas brasileiras este ano, se a moeda norte-americana ficar na casa dos R$ 2,25. Para minimizar o prejuízo sem comprometer rotas importantes, os cortes nos voos não serão lineares, ou seja, haverá dias da semana que serão menos afetados que outros.  A GOL tem 950 voos diários, incluindo rotas nacionais e internacionais, e um total de 6.650 mil voos por semana.

Kakinoff revelou que a GOL tem cerca de 55% de seus custos operacionais atrelados ao dólar, principalmente combustíveis (43%), que são precificados na moeda norte-americana, além das despesas com o leasing de aviões. Apesar das reduções, ele descartou novas demissões na empresa.

Ontem, a GOL soltou um comunicado aos acionistas informando que cortaria 9% de sua oferta doméstica, número pior que o previsto inicialmente. A expectativa anterior da empresa era de que a oferta de voos seria cortada em 7%. Ao mesmo tempo, a Gol reiterou sua meta de margem operacional entre 1% e 3%. “O ambiente externo evoluiu negativamente para a companhia”, disse Kakinoff. Após estes ajustes, o presidente da empresa disse que não estão previstos novos cortes na oferta de pessoas. Questionado se a empresa estuda emitir dívida para captar recursos, Kakinoff afirmou que a companhia tem 3 bilhões de reais em caixa e não estuda captar no exterior ou no Brasil neste momento.

Voos internacionais

O presidente da GOL revelou também que no segundo semestre a empresa deve anunciar “um ou dois” voos para algum destino nas Américas, com escala na República Dominicana. Segundo Kakinoff, a expansão das rotas externas é uma das formas de aumentar as receitas em dólar, hoje em apenas 8%. A meta da companhia é os voos internacionais cheguem a representar de 16% a 17% do faturamento da empresa.

O presidente destacou que os novos voos ainda não serão operados pela GOL Dominicana, subsidiária que a companhia brasileira planeja lançar no país caribenho, mas preferiu não adiantar os destinos das rotas, apenas mencionando que devem ser Estados Unidos ou América Central. A Gol possui dois voos próprios para os Estados Unidos, para as cidades de Miami e Orlando. O voo ligando São Paulo a Miami está operando com 100% de ocupação. Kakinoff informou ainda que o novo voo ligando o Brasil a Nigéria ainda está em estudos e que a GOL negocia acordos de condeshare com três companhias aéreas da Europa.

Com informações da GOL, O Estado de S. PauloVeja

Dica do leitor José Augusto

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe