Conheça a história do gaúcho que já visitou 154 países unindo aventura e turismo!

Thayana Alvarenga 10 · outubro · 2017

Que viajar é uma paixão mundial todos já sabemos. Conhecer novos destinos, culturas e idiomas é sempre algo gratificante, principalmente porque traz experiências inéditas para a vida. Mas imagine só você largar seu trabalho com o objetivo de rodar o mundo. Sim, simplesmente viajar. Visitar países que algumas pessoas talvez nem cogitariam conhecer, como a Micronésia, por exemplo, que fica na Oceania. Para o Rodrigo Militão, nosso leitor do Rio Grande do Sul, outros países não tão populares já são bem familiares. Ele já esteve em 154 países, porém este número vai aumentar no final deste mês de outubro, quando ele continua a sua saga pelo mundo afora.

Rodrigo está planejando conhecer a cultura de mais países, porém alguns pouco visitados por turistas brasileiros, como Nauru, Palau, Kiribati, Ilhas Marshall, Samoa, Toga, Vanuatu, Tuvalu, Micronésia, além de outros mais famosos como Catar, Japão, China, Mongólia, Índia, Laos, Nova Guiné, Timor-Leste, Fiji, Tailândia, Nepal, Butão, Bangladesh, Myanmar, Egito e Coreia do Norte. A ideia do viajante é ficar cerca de um ano e meio fora do Brasil, para ter tempo de se aventurar por todos os países possíveis. E o que é melhor: ele vai compartilhar parte dessas andanças com os leitores do Melhores Destinos, com relatos e fotos desses lugares!

Quando tudo começou…

A primeira viagem internacional de Rodrigo foi em 2005, quando ainda era estudante de Comércio Exterior. Ele começou aqui nas redondezas da América do Sul, visitando a belíssima Montevidéu, capital do Uruguai. Até então, ele ainda nem imaginava o que a vida reservava e que ele visitaria muitos outros lugares. Atualmente, Rodrigo coleciona vários carimbos em seu passaporte: ao todo, são 154 países visitados, sendo que são 135 países membros da ONU. Sua meta é conhecer todos os 193 países que fazem parte das Nações Unidas.

Com o passar do tempo, ele começou a trabalhar em uma empresa multinacional de Panambi-RS, sua cidade natal. Como atuava no setor de importação e exportação, as viagens eram necessárias e assim ele conheceu a China e algumas das lindas praias do Caribe. Com menos de 30 anos, ele já havia visitado cerca de 90 países.

O ano de 2015 foi marcante em sua vida, principalmente porque ele rodou mais de 80 mil quilômetros sem avião, apenas por terra e mar. Sua aventura lhe proporcionou a experiência de conhecer 286 cidades diferentes, além de todos os países do continente europeu e Síria, Irã e Cabo Verde. Foram quase oito meses viajando. No período, ele ficou hospedado em albergues, casas de família e até mesmo hotéis. O plano era economizar para diminuir os custos da viagem e poder conhecer mais lugares.

No ano passado, em agosto, Rodrigo Militão iniciou um novo desafio: saiu de Araranguá-SC com destino ao Alasca. O mais interessante é que seu trajeto também foi realizado apenas por terra e mar, sem uso de aviões em momento algum. A estimativa é de que ele tenha percorrido 35 mil quilômetros, passando por todos os países do continente americano em sete meses.

Dia 24 de outubro Rodrigo viaja novamente. Ele sai do Brasil com destino a todos aqueles países que mencionamos anteriormente. E a lista pode aumentar conforme o percurso. Seu objetivo é inspirar pessoas pelo mundo a viajar.

Como dissemos, o viajante vai compartilhar alguns relatos dessa nova jornada com os leitores do Melhores Destinos, então em breve teremos mais novidades e fotos da viagem.

Quem quiser acompanhar mais de perto as experiências, basta procurá-lo em seu perfil pessoal do Facebook ou curtir a página “Gaúcho Pelo Mundo“, que foi criada unicamente para registrar os acontecimentos. Rodrigo também tem um blog pessoal em que ele fala sobre os lugares que conheceu.

 

Autor

Thayana Alvarenga - Repórter
  • Ernesto Lippmann

    Vamos aguardar deve ser interessante.

  • Ronaldinho Gaúcho

    Minha única dúvida que 99% destes viajantes nunca comentam é… COMO VIVEM… DINHEIRO… TRABALHO e etc… Esse papo de que com força de vontade e economizando você consegue pra mim é balela… Viajo até que bastante para minha condição financeira, mas nunca ví viagem se concretizar só com vontade, sonho, determinação e qualquer outro papo furado… Ela sempre se concretiza com DINHEIRO. Mesmo assim bem legal a história dele!

  • Guilhe

    Muito legal, eu estou na minha humilde meta de conhecer 30 países até os 30 anos, haha.

    • Anderson Dias de Oliveira

      Cara, eu tbm.. to com 26, e semana que vem completo 5 países… Argentina e Uruguai… Comecei ano passado e vc?

      • Guilhe

        Hoje tenho 27 anos e 23 países, falta pouco hahaha

  • Italo Silveira

    A se eu pudesse e meu dinheiro desse. Claro que tem alguns países que só servem pra constar na lista, mas deve ser muito massa essa jornada.

  • Rodrigo Militão

    Obrigado a todos que leram o artigo e vão acompanhar minha viagem abraço

    • silvio alpendre

      Rodrigo, sucesso na continuação da sua empreitada. Mas gostaria de saber se o que será postado no MD terá a mesma linha editorial do seu blog? Explico. Lá, li Cuba e Venezuela. O que não que vi e gostaria de ver? Sua trajetória, suas dicas, seus perrengues. O que vi? somente recortes de matérias encontradas na internet.
      É isso. Mais uma vez, sucesso.

    • Rafael Ferreira

      Rodrigo, qual o plano para ir a Arabia Saudita?

  • silvio alpendre

    Silvio Alpendre. Sugiro que toda a resposta seja colocada aqui mesmo. Abraços.

    • Rodrigo Militão

      Eu perguntei para saber com quem estava falando
      1- Não são recortes
      2-Fotos minhas e das viagens estão no meu perfil pessoal separadas por país, basta olhar e conferir, e nem todos países estão atualizados no blog, não consegui atualizar todos no blog
      3- Este projeto é novo de compartilhar no MD, a ideia é compartilhar fotos e algumas informações!

  • Baidu

    Viajar realmente é legal, mas falar que viajar é cultura não passa de alienação para manter o vassalo da classe média falida que vive de aparências preso no sistema moderno de escravidão.