Volta ao mundo: dicas sobre o Japão, pelo leitor Rodrigo Militão

Redação 7 · dezembro · 2017

Em outubro deste ano, o leitor Rodrigo Militão iniciou mais uma longa viagem para concluir um grande objetivo: conhecer os 193 países membros da ONU, dos quais já visitou mais de 150. Falta (relativamente) pouco!

Há algumas semanas, publicamos como foi a passagem e também dicas de Rodrigo por Doha, no QatarE, agora, o destino tema da vez é o Japão! Confira o relato do Rodrigo e deixe os seus comentários!

 

Por Rodrigo Militão

Me chamo Rodrigo Militão e assim como vocês, sou apaixonado por viagens – facilitadas por sites como o Melhores Destinos. Desde 2005 viajo pelo mundo todo e meu objetivo é conhecer os 193 países membros da ONU. Viajo em tempo integral, mantenho o blog Gaúcho Pelo Mundo, além do meu perfil pessoal no Facebook.

A partida

Uma mistura de alegria e melancolia tomava conta de mim. Era aproximadamente 4h de dia 28 de outubro de 2017 em Doha, hora de eu sair do hotel rumo ao aeroporto Internacional Hamad. Estava feliz por ter conhecido e vivido momentos tão intensos neste país lindo e evoluído, mas também um pouco melancólico, pois era hora de partir rumo ao Japão (outro grande destino).

O avião decolou de Doha às 6h41, chegando em Tokyo, no Aeroporto Internacional Haneda, às 22h13 de 29 de outubro – um voo de aproximadamente 9 horas de duração. Após passar pelo processo de controle e toda burocracia que envolve a saída de um país, o qual foi relativamente simples, minha surpresa foi o avião que faria este trajeto: literalmente um gigante dos ares, um Airbus A350-900. Além de ser um avião extremamente moderno, ele conta com wi-fi a bordo – os primeiros 15 minutos são grátis, os demais, pagos.

Tokyo

Infelizmente a chegada em Tokyo foi no meio da passagem do typhoon Lan, o tufão que provocou inundações em algumas áreas de Tokyo. Ainda bem que ele foi embora. Afinal, “turistar” em meio a um ciclone… ninguém merece né?

Que o povo japonês é um povo totalmente civilizado e educado creio seja algo desnecessário de comentar, mas quando você está aqui na terra deles, você percebe que de fato tudo isso vai muito além: eles são gentis, receptivos, sempre dispostos a ajudar quem precisa e se desculpam de tudo e qualquer coisa que possam ter feito contra você por algum descuido.

Tokyo é a maior região metropolitana do mundo: cerca de 37 milhões de pessoas vivem por aqui. Certo é que, com toda esta organização, a vida deles e dos turistas fica muito mais fácil. Para corroborar com minha afirmação sobre a cordialidade do japonês passo a relatar um caso que aconteceu comigo logo na chegada em Tokyo, na região de Ryogoku.

Eu estava com algumas bagagens e todo molhado em função da chuva forte. No Japão nem todo mundo fala inglês, então fui pedir informação em um determinado local e fui bem atendido, recebi a informação que eu precisava e saí. Quando eu já tinha saído do local, veio um japonês que eu nem conhecia gritando, com um guarda-chuva em mãos. No primeiro momento pensei que ele achava que o guarda-chuva era meu e veio me alcançar, mas na verdade o guarda-chuva não era meu. Expliquei a ele que não era meu, que eu não tinha entrado com guarda-chuva… foi aí que eu percebi que estava no Japão. Na verdade ele saiu na chuva para me dar um guarda-chuva para que eu não me molhasse. Isto não foi um fato isolado eu ficaria aqui horas relatando coisas lindas assim deste povo maravilhoso! Isto é o Japão!

Atrações em Tokyo

Tokyo National Museum
Gostei deste lugar porque trata de toda a história do Japão e sua cultura. É possível ver muitos objetos antigos e de valor inestimável para história, além de muitas obras modernas. Para quem ama história e cultura, como eu, não pode deixar de ver. Preço aproximado: 620 Yen.

Tokyo Tower
Uma das principais atrações de Tokyo é a Tokyo Tower, uma torre muito
parecida com a Torre Eiffel, em Paris. Eu até acredito que isso aguça a
curiosidade de muitos turistas. Descobri que é bem fácil subir nela e que
não há filas, nem a necessidade de agendar previamente. A vista da cidade
é incrível lá de cima.

O ponto negativo fica em função do preço, que eu acredito que poderia ser um pouco mais barato, já que Tokyo tem a Skytree também e, em dia chuvoso, obviamente não se vê quase nada. Seguem os preços:

– plataforma de 150 metros: adultos ¥820; crianças ¥460;
– plataforma de 250 metros: adultos ¥600; crianças ¥400.

Além das plataformas de observação (uma a 150 metros de altura e outra, com ingressos mais caros, a 250 metros), a torre ainda possui pequenas atrações como museus de cera, holografia e do Guinness World Records. A Tokyo Tower é na verdade uma torre de transmissão e funciona ainda com essa finalidade, apesar de ter sido em partes substituída pela Tokyo Skytree, que é mais alta e onde também acontece a festa de Reveillon de Tokyo, que vemos na televisão.

Tokyo Skytree
Muito mais alta e com muito mais atrações que a Tokyo Tower, vale muito a visitar a Tokyo Skytree, localizada na localidade de “Sumida” que foi onde eu fiquei em Tokyo. Da Janela do meu quarto eu podia ver ela todo dia, mas no primeiro dia em função do temporal, ela estava escondida. Se tiver que optar entre as duas torres, minha dica é ficar com a Tokyo Skytree, embora a história da Tokyo Tower seja mais rica! Preços: Adultos: ¥2,500 (plataforma de 350 metros); ¥1,000 (plataforma de 450 metros, valor extra, pago na hora).

Shibuya
Você não pode ir a Tokyo e não conhecer Shibuya, para mim um dos locais
mais incríveis da cidade. E não somente pela intensa vida noturna, bares e casas noturnas, mas sim porque este local tem vida: são milhares e milhares pessoas cruzando de um lado para o outro e, o mais incrível, com muita organização. Prepare-se para caminhar muito e ver coisas bem diferentes e exóticas. Fiz muitas amizades e me diverti muito. Se estiver em dúvida onde badalar na noite de Tokyo, este sem dúvida é o local!

Templo Ensōji ou templo Asakusa

Ensōji, também conhecido como templo Asakusa, é um desses cantinhos
especiais que te fazem esquecer o caos e agito de Tokyo e experimentar
uma cidade quase mística. Imponente e sagrado, o Asakusa é um passeio
para quem quer ver de perto o Budismo Japonês em um dos templos mais
interessantes do Japão. No dia que eu visitei chovia muito e mesmo assim
valeu muito apena.

Porque visitar o Asakusa? Asakusa é o templo budista mais antigo de Tokyo, e apesar de ter sofrido com os bombardeios da segunda guerra mundial e ter sido parcialmente destruído, ele ainda conserva muito de sua beleza e estrutura original, com algumas restaurações que se fizeram necessárias com o passar dos anos.

Além do título de mais antigo, o Asakusa é também o templo mais lindo da cidade. Um templo vermelho e branco, com as maiores lanternas japonesas que já vi, e detalhes arquitetônicos especiais de tirarem o fôlego de qualquer turista. Preste atenção nos detalhes, eles vão te surpreender e prender a sua atenção. Se você tiver uma boa câmera para fotografar próximo, aqui você terá muito trabalho e diversão garantida. E ainda há muitas lojas e um comércio pulsante em torno do templo. A entrada é gratuita.

Algumas pessoas se referem a este local também por Kaminarimon, pelo fato de que a porta de entrada do templo se chama assim e tem uma das maiores e mais bonitas lanternas do Japão. A porta é guardada por duas estátuas de madeira, uma de cada lado. Ao passar por debaixo da grande lanterna vermelha, repare na figura de dragão é linda e rica em detalhes.

Outras dicas

Lembrando também que eu fiquei 3 dias em Tokyo e foi tempo o suficiente para ver todas estas atrações sem pressa e ainda conhecer outros locais – aqui, relatei os que mais julguei interessantes. Mas ainda conheci a bela cidade de Kyoto e fiquei apaixonado com o ambiente e a arquitetura. Também estive em Hiroshima, Nagasaki e Fukuoka.

Fiquei muito surpreso com o trem bala do Japão, chamado Shinkansen. E falando em transporte, uma dica valiosa para você que pretende circular por muitas cidades e principalmente retornar a Tokyo depois disso: compre o Japan Rail Pass. Vale muito a pena. No meu caso, não comprei porque eu não retornaria a Tokyo – caso contrário compensaria e muito. Então, preste muita atenção!

Alimentação

Para mim, o bairro mais incrível de Tokyo foi o Sumida, que tem bons restaurantes com comida japonesa da melhor qualidade. Os restaurantes aqui tendem ser bem menores que no Brasil e a limpeza é impecável. Gastei em média 15 dólares americanos por refeição em bons restaurantes desta localidade. Então, se precisar de sugestão de onde ficar em Tokyo, esta é minha sugestão: Sumida.

Eu fico por aqui e nosso próximo destino será a Coreia do Sul, mais
precisamente a capital Seul. Até a próxima!

__________________________

Agradecemos ao leitor Rodrigo Militão por compartilhar com a gente a sua saga mundo afora! A meta do “viajante em tempo integral”, como ele mesmo se define, é conhecer os 193 países que fazem parte das Nações Unidas! Os relatos desta longa viagem serão publicados aqui no Melhores Destinos. A próxima parada é Seul, na Coreia do Sul. Fique ligado!

Autor

Redação - redacao
  • Yasmin Carvalho

    Amei o post! Se deus quiser, pretendo ir ao Japão ano que vem…

  • Yasmin Carvalho

    Amei o post! Se deus quiser, pretendo ir ao Japão ano que vem…

  • Guilherme

    Legal, mas queria saber dos parques Diney e Universal além da cidade de Sapporo. Ano que vem tb vou ao Japão.

    • Deyvisson F. R. Almeida

      Melhor ir em orlando.