Compra da Trip pela Azul é aprovada por unanimidade pelo Cade

Denis Carvalho 6 · março · 2013

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou hoje, durante audiência pública realizada em Brasília, a fusão entre a Azul Linhas Aéreas Brasileiras e a Trip Linhas Aéreas. Com a decisão favorável à união das duas aéreas, a Trip deixa de existir, sendo completamente absorvida pela Azul.

Ao aprovar a fusão, o Cade estabeleceu duas condições. A primeira é referente ao acordo de code-share (compartilhamento de voos) firmado entre a Trip e a TAM, que deverá ser gradativamente extinto e só poderá continuar em vigor dentro de um prazo máximo de dois anos. A segunda condição é que a companhia mantenha sua meta de eficiência em utilizar mais de 85% de seus slots no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

“Estamos muito felizes com a decisão do Cade. As duas empresas são de grande complementaridade e os ganhos de sinergia trarão muitos benefícios aos nossos Clientes e TRIPulantes (como são chamados os nossos funcionários). O intuito da Azul é servir cada vez mais e melhor”, afirma David Neeleman, fundador e presidente executivo da Azul. “Estamos trabalhando para tornar nossa malha aérea ainda mais robusta e abrangente, incrementando novos voos, rotas e frequências em todas as capitais e regiões do país” conclui Neeleman.

“A Trip e a Azul têm os mesmos ideais e visão de negócios. Juntos, iremos unir o melhor de cada uma e disseminar as melhores práticas entre as empresas, visando ampliar nossa competitividade no mercado e continuar sendo a melhor companhia aérea na opinião de público e crítica”, explica José Mário Caprioli, presidente-executivo da Trip.

As companhias anunciaram a intenção de se associar em 28 de maio de 2012 e, desde então, aguardavam a decisão do Cade para concretizar o negócio, que resultará na terceira maior companhia aérea do país, com a malha mais abrangente do mercado. São 102 destinos atendidos em todo o país, cerca de nove mil funcionários e uma frota de 118 aeronaves. Segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em janeiro, juntas as companhias detém uma fatia de 16,4% do mercado doméstico e são responsáveis por 29,7% de todas as decolagens em território nacional.

O processo de integração entre a Azul e a Trip já teve início no ano passado, quando as empresas unificaram seus sistemas de atendimento e vendas. As companhias anunciaram também uma nova sede que hoje já abriga funcionários de ambas as empresas e está localizada em Barueri, na grande São Paulo. Com a aprovação do Cade, a unificação das áreas técnicas e de operações é o próximo grande passo, o qual passará pelo crivo da Anac, órgão que regula o setor aéreo no Brasil.

 

 

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Clauber Schappo

    Parece que a Azul alterou um pouco o seu programa de fidelidade e criou uma nova categoria. A Tudo Azul Plus.

  • carlos

    Acho que é o contrário que a Trip sim Comprou a Azul e não a Azul comprou a Trip pois quem estava bem no mercado era a Trip e a Azul não sei só permaneceu o nome Azul por questão de Marketing . a maioria dos Slots nos principais aeroportos do Brasil das companhias era da Trip e não da Azul.