Como é voar na Classe Executiva dos novíssimos Boeing 767-300ER da TAM

Denis Carvalho 26 · setembro · 2014

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Continuamos nossa série especial de avaliações de classes executivas com uma representante brasileira: a Business Class da TAM! Mas não qualquer uma: a dos novos Boeing 767. Como vocês sabem, a companhia está eliminando a Primeira Classe e voará apenas com duas opções: Econômica e Executiva, oferecendo mais conforto para os passageiros da business. Os novos 767 são os primeiros jatos nesse novo conceito e quem os apresenta para nós é o Leonardo Cassol, um dos leitores mais participantes aqui do MD, tanto nas avaliações quanto nos ótimos artigos que nos envia. Embarque com ele e aproveite! 

A TAM recebeu nos últimos meses nove novas aeronaves Boeing 767-300ER, que foram encomendadas pela LAN e, por isso, seguem um padrão internacional diferente. Atualmente essas aeronaves fazem as rotas internacionais da TAM do Rio de Janeiro, Manaus, Brasília, Belo Horizonte e Belém para Miami. As aeronaves são equipadas com duas classes (Executiva e Econômica), além dos Assentos Premium da econômica. Total de 221 assentos, sendo 30 na Executiva e 191 na Econômica.

executiva-novo-Boeing-767-TAM

A configuração da Classe Executiva dessa nova aeronave é bastante confortável, padrão 2-2-2 onde todos assentos dão acesso à janela ou ao corredor. Os novos assentos viram cama, reclinando 180 graus, o que faz uma enorme diferença na hora de dormir, evitando que o passageiro escorregue.

Isso porque as demais aeronaves da TAM que fazem rotas de longo curso (A330, A340, B777) infelizmente não possuem assentos full flat na Classe Executiva. Além disso, é um avanço absurdo em relação aos velhos Boeing 767, usados até 2012 pela TAM nesses mesmas rotas. Mas para a sorte dos passageiros as antigas e horrendas aeronaves, adquiridas da Alitalia, foram aposentadas pela companhia. Fiz recentemente o voo Brasília x Miami (JJ 8042) a bordo da Classe Executiva e divido com os leitores do Melhores Destinos e minha experiência.

Boeing-767-TAM
Divulgação TAM

Compra da passagem
A passagem foi comprada pela internet e os assentos reservados sem maiores problemas. As tarifas da TAM na Executiva ainda são melhores que a dos concorrentes, especialmente saindo de Brasília, Belo Horizonte, Belém ou Manaus. Nota 10!

Check-in e pré-embarque
Em Brasília o check-in internacional é feito na mesma área do doméstico, com uma simples sinalização feita por uma placa. Como o aeroporto só tem esse voo internacional da TAM, o processo é meio confuso. Não é possível fazer o check-in muito cedo, pois o mesmo só abre 3h30 antes do voo. Mesmo assim, após aguardar a abertura, fui atendido logo e com eficiência pelas funcionárias da empresa.

Após checar, também não é permitido ir para o embarque. A Inframérica (Administradora do Aeroporto de Brasília) só permite passar pelo raio X e controle de passaportes uma hora antes do embarque. Como o aeroporto estava em obras, parecendo uma praça de guerra, foi muito desconfortável a espera do voo. Difícil achar uma tomada ou lugar para sentar. Pra complicar, a TAM não dispõe de sala VIP no local. Nota 6!

Embarque
Os passageiros da Classe Executiva embarcam após as prioridades por lei (idosos, gestantes, passageiros com crianças de colo e pessoas com dificuldade de locomoção). No meu voo tinham tantas prioridades por lei que quase metade do avião embarcou. Porém, ao entrar na aeronave foi possível relaxar curtindo champanhe e nuts oferecidos pela comissária. Nota 9!

Cabine / interior da aeronave
Os novos Boeing 767-300ER possuem telas grandes no sistema de entretenimento, com tecidos e acabamentos diferentes das demais aeronaves. É mais bonito e confortável. Nota-se uma grande evolução em relação ao modelo anterior, especialmente na poltrona. A configuração da Classe Executiva é 2-2-2, onde todos assentos dão acesso à janela ou ao corredor.

avaliacao-executiva-tam-11

Os novos assentos viram cama, reclinando 180 graus, o que faz uma enorme diferença na hora de dormir, evitando que o passageiro escorregue dada a leve inclinação da poltrona das demais aeronaves da empresa.

avaliacao-executiva-tam-07

O assento é um pouco maior do que os assentos-cama de outras empresas (ex: United ou Delta), confortável e fácil de operar, com uma sensação muito próxima a uma verdadeira cama (pequena claro). Além disso, tomada, USB, porta revistas e bagageiros grandes. Nota 10!

avaliacao-executiva-tam-08

Amenidades e entretenimento
Foram entregues pelos comissários uma nécessaire, mais um fone com anulador de ruídos, mais travesseiro e edredom. Tudo de ótima qualidade e bom gosto. O sistema de entretenimento possui vários filmes e programas de TV. É intuitivo e fácil de manusear. Muitos filmes lançamentos disponíveis, com o diferencial de legendas em português ou dublagem, facilitando a vida de passageiros que não dominam o idioma norte-americano. Nota 9!

avaliacao-executiva-tam-09 avaliacao-executiva-tam-10

Serviço de bordo
O serviço de jantar foi iniciado 15 minutos após a decolagem. Um diferencial positivo considerando que o voo de Brasília para Miami tem aproximadamente 7 horas e 30 minutos de duração. Isso dá mais tempo para os passageiros descansarem. A mesa de refeição é pequena, mas fácil de manusear.

avaliacao-executiva-tam-12

O cardápio oferecia duas opções de entrada, três de pratos principais, além de sopa, e três opções de sobremesa, além de uma boa variedade de bebidas e vinhos. A louça, talheres e copos são personalizados e de boa qualidade. Oferecem toalhas quentes para a limpeza das mãos antes de servir as bebidas. As comissárias anotaram o pedido antes da decolagem e fizeram um bom trabalho durante o voo. As primeiras opções de escolha estavam disponíveis e a comida foi servida toda de uma vez (o que prefiro, por ser mais rápido, dada a duração do voo).

avaliacao-executiva-tam-04
A comida estava gostosa, porém a qualidade foi bem reduzida em relação ao que a TAM oferecia no menu anterior. Na entrada escolhi queijo de cabra com presunto de parma e salada. Como prato principal escolhi frango grelhado com batata rostie e aspargos. Sobremesa pudim de nozes. No café da manhã as opções eram panqueca ou sanduíche, acompanhados de frutas, pães, geleias e bebidas variadas. Acabei não acordando para o café então não tenho fotos para mostrar. Nota 8!

avaliacao-executiva-tam-05

Comissários / equipe de solo da TAM
Os comissários foram gentis e atenciosos. Fizeram um bom trabalho. O comandante falou somente o necessário mas deu as informações relevantes do voo. Nota 9!

Programa de Fidelidade
Os passageiros da Classe Executiva recebem 150% da pontuação normal no TAM Fidelidade, ou seja, 15.000 pontos numa viagem de ida e volta para os EUA (tarifa Classic). Há ainda opção de ganhar mais com tarifas mais caras. Com a bonificação do cartão fidelidade Black ou Vermelho Plus a pontuação pode chega a 30.000 pontos, o que já assegura algumas viagens dentro do Brasil e pontos para upgrade de cartão. Diferencial positivo, considerando que a TAM restringiu muito o acúmulo de pontos em voos domésticos. Agora é possível também acumular e usar pontos em voos das empresas da OneWorld. Nota 10!

Divulgação TAM
Divulgação TAM

Conclusão
Em síntese, um serviço muito bom, dentro dos melhores padrões internacionais. Recomendo aos demais leitores após a minha experiência, especialmente com a oportunidade de upgrade oferecida com a mudança do programa fidelidade da companhia. Mas isso será objeto de um novo Post.

Abraços,
Leonardo Cassol

Agradecemos ao Leonardo por mais essa excelente avaliação, que certamente será muito importante para que os demais leitores conheçam o novo padrão de serviço e conforto da TAM. E você? Já voou em um dos novos 767 da companhia? Conte como foi a experiência nos comentários! Semana que vem continuamos nossa série de classes executivas, mas por enquanto leia todas as avaliações que publicamos na nossa página especial.

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe