Os 10 erros mais comuns em uma viagem à Tailândia – e como evitá-los!

Wendell Oliveira 20 · setembro · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

As promoções de passagens aéreas para a Tailândia nos últimos anos fizeram o país cair no gosto dos viajantes brasileiros. Assim como outros turistas do mundo inteiro, descobrimos um destino paradisíaco, exótico e muito barato — mesmo em tempos de dólar alto. Mas na pressa de garantir as férias tão sonhadas na Tailândia e fazer aquela viagem dos sonhos, alguns detalhes de planejamento podem passar despercebidos e acabar prejudicando sua experiência.

Se depender do MD, isso não vai acontecer com você. Com a nossa experiência na publicação de Guias da Tailândia e com o que eu aprendi morando no país, listamos os 10 erros mais comuns em uma viagem à Tailândia e como evitá-los. Confira e faça uma boa viagem!

Festas e shows pirotécnicos na praia todo dia. O que pode dar errado?

1. Ir com muita bagagem

Viajar leve é uma arte: adequar roupas, acessórios e equipamentos eletrônicos nas políticas de bagagem cada vez mais restritivas das companhias aéreas é um desafio constante. Felizmente a Tailândia é um destino convidativo até na hora de fazer as malas.

O país é conhecido pelos preços baixos, você pode deixar para comprar muitas coisas por lá. Há quem vá com malas e mochilas velhas só para adquirir novas nos shoppings tailandeses. Com poucos volumes, fica mais fácil de se movimentar pelas ilhas e cidades, encarando viagens internas de barco, trem e ônibus. Roupas são bem baratas, lavanderias existem aos montes, então não há porquê levar muita coisa. O clima sempre quente também ajudar a escolher peças leves e que ocupem pouco espaço. O que nos leva ao próximo tópico…

2. Não se preparar para o clima

A Tailândia possui basicamente duas estações: verão sem chuva e verão com chuva. Isto é, faz sempre calor!

Antes de comprar sua passagem, confira a melhor época para visitar a Tailândia. Considerando que você venha durante as épocas mais quentes e secas, sob nenhuma hipótese esqueça de usar protetor solar. Dê preferência a roupas leves. Chapéus e óculos podem virar itens de necessidade básica. Nada de passar sede, beba muito líquido o tempo todo e evite os efeitos desagradáveis da desidratação. Caminhadas ao meio-dia são desaconselhadas e o melhor é deslocar-se de táxi.

Em caso de emergência, entre na loja de conveniência mais próxima. Há várias delas em cada esquina, dotadas com bebidas geladas e ar-condicionado.

3. Comer mal

A culinária tailandesa é sinônimo de comida boa no mundo inteiro. São pratos ricos em temperos, com grande variedade de frutos-do-mar e ingredientes com apelo saudável e natural. No entanto, seja por medo do “diferente” ou falta de hábito, muitos turistas ficam reféns do fast food e restaurantes voltados para estrangeiros. O resultado? Uma viagem incompleta, sem experimentar a autenticidade de uma das melhores gastronomias do mundo.

Não é exatamente comida tailandesa. (Foto: Divulgação/Facebook)

Não seja tímido: solicite o cardápio (geralmente com fotos e nomes em inglês), e se não entender, peça para que expliquem do que consiste o prato. Busque pelos nomes no Google se for preciso. Não tenha medo das barraquinhas de rua, é geralmente nelas onde se encontram o melhor da comida tailandesa. Pode ficar tranquilo: insetos fritos não fazem parte do menu diário, não há nada tão exótico assim que seja impossível de experimentar. O maior risco é gostar.

E principalmente, aprenda as palavrinhas mágicas em tailandês: mai pet. Significa: “sem pimenta” 🙂

4. Exagerar na bebida

A Tailândia é uma festa! Diversão por aqui está presente no estilo de vida: há celebrações nas praias, festivais em várias cidades e sempre uma boa oportunidade para reunir amigos e beber. Só tem um problema: culturalmente, ficar bêbado na Tailândia é um comportamento inaceitável. Tailandeses prezam pelo equilíbrio e não se agradam em estar na presença de gente alterada.

Leo, Chang e Singha são as principais marcas de cerveja tailandesa

Alguns turistas (principalmente jovens americanos e europeus) não acostumados com a disponibilidade de álcool a preços baixos acabam perdendo o controle e dando vexame nas ruas. Não faça como eles. Embora haja uma grande variedade de cervejas, whiskies e drinks com energéticos (eventualmente servidos em baldinhos!), convém beber com moderação. Não perca nenhum dia na Tailândia por culpa da ressaca!

5. Se privar de conforto

A Tailândia é um país barato — muito barato. Atualmente são poucos os lugares no mundo onde o real ainda tem algum poder de compra, e por aqui o equivalente a R$ 10 pode garantir boas refeições, uma corrida de táxi e até uma cama de hostel. No entanto, nem sempre o custo-benefício será dos melhores.

Se sua ideia é gastar pouco, espere por serviços proporcionais: restaurantes simples, taxistas presos no trânsito e quartos sem ar-condicionado. Você está realmente disposto a encarar isso em nome da economia? Nossa dica é: embora as coisas na Tailândia possam custar menos do que você está acostumado a pagar, não abra mão de gastar um pouco mais pelo seu conforto. Acostumar-se a lugares com preços baixos pode distorcer nosso padrão de consumo. Você pode acabar achando algo “caro” quando na verdade trata-se de um produto ou serviço de melhor qualidade.

Arroz frito com ovo custa pouco, mas não vai te sustentar por muito tempo.

Não economize em experiências. Ter algumas notas a mais na carteira ao final da viagem não farão diferença; deixar de fazer uma massagem ou um passeio de barco pelas ilhas, sim!

6. Ficar hospedado longe de tudo

A localização do hotel é o segredo de muitas viagens, e na Tailândia não seria diferente. Isso vale para as grandes cidades e também para as ilhas. Koh Phi Phi, por exemplo, é famosa por ter hotéis no centrinho e também em praias mais afastadas. Ficar próximo ao centro é garantia de muito agito e também de passeios mais em conta. Isolar-se em um resort mais distante pode trazer mais sensação de exclusividade, mas você ficará restrito a atividades bem mais caras. Muitas ilhas possuem hospedagens paradisíacas com vistas estonteantes, mas podem estar localizadas em terreno montanhoso e de difícil acesso. Fique atento ao tempo de deslocamento.

Em Bangkok, uma metrópole seriamente afetada por congestionamentos diários, o ideal é ficar o mais próximo possível das principais atrações ou com fácil acesso ao transporte público. Nem sempre é possível ter as duas opções e você terá de fazer algumas escolhas. Saiba mais lendo nossas dicas de onde se hospedar em Bangkok.

Khao San Road: Uma boa localização em Bangkok, mas longe do transporte público.

7. Colaborar com o turismo predatório

Ser um dos países mais visitados do mundo tem seu preço. Na hora de entreter os milhões de visitantes que chegam anualmente, muitos operadores turísticos oferecem atividades sem nenhum compromisso ambiental e sustentável, frequentemente envolvendo maus-tratos de animais (ex: passeios de elefantes, tigres, macacos, etc). O alerta vale inclusive para lugares que se denominam como “santuários”, mas que na prática usam e abusam do marketing para cobrar mais caro e oferecer o mesmo tipo de serviço. Se você ama os animais e não quer colaborar com esse tipo de atividade, simplesmente não participe delas. Mesmo as que se dizem do bem.

E só mais uma coisa: se exploração animal já é terrível, imagine com seres humanos, não é mesmo? Evite atividades clandestinas que envolvam prostituição (que é ilegal no país), além de atrações infames do tipo “ping pong show“. Você pode ser vítima fácil de golpes e extorsões. Fuja das roubadas!

8. Perder tempo e dinheiro por falta de planejamento

Pouco menor que o estado da Bahia, a Tailândia é um país onde os trajetos internos podem ser feitos em poucas horas de avião ou viagens mais longas em outros meios de transporte. Na hora de planejar o seu itinerário, cheque bem as distâncias no mapa para não perder tempo desnecessariamente. Por exemplo: Já vi casos de pessoas reservando voos entre Krabi e Phuket, com escala em Bangkok. Os dois balneários estão a 150 km de distância um do outro, aproximadamente 2h em uma viagem de barco. Como não há voos diretos, a viagem de avião pode levar um dia inteiro. É mais ou menos como voar de São Paulo para Campinas com escala em Brasília!

Erros assim são bem comuns. Outro exemplo: muita gente paga caro por voos diretos de Bangkok à ilha de Koh Samui, cujo aeroporto é privado e possui passagens com valores bem acima da média. Se pesquisassem, saberiam que há voos mais baratos para a cidade de Surat Thani, de onde é possível pegar um barco para Koh Samui. Companhias como a Nok Air oferecem tickets combinados a uma fração do preço de um voo direto.

Pesquise sempre as distâncias a serem percorridas no seu itinerário. Verifique os meios de transporte disponíveis (trens, barcos, ônibus etc), preços, horários, e acima de tudo: conte com imprevistos. O que nos leva a um outro erro…

9. Visitar muitos destinos de uma vez

“Tenho 7 dias, quero conhecer a Tailândia, o Laos, o Camboja e talvez o Vietnã, é possível?”

Frequentemente recebemos perguntas do tipo e a resposta é: NÃO! Viajar pela Tailândia (e consequentemente o Sudeste Asiático) é bem diferente de fazer uma viagem pela Europa, onde pode-se contar com uma boa infraestrutura de transportes em territórios relativamente pequenos. Na Tailândia, os deslocamentos tendem a ser um pouco mais lentos e passíveis de imprevistos. Além disso, o país é repleto de regiões que valem a visita: o norte montanhoso, a moderna capital e o sul repleto de ilhas e praias. Ficar por pouco tempo nos lugares mal vai te dar a oportunidade de tirar algumas fotos, muito menos aproveitá-los.

Separe um tempo razoável para relaxar e explorar os lugares, um de cada vez. Considere o primeiro dia de sua viagem como “perdido”, já que provavelmente você estará cansado e sofrendo os efeitos do Jet Lag. Permita-se tempo hábil para mudar de planos, sem que isso afete consideravelmente seu itinerário. Como você em breve irá perceber, a Tailândia é um lugar muito conveniente para fazer turismo e os trajetos costumam ser fáceis, desde que feitos sem pressa.

10. Não contratar um seguro viagem

O baixo custo de uma viagem à Tailândia cria um mundo de possibilidades: você terá a oportunidade de alugar motos e jetskis, aprender a mergulhar, surfar e fazer escaladas, além de uma gama de esportes radicas e atividades de aventura. Como tudo na vida, há sempre um risco. Acidentes acontecem — e acredite, uma simples intoxicação alimentar ou um dedo quebrado em um país estrangeiro pode causar transtornos inimagináveis, capazes de arruinar sua viagem se você não estiver protegido. Previna-se contratando um seguro viagem. Isso pode salvar sua vida. Literalmente.


Planejando suas férias? Confira também tudo que você precisa saber antes de viajar para a Tailândia. Veja mais dicas em nosso guias de Bangkok e Koh Phi Phi, e nos posts especiais sobre PhuketChiang Mai. Boa viagem!

Autor

Wendell Oliveira - Editor - Ásia Viajante profissional, está no fuso horário da Tailândia procurando as passagens mais baratas — e vai te acordar de madrugada quando encontrar :)