Tudo o que você sempre quis saber sobre aviação no “voo guiado” da GOL com jornalistas!

Denis Carvalho 6 · novembro · 2013

Faltam poucos minutos para as 7 da manhã e o funcionário da GOL convida para iniciar o embarque os passageiros do voo 1300, com destino ao aeroporto de Confins, em Belo Horizonte. Ao contrário do que ocorre nos demais portões de Congonhas, o clima ali é de tranquilidade: apenas um grupo de 45 jornalistas e alguns diretores da companhia aérea seguem pelo finger até o Boeing 737-800 NG para o início de um “voo guiado”, com o objetivo de tirar as dúvidas dos profissionais de Imprensa e, por extensão, dos passageiros. O Melhores Destinos esteve entre os veículos convidados para o voo e vamos relatar um pouco do que foi a experiência, a fim de esclarecer alguns mitos e curiosidades. Tomem seus assentos, pois vamos decolar!

DSC_0504

Assim que todos embarcam, uma visita ilustre: o presidente da GOL, Paulo Kakinoff, aparece para cumprimentar um a um todos os jornalistas. Em seguida, usando o sistema de som da aeronave, ele dá as boas-vindas e fala da importância da ação, que é parte do Workshop “Bastidores da Aviação”.

DSC_0499
Presidente da GOL dando bom dia aos jornalistas antes de descer do avião

A porta da aeronave é fechada em seguida, assim como  a da cabine. Ao invés dos avisos de praxe, contudo, ouvimos a voz do comandante Marcelo Dutra, diretor de Operações da GOL, que será o guia deste voo especial, explicando passo a passo cada fase do trajeto. Ele não é o comandante do voo, fará o trajeto apenas como nosso cicerone.

DSC_0515

Com a autorização da torre, é iniciado o “pushback”, ou seja, o avião é empurrado pelo trator de reboque para manobra- sim, o avião não tem marcha ré. “O piloto vai ligar o motor direito, em seguida o motor esquerdo e faz uma checagem antes de informar à torre que está tudo bem. Caso haja algum problema, ele retorna ao finger imediatamente”, explica Dutra.

Avião da TAM decolando
Avião da TAM decolando

Não é este o caso e o 737 começa a “taxiar” do terminal à pista de Congonhas, para entrar na fila de aeronaves que aguardam autorização para ganhar os céus rumos aos quatro cantos do País. Nesse percurso, o comandante explica que a torre de comando organiza somente o espaço aéreo do aeroporto. “Assim que o avião decola, passamos a ser orientados pelo centro de controle regional de São Paulo e em seguida pelo Cindacta I, de Brasília”.

Dutra explica que o tráfego aéreo nacional é gerenciado por quatro Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo, os Cindacta. O primeiro , com sede em Brasília, gerencia a maior parte de São Paulo e Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás e Mato Grosso. O Cindacta 2 Curitiba opera a Região Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná), Mato Grosso do Sul e parte sul e oeste de São Paulo. Já o Cindacta 3 tem sede em Recife e gerencia o tráfego aéreo na região Nordeste e área oceânica que separa o Brasil da África e da Europa. Por fim, o Cindacta 4 fica em Manaus e organiza os voos sobre a Região Amazônica.

Airbus da Avianca Brasil decolando
Airbus da Avianca Brasil decolando

Após observar a decolagem de outras aeronaves, finalmente alinhamos na pista e decolamos, a 230 km/h. Um detalhe interessante são os flaps das asas. No momento da decolagem eles são abaixados a 10 graus, para que o avião ganhe altitude com facilidade. No ar, eles são recolhidos e a asa fica lisa, aumentando a velocidade do jato.

Da mesma forma, o trem de pouso é recolhido assim que o avião inicia a subida. “No ar, o ideal é que o avião esteja o mais liso possível, por isso recolhemos os flaps e o trem de pouso, que causa bastante arrasto”. A decolagem é toda feita pelo piloto – não existe um sistema automatizado.

Asa "lisa" com flaps recolhidos sobrevoando as nuvens paulistas
Asa “lisa” com flaps recolhidos sobrevoando as nuvens paulistas

Por determinação da torre, subimos apenas 6 mil pés, já que alguma aeronave está passando sobre a nossa. Pelo sistema de som do 737 podemos ouvir um pouco da comunicação com os controladores de voo e demais aeronaves, em um inglês com tantos jargões que é difícil decifrar alguma coisa.

Mais alguns minutos e chegamos à altura de cruzeiro: 10 mil pés. “Apenas quando atingimos esta altitude é liberado o aviso de desatar os cintos de segurança e o trabalho dos comissários de bordo”, explica Dutra.

DSC_0522

A tripulação do 737-800 é formada pelo comandante, copiloto, a chefe de cabine e três comissários auxiliares. Muitos passageiros não sabem, mas a principal função dos comissários é garantir a segurança do voo. Para isso eles precisam passar por treinamentos periódicos sobre como agir em diversos tipos de emergência em uma simulação de cabine (mock-up).

O mesmo ocorre com os pilotos. Mesmo os mais experientes precisam passar por treinamentos semestrais em simuladores, onde treinam o controle do avião e o pouso em casos de emergência – que graças a Deus! – são muito raros na vida real.

Comandante Dutra exibe os relatórios do voo
Comandante Dutra exibe os relatórios do voo

Já estamos a 37 mil pés e velocidade de cruzeiro de 850 km/hora quando nosso guia deixa a cabine para conversar com os jornalistas e traz consigo algo interessante: os documentos do voo. “Nós temos todos os dados, desde a rota, peso do avião com passageiros e cargas e dados da decolagem à quantidade de combustível, que neste voo é de 7.200 quilos. Assim como na Fórmula 1, ele é medido por peso, pois é o mais importante”. 

Dutra explica que a velocidade exata da decolagem e do voo é calculada de forma automática com base em fatores como peso da aeronave, temperatura, vento e potência dos motores. “Isso tudo fica registrado a cada voo”.

Aproveito para perguntar sobre um dos maiores temores de boa parte dos passageiros: as turbulências. “O avião é projetado para suportar as turbulências e elas não colocam o voo em risco. Além disso, hoje temos radares que nos informam com muita antecedência sobre turbulências mais severas e conseguimos contorná-las, para que os passageiros tenham um voo mais confortável”.

O comandante destaca que a maior parte das turbulências sentidas são as “de dia claro”, causadas pelo vento. “Essas o radar não consegue prever, mas são mais brandas. É como se fossem as marolinhas que balançam o navio no mar”.

Outras curiosidades: a rota do avião é definida pelo leme, que dica na cauda. Nas asas existem dois ailerons que controlam o movimento lateral. Há ainda o winglet – aquela peça bonita na ponta da asa, que serve para melhorar a aerodinâmica, aumentar a velocidade e reduzir consumo.

Asa preparada para a descida
Asa preparada para a descida

Cerca de vinte minutos antes do pouso o processo de descida é iniciado, com a redução de velocidade. Um som de sirene indica que o piloto automático foi desligado e vai começar o pouso. A cinco quilômetros da cabeceira, o trem de pouso é abaixado e o piloto aumenta a angulação dos flaps ao máximo: 40 graus, ajudando o avião a planar.

O avião, enfim, toca o chão em Confins com suavidade, graças ao pouco peso. Na asa, os spoilers (speedbrakes) são abertos ao máximo para reduzir a velocidade. É uma manhã ensolarada em Belo Horizonte e o avião taxia com tranquilidade para o terminal. “Após o pouso é importante que os passageiros permaneçam sentados, pois pode haver algum solavanco e uma queda”.

DSC_0532

Chegando ao terminal, o avião é calçado para não se mover. Assim que o motor é desligado, são iniciados os processos de retirada das bagagens e manutenção para o próximo voo. O piloto aguarda a equipe da Infraero acoplar o finger e só então as portas ficam em “manual”, permitindo sua abertura e desembarque dos passageiros.

O 737-800 PR-GUY novinho
O 737-800 PR-GUY novinho

Nosso voo terminou, mas não a jornada. É hora de conhecer o centro de manutenção da GOL, montado em uma área de 140 mil metros quadrados em Confins. Ali os jornalistas conheceram um pouco do processo de manutenção e pintura das aeronaves, além das oficinas de rodas e freios. Sem dúvida, uma aula para quem é apaixonado por esse fascinante mundo chamado aviação!

Centro de Manutenção da GOL
Centro de Manutenção da GOL

DSC_0546 (3)

Agradecemos a GOL pela iniciativa e ao comandante Marcelo Dutra pelas informações. Mas sabemos que esse post é só uma pincelada básica sobre um assunto tão cheio de detalhes e informações. Conhece mais curiosidades e detalhes interessantes? Conte nos comentários! Se tiver alguma dúvida pode perguntar também, pois temos muitos especialistas na comunidade de leitores que poderão ajudar!

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Thiago Queiroz

    Muito bacana. Obrigado por dividir a experiência conosco.

  • Bela iniciativa da Gol, com certeza isso ajudará o pessoal da imprensa ter uma visão menos dramática/sensacionalista/polêmica de cada turbulência, arremetida ou problema técnico que aconteça em algum aeroporto do mundo.

  • Muito bom o post, apesar de não gostar muito de viajar de aviso, sempre achei máquinas fabulosas!
    Eu viajei recentemente com a Gol, e durante um vôo percebi um passageiro – um pouco revoltado-, falando que os pilotos estão pousando com uma velocidade mais rápida para economizar combustível. Depois que fui observar, realmente parece que eles estão chegando na pista de pouso + rápido. Vocês perceberam isso?
    Alguém que saiba do assunto, isso que o passageiro falou tem lógica?

    • Mari

      Não entendi pq a revolta. Temos 4 cias aéreas nacionais e esse cara foi escolher justamente a que ele tem pé atrás? Adoro essas pessoas "donas da verdade" hahahhahaha

    • Luis

      Não, não tem.

    • marc

      sim. em abril foi divulgada uma medida técnica da gol que visa a economizar combustível : explicando de uma forma bem simples, eles estão descendo de uma vez para fazer o pouso , em vez das descidas "em degrau". esse procedimento, inclusive, tem sido incentivado financeiramente pela gol, que oferece uma espécie de bônus aos pilotos , coletivamente . segundo especialistas, tudo está de acordo com normas internacionais. além dessa descida , em pistas longas os pilotos da gol evitam acionar o reverso da aeronave durante a frenagem, também para economizar combustível.
      eu tenho percebido essa descida rápida em alguns voos. há duas semanas, voltando de curitiba , o avião ,logo ao tocar o solo, freou bruscamente( confesso que foi meio assustador) na pista do galeão , fazendo com que tudo que estava nos bancos fosse jogado para frente. foi um festival de revistas,roupas , celulares e tudo o mais no chão do avião. não acredito que essa freada brusca tenha sido causada por essa nova forma de pouso da gol, pois viajei inúmeras vezes este ano, notando essa descida mais rápida (um de meus voos este ano, aliás,o único, pela tam, a diferença é perfeitamente notável) , porém com pousos normais,aliás, todos foram normais , exceto o último ao qual me referi,no galeão. na ida, pousando em curitiba, o toque foi muito suave,com avião cheio.

    • Igor Barboza

      Amigo, se ele vem mais rápido, logicamente ele consome mais combustível. O que pode ocorrer é que em um vôo ele nao tem trafego no aeroporto de destino, com isso ingressando direto p pouso, já em outros vôo com muito trafego no aeroporto ele precisa ficar em espera (orbitando) para em seguida aproximar p pouso. Espero ter ajudado !!

    • Fred K. Chagas

      Diferente do que o pessoal escreveu, sim, "tiico", tem CERTA razão. Não há um POUSO mais veloz mas sem dúvidas uma DESCIDA mais direta, fato que RECENTEMENTE foi AMPLAMENTE noticiado na imprensa e falamos sobre o tema aqui no MD. E a intenção é, SIM, economia de combustível.

      • Guilherme

        Percebi isso em um voo recente que fiz com a Avianca, de Brasília para Fortaleza…Quando o procedimento de descida foi iniciado, o air bus praticamente despencou lá de cima, e mesmo pouco antes de tocar a pista achei a velocidade bem acima do normal se comparada com os outros pousos que fiz…Sei que TAM e Gol estão com sérios problemas financeiros, mas essa economia de combustível torna a descida bastante desconfortável para o passageiro…

    • Raphael

      Na verdade a Gol, mudou um pouco o processo de pouso deles! Imagina que antes eles faziam a descida em “escadas” diminuindo assim a sensação da descida, agora para economizar combustível eles estão descendo direto, por isso a sensação de maior velocidade! Se nao me engano aqui no MD mesmo saiu uma reportagem falando! Antes que comecem a criticar a Gol, este processo ja é utilizado por varias cias ao redor do mundo,

    • Cezar
    • Vinícius

      Isso não procede caro @tilico1996. Ao menos não da maneira como você acha. A velocidade em pousos e decolagens é uma somatória de diversas variáveis, tais como a altitude do aeródromo, o peso da aeronave, a temperatura, direção do vento, etc. Um pouso mais lento, em um B737-800, por exemplo, numa velocidade de 140 kts (knots, ou nós), permite uma aproximação mais suave e delicada. Mas para que isso aconteça, o peso do avião bem como as variáveis citadas acima devem colaborar. De qualquer forma, a inexperiência do piloto ou até mesmo outros fatores já no momento final da aproximação, podem fazer com que ele ultrapasse o ponto de toque da pista e aplique uma frenagem mais severa, ou até mesmo um choque mais ríspido no contato com a pista. Contudo, o contrário também pode acontecer. Em uma aproximação de 160 kts, um comandante de extrema competência pode arredondar com excelência um aeronave e executar um pouso macio e tranquilo, sem que a velocidade seja um fator perceptível. Vale lembrar que cada aeronave trabalha com margens e essas NUNCA são, ou NUNCA devem ser ultrapassadas pelos operadores. Fique tranquilo que não corre o risco de um piloto executar uma descida desgovernada, entrar na aproximação acima da velocidade permitida e colocar a vida dos passageiros em risco por conta de economia de combustível.

    • Ricardo Patricio

      Na verdade as companhias aéreas fazem a aproximação para o pouso em “escalas”, ou seja, desce um pouco a altitude, estabiliza, desse um pouco a altitude, estabiliza, e fazem isso até chegar ao pouso na pista. Já a Gol está adotando o procedimento de descer até estabilizar com a pista. Isso diminui o consumo de combustível em alguns %, mas na minha opinião, causa um desconforto maior ao passageiro que sofre com dores nos ouvidos, pois a diferença de pressão é muito rápida e brusca.

  • Silvana

    Deviam fazer isso com o embarque/desembarque das malas!!! Toda vez na GOL, eu ou algum integrante da minha familia recebemos mala quebrada! A minha quebrou na minha ultima viagem de junho, junto com 3 malas de integrantes da familia e soh recebi a indenizacao faz 15 dias!! Claro! Por un valor muito menor do que a valor real da mala quebrada!

    • Willyam

      Acho que teu posicionamento é importante, porém acho que não é exclusividade da GOL, tenho um vídeo gravado a duas semanas voltando de CGH para CWB pela TAM, e estavam descarregando uma carga de vinho, fiquei revoltado com a falta de cuidado, as caixas com etiqueta de frágil, mas não existia cuidado algum, após isso começaram carregar as malas, e várias delas caiam da esteira, era jogadas sem cuidado, até que em um momento a pessoa que carregava olhou para o avião e eu e uma pessoa da frente estávamos olhando ai as coisas mudaram, então acho que a solução é simples SUPERVISÃO SÉRIA, e o assunto é bem pertinente.

    • Perfeito!! Bem lembrada a demora da entrega das malas e a destruição que a Gol promove. Agora, segundo o time se solo, a regra é assim: AInda dá pra usar a mala? Problema do passageiro. Achou ruim? Entra na justiça. Destruiu a mala? Toma um voucher de 50,00 reais pra te "compensar" pelo dano…..

      • Felipe

        kkkkkkkkk exatamente isso!!!

  • Mariani

    Como jornalista da CBN, participei deste voo e do workshop. Achei tudo muito interessante. O assunto, sem dúvida, é riquíssimo e encantador.

  • Mari

    Apesar de tanta gente falar mal da GOL, sempre viajei muito bem com eles. Aviões limpos e inteiros, bem melhor que os sucatões da TAM.

    • marc

      concordo. acho que as pessoas são muito injustas com a gol. o pessoal quer voar a R$ 100,00 mas com serviço de primeira classe….eu quero segurança, pontualidade e passagem barata!! este ano, fui 8 vezes à curitiba, e em nenhuma das vezes paguei mais do que R$ 194,00 com taxas (as mais baratas, cheguei a pagar R$161,00!). que venham mais promoções. o lanche a gente leva de casa, sem vergonha alguma. eu já levei até panqueca !

      • Mas não adianta pagar cem na passagem e depois 400 numa mala nova

  • Realmente existe uma nova experiencia em cada voo, e a cada dia me apaixono mais por estas aeronaves.obrigado pela linda reportagem.

  • robson

    O presidente da Gol é o ben stiller? hahahahahaha

    • André

      Sim, e a chefe de cabine é a Drew Barrymore (Duplex)

      • Carlos

        E o comandante o Matthew Broderick

  • Lairton

    Legal. Mostra que a empresa esta engajada com os consumidores, parece que a Gol esta mudando o conceito da relação com os clientes, aeronaves novas chegando. Finalmente!
    A equipe do MD esta de parabéns como um canal de comunicação entre as empresas aéreas e nós.
    Achei estranho uma foto de um avião da Avianca no meio da reportagem da Gol, seria uma gafe?

    • Não, ele estava decolando em Congonhas, fotografei um da TAM também. Mas é até legal para nenhum babaca vir dizer que essa matéria é paga pela GOL e essas besteiras. Sempre aparece um…

      • Lairton

        Ah sim é verdade! Agora é fato a Gol esta deixando a Tam para trás, Viajo toda semana e prefiro os voos da Gol pela Higiene e cordialidade da tripulação.

      • Fred K. Chagas

        tava pensando nisso… 😀 hahaah, mentira, nem tava mesmo. Só pilha Denizão.

        • Pra não dizer que não ganhamos nada, a GOL nos deu um bloquinho de anotações e uma caneta! Ah e não pagamos o lanchinho do voo! kkkk

      • Denis, gosto muito de seu trabalho e do MD, mas, como jornalista, acho que vc não pode se referir ao seu leitor, mesmo que hipotético, como um "babaca". Vc poderia ter reformulado a frase para algo mais bacana, como "Mas é até legal, para que não haja suspeitas que essa matéria é paga pela Gol". Diversidade de opiniões existe e devemos saber lidar de forma tranquila com ela. Ou seja, se alguém levantar suspeitas sobre a idoneidade da matéria, cabe a vc, que representa o MD, explicar da forma mais tranquila.

        • Você tem toda razão, mas tem uns que, sinceramente, poderiam esquecer o endereço do site e não acessar nunca mais! kkk
          Mas não me refiro a leitores normais, não, mas alguns que gostam mesmo de tumultuar de propósito, geralmente com interesses obscuros. Enfim é parte do jogo.

          Um abraço!

          • salvatore

            Eu sei, meu caro, mas realmente recomendo prudência. O MD é referência nacional já e precisa tratar a todos de forma gentil. Faz parte do jogo. EU tb, na redação ou nas ruas, já ouvi poucas e boas de entrevistados/leitores desaforados. Mas sempre rebati com tranquilidade. Senão perdia a razão. Depois, sozinho ou com o pessoal do MD, vc solta os cachorros 🙂

  • Muito bom…
    Outro dia eu estava em um voo da GOL e o comandante esqueceu o botao de comunicação com a cabine de passageiros ligado.
    Deu pra ouvir algumas frases de comunicação entre a tripulação e a torre… bem legal.

    Deviam fazer umas ações assim, com passageiros "comuns" tambem.

    • Fred K. Chagas

      Maneiro se começassem a falar das comissárias! HAHAHAHA ia ser engraçadão.

  • Marllon Torres

    Parabéns pela reportagem. E sim, a GOL é PARA mim a melhor companhia que voa aqui. Por que?

    – Preços sempre igual ou menor que as demais (nas rotas que faço). As vezes vcs pensam que 20 ou 30 reais não é "nada". Estamos falando de porcentagem. 20 ou 30 reais podem ser 10 ou 15%. Não quero saber de balinhas ou de sanduiches. Quero preço. A Azul e a TAM perdem feio aqui nos trechos que faço.
    – Aeronaves LIMPAS e relativamente NOVAS. Nisso quem acompanha é a Azul, mas da um banho na TAM com suas poltronas e seu visual anos 90.
    – Espaço das poltronas PRA MIM acho melhor que a TAM.
    – Pontualidade. Sinto que a Gol, por ter um enfoque grande em custos, coloca a pontualidade como primordial.
    – Smiles come com farofa o Fidelidade e o da Azul.
    – Prefiro viajar de B737 que de Embraer ou de A320. Não sei por que, mas prefiro. Joguem pedras. kkk

    Minha opinião. o/

    • Mari

      Olha, realmente eu penso como você. Pontualidade britânica nos últimos voos que fiz. Além do que, trataram super bem meu pai (idoso) e até nos colocaram na fileira 1, que tem um pouco mais de espaço. Também consigo adiantar meus voos sem problemas, o que para mim é uma grande vantagem.

    • Dênis Colli

      Marllon concordo com você!
      Prefiro pagar barato a comer sanduba frio e coca-cola quente.
      Gosto da Gol por ser competitiva no preço e por incrivel que pareça na minha rotina, sempre os horarios mais adequados.
      Vejo uma galera reclamando do serviço de bordo das companhias, espaço nas poltronas e atendimento de bordo.
      Cerca de 60% dos voos nacionais duram até 3horas, hoje o avião chega onde somente se tinha opção terrestre.
      Falo por experiencia,
      Em 2006 a AirMinas operava a rota Divinopolis-Guarulhos(escala na Pampulha) 3hs total, o ticket ida e volta era de 350reais aproximadamente. Enquanto o trecho de ônibus custava em média 150reais ida e volta porém, 8:30 de trajeto.
      A empresa não existe mais, hoje temos que ir até CNF e de la alugar um carro ou onibus (260km).

    • ines

      tenho viajado todo ano de ferias sempre com a gol excelente .sempre no horario avioes mt limpos funcionarioseducados .a gol esta de parabens .continue assim

    • Márcio Sampaio

      Marllon, concordo com você!

      Tem gente que malha a Gol achando que é a Emirates… a Gol é extremamente competente no que se propõe! Nunca o foco dela foi ter um serviço de bordo no padrão da antiga Varig ou avião só com classe executiva. Assim como acho que a Avianca também é competente no que se propõe: atender um público mais restrito com qualidade superior ao das concorrentes.

      No sentido oposto, a Tam quer passar uma imagem que não possui (nem nunca possuiu), achando que é 5 estrelas SkyTrax. Aproveitou um momento em que a Varig estava falindo, ofereceu nos A330 um padrão melhor e fez fama relativa. Só que quem conhecia aviação sabia que a Tam não oferecia um serviço como a Varig oferecia até metade dos anos 90. É só observar as empresas que hoje operam no Brasil (Emirates, Turkish, Qatar, etc.) e comparar com os serviços dela. Na boa, não foi a qualidade que caiu, simplesmente o nível de comparação aumentou!

      • Fiz um voo em Setembro para Buenos Aires de Curitiba, Além de ser um voo direto (A única empresa que faz este voo direto) fui muito bem tratado, avião limpo e pontuais… E fora que o Smiles é excelente (compra a passagem indica seu numero e pronto) agora vai depender do Fidelidade que estou a 2 nesses esperando os pontos de um voo que fiz com a Lan!!! A GOL é muito melhor que a TAM nestes quesitos…Ahhh estava esquecendo e o Preço é sempre o melhor!!!

  • Carlão

    Alguém saberia dizer qual é o ETOPS para os novos 737-800 NG? Será que a GOL pretende cruzar o Atlântico com esses novos, até a África?

    • Joao Gabriel

      Olha, acho que só se fizesse Natal – Freetown…O 737-800 é certificado para ETOPS de 180 minutos.

    • Carlão, pelo que falaram por lá, viabilidade técnica tem, a partir do Nordeste mesmo, mas o que vai definir se os voos saem ou não é a demanda

  • Rogério

    E o lanche? Tiveram que pagar ou a Gol fez uma gracinha? hehe

  • Wilson

    Um item que me deixa curioso é a tal da pressão no ouvido. Comigo ela ocorre em um momento específico do vôo, que é quando o avião se aproxima do destino (uns 15 minutos antes), e o piloto reduz a velocidade do avião, pelo que percebo, talvez pra organizar a aproximação e fila de pouso.

    Só então vem a sensação ruim de pressão no ouvido. O motivo seria essa redução de velocidade? Algo que poderia ser feito pra anular ou reduzir esse desconforto (chiclete e bocejar ajuda, ok, mas nao anula o problema).

    Tá, não é um grande problema, afinal é o sonho humano de voar sendo realizado, você sentado numa cadeira no céu. Mas se tivesse uma tecnica de anular o problema (reduzir velocidade até no maximo X?, reduzir altitude?, alterar a pressao na cabine?, etc)!

    • Rodrigo

      Ao que eu saiba, isso se deve à alteração de altitude e não à redução de velocidade.

    • Fred K. Chagas

      Wilson sem dúvidas é por conta da descida. Quanto mais rápida, mais pressão você vai sentir. E não tem jeito, é fazer essas coisas que vc enumerou aí. /// Acho que deveriam falar mais de uma coisa aparentemente elementar mas sabendo como é poderia diminuir o medo. Falo da questão "por que o avião voa?". Não precisa voltar ao teorema de bernouille (coisa do curso de PP do qual falei no outro post) mas mostrar que o avião está BEM APOIADO (e não "solto no ar") na massa de ar seria útil, eu acho.

    • Isso se da em virtude da diferença de pressão da cabine pro ar externo.
      Neste voo por exemplo o avião estava a 37.000 pés (11.277m). Nessa altitude (e aqui vai um erro na reportagem, o correto é ALTITUDE e não ALTURA) é impossível de respirar já que há pouco oxigênio. Para isso o sistema de ar condicionado do avião injeta ar dentro dele e uma válvula na cauda regula o fluxo que sai da parte interna da aeronave, aumentando a pressão da cabine e diminuindo a altitude. Nesse caso, enquanto o avião voa a 37.000pés a parte de dentro do avião está a aproximadamente 8000pés (2438m), o que já é aceitável do ponto de vista fisiológico.

      Quando se inicia a descida, a pressão interna aumenta (e a altitude interna diminui para no momento do pouso não haver nenhum diferencial de pressão entre a parte de dentro e a de fora). Esse aumento de pressão é o que causa a dor no ouvido. A pressão do lado de fora aumenta e a parte interna do ouvido continua com a pressão mais baixa, causando uma "força" de fora para dentro.

      Para resolver isso existem algumas manobras (Manobra de Valsalva), pode-se mascar chiclete, bocejar. Isso varia de pessoa pra pessoa e os sintomas são muito piores se você estiver gripado, já que todas as vias aéreas estarão trancadas e não haverá equalização de pressão.

    • Wilson se ainda tem a sensação de pressão mesmo mascando chiclete ou chupando bala (não só na hora da descida), seria bom ir ao otorrino ,isto é, uma sugestão , para uma avaliação com profissional. Parece besteira, porém não é. Tem pessoas que apresentam mais sensibilidade na pressão. É desagradável e talvez tenha que conviver com ela.

  • Parabéns pelo post, ficou muito bacana.

  • Tenho um colega que é piloto. Ele me disse que os aviões de carga cruzam as turbulências! Que no caso dos aviões de passageiros, eles apenas desviam para conforto e que elas apresentam muito pouco risco 🙂

    • Fred K. Chagas

      Isso aí . Seguir RETO também economiza combustível. Daí.. Daí que volto à questão do voo AIR FRANCE AF 447. Tenho pra mim que o motivo para o comandante ter optado por seguir reto e manter a determinação mesmo tendo saído da cabine foi questão de economia. Deu no que deu…

  • show…. um gol de placa!!! parabens gol… mas deixando a desejar nos atendimentos…. poem esse povo do solo pra treinamento e boa educaçao ao atender pessoas de 5 a 90 anos… com +educação….
    e que volte as promocoes neh….

    abrçs

  • Fabio S.

    Nunca voei pela Gol, mas já tem um crédito comigo só por ter parceria com a Delta, inclusive de manutenção de aeronaves. Já a TAM, embora já tenha voado algumas vezes, sem problemas, não posso dizer que confio.

  • Sou bem detalhista! Numa foto aparece um logo da DELTA colada na parede.
    Já sei que eles são cotistas, mas isso estará em todas as aeronaves?

    • Ao que tudo indica sim, e tem do lado de fora também

      • Viajei FLN x VVI recentemente pela Gol, e todas as aeronaves tinham logo da Delta.

    • Rodrigo

      Delta, além de cotista é parceira em várias coisas e com Code-share para inúmeros destinos do EUA. Faça uma busca pelo site para os EUA e verá que terá voos operados pela Delta.

  • Simplesmente excelente,termos horários Gol dez,tbm sua aeronaves são muito rápidas………..

  • dina wolowski

    LINDO TRABALHO ESSE DA GOL……….
    EU SO GOSTARIA QUE ESSE EMPENHO SE TRADUZISSE NOS VOOS.

    GOSTARIA QUE HOUVESSE UM MINIMO DE CONFORTO NAS POLTRONAS, ONDE MAL CABE UMA CRIANÇA, QUE AS AEROMOÇAS NAO FOSSEM TAO POUCO SIMPATICAS E , FINALMENTE, MAS , NAO MENOS IMPORTANTE, QUE OS VOOS NAO ATRASASSEM.

    • Dênis Colli

      Dina…
      Quando você conhecer o "conforto" e " simpatia" das low-costs europeias vai achar a aeronave o atendimento da Gol 5estrelas… Vai por mim!

  • Parabéns a GOL ! Tenho voado recentemente pela cia e estão com Boeings NOVINHOS EM FOLHA, Pontualidade, Compromisso. Só tenho a elogiar. É quanto ao Prog. Smiles pra mim é o MELHOR do Brasil porque trouxe todos os benefícios que outra cias aérea do Exterior já ofereciam há muito tempo e nenhum outro aqui no Brasil oferecia como: Transf. de milhas entre contas, reativar milhas vencidas, compra de milhas, clube Smiles, Upgrade de categoria com pontos do cartão de crédito etc

    • Bom o programa smiles vem desfavorecendo os clientes a cada trimestre..é uma vergonha..
      todas as tais opções geram receita para a empresa, A azul é muito superior não sei q tanto estao elogiando a GOL por essa simples acao que qualquer leitura especifica ja traria tais informações atitudes positivas com os clientes é o que nao existe agora com a imprensa ate lanche free oferecem..aposto que nao fizeram isso de boa vontade..algum interesse comercial com certeza deve estar camuflado..

  • Dênis Colli

    Parabéns pela matéria Denis!
    Aguardamos a continuação da visita.

    As empresas aqui poderiam abrir uma espécie de tour guiado como tem na Delta. A Boeing também tem visitas a fabrica em Hamburgo e a Airbus também possui…

    • Obrigado, Dênis. Então, a visita ao centro de manutenção foi interessante, mas não a ponto de render post. Talvez eu escreva algo sobre o centro de treinamento deles, que também visitamos. Abraço!

      • Dênis Colli

        Obrigado pela info…
        Achei que fizeram um tour dentro das instalações deles, além do CT…
        Mas fica valendo mesmo assim.
        Abs

  • roberto coutinho

    Interessante está matéria, conheci alguns detalhes, que nos ajudam a NÃO ficar preocupados com o vôo, e sim, curti-lo.
    Roberto coutinho – São Paulo

  • Leandro

    Sensacional. Cada dia mais apaixonado pela aviaçao.
    Apesar do medo de voar.

    • Daniel

      concordo

  • Humberto

    Um colega lá em cima perguntou sobre a possibilidade do uso do reverso para substituir o pushback, e eis que outro respondeu que, teoricamente sim mas que o problema seria a falta de retrovisor.
    Bem, em tese o uso do reversor poderia ser feito, porém, impróprio para a situação, somente tolerável em situação de urgência, não em situação normal em que a aeronave não está em pane e nem local de difícil acesso de equipamento de terra.
    O uso do sistema de reverso exige muito esforço do motor e existe um limite operacional para utilizá-lo, além do mais, o barulho traria enorme desconforto na área do pátio – sem contar que, jamais deve ser esquecido – ao usar o reversor, inverte-se o fluxo de ar, ou seja, ao invés dele sair por trás do motor, sairá pela frente, o que seria inviável para uma aeronave que está estacionada próximo à passagem de muitas pessoas.
    Espero ter contribuído.

  • Wagner Brito

    Cara, I-M-P-R-E-S-S-I-O-N-A-N-T-E… Amo aviação. Confesso que prefiro me sentar na área das asas, pois é magnífico ver aquelas superfícies móveis fazendo o bichão pesando toneladas levantar vôo. Já voei de Gol por duas vezes, uma de CGB – NAT, com escalas em GYN, CNF e conexão em REC, e a outra de CGB – AJU, com conexões em BSB e SSA. Achei incrível. Parabéns MD pela iniciativa. Continuo amando o site.

  • jorge

    Não vi nada demais nesta "experiência" que a Gol fez. Mas parece que os jornalistas convidados babaram muito ovo pra ela.

    • Não teve nada de mais mesmo, mas achamos válidos repassar as informações que recebemos para tirar dúvidas e até tranquilizar quem tem medo de voar, como já disseram aqui nos comentários.

  • Nunca tive a sorte de pegar um aviao novo, a nao ser os Airbus A320 da Avianca quando chegaram, mas os Boeings da GOL nao ;(

    Legal a materia. Isso prova a importancia do MD e a notavel participacao no contexto da aviacao civil nacional.
    Parabens ao MD e a GOL!

  • Bom pra mim a GOl que morreu juntamente com o programa smiles que vem desfavorecendo os clientes a cada trimestre..é uma vergonha..
    todas as opções geram receita para a empresa, A azul é muito superior não sei q tanto estão elogiando a GOL por essa simples ação que qualquer leitura especifica já traria tais informações atitudes positivas com os clientes é o que nao existe agora com a imprensa ate lanche free oferecem..aposto que nao fizeram isso de boa vontade..algum interesse comercial com certeza deve estar camuflado..

    • Marllon Torres

      Mentira que você percebeu interesse comercial? Isso se chama AÇÃO DE MARKETING. Uma ação bacana. Nas industrias existe as Tours guiadas e etc. Na Aviação tem que ser um passeio guiado. Simples.

  • Antonio Mandel

    Numa aula surgiu um comentário e gostaria de saber quem tem razão.
    A professora diz que um avião decolando de FLN para POA com 5pax é mais vantagem do que deixar o avião parado no aeroporto.
    Quem tem razão e se puderem colocar os custos…
    Fico no aguardo.
    Obrigado.

    • Alexander

      Ela tem razão!!!!!!!Kda minuto parado no aeroporto é uma fortuna.

    • Alexandre

      Bom dia,
      Esta pergunta exatamente não sei lhe dizer, mas como vai muita coisa em um avião, geralmente só a carga que vai em um voo paga todo o custo, ( combustivel, funcionarios e taxas da infraero ).
      Então o valor das passagens viria como lucro de 100% para a CIA Aérea…
      Para se ter uma ideia, fui levar algumas cargas que eram MEGA URGENTES para GRU e REC, onde fui levando elas como bagagem, ou seja, paguei exesso de bagagem para 123 volumes onde o custo foi de aproximados 22 mil para REC e 12 mil para GRU…

      Outro exemplo o carregamento de material bélico, é bastante pesado e é apenas embarcado como próximo voo, o valor é muito alto mesmo…

      Tive a oportunidade de acompanhar o carregamento de dois voos da GOL, é muito bacana voce ver o porão da aeronave….
      tem gente que questiona os atrasos, mas pensem….em uma escala o voo tem em torno de 30min para descarregar a bagagem e a carga aonde então novamente carregam o voo para o próximo destino….isso não é tão rapido assim onde pode gerar atrasos….

    • Marllon Torres

      Acho que sim. Tem que lembrar que o Avião TEM que chegar no outro aeroporto. Nesse trecho só tem 5pax, mas no proximo pode ser um voo lotado. O custo do Aeroporto tb deve ser alto. E tem um grande lucro no transporte de cargas tb. Esse dias mandei uma caixinha VIX – Joinville de uns 25 Kg. Paguei acho que 490 reais.

      • Alexandre

        Enviou particular ou por agente de cargas?

        • Marllon Torres

          Particular. Pela Azul.

          • Alexandre

            Se optar por agente de cargas, se torna muito mais barato…digamos que teria gasto em torto de 200 reais dai…

    • Rodrigo

      Velho, só seria vantajoso cancelar o voo e reacomodar estes 5 passageiros, se essa aeronave fosse encerrar sua viagem ou se pudesse assumir um outro voo de FLN para qualquer outro destino.
      Este papel em empresas aéreas quem faz é a área de Coordenação de Voos que verifica tudo isso, custo, manutenção, etc… Isso acontece muito em ponte aérea, pois tem muitos voos e se determinado voo vai sair com pouquíssimos pax, eles podem reacomodá-los em outro voo e cancelar o original, passando esta aeronave para o próximo voo da ponte…

  • Parabéns MD, gostei da iniciativa da Gol. Realmente tem achado preços e horários melhores as outras cias. Só o programa de milhagens é que tá difícil conseguir algo.

  • Regiane Schoenrock

    Fiz dois vôos no mês passado pela Gol, um para o RIO e outro para Porto Alegre e na volta de Porto meu ouvido tampou e até hoje sinto a pressão e as vezes até zunidos, a sensação é horrível, quando vou dormir piora, parece que meu coração está no ouvido. Já fui a um médico que me receitou azitromicina, mas além de não resolver completamente, somente amenizou meu problema me gerou uma reação alérgica ao medicamento. É a primeira vez que isto me acontece, e confesso que estou ficando preocupada com minha audição, não sei se com o tempo a situação vai melhorar, ou se devo procurar outro médico e ainda por cima minha mala também chegou quebrada, o vôo atrasou uns 20 minutos tivemos muita turbulência e o serviço de bordo deixou a desejar, nem água ofereceram, tive que pedir. Estou decepcionada e olha que sempre gostei de viajar pela Gol mas desta vez o fim da minha viagem foi bem amarga.

  • Leandro Aragonez

    Muito bacana a ação da Gol! E ainda com a atenção de levar o Kakinoff para falar com os jornalistas. Ação redondinha. Parabéns ao MD pelo post também!

    Eu, como muitos aqui, sou um apaixonado por aviação. Tem duas curiosidades que eu sempre tive e recentemente descobri o motivo:

    1) Por que a luzes da cabine são reduzidas no pouso e na decolagem?
    Pegando o exemplo de estarmos em um lugar com muita luz e indo para um local sem luz, demora um tempo até conseguirmos enxergar algo. Por o pouso e a decolagem serem os momentos de maior atenção no voo, caso aconteça qualquer eventualidade, os passageiros já estarão com os olhos acostumados a luz natural, conseguindo enxergar as saídas de emergência com maior facilidade;

    2) Essa não é difícil, mas por que as poltronas devem estar na posição vertical durante a decolagem e o pouso?
    Com um forte impacto no pouso ou alguma eventualidade na decolagem, a poltrona reclinada faz uma forte pressão na coluna. E também para caso ocorro alguma situação de emergência, para não ter algo impedindo o fluxo.

    E para finalizar, uma atitude simpática: se o voo e principalmente o pouso forem muito bem feitos (como um pouso suave), elogie o piloto na saída do avião. É a melhor maneira de elogiá-los e eles vão abrir um grande sorriso de satisfação! Rsrs

    Abraços

  • João Paulo

    Adorei… obrigado por dividir a experiência e parabéns à Gol pela iniciativa. Sugiro estender tal demonstração aos passageiros, até como forma de promoção ou sorteio. Muito bom mesmo….

  • Artur aranha

    Muito legal a reportagem. Também prefiro viajar nos 737-800 do que nos A320. Apesar da GOL estar deixando o SMILES cada dia pior, ainda tem mais promoção que o FIDELIDADE. Parabéns a GOL e ao MD.

  • Muito legal, parabéns pela reportagem!

  • marc

    oi

  • Tatiana

    Muito boa ação de marketing da Gol, e, como já foi falado, se estendessem de alguma forma isto aos passageiros, nem que fosse por alguma espécie de premiação, seria ótimo!!
    Agradeço ao MD pela iniciativa, que, aparentemente pode ter parecido boba para alguns, mas que, para pessoas como eu, que viajam desde 6 meses de idade, mas tem pânico de aviões (só viajo de avião porque não tem outro jeito!!…rss) qualquer detalhe que você saiba sobre a segurança dos vôos e o preparo dos funcionários, já é de grande valia para nos tranquilizar. Foi ótimo ler sobre as turbulências!! =)

  • Tatiana

    Teve alguém por aí que comentou sobre interesse comercial, aí eu pergunto: "existe alguma coisa no mundo empresarial que não siga a lógica do interesse financeiro?". Agora, se esse interesse vier aliado à preocupação da empresa com o consumidor, com o meio ambiente, com a ética e por aí vai, tudo ficaria bem melhor, não acham?

  • e aí moçada, blz ?
    só pude ler hoje… correria :/
    mas olha só, acho que tem uma palavrinha errada aí nesse paragrafo:
    "Outras curiosidades: a rota do avião é definida pelo leme, que dica na cauda. Nas asas existem dois ailerons que controlam o movimento lateral. Há ainda o winglet – aquela peça bonita na ponta da asa, que serve para melhorar a aerodinâmica, aumentar a velocidade e reduzir consumo."

    nao seria "que FICA na cauda" ?

    grande abraço a todos

  • Fernando

    Caramba pessoal do MD! Que matéria legal. Gostaria de participar de algo assim qualquer dia. Sou apaixonado pelo assunto e me fascinam os detalhes.
    Parabéns à Gol pela iniciativa e pelo MD por nos trazer as informações.
    A propósito, estava com saudades de comentar aqui. Não tenho tido tempo, mas sinto muita falta de acompanhar no dia-a-dia.
    abraço a todos!

  • Juan Paraguay

    Sera q a Gol tem um roteiro aberta ao público pra conhecer seu Centro de Nanutenção? Gostaria de fazer isso!!

  • Luciano

    Gostaria de saber se existe alguma relação entre subir o avião acima do teto, aumentar a velocidade, diminuir o tempo de voo e economizar combustível.
    Já ouvi qualquer coisa como se o avião subir acima do teto ele consegue diminuir o tempo de voo….será???? abraço a todos..

    • Rodrigo

      Tem relação sim Luciano, pois quanto mais alto a aeronave está, menos pressão(ar mais rarefeito) e assim gerando menos arrasto(resistência ao avanço). Isso diminui o tempo de voo e consumo de combustível, porém há um limite de operação da aeronave em relação à sua altitude. Os aviões comerciais sempre operam no máximo 37.000 ou 38.000 pés, porém seu limite pode chegar há uns 41.000 pés de altitude.
      Forte abraço!

  • Palestrino

    Parabéns pela reportagem !!!
    Bem bacana !!!
    E detalhe, esse Comandante Dutra é bom de bola hein !!!
    Cansei de dar passes para ele fazer vários gols toda segunda feira, mas a um bom tempo atrás !!!
    Rsrsrs

  • Bruno

    Eu ja vooei no Boeing 737-800 da GOL muito bom e excelente o serviço de bordo . Sai de Jpa-JP com destino a CGH – SP com a chegada prevista as 10:05 o piloto aterrissou no solo pontualmente o horário previsto meus parabéns pra cia GOL

  • Alvaro

    Voei este ano pela Gol, no voo direto CWB – EZE (Buenos Aires), a vantagem da Gol ja começa por ser a unica que faz a rota direta, na Tam tem que subir para São Paulo e depois descer para Buenos Aires e o tempo acaba dobrando ou até mais dependendo do tempo de conexão.
    Como disseram, aeronave limpa, pontualidade absoluta, tratamento apesar de não excepcional mas totalmente correto, um lanchinho basico, mais que suficiente para um voo de 2 hs, só não era aeronave nova como muitos tem tido sorte, era um 737-700, meio apertado e fabricado em 1998, mas em muito bom estado, enfim, voo perfeito, malas ok, pontualidade, preço sem comparação com a Tam, realmente bem menor, chegando la com segurança e pontualidade, está otimo.
    Baseado nessa unica experiencia sem duvida voltaria a ir pela Gol, ja viejei uma vez de Tam tb para Rio de Janeiro, e tb foi tudo perfeito, acho que alguns as vezes tem azar, e outros reclamam demais por pouca coisa, ou exageram muito nas falhas.

  • Alexandre

    eu amo aviação super legal eu amo a GOL minha empresa favorita S2 😉

  • fran

    Trabalho na Empresa embraer Sou apaixonada por aviões e Adorei a matéria..

  • Anderson

    O meu desejo é um dia poder viajar dentro da cabine de comando

  • Lucas

    hj em dia existe algum avião da gol pintado de varig ainda?

  • Cesar Rocha

    Por que o avião visto de frente ou de costa tanto na subida ou descida ele fica de lado principalmente quando se aproxima do solo ? É padrão ou física ?