Duas semanas na França conhecendo Paris e Estrasburgo

Leonardo Marques 4 · agosto · 2008

Viajante: Pedro J. da Costa Neto
Local da viagem: França
Data: Julho de 2008

Olá,
meu nome é Pedro J. da Costa Neto e eu viajei para a França durante duas semanas, saindo do Brasil no dia 06 de julho de 2008.

Em um primeiro momento, enquanto caminhava pelo aeroporto Charles de Gaulle, a sensação que tive foi a de que tudo era exatamente a mesma coisa, porém logo ao chegar ao trem RER pude perceber que havia algo de bastante diferente. Árvores negras, casas geminadas com jardins bem arrumadinhos, muito bonitos, passando pela janela.

RER charles de gaulle
Estação do RER no aeroporto Charles de Gaulle

Fiquei hospedado na Cidade Universitária de Paris, e ao chegar finalmente tive a primeira grande impressão positiva. Ao entrar na Cidade Universitária dei de cara com o prédio enorme, antigo e impecavelmente conservado e limpo. Parecia mais um castelo! O único problema era o clima: verão na França é a coisa mais louca que existe. De manhã, fazia muito frio… e às vezes muito sol. De repente começava a chover, chovia por 15 minutos e parava. Fazia frio para ter que usar casaco, e de repente um calor infernal. Sempre andava com um casaco, e um guarda-chuva… e usava todos os dias todos eles.

Os franceses em um primeiro momento me pareceram grossos. Depois fui entender o que o rosto deles mostrava: ali tinha acontecido muitas coisas. A França não é um país jovem como um Brasil, não se pode contar a quantidade de guerras e conflitos pelos quais o país já passou. Como resultado, existe uma distância entre as pessoas. Elas não são tão acessíveis como no Brasil. Ninguém sorri por sorrir, como fazemos. Porém, aos poucos, fui percebendo que eles estão quase sempre dispostos a conversar e te ajudar quando for preciso (contanto que você fale francês). Se você sustentar uma conversa, eles aos poucos vão se soltando. Se ouvirem a palavra “Brasil” então, tudo fica muito fácil. Eles adoram o Brasil e os brasileiros, e conhecem e apreciam muito da nossa cultura.

Percebi que as pessoas têm um senso de sociedade muito forte, e só por isso a vida funciona lá. Para ilustrar isto, citaria o tramway (uma espécie de bonde elétrico que faz por enquanto trajetos curtos). Ao entrar no tramway, não é necessário fazer nada. Não há nada que te impeça de entrar, não há catracas ou pessoas tomando conta. Você entra com seu ticket, e se quiser pode compostá-lo na máquina ao centro do vagão, ou não. Existe a figura do fiscal que, usando diariamente o tramway durante 15 dias só vi uma vez, que teoricamente verifica se você tem o bilhete e se você o compostou. Ele nunca aparece, e todos compram e compostam seus bilhetes, e ao sair do tramway o rasgam e jogam fora.

Conheci Paris e Estrasburgo. e as duas cidades são lindas, e bem diferentes uma da outra. Paris é o clássico e o contemporâneo sobrepostos. Existe opção de tudo para todo tipo de gente. Existe um respeito das pessoas pelo outro, ou seja, todos podem ser o que quiserem sem medo de serem repreendidos pelos outros. Em Estrasburgo tudo é bem antigo, tudo muito bem cuidado, impecável. A vida é bem calma, e silenciosa, diferente de Paris.

Noite em Paris
Noite em Paris

Paris é uma cidade grande, é a capital do país. A Tour Eiffel dá os ares de sua graça quase que a cada esquina, e você nunca se cansa de vê-la. É uma mistura de culturas, etnias e povos, mas a cultura e a história da França estão se impondo o tempo todo, em quase tudo o que você vê. Acho que é exatamente esse aspecto de centro cultural e de alvo de tantas culturas do mundo que a torna irresistível. Paris é uma festa, como já disse Hemingway. E a França sempre será o destino de tantas pessoas pelo mundo. Uma vez na França, o retorno é inevitável. É irresistível.

Autor

Leonardo Marques - Diretor do Melhores Destinos
  • Juraci

    Estive com meu marido em Paris neste mesmo período e ainda não tinha encontrado palavras que descrevessem tão bem o que é aquela cidade, como você fez.

    Parabéns.

  • Maria

    Era maravilhoso voltar a Paris onde não vou desde 1973.Que belo sonho

  • Diully Nabelle

    Poxa sempre fui muito apaixonada por Paris linda cidade, nunca fui lá vejo apenas por fotos, imagine estar vivendo o ambiente deve ser extraordinário faço curso de frances amo a lingua gosto da cultura embora eles sejam tao sérios..mais só vivendo o momento de estar em Paris para descrever tamanha maravilha espero um dia ter a oportunidade de conhecer Paris gentee que sonho lindo.