Ranking mostra cotação do dólar nos principais cartões de crédito: saiba quanto seu banco cobra a mais

Leonardo Cassol 30 · setembro · 2015

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

O dólar cobrado pelos cartões de crédito pelas compras feitas no exterior são todos iguais, certo? Errado! Cada administradora adota um critério de cálculo. Algumas se pautam na cotação do dólar comercial, outras, na do dólar turismo. A regulamentação oficial não determina como a cobrança deve ser calculada, apenas que a metodologia seja informada no contrato do cartão, instrumentos que poucas pessoas têm o hábito de ler.

O Melhores Destinos analisou a cotação do dólar cobrada na fatura dos principais cartões de crédito emitidos no Brasil e verificou que a diferença em relação à cotação do dólar comercial divulgada pelo Banco Central pode chegar a 7,3%. Isso significa que numa fatura com US$ 2.000 em compras, a diferença encontrada na cotação do dólar pode trazer um prejuízo de até R$ 584 reais. É um valor maior que a anuidade da maioria dos cartões de crédito disponíveis no mercado.

Confira quanto o seu cartão está cobrando pelo dólar em nosso comparativo exclusivo e algumas dicas para economizar nas compras feitas em moeda estrangeira!

cartoes-credito

Como são feitas as cobranças em dólar no cartão de crédito

A instituição financeira envia a fatura com as compras em moeda estrangeira multiplicadas pela taxa de câmbio do dólar, apurada na data do fechamento da fatura (isso mesmo, não é no vencimento, afinal o dólar é apurado antes da fatura ser postada para o cliente). Caso existam compras em outras moedas estrangeiras, o valor é convertido primeiro para dólares norte-americanos e depois convertido em reais como já foi explicado.

Se o valor do dólar apurado na data de fechamento da fatura for maior ou menor do que o da data em que a fatura for paga, a diferença será debitada ou creditada no mês seguinte.

A diferença no valor cobrado pelas instituições financeiras ocorre porque alguns bancos e administradoras de cartão de crédito se baseiam na cotação do dólar comercial (utilizado pelas grandes empresas e pelos bancos comerciais, por exemplo), enquanto outros se baseiam no dólar turismo (utilizado no mercado de varejo, como casas de câmbio e agências de turismo). O dólar turismo é sempre mais caro que o dólar comercial. O Banco Central calcula diariamente o valor do dólar comercial com base no preço médio do dólar ao longo do dia.

Metodologia da Pesquisa

Para realizar este comparativo, avaliamos o valor do dólar cobrado no fechamento da fatura dos cartões de crédito de 11 das principais administradoras que atuam no Brasil. Em seguida, comparamos com as cotações oficiais do dólar comercial nas respectivas datas e calculamos a diferença entre o que foi cobrado no cartão e o que foi registrado pelo Banco Central como cotação oficial do dólar comercial. Por fim, elaboramos um ranking comparando os resultados das 11 instituições pesquisadas.

As instituições avaliadas nesse estudo foram: American Express, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Citibank, Credicard, Diners, Itaú, Santander, Porto Seguro e Votorantim. As poucas instituições não consideradas serão incluídas na atualização do estudo, que depende de dados ainda não obtidos para que a análise possa ser feita.

Notem que mesmo que o valor do dólar seja diferente entre os cartões, dada as diferentes metodologias de cálculo e datas de vencimento, qualquer assimetria fica reduzida, dado que a comparação foi feita com a cotação do dia exato do fechamento da fatura.

Resultado da Pesquisa

ranking-dolar-cartoes


Os bancos públicos apresentaram as menores diferenças em relação à cotação oficial do Banco Central. A Caixa ganhou disparado, apresentando apenas 1 centavo de diferença em relação à cotação oficial do dólar comercial. O Banco do Brasil veio em segundo lugar, cobrando 2,6% a mais. Ainda assim, cobraram valores superiores à cotação oficial. Em terceiro lugar, veio o Citibank que, talvez por ser um banco norte-americano, tenha como diferencial uma cotação mais equilibrada do dólar, ainda assim de 3,4%. Em quarto lugar, a Credicard, seguida pelo Bradesco, Diners e Santander. O Itaú (Itaucard) ficou na oitava posição, com 4,8% de diferença, seguido pela American Express (administrada pelo Bradesco) com 5,1%, pelo o Banco Votorantim, com 5,4% e, finalmente, pela Porto Seguro, 7,3% acima da cotação oficial.

A questão central é que algumas instituições financeiras estão cobrando um ágio muito maior do que as outras na cotação do dólar, se valendo da falta de regulamentação pelo Banco Central. Será que essas instituições atuam de maneira tão menos eficiente no mercado de câmbio, ou estão utilizando o dólar como um instrumento para aumentar os lucros no segmento de cartões de crédito?

Dicas para não pagar mais caro pelas compras em dólar

1. Caso o fechamento da sua fatura tenha ocorrido e a cotação do dólar estiver subindo, você pode fazer o pagamento do valor dos gastos antes da data de vencimento. Se não tiver recebido a fatura, você pode utilizar a fatura do mês anterior ou fazer um pagamento avulso no caixa eletrônico ou agência bancária conveniada. Em tempos de alta volatilidade, isso pode render uma boa economia;

2. O raciocínio inverso também se aplica. Monitore o fechamento da cotação do dólar e, se perceber que está caindo, deixe para pagar apenas na data de vencimento, sem atrasar o pagamento;

3. O IOF (6,38%) incide igualmente sobre todas as compras feitas no exterior, mesmo aquelas que são convertidas para reais, por alguns estabelecimentos comerciais, como têm ocorrido com frequência nos Estados Unidos. A vantagem ou desvantagem ocorre dependendo da cotação utilizada na conversão, mas não no imposto.

4. Se o seu cartão cobra um dólar muito acima da média e não te deixa satisfeito com os produtos e serviços oferecidos, avalie migrar para um cartão de outra instituição financeira. Muitos cartões não exigem que você seja correntista do banco. Se tiver dúvidas, conheça os melhores cartões para acumular milhas ranking de cartões de crédito do Melhores Destinos.

melhores-cartoes-de-credito

Caso a instituição financeira que administra o seu cartão não tenha sido avaliada nesse comparativo, você pode conferir o dólar cobrado identificando o valor dólar na fatura, a data do fechamento ou processamento, e a cotação oficial do Banco Central.

Outros artigos relacionados que podem ser do seu interesse:
Dicas para não pagar anuidade no cartão de crédito
Dicas para aumentar o limite do cartão de crédito
Como fazer saques da conta corrente no exterior e economizar
Como fugir do IOF e levar dinheiro em viagens internacionais
Os melhores cartões corporativos para acumular milhas

———————————-

Agradecimento especial aos que contribuíram com informações sobre o dólar cobrada nas faturas dos cartões: Cleber Cassol, Daniel Pomeroy, Danilo Menezes, Davi Almeida, Flávio Papelbaum, João Vitor Pedrosa, Maíra Rodrigues, Marcelo Henrique, Natanael Maia e Nei Menezes.

O que achou do resultado da pesquisa? Está satisfeito com o dólar cobrado pelo seu cartão de crédito? Comente, opine e participe!

Autor

Leonardo Cassol - Editor Economista, apaixonado por viagens, aviação e milhas! Especialista em programas de fidelidade do Melhores Destinos