Serra Gaúcha: cinco vinícolas que valem a visita no Vale dos Vinhedos e região

Por Bruna Scirea

A Serra Gaúcha possui mais de 550 vinícolas. Então, é fácil se encher de dúvidas ao planejar um roteiro por essa região, que é a maior produtora de vinhos do Brasil. Afinal, o que vale a pena visitar? Esse post especial tem dicas para você montar uma viagem incrível ao Vale dos Vinhedos.

Morando em Porto Alegre há mais de 10 anos – e bebendo vinho há mais tempo ainda –, já visitei cerca de 20 vinícolas entre idas e vindas a Bento, Garibaldi, Pinto Bandeira, Farroupilha e região (algumas delas, várias vezes). Apresento aqui as minhas principais indicações e os motivos pelos quais estas empresas estão na lista das cinco vinícolas que merecem a visita. Saúde!

Leia mais:
Vale dos Vinhedos: dicas para sua viagem à região vinícola da Serra Gaúcha
Caminhos de Pedra: um roteiro pela história da colonização italiana em Bento Gonçalves

Casa Valduga

A Casa Valduga é uma das mais tradicionais e conhecidas vinícolas do Vale dos Vinhedos. Mas não é somente por isso que eu recomendo uma visita a esta empresa familiar. O lugar é gostoso, o passeio grátis pela cave dura apenas 15 minutos e, nele, já é possível ter uma ideia de como funciona a vinificação e quais são os princípios da vinícola – que nos últimos anos reduziu bastante a sua produção anual, sendo hoje um empreendimento de médio porte.

Para quem tiver mais tempo, vale muito a pena pagar R$ 40 pelo tour de 1h30, onde são apresentados todas as etapas da produção de vinho com direito à degustação de alguns rótulos no final. E, para quem quiser se aprofundar ainda mais, por que não fazer um curso durante uma manhã inteira e aprender a diferenciar as colorações, aromas, corpo e outras características do vinho? O valor do curso é R$ 100 por pessoa, sendo conduzido por um enólogo da vinícola. Além da aula teórica (com várias provas de diferentes rótulos da casa), inclui visitação à cava e todo o processo de vinificação. No fim, o aprendiz ainda leva para casa um certificado. É uma boa forma de começar a imersão na região dos vinhos da Serra Gaúcha – só não se esqueça, é preciso agendar antecipadamente.

Já visitei a Casa Valduga várias vezes, fazendo tanto o passeio de apenas 15 minutos, quanto o tour de 1h30min. No ano passado, aproveitei a época da vindima e resolvi também fazer o curso de degustação (oferecido também por outras vinícolas), que considero um baita programa para quem pretende sair da Serra conhecendo um pouco mais sobre os vinhos. A Valduga é uma das vinícolas onde eu faço questão de levar amigos que visitam pela primeira vez Bento Gonçalves e arredores.

Serviço: O tour de 1h30 custa R$ 40 (cada participante ganha uma taça de cristal da vinícola) e acontece de segunda a sábado, de hora em hora, entre 9h30 e 16h30 (com exceção das 12h30). Nos domingos e feriados, o passeio acontece de hora em hora das 9h30 às 15h30 (com exceção das 12h30). O curso de degustação é realizado diariamente (sob agendamento), com início às 9h30, duração de 4 horas e custo de R$ 100 (cada participante também ganha uma taça de cristal).

Endereço:
Via Trento, 2355, Vale dos Vinhedos – Bento Gonçalves – Rio Grande do Sul. Contato: (54) 2105.3122 ou cursos@casavalduga.com.br.

Almaúnica

Certamente uma das vinícolas mais modernas do Vale dos Vinhedos, a Almaúnica tem um extenso parreiral como antessala. A empresa famíliar foi fundada em 2008 pelos irmãos gêmeos Márcio e Magda Brandelli, filhos de Laurindo Brandelli (que dá nome a outra vinícola, a Don Laurindo, hoje capitaneada por um irmão dos gêmeos).

Por que vale a pena a visita? Pois bem… A estrutura é imponente e bonita, com aquele verde todo na frente e, lá no alto, a loja e a vinícola. Só de passar na frente já dá vontade de entrar. É a produção de vinhos da Serra Gaúcha modernizada. A visita guiada pela cave não é cobrada e é possível fazer degustações que vão de R$ 50 a R$ 90, dependendo dos rótulos escolhidos. Por fim, um argumento que pode ser um tanto pessoal: a Almaúnica tem alguns dos melhores vinhos da Serra Gaúcha – meu destaque vai para o surpreendente Syrah.

Serviço: A vinícola abre de segunda à sexta das 8h às 17h30, aos sábados e feriados das 10 às 17h30 e, aos domingos, das 10h às 13h. As visitas guiadas ocorrem de segunda a sábado, às 10h, 11h, 15h e 16h. Para degustação, é preciso chegar pelo menos uma hora antes do horário de fechamento da vinícola. Degustações com mais de 8 pessoas devem ser agendadas.

Endereço: 
RS-444, Km 17,35, Vale dos Vinhedos – Bento Gonçalves. Contato: (54) 3459-1384 / ( 54) 99978-0013 (WhatsApp) ou almaunica@almaunica.com.br.

Leia mais:
Vinhos na Serra Gaúcha: roteiro pelo Vale do Rio das Antas, em Bento Gonçalves
Hotéis: dicas de onde se hospedar em Bento Gonçalves e região
Passeio com o trem Maria Fumaça: tudo o que você precisa saber sobre a famosa atração da Serra Gaúcha

Cave Geisse

A Cave Geisse é um dos grandes nomes da Serra Gaúcha quando o assunto é espumante. Localizada em Pinto Bandeira, a cerca de meia hora de carro de Bento Gonçalves, a vinícola foi fundada em 1979 pelo engenheiro agrônomo e enólogo Mario Geisse, chileno que veio para o Brasil contratado para dirigir a Moët & Chandon do Brasil. Foi na hoje conhecida como região dos Vinhos da Montanha que Geisse ergueu o seu vinhedo e deu início à produção dos espumantes, o carro-chefe da vinícola.

Além dos excelentes rótulos, a visita à Cave Geisse vale para ter um entendimento maior sobre a fabricação dos espumantes – processo do qual se fala apenas rapidamente em outras vinícolas, onde o foco são os vinhos. O espaço externo, chamado Open Lounge, é arborizado e convida o visitante a se deitar sobre o agradável gramado e apreciar um dos produtos da vinícola, acompanhado de uma empanada chilena ou uma tábua de frios. Aliar um passeio pela cave e depois relaxar na área verde pode ser uma boa pedida para um dia de menos correria e mais descanso.

E, uma diquinha extra, que é totalmente maravilhosa: a cerca de 5 minutos de carro da vinícola está o Champenoise Bistrô, restaurante que trabalha com menus sazonais, preparados com ingredientes de produção própria ou de produtores locais. O conceito é slow food (então separe umas duas horas do dia), faça a reserva antecipadamente e aproveite! É com toda certeza uma das melhores experiências gastronômicas da Serra Gaúcha.

Serviço: A visita guiada de 1h apresenta os processos de fabricação da Cave Geisse, inclui a degustação de três espumantes e um vinho e custa R$ 80 por pessoa (50% do valor pode ser revertido em compras). Ela deve ser agendada pelo site e acontece de segunda à sexta, às 10h, 13h e 15h. Nos finais de semana e feriados, às 10h, 12h, 14h e 16h. A Geisse Terroir Experience dura 1h30 e acontece (com agendamento) nos sábados, domingos e feriados nacionais, às 10h, 12h, 14h ou 15h30. O passeio pelos vinhedos tem capacidade máxima de 5 pessoas e inclui duas paradas para degustação de espumantes. Os valores são: R$ 250 para uma ou duas pessoas; R$ 300 para 3 pessoas; R$ 350 para 4 e R$ 400 para 5. Crianças de 4 a 7 anos não pagam.

Endereço:
 Linha Jansen, s/n – Pinto Bandeira, Rio Grande do Sul. Contato: (54) 3455-7461 ou (54) 3455-7462.

Pizzato

Apesar de não ser uma vinícola antiga, fundada em 1998, a Pizzato Vinhas e Vinhos é uma das mais premiadas da Serra Gaúcha. O grande destaque da empresa familiar é o Merlot, uma das variedades de uva que mais se adaptou ao terroir do Vale dos Vinhedos e que é a principal componente dos rótulos que levam o selo de Denominação de Origem. Aliás, sete vinhos e espumantes da Pizzato possuem a DO, entre eles, três vinhos tintos. Não à toa, a vinícola também é conhecida por aí como a Casa do Merlot.

Fotos: Dandy Marchetti (acima) e Tatiana Cavagnolli/Ibravin (abaixo)

Uma visita à Pizzato é recomendada pelo ambiente familiar, cuja história vai de avô a filhos e, agora, netos (um deles faz enologia e já trabalha nos negócios da família). Quando estive por lá, fiz uma degustação vertical dos Merlot da Pizzato. Ou seja: provamos varietais Merlot de várias safras para conhecer a evolução e as influências do clima a partir de diferentes colheitas de um mesmo vinho. A degustação foi acompanhada pela enóloga da vinícola e, entre um vinho e outro, saboreamos uma tábua de frios deliciosa. É um passeio super indicado para quem pretende aprofundar os conhecimentos sobre a uva mais emblemática do Vale dos Vinhedos.

A vinícola também oferece degustação com queijos gaúchos e charcutaria, além de jantares harmonizados.

Serviço: A empresa está aberta de segunda a domingo, das 10h às 17h – nos feriados, até as 19h. Diariamente são oferecidas degustações orientadas, sem necessidade de agendamento. O valor cobrado é de R$ 20 por pessoa e são provados oito produtos da vinícola. Já a degustação vertical funciona sob agendamento e dura entre 1h30 e 2h. O valor total vai de R$ 220 a R$ 850, conforme os rótulos escolhidos e podem participar até 10 pessoas.

Endereço:
 Via dos Parreirais, S/Nº, Santa Lúcia, Vale dos Vinhedos – Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul. Contato: (54) 3055 0440 ou (54) 98114 0116 (Whatsapp).

Angheben

Essa é a vinícola que recomendamos pela simplicidade e pelo ambiente familiar (dá uma olhada nestas avaliações), um lugar onde é possível conversar sem pressa com os proprietários e compreender um pouco mais sobre a produção a que a família Angheben se dedica desde 1999. Os proprietários Idalêncio (enólogo) e o filho Eduardo Angheben são carismáticos e não economizam tempo ao explicar em detalhes todo o processo de produção e a escolha pelo plantio de uvas menos conhecidas na região, como a Barbera e a Teroldego. Esta é uma das vinícolas ideais, portanto, para se aprofundar não apenas nos conhecimentos sobre a produção de vinho, mas também sobre a história da região, contada pelos seus moradores.

Serviço: A vinícola abre de segunda a sábado, das 9h às 17h. Nos domingos e feriados, é melhor consultar se estará funcionando. A degustação, que inclui cinco rótulos, custa R$ 30 e o valor pode ser abonado na compra de duas garrafas.

Endereço: RS 444, KM 4 – Vale dos Vinhedos – Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul. Contato: (54) 3459-1261 ou pelo e-mail adega@angheben.com.br

__________________________________

E você, já esteve na região da Serra Gaúcha e conheceu alguma dessas vinícolas? Ficou apaixonado por alguma outra? Comente, participe e contribua com suas dicas! Um brinde ao vinho!