Rumo ao Mundial 2018: qual a melhor forma de levar dinheiro em uma viagem à Rússia

Bruna Scirea 2 · abril · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

A poucos meses para o início do Mundial 2018, muitos brasileiros estão organizando a viagem e se perguntando qual a melhor forma de levar dinheiro para a Rússia. Conversamos com especialistas, fizemos algumas contas e chegamos a uma conclusão para quem quer economizar.

É importante considerar que existem outros fatores prioritários para os viajantes além da economia, como comodidade e segurança. Nesses casos, é possível gastar um pouco mais e viajar sossegado. Só não se esqueça: em uma viagem ao exterior é sempre bom ter mais de uma alternativa para fazer suas compras – assim, os apuros serão menores em casos de emergência, como perdas, roubos ou qualquer outro incidente.

Veja as principais opções que analisamos:

Comprar rublos russos no Brasil

Pesquisamos e encontramos pelo menos três casas de câmbio brasileiras que estão vendendo rublos russos: a Click Câmbio, a Confidence e a Cotação. Telefonamos para as três corretoras e as cotações foram as seguintes:

Confidence Câmbio – R$ 1.000 = 12.404 rublos russos
Click Câmbio – R$ 1.000 = 12.990 rublos russos
Cotação – R$ 1.000 = 13.364 rublos russos

(valores cotados em 26 de março de 2018)

A conversão do real para o rublo oficial é, em média, de R$ 1 = 17 rublos russos (ou de R$ 1.000 para 17 mil rublos). Como o rublo tem uma demanda muito pequena no Brasil, é muito difícil comprar a moeda em espécie com valores próximos à cotação oficial. Nesse sentido, embora possa ser cômodo viajar para a Rússia já com um bolo de rublos garantidos, a opção se torna uma das mais caras.

Conversão estimada em 26 de março de 2018

Por outro lado, sair do Brasil com uma pequena quantidade da moeda russa pode ser prático, especialmente se você não quiser fazer o câmbio no aeroporto, onde os preços também costumam ser mais salgados. É o que recomenda Lilian de Souza, gerente de Tesouraria da Treviso Corretora, parceira da Click Câmbio:

“É preciso lembrar que, além da burocracia de ter que trocar dinheiro lá, pode ser que a taxa de câmbio não seja muito vantajosa. Isso porque em função da grande demanda pela compra do rublo no país durante o Mundial, pode ser que você tenha que gastar mais euros ou dólares para trocar a moeda na Rússia”, explica.

PREÇOS NA RÚSSIA

Independente da forma escolhida, é bom que se tenha uma ideia de quais serão seus custos no país. De acordo com o site Precios Mundi, o valor de uma garrafa de 1,5 litro de água é de 36 rublos. Um combo em uma rede internacional de fast food, como McDonalds ou Burguer King, custa em média 300 rublos. E um almoço para duas pessoas em um restaurante, com dois pratos principais e sobremesa, fica em média 2.000 rublos. Veja aqui outros preços de outros produtos e serviços na Rússia.

Comprar euros ou dólares no Brasil e trocar por rublos na Rússia

Sair do Brasil com dólares ou euros para trocar por rublos na Rússia é uma das formas mais econômicas. O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) na compra do dólar, euro ou outras moedas estrangeiras (mesmo o rublo) em dinheiro vivo é de 1,1%.

Fizemos uma conta rápida: com R$ 1 mil, você pode comprar 226€ (já com o IOF de 1,1% incluso, na cotação do dia 26/03). Na conversão em uma casa de câmbio na Rússia, cada 1€ = 70,43 rublos russos (mais a taxa da agência de câmbio). Ou seja, com R$ 1 mil trocados por euros no Brasil e então por rublos na Rússia, o total seria de aproximadamente 15.900 rublos russos + mais taxa/ágio e eventuais impostos.

Entre as cotações que fizemos para comprar rublos no Brasil e a simulação da troca de euros por rublos na Rússia, existe um acréscimo (na segunda opção) de até 3.500 rublos russos a cada R$ 1 mil gastos. São quase 12 lanches no McDonalds (pensando em comida, a conta fica mais fácil)! Porém, atenção: há de se considerar eventuais taxas e impostos cobrados lá.

Se esta for a sua opção, aqui vai uma dica: “Pela maior proximidade geográfica de países da Zona do Euro, é preferível levar euros do que dólares para a Rússia. Mas os dois são aceitos na compra de rublos lá”, destaca Simon Peled, superintendente de vendas da Tesouraria do Banco Santander.

Usar cartão de crédito

O cartão de crédito tem a vantagem da praticidade (basta liberar o uso internacional) e da pontuação em programas de fidelidade, que depois pode ser revertida na emissão de novas passagens aéreas, ou no que você bem entender. E não tem como negar: é uma opção super segura. Mas vale lembrar que sobre as compras no cartão de crédito ou débito no exterior irá incidir o IOF de 6,38%. Além disso, os valores estarão sujeitos ao câmbio da data do pagamento da fatura do cartão, na maioria dos casos. O imposto sobre os saques no exterior também é de 6,38%, mais as taxas e encargos que geralmente são cobrados pelas administradoras dos cartões.

Usar cartões pré-pagos de viagem

A diferença do cartão pré-pago de viagem em relação ao cartão de crédito é que o cliente consegue, na segunda opção, “travar” a cotação da moeda no dia em que carregou o cartão – enquanto as compras no cartão de crédito no exterior ficarão sujeitas à cotação do dia do fechamento da fatura. Sobre cada carregamento no pré-pago também incide o IOF de 6,38%.

O cartão será carregado em euros ou dólares, que serão convertidos automaticamente em rublos na hora das compras. Por essa conversão, pode ser que você pague uma taxa extra – o que torna a opção ainda mais desvantajosa. No entanto, há alguns serviços que não cobram por essa conversão, como é o caso do cartão pré-pago do Banco Itaú (disponível somente para clientes).

Pedimos para o Itaú calcular quantos rublos dariam a partir de R$ 1 mil, usando o cartão pré-pago isento de taxas (a não ser o IOF). A estimativa, calculada em 26 de março, foi a seguinte: R$ 1 mil seriam convertidos em 217€, que por sua vez, dariam 15.415 rublos russos. Ou seja, apesar de o IOF ser maior do que a compra de moeda em espécie, o cartão pré-pago pode apresentar uma vantagem maior no fim das contas. Mas reforçamos o alerta: confira todas as taxas a serem pagas.

Qual seria a nossa escolha?

Infelizmente por aqui no Melhores Destinos ainda não tem ninguém de malas prontas para a Rússia. Mas conversamos sobre como levaríamos dinheiro para esta viagem, caso a fizéssemos, e a resposta foi unânime: euros (ou dólares) para trocar lá + cartão de crédito.

Avaliamos que, em termos de economia, trocar euros por rublos em uma casa de câmbio ou banco na Rússia é a melhor das opções. E, como é sempre bom viajar com mais de uma alternativa para as compras, apostamos nos quesitos segurança e praticidade do cartão do crédito – que ainda traz outros benefícios, como o acúmulo de pontos e, dependendo do cartão, até seguro sobres as compras realizadas.


E você, como levaria dinheiro para uma viagem à Rússia? Comente, participe e ajude outros leitores!

Autor

Bruna Scirea - Editora