Delta Airlines compra parte da GOL por US$ 100 milhões

Leonardo Marques 07/12/2011 às 9:40h 46

A GOL Linhas Aéreas acaba de anunciar a venda de parte minoritária da empresa para a norte-americana Delta Airlines. Em um comunicado aos acionistas a companhia brasileira chamou o negócio de “aliança estratégica”, que  prevê que a Delta irá investir 100 milhões no negócio.

De acordo com a nota da GOL, o acordo fechado entre as duas empresas “tem por finalidade a aquisição pela companhia norte americana Delta Air Lines, de uma participação acionária minoritária estratégica de US$100 milhões no capital preferencial da GOL”.

Conforme  informações divulgadas pela empresa, a principal novidade do acordo para os passageiros é a ampliação do compartilhamento de voos, que permitirá a clientes da GOL usufruir de destinos operado pela Delta e vice-versa – juntas as duas companhias chegam a mais de 400 destinos em 70 países.

As empresas afirmam ainda que haverá um “alinhamento” de serviços e benefícios dos programas de milhagem Smiles e Sky Miles, sem entrar em detalhes de como isso irá ocorrer. De cara a GOL descartou sua entrada na Sky Team, aliança global que tem a americana entre suas líderes. As companhias prometem promoções futuras envolvendo voos de ambas e compartilhamentos de salas VIP.

O acordo prevê ainda que a GOL eleja um representante da Delta para participar de seu conselho de atuação. Com sede em Atlanta, a Delta é a segunda maior companhia aérea do mundo, com 700 aeronaves e 80 mil funcionários.

Vale lembrar que a legislação brasileira impede que companhias aéreas nacionais sejam vendidas a grupos estrangeiros, limitando a participação dos mesmos a 20% do capital. Esses US$ 100 milhões representam uma participação da Delta na GOL próxima a 3%. Talvez por isso mesmo a GOL chamou esse processo de “aliança estratégica”. É muito mais um acordo para ampliar o mercado das duas empresas.

Segundo a GOL, esse acordo reafirma sua posição da empresa de voar apenas no Brasil, América do Sul e Caribe, e de utilizar apenas aviões 737-NG.

Em relação ao acordo com a American Airlines, ele ficará em vigor até seu término, porém não será renovado nos mesmos termos.

46 comentários para “Delta Airlines compra parte da GOL por US$ 100 milhões

  1. Serjones

    Eu acho isso muito interessante e válido. Tem se criar concorrência.. Consumidor final sempre ganha com isso.

    Responder
  2. Wilbert

    Quem sabe a partir de agora a Gol melhore os seus serviço de bordo e comece a fazer operações para os Estados Unidos e Europa.

    Responder
    1. Pedro

      acho que não

      quanto mais alianças ela faz, menos sentido faz ela voar para esses mercados. Ela vai concorrer com as parceiras?

      Responder
  3. Léo Teixeira

    EH Brasil..

    É uma empresa comprando a outra e a estrangeira comprando as duas….

    Vai saber se isso vai ser bom ou ruim pra nós…

    Agora me Diz se acredita que a Gol vai comprar a TAP..

    Somos Exportadores e não Importadores…

    Responder
    1. Thiago Castro

      Por mim abria o mercado aéreo para as empresas estrangeiras e parava com essa palhaçada de só ter empresa (duas) brasileira!!

      Se tivéssemos um bom serviço, até entenderia e defenderia, mas o serviço é um lixo!! Quero é fazer ponte aérea de Emirates!!! :D

      Responder
    2. Pedro

      Acho que a tendencia mundial para muuuuuuito longo prazo é existir só umas 10 empresas no mundo.

      Antes cada país tinha sua empresa aérea, e era um orgão estatal. Iberia, AirFrance, KLM, etc… o Brasil não tinha, mas era como se tivesse, a VARIG e a VASP(do governo de sao paulo).Hoje em dia isso está cada vez mais raro, e ficando impossivel algumas empresas competirem sendo estatais. A TAP está sendo provatizada por exemplo.

      Só país porcaria está no sentido contrario, como a Argentina que acbou de estatizar a Aerolineas e está tomando um prejuizo daqueles.

      Um dia estará tudo fundidoe a empresa que faz RIO-SP será a mesma que fará Toquio-Pequim.

      Responder
  4. Thiago Castro

    Agora bem que a GOL poderia ingressar no SkyTeam né???

    Responder
    1. Thiago Castro

      "De cara a GOL descartou sua entrada na Sky Team, aliança global que tem a americana entre suas líderes"

      O que a GOL tem a perder entrando no SkyTeam?? Ou será que ela não tem capacidade para tal??

      Responder
  5. Angelo Eugenio

    Tomara que essa aliança cresça e que seja mais vantajoso para todos nós.

    Mês que vem faço um vôo com a Delta com as milhas Smiles, primeira vez com a companhia, já que as anteriores foi com a AA.

    Responder
    1. Jade

      Eu creio que vc vai gostar dos servicos oferecidos pela Delta.

      Eu prefiro voar Delta do que AA.

      Espero que a gol possa operar Brasilia-Atlanta, como a Delta ja opera.

      Responder
  6. Vinícius Melo

    Ta ai de onde a Gol tirou a grana prapagar a webjet. Essa compra já deveria estar sendo negociado há muito tempo.

    Responder
  7. Angelo Eugenio

    "Em relação ao acordo com a American Airlines, ele ficará em vigor até seu término, porém não será renovado nos mesmos termos."

    Isso é ruim. Léo sabe me dizer quando termina esse acordo?

    Responder
    1. Leonardo Marques Autor do post

      Não sei, vou ver se acho.

      Responder
      1. Pedro

        terceiro trimestre de 2012

        daqui a 1 ano…

        Responder
    2. Thiago Castro

      Apesar da AA não lá isso tudo e o pessoal reclamar bastante dela, é sempre bom ter opções! Já que a GOl não está em nenhuma aliança global, perder a AA é perder um terço das parcerias (Delta, KLM/Airfrance), oque é muito ruim!

      Mas vamos ver, espero que esse acordo aumente as opções de vôos Brasil/EUA e q uma hora a GOL entre na SkyTeam!!!

      Responder
  8. Marco Antonio

    Leonardo, vc sabe a data de término da parceria AA x GOL?

    Responder
    1. Leonardo Marques Autor do post

      Não sei Marco, vou ver se acho.

      Responder
    1. Leonardo Marques Autor do post

      Lenda Urbana, até já quis fazer um post rebatendo esse oba oba.

      Responder
      1. Pedro

        o problema é que os institutos e pesquisas não sabem fazer uma boa pesquisa, e/ou nao explicam como foram feitas.

        Sem duvida o cara que compra SP-MANAUS faltando uma hora para o voo paga um absurdo, e pode ser que nesse quesito as passagens estejam ficando mais caras.

        Mas sem duvida o preco medio/km voado não está mais alto! Pelo contrario, está barato, se contar ainda com a inflação…. está proporcionalmente de graça.

        Lembro de 2006 uma promoção inovadora da GOL pasagens por 50 reais

        fiquei ate as 4 da manha na internet e comprei rio-salvador por 50 reais a ida e 130 a volta. Era uma promoção imperdivel. Hoje em dia se consegue esses rpecos sem o menor esforco(180 total). se considerar a inflaççao de 35% no periodo(5 anos), era como se eu pagasse 240 reais hoje ida e volta para salvador, na baixa temporada…. nada demais!

        quem escreve essas noticias só compra em agencia de viagem e nao le o MD

        heheheh

        Responder
        1. Luciano Pinheiro

          Em 2007 eu comprava 95 Belém-Macapá. Hoje, o preço é 150 a 200 pra 3 meses. 115,00 na PROMO. Quando tem.

          Responder
          1. Pedro

            Em 2007 vc tinha a TAF

            agora acabou a concorrencia!

            eh um caso a parte

        2. Leonardo Marques Autor do post

          É isso aí Pedro, quando vejo essas matérias dá vontade de fazer um mega post comparando os preços dos últimos meses com o mesmo período dos anos anteriores. Mas deixa pra lá… quem acompanha o Melhores Destinos sabe que cada dia temos mais oportunidades de viajar barato. A não ser em casos específicos como EUA que a demanda está absurda.

          Responder
  9. Pedro

    Quanto a afirmação abaixo:

    "Vale lembrar que a legislação brasileira impede que companhias aéreas nacionais sejam vendidas a grupos estrangeiros, limitando a participação dos mesmos a 20% do capital."

    Não é bem assim!

    A lei diz que o capital votante(para empresas listadas na bolsa, são as ações ON) tem que ser no mínimo 80% nacional. Mas o capital global(que inclui as ações PN) não há limites.

    Tanto que na fusão da LAN/TAM, foi encontrada esse brecha. Seré emitida muito mais ações PN, e a TAM só terá 80% das ações ON, ou seja, terá uma participação acionária menor, mas será o maior capital com direito a voto.

    Lógico que quem tem o maior capital acaba influenciando as decisões mesmo que não diretamente.

    A DELTA pode comprar ate 100% das ações preferenciais(PN) da gol, mas nunca comprar mais do que 20%.

    Lembrando que as ações ON raramente pagam dividendos, as PN normalmente sim! O que as empresas estão fazendo é entrar em sociedade com as cias brasileiras por meio de ações PN fazendo sobrepor o fator financiero em cima do capital votante!

    Muitas empresas já tentaram entrar no Brasil e só estçao conseguindo depois de achar esse espaço. A TAP tentou comprar a VARIG, a LAN tentou comprar a VASP, mas sempre ficaram limitadas nesse ponto!

    Há uma proposta no congresso nacional de se colocar para 50%+1 ações votantes nacionais.

    Na minha opinião, poderia se liberar até 100%, logico que aos poucos. Assim como foi feito com a liberdade tarifária. Antes as tarifas congeladas faziam os preços altos, quando foi acabar as empresas brasileiras, sobretudo a TAM, ficaram reclamando e disseram que não seriam competitivas, o que não aconteceu, e a TAM tem os seus atrativos de competição com relação as internacionais.

    Na Europa o mercado é aberto, inclusive para a 3a e 4a liberdade, o que quer dizer que se, por um exemplo, a TAM quiser fazer um voo Paris-Roma(3a liberdade) ou mesmo um voo Roma-Milão(4a liberdade) pode sem nenhum problema. Isso faz o mercado competitivo, tarifas atraentes, fusões de empresas(uma vez que elas ainda estão se adaptando a isso), e nem por isso vemos empresas falindo, muito pelo contrario, na dificuldade elas se saem melhor.

    quem sabe um dia…..

    Responder
    1. Pedro

      corrigindo

      A DELTA pode comprar ate 100% das ações preferenciais(PN) da gol, mas nunca comprar mais do que 20% ON

      Responder
      1. Marco Antonio

        Pedro, suas considerações estão corretas, porém dentro do contexto da reportagem, o q vale é o q foi colocado pelo MD. Quem manda na empresa é quem tem ação ON. Ação PN não tem poder de voto e não manda em nada, ou seja, ter 100% de ações significa no máximo q se a empresa distribui dividendos vc pode (observe q é uma possibilidade) receber um dividendos maior daqueles q possui ação ON e caso a empresa venha a falir, no momento de indenizar os acionistas, quem tem ação PN tem prioridade sobre quem tem ação ON.

        No dia a dia da gestão, ON é quem tem o poder….

        Responder
        1. Pedro

          Sem dúvida quem manda é quem tem ação ON, mas na compra de ações algumas coisas são determinadas por fora. Nessa negociação a GOL terá que incorporar um representante do conselho da DELTA.

          O capital votante não vota no dia a dia das ações de uma empresa. Ela vota em grandes decisões, e em 99% dos cargos as decisões ficam a cargo de uma pessoa, que representa o conselho. E a pressão é grande de quem tem maior capital pela indicação de uma pessoa que represente os interesses dela. O dinheiro no fim acaba mandando. Veja o caso da TAM, uma das condições era o CEO ser da LAN. Por mais que o capital votande seja de um, quem tem o dinheiro acaba mandando, mesmo que indiretamente. Como no caso da TAM, eu não acredito que quem vá tomar decisões seja a TAM por exemplo. É um papel burocrático que ela irá fazer.

          Fugindo da aviação, mas no caso da Vale, a troca da presidencia, foi indicação do governo, mesmo esse não sendo mais o maior capital votante.

          A Embraer é 80% do governo, mas uma cláusula de privatização diz que o governo nunca poderá gerenciar a empresa, sendo essa feita uma administração privada(e por isso que da certo hehehe).

          Outra coisa que não sei como fica, é que se uma empresa fica 3 anos sem gerar dividendos, o capital PN passa a ser votante.

          Supondo por absurdo que a LATAM fique 3 anos sem lucro, a LAN e suas ações PN teriam maioria votante, que iria de encontro com a legislação.

          Responder
    2. Denis Martins

      Ótimo esclarecimento, Pedro! Obrigado

      Responder
    3. Thiago Castro

      Que abra logo esse mercado aéreo e que tenhamos mais opções!!!!

      Responder
  10. Pedro

    É inevitavel a entrada em médio prazo da Gol na skyteam.

    Já é parceira da DELTA e AirFrance/KLM as principais, e agora também da aerolineas argentinas.

    A TAM aposto na ida para ONEworld(não que eu fique feliz com isso).

    E a Avianca acabará seguindo a matriz internacional(TACA/AVIANCA) e irá para a StarAliance

    Acredito que as demais não seguirao nenhum grupo, farão acordos pontuais, assim como a JetBlue(mentora da Azul) nos EUA

    Responder
    1. Thiago Castro

      Tomara!! Gostaria muito de ter mais opções para trocar minhas milhas Smiles!!

      Responder
    2. Rodrigo

      Acredito que a Gol não queira entrar agora para a Skyteam agora porque envolve um custo bem alto para se adequar ao programa.

      Na minha opinião, quem vai crescer muito aqui dentro é a Taca/Avianca, principalmente com a entrada dela em 2012 na Staraliance e a saida da Tam, mas desde que ela mude logo o programa de milhagem daqui de dentro (amigo) para o Lifemiles.

      Responder
  11. Pedro

    A delta terá só 3% da gol….

    Responder
  12. Marcos Reis

    Leo, o programa life Miles (TACA + Avianca) está dando 100% de milhas em cima de blocos de milhas compradas, a cada 1000 milhas o cliente ganha + 100%. Para promoção é preciso colocar o código LMAZ03.

    Abraços

    Responder
    1. Leonardo Marques Autor do post

      Estamos com o post pronto pesquisando trechos para a emissão mas tá complicado. Bom mesmo só achamos uma data/trecho.

      Responder
  13. Vitor

    Com 100 milhões de dolares não compra nem dois 737

    Responder
  14. Tf.moura

    A Delta nao ta comprando a gol…esse preço chega a ser irrisorio quant ao valor da gol…ela apenas comprou uma parte

    Responder
  15. Marcelo Idiarte

    Meu caro, US$ 100 milhões dá em torno de 3% em participação societária efetiva na GOL, o que não significa nem de longe "comprar" a companhia.

    Na verdade essas ações preferenciais estão lá para serem compradas mesmo, afinal a GOL é um empresa de capital aberto. Poderia ter sido eu ou você, se tivéssemos esse dinheiro.

    O problema é que o release da GOL diz claramente "Delta Air Lines realiza investimento de US$ 100 millhões

    no capital da GOL", os portais traduzem para "Delta Air Lines compra parte da GOL" e os leitores terminam de editar para "Delta Air Lines compra a GOL". Isso é mais ou menos como a velha estória do eclipse no quartel.

    A edição faz parte do jornalismo. É necessária por motivos de espaço e clareza. Porém sempre se deve tentar antever o que os leitores vão entender quando se tenta tornar um texto mais objetivo. Edição não deve provocar confusão. A menos, claro, que isso seja intenção deliberada.

    Responder
  16. Aurélio V. Co

    A DELTA pode ser a segunda empresa aerea do mundo, porém é bom salientar que ela costuma fazer overbooking. Fui vitima dela quando estive nos USA -férias de Julho/11.

    Responder
  17. Lenira HAZBOUN

    Quem mora em outra cidade, que a Delta não opera, poderá trazer 2 malas de 32 kg pela GOL?

    Responder
    1. Brum

      Provavelmente se for voo code-share, sim!

      Mas acredito q isso vá demorar um pouco pra começar a valer.

      Responder
  18. Thiago Castro

    Pagando bem que mal tem??

    Responder
  19. Pingback: GOL recebe autorização para voar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>