Aeroporto de Congonhas deverá ser concedido para a iniciativa privada em 2018!

Leonardo Cassol 16 · agosto · 2017

O Ministério do Planejamento informou a Portal G1 que o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, deverá ser incluído no pacote de concessões para a iniciativa privada que o Governo Federal pretende leiloar no ano que vem.

O objetivo é fazer caixa, uma vez que o aeroporto paulistano não exige um grande volume de investimentos e possui o terceiro maior tráfego de passageiros do país.

Estimativas preliminares feitas indicam que Congonhas poderá render mais de R$ 5 bilhões ao governo, de acordo com o Ministro Maurício Quintella. Esse valor viria da outorga, valor que concessionários pagam ao governo pelo direito de explorar um bem público.

A questão que deverá ser analisada pelos técnicos do governo é como fica a situação Infraero, já deficitária, com essa concessão. Será que a estatal sobrevive sem a “jóia da coroa”, já que, de longe, Congonhas é um de seus aeroportos mais rentáveis. Mas, se tratando de Brasil, ainda tem muita água para rolar…

E para o passageiro, será que haverá algum benefício ou mudança? Comente e participe!

Com informações do Portal G1.

Autor

Leonardo Cassol - Editor Editor e especialista em programas de fidelização do Melhores Destinos.
  • hbalieiro

    Eu sou a favor.

  • Gilberto

    Nao posso falar pelos demais aeroportos, mas antes mesmo da inauguracao do Terminal 3, Guarulhos deu uma melhorada atraves da privatizacao. Acredito que a tendencia seja essa para todos os que passarem para a iniciativa privada.

  • Renato Soares

    Ótima notícia. Já não era sem tempo.

  • Bruno Bastos

    Interessante: como querem que o Brasil dê certo se os que dão lucro vão pra iniciativa privada a preço de banana, enquanto o estado deve ficar com os fardos que não se sustentam??

    • Hugo Leonardo

      A ideia de agregar lucrativos com deficitários e leiloar um pacote seria melhor do que vender só o filé… Ninguém vai querer os deficitários depois, ou vende a estatal toda ou vende em blocos, senão vai continua esse cabide de emprego que está já que ninguém pode ser demitido e ninguém quer sair da mamata de funcionário público para o privado, daí vão criar mais cargos de assistente de passeio pelo corredor com os funcionários à toa

      • Infraero é de regime celetista, Hugo. O que devemos pensar é que a maioria dos aeroportos é deficitária para que existam os hubs. Fazendo um paralelo, povo não pode exigir que corpo de bombeiros dê lucro.

    • Sergio Loureiro

      Privatiza os fardos também, mas dá liberdade para o empresário trabalhar…

  • Márcio Sampaio

    Deveria licitar um pacote. Quer Congonhas? Leve junto uns 4 ou 5 deficitários de contrapeso, com obrigação de investir em todos. A mesma coisa com o Santos Dumont.

    • Sergio Loureiro

      Em tese é uma excelente ideia.. mas tem que dar liberdade para o empresário trabalhar nos 4/5 deficitários e transformá-los em superavitários, senão Congonhas vai ter aquelas tarifas astronômicas para cobrir o lucro do empresário + prejuízo dos outros 4/5 aeroportos.
      Só quem sustenta prejuízo é governo, porque banca com os nossos impostos.
      A privatização do Galeão foi a maior idiotice que foi feita, pois deixaram a Infraero com 49 % do aeroporto… Tem que privatizar o aeroporto todo… 100%…
      Infraero, pega o pessoal e realoca em outro órgão público, ou faz como iniciativa privada faz: reduz o quadro.

    • Renato

      É o correto e se não for assim vai ficar parecendo que o governo só que fazer caixa pra pagar emendas a deputados 🙂 tem que aproveitar o que ainda tem CGH, SDU, CWB, os 49% de CNF, BSB, GRU, GIG e leiloar cada um junto a uns 4,5 deficitários.

  • Alan

    Privatização é assim: a qualidade dobra e o preço triplica.

    • LuRodamilans

      Pior quando não tem qualidade e o preço é um absurdo…

    • Patrik Rodrigues

      Foi assim nos outros aeroportos, os preços triplicando? Não né, então pronto!

    • Emanuel Schott

      Não é que o preço sobe, é que paramos de pagar indiretamente pelo prejuízo através de dinheiro do tesouro.

      O preço “sobe” porque de fato só quem usa o aeroporto vai pagar por ele, sem subsídios.

  • Fabiano Rei Dos Micos

    Discordo,Sr há prejuízo coloque gente competente na gestão, porém diz o mais rentável.
    O que acontece é a volta do modo tucanalha de desgovernar,que não escolhi,como 54 milhões também não.
    Contra as empresas particulares so ha uma coisa a se fazer,uma guinada a extrema esquerda,não ao PT,que entregou o poder a golpistas e privateiros,mas ao comunismo de verdade.

    • Hermes Hs

      São todos iguais, enquanto um defende a esquerda e outro a direita, eles seguem ambos, roubando e enganando a nós todos !!!!

    • Heitor

      Comunismo não deu certo em lugar nenhum do mundo e ainda tem doido que acredita! Comunismo é igual ditadura e mortes, apenas isso! Nada pode ser pior!

      • Fabio Rodrigues e Souza

        Capitalismo também não é nem de longe um modelo livre de fomes e mortes, amiguinho. Não sei como entramos nessa discussão, mas enfim kkk

  • Maurício Martins

    Pura falácia… Vide Viracopos…

    • Viracopos tinha sido planejado (mal planejado inclusive), para ser uma válvula de escape ao aeroporto de Guarulhos. Porém, com a crise, as aéreas conseguiram comportar todos seus vôos dentro de GRU, o que levou a Viracopos ficar ocioso e por fim, deficitário.

    • Alexandre Gromboni

      VCP não deu certo e creio eu que foi mais burrice de quem planejou o movimento do que da crise ou do aumento do desemprego. Pessoal especula valores absurdos, que na realidade, vêem que não existe. Hopi Hari aconteceu o mesmo, achavam que iam ter x de visitantes por ano, quando foi inaugurado, nunca chegou nem a metade da quantidade especulada.

    • Renato

      Vamos ser sincero também que pagaram quase 4 bilhões num aeroporto que depende exclusivamente de uma única companhia aérea e tendo assumido compromisso de ter que investir quase o mesmo montante em construções, tava na cara que não ia dar certo. E pra completar essa única cia aérea que opera por lá tem um sócio que é sócio de GIG, convenhamos que não tem como as expectativas serem otimistas.

  • Ivo Júnior

    A ideia é legal, mas sobre não necessitar de investimentos é que eu discordo. Precisa sim aumentar o terminal de embarque, e precisa sim investir em segurança, caso contrário, se acontecer um acidente grave, ressurgirão todas aquelas teses de que o aeroporto tem que ser fechado e o concessionário vai querer ser ressarcido pelo poder público.

    • Exato. 6h é mais confortável no gélido Tietê do que em Congonhas. Fiz uma viagem às 6:40 para nunca mais passar por este aeroporto antes das 9.

  • Felipe Paolucci

    Privatiza todos os portos, aeroportos e estradas do país, adeus atraso!

  • Cassiano

    Também acho sacanagem conceder o CGH sem incluir outros aeroportos deficitários, principalmente, os de vôos regionais, para fomento desse mercado que tem muito a ser explorado ainda.

  • Cassiano

    Apesar de ser a favor da privatização dos terminais, precisamos ponderar no retorno dessas concessões para a sociedade, pensando nas obrigações do concessionário entendendo o impacto que traz na cidade e que pode ser mitigado como o trânsito no entorno. Só gerir o lucro e deixar o ônus com o Estado, não resolve.

    Importante focar no debate o que precisa ser melhorado no aeroporto, o que esperar da concessão, tenho certeza que tem muita gente com boas e diversas ideias para enriquecer o debate. O gargalo da corrupção dos aeroportos está nas licitações de grandes obras, coisa que o Congonhas não precisa.

    Melhor que conceda ele com outros aeroportos deficitários com maiores obrigações de retorno à sociedade (fomentando a aviação regional, talvez), ou então de fechar uma parceria com os governos estadual e municipal e colocar como contrapartida a finalização do metrô até o aeroporto, fomento da conectividade dele com a cidade e, porque não, dele com os outros terminais paulistas? Tenho certeza que Alckmin e Doria agradeceriam.

  • Jonathan Kenji Hirakawa

    Bem curioso, para dizer o mínimo. A maior parte dos aeroportos que eu voo são administrados pela Infraero, com exceção de GRU, VCP e CGH. Mas muito interessante saber disso. 😉

    Obrigado.

    • Cassiano

      Imagina!

  • Orem B. Hartuing

    Empresas estatais não operam com base no lucro contábil, mas no fornecimento de serviços universal e abrangente à população. Empresas privadas jamais terão interesse em aeroportos de cidades médias, por exemplo, deixando milhões e milhões fora do alcance da malha aeroviária (caso você viva em cidades como Maringá, Uberlândia ou Petrolina, irá me entender)