Entendas as diferenças entre os aviões E-jets da Embraer e os turbo-helice ATR

Leonardo Marques 20 · julho · 2010

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Até pouco tempo, praticamente só se voava no Brasil em aviões Boeing, Airbus e Fokker, mas nos últimos tempos dois aviões estão se tornando comuns nos aeroportos brasileiros, os jatos da brasileira Embraer e os turbo-helice da ATR (Avions de Transport Regional), uma empresa que surgiu da união de uma empresa francesa com outra italiana.

Tanto os ATR quanto os EMB ou E-jets são líderes mundiais nos seus segmentos. Os ATR são fortemente utilizados no Brasil pela Trip, que tem 28 ATR (entre os modelos 42 e 72) e mais algumas encomendas, enquanto os jatos da Embraer, apesar de serem fabricados no Brasil e um sucesso no mundo todo, nunca haviam sido utilizado no Brasil até 2008, quando Azul e Trip começaram a operar com eles nos modelos 175, 190 e 195. A Azul tem hoje 18 EMB (190/195), mas sua encomenda total é de um 81, portanto ela ainda vai receber muitos deles nos próximos meses. Já a Trip tem 6 EMB 175.

O que motivou esse post foi o anúncio que a Azul também irá utilizar aeronaves ATR 72 e que a TRIP irá utilizar modelos EMB-190.

Cada um deles tem uma aplicação distinta e são bem adequados para a realidade brasileira. Os ATR são mais indicados para pistas menores ou cidades com baixa demanda, além disso, como os ATR têm pouco mais da metade da velocidade de um jato (seja ele EMB, Boeing, ou Airbus), são melhores para voos de curta duração.

Em outras palavras, para atender as pequenas cidades brasileiras, os atuais aviões utilizados pela Azul não seriam a melhor opção, pois não poderiam pousar em certas pistas. Por outro lado, fazer voos longos nos ATR é muito demorado, menos confortável que nos EMB e os aviões tem baixa capacidade, em média 68 passageiros por aeronave.

O que fazer? Mesclar os dois tipos de aviões. Azul e Trip tiveram “a mesma idéia”, que parece fazer todo sentido.

Com esses dois tipos de aviões, a Azul poderá atender cidades menores, que hoje ela não atende com os jatos que possui. Já a Trip poderá atender melhor seus clientes em cidades mais distantes com os jatos de maior capacidade da EMB.

Os aviões da ATR podem transportar entre 48 e 68 passageiros, já o chamados E-jets levam entre 86 e 118 passageiros.

Autor

Leonardo Marques - Diretor do Melhores Destinos