Como é voar na classe executiva do A380 da Emirates

Redação 13 · maio · 2014

Quando se fala em luxo e conforto entre as companhias aéreas muitos nomes se destacam, mas nenhum como o da Emirates. A companhia de bandeira dos Emirados Árabes foi eleita mais uma vez a melhor do mundo no ano passado e ostenta números tão impressionantes quanto seu luxo: são mais de 130 destinos em 74 países, operados com mais de 220 aeronaves de fuselagem larga, incluindo 125 Boeing 777 e 47 Airbus A380, o maior avião comercial do mundo. Foram nos dois modelos que nosso leitor Luiz Henrique Novinski embarcou em sua última viagem com a Emirates. Nesta avaliação fantástica, ele conta como é voar na classe executiva do A380 de Bangkok a Dubai, que postamos hoje, e na primeira classe do 777, que postaremos amanhã. Acompanhe o relato e conheça os motivos que levam a Emirates a ser considerada a melhor companhia aérea do mundo.

Avaliacao-Emirates-A380

Escolhi esta companhia porque já havia voado com eles em agosto deste ano para o mesmo destino. Como houve a chance de repetir a viagem e tudo correu 100% perfeito na primeira vez, acabei decidindo voar novamente, porém agora fazendo uma avaliação minuciosa de todos os detalhes visando poder compartilhar esta revisão aqui neste site.

Foto00

Também pelo motivo de que a Emirates foi eleita como a “Melhor Companhia Aérea do Mundo – 2013” (Skytrax) e eu tive a oportunidade de voar tanto na classe executiva como na primeira classe, logo imagino que isso deve ser uma curiosidade de muitos leitores, tanto quanto era a minha.

Nesta revisão, vou relatar como foram as experiências do retorno de Bangkok para o Rio de Janeiro, voando dois trechos com a Emirates, em classes diferentes (Executiva / Primeira) e em aeronaves diferentes (A380 / 777).

Dados dos voos:

Bangkok (BKK) -> Dubai (DXB) – Voo EK0385 (6,5 horas – Classe Executiva)

Dubai (DXB) -> Rio de Janeiro (GIG) – Voo EK0247 (14,5 horas – Primeira Classe)

Compra

Como foi uma viagem de negócios, a compra da passagem foi feita pela agência de viagens da empresa, mas participei da seleção dos voos, cotações, comparações de preços, ajustes de detalhes mínimos quantos aos horários de chegada e saída, visando sempre o melhor custo x benefício geral. Ainda que a Emirates tenha toda a reputação de ser uma companhia luxuosa com passagens caras, quando feita a comparação dos valores de passagens com outras cinco companhias que operam para o mesmo destino, a Emirates na classe executiva simplesmente empatou com a 2ª colocada e ficou ainda sendo a passagem mais em conta para o trajeto, fora que é a companhia com o menor tempo de conexão entre voos (outra vantagem excelente).

Como participei da compra e escolhi os voos pelo site, posso recomendar a utilização do site da Emirates porque é muito simples, organizado, completo e é possível encontrar quaisquer informações necessárias, inclusive o monitoramento dos voos que estão acontecendo ao vivo.

O custo de uma passagem na classe executiva entre Curitiba (minha cidade origem) e Bangkok pela Emirates fica entre R$ 13.000 a R$ 18.000, dependendo da flexibilidade das datas. Como comprei com antecedência para uma data específica, ficou R$ 16.500,00 o trajeto completo.

Quanto ao trecho da primeira classe, essa foi uma opção em utilizar minhas milhas para um upgrade, para sanar minha curiosidade e poder divulgar como foi essa experiência.

Check-in e embarque
Chegando ao Aeroporto Internacional de Suvarnabhumi (Bangkok), foi tudo muito tranquilo. Existe a segregação entre as categorias e é tudo muito organizado.

Foto01

Apesar de eu viajar sempre da maneira mais confortável possível (bermuda, camiseta, tênis, etc.), em momento algum houve preconceito ou tratamento diferenciado pela maneira que estava vestido (já sofri discriminação em voos domésticos no Brasil por me vestir exatamente desta maneira). Muito pelo contrário, o pessoal da Emirates foi sempre cordial, muito atencioso e simpático em todos os momentos (fila de embarque, atendentes, comissárias e inclusive na retirada das bagagens no destino final) – somente tenho a elogiar a todos pelo excelente serviço prestado.

O voo saiu exatamente no horário previsto e não houve nenhuma fila no embarque, levando em conta que devido à segregação das categorias e a disposição dos “fingers” do aeroporto, tudo fica extremamente organizado. É justamente isso que falta por aqui para que possamos receber o Airbus A380 nos aeroportos do Brasil.

Foto02 Foto03

The Emirates Lounge (Bangkok)

Como estava voando em classe executiva, a espera pelo embarque é aguardada dentro de uma sala especial/VIP. A Emirates possui este tipo de sala nos principais aeroportos do planeta. No Brasil, ela tem parceria com a Sala VIP Smiles. Em Dubai (casa da Emirates), a história é outra – vou relatar em detalhes abaixo.

Foto04

Nesta sala VIP em Bangkok, existe um amplo espaço para descansar, assistir TV, carregar dispositivos eletrônicos, banheiros com salas de banho e, é claro, um buffet muito completo para “amenizar” a espera.

Foto05 Foto06 Foto07 Foto08 Foto09

Avião

Essa é a terceira vez que voo no Airbus A380-800, porém desta vez procurei documentar da melhor maneira possível esta aeronave.

Foto10

Ela é segregada em dois andares, onde primeira classe (14 suítes, quatro por fileira) e a classe executiva (76 assentos – 8 intercalados por fileira) ocupam o andar superior e a classe econômica (366 assentos, configuração 3-4-3) fica no andar principal. Ambos são conectados através de duas escadas internas (no início e no final), as quais somente a tripulação pode trafegar entre os andares.

Foto11 Foto12 Foto13

Como os aviões A380 são muito novos, é impossível não ter a impressão de estar entrando num “carro zero”. Praticamente tudo é impecável. As poltronas na classe executiva viram camas 100% planas, perfeitas para aqueles que preferem dormir. As janelas são eletrônicas com botões para fechar/abrir as cortinas/blackouts). Existe um barzinho com mesa na lateral onde este espaço é muito conveniente para colocar as bebidas/comidas sem atrapalhar o passageiro quando precisa levantar.

Foto14 Foto15 Foto16 Foto17

Mas o grande diferencial da Emirates são os dois “Lounges a Bordo” que todas as aeronaves A380 possuem (um na primeira classe e outro nos fundos da executiva). É simplesmente fantástico poder levantar do assento e ir lá atrás para se socializar, conforme proposta da Emirates.

Foto18

Assim eles descrevem (perfeitamente) no site: “Localizados no deck superior, os dois lounges oferecem um lugar para saborear aperitivos e, talvez, um Grand Cru. Saboreie especialidades cinco estrelas preparadas por alguns dos maiores chefs do mundo, além de vinhos finos selecionados cuidadosamente por nossos sommeliers. Desfrute até mesmo seu coquetel favorito preparado pelo nosso barman exclusivo.”

Foto19

Neste voo de regresso ao Brasil eu tive a chance de poder justamente desfrutar dessa proposta, conhecendo pessoas muito agradáveis e participando de diversas discussões, o que tornou a viagem de 6,5 horas praticamente imperceptível devido ao perfeito ambiente de descontração proporcionado. Existem alguns bancos espalhados no lounge e no caso de uma possível turbulência (que não aconteceu no meu caso), basta os ocupantes sentarem e colocarem o cinto, sem ter a necessidade de voltar aos seus lugares. Simplesmente uma ideia fantástica.

Serviço

Como mencionado anteriormente, o serviço prestado pela Emirates é impecável. Todas sempre muito sorridentes, simpáticas e muito atenciosas. Apesar de não esperar que falassem português por ser uma viagem longe do Brasil neste primeiro trecho, eles mencionam todas as línguas faladas pela tripulação durante a apresentação do comandante e chefe de cabine. Em toda a minha experiência com a Emirates eles nunca deixaram de mencionar pelo menos 12 línguas diferentes. De qualquer forma, como acontece na maioria das companhias aéreas, todos os anúncios são feitos na língua da aeronave (árabe, neste caso), em inglês e na língua do país destino/origem (tailandês, neste caso). Da mesma forma, em voos para o Brasil, existe o português nos anúncios.

Já havia travesseiro e fones de ouvido (headset), porém as comissárias passam perguntando se os passageiros gostariam de ter a “cama arrumada”. Neste caso, eles colocam outro colchãozinho menor sobre a poltrona já convertida em cama para melhorar o conforto e oferecem cobertores.

Os fones de ouvido são equipados com cancelamento de ruído, ou seja, praticamente você não ouve o barulho das turbinas quando está com ele (mesmo com a TV desligada), usando assim como um “abafador” e facilitando o sono.

Refeições

Logo na entrada (enquanto a aeronave ainda estava no solo), já foi servido um Champagne (Veuve Clicquot Yellow Label). Existia a opção por suco de laranja ou de maçã também.

Foto20

Como era um voo noturno (das 1:05 às 7:40), a única refeição deste trajeto era o café da manhã que seria servido 1,5 hora antes da chegada a Dubai.

Porém, havia o Lounge que oferecua comidas e lanches (sanduiches, sushis, castanhas, nozes, bolos, doces, etc.) e todos os drinks possíveis. Verificando o cardápio de coquetéis, eles têm mais de 50 bebidas diferentes (puras ou montadas pelo barman a bordo).

Foto21

Apesar de ter passado a maioria do voo no Lounge, não dava para dispensar o café da manhã. No cardápio havia diversas opções para “entradas” e “prato principal” a serem escolhidas.

Foto22 Foto23

Chegada a Dubai

Na chegada ao Aeroporto de Dubai, como eu estava apenas fazendo conexão, eu não precisei retirar minha bagagem porque eu ficaria apenas duas horas até meu próximo voo. No caso de “stopover” (pausa na viagem para conhecer o destino de conexão), você é obrigado a retirar suas malas e fazer novo check-in (aconteceu comigo na viagem passada). Neste caso, basta “viajar” até o respectivo terminal onde suas malas vão ser entregues.

Foto24

 

Usei o termo “viajar” porque devido ao tamanho gigantesco deste aeroporto, realmente é necessário pegar um trem no subsolo para poder chegar até o outro terminal. Apesar do tamanho, as placas de identificação são tão claras e o aeroporto é tão organizado que fica praticamente impossível tomar o caminho errado lá dentro.

Foto25

 

Realmente todo o luxo de Dubai já pode ser percebido neste aeroporto. Não é a toa que ele  é considerado um dos mais luxuosos do mundo. Algumas fotos para ilustrar:

Foto26 Foto27 Foto28 Foto29

Não perca amanhã a segunda parte desta avaliação, com o incrível lounge First Class da Emirates em Dubai e o voo em Primeira Classe até o Rio de Janeiro no Boeing 777 da companhia. E você já voou na executiva da Emirates? Deixe sua opinião nos comentários e participe! Veja todas as companhias aéreas avaliadas pelo MD neste post

Publicado por

Redação

redacao

  • jonatan

    que sonho!! fui de economica tam de porto alegre até paris e ja achei bom!! hehehe

  • So posso dizer uma coisa: uaaaaaaaalaaaaaaa!!!

    Muito bom o relato Luiz Henrique. Teria sido por vc estar na executiva motivo de terem te tratado muito bem mesmo com a vestimenta descontraída, ou é de praxe da Emirates o tratamento vip sem distinção??

    Achei relativamente barato o preço da viagem para a classe executiva no trecho indicado. Meu chefe pagou quase 19k para ir de LHR para SYD na executiva da QANTAS, um tanto salgado.

  • Patricia

    Infelizmente a minha experiência com a Emirates foi a pior possível. Tudo deu errado!! Da compra da passagem até a chegada ao destino.

    O site para compra simplesmente não aceitava um sobrenome para a passagem diferente do que constava no cartão de crédito. Não sei se era um erro momentâneo, mas precisei contornar a situação comprando com o nome do cartão e depois pedindo para a Emirates alterar o nome do passageiro, de forma que a passagem ficasse como o passaporte. Só assim poderia solicitar visto para os países que fui. O pessoal da Emirates alterou o nome, mas mudou também o dia da passagem!!! Por sorte vi a tempo. Lá fui eu pedir para alterar de novo. Detalhe: queriam cobrar por isso. Após ameaças da minha parte, corrigiram a data sem cobranças pelo erro deles.

    Chegando a Dubai, esqueci uma pasta na aeronave. Poucos minutos depois, retornei, mas a tripulação informou que não poderia entrar no avião para pegar a pasta. Me mandaram para uns 5 lugares diferentes dentro daquele aeroporto enorme. Resumindo, depois de 4 horas, cansei de esperar. Ainda liguei por mais 2 dias para o achados e perdidos do aeroporto, mas a Emirates nunca achou a pasta.

    Ah, mais um episódio: ao fazer o check in, a Emirates simplesmente mudou o assento que eu havia marcado na compra pela internet. Tinha escolhido as últimas poltronas que são de 2 lugares. Por sorte o rapaz do check in conseguiu outra.

    Para mim, a Emirates foi a pior cia que já tive a oportunidade de utilizar os serviços. Se precisar voltar para aquela região, vou escolher Etihad ou qualquer outra, ainda que tenha mais horas de voo.

    • Alef38

      Nossa Patricia, que chato mas acredito fora uma eventualidade, pois só vejo elogios à Emirates.

      • gisela versiani

        Já viajei algumas vezes pela Emirates e nenhuma delas foi alguma maravilha comparada a outras cias. Já encontrei inclusive comissárias incrivelmente mal educadas. Sobre a classe executiva, já vi a da Emirates mas só cheguei a viajar de Qantas e LAN. A da Emirates me pareceu melhor que a LAN mas bem menos confortável do que a da Qantas…

    • Mari

      O bom é a TAM hehehhehe

      • Eliezer

        A Tam não é assim uma Emirates, mas definitivamente não merece as pesadas críticas que nós brasileiros constantemente fazemos ! É cultural nosso, supervalorizar o externo e depreciar o interno..

        • Lucas

          Voe de American Airlines, Iberia ou TAP que vai achar a Tam uma maravilha

          • Antonio Santos

            Já viajei nas 3 e a Iberia pelo menos na executiva dá um banho na TAM. Poltronas que reclinam 180º, serviço impecável até com uma pessoa tipo maitre coordenando tudo e cada coisa servida no seu momento, bem diferente da TAM que traz o bandejão com tudo junto (sala, sopa, prato principal). Quando se chega ao prato principal está frio

    • Realmente é impossível retornar à aeronave depois de ter saído, isso não é culpa da companhia, mas poderiam ter verificado para ti informando o número do assento.

    • Mauri

      Voce culpa a Emirates pelos seus proprios erros? Que tal ser responsavel e nao esquecer seus pertences no aviao e ligar para a Emirates para resolver o problema do sobrenome ao inves de "dar um jeitinho" e se atrapalhar toda com o resultado.

      • Que bobagem cara. Cresce e largue de grosseria.
        Todo mundo pode esquecer algo. Quanto ao nome no cartão cada um dos meus aparece algo diferente

    • Que pena Patricia! Eu considero hoje a Emirates a número 1! Espero que você tenha uma nova chance de poder experimentar outro voo e mudar a opinião! 🙂

    • Mauricio

      Vc não deu sorte, voar com eles é simplesmente uma experiência fantástica.

  • Matheus

    Sem palavras…

  • Alef38

    Que sonho !!!! Realmente é um privilégio voar pela Emirates. Terei essa oportunidade ano que vem onde irei para o Egito, com conexão em Dubai.

  • Marcos

    Realmente qdo se le relatos como este vemos como nossas companhias aéreas brasileiras estão anos luz atrás de companhias como a Emirates, mesmo se levando em conta que tudo tem seu preço, estou pra Paris e Londres com a familia em agosto ( 4 adultos e uma crianca 6 anos) ida e volta total por 11300,00 o que ainda nao chegou alcançou o valor de uma única passagem da emirates na executiva ,

  • MTorres

    Pelas fotos, achei a executiva da Etihad melhor. Ponto para o Lounge bar (que só existe gracas ao A380) e a essa sacada de ter um mini bar ao lado da poltrona. Eu ficava morrendo de medo dos liquidos cairem. Pela Etihad era só o porta agua. Agora, de fato o aeroporto de Dubai é incomparavel, mas para esses casos de conexão rapida (Emirates, Qatar, Etihad), acho que aeroporto grande complica. Sei que da tempo, mas entre esses voos gosto de tomar um banho. Na economica então, é regra. Ja rolou de ter que sair correndo e não dar tempo de tomar banho.

    • Mari

      Me deu a impressão do assento da executiva ser muito estreito….

      • Thais

        Viajei de executiva realmente eéé estreito para o valor, eu como ganhei upgrade estava otimo hehehe

        • Sinceramente, não achei tão estreito assim. E olha que estou longe de ser magro e tenho 1,87m… Pude dormir perfeitamente!

    • Antonio Santos

      Conheço as 3. A Emirates tanto na First Class quanto na Business é bem superior às demais, apesar da Etihad tem a executiva parecida com os A380 da Emirates. Entretanto, no conjunto perde para Emirates considerando que numa viagem existe o check in, o pessoal de aeroporto, lounge, avião, etc. Nenhuma tem uma First Class como a Emirates onde se pode até tomar banho à bordo. Fantástico. Outra coisa: o aeroporto de Abu Dhabi onde para a Etihad está em obras e é uma grande confusão. Mais uma vez nota 10 para Dubai onde opera a Emirates.

  • Nossa, luxo para poucos, infelizmente. Mas é só eu ganhar na Mega Sena que todas minhas viagens serão assim!

    • Nem sempre… no meu caso, eu tive sorte em dobro no ano passado – apenas isso! 🙂 Logo chega sua vez!

  • Ernesto, o pato

    Excelente FR, parabens e obrigado por compartilhar…. Agora preciso de um coach para ter um emprego assim!

    • EHEHEH! Obrigado! Quanto ao emprego, não é nada especial não. Eu trabalhava para uma empresa petrolífera americana até o final do ano passado e as viagens intercontinentais são sempre na classe executiva. Apenas eu consegui coordenar os melhores voos, com as melhores pontuações para conseguir chegar na 1a classe no meu 4 trajeto (final do 2 vôo). 🙂

  • É legal ver como são os luxos das classes altas, infelizmente tenho que me contentar com voos com a Iberia para a Europa ou pela Copa para a América do Norte.

    • Carlos Alencar

      Hahaha
      Somos dois.

    • Daniel Mansur

      Antes ir de Ibéria ou Copa do que não ir, né?

  • Beni

    Relato demais!!! um dos melhores que eu ja li aqui! Parabens! 🙂

  • Daniel

    Muito bom o relato. Quero ler a 2a parte !

    Ano passado eu fui de Emirates para o Japão à trabalho e fiz GRU – DXB e DXB – HND. Gostei, pena que não usam A380 para Haneda (e acho, Narita). Eu estava muito curioso para saber como seria a executiva da Emirates e por isso a escolhi (eu poderia ter ido de Etihad, por exemplo). Paguei R$16 mil. Honestamente eu gostei, mas de verdade prefiro a executiva da Singapore. O conforto na Singapore foi melhor do que na Emirates, e no 777, a disposição dos assentos é 1-2-1, e na Emirates, é 2-2-2 (se bem me lembro). Ou seja, se você vai na janela – e eu sempre vou – ninguem fica do seu lado. Já o serviço foi, digamos praticamente igual, com um pouco de vantagem para a Emirates pois parece que peguei aeromoças em melhor dia do que na Singapore.
    Depois da decolagem, tive problemas com o sistema de entretenimento no vôo de Haneda para Dubai – os filmes travavam depois de 20 minutos então eu fiquei 9h sem assistir nada. A executiva e 1a classe estavam lotadas então eu não pude ser realocado para poder ao menos me entreter durante o vôo.
    Já voei de A380 de Los Angeles para Sydney com a Qantas, mas fui no "pedala-class" mesmo assim, a aeronave é incrivel, mesmo na econômica.

    • Concordo contigo Daniel. Mas só por estar no A380 já é um sonho, né?
      Quanto ao conforto, até hoje nenhuma aeronave conseguiu bater o 777-300ER da Emirates. Sem dúvidas esse é o melhor avião que já voei.

      • Daniel

        Ô se é !!!! Eu nem dormi direito pensando em como montar a viagem de um jeito que eu pudesse ir para o Japão na executiva de um A380, mas as 2 únicas opções que eu tinha eram muito mais caras, aí acabei desistindo … vai ficar para uma oportunidade futura …
        Se você tiver um dia a chance de ir para a Europa e tiver de ir de executiva, testa a da Singapore, acho que vale à pena fazer o comparativo.
        Na próxima vez que eu for para o Japão vou testar a Etihad ou a Qatar (que já viajei de econômica e não curti não)

    • Eliézer

      Daniel, se me permite comentar teu elogio a Singapore, fui de Guarulhos a Bali pela Singapore (GRU-BCN-SIN-DPS), de econômica, dia 31/12/2012 (sim, o revellon foi de madrugada sobrevoando o Atlantico!). Sinceramente, achei um serviço bem comum de classe econômica, e o que tinha de diferente era, infelizmente, pontos negativos… A pressa do serviço feito pela tripulação (chega a ser constrangedor para quem não é asiático), que aliás me pareceu de um sorriso e simpatia absolutamente forçados, muito falso. A ausência total de entretenimento a bordo em português e em espanhol (nem no vôo de Barcelona a Singapura), absolutamente nenhuma instrução em português no vôo GRU-BCN. A comidinha é o mesmo arroz, purezinho e carninha com molho de qq classe econômica, a mesma saladinha e aquele bolinho xoxo, realmente só pra matar a fome. De BCN a SIN serviram um sorvetinho tb bem comum. O último trecho SIN-DPS foi feito num 777-200 que acredito devia ter uns 20 anos de uso ! Enfim, desculpe contrariar, mas minha experiência foi de um serviço adequado, porém dentro dos padrões de qq outra classe conômica.

      • Daniel

        Eliézer, claro que pode contrariar !

        Eu também já voei de Singapore na econômica para Barcelona e achei o serviço bom. Fui com meus pais que só falam Português e Espanhol e na época (foi um dos vôos inaugurais da Singapore para o Brasil em 2011) havia entretenimento e menu em 3 idiomas (ou 4, agora não lembro). Achei, de longe, a melhor econômica que já voei nos últimos 10 anos depois da Qantas no A380. Mas meu comentário está mais voltado à comparação entre as 2 executivas (Singapore e Emirates). Como eu não viajei ainda na econômica da Emirates, não posso ainda comparar as duas, MAS … como ganhei 25000 milhas ou pontos da Emirates nesse vôo até o Japão, tenho uma passagem grátis para Buenos Aires, e que vou usar em pouco tempo.

        Infelizmente as econômicas, vulgas "pedala-class", de hoje nem chegam aos pés das classes econômicas do passado – me lembro de ir para a Argentina de Varig-Cruzeiro e Aerolineas e putz … era um bom conforto, nada a ver com os buzões de hoje. Mas, claro, naquela época, a demanda, ainda que reprimida, era menor e simplesmente não existia entretenimento eletrônico à bordo. Usava-se o bom, velho e esquecido livro, revista, jornal, ou as pessoas conversavam entre si. Bons tempos aqueles …

    • Antonio Santos

      Na Emirates no 777 a configuração é 2-3-2. Na Singapore é 1-2-1. Mas a parte para os pés da segunda não é bom e a pessoa tem que ficar meio na diagonal quando for dormir.O da Emirates é melhor e se for no A380 nem se fala.

  • Guilherme

    Ótimo relato!!
    Realmente em termos de organização e qualidade nossos aeroportos deixam a desejar. Assim como nossas cias aéreas…
    Apesar do preço salgado creio que a volta de 14,5 horas executiva ou primeira deve fazer toda diferença…

    • Olá Guilherme, boa noite!
      De fato faz toda a diferença sim. Porém, apesar de todos os preparatórios para se ter uma boa noite de sono, eu geralmente passo quase o vôo inteiro acordado e explorando tudo o que posso fazer na aeronave.
      Infelizmente o vôo de volta de Dubai para o Rio (14,5 horas) passou muito rápido. A primeira classe (a ser publicada amanhã) tem muito o que explorar que não dá tempo em 14,5 horas! Parece absurdo o que estou falando, mas se um dia você puder fazer essa viagem, vai me entender! 🙂 Abraços!

  • Jose Ricardo

    Parabéns ao Luiz Henrique Novinski pelo relato e detalhes do voo A380. Sensacional o relato e os serviços da Emirates. Justificado os vários prêmios desta companhia. Com este relato, só aumenta a expectativa de um dia voar nesta classe pela Emirates. Agora ao trabalho…rsrsrsrs

  • Leonardo

    Fantastico relato. Como conseguiu o upgrade com milhas Luis?

    • Oi Leonardo, boa noite!
      As passagens foram compradas sempre na executiva, porém eu tive minha pontuação dobrada na ultima viagem, o que me permitiu fazer um upgrade já na segunda viagem. Utilizei 50.000 milhas e fiz o upgrade do trecho maior só para ter essa experiência. Se a executiva já era excelente, a primeira nos dá a sensação de estarmos sonhando. 🙂 Recomendo fazer isso, quando tiver chance!

  • Jonas

    Otimo relato. Parabéns.

  • Kym Van Zorff

    Adorei seu comentário sobre a “roupa de viagem” também viajo da maneira mais confortável possível e agora em janeiro quando voltava do México uma funcionária da TAM pediu para conferir meu cartão de embarque 2 vezes demonstrando não acreditar que eu tinha prioridade de embarque, a questão é que eu tenho status Star Alliance Gold e viajava de Executiva.

    • EHEHEHEHEH! Exatamente isso! Infelizmente as pessoas tem a tendencia de julgar os outros por suas roupas (seja no avião, aqui no Brasil, em compra de automoveis, imoveis, bares, etc.) e quando fazem isso comigo, eu volto no dia seguinte extremamente bem arrumado e formal e faço questão de "não ser atendido" pela pessoa que mostrou preconceito, formalizando uma reclamação mais tarde. 🙂

  • Matheus de Castro

    ótimo

  • Luiza

    Comprei aquela promoção da Avianca de 2 executivas pelo preço de 1, apresentada pelos MD ano passado. Confesso que a diferença entre o que chamam de "executiva" assusta qualquer um. Na da Avianca, a cadeira reclinava tanto quanto a econômica, pouquíssimo. No check in, por exemplo, não havia fila diferenciada. Enfim, são várias questões que me fazem questionar se vale a pena pagar a mais pelo conforto. No meu caso, saiu praticamente o mesmo preço se fossemos de econômica, então não me causou arrependimento. Mas pagando a tarifa cheia não compensa jamais. Bjs

  • Patricia Fagundes

    Adorei a classe executiva da Emirates, uma delícia! Legal sãos os mimos, necessaire da Bulgari, os comissários preparando sua poltrona para dormir, comidinhas toda hora etc… Sensacional!

    • Boa noite Patricia!

      Sem dúvidas eles sabem como mimar os seus passageiros/clientes. Nesse ponto eu nunca vi nenhuma companhia aérea bater eles! As necessaires serão divulgadas na próxima publicação.

  • Guilherme

    Perfeito o relato, muito completo. Parabéns.

  • ARYSON FRANCA

    Parabéns Luiz Henrique pela descrição em detalhes, aumentou ainda mais o meu desejo de fazer uma viagem por essa cia. Como ainda estou terminando os circuitos da europa/terra santa, em 2015 pretendo ir para Dubai e já vou me preparar para ir na executiva e A380 e poder desfrutar deste conforto a bordo. Certamente nem tudo é perfeito como o comentário da leitora acima, mas nem por isso tira o mérito, muito superior ás falhas, desta que na minha opinião e de outros tb ser a melhor cia aérea do mundo.

    • Boa noite Aryson! Sinceramente (e sem receber nada da Emirates por isso!), eu não consegui achar nenhum ponto de falha nas 2 viagens que tive com eles em todos os trajetos! Eles são impecáveis e espero que você tenha a mesma boa impressão que tive e possa publicar a sua experiência também!

      Abraços!

  • Paulo Almeida

    Ótimo relato. Vlw compartilhar.

  • Muito bom o relato. Aguardando a parte 2…

  • Juarez Novinski

    Beleza de voo, e excelente relato sobre a viagem.

  • Paulo

    A melhor cia é a Emirates, mas a melhor classe executiva em 2013 é da Qatar.
    1Qatar Airways
    2Oman Air
    3Singapore Airlines
    4Cathay Pacific Airways
    5Etihad Airways
    6Swiss International Air Lines
    7Qantas Airways
    8Hainan Airlines
    9Emirates
    10Turkish Airlines

  • Sílvio Melo

    Essas companhias aéreas de países produtores de petróleo só conseguem fornecer um serviço melhorzinho e aviões mais modernos, pois pagam zero/nada pelo combustível, tudo subsidiado pelos governos déspotas locais, pois até o começo da década de 90 combustível de avião era apenas um subproduto vendido a preço baixo que eles sabidamente agregaram valor, não é a toa que estas empresas dão lucros atrás de lucros todos os anos, enquanto as outras só veem o prejuízo aumentar pois a gasosa representa 45% da despesa de uma companhia aérea, isto se chama prática ilegal no comércio mundial e deve ser denunciada na OMC, Quanto ao autor da matéria, ele adorou e abusou da palavra "segregação" no texto, eu acho que isso já diz muito sobre ele… Ainda bem que não tem um jatinho… 😀

    • MTorres

      Blablabla hein? E por que a Petrobras não monta uma companhia aérea? Seria ilegal? São estrategias enormes desses petroleiros. E quanto a segregação, esta certa no texto. Pelo que li ele não ostentou superioridade. De fato é DIFERENTE mesmo pagar 6 mil dólares num trecho. Mesmo eu podendo, não pago. Ele em todo momento falou da boa experiencia. Segregação ocorre todo dia. Quando vamos sozinho pro trabalho de carro, e olhamos para um ônibus lotado, não é segregação? Quem paga 5 vezes o valor de uma passagem tem que ser tratado diferente mesmo. E MUITO.

      • Luiz Novinski

        Prezados Silvio e MTorres, obrigado pelo feedback e informações adicionais. Conforme melhor entendido pelo MTorres, não se trata de uma "segregação" minha para com as outras classes ou pessoas, mas sim da empresa. Como tudo é bem dividido, apenas mostrei de maneira bem clara como isso acontece. Longe de mim ficar ostentando isso, ainda mais que a passagem fora paga pela empresa que trabalho – não por mim. Mas gostei da idéia de um jatinho… quer começar a campanha para que eu possa voar em um? 🙂 Abraços!

  • Marcos

    voe de ZUL…… melhor ainda, voe de ATR da Azul….
    a TAM VAI SER O A CEREJA DO BOLO DAS COMPANHIAS AÉREAS

  • livia

    Quanto custou ?