Leitora relata como estão os procedimentos nos vôos de/para os Estados Unidos

Leonardo Marques 13 · janeiro · 2010

Nos último dias publicamos no Melhores Destinos nova regras para os vôos tendo como origem ou destino os Estados Unidos. Entre dezembro e o começo de janeiro a nossa leitora Carolina Lannes esteve nos Estados Unidos e fez um relato bem detalhado de como estão os procedimentos tanto nos vôos quanto nos aeroportos e ainda relatou como é voar pela Mexicana.

Bom, vamos ao texto da Carolina, que aliás é uma das mais participativas aqui no Melhores Destinos.

Eu saí do Brasil dia 18 de dezembro, cheguei nos EUA dia 19 (antes, portanto, do tal atentado). No embarque da Cidade do México pra Los Angeles, houve revista em todas as bagagens de mão, ainda que eu mesma não tenha saído do terminal e que aqueles que embarcaram na Cidade do México tenham sido analisados antes pela equipe da Polícia Federal local. Quem tinha garrafas d’água e semelhantes na bolsa, ainda que comprados no terminal de embarque internacional, teve que deixar lá.

Coisa interessante, aliás: comprei uma champagne pros meus pais no freeshop do México e eles não entregam na hora. Idem para cremes e perfumes. Você recebe uma notinha com o número da sua compra e só recebe os produtos em si (bem embalados) no finger. Depois da revista das malas de mão.

Em Los Angeles (para São Francisco) a situação estava absolutamente normal. Tive que deixar na segurança um creme que tinha esquecido na mala de mão, o resto eu tinha colocado para a mala despachada.

Ainda fui para Newark dia 22 de dezembro (antes do atentado) e o ritmo da segurança foi o mesmo. Líquidos só nas embalagens de até 90ml e em saquinhos plásticos transparentes. Não implicaram com o álcool em gel, pasta de dentes, colírio, nada. A volta foi dia 28 e eu admito que cheguei no aeroporto bem antes, com medo do caos que estava prometido. Bobagem. Tudo absolutamente normal. As mesmas recomendações, óbvio, em relação a líquidos, mas essa medida não é novidade. Novamente, não houve qualquer revista em minha mala de mão, que só passou pela esteira raio-x.

Nos dois vôos Los Angeles – São Francisco)(ida e volta) a American Airlines disponibilizou wi-fi gratuito dentro do avião. Usei em meu laptop normalmente, inclusive acessando twitter, facebook, etc.

A minha volta para o Brasil foi São Francisco – Los Angeles(via American Airlines) e Los Angeles – Guarulhos  (via Mexicana). Exatamente as mesmas considerações na segurança, mesmo na Cidade do México. Sem líquidos na bagagem de mão. O vinho que comprei me foi entregue da mesma forma que a ida, só no finger. Cheguei a ver um sujeito que teve um problema, porque, por algum motivo, o freeshop entregou uma garrafa de tequila diretamente para ele e os agentes da segurança não queriam deixá-lo embarcar… infelizmente não sei como terminou a história.

Assim, como deu pra perceber, não houve qualquer modificação que eu tenha percebido. Fiquei com meu casaco de frio comigo o tempo inteiro, já que aviões são frios. Celulares, laptops, mp3 players, GPS, etc, ainda podem ser usados dentro das regras. Ou seja, em flight-mode e só alguns minutos depois da decolagem até alguns minutos antes do pouso. Perguntei a uma comissária de bordo que me informou que leitores digitais de livros (como o Kindle) podem ser usados o tempo inteiro.

É sempre bom chegar com antecedência ao aeroporto, mas acredito que as filas tenham ocorrido principalmente por conta do período de férias. Vi poucas pessoas que tenham sido analisadas com o raio-x de mão, a maioria só tinha que passar pelo normal mesmo (desculpe, não sei o nome).

Já sobre a Mexicana, só tenho elogios! Eu não sou uma pessoa baixa (1,70 m) e nem me esforçando conseguia colocar os joelhos na poltrona da frente (e isso em classe economica!!). Ainda entregaram um ‘kit de amenidades’ muito bonitinho. Uma bolsinha bem feita, com fecho magnético (na ida) e uma bolsinha com ziper (na volta) contendo meias de lã, tapa olhos, escova e pasta de dentes, caneta, pente, hidratante para as mãos, manteiga de cacau para os lábios e uma espécie de hidratante para o rosto.

As comissárias da Mexicana são um capítulo à parte. Ano passado fui a NY pela AA e acredito que muitos já conheçam as ‘aerobruxas’ da companhia. Na Mexicana, vi justamente o contrário. Pessoas sorridentes, que se esforçavam ao máximo para resolver problemas e tornar o vôo agradável. A refeição de bordo foi boa, embora não fenomenal (comi massa em todos os trechos, mas havia opção de frango). Um detalhe interessante foi a oferta de bebidas alcóolicas gratuitas durante o serviço de bordo na classe econômica. Fazia-se, inclusive, drinks misturados.

Admito que quando comprei Mexicana, o fiz pensando em economia e disse para várias pessoas que podia deixar o conforto de lado.Foi uma surpresa muito grata perceber que consegui comprar muito conforto por um preço muito baixo (incluindo meu trecho BSB-GRU, comprado à parte na TAM, minha viagem inteira até SFO saiu por menos de 800 dólares!).

Autor

Leonardo Marques - Diretor do Melhores Destinos
  • Marcelo Barros

    Não tive a mesma sorte na AA no mesmo trecho LA x SFO o Wi FI era cobrado. Outra paguei 3x mais em novembro pela United, saindo de Brasilia para SFO. O meu vôo de volta não tinha nem uma regalia e as poltronas mal me cabiam nos meus 1,88m. Tenho que pesquisar mais antes de comprar minhas passagens, valeu pela dica.

    • Leonardo (Melhores D

      Recentemente tenho visto muita gente reclamando de aperto nas poltronas nos vôos internacionais. Até a KLM que eu imaginava que era ótima tem gente dizendo que tá mais apertado que TAM.

  • Viajei para NY dia 24 de dezembro, (Miami-NY) depois 27/12 (NY-Washington-Miami). Tudo super normal, os mesmo procedimentos que já estava sendo adotados ha mais de ano permaneceram inalterados. O embarque no JFK foi dos mais tranquilos do mundo.

  • André Varanda

    Estou indo agora no carnaval.
    Com certeza o texto me tranquilizou, vamos ver o que ocorrerá comigo.
    Caso queiram posso relatar passo a passo o que ocorreu também.

    • Tarciano Andrade

      Olá André Varanda,

      Tudo Bem? Poderia contar sua experiência com relação ao vôo pela Mexicana e passar algumas dicas para aliviar no sofrimento? Estarei indo em breve e as tarifas estão bastante em conta.

      Abraços.

  • Andre

    Sobre o vôos TAM/Mexicana…são mais baratos, mas levam MUITO tempo até o destino. A maioria (senão todos) excede 24h entre saída/chegada. Aí é dureza…

  • Carla

    Enfim a descricao dela nao identificou nada pq ela entrou nos USA antes do atentado e comprar do Dutty Free sao sempre so entregues depois do finger por causa de fraude e nao de atentando, somente liquidos eles embalam e verificam.
    Saida do US eh normal com enfrentei semana passada, ja a entrada foi de amargar. so falta o povo ficar pelado

  • Marcos

    Valeu pelas dicas, Carol! Espero que mais colegas leitores(as) contribuam de forma semelhante. É muito importante. Espero em breve ir aos USA e estava preocupado com essa nova onda de rigores no embarque. Parabéns ao MD pelo espaço aos leitores.

  • Carolnl

    Opa!
    Brigada!
    Mas ainda faltou no texto eu agradecer ao Leo e ao MD pelas dicas! Se não fosse por ele, eu nunca teria visto as tarifas ou ouvido falar da Mexicana!
    Eu já tive que mostrar meus recibos de pagamentos, porque o povo não acredita que é possível viajar tão barato!!

    E, Marcos, pode ir relaxado! Como eu disse, não vi nenhum rigor especial por lá. Uma tia e um amigo da família que voltaram por outras rotas (Atlanta e Washington) relataram a mesma coisa. Boa viagem e aproveite o friozinho 🙂

  • Carolnl

    Carla,

    como eu comentei, eu fiz vôos domésticos nos EUA antes e depois do atentado. Por isso percebi que não houve nenhuma segurança extra. Claro que todo o procedimento pode variar dependendo do aeroporto, do agente de segurança e até da pessoa que está viajando. Lembro de ter lido um relato, enquanto ainda estava por lá, de que os muçulmanos estavam sendo submetidos a revistas mais rigorosas nos embarques e desembarques.

    Quanto aos líquidos comprados no FreeShop do México, a questão é, efetivamente, a segurança sim. Não haveria razão pra justificar eventual fraude. Fraude de que? Whisky paraguaio? Poderia ser despachado mais facilmente… Cremes também foram entregues só no finger, bem como perfumes.

    Enfim, não sei se esse é o procedimento comum em todos os lugares. As vezes anteriores que estive nos Estados Unidos não foram via México e, apesar de já existir restrição a líquidos em bagagem de mão, não houve qualquer problema com líquidos comprados no DutyFree. Isso referente a vôos para os EUA ocorridos nos últimos 36 meses, saindo de Guarulhos e do Rio… Sempre recebi as garrafas na hora, mas pode ter havido modificações nos últimos meses das quais eu ainda não tenha sabido!

  • Carolnl

    André,
    levam mesmo! Eu levei quase 36horas de tempo total (considerando que ainda comprei, por fora, BSB-GRU e LAX-SFO). Mas, sinceramente, cheguei mais descansada do que o BSB-GRU-JFK que fiz pela American ano passado… O espaço a mais pra perna e pra sentar fez toda a diferença do mundo pra mim!

    Passar 5 horas na cidade do México também foi tranquilinho, já que tirei o visto antes de ir. O terminal de embarque internacional é bem grande, dá pra gastar algum tempo andando pelos duty frees… Fazer um lanche, cochilar um pouco e pronto.

    Agora, parando pra pensar, pra quem vai pra costa oeste dos EUA a conexão não é tão mais demorada. Se eu pegasse uma cia 'normal' (AA, Delta, USAir) eu teria que pegar um hub na costa leste (Washington, Dallas, Atlanta) e daí um vôo pra costa oeste. Com a Mexicana eu peguei meu hub na Cidade do México e, daí, direto pra LAX. Saiu mais ou menos elas por elas. Em caso de vôos pra costa leste, no entanto, concordo plenamente com você!

  • Jacinta

    Acabei de chegar, exatamente hoje dos EUA, vôo AA, saindo Salvador/MIA/SSA. Fiquei surpresa com o desconforto das poltronas. Nunca imaginei que uma aeronave tão compacta internamente, pudesse operar numa rota internacional. As poltronas são bastante apertadas, o boeing 757 que opera nesta rota, possui apenas um corredor, se um passageiro estiver fora da poltrona, caso precise ir ao toillete ou mesmo dar uma caminhada pelo corredor, pois o vôo é longo, fica obrigado a esperar toda a "comitiva" do lanche passar com o carrinho, pois não tem outra via de acesso, ao contrário das aeronaves da Tam, que faziam um vôo direto daqui de Salvador para Miami, bastante espaçosa. Não entendi porque este vôo foi retirado.
    Na ida alguns passageiros estavam reclamando do atendimento das aeromoças, que não eram simpáticas.
    Na volta eu mesma me irritei com uma delas pois, nos dois lanches que foram servidos, mal tinham acabado de servir e a aeromoça já vinha atrás recolhendo o lixo.
    Na primeira vez, ela mal pediu licença e já ia puxando o meu prato, o qual eu ainda não terminara, foi então que pedi que aguardasse e avisei que ainda estava comendo.
    No segundo lanche, hoje pela manhã, primeiro serviram a comida, e quando todos já tinham terminado, começaram a passar a bebida, logo atrás da bebida, vinha a "simpática aerobruxa"( como já disse um outro leitor) recolhendo o lixo. Isto me irritou, e novamente, mesmo estando só com a bebida, não entregeui a minha bandeja para ela, pois acho uma enorme falta de educação o que ela vinha insistidamente fazendo com os passageiros.
    Nunca vi este tipo de episódio antes. Já viajei por outras companhias e nunca vi um atendimento tão ruim como a AA, apesar de que, quando voei pela AA dentro dos EUA, não percebi este comportamento das comissárias.
    Espero nunca mais viajar(vôo longo) neste modelo de aeronave, e se possível não utilizar os serviços da AA.
    Antes de comprar as passagens é bom verificar qual o modelo da aeronave que opera o trecho.
    O próprio comissário da AA me informou que os boeings maiores da AA só fazem rota para Europa. Acredito que não seja por falta de passageiros, pois os vôos tem saido lotados, e as passagens não foram preços promocionais, paguei em setembro, $1,300 SSA/MIA/SSA. Acredito que seja realmente um descaso da empresa.

    • Leonardo (Melhores D

      Jacinta, muito importante o seu relato. A má notícia que tenho pra você é que mesmo em aeronaves maior o aperto tem sido o mesmo, há casos onde as aeronaves maiores estão até mais apertadas.
      Em relação a American Airlines eu diria que ela não é das companhias "mais elogiadas". Essa "falta de simpatia" já é famosa 😉
      A American Airlines tem sim aviões maiores que este voando para o Brasil, o comissário "faltou com a verdade" 😉
      Pelo preço foi mesmo uma péssima opção, para ter esse tratamento é melhor pagar metade na Avianca ou na Mexicana e ser mais bem atendido.

  • Carolnl

    Jacinta,
    Acho que é por isso que eu fiquei tão surpresa com a simpatia das aeromoças da Mexicana! Meu último vôo pros EUA foi pela AA e experimentei essas mesmas 'aerobruxas' (aliás, quando uma foi simpática comigo, na volta, até me assustei :P)

    Mas é mesmo interessante que, nos vôos internos, o tratamento seja tão melhor. Também percebi a diferença… Estou começando a achar que voar pro Brasil é o 'castigo' o.o

  • Vivi muitos e muitos anos nos USA e minha experiencia tem sido, viajando 1 ou 2 vezes por ano ao Brasil, sim, um pouco menos afeto, digamos, do pessoal da AA porem mais eficiencia, menos atrasos, etc. ja na nossa TAM, me atenderam sempre melhor, sem duvida mas ocorreram muito mais atrasos e outros transtornos, como da vez em que eu e minha esposa viemos de Miami>Belem e nossas malas ficaram p/ tras, ai nos colocaram no Hotel Hilton de Belem p/ esperar por nossas malas e aquilo la e uma espelunca, puxa vida! Tb nao aconselho usar o aeroporto de Miami, aquilo ali e um tremendo TERCEIRO MUNDO. Tremenda fila de espera p/ fazer o check-in da TAM, tumulto e dor de cabeca. Os agentes do aeroporto ja te atendem falando em espanhol como se nos brasileiros soubessemos a lingua bem o suficiente p/ nos comunicar c/ um oficial de imigracao ou alfandega; Pedi p/ falarmos em ingles sem sucesso, e o fim da picada, nada contra a lingua mas simplesmente nao a domino bem por pura falta de experiencia. No NY-JFK nao tem dessas coisas por isto se possivel prefiro evitar Miami- MIA

  • manda

    Olá carol,
    Estou com uma enorme duvida, gostaria de saber se você poderia me ajudar a solucioná-la. Vou viajar de avião este sabado agora para dentro do país mesmo, mas gostaria de levar alguns liquidos em minha mala, como por exemplo, energéticos. eu compro energeticos aqui num local por 1/3 do preço dos locais tradicionais. E para onde vou as coisas sao carissimas, cada energetico deve ser uns 12 reais.
    Na bagagem de mao sei que não posso levar, mas sera que eu poderia colocar na mala os energéticos? E o raio X?
    aguardo resposta
    um grande abraço!

  • Cinthia

    Como você fez a compra dessas passagens, nunca ouvi falar da mexicana!

  • Sandro Luis

    Voos LAN, Mexina, Copaair etc…
    Galera prestar atenção nos horários destes voos pois normamente chegam a noite no destinos e você vai direto para o hotel. No meu caso vou até a locadora e depois para o hotel, quero dizer vou pagar uma noite e uma diaria de carro sem ter usufruido a cidade. Se você colocar o valor do hotel e do aluguel do carro, quase sempre ficam muito perto do valor da TAM, voo direto de 8 horas e chega pela manhã. No meu casso viajo a serviço então alugo o carro e vou direto para meus compromissos. Vou para o hotel após o almoço.
    Outro exemplo cotei uma passagem em janeiro. Estava mais barata que a TAM, mas eu dia que ficar 8 dias no destino e eu só precisa de 5 dias então seriam 3 diaria a mais de carro e hotel. no final das contas minha viagem seria mais caro que a TAM.
    Costumo comparar preços levando em conta todos os gastos da viagem. Não só o preço da passagem.

  • JC Couto

    viajei para Atlanta pela DELTA em fevereiro de 2010 e foram feitas duas revistas (inclusive nos sapatos que estava calçando) : Uma na emigração e outra na porta do finger (Galeão – Rio de Janeiro).

    Na volta de Atlanta, a mesma coisa : Uma revista na emigração e outra na porta do finger (Aeroporto de Atlanta).

    Quanto aos serviços, a DELTA foi muito bom. Comissários/as atenciosos e gentis, boa comida e bebida.

  • Alvaro Rodrigues

    Pretendo viajar a NY em julho com minha familia e esta oferta me chamou a atenção porem não sei como fazer para comprar podes me auxiliar, e é uma empresa confiavel ?

  • Igor

    Ano passado peguei um voo em GRU que seguia para BUENOS AIRES com escala em POA onde eu ia descer, nossa que aperto, mas também né AEROLINEAS…

  • Igor

    Realmente TAM/Mexicana leva-se muito tempo ainda mais pra mim saindo de POA, por isso agora só uso a TACA, via LIMA chegar em qualquer destino nos Estados Unidos é bem mais rápido! 😀
    Detalhe curioso … "…escova e pasta de dentes, caneta, pente, hidratante para…" canetas ??

  • Pingback: Como é voar na United()

  • Eduardo Rodrigues

    Voltei de Miami para SP com a Mexicana em Nov/09 com conexão na Cidade do México. Tudo corria bem até a Dna Mexicana cancelar o voo por não atingir um número mínimo de passageiros. Como eu não tinha visto mexicano, fiquei 14 hrs dentro uma sala da alfândega com mais um monte de gente. Foi lamentável. Eu pago a mais pela passagem (como já ocorreu 2x em 2010, mas não viajo mais de Mexicana

  • Claudia

    Em agosto de 2010 eu e meu marido fizemos uma viagem a NY pela Aeroméxico, é claro que pensamos na economia, já que poderíamos aproveitar a diferença dos valores para passeios e compras. Adorei a viagem, NY é realmente a capital do mundo, nunca me senti tão segura. Mas, nosso problema foi na volta, se pela AA temos aerobruxas, imagine pela Aeromexico. Chegamos ao JFK bem antes do embarque, fizemos o check-in, quando estavamos dentro da aeronave para decolar, houve um problema na pista, resultado: o voo atrasou para sair do JFK e chegamos em cima da hora do embarque na Cidade do Mexico para GRU. Perdemos o voo, apesar de termos avisado para as aerobruxas sobre a conexão com a própria aeroméxico, e elas ainda disseram que o pessoal estava sabendo, que tinham outros passageiros que fariam a mesma conexão. Quando chegamos para o embarque não nos foi permitido e nos deixaram na mão, ou seja, virem-se com hotel e alimentação, nós e mais 5 brasileiros. Nos unimos e ficamos no mesmo hotel, tudo por nossa conta e ainda "fizeram o favor" de remarcar nosso voo para a noite seguinte. Foi uma falta de consideração, se eu puder não viajo mais com esta companhia aérea ou estarei precavida em relação a despesas extras e atrasos para voltar.

  • Joana

    Primeiro parabéns pelo site , Vou a peru dia 21 de maio , nunca viajei de avião ..qto a isso peguei respostas com site .Gostaria de saber se todos meu cremes maquilagem ,shampoo ( respeitando os 100ml de cada produto remédios (inclusive xarope ) pois, tenho falta de ar podem ser levados na bagagem de mão? devo levar mais ou menos 10 potes contendo liquido posso?

  • arlete

    Acho que ja viajei em todas as Comp. aéreas e também nunca ouvi falar desta mexicana. Ja vim pela Vianca ou Avianca. Comp. Aerea Colombiana. e na realidade foi bem mais barato q o resto das Cias aéreas… Ja viajei no inicio pela Varig (N existe mais), pela Transbrasil ( acabou também) e United Airlines, AA, Continental, e todas as outras de destino USA… agora na prox vou tentar a Mexicana… Gosto mesmo eh da AA. obrigado

  • arlete

    SE eu fosse vc nao perdia tempo levando nada, compraria tudo la, pq eh bem mais barato e vc encontra tudo a perco de Miami

  • A Mexicana faliu!