Como é voar na Lao Airlines

Marcel Bruzadin 16 · junho · 2015

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Hoje a nossa avaliação de companhia aérea, realizada pelo leitor Márcio Antônio Estrela, é da Lao Airlines, companhia aérea fundada em 1976 que iniciou suas operações com voos por toda a região do Vietnã e hoje opera em rotas domésticas e internacionais.

No início das operações, além das tradicionais aeronaves, a Lao Airlines contava com uma frota de helicópteros que eram utilizados para chegar a aéreas de acesso remoto. Pouco tempo depois, já na década de 80, a companhia fez um novo investimento em aeronaves, trazendo modelos que pudessem realizar voos para Bangkok, na Tailândia e Camboja.

como-e-voar-lao-airlines

Confira a avaliação completo do Márcio, que voou no trecho Bangkok – Luang Prabang com a Lao Airlines. Caso você já tenha voado também com a companhia, não se esqueça de deixar suas impressões nos comentários ao final do post.

Boa leitura!

Em junho e julho de 2014 fiz uma viagem com a família (esposa e dois filhos, de 12 e 10 anos) para o Sudeste Asiático. O roteiro da nossa viagem foi Tailândia, Mianmar, Laos, Camboja e Vietnã.

A primeira coisa que fiz foi emitir as passagens com milhas Smiles do Brasil para a Ásia. Comecei a tentar emitir em julho de 2013 e não encontrava. Em outubro, depois de desistir de tentar voos diretos para a Ásia, consegui emitir trechos separados (Brasil – Europa e Europa – Ásia) e consegui. Sendo assim, emitimos: Brasília – Barcelona pela companhia Iberia, Barcelona – Bangkok pela KLM, Ho-Chi-Min – Madrid pela Qatar Airways, Madrid – Brasília novamente pela Iberia. Sempre os 4 passageiros juntos, que só é possível através do Smiles, mas não no TAM Fidelidade.

Emitidas as chegadas e partidas para o Sudeste Asiático e definidos os destinos na Ásia (Tailândia: Bancoc e Koh Tao; Mianmar: Bagan; Laos: Luang Prabang; Camboja: Siem Reap; Vietnã: Ho-Chi-Min), começou a parte mais difícil, ou seja, emitir as passagens internas entre os países, onde distâncias muitas vezes superiores 1.000 km).

Para comprar passagens em companhias aéreas que não conheço, sempre consulto o Ranking de Companhias Aéreas do Melhores Destinos e rating de segurança de cias aéreas. Meu piso é o rating 3 (o rating máximo é 7. KLM e Iberia tem rating 7; Gol tem 6).

A etapa seguinte foi a de hotéis, escolhidos facilmente com base em avaliações no TripAdvisor e reservados via Booking.

Os passeios locais foram todos realizados sem a interferência de agências.

Em maio, fui atrás de um serviço do Governo Federal excelente, mas pouco conhecido: o “Laboratório do Viajante”. Serviço que orienta e dá as vacinas necessárias para o local de destino. No nosso caso, não estaríamos em área endêmica de malária e já tínhamos a vacina contra febre amarela, meningite, hepatite A-B. Sendo assim, só foi necessária a vacina de Febre tifoide. Outras recomendações eram derivadas da condição sanitária da região: água só mineral – com gás para ter certeza de que seria industrializada – evitar alimentos crus etc. e, para a proteção contra insetos, repelentes à base de Icaridina ou de DEET.

O Golpe na Tailândia pôs um tanto de estresse na viagem, já que passaríamos 3 vezes por Bangkok. Acompanhei a página da Embaixada Brasileira em Bangkok e, com uma dica no Melhores Destinos, encontrei um Twitter da CNN sobre o país e me tranquilizei (o golpe era em cima da população mais pobre do país, mas deixou tudo “mais tranquilo para os turistas”). Para me assegurar, consultei meu seguro para verificar como ficava a cobertura na Tailândia, com golpe militar e toque de recolher.

Antes de embarcar, anotei o telefone de emergência para brasileiros da Embaixada Brasileira em Bangkok e nos outros países por onde passaria.

A compra

Precisávamos ir de Bangkok, na Tailândia, para a antiga capital do Laos, Luang Prabang.

Embora existissem opções mais baratas, conjugando voos para outras cidades e até mesmo ônibus, meu objetivo era Luang Prabang, e não pretendia perder o tempo que teria no destino, de apenas 4 dias, em deslocamentos, por poucos dólares de diferença.

como-e-voar-laos-airlines-website

Assim, a melhor opção foi a Lao Airlines, por ter voo direto de Bangkok a Luang Prabang. (Rating de Segurança de cias aéreas: 3/7).

O preço foi o mais “salgado” da minha viagem: US$ 880,40 para nós 4, incluindo taxas, sendo 3 adultos e 1 criança.

Comprei sem dificuldades pelo site, e o pagamento foi feito com a segurança do “Verified by Visa”, onde a compra é completada no site do meu banco.

Aeroporto BKK (Suvarnabhumi Airport)

Os aeroportos internacionais de Bangkok são o BKK (Suvarnabhumi International Airport) – o maior deles – e o DMK (Don Mueang International Airport). Eles são relativamente afastados e ambos contam com linhas de ônibus regular e executivo, metrô – as estações são conectadas ao terminal por ônibus – e táxi.

O aeroporto BKK é hub da Tailândia e recebe os voos internacionais de longo curso das demais companhias. Já o DMK é hub da Air Asia e da Nok Air, recebendo voos internacionais da região.

Bangkok é uma cidade grande, com muito trânsito e congestionamentos, o que exige seguir com antecedência para o aeroporto.

Descendo do táxi, já no nível do embarque (o embarque é feito no 4º Andar), e adentrando ao imenso terminal, os painéis informam em qual balcão deve ser feito o check-in.

Check-in

Achamos facilmente nosso balcão de check-in, que estava bem vazio, e rapidamente fizemos o nosso, despachando as bagagens. Os funcionários foram muito educados, atenciosos e gentis.

Como é praxe na Tailândia, nos deram adesivos com o nome da empresa e destino para pregarmos na camisa. Os funcionários que nos atenderam nos concederam um upgrade para classe executiva, no caso eram as poltronas na parte traseira do ATR-72-500.

Para entrar no salão de embarque passa-se por uma conferência do bilhete de embarque e por um Raio-X das malas de mão.

O terminal internacional é gigantesco, com vários restaurantes, lanchonetes, lojas etc. Bastante espaço no aeroporto, tudo muito organizado e bem sinalizado.

Esperávamos no andar superior, quando uma funcionária da Lao Airlines, procurando passageiros com adesivos da empresa, nos identificou e chamou para esperar no andar inferior intermediário.

Os embarques são chamados em sistema de som, em língua local e inglesa. Mas não há confusão, por ser um voo por portão, ou seja, não há segredos.

O Voo

Data: terça-feira, 01.07.2014.
Horário: 10h25min – 12h05min.
Duração: 01h40min.
Voo: Lao Airlines – QV-0634
Assentos: 16-A-B-C-D – Executiva.
Equipamento: ATR-72-500
Bagagem: de 20Kg para cada passageiro.

O Avião e o atendimento

O avião era um ATR-72-500 em ótimo estado, e como todo ATR, a configuração das poltronas era 2-2. O espaçamento entre as poltronas é bastante satisfatório.

como-e-voar-lao-airlines-aeronave

Como disse anteriormente, a classe executiva ficava na parte traseira do avião, por onde se embarca, separada por uma cortina. Na verdade, era mais como um “Espaço Mais” da Gol.

como-e-voar-lao-airlines-poltrona

No trecho que fizemos, o voo opera com 2 comissários. Muito gentis, por sinal. O que me chamou bastante atenção foram as roupas das comissárias, muito elegantes.

Serviço de bordo: Era distribuída uma caixa com fruta, sanduíche e um doce. Acompanhando, Coca-Cola, água, café e chá.

como-e-voar-lao-airlines-lanche

Entretenimento: Uma revista de bordo, bem interessante e jornais.

Nesse trecho e data que voamos, o avião operou bem vazio. Não éramos mais de 15 – e o ATR-72-500 comportava 70 passageiros.

como-e-voar-lao-airlines-corredor

Desembarque, imigração e entrega de malas em Luang Prabang/Laos (LPQ)

Desembarcamos na pista, sem ônibus e caminhamos até o terminal.

O terminal é novo e moderno, construído no mesmo lado da pista que o antigo, hoje abandonado. É pequeno, mas funcional e adequado ao movimento. Opera voos nacionais e internacionais.

como-e-voar-lao-airlines-terminal

– Tem 2 fingers para aviões maiores; os turboélices são embarcados e desembarcados por portões no solo (caminhando).

– No desembarque há a fila para quem vai contratar o “visto na chegada”. Como não é possível emitir visto no Brasil nem emitir o “visa-on-line”, este era o nosso caso. Entreguei os passaportes, formulários preenchidos (tive de preencher ali no terminal mesmo), fotos (quem não tiver foto, tem de pagar uma taxa extra para eles copiarem a foto do passaporte), taxa de visto e taxa de processamento.

– Após pegar os passaportes com os vistos, passa-se na imigração, que é bastante tranquila, sem problemas (não deixam mais de um na imigração – nem mesmo família –, tendo de passar um por vez – mesmo crianças).

– As malas foram entregues rapidamente, voar em avião pequeno tem essa vantagem.

O aeroporto é bem perto da cidade, mas não tem um sistema de transporte público. A chegada e saída são de taxi, van ou os famosos tuk-tuk. A maioria dos hotéis concede transfer de chegada gratuito (tem-se de pagar pelo de partida).

Como Luang Prabang é uma cidade pequena, não há trânsito e o acesso ao aeroporto é fácil e rápido.

 

Conclusão

Valeu muito a pena! Empresa boa, avião moderno e novo, tratamento carinhoso. O preço foi “salgado”, mas era o que atendia meus requisitos de voar direto e não perder um dia no destino.

Agradecemos ao Márcio Antônio Estrela pelo excelente relato de viagem pela Lao Airlines. Se você está planejando uma viagem ao Sudeste Asiático, certamente essa avaliação poderá ajudá-lo na escolha da companhia aérea por lá. Se você já teve a oportunidade de voar pela Lao Airlines também, não se esqueça de deixar seus comentários abaixo.

Autor

Marcel Bruzadin - Marcel