Como é voar com a Air Europa

Marcel Bruzadin 23 · outubro · 2015

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Hoje o Melhores Destinos vai dar uma pequena pausa nas avaliações enviadas pelos leitores, para publicarmos uma avaliação de voo feita pela nossa equipe. Nós sempre damos muito valor às avaliações encaminhadas por vocês, justamente por se tratarem de reviews completos e fiéis à realidade, o que dá uma enorme credibilidade para o nosso trabalho. Dessa vez não será diferente, essa publicação será totalmente fiel à experiência de voo que tive com a companhia espanhola Air Europa nos últimos dias, portanto, é um relato bastante recente sobre os serviços prestados pela empresa aérea.

Fundada em 1986, a Air Europa oferece voos para Madri, com conexão para diversos destinos na Europa e dessa vez embarcamos de São Paulo (Guarulhos) com destino à Milão (Itália). Embora também tenha voado no trecho Madri – Milão com a Air Europa, essa avaliação diz respeito somente ao trecho São Paulo – Madri, que é o voo mais longo dentre a rota que voei.

como-e-voar-aireuropa-report

Confira toda a avaliação desse voo e boa leitura! Não se esqueça, caso também tenha voado com a Air Europa recentemente, deixe sua opinião nos comentários.

Introdução

Estava com a viagem planejada até a Itália há algum tempo, porém, como não tinha a confirmação do período que poderia ir, realmente ficou em cima da hora para comprar as passagens. Diante dessas circunstâncias, já estava ciente que pagaria um preço alto nas tarifas das passagens aéreas para mim e minha esposa, a não ser que uma promoção fantástica surgisse aqui pelo Melhores Destinos, não é?

Assim que tive a confirmação que poderia viajar, comecei a busca pelos melhores preços de passagens para Milão saindo de São Paulo. Estava com apenas um mês de antecedência da data de embarque, então, não havia muito o que fazer. Acabei encontrando a melhor tarifa com a Air Europa, saindo de São Paulo e com conexão em Madri, como mencionei no início do post.

Pagamos pouco mais de R$ 8.300 ida e volta (com taxas incluídas) para mim e minha esposa em classe econômica, sendo que este era o voo mais barato para o período que precisávamos viajar. Como já estão acostumados, este valor está muito acima da média para os voos até a Europa, porém, como realmente não tínhamos outra opção, acabamos testando esse voo.

Check-in e embarque

Como costumo fazer sempre, principalmente em voos internacionais, para o voo de ida cheguei ao aeroporto de Guarulhos com cerca de 4 horas de antecedência. Quem pega voos com frequência no Aeroporto de Guarulhos já sabe que ele fica bem distante do centro da cidade de São Paulo, portanto, fique sempre atento ao horário, seja precavido e principalmente, considere imprevistos como acidentes, chuva, pneu furado, etc..

Para chegar até Guarulhos, saindo da Zona Sul da cidade, fiz uma reserva de carro com o aplicativo Uber. As corridas de táxi comum dessa região até Guarulhos, costumam dar cerca de R$ 120 a R$ 130 reais, porém, com o Uber paguei somente R$ 70.

Ao chegar ao aeroporto, fomos direto até o guichê da Air Europa, no Terminal 2, e já despachamos as nossas malas. A funcionária, bastante receptiva, nos deu todas as informações sobre o voo e solicitei, inclusive, que confirmasse o meu número Flying Blue (inserido durante o check-in online) para o acúmulo das milhas. Por coincidência ou não, ao despachar as nossas bagagens, perguntei a ela – em tom de brincadeira – se nossas malas realmente chegariam ao destino e a resposta foi um singelo: “Costuma chegar”.

O embarque ocorreu normalmente sem maiores problemas, dentro do horário previsto e sem alterações de portões de embarque. A entrada na aeronave foi padrão para a classe econômica, de acordo com a numeração das poltronas, com a tradicional e enorme fila para o embarque.

Os voos que pegamos e que serão avaliados são:

Voo ida
Data: 29/08/2015
Trecho: GRU – MAD
Voo: UX 58
Equipamento: Airbus A330-200

Voo retorno
Data: 14/10/2015
Trecho: MAD – GRU
Voo: UX 57
Equipamento: Airbus A330-200

Para pegar o voo de retorno até São Paulo, chegamos em Madri por um voo partindo de Milão. Aqui vale uma dica valiosa. O aeroporto de Madri-Barajas é imenso e se você estiver em uma conexão curta, fique atento aos portões de embarque, dependendo da sua localização é possível que tenha que andar até 30 minutos pelo aeroporto.

No embarque do voo de volta para o Brasil o nosso voo atrasou em 1 hora e sem nenhum posicionamento oficial da companhia do que estava ocorrendo. Isso gerou muitas reclamações de diversos passageiros no saguão de embarque.

Avião

Após enfrentarmos a demorada fila de embarque no voo de ida, entramos na aeronave e procuramos o nossos assentos. O avião era um Airbus A330-200 nos dois voos, na configuração 2-4-2 e em ambas aeronaves tudo parecia limpo e bastante organizado.

Encontramos a nossa fileira e nos sentamos. Como disse, a princípio não encontramos nenhum problema, mas foram nos minutos seguintes que os problemas começaram a surgir. Tenho 1,89 de altura, portanto, o espaço da poltrona sempre acaba deixando a desejar na maioria das companhias aéreas e com a Air Europa não foi diferente. Apesar disso, vamos tentar aproveitar o voo, certo? Afinal teremos cerca de 10 horas de voo até chegarmos à Espanha.

Poucos minutos após nos acomodarmos em nossas poltronas, pudemos notar que ambas estavam bastante sujas e, de certa forma, nojentas. Ao abrir a bandeja de refeição, muitos farelos e sujeiras do voo anterior permaneciam lá.

Ao verificar as revistas de bordo e outros itens na bolsa inferior (abaixo da bandeja), pudemos notar um chiclete mascado colado no tecido da poltrona. Um desavisado poderia ter colocado a mão ali e encontrar a desagradável “surpresa”.

Durante os voos, ao utilizar o banheiro, reparei que estavam completamente sujos. Com diversos papéis usados ao chão, lixeira cheia e botões de auxilio quebrados (remendados com fita adesiva).

Além disso, achei curioso que os monitores das nossas poltronas estavam parcialmente quebrados. Funcionavam, mas os botões de brilho e contraste simplesmente não existiam. Vou comentar mais sobre isso no item de “entretenimento de bordo”.

Serviço

Chegamos agora na parte em que avaliamos o serviço prestado pela companhia aérea a bordo da aeronave. Mesmo já em minha poltrona, pude notar que os comissários estavam ajudando bastante os passageiros de primeira viagem, porém, era possível notar a pouca paciência e a rispidez nas respostas.

A comunicação foi toda feita em espanhol e inglês, mas percebi que haviam comissários que falavam português fluentemente, o que é um ponto positivo no caso de algum passageiro não falar inglês ou espanhol.

Quanto aos itens disponibilizados aos passageiros, estava a tradicional manta e um travesseiro, itens comuns nas demais companhias aéreas para a classe econômica. No entanto, o que mais me chamou atenção foi o incrível fato de cobrarem 3 euros pelos fones de ouvido para utilizar o entretenimento de bordo, que já estava mal funcionando.



Refeições

Tanto no voo de ida como no voo de retorno as refeições eram bastante satisfatórias e estavam inclusos uma refeição principal e um pequeno lanche de café da manhã. Na minha opinião, acredito que as refeições oferecidas a bordo pelas companhias aéreas têm melhorado muito nos últimos anos. É claro que não podemos esperar um almoço ou jantar exclusivo durante os voos em classe econômica, mas é possível comer razoavelmente bem a bordo e a refeição da Air Europa seguiu esse padrão, com opções de carne ou massa e pequenas sobremesas acompanhadas de café ou chá.

Logo após a refeição, fomos surpreendidos novamente pelo péssimo serviço da Air Europa quando solicitei ao comissário mais um copo de suco de laranja. Para a minha surpresa, fui informado que o suco seria cobrado à parte, afinal o horário do almoço já estava encerrado.

Essa prática é bastante comum em voos domésticos ou de curta duração quando operados por companhias low-cost, o que não é o caso da Air Europa. Cobrar 3 euros por um copo de suco de laranja, ou qualquer outra bebida, em um voo de 10 horas de duração é no mínimo falta de bom senso e desrespeito com os passageiros.

Entretenimento

Infelizmente não consigo dormir fácil em voos, portanto, o entretenimento de bordo é um dos pontos que fazem realmente bastante diferença pra mim durante as viagens.

Como comentei anteriormente, os monitores das nossas poltronas já estavam quebrados e o controle da programação estava pendurado por um único fio – que se rompeu completamente pouco tempo após a decolagem. Isso sem contar a péssima e antiga programação de filmes e seriados do entretenimento de bordo.

No início acreditava que o problema dos botões era somente com as nossas poltronas, mas fiz questão de observar em outros assentos e fileiras e muitas outras estavam na mesma situação. Sendo assim, no voo da ida nem utilizamos o entretenimento de bordo.

No voo de volta o entretenimento de bordo era bem melhor. Com um software bem mais avançado e responsivo ao toque, a coleção e variedade de filmes era excelente, com diversos blockbusters e filmes recém-lançados. No entanto, ainda cobravam os 3 euros pelo fone de ouvido.

Chegada

Tudo o que um passageiro espera ao embarcar em uma viagem, seja de férias ou a trabalho, é que suas bagagens cheguem ao destino, certo? Infelizmente não foi o que aconteceu no nosso voo de ida. Ao chegarmos a Milão, uma de nossas bagagens havia ficado em Madri, por erro da companhia aérea.

Solicitamos informação no próprio aeroporto e fizemos todo o procedimento no ‘Achados e Perdidos’ do aeroporto de Malpensa. Questionamos onde ficava o guichê da Air Europa para que nos dessem mais informações sobre previsão de chegada da bagagem e até mesmo sobre uma possível indenização até que nossa bagagem fosse entregue. Seria simples se a Air Europa dispusesse de um guichê no Aeroporto de Malpensa em Milão. Dessa forma, ainda tivemos que fazer uma ligação internacional para Mallorca, sede da companhia aérea na Espanha, e saber qual o posicionamento oficial da companhia em relação ao extravio e quais deveriam ser os próximos passos.

Em resumo, somente após 48 horas a nossa bagagem chegou até nós. Como fomos informados que a companhia aérea não dispunha de um guichê no Aeroporto de Malpensa, não tínhamos como solicitar os 100 euros para os gastos de emergência até que a bagagem fosse encontrada. No contato telefônico que fizemos, o funcionário da Air Europa informou que poderíamos comprar os itens emergenciais, guardar as notas fiscais e solicitar o reembolso posteriormente junto à companhia, mas não quisemos correr o risco de negarem/atrasarem o reembolso, sem falar em toda a burocracia e dor de cabeça que teríamos.

Dica: Sempre andamos com roupas reservas em nossas malas de mão, justamente para ocasiões como essa.

Para o voo de volta ao Brasil estávamos bastante apreensivos, afinal, não sabíamos se as bagagens chegariam conosco. A tensão durou pouco, em alguns minutos na esteira de bagagem encontramos nossas 4 malas (32kg cada).

Conclusão

Vale a pena voar com a Air Europa? Bem, tomando como referência o valor de tarifa que pagamos, a resposta é, sem dúvida, não. Em uma mega promoção, talvez seja uma boa pedida, mas tenha em mente os pontos fracos da companhia aérea.

Essa foi a primeira vez que voei com a Air Europa, porém, no nosso voo de retorno ao Brasil ouvi vários relatos de passageiros que tiveram problemas com atrasos e extravios de malas em outros voos com a companhia aérea. Vale a pena ficar atento.

Autor

Marcel Bruzadin - Marcel