Variação do dólar e do euro desafia viajantes em 2018! Separamos algumas dicas para quem vai viajar!

Leonardo Cassol 18 · junho · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Esse ano já mostrou que reserva muitas emoções no câmbio, para quem planeja realizar uma viagem internacional. O dólar comercial começou 2018 valendo R$ 3,32, já bateu R$ 3,92, e semana passada oscilava na faixa de R$ 3,70 – R$ 3,80, com intervenções do Banco Central. O Euro segue trajetória parecida, começando o ano a R$ 3,97, chegando a incríveis R$ 4,60! Nas casas de câmbio, esses valores são ainda maiores, pois o dólar/euro turismo costuma ser mais sensível às variações das moedas. Se você tem passagem comprada para o exterior, ou pretende sair do país, esse post é para você!

O que está acontecendo com o câmbio?

O câmbio é influenciado por uma série de fatores concretos, mas também por riscos e expectativas. De um lado, o Brasil vive grandes incertezas políticas e econômicas, prato cheio para uma desvalorização do real. De outro, a economia dos Estados Unidos está crescendo e também a taxa de juros, o que contribui para uma valorização natural do dólar. Essas e outras questões imprevisíveis influenciam na cotação das moedas.

Até a conclusão das eleições no Brasil e uma maior clareza da política econômica que será adotada pelo novo governo, as moedas estrangeiras devem continuar sofrendo grandes variações em relação ao Real.

O Dólar e o Euro já atingiram a cotação máxima?

É difícil prever isso, mas tudo indica que não! Os especialistas em câmbio afirmam que ainda há espaço para o Dólar e o Euro subirem mais. Nós já vimos esse filme, quando o dólar passou de R$ 4,10 em 2015. Alguns analistas falam que a moeda norte-americana poderia chegar a R$ 5,00 próximo das eleições, dependendo dos acontecimentos.

Já tenho viagem marcada, o que devo fazer?

Se a sua viagem está marcada até outubro, mês das eleições, é preciso ter muita cautela. A chance de você pegar um câmbio desfavorável antes ou durante a sua viagem é muito grande. O ideal é fazer a reserva pré-paga e cancelável em reais do hotel, o que ajuda a “congelar” a cotação da moeda estrangeira. Você já sabe o quanto vai pagar e, se a moeda utilizada tiver sua cotação reduzida, é só cancelar a reserva e fazer outra. Se o câmbio ficar estável, ou piorar, você já está com sua estadia garantida.

Quanto aos demais gastos, comprar a moeda estrangeira num dia de intervenção do Banco Central, quando a cotação se reduz (como aconteceu na última sexta-feira) pode ser uma boa ideia. Afinal, se as moedas estrangeiras já estão caras, há que se considerar que a situação pode ficar ainda pior. Cartão de crédito é loteria, pois dependendo da data da viagem e do vencimento da fatura a cotação do dólar pode estar explosiva! Cartões pré-pagos congelam a cotação da moeda, mas pagam IOF maior do que comprar diretamente a moeda, e também costumam ter um valor mais alto na hora da transação.

Quem vai viajar de novembro em diante tem maior chance de encontrar um câmbio mais estável. Isso não significa preço bom, pois vai depender do resultado das eleições e da clareza quanto à política econômica do novo governo, de um lado, e das condições políticas e econômicas do resto do mundo, de outro. Por isso, a dica de fazer a reserva pré-paga e em reais do hotel continua válida. Comprar um pouco de moeda nos períodos de baixa da cotação até a sua viagem também pode ajudar a diluir o risco cambial.

Existe um serviço gratuito de alertas e fechamento de câmbio online que avisa quando a cotação da moeda estrangeira atinge o preço que você deseja, ou um bom momento de compra. E ainda é possível fechar a operação online, pelo WhatsApp, ou por telefone, aproveitando o bom momento. O Banco do Brasil também disponibiliza para seus clientes uma ferramenta semelhante, através de seu app.

Ainda não comprei a passagem, mas quero viajar. O que posso fazer para me proteger?

Primeiramente, não entrar em desespero! Nessas horas de incerteza, costumam aparecer boas promoções e oportunidades de viagem. Depois, na calmaria, os preços das passagens tendem a subir, porque a procura aumenta rapidamente, como ocorreu em 2015. Mas é preciso se planejar bem e reservar um orçamento extra para o caso da cotação da moeda desejada aumentar, o que pode acontecer.

É preciso considerar reduzir a duração da viagem, caso você tenha um orçamento apertado. Ou até viajar para um destino diferente o inicialmente planejado.

Além da passagem, é preciso ter em mente os demais gastos da viagem, como hotel, deslocamento, ingressos e alimentação, que geralmente representam uma parte significativa dos gastos. Se você já tem o dinheiro da viagem e quer se proteger, os especialistas recomendam ir comprando a moeda aos poucos, aproveitando dias em que a cotação está mais baixa.

Utilizar o serviço gratuito de alertas de câmbio que citamos acima pode ajudar, pois você é avisado quando a cotação da moeda estrangeira atinge o preço que você deseja, ou quando é um bom momento de compra. Isso ajuda muito a acompanhar as cotações, sem precisar entender de economia ou ficar pesquisando todos os dias.

Dicas para economizar em viagens internacionais

Veja nosso post especial com 13 dicas para economizar em viagens internacionais, em tempos de dólar e euro nas alturas.

Autor

Leonardo Cassol - Editor Editor e especialista em programas de fidelização do Melhores Destinos.