Boeing planeja avião hipersônico capaz de dar a volta ao mundo em 6 horas!

Wendell Oliveira 19 · janeiro · 2018

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Que tal acordar em Nova York, almoçar em Paris, fazer compras em Tokyo e ainda voltar para casa antes do jantar? Parece ficção científica, mas é uma ideia que pode ser levada a sério no futuro, através de um ambicioso projeto da Boeing, que pretende desenvolver uma aeronave capaz de viajar a 6.175 km/h — cinco vezes a velocidade do som!

O conceito foi apresentado esta semana no American Institute of Aeronautics and Astronautics SciTech, em Orlando, e vem sendo apelidado de “O Filho do Blackbird”, em referência ao lendário SR-71 Blackbird, considerada a aeronave tripulada mais rápida do mundo.

Protótipo do ‘Son of Blackbird’ (@AvWeekGuy)

Spoiler: Antes de procurar passagens baratas com esse avião aqui no Melhores Destinos, é melhor conter a animação. A aeronave não estará pronta para testes até 2020, e será voltada para fins militares, não para aviação comercial.

A velocidade do som — ou Mach 1 — é de aproximadamente 1.235 km/h. Para atingir a velocidade Mach 5, o novo modelo precisa alcançar incríveis 6.174 km/h! A fins de comparação, um Boeing 747 de passageiros alcança velocidade de cruzeiro de 885 km/h, enquanto o SR-71 chegava a 3.540 km/h (Mach 3)!

O design projetado pela Boeing é um concorrente direto do modelo SR-72 atualmente em desenvolvimento pela empresa Lockheed, que também seria capaz de viajar em velocidade Mach 5, para missões de reconhecimento e combate.

Dentre as maiores dificuldades do projeto, está em encontrar um material resistente às altas temperaturas produzidas no deslocamento em grande velocidade, além de um motor de ciclo combinado que incorpore elementos de turbina e tecnologia ramjet/scramjet em modo de operação dupla.

Os desenvolvedores estão cientes dos enormes desafios que terão pela frente. Kevin Bowcutt, cientista chefe da Boeing, revelou à Aviation Week que “é realmente muito difícil desenvolver uma aeronave que consiga decolar e acelerar da velocidade Mach 1 à velocidade Mach 5”. A Boeing já experimentou aviões hipersônicos não-tripulados no passado, que chegaram a atingir Mach 5,1 antes de cair no mar, com o descarte de um propulsor. Agora a missão é decolar e pousar por conta própria.

Bowcutt também informou que a Boeing está trabalhando no desenvolvimento da aeronave em duas etapas: O primeiro envolve voos de teste em um monomotor do tamanho de um caça F-16, para provar a viabilidade do projeto. Posteriormente, a equipe desenvolveria um veículo bimotor operacional em escala real, de tamanho semelhante ao SR-71, com 32,6 metros de comprimento.

O design final dependeria das autoridades americanas – em especial a DARPA e as Forças Armadas -, interessadas no desenvolvimento do projeto. Vale lembrar que o antigo SR-71 podia voar tão rápido que quase não era detectado por radares, sendo aposentado ainda na década de 90 devido aos altíssimos custos operacionais.

Não há previsão de que um dia o veículo possa ser usado para o transporte de passageiros. Caso cogitem a possibilidade, já podemos adiantar algo: o ar rarefeito e a pressão obrigará o uso de máscaras e trajes especiais semelhantes aos dos astronautas, o que basicamente inviabilizará o serviço de bordo. Não vai ter lanchinho 🙁


Viável ou fantasia futurística? Participe nos comentários!

Autor

Wendell Oliveira - Editor - Ásia Apaixonado pela Tailândia, quando não está no país a trabalho está a passeio :)