Conheça o Boeing 747-8, o segundo maior avião do mundo, que agora voa de São Paulo à Europa com a Lufthansa

Denis Carvalho 1 · abril · 2014

O gigante chegou. A partir desta semana o Brasil tem seu primeiro voo com uma aeronave classe F, que reúne os maiores aviôes do mundo. Trata-se do novo Boeing 747-8, que a partir de agora será usado pela Lufthansa na rota de São Paulo a Frankfurt. Com capacidade para 386 passageiros, ele é o segundo maior avião do mundo, e precisou de uma autorização especial  da Anac para poder pousar em Guarulhos, com medidas adicionais de segurança.

A convite da Lufthansa e da Boeing, o Melhores Destinos acompanhou a chegada do 747-8  a Guarulhos e teve a oportunidade de conhecer o interior do avião. Neste post vamos apresentar a vocês um pouco do que o super jumbo oferece aos seus passageiros, na econômica, business e primeira classe. E ai, vamos embarcar? 

Boeing 747-800 Lufthansa

O 747-8 é a mais nova aeronave de alta capacidade da Boeing e é a segunda maior aeronave de passageiros do mundo, atrás apenas do Airbus A380. Aliás, os dois são os únicos aviões da classe F, sendo que o aeroporto de Guarulhos ainda não conseguiu autorização para receber o gigante da Airbus em voos regulares – Emirates e Air France estão interessadas.

O 747-8 da Lufthansa tem capacidade para 386 passageiros, sendo oito na First Class, 80 na Business e 298 na classe econômica. Para efeito de comparação, o 747-400 tem capacidade para 352. Os 34 assentos adicionais são 14 na classe executiva e o restante na classe econômica. O 747-8 é o jato mais longo do mundo, com 76,3 metros de comprimento (quase 6 metros a mais que o anterior).

6930
Rumo ao 747-8: tão grande que não cabe na foto

Além das dimensões, o novo jato traz inovações aerodinâmicas e nos materias de construção que proporcionam economia de até 40% de combustível e redução de 15% na emissão de CO2 e até 30% no nível de ruído. “Me disseram que quando ele pousou aqui em Guarulhos muita gente nem percebeu, de tão silencioso que ele é. Acho que exageraram”, brincou a presidente da Boeing Brasil, Donna Hrinak, durante a apresentação.

Primeira Classe

Nossa visita tem início na First Class, que comporta confortavelmente oito passageiros. De início chama a atenção o formato da classe, que tem um afunilamento devido à posição próxima ao bico da aeronave. Isso é possível porque a cabine dos pilotos, que geralmente ocupa essa região, fica no segundo andar do 747-8.

7033

Os assentos da Primeira Classe reclinam totalmente e se transformam em camas de 2,07 metros de comprimento e 80 centímetros de largura. As poltronas oferecem a possibilidade de subir ou baixar divisórias para os passageiros ao lado, permitindo que passageiros que voam sozinhos ou acompanhados ajustem sua viagem.

6944 

Um detalhe interessante é que toda a classe é ornamentada com rosas vermelhas, que são um símbolo da First Class da Lufthansa.

6949

 

Mais imagens da Primeira Classe do Boeing 747-8:

 

Prosseguimos a visita subindo a escada que leva ao deck superior do avião, onde está a Business Class. Na verdade são duas classes executivas: uma atrás da primeira classe no piso inferior, à esquerda da entrada da aeronave, e a maior, que fica no piso superior.

Boeing 747-8 business

O 747-8 traz a nova Business Class da Lufthansa, considerada pela empresa a grande novidade da aeronave. Os assentos, assim como os da primeira classe, se transformam em camas totalmente horizontais, com 1,98 metro de comprimento.

6975

O sistema de entretenimento on demand oferece mais de cem filmes em diversos idiomas, além de séries e outros atrativos em telas de 15 polegadas.

6976

Não percebemos diferenças significativas entre as classes business superior e inferior, tanto na configuração quanto nos assentos e nos ambientes. De uma forma geral, as classas são amplas e com decoração discreta e elegante.

6974

Mais imagens da Business Class

Classe econômica

Por fim, chegamos à classe econômica, de volta ao piso inferior. Pudemos notar uma semelhança entre a economy do 747-8 e do 787 Dreamliner, apesar das diferenças grandes entre os padrões da Lufthansa e da Ethiopian, companhias que operam os modelos que visitamos.

6982

Segundo a Boeing, isso é proposital, já que muitos conceitos do 787 foram usados no desenvolvimento do novo jumbo – o “8” do 747-8, aliás, seria uma referência a isso. Os bagageiros de grande dimensões, com sistema de fácil abertura e fechamento, são um dos tópicos comuns às duas aeronaves.

7006

 

A classe econômica é bem decorada, com predominância do cinza e azul, com detalhes em amarelo, cores da Lufthansa. As poltronas não são exatamente confortáveis, mas podemos dizer que estão acima do padrão das econômicas de outras companhias intercontinentais.

6999
Cada assento possui tela individual no enconto frontal, com comandos acessíveis pela tela ou por um controle fixo no braço da poltrona. A configuração é 3-4-3 na maior parte da cabine, mas há fileiras com apenas duas poltronas laterais no final da aeronave.

Confira a reclinação da poltrona
Confira a reclinação da poltrona e o espaço para as pernas

Mais fotos da classe econômica:

De uma forma geral, o novo jato da Lufthansa parece bastante agradável, dentro da proposta de cada classe. A decoração dos ambientes é moderna e traz alguns elementos do 787, especialmente nos bagageiros e no teto, mas não traz algumas inovações, como as grandes janelas do irmão menor.  Enfim, parece que, apesar do tamanho, o gigante é bem gentil com os passageiros que com ele cruzam os oceanos.

Boeing 747-8 facts – algumas curiosidades sobre o super jumbo

– A capacidade elétrica do 747-8 pode fornecer energia para 480 mil TVs de 32 polegadas

– O 747-8 alcança 920 km/h, o que permite atravessar três campos de futebol padrão Fifa por segundo

6933

– A Altura da cauda é de 19,5 metros, o que equivale a um prédio de seis andares

–  O 747-8 é a aeronave comercial mais longa do mundo, com 76,3 metros

– A envergadura das asas do 747-8, de 68,4 metros, equivale a dois 737 emendados

– Cada um dos quatro motores do 747-8 tem o mesmo empuxo de decolagem que os oito motores do bombardeiro B-52 original juntos

– O 747-8 é capaz de transportar 238,6 mil litos de combustível, o que lhe permite cumprir rotas extremanete longas, como de Los Angeles a Melbourne. Seu alcance é superior a 14, 4 mil km.

– Apenas o convés superior do 747-8 tem a mesma área que um 737-700

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Thomas H.

    A Lufthansa realmente é muito mal resolvida no que diz respeito a classe executiva.
    Na configuração antiga, a poltrona vira uma rampa horrivel, inclinada em relação ao chão, onde o passageiro fica escorregando pra baixo.
    Nessa atual, apesar de ser flat-bed, dois passageiros têm que dividir um único apoio de pé, e o contato de pés é inevitável. A não ser que seja um casal apaixonado, isso é muito desagradável.
    Por que não seguir o padrão de business da Swiss ou da Austrian, que são praticamente suas afiliadas?

    • Noleto

      Se você observar bem as fotografias, poderá ver que o apoio dos pés realmente é um só, mas tem uma divisão que resolve o problema que você citou.

      • Thomas H.

        Sim, eu sei que tem, mas não resolve o problema.. os 2 passageiros ficam em uma posição convergente, por isso acabam se tocando, até os joelhos!

    • A business da TAP sofre do mesmo problema "escorregadio" (além da poltrona ser suficientemente apertada para você deitar e cotovelar as laterais do assento o tempo todo)…

    • cleber

      Acabei de voar GIG-FRA-GIG e a executia via GIG continua ser com poltronas "rampa à meia nau" e não as "flat beds" da reportagem. Se continuarem asim a discriminar o pessaol do Rio, a AF vai fazer a festa pq a execuiva deles saindo do GIG é "flat bed" na boa…

    • marcelo

      viajei na semana passada, tem uma separação, não existe contato nenhum com os pés, ou pernas com o passageiro ao lado, e as poltronas ficam bem afastadas, apenas os pés ficam próximos, porém não se tocam, é simplesmente excelente.

  • Daniel

    Legal … só fico me perguntando quando vão abolir as touch screen nas aeronaves … infelizmente os passageiros entendem que touch = push e ficam teclando na nuca do passageiro da frente, o que é extremamente irritante e atrapalha o sono de qualquer um. Poxa, um controle wireless BT já resolvia o caso e terminava com essa pentelhação (OK, tem gente que ia querer roubar o controle, então deixa com fio mesmo)

    À isso se poderia aliar assentos com costas rígidas, assim os cidadãos que não conseguem se levantar sem incomodar o passageiro da frente, poderiam se apoiar na parte rígida sem balançar os 3 assentos da frente no "pedala-class".

    Acho isso mais inovador e confortável do que janelas maiores ou vidros eletrocrômicos…

    • Andre K

      Observações bastante pertinentes!

    • Guilherme

      Provavelmente a tendencia é justamente o oposto. As telas touchscreen vão virar padrão e, possívelmente, o único mecanismo de interação. Vide os aviões que sequer tem botão chamada de comissáio ou botão de acender a luz e incorporaram tudo em um só lugar (no touch ou controle).

      • Augusto

        Mas se trocarem pelo touch capacitivo, aposto que já resolve bastante o problema…hoje todos (todos que eu viajei pelo menos) sao resistivos

  • Lindo… Bem melhor do que os Boeings 747-400 anteriores, especialmente pelo fato de não terem as telas coletivas de TV na classe econômica. Parabéns Lufthansa, ANAC, ao MD e, óbvio, aos afortunados que utilizarão essa beleza na rota.

  • Antonio

    E as janelas que ficam lá no bico da aeronave, no deck inferior… permitem uma visão FRONTAL do vôo?

    • Olá Antonio, não permitem, apenas lateral mesmo, muito pouco da frente

  • Rodrigo Oliveira

    Engraçado. Não vejo nada demais, senão a enorme capacidade de transporte dessa aeronave. É novo e confortável como outros Boeings ou Airbus que tiveram sua cabine renovada ou que saíram recentemente de fábrica.
    É fato que os 747 que costumavam vir para o Brasil eram velhos e apertados. Talvez esses novos estejam no padrão de conforto normal que se espera para uma viagem transcontinental.

  • Emerson Leite

    Uma bela aeronave.
    Parabéns pela matéria!

  • Luiz Paulo

    Gente, sob o ponto de vista de um passageiro, digamos assim, leigo, porém curioso, qual é o “big deal” de visitar ou saber como é um 747-800???? Uma primeira classe já vista, executiva idem. Uma classe econômica 3-4-3. Qual a novidade??? Já o A380, esse sim revolucionou com dois andares inteiros só para passageiros. Daí ter valido todo a emoção com o lançamento. Já um 747????

    • O mais bacana do 747-8 (não é 800) é sem dúvida o tamanho. Trata-se do primeiro jato classe F a fazer voos comerciais para o Brasil. Tem também alguns avanços tecnológicos importantes, a maioria trazida do 787, como o desenho inovador das asas. De fato, não há como negar que o A380 e o 787 trazem mais novidades, mas para quem é apaixonado por aviação estar diante de um gigante desses pela primeira vez é sempre uma oportunidade única.

  • Parabéns pela reportagem. A Lufthansa é excelente!

  • Dênis Colli

    Parabéns MD pela matéria!
    Faltou só a Lufthansa convidá-los para voar no novo brinquedo que ela trouxe para o playground brasileiro… Falta de educação deles… Se fosse o lado Suiço da empresa (Swiss Airlines) provavelmente estariam em Zurich essa hora!
    Me parece que o espaço para as pernas no B747-8 é um pouco maior ao B747-4 que voei… Os assentos parecem ter mais "espuma" em vista do antigo avião, fato que também se deve ao tempo de uso da aeronave…
    Se essas novas telas dos assentos forem iguais à da AA, são péssimas. a tela do B77W da American Airlines fica presa ao assento da frente, não possui nenhum mecanismo para ajustar a profundidade, com isso se a pessoa da frente deita o banco, você fica com a visibilidade prejudicada, além da tela ter uma película fosca para reduzir a luminosidade nas laterais, se você não estiver centralizado no assento a visão do conteúdo no monitor é parcial…

    • Andre K

      Também me chamou a atenção que as telas individuais da classe executiva não parecem ser lá as mais modernas não…

  • Deveriam ter convidado voces para fazer um voo experimental para Frankfurt!

    • Não seria má ideia, para ver se após 10 horas de viagem qual seria nossa avaliação do jumbo! =)

      • Augusto

        Com certeza, um voo seria a real avaliação…o proprio A380 tem 2 andares completos, ok, mas coisa que o Jumbo já tinha, só que o 2o andar incompleto…mas eu voei no A380 esse ano, a experiencia é totalmente diferente, a começar pelo silêncio mesmo durante a decolagem, quase nao ouve-se os motores acelerando. A economica do a380 é mais espaçosa, o avião lida muito bem com turbulencias, enfim….imagens nao significam muito, só voando mesmo para avaliar um aviao novo

  • Cristiano Alencastro

    A configuração total das poltronas está equivocada, o total está correto, mas a divisão é do 747-400. 8+66+278 = 352. O 747-800 da Lufthansa com capacidade para 386 passageiros é de 8 First, 80 Business e 298 Economy = 386 http://www.seatguru.com/airlines/Lufthansa/Luftha
    Abs

    • Cristiano, tem toda a razão! O material que recebemos da Lufthansa descrevia os dois e acabeiu me confundindo, por isso é bom ter leitores atentos! Obrigado!

    • Pense num cara atento… 🙂

  • Emerson Santos

    Belas imagens desse "pássaro" transoceânico!
    Parabéns pela matéria!

  • Parabéns pelo post…

  • Giovanni

    A Business me pareceu bem confortável. Quanto a aeronave, o 747 é, na minha mera opinião, o avião mais bonito fabricado até hoje

    • Cristiano Alencastro

      Concordo Giovanni. Também acho o mais bonito. Meu primeiro voo de avião foi em um 747 da nossa extinta Varig. A volta foi no upper deck, e naquela época (jan/88) já era praticamente uma flat bed.

      • Giovanni

        Cristiano, não tive o prazer de voar com a Varig (nasci em 92), mas sou apaixonado por flight reports, e já li inúmeros sobre os seus serviços e aviões. Imagino como deve ter sido, rsrs.

  • João

    Vi ele ontem em Guarulhos, na pista auxiliar, bem daonde foram tiradas essas fotos. É realmente gigantesco.

  • Fabio

    Já voei de 747-400. Achei um pouco apertado, na configuração 3-4-3. As fotos desse me pareceram com mais espaço do que o 747 da JAL que voei. Muito bonito. Espero que a demanda no Brasil continue a crescer, para receber cada vez mais rotas e mais aviões de qualidade Parabéns pela matéria.

  • Marcus

    Concordo com o que o Daniel descreveu acima sobre as telas touch. Isso incomada muito. Acrescente a isso a má sorte de sentar um criança atras de voce.

  • Carlos Junior

    Muito bom Melhores Destinos! Sempre nos mantendo ligados com as novidades!! Parabéns!!

  • regina

    Ah pessoal, quisera estar dando minha opinião, mas quem sabe em breve eu embarque num desses quer na primeira quer na segunda classe, o que eu quero é ir e voltar para então opinar….que tal?

  • Luiz Paulo

    Espero que n me levem a mal por criticar tanta movimentação por conta da chegada desse avião. Eu falo pelo ponto de vista passageiro leigo. Evidente que sob o aspecto tecnológico, o avião é bacanérrimo. E, obviamente, parabéns ao MD por publicar a matéria. Não só por essa, mas por tantas outras. O blog é o meu favorito e, graças a ele, irei, no final de abril, para NY de Classe Executiva pela Delta por inacreditáveis USD 900. Fica aqui um público agradecimento ao trabalho de vocês.

    • Claro que não, Luiz Paulo, você tem todo direito de dar sua opinião! =)
      Um abraço

  • Diego

    Eu estive no vôo inaugural da Lufthansa. Confesso que só fiquei sabendo quando estava em casa a noite e li algumas reportagens a respeito. A Lufthansa sequer informou aos passageiros. Acho isso bom, pq meu relato abaixo vai ser das reais impressões que tive. Viagei na classe econômica (obviamente).

    Avião lotado. Demorei para fazer o check-in e eu e minha esposa fomos marcados em poltronas separadas. Tive a sorte de encontrar um brasileiro que gentilmente aceitou fazer a troca de poltrona.

    O vôo foi tranquilo, visto que nenhuma vez fomos informados sobre áreas de turbulência e não teve aviso de atar cintos, mas o avião chacoalha demais. É extremamente irritante a sensação do vôo. Da asa para trás, todos os passageiros reclamaram. Diversas pessoas passaram mal devido ao excesso de vibração.

    As poltronas não são tão confortáveis quanto se imagina na imagem e em relação ao espaço. são péssimas. Eu tenho 1,83 m de altura e meus joelhos batem no banco da frente quando sentado corretamente no banco (aviões da Avianca e Azul aqui no Brasil são bem mais espaçosos em relação a este). Imagina esta posição por 11 horas de vôo. Nas poltronas do centro do avião (4 poltronas juntas) quem utilizar a poltrona central tem problemas para pedir licença. É muito apertado até mesmo para a saída.

    No quesito entretenimento da aeronave, a programação da Lufthansa é ótima. Tem filmes recentes, musica boa, desenhos infantis e acompanhamento do vôo. Me chamou a atenção para a programação com duas câmeras ao vivo instaladas no bico da aeronave. Uma direcionada para frente e outra para baixo. Quando sobrevoando cidades iluminadas a noite, ficou uma imagem bem interessante.
    Na câmera virada para frente, consegui visualizar a descida em Guarulhos. Visão de toda a pista iluminada a noite (chegamos por volta das 5 da manhã), uma imagem linda.
    Quanto as telas dos comentários acima, o problema não é dela ser touch, mas o software de controle dela é bem lento, o que faz as pessoas terem a impressão e a necessidade de apertar novamente e com mais força para acessar a programação esperada, o que realmente incomoda quem está na poltrona da frente.

    Foi um vôo silencioso sim. Apenas da decolagem teve muito barulho, mas depois disso, as turbinas foram silenciosas para o vôo.

    O atendimento da tripulação de bordo da compania foi muito bom. Apesar de, por um acidente, um tripulante deixou cair um copo de refrigerante na roupa da minha esposa e no me casaco, eles foram muito prestativos em pedir desculpas e providenciar a limpeza. Só faltou secarem o casaco na turbina pra fazer mais rápido (rsrs…brincadeira). Até mesmo na classe economica, ofereceram vinho, cerveja, sucos e refrigerantes. Não dá pra esperar muito do jantar de um avião, mas tinha um macarrão ao molho pesto, quentinho, de dar inveja a muito restaurante.

    No quesito bagagem, aí a coisa complica. Minha mala foi protegida por bags quando embarquei ainda na Itália, mas chegou em Guarulhos “detonada”. Mais 3 bagagens de amigos meus que estavam no mesmo vôo chegaram na mesma situação. Fomos reembolsados de valor para conserto, mas numa proporção bem menor do valor da compra da mala. Apesar de prever isso, sempre temos a esperança de que um dia esse seja um problema resolvido pelas companias aéreas.

    De 0 a 10, minha nota seria 7.

    Espero ter contribuido.

    • Rafael Lindoso

      Quanto foi o valor do reembolso? falo isso pq tive problemas com a Avianca Internacional e eles são bem burocraticos.

      • Diego

        R$ 100,00

      • jonatan

        eu tbm tive este problema com a vueling em Roma nem me deram bola!

    • Olá Diego, puxa contrinuiu muito mesmo! Obrigado!
      Como disse, uma coisa é fazer uma visita de uma hora a um avião, outra bem diferente é fazer um voo longo com ele e essa sua pequena avaliação sem dúvidas vai ser muito importante para todos os leitores.

    • Bom relato. De um verdadeiro passageiro!

    • MTorres

      Até que enfim alguem que sentiu o mesmo. Tive a mesma sensação quando vim pelo A340-600 da Lufthansa. Não sei exatamente em quanto o 747-8 é mais comprido. Como vim nos ultimos lugares, parecia que o avião ficava sambando. Não peguei grandes turbulencias, mas foi um dos piores voos que ja tive. E não é frescura, BALANÇA MUITO atras. Olhando para frente, tinhamos a sensação da traseira do avião balançar mais de um metro pra cada lado. Muito esquisito. Fica a dica, nesses salsichões, tente sempre ir na asa. E ainda mais nas janelas.

    • Augusto

      O problema da vibração nas poltronas trazeiras é recorrente de aviões longos. Voei bastante no 777-300 ER, que é o3o mais longo avião comercial (73.9m, contra 76.2m do 747 e 75.30 do a340-600), e sempre procuro um assento o mais pra frente possivel, mas só de caminhar até a cozinha do fundo do aviao, já percebe-se uma "falsa turbulencia" que nao sente-se nos assentos mais proximos as asas do aviao. Não sei como é no a340-600 pq nunca voei.

      • Diego

        Meu voo de ida foi com o A340-600, poltrona sobre a asa. O vôo foi bem mais tranquilo em relação ao "balanço" como comentado. Banheiros no deck inferior tbem me chamaram a atenção e todos com bom espaço.
        Realmente o serviço de bordo da Lufthansa foi muito bom nos dois vôos.

    • helio

      Diego,
      É muita coincidência mas eu estava nesse voo também. Voltei de Roma, conexão Frankfurt. Tudo, absolutamente tudo, que vc escreveu acima eu passei, observei e concordo. Do não aviso do que era aquele primeiro voo, do bom serviço com vinhos, massa bem feita, quentinha, silencio no voo, estranhei também que não teve turbulência mas chacoalhava levemente sim ao longo do voo, ou seja, não deu aquela estabilizada pra dormir, pouco espaço na econômica, enfim… só nao tive problema com bagagem, mas é uma aeronave sensacional na tecnologia, nas proporções, e como eu moro na rota onde passam os aviões que chegam a Guarulhos (moro no Mandaqui, zona norte de SP) , reparou que é um dos mais silenciosos aviões que passam (sempre 4h50) sobre minha casa. Um abraço Hélio

  • Luiz Jorge Bolognesi

    Bela materia. Parabens MD

  • MD é MD… Sempre a frente 🙂
    O que a gente vê aqui primeiro não vê depois nem atrasado… rs.

    • Valeu, Alex, obrigado!

      • Jonas

        Denis, mudando de assunto, quando teremos uma avaliação da Austral?

  • Mas esse MD tá cotado heim! Olha vê uma vaguinha aí pra mim bitte!!!

  • Rafael S

    Por uma sorte tremenda comprei a passagem há 3 meses e paguei 6990 na Business, mas voaria no antigo 747. Recebi um email da Luftnahsa, 15 dias atrás, avisando a mudança da aeronave (31/03). Como falaram no email, eu voaria no The Legend!. A aeronave é sensacional vista de fora, muito diferente de todos os outros aviões, realmente só fica atrás do 380. O serviço da Lufthansa não mudou, continua impecável. Aeromoças educadas, sorridentes e Lindas!!! ( idade média de 35 anos, só a chefe de Cabine aparentava ter uns 50). Como já disse, não notei diferença alguma nos serviços, comida saborosa e muito farta. Difícil achar ou pedir um escalope alto no ponto igual ao que eles servem. Vinho francês, italiano ou sul-africano. As poltronas estão melhores. Antes, realmente a poltrona ficava perto do chão, mas não eram tão ruins assim, agradáveis. Agora estão mais altas e ficam a 180 graus do chão, igual cama mesmo. Com relação ao apoio dos pés, é super tranquilo, pelo menos pra quem tem 1,80. Do meu lado veio um alemão,que tirou os sapatos tmb, e eu so percebi que tinha alguém do meu lado, quando ele roncava!!! Kkkk Era nítido que a tripulação também estava animada com a novidade, quando puxei papo com a que me atendia, ela sentou no braço na poltrona vizinha e ficou batendo papo sobre o avião novo por uns 10 minutos.( sim, ela é gatissima, kkkkk). Pra mim a cia continua sendo a melhor da Europa, não penso em viajar por outra. Obrigado MD que me fez economizar 30% na tarifa…

  • gevasio

    Parabéns Denis pelo trabalho. Só acho que você deveria ter recebido um ticket first class da Lufthansa. Eles não estariam fazendo nenhum favor, muito pelo contrário.

  • Só quem já voou num desse pra saber a sensação que é!!
    "—É show de bola!!!!!! :-)"

  • eu viajei no 767-400 da delta GRU-JFK e eu estava na penultima fileira, mais não senti muito turbulência a unica que me lembro foi em cima do caribe

  • Mr Brown

    Estive na Alemanha nessa semana e pude provar como é voar nesse Boeing. Magnífico! Voltei nesse sábado e corri aqui na WEB saber um pouco mais sobre ele.

  • André

    Ja voei nos 747 e a380. A opinião? O airbus é melhor

  • Diego

    Pessoal, as últimas 03 fileiras, com apenas 02 lugares nas laterais, têm janela?
    Obrigado a quem responder!
    ps. se alguém conhecer alguma forma de fugir da necessidade de pagar taxa para marcar assentos, tb agradeço! =D

  • andre

    o a350 é muito bom tbm

  • Pingback: Yo, Nihon! Apertem os cintos, estamos indo para o Japão! #3 | YO!OTAKU()

  • Suricato

    Apareceu na história da humanidade um homem chamado Paulão de Tarso. Entre seus escritos expansivos, hiperbólicos e redundantes, pseudônimos ou não, um deles faz alusão à capacidade do homem: ela vem de Deus. A evolução é um enigma. A graça-prêmio-inteligência parece ser de conta-gotas. O mistério é fascinante. Se assim não o fosse, esta poderosa máquina já estaria obsoleta. Não é cômica, fascinante e arrebatadora nossa capacidade?…

  • noeme

    Ola pesssal trabalho na pista Do aeroporto de Guarulhos veios de perto essa aeronave realmente E linda perfeita

  • JOSÉ LUÍS STAFUZZA

    UMA LINDA AERONAVE.