Dicas de Bariloche – o que fazer na Patagônia Argentina

Camille Panzera 5 · julho · 2017

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Atualizado em maio de 2018

Bariloche, no sul da Argentina, é um destino que há anos permeia o imaginário dos brasileiros. A maioria das pessoas pensa apenas em neve quando imagina o lugar, mas na prática Bariloche oferece muito mais do que isso e, inclusive, é um destino excelente para visitar no verão!

As atividades disponíveis na cidade e o cenário natural mudam dependendo da estação em que a viagem é realizada, mas é certo que independentemente da época em que viajar, você encontrará paisagens encantadoras, com direito a montanhas arborizadas, lagos de cores lindas, atividades na natureza e boa gastronomia!

Venha conosco e descubra nesse post como Bariloche pode ser o destino ideal para as suas próximas férias!

Dicas de Bariloche

Entendendo a região: A cidade tem cerca de 130 mil habitantes e está às margens do Lago Nahuel Huapi, no fica no norte da patagônia argentina, na província de Río Negro. Colonizada por alemães e austríacos, ela o local tem um relevo acidentado, vários lagos e temperaturas amenas ao longo do ano. A paisagem tem muitos montes, que duram o inverno ficam lindos cobertos pela neve. Vários desses morros possuem mirantes que oferecem belas paisagens da região.

Documentação:  Brasileiros que viajam a turismo para a Argentina não necessitam de visto e nem mesmo o passaporte, sendo possível viajar apenas com um RG que permita a fácil identificação de seu portador.

Por estar próximo do Chile, muitas pessoas aproveitam para conhecer também algumas cidades chilenas na mesma viagem e essa é realmente uma excelente ideia. Quem visita o Chile também não precisa de visto ou passaporte: basta o RG. Lembre-se, no entanto, que além do passaporte só é possível viajar com o RG, documentos como a CNH não são aceitos para fins de imigração, apenas para dirigir.

Como chegar:  Bariloche está a cerca de 1.600 km de Buenos Aires ou um voo com 2h20 de duração. As companhias aéreas que operam entre a capital argentina e Bariloche são Latam, Aerolíneas Argentinas e Flybondi, a primeira low cost do país. Saindo do Brasil você pode usar Latam, Aerolíneas e também a Gol, que possui acordo com a Aerolíneas.

Moeda: A moeda da Argentina é o peso argentino, mas o dólar e o real também são aceitos no comércio local – fique atento apenas ao fato de que usar moeda estrangeira nem sempre é muito vantajoso pois cada estabelecimento usa sua própria cotação. Dessa forma, uma boa opção é levar dólar ou real para já na cidade realizar o câmbio por pesos argentinos.

Clima em Bariloche

Quando ir a Bariloche? A resposta é: sempre! A escolha do período vai depender do que você pretende fazer por lá, de que temperatura espera encontrar… Como você já deve saber, a cidade é famosa por proporcionar contato com a neve (muitas vezes o primeiro contato de brasileiros com a neve) então é natural que muitas famílias escolham viajar para a cidade no inverno, que é quando de fato há neve. No verão, no entanto, as temperaturas são mais agradáveis e esse é o período indicado para curtir atividades na natureza, como caminhadas, ou admirar as passagens naturais sem um frio intenso.

Abaixo você confere um gráfico do clima de Bariloche mês a mês.

Average min and max temperatures in San Carlos de Bariloche, Argentina

O que ver e fazer em Bariloche

Circuito Chico – Esse é o nome do passeio mais conhecido em Bariloche. O tour pode ser feito de carro por conta própria ou com empresas de turismo e nele você percorre cerca de 60 km entre o centro da cidade e o famoso hotel Llao Llao, construído nos anos 40. Ao longo do caminho você irá passando por diversas atrações, podendo parar em algumas delas e apreciar as mais belas paisagens de Bariloche. Há vários mirantes e é possível subir o Cerro Campanario, que oferece as mais belas vistas da região.

Visitar o Cerro Catedral – Principal área para esqui de Bariloche, o Cerro Catedral é uma atração imperdível no inverno! A estação de esqui tem dezenas de pistas para todos os níveis de praticantes de esportes da neve e é diversão garantida para quem está começando a engatinhar no esqui ou para os esportistas mais experientes. Vale a visita mesmo para quem não pretende esquiar pois próximo da estão estão várias lojinhas, restaurantes e através dos meios de elevação você também pode subir a montanha e curtir a paisagem.

Visitar o Cerro Otto – O Cerro Otto, assim como seus morros vizinhos, oferece uma paisagem incrível de Bariloche e da natureza da cidade. O diferencial do local é que em seu topo fica a Confeitaria Giratória, que – literalmente- fica girando e assim proporcionando paisagens diferentes ao longo de uma refeição.

Cerro Campanário – O morro fica as margens do lado Nahuel Huapi e tem cerca de 1049 metros. O acesso até o alto do cerro é feito através de um pequeno trajeto de teleférico e a vista lá de cima é linda – algumas pessoas, inclusive, elegem o lugar como o que oferece as mais belas paisagens da região. A dica é subir bem agasalhado, porque no inverno o frio lá em cima é cortante!

Admirar a paisagem do lago Nahuel Huapi – é um programa simples e até trivial, mas que tem seu valor. Bariloche está situada às margens desse lago de águas azuis e aos pés da cordilheira; o cenário natural é lindo e vale super a pena observar a cadeia rochosa, muitas vezes com neve no topo.

Esticar até Vila La Angostura – A Vila fica a cerca de 80km de Bariloche e oferece um turismo mais original. É uma cidade pequena, com alguns restaurantes e uma paisagem igualmente incrível. Nela fica o Cerro Bayo, uma estação de esqui bem estruturada e que também não deixa a desejar quando a vontade é apreciar paisagens bonitas. É possível conhecer Vila La Angustura de ônibus ou de carro e fazer apenas um bate-volta ou ficar mais tempo por lá.

Passeio a Puerto Blest – Esse é um dos passeios lacustres de Bariloche que vai até Puerto Blest, navegando até o lago Nahuel Huapi. O passeio faz uma parada para caminhada para admirar a Cascata Los Cántaros, que está cercada por uma vegetação exuberante. Após a parada para admirar a Cascata, é hora de seguir até Puerto Blest, onde há um mirante para a Baía do Rio Frías. A particular água verde do Lago Frías provém de um dos glaciares do Cerro Tronador, na divisa com o Chile. Daqui também se pode visitar a Cascata de los Cántaros, junto ao imponente Alerce Milenario – uma árvore com mais de 2.500 anos! – e o Lago de los Cántaros.

Passear pelo centrinho de Bariloche  – Reserve um tempo da viagem para conhecer o centro de Bariloche, andar pelas lojas da rua Mitre, comprar chocolates e tirar fotos no Centro Cívico. A cidade pode ser facilmente conhecida a pé! Por lá você poderá visitar a catedral, desenhada pelo arquiteto Alejandro Bustillo, o mesmo do famoso hotel Llao Llao. A poucos metros se encontra o Centro Cívico, que é um monumento histórico nacional. Além de lojas de todos os tipos, o mais importante: chocolaterias! Falamos delas daqui a pouco! 😉

Visitar o Museu do Chocolate – Pertencente a fábrica Havana, o museu explica sobre o processo de fabricação de seus produtos e sobre a história do chocolate. A marca, que já é conhecida no Brasil e possui filiais em várias cidades brasileiras, é de origem argentina e através da visita guiada no local permite entender como o chocolate se tornou um dos alimentos mais consumidos no mundo.

Comprar, comer e se deliciar com os chocolates – Não dá para deixar Bariloche sem conhecer suas lojas de chocolates ou parar durante a tarde para tomar um chocolate quente. Elas estão por todos os lados e são várias marcas diferentes! As mais famosas são Mamushka, Rapa Nui e Abuela Goye. Na dúvida, melhor experimentar um pouquinho de cada e depois eleger o seu preferido! Ah, se esquecer de comprar algum presente, há uma lojinha da Rapa Nui no aeroporto.

Transporte em Bariloche

Alugar um carro pode ser uma ótima alternativa para quem deseja se locomover por Bariloche com facilidade e também para não se limitar a cidade em si e conhecer outras atrações da região. Para quem se hospeda afastado do centro, principalmente, é bastante vantajoso ter um carro já que dessa forma você não ficará dependente de outras formas de transporte, como o táxi. Outra alternativa é ônibus, a linha 20 segue direto pela avenida Bustillo desde o centro de Bariloche até o hotel Llao Llao. O trajeto completo custa 35 pesos, mas é preciso ter o cartão SUBE para pagar.

Restaurantes em Bariloche

Confeitaria Giratória – O local está localizado no Cerro Otto e vale a pena pelo visual que oferece. Lá de cima, a 1.405 metros de altura, se tem uma vista maravilhosa! É uma alternativa legal para comer um doce acompanhado de uma bebida quente observando o visual das montanhas.

El Boliche de Alberto – Bastante famoso na cidade, o Boliche de Alberto tem restaurantes voltados para massas e carnes, em localizações distintas. O local tem porções bem servidas, comidas saborosas

La Marmite – Tradicional em servir trutas e fondue, o La Marmite é uma boa alternativa para um jantar em família ou casal. O fondue de queijo, em especial, costuma ganhar o gosto dos visitantes.

El Patacón – Conhecido pelos pratos típicos da Argentina e de Bariloche, o restaurante tem pratos como truta, salmão e cortes de carnes argentinos. O ambiente rústico, construído em madeira, remete às tradicionais  da cidade.

Familia Weiss – Sua especialidade é a cozinha patagônica e o restaurante serve diversas carnes diferentes, típicas da região. O ambiente é rústico e aconchegante, ideal para fazer uma refeição entre amigos. O cardápio tem diversas opções de pratos.

Lojas de chocolate –  Elas não são necessariamente restaurantes, mas têm lanchonetes maravilhosos e com bons quitutes. A Rapa Nui e Mamushka, por exemplo, são boas opções para tomar um chocolate quente, comer uma fatia de torta ou tomar um café.

Hotel Llao Llao – O famoso hotel de Bariloche conta com o Restaurante Patagonia, que é à la carte e serve pratos regionais como fondue de queijo, tábua de frios, brochettes de cordeiro, sopa de creme de cogumelos e empanadas de truta do lago. O Winter Garden oferece um almoço buffet, com uma variedade de saladas regionais e frios, além de uma seleção de pratos quentes e mini sobremesas. O lugar também é famoso pelo tradicional Llao Llao Tea, que inclui seleção de chás, chocolate quente ou café, além de um variado buffet de bolos, tortinhas de frutas vermelhas, bolinhos, muffins, brioches, brownies e mini sanduíches de salmão defumado ou presunto cru e pão de nozes. Em ambos os espaços você pode apreciar a incrível vista que o hotel tem.

Hotel em Bariloche

Bariloche oferece acomodações variadas e com diferentes níveis de conforto. Para quem quer ficar bem localizado e gosta de fazer atividades caminhando, o ideal é se hospedar no centro. Vale destacar que os passeios são distantes, por isso para quem planeja fazer vários deles – por conta própria ou com agências- , não é essencial ficar no centro.

Se for alugar um carro e gosta de admirar uma bela paisagem ao acordar, uma possibilidade é ficar em um dos hotéis instalados na beira do Lago Nahuel Huapi.

O que recomendamos bastante é ler comentários de pessoas que já se hospedaram no local, pois durante o inverno, Bariloche costuma receber dezenas de grupos de estudantes e ficar em um hotel com eles pode não ser uma experiência tão positiva.

Mais dicas de Bariloche

Quero esquiar pela primeira vez, como funciona?

Bem, as estações de esqui possuem pistas para todos os níveis de esquiadores, desde os iniciantes aos mais experientes. Obviamente, se você nunca praticou o esporte e pretende aprender, o ideal é começar do começo, onde estão as pistas mais fáceis (menores e menos inclinadas). Ali você poderá aprender como se posicionar com o equipamento, como frear, fazer pequenas mudanças de direção, etc. Para facilitar ainda mais o aprendizado, sugerimos participar de ao menos uma aula com um professor porque dessa forma você conseguirá aprender os movimentos corretamente e posteriormente praticá-los sozinho. As grandes estações de esqui possuem aulas em grupo e particulares.

Estações de esqui

Outra informação que vem a calhar é saber que as estações, não só em Bariloche como ao redor do mundo, costumam cobrar valores de acordo com a quantidade de dias que você pretende praticar esportes e nesse valor não está incluso o equipamento, que deve ser alugado à parte. Comprar equipamentos para praticar esportes de neve só é vantagem se você pretende utilizá-los com frequência e como são caros, recomendamos inicialmente apenas alugá-los mesmo. Escolher o equipamento adequado é essencial para esquiar ou praticar snowboard, por isso opte por alugá-lo em um estabelecimento que tenha materiais novos e ofereça bastante variedade de tamanhos.

Quanto às roupas, o ideal é utilizar calças e casacos impermeáveis, que permitirão ter contato com a neve sem que suas roupas se molhem. Por dentro das roupas de esqui você pode usar uma segunda pele, para manter o corpo aquecido. Com relação as luvas e outros materiais que ficam suados e têm contato direto com o corpo, como os gorros, o ideal é que sejam seus mesmo.

Roupas de frio

para quem não está habituado com cidades frias e nem tem roupas de frio, vestir-se em uma cidade como Bariloche pode ser um desafio e geralmente provoca dúvidas. Em lugares como Bariloche utiliza-se o chamado método cebola, que nada mais é do que se vestir em camadas – dessa forma, você pode colocar e tirar camadas de roupa de acordo com o ambiente em que está. Se está na rua, convém usar um casaco mais pesado e resistente ao frio; se entrar em um restaurante aquecido, você pode tirar esse casaco e usar, por exemplo, um suéter que está por debaixo da roupa.

Outra dica de grande utilidade é usar a segunda pele, um tipo que roupa que mantém a temperatura corporal e que fica justa ao corpo. Sobre a segunda pele você pode colocar uma calça jeans, suéter, etc. Se sua cidade não possui lojas que vendem esse tipo de produto, recomendo olhar a loja online da Decathlon, que vende produtos da Quechua, uma marca de bom custo-benefício.

Cruce Andino de Bariloche ao Chile

O Cruce Andino, travessia dos Lagos Andinos entre Bariloche e Puerto Varas, no Chile, é um assunto que volta e meia gera dúvidas entre os turistas e sobre o qual que muita gente busca informações.

O Cruce Andino é um trajeto entre Bariloche (Argentina) e Puerto Varas (Chile) ou o caminho inverso, passando por 7 lagos ao longo do percurso. O caminho é lindo, tem paisagens de tirar o fôlego, lagos com colorações diferentes, paisagens espetaculares para vulcões e para a cordilheira dos Andes, além da vegetação típica da Patagônia.

Mais do que um simples passeio, essa atividade é uma viagem. Ela dura um dia inteiro e, não vou negar, é cansativa, mas extremamente compensadora. O trajeto leva em torno de 12h e tem a opção de ser feito em um dia inteiro ou em dois dias, com pernoite na cidade chilena de Peulla. Se você já pretende visitar o Chile na mesma viagem de Bariloche, considere fazer o Cruce Andino.

Gostou das dicas? No Guia de Bariloche há ainda mais informações, dicas e fotos para você planejar a sua viagem! 

Tem mais dicas de Bariloche? Divida sua experiência nos comentários e conte como foi sua viagem!

Autor

Camille Panzera - Editora de destinos Apaixonada por novas culturas, diferentes sabores, peculiaridades e paisagens que cada pedacinho do mundo é capaz de oferecer.