Azul vende passagens para Caiena, na Guiana Francesa, por R$ 330 ida e volta

Denis Carvalho 30 · julho · 2015

A Azul vai voar para Caiena, capital da Guiana Francesa. A partir do dia 20 de agosto, a companhia terá dois voos semanais a partir de Belém, oferecidos às terças-feiras e aos sábados e realizados em turboélices ATR 72-600, equipados com 70 assentos. As passagens já estão à venda, com preços a partir de R$ 330 ida e volta.

Será o primeiro destino internacional sul-americano atendido pela Azul – a companhia também será a única brasileira a contar com voos regulares para Caiena –  a rota também é operada pela Surinam Airways.

“Este será o nosso terceiro destino internacional. É uma rota muito importante principalmente para atender a demandas do Norte do país, uma vez que a localização de Caiena é estratégica para algumas cidades da região. Apostamos no sucesso desta rota, com a conectividade oferecida em Belém e pela operação exclusiva da Azul entre empresas brasileiras”, afirma Marcelo Bento, diretor de Planejamento e Alianças da Azul.

azul-caiena

A Azul opera 15 voos diários para Belém, com conexões para Manaus, Santarém, Itaituba, Porto Trombetas, Altamira, Macapá, Fortaleza e Belo Horizonte. A autorização para voar para Caiena havia sido solicitada à Anac pela Trip em 2012, mas a companhia acabou sendo comprada pela Azul antes de operar a rota.

Caiena é a maior cidade da Guiana Francesa, com aproximadamente 60 mil habitantes. Por ser um território da França, a Guiana Francesa faz parte da União Europeia e da Zona do Euro (grupo de países em que a moeda em circulação é o Euro). Além do turismo, o país tem a pesca, silvicultura e extração de ouro como principais atividades econômicas.

Dica do leitor Fabiano Avila.

Origens

Destinos

Período



- A lista acima está em constante atualização, porém os preços podem mudar à medida que as passagens aéreas vão sendo vendidas.

- Esses preços não incluem as taxas.

- O Melhores Destinos é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe
  • Luiz Phelipe Pimenta Frota

    eita, começar a pensar na possibilidade de fazer turismo por aquelas bandas =D

    pra entrar na Guiana Francesa precisa-se de visto ou estou equivocado? (digam que estou equivocado hehehe)

    • YURI FAMINI

      Precisa não, já que brasileiros não precisam de visto para entrar em território francês.

      • James Cardoso
      • Carlos

        Precisa de visto, não é território francês, é território ultramar francês. Serve para controlar brasileiros que vão a procura de ouro, euro etc.

      • Jefferson Paulo

        Precisa sim amigo, mesmo sendo territorio francês.

      • Tarcísio Medeiros

        Como Jefferson disse, precisa sim. Inclusive a menos que seja puro medo, eles exigem várias coisas, inclusive vi que tem uma taxa de 100€

    • Marcus Regis

      Infelizmente, sim. Embora os brasileiros não precisem de visto para entrar no território francês na Europa ou nos demais departamentos ultramarinos (como a Martinica ou a parte francesa de St. Martin, no Caribe), a Guiana Francesa é exceção devido ao grande fluxo migratório de brasileiros para lá. http://brasilia.ambafrance-br.org/Vistos. Abraços.

    • Papel Aluminio

      Qual a boa na região? O que é interessante de visitar?

    • Vlamir Gomes

      Infelizmente necessita de visto.

      Os cidadãos brasileiros que desejarem se dirigir à França em viagem turística estarão isentos da exigência de visto.

      Esta medida aplica-se exclusivamente às estadas inferiores a 3 meses e apenas na França metropolitana, Coletividades e Territórios Ultramarinos: Saint Martin, Saint Barthélémy, Saint Pierre et Miquelon, Nova Caledônia, Wallis et Futuna, Mayotte e Polinésia Francesa assim como para os Departamentos e Regiões Ultramarinos: Guadalupe, Martinica e Réunion.

      Porém, o visto é obrigatório para a Guiana Francesa (exceto para os passaportes diplomáticos e de serviços brasileiros)

      http://brasilia.ambafrance-br.org/Vistos

    • Pierre

      Sim, a entrada na Guiana Francesa, diferentemente da entrada na França continental, requer visto de entrada. Nos sites dos consulados da França no Brasil estão disponíveis as informações pertinentes.
      Attn

      Pierre

    • Luiz Phelipe Pimenta Frota

      Então depois dessa dúvida pedi informação para o Google e justamente os brasileiros precisam pedir visto para a Guiana Francesa (só pra la mesmo ao que parece…) e sai a quase R$182,00 :'( começar a me programar pra juntar essa grana toda…

  • Vlamir Gomes

    Infelizmente necessita de visto.

    Os cidadãos brasileiros que desejarem se dirigir à França em viagem turística estarão isentos da exigência de visto.

    Esta medida aplica-se exclusivamente às estadas inferiores a 3 meses e apenas na França metropolitana, Coletividades e Territórios Ultramarinos: Saint Martin, Saint Barthélémy, Saint Pierre et Miquelon, Nova Caledônia, Wallis et Futuna, Mayotte e Polinésia Francesa assim como para os Departamentos e Regiões Ultramarinos: Guadalupe, Martinica e Réunion.

    Porém, o visto é obrigatório para a Guiana Francesa (exceto para os passaportes diplomáticos e de serviços brasileiros)

    http://brasilia.ambafrance-br.org/Vistos

  • James Cardoso

    Tai um lugar incrível, Illes de Salut vale (e muito) a visita e de preferencia uma acampada por uns 3 dias, muito mais simples agora para voltar.

  • Sera que se tornará uma opção barata para ir para o Caribe… digo Aruba, Curaçao, Bonaire, etc… Tem alguma companhia que faça Caiena – Curaçao por exemplo ?

    • Edmundo Quintela Do Carmo

      Oi Erlon. O aeroporto de Caiena serve poucos destinos (Paris, Pointe-à-Pitre, Fort de France, Belém, Paramaribo, …) e o nivel de taxas é muito elevado, portanto as passagens custam muito caro.

      Uma boa opçao que a maioria dos residentes da Guiana F. utilisam: o aeroporto internacional de Paramaribo. Os preços sao bem abordaveis e serve muito mais destinos no Caribe.

      Sites:
      http://www.guyane.cci.fr/fr/aeroport/horaires_des_vols
      http://www.japi-airport.com/?page_id=8

  • Gustavo Zoch

    turboélices by passamedo© hahahahah

  • Fernando

    Mas porque fazer esse voo de ATR pelamordeus!

    • Diego Santos

      Acho que o custo operacional deve ser mais baixo.

  • André

    Infelizmente não há vôos para o caribe. A grande procura por este vôo é de turismo de negócios e para as famílias da imensa quantidade de brasileiros da região norte que mora em Caiene. Há muita gente do garimpo também.

  • Fernando Miranda

    É lá que tem a prisao do livro Papillon? Deve ser um passeio incrivel.

  • Thiago

    Xiii… visto obrigatório.

    http://brasilia.ambafrance-br.org/Vistos

  • Diego Rios

    NÃO CONSIGO VISUALIZAR O SITE DO DECOLAR, QUANDO ENCAMINHA PARA O SITE DO SUBMARINO, APRESENTA UM ERRO.

  • FCA

    Valeu Denis por ter publicado a dica ! Obrigado

  • Orem B. Hartuing

    A Guiana Francesa é um lugar frustrante em todos os sentidos, sob o ponto de vista do turismo. É um lugar sem história, sem cultura própria e habitado por um amontoado de gente de diversas nacionalidades que não se misturam. A maioria está lá com algum interesse econômico temporário, buscando fazer fortuna e ir embora o quanto antes, a maioria em atividades relacionadas ao garimpo, à exceção dos pequenos comerciantes e dos funcionários públicos franceses, esses também com âmbito de temporalidade (e em troca de uma preciosa contrapartida salarial). As pessoas são, de forma geral, bastante rudes, especialmente com brasileiros, que sofrem um forte preconceito. Não há o que dizer do insuportável e sufocante clima amazônico. Além disso, as praias, quando existem, são absolutamente horríveis, muitas com lama no lugar da areia, e todas com água de forte cor barrenta, ocasionada pelos manguezais ou pela descarga dos caudalosos rios amazônicos. Enfim, conheço bem Caiena e posso afirmar: a única coisa boa da Guiana Francesa, para um turista regular, é impressionar os amigos dizendo que foi lá. Não vale a pena.

    • Emoretto

      Seu comentário quase todo parecia muito coerente até o momento que diz: “a única coisa boa de ir pra lá … é impressionar os amigos dizendo que foi lá”. Me desculpe, mas quem viaja pra impressionar os outros não é um viajante de verdade.

      • Ele foi irônico, argumentando que a única coisa positiva é algo tão fugaz. Se não foi, tenho pena dele.

      • Orem B. Hartuing

        Tem razão, caro Emoretto, penso como você. Essa não é minha idéia, talvez tenha sido incompreendido. Apenas quis enfatizar que a Guiana Francesa, por ser um dos lugares mais isolados e desolados da Terra, não é um destino capaz de satisfazer turistas em busca de cultura, lazer, diversão ou relaxamento, essa é a minha opinião e a da maioria das pessoas que lá estiveram comigo. Como toda opinião é pessoal, no entanto, destaco que pode existir pessoas que podem se realizar bastante fazendo turismo lá, o que acho improvável, mas respeito.

        • Rafael

          Mas será que você não diz isso baseado em alguma experiência pessoal negativa que você teve lá? Pelas imagens do Google Maps a praia de Montjoly parece bem bonita, mesmo com água barrenta. Além disso vi que tem um arquipélago que parece no mínimo interessante por lá.

          • Orem B. Hartuing

            Opiniões são sempre pessoais, prezado Rafael, eu acho que é um lugar sem grandes encantos, mas acredito que, quando se tem boa vontade, há beleza em qualquer lugar. Considero uma baixa relação custo/benefício ir para as Guianas fazer turismo. Caso vá, posso recomendar Montjoly, é um lugar interessante, eu gosto do clima selvagem do lugar. Também existe uma praia razoável em Kourou, cidade que é atração por ser o centro de lançamento de foguetes.

          • Edmundo Quintela Do Carmo

            Acho que o Orem quer avisar e faz bem.

            Moro aqui a mais de vinte anos e como muitos tambem penso assim: a felicidade nao é o lugar para onde se esta indo, é a viagem

  • RayBandeira

    Liguei na Embaixada da França em Brasília. O visto hoje custa R$ 180. Perguntei se o valor era baseado no euro, a atendente impacientemente disse que não. Ela também falou que esse valor “muda” com frenquência.

    Bom, pra mim não é um absurdo. Programo um viagem pras Guianas há um bom tempo, passando pelas três começando por Macapá e voltando por Boa Vista. O visto realmente é uma falta de sacanagem, mas fazer o que.

    • Orem B. Hartuing

      Destino de viagem é algo bastante pessoal. Ao mesmo tempo que considero que cada lugar tem seus encantos e suas atrações, ainda que um tanto escondidas no público em geral, existem regiões que, para um turista regular, podem significar uma experiência frustrante. Na minha opinião, este roteiro estabelecido por você é um deles, principalmente se formos considerar que não será, de forma alguma, uma viagem barata. É uma região composta por países bastante pobres, com uma identidade cultural bem fragmentada, e uma certa tensão social provocada por profundas diferenças raciais, o que também se traduz em instabilidade política. São lugares violentos e não acostumados a receber turistas, demandando extremo cuidado nas maiores cidades, principalmente em Georgetown. As praias, quando existem, são péssimas e feias, sujeitas à influência dos rios amazônicos e ao nível das marés.

      Insisto nisso para alertar possíveis viajantes que vão pensando de tratar de uma pérola escondida entre a Amazônia e o Caribe, mas que, na verdade, irão ver apenas um arremedo inacabado de civilizações, além de barro ou lama, a depender da estação que se vá. Aos que realmente acham que a aventura nas Guianas vale a pena, recomendo pesquisar bastante antes de ir, até porque os transportes são bem precários por lá.

      • RayBandeira

        Realmente Orem, um turista regular sequer cogitaria uma viagem dessas. Bom, meu estilo de viagem costuma ser de mochilão “antropológico”, ou seja, vou pra conhecer a realidade, não para tomar água de coco na praia, usufruir de serviço de resorts e ficar chateado com o café que veio meio passado. Sou jornalista. Não adianta o quanto digam que não vale a pena, eu preciso ver com meus próprios olhos. Quanto a segurança, bem, de fato é sensato ouvir conselhos, mas se fosse segui-los sempre nunca teria conhecido lugares e pessoas encantadoras na Venezuela ou no Paquistão, por exemplo. Neste último passei onde um mês antes havia acontecido um atentado, que matou mais de 50 pessoas. É seguro pro turista um lugar desses? Não. Mas às vezes um lugar é mais seguro quando ninguém está de tocaia te aguardando. A surpresa de voltar vivo já vale a viagem. kkk brincadeirinha…

        • Orem B. Hartuing

          Muito legal, RayBandeira, acho que ter esse espírito aventureiro é um verdadeiro presente da vida. Apesar de não ser jornalista, meu estilo de viagem é bem mais parecido com o seu do que com o do turista regular que, creio eu, são a maioria dos leitores desse site, e pensando nisso que insisti que as Guianas não são um lugar, digamos, memorável. No fundo, qualquer país vale a pena, com a condição que estejamos com o espírito ideal para explorar sem preconceitos cada lugar. Como sugestão, recomendo-lhe 1) ir no período seco, vai facilitar o transporte entre Georgetown e a fronteira brasileira em Lethem (a estrada é de terra e fica intransitável em certos períodos do ano); 2) não é possível atravessar a fronteira da Guiana com a Venezuela, pois não existem passos fronteiriços entre esses dois países.

          • RayBandeira

            Maravillha, Orem! Muito obrigado pelas dicas! A Venezuela ainda ‘pensa’ que a Guiana (inglesa) é território deles. Acho uma vergonha países vizinhos não terem fronteiras transitáveis. Faixa de Gaza tem passagem pra Israel, não tem. Paquistão com a Índia também.

        • Edmundo Quintela Do Carmo

          Oi Ray.

          Moro na Guiana F. e tive a sorte de conhecer duas pessoas que se esforçam em fazer conhecer o que este pais oferece em termos de turismo. Talvez vale a pena voce entrar em contato:
          https://www.youtube.com/playlist?list=UUv_FLhzGuCxdvfIE_Q-0TEA
          https://www.facebook.com/alessandroalencar

          http://www.bontikote.com/

          E pra voce ter uma ideia, aqui esta o site do Comitê de Turismo:
          http://www.guyane-amazonie.fr/
          https://www.facebook.com/pages/Guyane-Tourisme-CTG/1542754142669420

          O turismo nao é a principal fonte de renda da Guiana F., sendo assim podemos dizer que esse setor ainda esta começando a se desenvolver.

          Gosto da analise feita por Orem (voce mora na Guiana?): quem avisa amigo é. Mas nada deve lhe empedir de conhecer o mundo onde vivemos porque ele pertence a todos nos!

        • cropereira0103

          Onde tem relatos seus na Venezuela e no Paquistão?

          • RayBandeira

            Na minha memória. 🙂

    • Thiago Vasconcelos

      Olá Ray. Vi que você é a mais informada a respeito do atual acesso ao espaço franco guianense. Vou explorar um pouco, caso seja possível.
      Você sabe algo a respeito do seguro saúde (30.00 EUROS), exigido no dossiê? Pelo que simulei em algumas companhias, parece que custa uns 400 dilmas! Aí a viagem começa a ficar muuuito cara.
      O visto estadunidense dura 10 anos; e o franco guianense, dura quanto? A curta duração (90 dias) é o período máximo de permanência ou a validade do visto? Afinal, um investimento desse porte tem que ser estudado cautelosamente.
      Vi também que o consulado só tem agenda pro fim do mês… é válido e seguro agendar, preparar o dossiê e queimar essas milhas até Brasília (BEL-BSB-BEL) para esse fim?

      • rodrigo

        SE FOR 400 DILMAS ENTAO ME PERDOE , MAS NAO VALE NADA…………….

  • Renan Santos

    Tenho vontade de conhecer esses destinos quase desconhecidos … guiana, suriname …

  • luis

    Acredito que Azul opera essa rota por causa de beneficio que ela vai receber pelo prefeitura de Belém,pq a Macapá perdeu a disputa contra Belém para operar a mesma rota.Não acho que Azul vai ganhar lucro pelo esse voo.