Azul a um passo de receber autorização para operar no Uruguai

Wendell Oliveira 26 · maio · 2017

Como antecipamos aqui a Azul está empenhada em começar a operar no Uruguai no menor prazo possível, de olho na ponte aérea entre Montevidéu e Buenos Aires.

Semana passada a companhia terminou de apresentar todos os documentos necessários para a autoridade de aviação civil do Uruguai, a DINACIA. O próximo passo é a análise pela Junta Aeronáutica, encarregada de conceder a permissão provisória como uma linha aérea regular uruguaia.

De acordo com o jornal El Observador, uma vez com essa permissão – que deve ser liberada em questão de dias -, a empresa poderá dar início ao processo de certificação de suas aeronaves e solicitar formalmente as rotas. A primeira será a ponte aérea entre Montevidéu e Buenos Aires.

A companhia aérea que levará o nome de Azul Uruguay tem em seus planos operar com aviões novos modelo ATR 72-600, importados diretamente da França.

Azul-atrTurboélice ATR da Azul

Ainda segundo o jornal, o processo de certificação das aeronaves vai depender de quão rápido elas cheguem ao país e o estado das mesmas. Por se tratar de modelos novos, o trâmite de certificação não deve demorar tanto.

Estima-se que a companhia possa começar as operações já no segundo semestre deste ano. A Azul também negocia há alguns meses com o governo uruguaio a implementação de um hub no Aeroporto de Carrasco, com algo em torno de 6 a 8 aeronaves.

Além disso, a empresa também está interessada em cobrir a rota Montevidéu-Porto Alegre e Montevidéu-São Paulo com sua subsidiária de bandeira uruguaia, além de outros destinos como Córdoba, na Argentina.

Fonte: El Observador

Autor

Wendell Oliveira - Editor
  • Fábio

    E os vôos que a Azul planejava para Bolívia e Nova Iorque, desistiram?

    • João

      O voo da Bolívia está quase, falta só a aprovação da autoridade competente de lá. Nova Iorque parece estar fora dos planos imediatos.

  • Renato Matos

    Até agora não entendo essa tara da Azul em BUE, estão tendo uma mão de obra gigante se for como dizem pra “burlar” legalmente o bilateral Argentina-Brasil, fazendo ao estilo TAM paraguai e lançar MVD – BUE – VCP, mas pra isso bastaria criar a Azul Argentina, lá agora aceita capital estrangeiro rs. Ou será que vem mais e estão a criar uma empresa estilo Pluna? Com conexões para outras cidades tipo SCL, MDZ, BRC, USH? Aí faria sentido principalmente com os Embraer que começam a ser substituidos pelos E2 ano que vem.

    • Cassiano

      Esse pessoal da Azul não dá ponto sem nó, então não duvidaria dos planos deles… Vejamos no passado, quando começaram: enquanto todo mundo olhava para SP, ela foi para Campinas e operou um milagre no aeroporto. Pode ser que eles estejam querendo fazer algo do tipo, visto que o Carrasco é um terminal com uma infraestrutura ótima e com potencial para expandir.

  • Cassiano

    Minha maior curiosidade é se eles vão adotar a mesma marca com mesmo logo, ou se vão estilizar o mapa do Uruguai e suas províncias também, ou ainda, se vão fazer uma remodelação de marca, como a Latam fez, unificando as empresas numa marca só com um logo padrão (por mais que sigam, comercialmente, Latam Brasil, Latam Chile, etc.).

    • Emmanuel Kalispera

      Se fizessem isso, seria Azur e não Azul hahahah

      • Cassiano

        Uma coisa não tem nada a ver com a outra, pois o nome da cor nem entrou em questão. A marca é Azul, o logo é o mapa do Brasil estilizado (minha curiosidade será como será a Azul Uruguai nesses pontos). A cor é predominante por identidade de marca mas é facilmente destacável após sua consolidação (note que eles tem, por exemplo, aeronaves de outras cores além da azul e branca).

        • Emmanuel Kalispera

          Vc não entendeu nada….Azur de Az + Ur, somando as inicias de Azul com as de Uruguai.

          • Cassiano

            Pior que trocadilho de tio do pavê… Boa noite, champs! Fico aguardando quem queira debater estratégias de branding e assuntos correlatos.

    • Creio que sim. Até para fortalecer sua marca e virar concorrente com os Grupos da Avianca e LAN.

      Melhor, seria já deixar como está. Assim, já começa a fixar sua marca na América do Sul.

      • Cassiano

        Pois é, tb penso assim, mas não seria estranho para uma empresa “uruguaia” ter o mapa do Brasil como logo, pensando que no passado parte do país pertenceu ao Brasil? Essa parte de simbologias que o logo carrega e o impacto deles é algo que, particularmente, me encanta. Boto fé que a Azul vai arrebentar e é muito bem vinda essa disputa com as concorrentes no continente.

        • Isso é relativo, se fôssemos pensar de forma sempre Radical, o nome “América” da American Airlines, a águia sempre presente no logo da Lufthansa por exemplo ou o logo da KLM que ainda é igual em relação ao logo das aeronaves da época do acidente de Tenerife.

          Creio que uma boa fixação com ações e campanhas no Uruguai, desmistificam esse possível “problema”.

  • Emmanuel Kalispera

    “elas cheguem ao país e o estado das mesmas.” ….—> “elas cheguem ao país e o estado delas”.